22 anos de saudade e impunidade

abr 4, 2011 by     28 Comentários    Postado em: Artigos e Análises

Por Nathalia Just
para o Acerto de Contas

O dia 4 de abril é e sempre será muito triste para minha família,  principalmente para mim e meu irmão. Hoje faz 22 anos da morte de nossa mãe, Maristela Just. 22 anos da pior noite que já vivemos e que modificou para sempre nossas vidas.  Esse ano de 2011 é o primeiro ano desses 22 anos em que esta data passa com alguma mudança: o crime foi julgado em primeira instância!  Imagine… O peso da impunidade nas nossas costas diminuiu um pouco: agora o assassino é devidamente sentenciado a 79 anos de prisão e não precisaremos mais lembrar desse  4 de abril como mais um “aniversário da impunidade”.Mas será mesmo?

Há mais de 10 meses me pergunto se realmente o que houve foi justiça (no sentido literal da palavra).  Houve um julgamento  legítimo,  seguindo os ritos da lei, houve uma sentença e foi garantida a soberania de veredicto do Juri. Tudo na mais perfeita legalidade e transparência. Mas e a efetiva justiça? E o cumprimento da sentença? O assassino onde esteve esse tempo todo? Onde está esse tempo todo?!  Esperamos 21 anos por um julgamento e durante mais de 2 décadas de nossa espera por justiça ele esteve SOLTO. Houve o julgamento (01/06/2010); há uma sentença;  há um mandado de prisão. Ele apesar de foragido, continua SOLTO.  É como eu disse, este ano tivemos uma pequena mudança, pelo menos para nós.

Uma sentença numa folha de papel é o que temos agora. Realmente é um começo maravilhoso para quem esperou quase a vida toda por uma resposta do Estado e continua esperando o transito em julgado com o fim dos intermináveis recursos da defesa. Mas sempre é como se nunca fosse ter fim. Sinto que agora além de termos que continuar esperando por uma resposta dessa vez do Tribunal de Justiça de Pernambuco, temos que ficar esperando resultados por parte da polícia também! Já já faz um ano que José Ramos está foragido da justiça e até agora nenhuma posição concreta da polícia.

Parece que essa data (01/06) vai passar a fazer aniversário também!

Em fevereiro passado houve aquele caso que chocou a todos da morte do universitário Alcides que conseguiu passar no vestibular da UFPE e um tempinho depois foi assassinado “por engano”.  Como o caso virou notícia do Fantástico e ficou “feio”para o governo do Estado ter escancarada a lastimável situação da violência no nosso Estado, era preciso dar uma resposta a sociedade: em 3 meses acharam o assassino de Alcides!  Por que será que não acham José Ramos até hoje? Será por que o assassino de Alcides era pobre? Ou será que nós não merecemos uma resposta?  Não sei…mas sempre fica a dúvida, afinal estamos falando de um Pernambuco oligárquico, estamos falando de Brasil. Gostaria de saber os reais motivos.

É um turbilhão de sentimentos que rodeiam esses pensamentos e lembranças. É muito chato tudo isso, as pessoas não fazem idéia. A gente tenta seguir a vida e deixar essas coisas do Caso de lado, mas o calendário não perdoa e as lembranças também não, sempre voltam a tona.  Todos os avanços no processo e os lentos passos da justiça para mim acabam sendo insignificantes perto da saudade que tenho dela!  Ah minha mãe… Nada a trará de volta nunca, nem mesmo a prisão de seu algoz.  22 anos é muito tempo! Mas nem o tempo apaga a saudade de uma mãe maravilhosa. Infelizmente José Ramos Lopes Neto quis que o nosso tempo juntas fosse curto, mas nem isso impediu que fossem anos maravilhosos e preciosos pra mim até hoje. Lembrarei e lamentarei sua falta para sempre… com justiça ou sem justiça, com prisão ou sem prisão. 22 anos de muita saudade.

28 Comentários + Add Comentário

  • “Há mais de 10 meses me pergunto se realmente o que houve foi justiça (no sentido literal da palavra). Houve um julgamento legítimo, seguindo os ritos da lei, houve uma sentença e foi garantida a soberania de veredicto do Juri. Tudo na mais perfeita legalidade e transparência. Mas e a efetiva justiça? E o cumprimento da sentença? O assassino onde esteve esse tempo todo? Onde está esse tempo todo?!”

    TUDO, ABSOLUTAMENTE TUDO nesse país é de faz-de-conta.

    Eu nunca tive um pai ou mãe brutalmente assassinado (não sei até quando), mas já tive um tio assassinado num assalto.

    O vazio que se sente quando se perde alguém muito querido é infinito.

    Fico imaginando a dor que tem uma mãe que enterra um filho (ou um filho que enterra um pai/mãe) que era um exemplo para o país (caso Alcides). É um misto de revolta, indignação, profunda tristeza e forte sentimento de abandono do Estado.

    Ontem estava lendo um caso de bulling que uma moça apanhou na escola até ficar com o resto desfigurado. E pensar que esse negócio de bulling veio pra ficar no Brasil. Os diretores da escola disseram que não iriam divulgar o nome das meninas que espancaram por um questão (PASMEM!!!) de ética!!! Que ética, pelo amor de Deus!!

    Esse é o país da esculhambação, do descaso, da desordem, da anarquia. Malandragem triunfa sempre por aqui.

    É obra da copa atrasadíssima, é dengue matando adoidado, é recorde de roubo de explosivos usados pra assaltar caixas bancários, corrupção generalizada, é apagão, falta de água nas grandes cidades, criminalidade tomando conta, presídios tomados por bandidos, marginais sendo tratados como bebês ingênuos, licitação fraudada, irregularidades trabalhistas em grandes obras, funcionários fantasmas nos órgão estatais, tráfico de drogas dominando o país, crack destruindo vidas e famílias, bulling, trânsito fora de controle, assaltos diários a joalherias, putaria e sacanagem dominando a televisão, aeroportos caóticos, escolas e hospitais detonados, impunidade generalizada, a lista de descasos é infindável…

    Enquanto isso, vê-se inúmeras famílias enterrando seus mortos sem sequer um horizonte de justiça e tendo que se conformar com o esquecimento e o abandono do Estado.

    Espero que essas vítimas, pelo menos, encontrem o conforto e a paz depois da vida inquieta de sofrimentos e tristezas que levaram por aqui.

    • Não cabe a escola a punição.

      Cabe ao Estado.

      E o Estado determina que, envolvendo menores, o processo deve correr em segredo de justiça, sem identificar as partes.

      Mas o comentário é pertinente. E ainda resta a pergunta: como é que um governo desses tem 80% de aprovação?

      • Quer dizer que bulling agora virou problema de polícia e de justiça?

        • Eu acredito que sim.

          Do contrário é justiça privada.

          E isso já se mostrou ineficiente, uma vez que nesses casos o que impera é o código de hammurabi.

      • “E ainda resta a pergunta: como é que um governo desses tem 80% de aprovação?”

        Imagina o naipe de quem aprova um aborto desses!!!

      • Um governo desses tem 80% de aprovação quando a população sabe que a situação melhorou – e está melhorando – enormemente, como nunca antes.

  • Pois é… o tucano do bico vermelho (Eduardo Campos), só põe a polícia para trabalhar se o caso gera repercusão.
    Essa história de pacto pela vida foi a maior balela… passou a eleição e apopulação hje se precisar da polícia fica esperando até duas horas e nada… o bandido mata foge e nem sinal de polícia! Esse é o Governo de Pernambuco construido em cima de fábulas.

    O tucano do bico vermelho tem muito é que agradecer a lula porque se não fosse ele não teria vindo os investimentos necessários para economia de Pernambuco deslanchar e ajudar a ele a se reeleger no primeiro turno. Esse socialismo do Governo de Pernambuco é a maior piada.

    E o PT que se cuide porque Eduardo está preparando uma cilada para prefeitura do Recife.

    • Cuidado! Daqui a pouco chegam os gangsters pra defender esse novo espécime da política local, o tucano-de-bico-vermelho.

  • Ficou ótima a escolha da foto!! é assim mesmo que a gente se sente, com muitaaa saudade dela e fazendo papel de palhaço!

  • Calma, gente!!!

    Com os juízes ganhando R$ 26 mil, eles irão ter um pouco mais de dignidade no seu trabalho e julgar 10.000 processos por dia, colocando esse brasilzão em ordem.

  • Parabéns ao Acerto de Contas!

    Manter viva a lembrança acerca desse emblemático caso – infelizmente nem de longe o único de violência contra a mulher e posterior impunidade – faz com que essa luta não pereça.

  • E o programa linha direta da Rede Globo, faz falta nessa hora, infelizmente trocaram ele pelo BBB.

  • Nessa hora o programa Linha direta da rede globo faz falta, pena que ele foi substituído pelo BBB da vida.

  • Infelizmente casos como este existem em todo país…um dos grandes responsáveis por esta palhaçada tb é o Sr. Gil Teobaldo (advogado criminalista e pai do assassino), além de defender o filho dizendo que o mesmo agiu em defesa da honra, ele ainda dá declarações asquerosas como: “E digo sem nenhum constrangimento, se não matasse, não comia na minha mesa, porque o homem tem que ter dignididade” (JC 12/05/2010). Como é que um cara desses ainda tem registro na OAB!!!

    • Não é apenas ele(Gil Teobaldo) o culpado.São culpados os amigos que sabem onde o condenado está, os vizinhos, os parentes que passam a mão e são cúmplices na impunidade.Com certeza acham que não estão acobertando um criminoso.Mas, estão sim.E um daqueles perigosos, que se escondem sob o manto da covardia, da família e dos amigos cúmplices.
      Gente, ele matou uma pessoa.Quem acoberta ele acredita que a justiça só é para pobre…
      Por isso que o Brasil é essa esculhambação.

  • Espero que este homem seja preso.

  • Pelo menos, no meio desse lamaçal todo, o MP de vez em quando dá sinais de vida:

    http://g1.globo.com/politica/noticia/2011/04/mp-cobra-devolucao-de-passaportes-diplomaticos-dados-parentes-de-lula.html

  • Até Ziraldo tá entrando na onda:

    http://g1.globo.com/parana/noticia/2011/04/ziraldo-e-condenado-por-ma-administracao-de-dinheiro-publico.html

    Tá aprendendo bem em Ziraldo… Já tá pronto pra se candidatar.

  • E as pessoas ainda dizem ter “orgulho de ser brasileiro”. Enquanto prevalecer a máxima do “deixa a vida me levar”, os brasileiros terão sempre a justiça, a polícia e os governantes q merecem.

  • Se tem uma coisa que me deixa revoltado, com asco de ser brasileiro é esse tipo de situação.

    UM VERDADEIRO RETRATO DA IMPUNIDADE.

    Por essas e outras, nunca acreditei na Justiça brasileira.

    As manobras que estão feitas para postergar uma punição ao criminoso, são um claro sinal de que esse modelo de “justiça”, só alimenta o crime.

    Para piorar, como se fosse possivel tornar pior essa situação, temos que suportar a omissão dos legisladores e dos governanets, que por motivos óbvios, nunca se mostram dispostos a tornar mais rigida as leis desse país.

    Outro dia, o blog nos trouxe uma matéria sobre o assassinato da jovem MARLEIDE CAVALCANTI, estudante de uma escola pública.

    Pois bem, o crime foi no dia 18 de março.
    Até agora nenhuma resposta do estado.

    Nada. Nenhuma palavra!
    Até imprensa vai na onda e se cala.

    Vai cair no esquecimento!!

    Já a morte do Professor da UFPE foi “resolvido” em tempo recorde, com direito a entrevista coletiva e “show” de apresentação dos criminosos.

    Agora fica a pergunta: QUAL A DIFERENÇA ENTRE O CASO MARLEIDE E O CASO DO PROFESSOR??

    Porque a nossa policia é tão eficiente em “certos” casos??

    Porque a nossa justiça é tão eficiente em “alguns” casos????

    Será que essas familias sofrerão os mesmos martírios que Familia Just foi e está sendo submetida????

    À familia JUST posso apenas ofertar minha solidariedade e me colocar à disposição para GRITAR, pois nessa porra de país só se vence no grito.
    O Grito incomoda os “governantes”, pois chama atenção para o lado podre.

  • André, Pierre e Bahé,

    Este é um dos assuntos os quais enquanto o espaço do Blog existir na internet tem que ser esgotado até a resolução final.

    Dalto.

    • Gracias por esta entrada, pues alraca muchas cosas. Y a tedtulo personal, prefiero esa bajada de calidad a una subida de precios como muchos sugeredan. El mercado espaf1ol este1 muy malacostumbrado y va siendo hora que todos pongamos los pies en el suelo y nos dejemos de tanta pijereda. Si en otros paedses funcionan mejor las series con calidad media y precios me1s razonables, no termino de entender la necesidad que mueve a todos los lectores de tener ediciones chuledsimas pero a precios cada vez menos asequibles.Una duda que me ha surgido: entonces las reimpresiones que se tengan que hacer ya sere1n con el papel “malo”, no es cierto?

  • Apoiado!

  • Em tempo, Nathalia, sou solidário a sua luta.

  • Nathália,
    Na minha família aconteceu algo parecido, no início dos anos 80.
    Tive uma tia, grávida de três meses, assassinada pelo marido.
    Para conseguirmos a condenação, foi uma luta grande.
    O assassino também fugiu.
    Só conseguimos a captura após a exibição do caso no programa “Linha Direta”, da TV Globo.
    O assassino de sua mãe pode estar em qualquer lugar do Brasil ou até mesmo fora. É preciso uma campanha de alcance nacional e até fora do Brasil, para alguém que tenha alguma pista te repassar a informação. Se ficar esperando sentada pela polícia, pode não encontrá-lo jamais. Peça apoio a entidades de defesa das mulheres e de defesa dos direito humanos.
    Desejo boa sorte e que Deus proteja a todos vocês.

  • Nathalia, também estou na esperança também de que esse criminoso seja preso o quanto antes.

    Nunca sofri algo parecido com o que você e seu irmão sofreram, mas já sofri a violência de um assalto, e isso basta pra dar a forte sensação de que você não é valorizado por quem te governa.

    Talvez seja óbvia a ideia de que vocês nunca vão desistir de ver esse monstro na cadeia, por isso nem vou dizer pra vocês não desistirem jamais. Mas deposito aqui minha ajuda: mobilizem quem vocês puderem pra uma campanha de cidadania ativa popular contra a violência urbana, contra a violência doméstica, contra a impunidade.

    Escrevi alguns artigos no final de novembro de 2008, época desse assalto que sofri:
    http://conscienciaefervescente.blogspot.com/2008_11_01_archive.html (últimos textos com o marcador “Violência e Criminalidade”)
    Espero que esses textos tenham alguma valia e até utilidade pra vocês.

    Abs

  • Sou solidária à dor de Nathália Just ! Essa mesma (in)justiça entregou a cada 15 dias, um fim de semana, meus netinhos de 4 aninhos a um pai psicopata, a cada 15 dias sofremos a agonia de uma tragédia anunciada, as crianças saem chorando, gritando para a mãe que não querem ir, mas a (in)justiça está do lado dele, na casa desse doente não tem a presença feminina para um alento ou defesa, nem acomodações dignas!E quem teve esse poder foi uma juíza, que poderia ter se compadecido e investigado melhor o caso.E o pior não temos a quem recorrer, contratamos advogados que só se interessaram peloas compensações dos nossos cheques e lavaram as mãos!Que Deus tenha misericórdia e poupe os meus netinhos de maiores sofrimentos e traumas.Amém

  • Esse povo da Justiça, ainda tem a cara de óleo de peroba para falar em aumento de salário.

    Trabalham pouco e ruim? casos, dessa natureza, mostra de verdade a fragilidade, para atuarem contra os grande capitalista.

    Enquanto isto, na sala do presídio Prof. Anibal Bruno, existem presos que já pagaram a pena e estão presos… e outros que estão a mercê do terreiro de umbanda para serem julgados.

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

maio 2017
S T Q Q S S D
« mai    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).