Projeto Novo Recife: o caos disfarçado de moderno

mar 26, 2012 by     102 Comentários    Postado em: Artigos e Análises

caos urbano

Por Edilson Silva
para o Acerto de Contas

O Recife está diante de uma encruzilhada histórica. Vamos nos aprofundar num “modelo” de ocupação do espaço urbano experimentado por cidades como São Paulo, ou vamos a um paradigma que privilegie e articule de forma corajosa, revolucionária e inadiável as dimensões de sustentabilidade econômica, ambiental e social em nossa cidade¿

Foi disso que tratou recente audiência pública na Câmara de Vereadores do Recife, quando a construtora Moura Dubeux, das principais patrocinadoras do projeto Novo Recife, um empreendimento imobiliário na área do Cais José Estelita, apresentou o referido projeto. Na oportunidade, estavam lá interagindo o Ministério Público, a Fundarpe, IPHAN, Sociedade Civil representada por um docente da UFPE, Prefeitura do Recife, Câmara de Vereadores e um auditório transbordando de gente contrária ao projeto.

Os defensores do Novo Recife salientaram a importância da suposta urbanização da área de mais de 100 mil m², degradada e semi-inutilizada, além dos sempre presentes argumentos da geração de emprego, renda, dinamização da economia local, etc. Os contrários focaram na preservação do patrimônio histórico e na destinação da área para fins de interesse das maiorias, que significa dizer voltar a área para fins da coletividade da cidade: direito humano à contemplação da paisagem; direito à brisa e a uma temperatura ambiente mais adequada nas áreas centrais da cidade; direito à mobilidade; direito à moradia; direito a opinar e decidir em que tipo de cidade queremos e podemos morar, como bem consagra o ordenamento jurídico vigente, através, dentre outros, do Estatuto das Cidades.

Temos, pois, dois problemas graves em questão. O primeiro deles diz respeito à democracia na cidade. Como pode um projeto desta magnitude, que prevê cravar na área central da cidade ao menos 12 torres que podem chegar a mais de 40 pavimentos, um paredão de concreto, ser todo gerenciado por uma construtora, cujo objetivo central é maximizar seus lucros¿ A construtora que lidera o projeto vem estabelecendo relações bilaterais com órgãos públicos e impondo seus negócios como fato consumado para o conjunto da sociedade, assim como o fizeram com as torres gêmeas no Cais de Santa Rita. A sociedade deve, quer e pode participar destas definições.

O outro problema diz respeito à essência do projeto em si. Neste tópico é necessário dizer que o modus operandida Moura Dubeux e seus sócios – incluído aí a Prefeitura do Recife, é manjadíssimo: apresentam a realidade presente como algo inaceitável e aparecem com a suposta solução mágica. Contrastam o projeto Novo Recife com os armazéns sucateados e a área abandonada. Até filmes de quinta categoria mostram abundantemente este roteiro.

Sobre isto, a sociedade precisa saber que já existiram e existem outros projetos para a área. Todos queremos a revitalização, pois ninguém defende terrenos sub-utilizados ou abandonados. Entre o terreno supostamente abandonado e o projeto Novo Recife existem, portanto, muitas possibilidades, dentre elas um projeto que envolvia o governo do Estado e a PCR, e que previa inclusive moradias populares no terreno, mas que foi abandonado, “misteriosamente”, para dar lugar à extravagância da especulação imobiliária. Se formos mais conseqüentes e corajosos, aquela área, com a sua linha férrea ligando Recife ao Cabo, e também Recife ao Agreste, com foco em Gravatá e Caruaru, poderia abrigar, entre outros equipamentos urbanos coletivos, um revolucionário e moderno terminal intermodal de passageiros, combinando num futuro não muito distante o transporte sobre trilhos com o fluvial, com ciclovias e ônibus. Isso sim é progresso!

Dito que a forma como o projeto está sendo construído é absolutamente anti-democrática e anti-republicana e que o mesmo nasce assentado sobre uma premissa inverídica, é preciso também dizer que o projeto, como está concebido, será um desastre para a nossa cidade.

Foco aqui em algumas questões que julgo centrais. O projeto é mais um impulso à super concentração de atividades nas áreas centrais da cidade, trazendo mais carros, mais congestionamentos. Não se trata simplesmente de aumentar o número de vagas de estacionamentos – como se isto fosse sequer um paliativo para os problemas de mobilidade urbana, como anunciam irresponsavelmente os jornais: “mais 10 mil vagas!”. Os carros estocados nos estacionamentos da cidade chegam e saem destes através das ruas e avenidas, e não existe uma relação compatível entre os carros parados e os carros circulando. Não há elevados, viadutos e outros artifícios que compatibilizem esta equação. Em pouco tempo estaremos como em São Paulo, gastando até 5 horas por dia só em locomoção. Isto é progresso¿

O projeto ainda mexe no arejamento da cidade, vai elevar a temperatura nas áreas centrais; impulsiona o transporte individual, quando precisamos, a partir de nossa cidade, fazer nossa parte contra o aquecimento global, diminuindo a emissão de gases de efeito estufa. Além disso, a verticalização excessiva das moradias e unidades de convivência humana transfere para os corredores e elevadores dos prédios a segurança que o convívio social geraria no espaço público, construindo como subproduto o inverso em segurança e convivência humana no universo das ruas. Inverte-se a lógica e as pessoas fazem de suas casas e locais de trabalho verdadeiras fortalezas, tornando as ruas “naturalmente” vulneráveis à insegurança. Nesta lógica, quanto menos popular o empreendimento imobiliário, maior o abismo entre o ambiente interno dos condomínios e o ambiente externo, das ruas.

Portanto, ser contra este projeto Novo Recife não significa defender posições ideológicas, ser contra o progresso ou outras ilações sem sentido, como tentam passar os porta-vozes do poder econômico em nossa paróquia. Trata-se de ter bom senso, de querer desenvolvimento econômico com sustentabilidade social e ambiental. Para se ter isto, não podemos deixar esta definição nas mãos das construtoras, da prefeitura – cujos gestores, em muitos casos, são financiados em suas campanhas por estes mesmos empresários -, nem tão pouco podemos ficar à mercê da opinião pública construída pela grande imprensa empresarial, cujas construtoras que se beneficiam deste projeto estão entre os seus maiores clientes. A impressão que tenho é que um plebiscito ajudaria a cidade a se apropriar melhor do tema e a decidir com mais responsabilidade sobre os rumos que devemos tomar.
_______________________
Edilson Silva é Presidente do PSOL-PE

102 Comentários + Add Comentário

  • Ótimo texto.

    É um absurdo a prefeitura aprovar esse projeto. Uma afronta ao patrimônio, a qualidade ambiental, ao transporte, a paisagem e, principalmente, ao planejamento democrático. A área tem que mudar, pois na situação atual todos perdem. A questão é como vai acontecer esta mudança.

    Enfim….apoio totalmente a realização de um plebiscito sobre a área, pode ser uma ótima alternativa para inserir um pouco de democracia na gestão da cidade.

    • Obgd, Dirceu! Mas existe um movimento q se organiza para apresentar um PL de iniciativa popular q me pareceu mais adequado.

    • Aprovo o plebiscito,e nele eu voto em construir poucos prédios com mais de 50 ANDARES pois os do projeto ainda são muito pequenos.Aqueles que são contra,não percebem que se construir 10 prédios de 5 andares,destróem mais a natureza e ocupam mais espaços do que se construir um de 50 andares.DÂAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!

      • Existem duas formas de conhecer outros modelos de cidade: viajar e ler. Viajar não depende só de vontade, entende-se. Mas ler, só depende de cada um. Com uma classe média sem leitura, fica difícil mudar uma cidade.

    • Eu nem me preocupei em ler a reportagem em pauta, porque ja tenho a ideia do que esta acontecendo. No Recife tudo que se pretende fazer, os pernambucanos criam problemas. O progresso nao pode chegar a cidade, se vao construir um tunel e aquela polemica, um viaduto; uma ponte; uma via expressa. etc, haja polemicas. Enquanto isso outras cidades vao se desenvolvendo, como por exemplo Fotaleza, Natal, etc. Os pernambucanos deveriam cobrar das autoridades competentes era o projeto da ´Cidade da Copa´e nao o fazem, e vai acabar no esquecimento, como o projeto do `TIP`, que fizeram so aquela porcaria e nao deram continuidade ao que era previsto. e hoje esta uma vergonha. Voltando a `Cidade da copa´: Foi construido uma grande arena, que ficara inutil, depois que o Sport construir seu novo estadio e pouca polemica houve, pois era para a Copa do Mundo.. Se levarem para la times do sudeste, salvam a arena e ´matam´ os times locais.

  • Acho que se pode fazer um meio termo, concordo plenamente quanto a questão de um terminal intermodal, mas entendo também que área possa ser aproveitada economicamente com um projeto sustentável com torres menores, de lazer com bares, e preservação de histórica de algumas casas.

    • Pois é, pegam uma área, deixam-na sem aproveitamente algum e depois fica mt facil vender para a populacao que tem que fazer alguma coisa “muderna”, pois qq coisa é melhor do q o lixo e matagal q esta por ali.

      Claro q pode haver intervencoes melhores, com predios mais baixos, praças, teatros, restaurantes, etc. É so pegar os bons projetos feitos em Lisboa, Barcelona, mas tambem Buenos Aires e Belem do Para e vai ser possivel verificar que esse projeto da MD é o pior q há. Ou so é possivel 8 ou 80?

      Ao inves de se discutir nomes, seria bom perguntar aos candidatos prefeituraveis o q eles de fato acham desse projeto. Tai boa pauta para o blog.

      • O elogio à ideia era para o post acima, do Xco. A sua sugestão tbém é muito boa, Luis Oliveira.

      • É mesmo!É melhor construir dezenas de prédios de 5 ou 6 andares,assim eles ocuparam mais espaços do que as áreas de lazer e podemos destruir mais da natureza!!!!!!!!!!!!!!!!!Genial!!!!!!!!!!!!

      • Enquanto Dubai e outras grandes cidades procuram fazer predios altos os pernambucanos querem predios baixos, engraçado. Recife nunca sera uma grande cidade, com um povo de mente pequena.

    • Boa ideia, Xco!

  • Lança candidatura pra prefeito de novo aí, Edilson, eu quero ter alguém pra votar.

    Porque pelo visto, todos os outros candidatos possíveis são a favor dessa aberração chamada Projeto Novo Recife. De Raul Henry a Maurício Rands, passando por João da Costa, Raul Jungamann, JPLS ou Mendonça Filho, duvido muito que algum desses tenha a coragem e a dignidade de bater de frente com a Moura Dubeux.

    No fim das contas, com pequenas nuances aqui e ali, todos esses representam o mesmo projeto pra cidade, em prol da especulação imobiliária, do transporte individual e do descaso com meio ambiente.

    • Lança candidatura pra prefeito de novo aí, Edilson, eu quero ter alguém pra votar. [2]

      • Lança candidatura pra prefeito de novo aí, Edilson, eu quero ter alguém pra votar. [3]

        • É bom vcs se contentarem com a grande Noélia Brito!

        • Caros Gabriel, Robson e Carlos, obgd pelo incentivo, mas este ano disputo o legislativo municipal. A candidatura à Prefeitura ficará por conta da competente e corajosa Procuradora do Município Noélia Brito.

  • Se formos fazer plebiscito… Será melhor fazer para o voto e para o alistamento obrigatório. Recife já cresceu o que tinha de crescer. Agora é desenvolver o interior e ampliar as rodovias de saída da cidade. Lembrem-se que é uma cidade que não suportará a elevação do nível do mar.

    • Acho que seria muito mais útil para a cidade se virasse um parque servido por bares, restaurantes, teatros, cinema, etc…

      Muito mais produtivo que um bocado de espigão.

    • Muito bem!Recife já cresceu D Mias!Agora temos que construir casa nas árvores e adotarmos um macaco!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Edilson Silva, nao sei se estou sendo inocente , mas a populacao poderia se juntar e , com esse projeto que voce chamou de moderno terminal intermodal de passageiros, ir para as ruas fazer um protesto pacifico … quem sabe com o apoio da midia no geral, dos donos do site e de todos os outros leitores nao consigamos colocar os nossos governanates cara a cara com a sociedade acerca desse ( digo de passagem MARAVILHOSO ) projeto ? o que vcs acham leitores ? vamos a luta ?

    • Saulo, sua ideia é boa e honesta, mas ñ creio q a mídia em geral poderá ajudar-nos especificamente neste caso.

  • Não tenho posicionamento definido quanto a razoabilidade ou não do Projeto Novo Recife, simplesmente por achar que não li o bastante sobre o tema. Até por isso estou aqui agora, para ter acesso a um outro ponto de vista acerca dele.

    No entanto, venho percebendo relativa inconsistência nos argumentos contrários ao projeto.

    Ok, estabelecer o que não se quer é o primeiro passo na busca de uma solução. Até aí, tudo bem.
    Entretanto, alicerçar esta posição em argumentos como “direito humano à contemplação da paisagem; direito à brisa e a uma temperatura ambiente mais adequada nas áreas centrais da cidade” é, para mim, pouco convincente. Singelo e romântico até.

    Acho que para esse movimento contrário ao projeto ganhar consistência, será necessário dar maior embasamento às alternativas de utilização daquela área. Digo: Qual a viabilidade de se erguer um terminal intermodal de passageiros como o aqui proposto, por exemplo? Existe um estudo ou, pelo menos, alguma indicação racional de que isto é financeiramente possível numa cidade com orçamento como o de Recife? E o custo de oportunidade entre capital investido e bem estar social de tal projeto alternativo, será que é mesmo satisfatório?

    Pergunto isso por saber que eu posso chegar aqui, desprovido de qualquer fundamentação, apenas por “achismo”, dizendo que “se formos mais conseqüentes e corajosos” deveremos desenvolver um ar condicionado central em nossa cidade devido ao calor crescente que tanto nos incomoda. Mas será que é só isso, simples assim, pensar numa solução e implantá-la sem maiores percalços?

    Enfim, meu objetivo não é criticar o texto, Edilson Silva ou aqueles que se posicionam contra o projeto. E sim, tão somente, buscar extrair maior solidez nos argumentos daqueles que estão mais inteirados sobre o assunto do que eu. Para que assim eu possa também levantar uma bandeira.

    • Talvez não seja necessário apresentar projetos alternativos, já que esses exigem pesquisas mais aprofundadas. Mas o que se sabe – e que está bem argumentado – é o que NÃO se pode fazer com a cidade. As implicações desse projeto são muitas, e já são motivo suficiente para que se proteste.

    • “Qual a viabilidade de se erguer um terminal intermodal de passageiros como o aqui proposto, por exemplo? Existe um estudo ou, pelo menos, alguma indicação racional de que isto é financeiramente possível numa cidade com orçamento como o de Recife? E o custo de oportunidade entre capital investido e bem estar social de tal projeto alternativo, será que é mesmo satisfatório?”

      Interessante é que você não exige o mesmo raciocínio para a implantação do projeto da MD. Vou fazê-lo para você:

      Qual a viabilidade de se erguer um conjunto de torres e elevar a concentração de veículos e pessoas naquele trecho da cidade? Qual o impacto para o trânsito, meio ambiente, patrimônio histórico e serviços públicos na região e no resto da cidade? Esse modelo de urbanismo é adequado no atual cenário de colapso dos centros urbanos? Existe, algum estudo, ou pelo menos, alguma indicação racional, que o poder público vai conseguir lidar financeiramente com os prováveis danos deste projeto? Esse projeto aprofunda ou ameniza os conflitos sociais? Qual o custo de oportunidade entre o capital investido e o bem estar social?

      Você deve ser dos que acham maravilhoso o paredão que se deixou erguer na beira-mar de Boa Viagem, que faz sombra na praia e limita a vista e a circulação de ar, piora as condições ambientais, inclusive poluição, de toda a região.

      • Sou desses não, amigo.
        Sou dos que preferem absorver informação e pontos de vista distintos acerca de um assunto para poder se posicionar sobre ele. Sem dúvida o raciocínio que usei se aplica aos idealizadore do Novo Recife também, mas por estar diante do posicionamento contrário, optei por buscar extrair mais de tal posicionamento. Quero me informar e vejo esse espaço como sendo de grande valia para isto. Abraço

    • Caro Rafhael, suas preocupações são bastante respeitosas, mas não creio q seja romantismo ter direito à contemplação da paisagem e a uma temperatura mais adequada na cidade. Trata-se de direitos contemporâneos e se contrapõem à lógica libera de que tem direito a estes direitos quem pode comprá-los. Outro aspecto interessante a ser percebido é que a viabilidade econômica não pode ser a única variável a determinar a obra, é preciso observar viabilidade e custos sociais e ambientais. Por fim, sua cobrança de “projetos alternativos concretos” em contraposição ao que a Moura Dubeux apresentou é compreensível, mas nosso tempo e recursos são outros. Seria preciso ter um poder público decente, com técnicos a serviço da cidade, debatendo democraticamente a elaboração de um projeto bom para a municipalidade.

  • O projeto poderia ser para o turismo com usufruto da população! Foi a leilão porque? A união autorizou o leilào porque? O registro de incorporação vai ser aprovado ou já foi pela prefeitura? A união queria os 55 milhões que a Moura S.A , junto com o empresário Gerson lucena pagaram para ser usado a onde?

    Vai subir de qualquer jeito, eles se anteciparam ao projeto existente que vai até o complexo de salgadinho!
    O governo do estado liberou as informações antes, se tornando privilegiados, através da ad-diper?

    o plano diretor da cidade é feito com apoio das construtoras ou com interesse das mesmas?

    • Foi um leilão judicial para saldar dívidas trabalhistas da Refesa.

      • Certo, Martins, a área não estava abandonada, foi a união que vendeu no tempo possível para saldar as dividas trabalhistas!

        Um parque cultural nesta área, iria revitalizar todo o centro do Recife e respectivos bairros e seria uma alternativa em relação aos shoppings!
        Acessível a todas classes sociais, voce pode frequentar sem ser obrigado a gastar dinheiro, como não é nos shoppings, exemplo, levando seu lanche de casa!

        Mas, agora pertence a iniciativa privada, mas se pode pedir uma contrapartida social ainda?

  • Os petistas e socialistas estão privatizando os espaços públicos e alterando a paisagem da cidade de um modo que os arenistas, pefelistas, demistas e quejandos jamais ousaram. E quem era pobre nesses partidos ditos “de esquerda” hoje está muito bem de vida e a caminho de ficar milionário. Esse, aliás, é o principal objetivo dessa briga pela canditatura a prefeito do Recife: é a derrama de dinheiro nas obras da Copa, estúpidos.

  • Sinceramente, esse Edilson é uma piada de muito mal gosto!

    Eu comecei a escrever tentando comentar as besteiras que esse cidadão escreveu, tive que parar na primeira linha para tomar um Engov. É muita m** escrita junta! Pelo amor de Deus.

    Não vi absolutamente NADA de concreto no texto desse cidadão, o que há são “propostas” vazias. Sem contar nas bisonhices como “aquecimento global, disparidade de pobres e ricos (como se construção de casas populares – como sugere o autor – fosse mudar esse disparidade). Enfim, é tanta bobagem que ja perdi muito tempo.

    *obs: Não tenho nenhuma ligação (seja financeira, moral, afetiva, etc etc) com o dono da construtora.

    • Algum argumento sobre o assunto além de derramar ataques ao autor do texto?

      • Obgd Alex!

    • Aham, senta lá Cláudia.

  • O Ministério Público deveria se mecher e pedir à Prefeitura do Recife a lista de todas as licenças concedidas desde a Lei que impediu a construção de espigões determinadas áreas do Recife.

    Elas continuam aparecendo. A Moura Dubeux é a mais afoita e está se lixando para o meio ambiente, a mobilidade e a cidade. Recife está perdendo a cara e ficando com a cara desta construtora que brevemente fincará uns pirulitos na cidade, como aqueles da McDonald.

    Em Apipucos, a Moura Doubeux destruiu um bosque inteiro e construiu um edifício de mais de 30 andares. No lugar do verde, deverá plantar capim e plantas forrajeiras, como é do seu feitio.

    Ela empurra os advogados e a Prefeitura abre as pernas.

  • Outra coisa.

    Lamentei muito a morte de Bin Laden, somente porque ele era a solução para aqueles monstrengos da Moura Dubeux que aparece nestas fotos, totalmente fora dos padrões daquela área do Recife.

    O que dá raiva é que os donos da Moura Dubeux fazem esta seboseira aqui na cidade, enchem os cofres e depois vão passear em Paris, achando o máximo, por estarem em uma cidade civilizada, onde se respeita padrões de altura.

  • Não vi “baboseiras” no que Edilson Silva disse. Concordo em muitos pontos (a questão ambiental é insustentável, as “torres gêmeas” foi uma obra completamente irregular, não podia uma construção dessas estar tão próximo ao mar, um absurdo). Acho que algo importante não está sendo discutido: outras alternativas ao transporte público urbano (mais carros e ônibus não ajudam). Outra coisa muito estranha é essa relação entre as construtoras e o governo estadual e municipal, é muito curioso como está se encarando os transportes públicos (aumentaram as passagens de ônibus e, por outro lado, anuciam a construção de helipontos no litoral para estimular o “turismo 5 estrelas”, muitas construtoras têm Resorts nessas região, cada um gira em torno de 300 mil reais e foi anunciada a construção de pelo menos 30). Muito suspeito, só por essa relação estranha já não teria legitimidade o “novo recife”…

  • Está na hora de criar uma petição pública e mostrar o que a população quer pro Recife.

  • Acho que a iniciativa de tornar o cais José Estelita e o seu entorno muito valida.
    Aquela área, do jeito que está, é um mostrengo.
    Quantas vezes passo por lá e penso em um bom café com vista para o rio, ou um passeio, uma boa conversa… Puf, lembro da enorme possibilidade de não sair vivo, ou sair só de cueca.
    Transformar em parque é brincadeira né? Com a grande competência que temos para parques… O 13 de maio se sustenta, e muito mal, por ser no centro do centro… A Jaqueira por ter os ricos passeando… O dona Lindu é para acabar a discussão de construir parque.
    A melhor saída é sem dúvida, deixar aquela área do fim da Dantas Barreto até Afogados virar um grande centro de comercio, empresarial e de lazer… Pois, é hoje uma cidade fantasma…

  • Eu concordo que é um grande exagero construir dez torres de 40 andares.

    Mas por outro…aquilo ali tá abandonado desde que eu nasci.

    Quais seriam as alternativas viáveis?

    Parque? De jeito nenhum. Nunca daria certo por causa da localização, espremido entre o Coque, a avenida Sul, rua Imperial e o rio.

    Eu acho positivo que se construa ali. Não necessariamente megatorres, mas a ocupação imobiliária é a melhor saída.

    • Teus políticos queridinhos do PT tiveram 12 ANOS pra fazer alguma coisa ali.
      Não fizeram NADA pela área.

      • KKK! Teus políticos queridinhos do DEMO tiveram A VIDA TODA pra fazer algo ali….

    • Martins,

      concordo totalmente com você. Tem que ter algo na área, pois do jeito que está não pode continuar.
      Também considero que a MD deva ser a executora do projeto, afinal ela comprou a área. A questão é o que vai ser construído lá.

      Realmente um parque pode vir a se tornar um novo memorial Arcoverde, um projeto que não deu certo e atende apenas as comunidades próximas (o que é bom, porém há maiores potencialidades).

      Agora, com toda certeza, construir mil unidades habitacionais para alta renda não é a melhor alternativa, por diversos motivos.

  • Que está abandonado, ninguém questiona. Daí a justificar que a Moura Dubeux ‘administre’ o espaço a seu bel prazer, vai uma distência infinita…

    Ali poderia ser um COMPLEXO DE LAZER. É um local PRIVILEGIADÍSSIMO, nascente, com vista para o horizonte!

    Imagino aquele lugar com muito verde, cinema, teatro, parque, lanchonete, área para exposições, livrarias. Ou seja: nada disso combina com a Moura Dubeux, sinônimo de capim e paredão.

  • No meu elenco para o COMPLEXO DE LAZER podem acrescentar bares e restaurante. Imaginem mais coisas e vocês verão que é muito mais interessante do que a proposta estapafúrdia da Moura Dubeux.

    • Graety,

      Tudo isso já vai ser feito nos armazéns do Bairro do Recife, ali pertinho.

      Sua proposta é bem intencionada, porém totalmente redundante.

      • hahahahahahahhahah

        Falou o servinho da petezada que está arrombando os cofres públicos da cidade!

        • Troll novo no pedaço…

      • Você acha redundante fazer outra área de lazer (que podem ser singulares), mas não acha redundante o ERRO de construir mais 40 monstrengos da Moura Dubeux (acompanhados de capim e forrageiras), para se juntarem àquelas 2 aberrações já existentes, para emparedar a cidade em outro local?
        Oh, boy, a Moura Dubeux quer destruir a alma da cidade. Vigiemos nós que queremos outra coisa.

        • Os prédios da Moura Dubeaux não são monstros,fazem parte da arquitetura humano.Monstros mesmos são os OGROS que são contra grandes torres e preferem morar nas cavernas!!!!!!!!

  • Bom texto. É um crime o que a Moura Dubeaux que fazer, ou melhor, destruir. O Local é um dos mais bonitos do Recife, e deveria ser alvo de uma intervenção urbanistica honesta e inclusiva. Quem conhece Porto Madero em Buenos aires, ou Belém, para não ir tão longe. Por que não algo assim? Acho que é para deixar a Md fazer o que quer que hoje se proibiram manifestações. Lembremos os crimes já praticados contra a cidade, quando derrubaram, segundo meus pais, uma das mais belas igrejas da cidade. Vamos deixar acontecer de novo?
    A ex bela Recife está cada dia mais se aproximando de um horror, imagiem o calor que o paredão Dubeaux fai nos impor.
    Aposto que as senhoras e senhores Dubeaux adoram fazer comprinhas em Paris, essa sim, totalmente preservada. Alguem consegue imaginar torres ao longo do Sena?

    • Minha querida leiga amiguinha,com todo o respeito!O calor que almente todos os dias no Recife vai ficar muito pior independentemente de construir grandes prédios,poi o ser humano já destruiu muito da natureza e o efeito extufa está cada vez mais acelerado.Agora me responda com muita sinceridade á 2 preguntas:1ª – Você é contra grandes prédios,mas mora em casa ou apartamento?,2ª – Se você está realmente preocupada com o aquecimento da cidade que é GLOBAL,onde você jogo o seu lixo? Issso sim faz com que a cidade e o planeta fiquem mais quente.

    • Aquele local abandonado é lindo para quem é noiado,pois está sujo,podre,fedorento,abandonado e entregue aos ratos e drogados.

    • Acho que você é um membro da família Dubeaux,pois sabe até onde eles fazem compras!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • É obvio que, independentemente de quem seja o autor desse texto, sempre haverá uma ideologia por trás de tudo. Argumentos como: “direito à brisa e a uma temperatura ambiente mais adequada” (por parte do autor) e “destinação da área para fins de interesse das maiorias” por parte dos defensores da construção pra mim sinceramente não valem de nada, cada um que puxe a corda pro seu lado. É PRATICAMENTE IMPOSSÍVEL UM PAÍS,CIDADE OU ESTADO CRESCER SEM MEXER NO MEIO-AMBIENTE, pórem esses impactos podem e DEVEM ser minimizados, mas isso ai ja é outra questão. Agora, mexer no meio-ambiente para construção de edifícios – assim como foi feito nas torres gemêas – que provavelmente serão destinados e habitados por pessoas mais favorecidas financeiramente, é absurdo. Odeio politicagem e muito menos esses empresários que so visam o dinheiro. Mas é fato que: “…um revolucionário e moderno terminal intermodal de passageiros, combinando num futuro não muito distante o transporte sobre trilhos com o fluvial, com ciclovias e ônibus. Isso sim é progresso!”. Isso sim, é o certo. Nossa cidade é cortada por rios que só servem para o depósito de esgotos e como lixo ao ceú aberto, com certeza essa característica geografica poderia ser trabalhada a nosso favor (a favor da MAIORIA) que com certeza não é quem vai guardar carros em edificíos garagem, como se isso fosse diminuir o trânsito, ou quem irá morar em edifícios de 40 andares.

  • A ideia dele é um lixo (moradias populares).

    mas pelo menos ele assume que é isso que ele quer…
    tem gente que também pensa assim, mas não consegue botar pra fora, não consegue dizer.

    uma coisa que eu odeio é esquerdista noiado, sem firmezas de ideias e sem raciocínio preciso.
    que critica tudo e a todos, mas não sabe apontar soluções pra nada, pois é um completo inútil.

    Edilson Silva é um esquerdista anacrônico, do típico esquerdista brasileiro, sindicalista, louco, idealista…

    imagina aquele terreno do Cais José Estelita com aqueles condomínios residenciais coloridos da prefeitura…
    um lixo, uma bosta.

    prefiro mil vezes que sejam empresariais e hotéis, só sou contra as torres residenciais.

    tem uma parcela do povo de Recife que pensa assim…

    “além de todas as benesses que o governo dá aos pobrezinhos, tem que dar luxo a eles também, sem eles oferecem nada em troca”

    ou seja, é bonito você morar em Brasília Teimosa porque ocupou aquele terreno.
    e seria mais bonito ainda morar no Cais José Estelita, sem nunca ter trabalhado pra conseguir isso.

    é o oposto da meritocracia.

    • Diogo, eu não disse q defendo moradias populares na área. Disse q o projeto anterior previa isto, sugerido pelo governo e pala PCR. Minha preferência é por um terminal intermodal com outros equipamentos urbanos necessários e possíveis.

      • Quais???
        Outro Parque Dona Lindu???O Parque Dona Lindu versão 2.0???

        é muito bonitinho falar que quer áreas públicas de lazer, Edilson.

        mas as pessoas usam???
        veja o Complexo de Salgadinho + Espaço Ciência.

        e outra, é custoso você manter todo esse patrimônio… se entrar a oposição aí na prefeitura (coisa a qual eu torço pra que aconteça), vão deixar o Dona Lindu a deriva.

        aliás, ele JÁ ESTÁ a deriva.
        com pixações, comércio irregular (ambulantes) e grades de ferro rasgadas.

        o que você tem contra os hotéis, Edison???
        eles geram emprego, renda e tributos pra prefeitura.

        os empresariais colocados em áreas como aquela fazem bem aos negócios também, meu caro.

        antes de ter raiva dos ricos, lembre-se que eles bancam os tributos,
        sem tributos, sem política social (que você deve gostar tanto).

        portanto, seja amiguinho da iniciativa privada, é algo inteligente.

        • Oi Diogo, concordo c vc que a gestão da cidade é um caos e sofre de solução de continuidade. É por isto que sou oposição não só a quem está se revezando no poder, mas sou também propositor de uma nova forma de gerir a municipalidade. Qual é o plano diretor da cidade? Quais obras são fundamentais e não podem estar sujeitas ao humor ou desejo e interesse de governantes de plantão, e que portanto devem ter sua construção e manutenção garantidas pelo Estado e não pela gestão? O Memorial Arcoverde, junto daqui onde moro, é um excelente espaço de vivência, mas está descuidado. O parque Dona Lindu foi uma extravagância, que condenei à época, exatamente pelo conteúdo anti-democrático e desplanejado. No meio disto tudo, deste desgoverno no sentido do planejamento estratégico da cidade, não podemos permitir que o suposto planejamento seja feito nos computadores das construtoras, unicamente sob a ótica da especulação imobiliária. É minha opinião.

        • Edilson, eu sei que você é de oposição.
          Por isso eu até respeito e entendo a sua honestidade ideológica e política.

          se você pertencesse àquela raça de safados (leia-se, PT), seria bem diferente.
          mas você é mais oposição até do que o DEM/PSDB.

          a minha discordância com você não é pessoal, é IDEOLÓGICA.

          eu gosto da iniciativa privada, eu gosto do capitalismo, eu gosto de empregos, eu gosto de aumento de renda, de aumento de tributos, etc.

          pra mim aquela área precisa ser tocada pela iniciativa privada sim.
          eu apenas sou contra construir residenciais ali.
          sou a favor de somente hotéis, de preferência, hotéis horizontais, voltados pro lazer.

          também seria a favor de colocasse um imenso jardim ou uma imensa praça verde, com laboratórios e centros de pesquisa, empresas de base tecnológica, etc.

          ou até mesmo um instituto tecnológico educacional (com graduações e pós-graduações, a exemplo do C.E.S.A.R Edu).

          sou contra construir parques e equipamentos públicos naquela área, a exemplo do Complexo Cultural Dragão do Mar.

          a cidade não tem hotéis, então como é que vai querer ampliar os equipamentos voltados pro turismo, sem ter leitos suficientes???

          pra construir parques voltados pra população do Recife, eu acho que vai ser uma tremenda furada.

          naquela área ali, não vai ninguém.

          o policiamento vai ser ZERO, vai ser a maior escuridão do mundo, eu imagino a merda que vai ser.

        • As pessoas nâo usam por que não querem usar.Só querem saber de reclamar,destruir,poluir a natureza com seu lixo podre e não tão nem aí pra cultura e lazer.A cultura deles são ouvir músicas pedófelas das Novinhas e o lazer é jogar lixo e esgoto nas ruas.

    • Amigo.Você já ouviu falar no programa do governo Minha Casa Minha Vida?Que por sinal,constroem prédios pros pobres marar!!!

  • Concordo que o Recife precise de moradias populares, e que esta area deveria ser preservada como um parque ou area de lazer com espaços culturais e muito verde para nossa cidade.
    Com a criação de mais edificios imaginem onde seria o esgoto domiciliar dos mesmos.
    Façam as contas: 12 edificios, 4 apartamentos por andar, 40 andares = 1920 apartamentos e mais ou menos 2600 carros naquele trecho onde o transito já é complicado.
    Sou totalmente contra este crime.

    • OBAAAA!Vou calcular tambémmmmm!POSSO?Terreno baldio + noiados + sujeira + construções podres,velhas e abandonadas É = tráfico de drogas,prostituição,assaltos,crimes de assassinatos e estupros,cidade HORROROZA e outras podredões mais.Isso não é CRIME não,NÈ????????????????

  • Moradias Populares! kkkkk
    rachei!
    fala serio…
    Esse projeto é um lixo, fato!
    mas pra criticar ele, precisa-se de um projeto melhor!
    que é o que eu até agora eu não vi!
    se alguém tiver posta o link ai!

    Só não venha dizer aqui que deviam construir coabe ali.. kkkk
    pq eu já tenho experiência suficiente com isso, aqui no Cordeiro na Caxangá,
    pra dizer o resultado desses empreendimentos populares!
    kkkkkkkk

    Ps.. Coloquem no google imagens ( hong kong, sydney, manhattan e etc..)
    e comparem com a nossa ilha atual…

  • Uma vez nesse blog, no post que Pierre falou sobre o anacronismo das ZEIS (uma lei criada aqui em Recife que hoje permeia todo território nacional)…

    eu meti o pau no uso daquela belíssima área de Brasília Teimosa, que poderia abrigar um complexo hoteleiro de luxo, com resorts urbanos do mais alto nível, no encontro do rio com o mar…

    vieram dizer que o meu pensamento era “higienismo social”.

    que eu queria empurrar os pobrezinhos pra áreas periféricas e marginais, e colocar os ricos naquela bela área.

    não adianta discutir.

    tem muita gente burra aqui no Nordeste e em Recife principalmente.

    muita burrice, tolice, idiotice, estupidez, imbecilidade, tudo isso disfarçado de pensamento politicamente correto e “bonzinho”.

    e o rei desses bonzinhos é o bonzinho-mor, João Paulo de Lima e Silva.

    esse povo não quer desenvolvimento, não quer renda, não quer lucro, não quer avanço…
    nada disso pra eles presta.
    e um micro e pequeno empresário, na cabeça deles, é um bandido.

    bom é ser que nem eles, punheteiros de centro acadêmico e ‘concurseiros’ jurídicos que reclamam de tudo.

    a juíza lá do TJPE tá preocupada com o Novo Recife.

    agora se fosse pra fazer um prédio do TJPE lá, pra ela trabalhar olhando aquela linda visão, ela ía gostar.

    é assim que funciona o Recife e sua sociedade anti-progresso.

    ps: vale mencionar que eu sou contra torres residenciais no Cais.
    a favor de hotéis, empresariais ou espaços pra empresas de base tecnológica com apoio governamental.

    • Concordo plenamente com você.Amo muito o meu Recife,mas odeio essa gente que em na nossa història expulsaram os judeus que estavam desenvolvendo o Recife e eles foram pra Nova Iorque construir aquela rica metrópole.Esse povo é nojento,e nojento de verdade,não no sentido figurado,e a prova disso basta apenas olhar onde eles jogam o LIXO e ESGOTO.

  • Será que ninguém percebeu que Recife não tem uma verdadeiro Centro Cultural…não precisa nem ir a Paris ou São Paulo, aqui pertinho em Fortaleza o Centro Cultural Dragão do Mar dá goleada em Recife.

    Poderiam integrar um terminal intermodal a um Complexo Cultural e residencial, tudo isso com bastante verde.

    Basta de concreto na cidade!

    • Sabia que o Dragão do Mar também foi muito criticado na época da construção? Foi considerado uma agressão à história, ao patrimônio e à harmonia arquitetônica de Fortaleza.

      • Martins, como bom fortalezense que sou sei que aquilo lá é a obra que o povo mais agradece a Deus por existir em Fortaleza…vai gente de bairro periférico para lá, inclusive para manifestações artísticas espontâneas. É a prova que lá deu certo como espaço público.

    • Basta de concreto ??

      Concordo! Quem faria isso, a prefeitura???

      Mas e o parque Dona Lindu é feito de que e foi feito por quem?

      Fazer um parque horroroso de concreto e fazer uma torre horrorosa de concreto são a mesma coisa.

      Deixa a prefeitura FORA disso pelo amor de Deus!!

  • até tem…
    sendo que são sub-utilizados, mal feitos e sucateados.

    isso me dá mais remorso ainda do que vão construir ali…

    ou você já esqueceu do famigerado Parque Dona Lindu, que além de parque, foi construído pra ser altamente ‘cultural’???

    tem a refinaria multicultural do Sítio Trindade também.
    tem o complexo de Salgadinho, que integra o belíssimo prédio do Espaço Ciência…
    futuramente vai ter o parque de Apipucos, parque da Tamarineira, parque do Caiara, parque do Santana…

    e Dudu precatório ainda prometeu um parque no terreno do parque de exposições do Cordeiro.

    sou a favor de hotéis, arborização e um espaço voltado pra empresas de base tecnológica.
    empresariais eu acho uma boa também.

    residenciais eu sou contra.

    agora se for botar mais um desses projetos faraônicos do PT naquela área, vai sair outra bosta.

  • Queria saber a opinião de Pierre e Bahé sobre esse assunto tão polêmico.

  • Outra coisa:

    João da Costa a título de querer se eleger, é capaz de vender o Recife inteiro à Moura Dubeux…

  • Acho que muitos aqui como o Junior tem q aprender oq e respeito, critica-se as ideias mas o respeito a pessoa deve existir. Sou contra o projeto da MD por n motivos, o principal e o congestionamento insuportável que ira trazer para a cidade. Contudo faco as mesmas indagações feitas por Rafhael Vilaça, que ainda nao foram respondidas. Achei interessante a ideia do Terminal intermodal, mas quais os argumentos consistentes, seja ele financeiro e social, para a realização de projetos alternativos com menos ideologias e mais concretudes?

    • Vale ressaltar que aquela área ficou abandonada durante décadas e nunca vi NINGUÉM se mobilizar por ela nem propor nenhum projeto pra ela.

      Agora, após ela ser vendida, ficam chorando o leite derramado.

      Perderam o timing.

      • “Vale ressaltar que aquela área ficou abandonada durante décadas e nunca vi NINGUÉM se mobilizar por ela nem propor nenhum projeto pra ela.

        Agora, após ela ser vendida, ficam chorando o leite derramado.

        Perderam o timing.” [2]

      • martins, isso não é verdade, vários governos e prefeituras já fizeram projetos e planos para aquela área, sei porque fiz parte da equipe de um dos grandes, e diga-se de passagem, muito mais conectado, respeitoso com as regras do meio ambiente e do patrimônio e com o urbanismo coerente praticado hoje nas grandes intervenções urbanas mundo afora, ao contrário daquela porcaria apresentada pela MD. Na época (6 anos atrás) a área foi amplamente discutida com o envolvimento de profissionais das esferas municipais, estaduais e do governo federal junto com o ministério das cidades e de uma equipe de um escritório de arquitetura europeu. Como explica esse link aqui: http://raquelrolnik.wordpress.com/2012/03/19/grupos-se-mobilizam-no-recife-contra-projeto-imobiliario-no-cais-jose-estelita/
        Além disso, quando estava na universidade sempre tinha alguma cadeira em algum semestre que usava aquele terreno e eu cansei de ver intervenção planejada para ali, até pelos próprios professores que sempre chegavam com projetos até deles mesmos de anos anteriores. Infelizmente parece que o governo atual esqueceu ou nem se deu ao trabalho de buscar tudo isso.

        • Maria, a ideia do Complexo Turístico-Cultural Recife/Olinda para a área era também um imenso paredão de prédios.

          Lembro muito bem quando o ex-secretário Peixe foi apresentar a proposta para os professores de Arquitetura da UFPE e foi duramente espinafrado.

        • Sem esquecer que também havia enormes paredões projetados para a Vila Naval e, pasmem, para o PORTO DO RECIFE!

        • Martins, eram vários prédios, mas completamente diferente do projeto atual. Construção tem que haver para sustentar a viabilidade econômica dos espaços públicos, mas existem construções e construções. Como leigo, você não consegue perceber pelas imagens, mas o desenho que vai desde o traçado das vias, à configuração das quadras, o gabarito dos edifícios, a permeabilidade com a malha existente, o coeficiente trabalhado que era 2 (no projeto de hoje é 5), o mix de usos que era espalhado e não isolado, térreos com uso comercial para promover as circulações…. tudo isso é muito diferente. Procure se informar.
          Houveram críticas na época sim, como toda grande intervenção em qualquer cidade, mas as críticas estavam sendo ajustadas e as pessoas estavam sendo ouvidas pautadas na ética de como se fazer intervenções urbanas, e com certeza não chegava perto das reclamações do projeto atual. Inclusive vários profissionais levantaram durante o debate o não-uso das definições do projeto antigo, mostrando a infinita diferença de qualidade e discussão que houve anteriormente.

        • Como vc fez parte da equipe desse outro projeto, é natural que o defenda.

          Mas o fato é que haveria um paredão de prédios no Cais José Estelita, outro na Vila Naval e outro na área do Porto.

      • Qual o problema dos prédios altos?Vai morar nas cavernas então!

  • Edilson, infelizmente não da pra concordar com você, mesmo sendo contra a construção destes monstrengos de 40 andares.

    Primeiro: esquece qualquer projeto público ali. O Dona Lindu, Memorial Arcoverde são as PROVAS de que o poder público local não faz a MINIMA IDEIA de como fazer um espaço público. Porque aprenderia agora?

    Alguns pontos:

    1. A área foi comprada pela MD e ela deve apresentar os projetos que achar melhor pra reaver o investimento e ter lucro. Mas tudo isso precisa estar de acordo com o PLANO DIRETOR DA CIDADE.

    2. Cade o plano diretor da cidade? Se existe tem especificando o que para aquela área? Se não tem, PORQUE AINDA NAO TEM ATÉ HOJE? Acho que são questões muito mais produtivas do que ficar dando idéias com o dinheiro dos outros (a área é privada agora).

    3. Enquanto não houver um REAL PLANO DIRETOR para a (precária) cidade do Recife, vamos continuar com essa discussão de “acho um absurdo tal prédio”, “aqui deveria ter um parque”, “pq tantos carros”, “os prédios são altos demais”, etc. e as construtoras vão continuar fazendo o que quiserem.

    Então, por fim, sugiro se você quer realmente resolver este e VÁRIOS outros problemas dessa cidade, procure propor um NOVO PLANO dos principais locais da cidade. E que dê sua palavra de que ele será comprido.

    Aposto que teria o meu e o voto de várias outras pessoas.
    Abraço.

  • Sou totalmente a favor da construção de edifícios empresariais e hotéis/flats! Residenciais não…

    O projeto Recife-Olinda que tanto falam também previa intervenções do mesmo porte naquela área!

    Outra área com potencial imenso é brasília teimosa (coisa pro futuro, daqui uns 30/40 anos quando as politicas sociais e os investimentos em educação mudarem a realidade daquela gente e as ZEIS perderem o sentido) A área de brasília teimosa merece um belo e grande parque super arborizado, atrelado a um complexo hoteleiro e comercial HORIZONTAL, com marinas, teatro, etc!!!

    outra coisa… os trilhos que passam pelo terreno não foram incluídos no leilão.
    no futuro ali daria um belo VLT (veiculo leve sobre trilhos) – projeto engavetado.

    parques construídos pela prefeitura??? ali?? pra quem ir??
    O próprio bairro do recife é decadente.. imaginem uma parque naquela área?

    se por um milagre der certo… as pessoas irão de carro!! Vai congestionar aquela área do mesmo jeito como dizem.

    querem lutar por algo??? lutem pelo recife antigo (que vergonhosamente, na manifestação do ano passado teve menos gente que nessa audiência publica), lutem pelo bairro de são josé (totalmente esquecido), lutem contra os viadutos da agamenon, por um transporte publico eficiente e climatizado, etc..

    pra isso ninguém se mobiliza!!! uma vergonha!

    Apesar de não concordar com vários pontos do texto…
    Parabéns Edílson Silva por sempre apoiar os movimentos sociais e estudantis!
    continue presente nos debates da cidade.

    #Recifesemprefeito

  • [...] Projeto Novo Recife: o caos disfarçado de moderno | Artigos e Análises | Acerto de Con…O Recife está diante de uma encruzilhada histórica. Vamos nos aprofundar num “modelo” de ocupação do espaço urbano experimentado por cidades como São Paulo, ou vamos a um paradigma que privilegie e articule de forma corajosa, revolucionária e inadiável as dimensões de sustentabilidade econômica, ambiental e social em nossa cidade¿ [...]

    • O caos pro meio ambiente seria construir 10 horríveis préios caixões do que construir um de 50 andares,pois o recife precisa de grandes torres,pois a cidade já se parece com um grande cemitéio!!!!!!!!!!!!

  • Parabéns Edison. Grande texto. Deixo aqui a minha contribuição ao debate: http://1arq.wordpress.com/2012/05/13/manhattan-a-tamarineira-e-a-extorsao-da-populacao-da-cidade-do-recife/

  • Como é que pode falar em absurdo em construir prédios de 50 andadares onde que se fossem 10 de 5 andares,teria de destruir mais da natureza?Pelo amor de Deus!!! Então derrubem todos os prédios da cidade e construam casa nas árvores onde poderemos adotar MACACOS111

    • Com uma classe média sem leitura (vide comentários absurdos, desconexos e cheios de erros de Português do Sr. J. Alames) fica difícil mudar uma cidade.

      • É por isso que da classe média sem leitura,meu cara rico intelectual,que queremos esse projeto,pois vai desenvolver bairros como o Coque e outros e nos trazer saúde,empregos,educação e segurança.Você,sr. Alexandre,intelecto superior,já tem tudo isso,vc não sabe nada sobre a minha vida,e a forma que vcs ricos e intelectos querem mudar a cidade é como?Impedir que o estado se desenvolva dando emprego para os mais pobres como eu?Então como é que podemos mudar se vcs ricos não querem que os pobres tenham oportonidades?E eu não sou da classe média não,sobrevivo com menos de um salário mínimo mesmo,e se vc,senhor Alexandre,achou ruim esse meu comentário,me arrume um emprego que me dê condições de estudar e tempo.ACORDA!

      • RIDÍCULO!

  • QUE COISA MAIS RIDICULA, A QUANTOS ANOS ESSE ESPAÇO ESTÁ DO MESMO MODO, SEM QUE NINGUEM FAÇA NADA?
    SÓ AGORA QUE ALGUEM ( O GRUPO IMOBILIÁRIO) RESOLVEU DAR UMA UTILIDADE AO TERRRENO QUE PODERÁ E SERÁ UM MARCO NA HISTÓRIA DO RECIFE, COMO SENDO UM BAIRRO PLANEJADO ONDE SERÁ ENCONTRADO DE TUDO, UM BAIRO INDEPENDENTE.
    COMO SEMPRE O PROBLEMA DO TRÂNSITO SURGE COM FORÇA EM CONTRA MÃO, ESSE É UM PROBLEMA QUE NÃO TERÁ SOLUÇÃO MÁGICA E MUITO MENOS SIMPLES DE SE RESOLVER, AFINAL FOI UMA OPÇÃO QUE OS PRIMITIVOS GESTORES DE OUTRORA ACEITARAM.
    EM FIM, FICAR FAZENDO CRÍTICAS E NADA FAZER É COISA DE GENTINHA QUE SÓ QUER APARECER.

  • QUEREMOS O PROJETO NOVO RECIFE SIM! VOU FAZER UM ABAIXO ASSINADO Á FAVOR.VOCÊS NÃO FALAM POR TODA A CIDADE NÃO.

  • [...] Recentemente foi divulgado na imprensa pernambucana o projeto “Novo Recife” (leia-se no blog Acerto de Contas) que dentre outras transformações e ocupações desmedidas, inclui a construção de prédios [...]

  • Excelente o texto, em especial este é o que Recife necessita: ” Se formos mais conseqüentes e corajosos, aquela área, com a sua linha férrea ligando Recife ao Cabo, e também Recife ao Agreste, com foco em Gravatá e Caruaru, poderia abrigar, entre outros equipamentos urbanos coletivos, um revolucionário e moderno terminal intermodal de passageiros, combinando num futuro não muito distante o transporte sobre trilhos com o fluvial, com ciclovias e ônibus. Isso sim é progresso!”

  • É sempre assim, quando algo acontece, que faz resplandecer uma situação, cria-se então um grupo de pessoas a criticar coisas belíssimas que darão um novo tom a cidade. Parabenizo a essa ousadia de empreendimento.
    Ao grupo que defende o patrimônio histórico deveria olhar melhor para dentro do bairro de São José que está totalmente modificado, não se preserva nada, infringindo as legislações do patrimônio histórico, e isso acontece há anos e ninguém se quer ver isso.

  • Pelo amor de Deus , como vocês podem falar um absurdo desses com uma obra tão perfeita como essa . sinceramente , a sociedade é contra tudo , vocês também tem que pensar que a cidade ta crescendo , mudando pra melhor . primeiro falaram das torres Gêmeas , realmente achei que mudou muito a aparência da cidade pra pior mas tudo bem , depois falaram da construção do RioMar Shopping , que hoje emprega mais de 7.000 pessoas , agora vocês querem impedir uma obra como essa ? Meu deus ! Essa área que eles querem construir saibam vocês que é cheio de marginais e usuários de drogas e com essa obra eles desaparecem . não pensem na aparência e sim nos benefícios que essa obra trará a nossa linda cidade .

  • Engraçado é este local passar décadas servindo de atacadão do mosquito da dengue e ninguém moveu uma palha para sugerir alguma coisa. Agora que a Rede Ferroviária leiloou e um grupo privado que transformar restos de galpões em obra moderna, com destinação residencial, gerar empregos, gerar impostos, aparece a turma do contra.

    Aproveito para dizer a turma do contra: breve o Colégio Americano Batista vai virar um empreendimento moderno, assim como: Hipódromo da Madalena, a sede do Clube Náutico, o Caxangá Golfo Country Club, a Área verde atrás da UFRPE, o Canal da Av. Agamenon Magalhães , o antigo prédio da Fábrica Tacaruna, o terreno da Marinha entre Recife e Olinda. Vocês do contra propuseram o quê ? NADA !

  • Muito infeliz esse comentário. Mais parece se tratar de ciúme político. Na verdade, o local é MAIS UMA ÁREA ABANDONADA pelo poder público que governou à época. Desde a mudança do Porto do Recife para Suape, que esse terreno dava mostras de total abandono, tendo sido inclusive, local de abrigo para viciados e de esconderijo para pequenos malfeitores. Além disso, o leilão ocorreu no ano de 2008 quando o Governo Federal e a Prefeitura da Cidade do Recife faziam parte da mesma bancada e nenhum projeto foi desenvolvido para o local. Por que esses “Novos idealizadores” permitiram que acontecesse o embate licitatório de área pública, se havia algum planejamento para o local ? Agora a área pertence ao setor privado que, OBEDECENDO A LEGISLAÇÃO PERTINENTE, poderá desenvolver a atividade que lhe for conveniente.

  • [...] foi divulgado na imprensa pernambucana o projeto “Novo Recife” (leia-se no blog Acerto de Contas) que dentre outras transformações e ocupações desmedidas, inclui a construção de gigantes [...]

  • [...] foi divulgado na imprensa pernambucana o projeto “Novo Recife” (leia-se no blog Acerto de Contas) que dentre outras transformações e ocupações desmedidas, inclui a construção de gigantes [...]

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação às punições de corruptos...

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia


  • “O homem de bem é um cadáver mal informado. Não sabe que morreu.”
    Nelson Rodrigues.

ARQUIVO

setembro 2014
S T Q Q S S D
« set    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).