Acordo entre Mangueira e PCR desrespeita povo do Recife e Cartola, fundador da escola

mai 23, 2007 by     25 Comentários    Postado em: Atualidades

Foto: U. Dettmar/Folha Imagem

Duas injustiças foram cometidas, ontem, quando o prefeito João Paulo anunciou, com pompas, o patrocínio de R$ 3 milhões para a escola de samba carioca Mangueira desfilar no próximo ano sob o tema “100 anos de Frevo: Recife mandou me chamar”. A primeira injustiça foi contra o povo do Recife e sua cultura, por toda eternidade carente de atenção e recursos. A segunda, e não menos importante, será contra o sambista Cartola (na foto acima), fundador da Mangueira e que completaria 100 anos examente em 2008.

Para quem não sabe, a prefeitura para um cachê que varia entre R$ 1 mil e R$ 3 mil para os grupos populares que se apresentam nos eventos da cidade. Ainda desconta 11% de INSS e ou 5% de ISS (para quem tem nota fiscal) ou de CIM (Cartão de Inscrição Municipal para autônomos).

Mas vamos à outra injustiça.

Cartola nasceu a 11 de outubro de 1908, no Rio de Janeiro, batizado Angenor de Oliveira. Tomou gosto pela música e pelo samba ainda moleque. Aprendeu com o pai a tocar cavaquinho e violão. Aos 15 anos, após a morte da mãe, Cartola abandonou os estudos, tendo concluído só o primário. Junto com seu amigo e principal parceiro de composições, Carlos Cachaça, criou em 28 de abril de 1928 o G.R.E.S. Estação Primeira de Mangueira, segunda escola de samba do Rio de Janeiro. Foi Cartola quem compôs o primeiro samba da escola, “Chega de Demanda”.

Mestre Cartola morreu em 30 de novembro de 1980 como um dos maiores compositores brasileiros. Foi enterrado com a multidão entoando “As rosas não falam”, um dos inúmeros clássicos composto por ele. No seu centenário, nada mais justo que a Mangueira o homenageasse…

Mas pouco importa se os 100 anos do frevo será divulgado com um ano de atraso ou se Cartola ficará sem sua justa homenagem. Todos sabemos que as escolas de samba do Rio há muito viraram balcões de negócio. A central sindical CUT, por exemplo, acaba de fechar com a Vila Isabel patrocínio de R$ 5 milhões para sair no carnaval de 2008 com o enredo Trabalhadores do Brasil. Ou seja, quem paga, leva.

25 Comentários + Add Comentário

  • É dureza.
    Quando não se divulga, todos acusam de omissão, quando se divulga torna-se culpado até pelo pecado alheio.
    Não tem saída para João Paulo. Qualquer iniciativa que ele fizer vai ser duramente criticada.
    Se a Mangueira não quer prestar as devidas homenagens à Cartola não é problema da PCR, mas a divulgação da cidade é!
    Como 3 milhões é difícil fazer qualquer coisa na mídia paga, mas é possível ter o nome da cidade repetido por horas gratuitamente durante o desfile da Mangueira.
    Acho uma boa opção.
    O único problema é se a prefeitura colocar um telão no Marco Zero, ali em frente a bolsa de valores, pra assistir o desfile. Será a primeira vez que o recifense vai ficar de costas para o bilau de Brennand vendo a Mangueira entrar!

    Rarará!

    Olha a mangueira aí gente!!!

  • Como pernambucano pensa pequeno, meu deus do céu.

    Dezenas de milhões de pessoas assistem ao desfile das escolas de samba, no brasil e em vários países.

    Divulgar o carnaval do recife, a cidade e o frevo na mídia paga para tanta gente sairia muito mais caro.

    Caro Marco Bahé, calcule quanto custa uma hora de propaganda nacional em horário nobre na globo.

    Comparado à divulgação internacional que a cidade vai receber, esse patrocínio saiu de graça.

  • Júlio,

    A prefeitura diz que para ter o mesmo espaço na TV Globo teria que ser pago cerca de R$ 100 milhões.

    Só acho que vocês não entenderam meu comentário… Não se trata de questionar a divulgação da cidade. Mas sim de pedir respeito aos artista locais e ao grande artista brasileiro que foi Cartola. Discordo com o argumento de que não temos nada com isso… A cultura brasileira é de todos os brasileiros.

    Por que a prefeitura não tomo essa iniciativa no desfile de 2007, quando realmente acontecia o ano do frevo? Além do mais, acho que Pernambuco e/ou Recife tem argumentos históricos e culturais suificientes para serem exibido no sambódromo a qualquer ano. Não precisávamos apelar para os 100 anos atrasado do frevo.

    Abs

  • a frase que melhor descreve este post:

    julio
    23 de Maio de 2007 às 11:16

    Como pernambucano pensa pequeno, meu deus do céu.

  • Grande iniciativa da Prefeitura do Recife em participar do desfile do Carnaval carioca.
    A divulgação será grandiosa, não somente no Brasil, mas no mundo todo.
    O custo é pequeno, com relação ao custo beneficio. Se for somado os espaços que vão sair na imprensa escrita e na televisão, o desembolso seria muitas vezes maior.
    A idéia é boa e foi do prefeito João Paulo, a oposição deverá criticar, mas o setor de turismo pernambucano lhe dará apoio.

  • É o caso da historinha do “Menino, do Velho e do Burro”. Vai ter gente que quer que o Burro carregue o menino, gente que quer que o Burro carregue o Velho e gente que defenda o Burro.
    Neste caso é a mesma coisa. Mas temos a nítida impressão de que os autores do blog escolheram a opção de falar mal e ignorando qualquer argumento a favor.

  • Marco Bahé. O que você tem contra o Prefeito João Paulo?
    Eu não vejo seu amigo Pierre nessa perseguição implacável contra o nosso prefeito.

  • Em Recife, até o gênio Oscar Niemeyer virou inimigo público número 1.

    Deve ser a única cidade do mundo onde isso acontece.

  • Concordo plenamente com Bahé. Não sou contra pagar o patrocínio. Vários estados brasileros fizeram e fazem com o intuito de aparecer. A Bahia fez várias vezes, inclusive, e essa atitude na hora H, quando a escola tá entrando, dá até inveja nos outros estados.

    Vai ser bom ver o Frevo e o Recife brilhar na avenida. Mas acho também que a injustiça está no montante bem menor que a prefeitura repassa para nossas agremiações e nos impostos que cobra, como frisou Bahé.

    O prefeito João Paulo age, assim, com dois pesos e duas medidas. Aliás, acho que ninguém esqueceu ainda o quanto ele pagou para Sandy & Junior, a José Pimentel pela “decoração” ridícula durante o Natal, ao DJ Slim (graças a Deus esqueci o nome daquela coisa), etc. (aliás, DJ não, “botador de disco pra tocar, coisa que qualquer um faz mas uns poucos idiotas conseguem uns muitos idiotas de que isso é arte”).

    Pra mim, por todo o desrespeito desse prefeito para com a população, e até por muito menos, ele já deveria ter sofrido um belo de um impeachment!

  • vixe maria!
    o chico arretado surtou de vez!!

  • Marcos,

    Considerando que o prefeito é torcedor do Sport e que este comemorou o título estadual do centenário nos 101 anos, acho que a lógica é a mesma: é calendário de rubro-negro, devemos respeitá-lo.

    Eu que sou neurótico, ainda encontro um argumento lógico para o patrocínio: sai mais barato que pagar espaço publicitário. QUERO ver é um só argumento lógico acerca do Parque Dona Lindu e seus concretos.

    Tenho somente uma dúvida: quanto a prefeitura investiu em propaganda nesses sete anos? Três milhões é pouco ou muito? Talvez seja bom verificar isso.

    Eu, por aqui, continuo pensando pequeno. É mais honesto.

  • É sempre bom refletir sobre fatos com certo distanciamento !
    A questão fundamental nesse caso remete a um passado recente onde assistimos indignados mas passivos a prefeitura bancar eventos de massa com dinheiro próprio.
    Foi assim com Sandy e Júnior na “festa da posse”,com um DJ em turnê pelo país patrocinado por uma cervejaria e agora com uma escola de samba carioca.
    O governo do estado também já destinou recursos para desfile do carnaval carioca sem um efeito prático e concreto.
    Com planejamento e estratégia definida com antecedência o valor dessas “cotas publicitárias” poderia ser divido com a iniciativa privada.
    É preciso que a área cultural tenha gestão empresarial .
    Que seus recursos sejam pensados como investimento a curto, médio e longo prazo.
    O valor pago a escola de samba seria um bom negócio se estivesse inserido em uma estratégia maior .
    Acreditar que a simples exposição do estado durante uma hora de desfile transmitido pela tv trará dividendos imediatos para o caixa da prefeitura é no mínimo ingenuidade.
    Enquanto isso os históricos problemas do setor se arrastam sem previsão de solução.
    Para os artistas que fazem diariamente essa indústria a realidade são impostos arrecadados em duplicidade, atraso de meses no pagamento por serviço prestados, valores irrisórios de cachês, a falta de um calendário anual definido quanto a lei de incentivo, teatros municipais com equipamentos deficientes.
    Vale salientar que o valor destinado a lei de incentivo municipal é de R$ 1.000.000,00 anual para todas as áreas de produção cultural com teto máximo de R$ 40.000,00 por projeto aprovado .
    Tudo o que precisamos é de planejamento e gestão.
    Somos cobrados quanto a nossa competência , consistência da carreira e toda a sorte de obrigações fiscais, taxas e impostos (iss,inss,iptu,receita federal,estadual, IR), portanto é justo questionar um aproveitamento racional dos poucos recursos destinados para a área de cultura.
    Ao término do show de Sandy e Jr, fora a ressaca do dia seguinte, nada de promissor ficou para a cidade.
    Todo o equipamento, palco,luz,técnicos veio na equipe dos artistas contratados…. nada contra , azar de quem pagou, mas porque não buscar parcerias para diminuir o custo direto arcado pelo poder público ?
    Com o DJ ,a cervejaria deve ter adorado o retorno do seu investimento, até uma boate da cidade vendeu camarotes no armazém 12 de frente para o palco…
    O que a cidade ganha com isso?
    Em relação a escola de samba fica a dúvida: qual a contrapartida oferecida além da exibição televisiva?
    Os carnavalescos recifenses terão acesso a novas tecnologias desenvolvidas pela indústria do carnaval carioca?
    Haverá intercâmbio com os cenógrafos,figurinistas,ritmistas,passistas e compositores?
    Caso contrário acredito que fora o detalhe de estarmos três milhões mais pobres tudo ficará como d’antes no quartel de Abrantes.
    E que venha o próximo evento para a felicidade geral da nação.

  • Realmente concordo com o amigo lá em cima…
    É pensar muito pequeno!!! Muito correta a atitude da PCR. Parabéns João Paulo. Não temos nenhuma culpa se a Mangueira não vai homenagear Cartola….Caro Bahé, abra novos horizontes…

  • Eh por isso que a terrinha nao vai pra frente mesmo. Para de pensar pequeno Recife. A Mangueira que se acerte com Cartola… “Olha salvador aih gente!!!”

  • estou com bahé.por que a homenagem com um ano de atraso?
    com esse dinheiro, dava para pcr cuidar ainda mais da cidade.

  • Enquanto Recife mergulha na violência urbana, na miséria, no baixo nível de ensino, no caos urbano, e doenças os petistas jorram dinheiro fora. O frevo tem 100 Anos e não precisa de marketing do carnaval carioca, ou outro artíficio que os petistas queriram inventar, para sua preservação.

  • É eu concordo com vc Fernando. De fato é importante a divulgação da cultura Pernambucana e isso sendo feito num desfile onde milhões de pessoas assistem é realmente interessante, porém acredito que existem prioridades em mais ou menos 4 anos o número de mendigos em Recife aumentou em média 86%, existem professores em minha cidade que estão em greve a meses, a segurança é precaria, não podemos sair nas ruas se pensar que podemos ser abordados por “crianças” querendo dinheiro para comprar mais cola, pessoas morrem na porta de hospitais todos os dias, esse dinheiro poderia nos ser muito mais útil, sem contar com a falta de respeito do fundador da escola que não merece ser trocado por valor algum.
    Havendo esse retorno de turistas, será que realmente eles levariam boas lembranças de nossa cidade?

  • Nasci em Recife, embora não a conheça,saí com menos de dois anos de idade.
    Não estou a par da situação da política local e nem conheço nenhum per-
    sonagem a nível municipal. Portanto, falo sob o aspecto do marketing.
    A idéia é ótima e super barato, a exposição na mídia não é uma hora
    de desfile e sim uma constante bateria que começa agora e vai se inten
    sificando até o evento.Na semana do Carnaval é quase permanente e
    no evento, uma totalidade. Isto sem levar em consideração a exposição em Jornais,Rádios, Revistas e outras mídias ,e de rebarba ainda tem o pós carnaval e a cobertura Internacional, que hoje é significativa.
    Pouca coisa no Brasil é capaz de tanta repercussão como o evento dos
    Desfile de Escolas de Samba do Rio de Janeiro.
    Importante, moro em São Paulo e não sou folião e na oportunidade busco
    o lazer em uma praia ou campo. Vale a pena sob o ponto de vista do Marketing, principalmente para divulgação de Turismo, Cultura, Eventos.

  • [...] site Acerto de Contas, o jornalista Marcos Bahé explica [...]

  • SO GOSTARIA DE DIZER UM RESUMO DO ATO DO PCR (JOAO PAULO) SOMOS OS CONDENADOS DO AMANHÃ, ADORO CARNAVAL GOSTO DE ASSISTIR OS DESFILES MAIS O QUE ELE FEZ FOI CRIME.

    PEGAR O DINHEIRO QUE E DO POVO E PATROCINAR CARNAVAL E AINDA MAIS FORA DO ESTADO, POIS NÃO DEVERIA SER DENTRO E NEM FORA.
    SERA QUE ISSO É DEMOCRACIA?

  • [...] maio de 2007 (ver aqui), escrevi que o patrocínio de R$ 3 milhões da Prefeitura do Recife à escola de samba Mangueira [...]

  • JÁ QUE ELE QUER DIVUGAR O FREVO ELE DIVUGARIA NO TRIO DA IVETE PORQUE ABAND TRANSMITER AO VIVO ENCADEIA NACIONAL COM O CUSTO BEM MENOR.

  • MUITO FACIL DE ENTENDER. SI VÔCE ENVESTE NAQUELA FESTA QUE TAMBEM É SUA COMCORRENTE EM MILHÕES. ELA SEMPRE VAITAR FORTE É VÔCE CAPENGANO. MASDIZEM QUE SANTO DECASA NÃO FAS MILAGRE.

  • ola amigos boa tarde! estive com maestro duda sabado dia28-12-2009, aqui em são paulo e mostrei que estou com um projeto para resgatar o carnaval de rua em sp.duda ficou muito feliz juntamente com os outros baluartes do frevo que estiverao aqui em parceria com espok,todavia, fiz questão de mostrar que em recife graças a deus nos artistas e todas as pessoas da musica,ainda temos como aliados [os jornalistas e radialistas ]que nunca fecharam as portas para nosso frevo,enquanto os politicos pouco caso fazem com nossa tão rica musica pernambucana,meu projeto pode e deve ser visto por vcs todos, é carnaval para todos aqui em são paulo,conto com diversos parceiros e os artistas para trazer de volta o verdadeiro carnavaln que é o de rua,agradeço-lhes a atenção e viva nosso frevo.
    poeta cidinho;tel;011-76229142-20814127.

  • gostaria de enviar projeto carnaval para todos
    atenciosamente
    poeta cidinho
    contatos:011-76229142-20814127.

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

setembro 2019
S T Q Q S S D
« mai    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).