Governo Temer: fadado a cair

mai 9, 2016 by     35 Comentários    Postado em: Artigos e Análises

Por Robson Fernando
para o Acerto de Contas 

Optar pela brutalização do capitalismo e do conservadorismo e pela rejeição da modernização moral vai custar caro para Michel Temer e aliados

Obs.: Este artigo, apesar de falar estrategicamente da “necessidade” de modernização do capitalismo, não é apologista do status quo capitalista. Visa, na verdade, mostrar como a direita e elite brasileiras estão rejeitando as chances e lições que teriam, se fossem minimamente inteligentes, para manter seus ganhos a longo prazo e o controle ideológico da população. É um aviso à esquerda para aproveitar a chance que ouro, que se avizinha, de se aproveitar da estupidificação da direita e derrubá-la.

É pouco provável que Dilma Rousseff consiga reverter seu afastamento pelo Senado. Mas um outro fato tem ficado cada vez mais certo de acontecer: a queda prematura também do iminente governo conservador de Michel Temer. As notícias que têm antecedido a consolidação do impeachment da atual presidenta, de medidas opressoras sendo prometidas uma atrás da outra para serem aplicadas numa só pancada, tanto mostram que a direita não aprendeu nada com a modernidade capitalista como podem despertar no povo a chama da revolta generalizada que, mesmo que não seja propriamente uma revolução anticapitalista, irá colapsar o novo mandato nascido do impeachment.

A rápida sucessão de um grande número de notícias ruins, sobre as nuvens pesadas que se avizinham no horizonte após o quase certo afastamento de Dilma nesse mês de maio, revelam uma direita conservadora sedenta de sufocar a grande maioria da população e trazer lucros rápidos para os grandes empresários. É nessa recusa de modernizar a moral política e empresarial que reside também a dinamite que poderá implodir essa direita hoje em ascensão, assim como possibilitar ao povo voltar a sonhar com dias melhores, mesmo que venha a reivindicar apenas novas eleições ao invés de uma ordem sociopolítica e econômica inteiramente nova.

De uma só vez Michel Temer e seus aliados conservadores querem surrar a população com a supressão massiva de direitos trabalhistas, ambientais, civis e políticos e o roubo do patrimônio público e estatal mediante privatizações. Estão mostrando uma estúpida rejeição à modernização e flexibilização do capitalismo e à noção de que foi essa atualização que viabilizou a sobrevivência do sistema vigente após a Grande Depressão dos anos 30 e a queda do nazi-fascismo nos anos 40.

Não aprenderam nada com as lições dadas pelos próprios presidentes petistas. Lula soube, por meio do lulismo, induzir o povo a sonhar com a possibilidade da redenção individual por meio do capitalismo, conciliado com políticas sociais e a tentativa de costurar a harmonia entre as diferentes classes socioeconômicas. E também manteve a maior parte da esquerda sob controle, desmobilizada, desmotivada e desacostumada de ver na derrubada do capitalismo a única chance de redenção da maioria da população.

Dilma, por sua vez, trouxe políticas de desenvolvimentismo predatório, arrocho econômico e conservadorismo socioambiental de maneira gradual, a conta-gotas. Fez isso de modo que a população não fosse acometida pela revolta resultante da perda abrupta de direitos em massa.

Eles, que poderiam ter sido vistos como aliados importantes – e até tentaram sê-lo, devotadamente – na manutenção, modernização e perpetuação do capitalismo brasileiro, foram encarados, ao invés, como inimigos mortais pela direita, mesmo esta sendo capitalista “até o talo”.

Os conservadores brasileiros, inclusos aqueles que se acham “liberais” apenas por defenderem livre mercado, Estado mínimo e privatizações, recusam, de maneira irracional, a modernização estratégica do capitalismo. Rejeitam diversas estratégias adotadas pelos Estados dos países desenvolvidos e pelas grandes corporações dessas nações, para se adaptar às mudanças da sociedade ocidental dos séculos 20 e 21 e tentar tornar o marxismo revolucionário algo anacrônico e desconectado dos novos tempos.

Entre elas estão: o investimento em direitos trabalhistas, de modo a garantir o bem-estar no trabalho e aumentar a produtividade de maneira inteligente; a expansão do mercado consumidor da maioria dos produtos e serviços e a diminuição da concentração de renda, com a inclusão social e o aumento da renda média; os investimentos em saúde e educação públicas, de modo a formar trabalhadores bem instruídos, saudáveis e produtivos; a viabilização de uma taxa razoável de mobilidade social ascendente; a responsabilidade socioambiental como maneira de melhorar a reputação das empresas e fazer parecer que o capitalismo pode ser ético; as políticas sociais e de geração de emprego como maneira de manter os trabalhadores na ilusão de sonhar com a possibilidade de prosperar no capitalismo e não precisar se libertar dele; a hipnose coletiva por meio das idealizações nacionalistas e do “coletivismo individualista” do “patriotismo” capitalista; e a manutenção da imagem do sistema capitalista, por meio das políticas públicas e da responsabilidade socioambiental, como viabilizador de sonhos de prosperidade individual e da mitológica busca pela felicidade.

Pelo contrário, o que a direita brasileira tem pretendido fazer, com todas as notícias derivadas do projeto de poder de Michel Temer pós-impeachment de Dilma, é acabar com o antigo “capitalismo manso” da Era Lula, que sucumbiu à crise econômica e à inabilidade político-administrativa de Dilma e equipe. É implantar, no lugar, um sistema cruel, opressor óbvio, esmagador de sonhos, multiplicador de miséria e inviabilizador mesmo das ilusões capitalistas da classe média e média-baixa de ascensão à elite rica.

E não percebe, do alto de sua intransigência antidemocrática, que esse capitalismo selvagem de Estado mínimo, mesmo que faça os lucros das grandes empresas aumentar momentaneamente, é insustentável a longo prazo. Vai exaurir os recursos naturais com rapidez, fazer a produtividade do trabalhador despencar, encolher o poder aquisitivo da maioria do mercado consumidor, plantar a infelicidade generalizada e, finalmente, acender revoltas populares – ainda mais se as políticas sociais da era petista realmente forem revogadas.

E daí essa direita irá pagar caro, por fazer as teorias marxistas e a ideias de revolução e “primavera brasileira” fazerem sentido mais do que nunca. Cairá em não muito tempo, por mais que tente resistir por meio da repressão militar e da tentativa de domar ideologicamente a população por meio da grande mídia e da doutrinação política por parte dos grupos “liberais”. Sua recusa em aceitar e respeitar a democracia, somada à imprudência social e à supressão de direitos em massa, vai fazer com que nada, nem mesmo as mais cruéis tentativas de criminalização e repressão, pare o povo em sua insurgência.

Quando penso nessa possibilidade, vislumbro o quanto a direita brasileira é alcoólatra. Ela busca o prazer fácil, imediato e forte na bebida alcoólica chamada neoliberalismo, e não vislumbra que essa droga pode viciar e prejudicar severamente sua saúde e integridade física. Entre a chance de renovação e perpetuação, através da modernização moral, e a estupidificação e autofagia por meio da radicalização reacionária e irracionalista, ela optou pela última.

Assim sendo, essa será a chance de ouro que a esquerda terá. Poderá, em tal momento de arrocho abrupto de direitos e embrutecimento do capitalismo e da direita, fazer algo que há tempos não conseguia: unificar-se em torno de uma causa única e principal, que, neste momento, é a derrubada do quase certo futuro governo mão-de-ferro de Michel Temer. Também será a chance de conquistar os corações e mentes da população em torno da ideia da insustentabilidade de um sistema tão cruel e da necessidade de derrubá-lo por questão não de ideologia, mas de sobrevivência e integridade física e psicológica.

35 Comentários + Add Comentário

  • “Governo conservador do Temer”… por que deixam esse cara escrever tanta bosta aqui, hein? Mas um texto criminoso, cheio de espantalhos e mentiras de toda ordem.

    • O acerto demora tanto a postar ultimamente, e quando vem algo…

      • Esse coiso é tendencioso e o que escreve não se sustenta

        Mas sempre desperta muitos comentários

        “Falem mal mas falem de mim….”

        Portanto, da próxima vez, simplesmente ignorem

        Danado é a mordaça no Pedro Jácome

  • Esse Robson é um doente. Texto esquizofrênico de um louco anticapitalista. Deveria escrever apenas em jornaleco de DCE do CFCH.

  • Quanto a essa parte do texto sugiro rever a sua posição: “É pouco provável que Dilma Rousseff consiga reverter seu afastamento pelo Senado. Mas um outro fato tem ficado cada vez mais certo de acontecer: a queda prematura também do iminente governo conservador de Michel Temer. As notícias que têm antecedido a consolidação do impeachment da atual presidenta, de medidas opressoras sendo prometidas uma atrás da outra para serem aplicadas numa só pancada, tanto mostram que a direita não aprendeu nada com a modernidade capitalista como podem despertar no povo a chama da revolta generalizada que, mesmo que não seja propriamente uma revolução anticapitalista, irá colapsar o novo mandato nascido do impeachment”. O PMDB depois do escândalo do mensalão passou a ser um o partido de composição e, graças ao PMDB existe em nosso país essa relação direta e, ‘não direita’ com a democracia. Isso fica bem claro para muitos historiadores e cientistas políticos. Caso o PMDB não fosse um partido de composição da base do governo, talvez, não existisse tanta liberdade e poderíamos apontar para uma política mais totalitária. Eu digo mais ainda, não é só o PMDB que determina essa composição na base do governo, nesse caso, o PMDB é o elo de ligação com os outros partidos, inclusive de oposição ao governo. Nesse ângulo de visão percebo que o PT para governar o Brasil precisa ter o PMDB ao seu lado e, isso, evitou que o país se transforma-se em uma ditadura socialista ou seja lá o que eles compreendam sobre o comunismo e qualquer outra ideologia. Ao meu ver estamos seguindo por questões de meras contemplações e analogias que passam longe daquilo que se pretende. O foco seria, como analisa muitos políticos renomados de diversos partidos, inclusive, de petistas e outros ligados a esquerda nacional que seja mais importante buscar o entendimento político para o país sair dessa crise financeira. No entanto, essa crise compreende outros fatores, que estão relacionados diretamente as questões políticas, onde se verifica grupos agindo apenas em benefício de seus interesses. Há muito ‘disse e me disse’ e pouca atitude ou vontade política. Vejo que a crise política não se resume a uma história fiada, desta que os petita julgam como golpe da mídia contra eles. Isso não faz sentido algum, quando os grupos de mídia são os principais beneficiados pelo próprio governo petista. A situação é outra e continuo afirmado de forma clara. Não é possível modificar o sistema econômico mundial e não há como fazer uma política econômica sem estar bem alinhado com a realidade econômica do mundo. O governo brasileiro atual tentou algo muito fora desse alinhamento, onde se questiona também as relações internas quanto ao beneficiamento, que sugere carteis existente entre o governo e a iniciativa privada. Fica fácil de perceber que os moldes do governo tendem a estabelecer um ciclo que demanda um período curto positivo e outro ciclo maior negativo em relação a economia devido a essa política de interesses internos. Não é possível criar uma base partindo do consumo de bens duráveis e não duráveis. Isso é comprovado e documentado até pela atual crise que envolveu os EUA com a bolha imobiliária. Aqui não há hipoteca de bens duráveis. Veículos usados não se valorizam como imóveis. O rumo da economia que o governo brasileiro tomou foi drástico e repleto de erros sucessíveis. Isso comprometeu diretamente na fuga de riquezas do país. Estive lendo muito sobre esse assunto em questão e buscando referências para tentar compreender tudo que ocorre e o que também ocorreu. Talvez as minhas colocações aqui sejam superficiais, entretanto, não pretendo escrever um jornal para explicar em detalhes cada ponto que determinei como hipótese. As premissas são válidas e deveriam ser analisadas, dentro de questionamentos prático e viáveis, enquanto aqueles inviáveis, deste não posso fazer nenhuma referência, já que as premissas não demonstram nenhuma segurança. Acho que será importante para o país rever as situações atuais, pelas quais, impedem que exista uma produtividade maior na indústria e no comércio e que possibilite o país abrir novas vagas de trabalho. Isso é o ponto chave de toda essa discussão. Como um país gigante como nosso possa sobreviver diante uma política econômica pequena, que se determina em uma contabilidade criativa ou em ações que envolve questionamentos críticos e inúmeros. Voltando ao assunto sobre o PMDB, dizem quem está de fora tem mais poder de observação, entretanto, quem está de dentro tem melhor noção daquilo que ocorre. O BMDB está dentro dessa política, no mínimo, desde a primeira gestão do ex-presidente Lula. Você e qualquer um que tenha o mínimo de consenso pode perceber que existem milhares de pessoas se formando no país e trabalhando detrás de um balcão de loja, em um emprego que não necessita de nenhuma formação acadêmica e, isso é até uma ofensa a sanidade e a integridade humana de todos os brasileiros. Não é possível modificar as regras do sistema financeiro para tentar salvar uma ideologia inapta e, completamente, desassociada com a realidade existente do mundo e de nosso país e até pelo fato que ninguém pode acreditar que exista outro modelo que se aplique, deste que determine também incluir pessoas, tudo que foi feito até agora demonstra as impossibilidades, tanto pelo fato existente de formações de carteis público e privado ou pelo fato de compreender ações como uma forma de campanha eleitoral, mesmo que essa não surta em efeito positivo para os brasileiros. Sinto muito, não há como enxergar dentro de uma lógica essa questão sobre crises. Bem que gostaria de dizer outra coisa. Aquele abraço!

  • “revelam uma direita conservadora sedenta de sufocar a grande maioria da população e trazer lucros rápidos para os grandes empresários”

    Ta certo,
    Então quer dizer que os mais de 10% de desemprego, a inflação elevadíssima, os péssimos serviços na educação/saúde/segurança e a crise econômica que o atual governo esquerdista trouxe não estão sufocando a grande maioria da população.
    E quer dizer então que os grandes empresários também não tiveram lucros rápidos com a esquerda (nada contra grandes empresários terem grandes lucros, desde que seja de forma correta), porém o que se vê são os grandes empresários devolvendo bilhões de esquemas facilitados por esse governo esquerdista.

    Texto cheio de incoerências que não dá nem pra ler até o final. O mais triste é que o autor realmente acredita no que está escrevendo.

  • Mais um texto expondo a incrível incapacidade de introspecção do Robson Fernando. Primeiramente, ignora o fato de que Michel Temer foi eleito pela esquerda, já que ele, assim como o canalha Eduardo Cunha, faziam parte da coligação governista entre PT e PMDB. Creio que ambos também caírão por sua participação no esquema criminoso em que participaram junto à Presidente da República. É surreal que ele fala como se o governo Temer fosse favorecer a elite capitalista enquanto os líderes das maiores empreiteiras estão sendo incarcerados pelo sistema ilícito de favorecimento instaurado pelo governo que ele defende a um custo estratosférico ao contribuinte brasileiro. Patético.

  • Mais um texto humorístico do Robson. :D

    “o roubo do patrimônio público e estatal mediante privatizações.”

    Bom mesmo é estatizar, hein? Fazer um concurso, ganhar uma dinheirama sem ser obrigado a mostrar resultados. Só vida boa! Os outros que se danem.

  • Robson Fernando?

    Nemly Nemlerey

  • Euly Miarrependy

  • Esses petistas estão realmente com um comportamento preocupante ultimamente. No desespero, apelam para mentiras, blefes, malandragens de todo tipo e lançam mão das estratégias de mais baixo nível que se possa imaginar.

    Sempre fizeram isso, mas a doença mental desse pessoal se agravou muito em 2016.

    Com o impeachment de Dilma vai haver um surto generalizado desses psicopatas e esquizofrênicos da esquerda.

  • Vou ligar pro hospício, tem que mandar o pessoal aumentar o muro, Robson fugiu de novo.

  • Espero que Temer diminua o tamanho do Estado e acabe com essa VAGABUNDAGEM e IMORALIDADE chamada serviço público brasileiro.

  • Acabou a moleza para esses picaretas da esquerda. Os esquerdinhas de merda da UFPE vão cortar os pulsos hahahahaha

  • Dar meia hora de cu é mais produtivo do que ler as loucuras de Robson.

  • Anti-petistas versus petistas é uma reedição do fascismo x comunismo. As duas faces de uma mesma moeda podre: muito bem representada pela dupla Bolsonaro x Jean Wylis.

    Ou seja, as pessoas sadias não precisam escolher um lado, mas, sim, rejeitar ambos os extremos.

    Que venha Temer com o Estado Mínimo. Tem muito anti-petista afinando e virando petista-comuna com medo de ter que desmamar das tetas públicas.

    Vamos estimular o Estado Mínimo em função da verdadeira capitania hereditária chamada Brasil. Além das estatais, os setores mais atrasados tem que ser privatizados: polícia, judiciário, universidades, cartórios, previdência, arrecadação… Vai ter muito barnabé conservador virando petista de carteirinha. ahahahahahah

    • Carlos, esses marajás e barnabés do serviço público SEMPRE foram petistas. Muitos disfarçavam e fingiam que eram neutros, mas esse pessoal do funcionalismo público é tudo petista mamador.

      Aliás, os professores de universidades públicas também são todos simpatizantes do marxismo, comunismo, socialismo etc por mais que finjam que não são.

      Esses parasitas e sanguessugas não enganam mais ninguém, a máscara desses palhaços caiu.

    • Educação, saúde e segurança devem ficar nas mãos do estado. O resto, é só ralo de dinheiro público.

      • Bernadinho, meu velho, é Estado Mínimo para todo mundo. Tu queres escapar, é? Conservador é assim: quer Estado mínimo para os outros e Estado máximo para si mesmo. ahahahahah

        • Concordo , Carlos! Privatização geral! Por que a sociedade deve sustentar escrotos marxistas que tomam a UFPE, por exemplo ? Em nome de uma pseudo educação! O que se pratica ali é lixo científico!

  • Robson bem que tentou bancar o imparcial, mas os leitores perceberam e denunciaram a farsa aqui mesmo no blog. Todo mundo sabe que Robson é fã do Che Guevara, acende vela pra Stalin, reza pra São Lenin e se emociona quando se lembra de Fidel Castro. Sai daí Robson, tu não engana mas nem teu cachorro.

  • Alguém conseguir a façanha de superar Dilma na avacalhação vai ser difícil. Até Rita Cadillac faria um governo com menos putaria. Esse desgoverno Dilma ultrapassou todos os limites imagináveis da baderna e da esculhambação.

  • Os 10 milhões de desempregados que o digam……………

  • Muito ruim o texto. A qualidade do Blog está caindo muito.
    De onde tirou tanta besteira?

  • As Forças Armadas que fiquem atentas, depois de aprovado o impeachment pelo Senado, só Deus sabe o que as organizações criminosas de esquerda deste país vão aprontar.

    O Comando Militar se prepare para lidar com os vagabundos do MST, CUT, UNE, PT, FARC, PCC, guerrilheiros, terroristas e narcotraficantes dos países comunistas vizinhos que podem invadir as fronteiras do Brasil.

    O Brasil não pode ficar à mercê desses baderneiros, arruaceiros e marginais.

  • Pessoal, minha opiniao: O Brasil precisa é de trabalho e legislaçao que facilite isso, precisamnos dos ricos investidores, pois esses so investem e geram empregos se tiverem lucros. Precisamos de um estado minimo que garanta educaçao de valor nao o que temos ai, garanta saude, garanta segurança publica, e prenda vagabundo, mais uma coisa bandido nao deve viver em sociedade, mas não viver as custas dela, deve trabalhar e estudar como todo mundo, recluso! Esse discurso marxista esta superado, ninguem divide nada com ninguem, isso e intrinseco do ser humano. Vivemos num pais rico acho que deve ser o mais rico do mundo, mas vivemos que nem ratos brigando pelos farelos. Onde esta nosso senso nacionalista, vamos a luta, mas luta do trabalho e esquecer essas bobabens e discusoes inuteis.

  • Este texto esta completamente fora da realidade atual e futura.

    Tenho pena deste blogue, ja foi tao bom e agora aceita textos de qualquer um….

    Nem vou entrar nos detalhes, mas a esquerda radical vem morrendo aos poucos em todos os paises desenvolvidos. O que o Brasil precisa sao de reformas serias na previdencia, trabalhista, fiscal, politica, ministerial.

    Ainda ontem eu li, que o Brasil tem o mais burocratico sistema fiscal e de leis trabalhistas do mundo,

  • Robson, pede pra cagar e sai!!

    Pierre, se toca, véi.

    Esse Robson é um doido de jogar pedra!

  • A sociedade já sabe que o socialismo só dura até acabar o dinheiro dos outros. O estado não pode ficar bancando o sonho consumista da classe média. Alguém sempre paga a conta.

    Já passou da hora de debatermos que ninguém pode passar a vida inteira às custas dos outros, ou seja, às custas do estado. Bora trabalhar minha gente.

    O estado deve ser mínimo. Onde ele não for, as pessoas devem ser necessariamente transitórias. Todo mundo tem que trabalhar na iniciativa privada para aprender a produzir e ajudar a pagar a conta. Ninguém pode ficar, de forma vitalícia, às custas da sociedade.

  • Robson,

    Existe um detalhe importante que não foi citado pelo em seu texto, mas que desmonta toda a sua argumentação:

    O progresso científico e tecnológico como propulsor de mudanças profundas na sociedade e aprimoramento da qualidade de vida do cidadão, bem como redução no custo de vida.

  • Seja c/ Temer ou não, o que o povo brasileiro quer mesmo é ver decisões sábias, competentes e positivas para o nosso Brasil no seu crescimento, tudo vai depender da nova equipe que irá assumir os diversos cargos. Só não podemos julgar antecipadamente, teremos que aguardar e analisar no dia a dia os resultados que virão da nova equipe do novo Governo. Gestores Públicos competentes, é disto que a nação precisa. Eis a questão.!

  • Governo conservador ?

    Mais um governo de ‘esquerda de araque’ isso sim. Governo conservador será aquele que acabar com a CLT, ai sim…

    Por enquanto, se preparem para comer um ovo por dia(Desculpe Robson, vc comerá uma alface por dia) e andar de charrete, como é em Cuba.

  • Parabéns Pierre Lucena e Marcos Bahé por trazerem de volta o acerto de contas, vou voltar a frequentar assiduamente o blog.

    Mas acabei de ler o texto e pude ver o quanto o autor é socialista de carteirinha, sem nenhuma imparcialidade e dessa forma sem credibilidade para tratar livremente sobre o tema.

    Minha sugestão, procurem autores e artigos mais imparciais e deixem o debate conosco.
    Abraços

  • Não acredito que o governo temer esteja fada ao fracasso. Vejo um esforço para recuperar o buraco deixado pelos antecessores “PTistas” . diga-se de passagem “Ver Suape” como foi usada como uma torneira aberta para escape do dinheiro público. Enfim, torço para que os fantasmas do pessimismo que assombram a nação, deixem o governo trabalhar e tentar juntar os cacos do que sobrou da nação. nossa terra Brasilis.

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

janeiro 2017
S T Q Q S S D
« mai    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).