A triste comparação entre os projetos e as obras entregues

dez 28, 2015 by     25 Comentários    Postado em: Atualidades

Papel aceita tudo, como diz o ditado. Nem precisa de explicações.

Apenas para comparar algumas das obras entregues com os projetos. É de chorar.

As imagens foram compiladas por Wlademir Moura, em seu Facebook, e mostra uma série de intervenções urbanas realizadas na Região Metropolitana do Recife nos últimos anos.

Triste!!!

25 Comentários + Add Comentário

  • Pierre, era pra ter colocado a legenda de quais locais se referem as imagens.

    • Vamos lá:

      1) Avenida Caxangá na altura da Disnove / Rua São Matheus
      2) Parque Apipucos, do lado oposto do açude
      3) Cabeceira da Ponte Giratória, do lado direito, sentido Marco Zero
      4) Caxangá, sentido Centro, quase na altura da José Osório
      5) e 6) Parque da Macaxeira.

  • Era bom a legenda, faz alguns bons meses que não ando por Recife…

    • Vamos lá:

      1) Avenida Caxangá na altura da Disnove / Rua São Matheus
      2) Parque Apipucos, do lado oposto do açude
      3) Cabeceira da Ponte Giratória, do lado direito, sentido Marco Zero
      4) Caxangá, sentido Centro, quase na altura da José Osório
      5) & 6) Parque da Macaxeira.

  • As fotos deveriam ser do mesmo angulo.

  • Devem ter roubado 98% do dinheiro liberado para as obras, com os 2% restantes fizeram esses lixos pra “tapear” o povão. As licitações devem ter sido superfaturadas e os empreiteiros eram amigos ou parentes de políticos.

    Se procurarem o dinheiro desviado, vão achar em contas na Suíça, Caribe…

    O problema é: quem vai procurar o dinheiro roubado? Ministério Público? Tribunal de Contas? Controladoria Geral? Poder Judiciário?

    Tá todo mundo de “recesso”, só voltam depois de uns 4 meses de férias. E quando voltarem, a prioridade é fazer greve para pedir aumento de 700% no salário, sem contar os que vão tirar licença para descansar um pouco mais, afinal ninguém é de ferro, o ser humano precisa de descanso (de preferência, remunerado).

    • KKKKKKKKK o final foi o melhor!

      • Muito bom, mas “Ministério Público? Tribunal de Contas? Controladoria Geral? Poder Judiciário” só almejam mamar também!!! Se correr os políticos roubam, se ficar os funcionários públicos (roubam) também. Sendo o último caso: um roubo dentro da Lei. ahahhaha

  • Obras padrão Nigéria num país padrão Somália.

    A única coisa padrão Noruega são os projetos que, literalmente, não saem do papel.

    Enquanto isso, a mundiça leva uma vida padrão Serra Leoa.

    • Pelo contrário.

      Os problemas da gestão pública, principalmente na questão de obras, é a falta de projeto detalhado e bem feito.

      Eles começam as empreitadas na tora mesmo e vai engembrando no famoso ajeitadinho e gambiarra ao logo do tempo.

  • O povão tá tão acostumado a se fuder e tomar no cu que nem percebe o quão sebosas ficam essas bostas que o governo faz. O normal no brasil é o cidadão se lascar e pagar a conta das merdas que o governo faz.

  • Nem sei o que é pior no Brasil, o povo ou o governo. Essas obras não duram muito, pouco tempo depois de concluídas o povo depreda, picha, rouba partes da obra, as praças, os parques e as academias da cidade viram pontos de consumo e tráfico de drogas, ponto de prostituição etc. No fim das contas, o povo merece viver nessa cachorrada. O povo não tem educação, merece a merda de governo que tem.

    • Será que as pessoas não cansam de fazer esses comentários? É a mesma ladainha de sempre…

  • Alguns pontos:

    - A sociedade é incapaz de escolher seus representantes. Desprovida de informação, injetou um ingrediente nada confortável nessa receita indigesta do voto: A emoção. Movida por ideologias miseráveis, tornou o exercício do voto um jogo de futebol, disposta a defender seu ponto de vista ainda que diante de uma latente e lamentável realidade social;

    - Essa mesma sociedade é tão burra que, além de não saber escolher quem os representa, não se preocupa em fiscalizar quem escolheu. O exercício das urnas é um ato meramente simbólico, vivido a cada dois anos, sem qualquer repercussão no “depois”. Elege-se hoje e, foda-se depois, afinal, se ele roubou, outros roubaram, então, há uma “compensação de culpas”.

    - Os órgãos de fiscalização apenas existem no sentido figurado. Repletos de apadrinhados políticos, há muito jogaram a tecnicidade que se exige do cargo no ralo. Hoje, a busca pelo interesse público só exige em livros de doutrina, o que vale é buscar o interesse da classe, preferencialmente se coincidir com uma “cosquinha” no bolso, sempre através da famigerada autonomia financeira e administrativa.

    É um breve e singelo desabafo, de quem já se cansou do estado das coisas e não enxerga, lá no fundo, qualquer expectativa de mudança.

    • Ok desabafo anotado.

      Agora me diga o que você faz para se diferenciar dessa sociedade que tanto desprezas?

      • Ué, basta ter o minimo de honestidade, já se diferencia. O que dizer de uma sociedade que publica 500 mil comentários numa foto de Zezé com a namorada na cama, e não tem 50 comentando num grupo de economia, se informando ou tirando dúvidas ? Tem que desprezar mesmo.

      • Colega, com certeza o que eu NÃO FAÇO é vir aqui, cotidianamente, como VOCÊ FAZ, defender a organização criminosa (referência dada por procuradores da lava-jato, delegados federais, PGR, ministros do STF) que comanda o país há mais de uma década e é responsável direta, junto a oposição, pela mazela política e social existente em terra brasilis.

  • Indiscutivelmente as cidades brasileiras estão entre as mais feias do mundo. O que há de belo no Brasil se restringe às paisagens naturais, porque se depender da mão do ser humano… benza Deus.

  • Faltaram as fotos dos viadutos da PE-15 e entorno. A realidade é uma aberração de dar nojo.

  • A única solução é acabar com o Estado!! Estado ZERO!!! Quero ver os políticos e barnabés mamarem? Terão que mamar no jumento!!! ahahhahah

    • Carlos, inegavelmente, a solução começa por desinchar o estado. Este ente gordo, nababesco, deveria se limitar a fiscalizar o setor privado e propiciar pontuais prestações positivas à população, estimulando que essa sim, de forma direta, desenvolva o país. O problema é ver marajás sustentando a necessidade desse status quo miserável que vivenciamos hoje, com o estado torrando o erário…

  • É danado ….

    Falam tanto que Servidor Publico ROUBA.

    Querem “ROUBAR” ?

    Tá abrindo concurso pro IBGE. Que tal já darem o primeiro passo e sentando a bunda na cadeira pra estudar ?

  • Que lindo!! Em temos de internet, tem gente que acredita que a solução do Brasil é contratar gente que fazer pesquisa de porta-a-porta!! Aonde vamos chegar com um governo imbecil e cidadãos idem!

  • 1. No caso do estacionamento ao lado da Ponte Giratória”, é interessante informar que o projeto original foi aprovado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários, por se tratar de uma área portuária. Incompreensível o que fizeram!
    2. Sugiro para uma próxima postagem análoga, fotos sobre o “Boulevard” da Av. Rio Branco, também no Recife Antigo.

  • O TÍTULO DEVERIA SER SOCIALISMO UTÓPICO E SOCIALISMO REAL!!!!

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

agosto 2017
S T Q Q S S D
« mai    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).