Alcides, a derrota da vontade para a realidade

fev 9, 2010 by     112 Comentários    Postado em: Atualidades

A morte do estudante Alcides é daquelas coisas que desilude qualquer pessoa. Era a vitória da perseverança, apesar de todas as adversidades.

A verdade é que viver em Pernambuco hoje é correr risco a todo momento. Não há lugar seguro. Não se pode sair às ruas, não se pode andar de ônibus, não se pode andar de carro, não se pode nem viver dentro de casa em paz. Segundo o PE Body Count, já são 386 assassinatos apenas este ano.

Em uma sexta-feira em que toda a politicalha do Estado se espremia em bailes de carnaval como o Siri na Lata, implorando por uma notinha na coluna social, Alcides estava em casa estudando para garantir a oportunidade que ninguém daria a uma pessoa de sua origem.

Negro, pobre, filho de uma catadora de lixo, Alcides era o exemplo de que ainda existe gente boa e vencedora neste país, apesar de tudo.

Mas mesmo com toda a vontade, Alcides não conseguiu vencer a realidade desta tragédia que é viver em uma comunidade pobre em Pernambuco.

É revoltante. A imagem do vídeo acima, mostrando a felicidade de Alcides e de sua mãe no momento do listão é de partir o coração.

A violência em Pernambuco é algo fora do controle há tempos. Difícil é encontrar alguém que não tenha um amigo ou parente que não foi assassinado. Difícil encontrar alguém cuja vida não tenha sido colocada em risco em um assalto, ou um tiroteio em via pública.

Me lembro que quando cheguei aqui, no ano de 1987, andava pelas ruas da cidade despreocupado, sem a menor preocupação de acontecer uma tragédia como a que acabou com a vida de Alcides.

Ninguém pode mais fazer isso.  É a completa falência do Estado.

É realidade que o Governo pela primeira vez está se mexendo, e se esforçando para reduzir os homicídios, fazendo o Pacto pela Vida. Mas vá dizer isso a uma das 386 mães que tiveram o filho assassinado em 2010.

Não tenho dúvidas de que os assassinos serão capturados, pois quando querem prendem. A repercussão do caso Alcides fala por si.

É difícil dar repercussão a tantos assassinatos diários, mas é importante para fazer o Poder Público se envergonhar e correr atrás. Serão menos dois assassinos à solta. Só espero que não sejam soltos em pouco tempo, como grande parte dos marginais que são presos, pois monstros como esses merecem o máximo de justiça possível dentro da Lei.

Como disse João Valadares, em seu artigo no PE Body Count, Recife está envergonhado.

Hoje um colega de UFPE me disse algo que vale a pena refletir: esse país está muito pior do que 30 anos atrás.

Ele tem razão.

Que tristeza.

____________________________

* Post publicado originalmente às 19h36 de ontem.

112 Comentários + Add Comentário

  • “A derrota da vontade sobre a realidade”: este titulo mostra que acima de qualquer “darwinismo social” que algum crente possa empunhar, nossa realidade ainda é terrível.

  • Pierre,

    Somos da mesma geração, e lembro que quando tinha meus 17, 18 anos, saia com os amigos pela cidade de forma muito tranquila, inclusive de onibus.

    Com relação ao comentário de que hoje o pais está pior que ha 30 anos, é fato, infelizmente. Agora, cá prá nós, será que em 2040, quando tivermos próximos dos 70 anos de idade, diremos que este pais está pior do que 30 anos atrás, semelhante ao que o seu colega da UFPE disse hoje?

    • Caio
      Meu colega era Walter, que foi seu professor também.
      É lamentável tudo isso. Nesses momentos perdemos até a esperança.
      Abraço

      • Pierre,

        Fui seu aluno e o de Walter e como conheço os dois, sei que falam de mente aberta.
        Atualmente moro e trabalho em Caruaru, e também sofri uma violência a um ano atrás aqui mesmo nesta cidade e que até agora não foi resolvido.
        Sendo assim, o problema realmente não está só em Recife e sim em todo o estado. Caruaru não fica pra trás. Acredito que prender apenas essas pessoas não é o suficiente, mas existem especialistas na área que estão no governo (Professor Raton) e podem dar um “basta” nisso de uma vez por todas colocando em prática tudo o que defendem em seus discursos.
        Outro ponto importante do seu comentário é o fato da repercussão dos assassinatos diários que muitas emissoras fazem disso o seu ganha pão. Um absurdo vc ligar a TV e ver que alguns repórteres “vendem” a violência de uma forma tão ridícula.
        Por fim, muito bom seu comentário e espero que essa realidade mude logo.

    • Não me lembro de tempos tranquilos em Recife.O que acontece hoje é que a notícia anda numa velocidade muito maior,além de abranger mais pessoas.Em 1987 não existia internet.A violência sempre fez parte desta pobre cidade.E continuará a fazer por décadas.Sem uma legislação mais dura,e pior,sem por em prática as punições vigentes,muitas mães ainda chorarão por seus Alcides.

      • João, não sei se era um “mar de rosas” a nossa cidade, não tinha internet, mas, assim como hoje, já existia Gino Cesar no “Bandeira 2″.
        De todo modo tenho convicção de que no fim dos anos 80, na minha adolescencia, a coisa era mais tranquila que hoje. Basta rodar pela cidade e perceber o quanto os muros dos predios e casas existentes na época subiram, dobraram de tamanho, seja em Recife, seja em qualquer grande cidade.
        Cresci em Salvador, no bairro de Ondina, em frente a onde é hoje a Reitoria da UFBA. Quando morei lá na minha infância, o muro do predio tinha 1 metro de altura. Hoje tem 3 metros. Daqui uns dias é capaz de colocarem cerca eletrica, se é que já não tem. E olha que a 500 metros dali é a Residencia Oficial do Governador, onde, teoricamente, deveria ter segurança e conter os animos dos marginais, mas eles (os marginais) cada vez se contem menos, vao pro tudo ou nada, seja em Recife, Salvador, Natal, Rio, São Paulo, etc.
        Vamos em frente, todos, juntos, vivos e protegidos por Deus.

        • Uma coisa é certa Caio:Semana que vem,niguém falará mais sobre Alcides.Alguém ainda fala do pequeno João Hélio?E aquele garoto assassinado por PMs no RJ,dentro do carro da mãe,alguém lembra?Não.Ninguém lembra.Porquê todos os dias aparecem casos novos.E as velhas bandeiras da justiça social e da pena de morte são levantadas.E nada muda.Esse é o pais da copa,e das olimpíadas.E das mães que perdem seus filhos….

        • João,
          É por isso que sou viciado no Acerto de Contas, que, por mais que a galera critique, creio que de certa forma os editores façam jus ao nome do blog, pois sempre que podem não deixam alguns assuntos, temas e polêmicas no esquecimento.
          Temos o João Helio, no RJ, Isabela Nardoni, em SP, a louca Richthofen, em SP, o Antônio Carlos Escobar, aqui no Pina, deixando a dor entre amigos e familiares e a impunidade no esquecimento e memoria curta da maioria.
          Falando da grande midia, em Janeiro o caos imperou no litoral do RJ, matando dezenas em Angra dos Reis. Bastou o terremoto no Haiti que Angra ficou no esquecimento. E assim a vida segue. C’est La Vie.

        • Concordo com Caio e acho que Joáo exageraou um pouco, mesmo numa época sem a rapidez da comunicação, era sim menos violenta a nossa cidade e se voltarmos atras mais um pouquinho, tenho 51 quando tinha entre 17 e 20 anos, vinhamos com os colegas das festas (assustados, hifii, etc) de madrugada voltando para cas e não me lembro de presenciar tantas violências e tanto medo nas pessoas.
          Enfim os tempos mudaram.

    • Sou uma simples contadora de história e percebo que até os animais estão ficando com medo de passear na rua. É assim.

  • E por essas e outras que defendo pena de morte.
    A comunidade, como mostrou a matéria agora a noite, sabe quem vitimou o Alcides, posto que, diante deste fato, são reincidentes, traficantes, não são meninos bonzinhos.
    Cadeia? Pra quê? Pra ficar as nossas custas, pra depois serem soltos e vitimarem mais pessoas?
    Podem me taxar de radical, mas pena de morte não só pra esses dois, mas pra todo bandido reincidente. Principalmente os que comandam o poder.

    • É muito duro pensar assim, mas é cada vez mais revoltante mesmo. E vai ficando cada vez mais presente aquele sentimento de “melhor esse assassino cretino morto do que qualquer um que ele matou ou ainda vai matar, que dirá TODAS as vítimas que ele ainda fará ao longo da vida”.

      • É verdade que a pena de morte é uma solução extrema porém necessária já que os processos legais não conseguem recuperar ou manter presos pessoas que sempre serão marginais. No entanto, ao invés de matar, por que evitar que eles nasçam? Por que não investir num controle de natalidade principalmente com a população pobre? Minha mãe teve apenas um filho. Hoje tenho apenas um filho. No caminho da minha casa, tem uma comunidade carente onde vejo meninas novinhas passando com um menino andando segurando a mão, outro no braço e mais um no bucho. Pela falta de oportunidades, é quase certo que algum deles se torne um marginal. Vejo muita gente falar de pena de morte mas por que não investir numa conscientização nas famílias de baixa renda.

        • 5 anos atrás eu cheguei a ver uns “outbus” com campanhas de planejamento familiar, do governo federal. E agora, cadê?

  • Lembro quando a história de Alcides e a mãe passou no Globo Reporter, as lágrimas desceram do meu rosto pela vibração e batalha dos dois. Ontem, infelizmente, tomei conhecimento desta tragédia inimaginável. Perdi meu domingo, lamentei muito, chorei novamente e, impotente, continuo a compartilhar a dor dessa mãe guerreira.

  • Já falamos aqui da violência em nosso país e particularmente em nosso estado. É de doer o coração sabermos que notícias como essas sujam a imagem de nosso estado. Espero que as pessoas que aqui venham comentar, não partidarizem a situação, que é lastimável. A violência esta demais! No dia de hoje registra-se até agora 16 mortes e 66 no mês, é muita coisa. O próximo pode ser qualquer um de nós. Tentam esconder por conta do turismo, cronistas esportivos escondem a violência nos estádios, a violência dos torcedores nas ruas, … pra não faltar renda e não terem o que comentar, etc….. a violência é escondida sob diversos interesses. Estamos sentidos…doe em nossa alma ver fatos como este….

    • Este e o pais da copa, do carnaval, da violencia, da corrupção e da impunidade, alem é claro dos politicos damagogos e de governantes que preferem os escandalos do dinheiro nas cuecas e meias. Teremos infelismente ainda muitos ALCIDES assassinados e injustiçados, aleem dos jose, joao, etc, povo que vive com o caos da seguranca publica, da saude e da educação. Pernambuco não foge da realidade nacional onde impera a irresponsabilidade dos governantes e prospera a impunidade generalizada. Vivemos num pais onde pagamos altos impostos alem da bitributação que ocorre com alguns impostos que tem seu fato gerador imbutidos em outros impostos, enfim estamos indo para o fundo do poço e o que vemso é so uma politicagem imunda e dados de que o presidente esta com 89% de aceitação. E o pais do sonho e da mentira, onde cada qual tenta sobreviver a duras penas sem qualquer pespectiva de dias melhores, com execeção e claro dos apadrinhados do poder, que gozam de privilegios publicos com o dinheiro do povo. Portanto vamos protestar votando nulo na proxima eleição, caso contrário nada mudará e a próxima vítima poder ser qualquer um de nós, menos é claro os privilegiados do poder público. Falta neste pais investimentos em educação, saúde e segurança, e isso todo mundo ja esta cansado de saber, alem é claro de uma política pública que efetivamente ressocialize o apenado, mas o que vemos são babozeiras de falsos cientistas sociais que há anos mamam nas tetas do governo e nada resolvem. Prender os criminosos que mataram o Alcides é uma questão de justiça, assim como prender os demais criminosos que ceifaram centenas de vidas e continuam soltos, mas e necessario ter-mos um sistema prisional eficiente, para que estes delinquentes sejam realmente punidos e possivelmente recuperados para o convivio social. Para isso os presidios deveriam esta sob a tutela do estado imperando a disciplina e a ordem, e não esta porcaria que é onde impera a desordem e a falta de respeito ao preso, e onde o tráfico manda e desmanda. Esta tudo errado, e a imprensa agora esta para ser amordaçada pela nova lei de anistia, por isso so nos resta uma saída o voto, vamos usá-lo com sabedoria, cuidado com os falsos profetas e com os alienados que querem permanecer no poder a qualquer custo, se não existe candidato que emane confiança, existe o voto nulo e vamos utilizalo com certeza, caso contrário continuaremos a chorar pelos ALCIDES que continuarão a ter seus sonhos vitimados pela ignorância dos homens. A violencia continua crescente, pois nada a impede pelo contrário e sempre estimulada pelos corruptos e pelas politicas partidarias que defedem movimentos como o do MST, enfim tudo depende de nós, e a hora de agir e no dia da eleição, onde poderemos mudar a história desse pais dando um freio em toda essa cambada de aproveitadores e corruptores e corruptos que circulam pelos poderes da republica, voto nulo neles.

  • O Alcides frenquentava o grupo jovem na igreja católica da Torre e tenho duas amigas que tb fazem parte de grupos da mesma igreja. Elas o conheciam e ele era o maior exemplo para os outros jovens. Todos diziam que ele ia longe com tanta perseverança. A admiração por ele era enorme, justamente por ele ter conseguido tantas vitórias diante de tantas dificuldades. É lamentável que a vida de pessoas virtuosas seja terminada de forma tão precoce e injusta.

  • Sem falar da perspectiva de melhoria de vida que, concerteza, queria proporcionar a mãe. Agora, tudo começa do zero. É muito doloroso isso.

  • Não sei se os assassinos ficarão presos não, parece que um deles é menor de idade.

    A coisa toda é tão miserável que nem a pena de morte compensaria esta perda. Como compensar a mãe de Alcides por todos os seus sonhos roubados? Como compensar sua família pela felicidade interrompida? Como compensar a sociedade pela perda de um cidadão inteligente e estudioso? Como compensar a vida de Alcides, uma promessa que não pode mais ser cumprida?

    • A sociedade já deu uma pena de morte.A mãe de Alcides foi condenada a ser uma morta viva pelo resto de seus dias.

  • Caro Pierre
    Geralmente discordo de tudo o que você escreve.
    Mas o texto está excelente.
    Nem precisariam comentários a ele.
    Parabéns.

  • Todos perdem…

    Os pais (nesse caso a mãe) perdem os filhos, os amigos perdem uma pessoa querida, o país perde mais um futuro profissional, um cidadão.

    Lembro do caso de um morador de rua que passou num concurso público (do muitos) e quando perguntado o que o motivava a estudar mesmo morando na rua ele respondeu que se inspirava no nosso presidente, que saido da pobreza se tornou presidente: se ele conseguiu chegar lá, eu também posso melhorar de vida…

    Alcides, Lula, Marina e mais vários outros casos de brasileiros que lutaram para mudar a sua situação de vida… Até quando perderemos exemplos como o jovem Alcides?

    Revoltado, triste, desiludido é assim que me sinto…

    • Faltou colocar que o Recife, (ou quem sabe Pernambuco, ou o Brasil) perdeu uma quase-futura pesoa ilustre. Quem pode enxergar aqui aonde seria o horizonte que o Alcides poderia chegar?
      Digo por mim, que vivi situações adversas como Alcides. Vim de periferia, e vi vários amigos meus partindo para outra vida, seja por opções erradas que os vitimaram ou infortúnios de uma cidade violenta.
      Mas apenar de tudo, acredito no esforço, dedicação, trabalho e estudo. E sempre quero mais. Ir mais.
      Apesar de aparecer nas estatísticas como vítima de sequestro (ano passado), felizmente saí vivo para contar história.

  • Em se tratando de um negro, pobre, jovem vivendo naquela localidade (Vila Santa Luzia, na Torre), provavelmente seria considerado uma “queima de arquivo” ou um traficante, se não tivesse sua história conhecida.

    Se tratava de um Herói da resistência. Quantos outros iguais a ele não já perdemos? Quantos mais iremos perder?

    Se este tipo de debate/reflexão que travamos aqui neste espaço não for, rapidamente, estendido por meios de comunicação de massa de maneira responsável, tenderemos a caminhas para o pior.

  • Como disse Sartre: “A violência, seja qual for a maneira como ela se manifesta, é sempre uma derrota”. Enfim, Pernambuco está derrotado!

  • Não existem palavras para descrever a dor dessa mãe, por mais que tentamos mensurar. Perde um filho já é sofrimento e dor: Perder um filho de forma tão cruel, perversa, sem motivo é para destruir uma mãe: Perder um filho como esse é para matar duas vezes: O filho e a própria mãe. Imagino a cena que passou em segundos na mente dessa mulher: O momento que soube da gravidez; A barriga crescendo todos os dias; A felicidade do nascimento; Acompanhar as noites do filho com cólicas, imaginar o dia de manha com a dificuldade de alimentação, acompanhar a ida a escola já que esse foi seu esforço pessoal, ter a felicidade de vê esse filho ser aprovado numa faculdade onde só os melhores conseguem entrar, sentir todo dia orgulho da cria. Não há o que dizer para essa mãe, para essa guerreira, para essa sofredora, para essa mulher na verdadeira essência da palavra. Sinto por ela, sinto por mim que sou mãe e sinto por todas que já sofreram e infelizmente ainda irão sofrer com essa selvageria indomável. Prender pra que? Daqui a alguns dias estarão soltos; Matar pra que? Nesses casos é muito pouco. Fazer o que? Rezar, chorar e enterrar nossos filhos. Que Deus me ajude a nunca passar por esse sofrimento e que Deus tenha piedade dessa mulher e da mãe desses monstros.

  • Insisto em dizer: o povo tem parte da responsabilidade por sua quase total omissão, por sua falta de fraternidade e senso de coletividade sociopolítica. No máximo, acontecem gritos de justiça no enterro, caminhadas branquinhas anuais que mais parecem eventos musicais, e nada mais.

    Dentro de três dias, Alcides será esquecido pela sociedade, que vai, como sempre, voltar seus olhos ao Big Bestas Brasil e ao carnaval.

    A Sofia: sinto dizer que o mesmo Deus de que você fala deu as costas pra Alcides e sua mãe.

    • Tira Deus desta história, ele não tem nada a ver com isso. É o livre arbítrio e ponto final.

      • Com certeza, Deus não tem a ver com a história.

        • Ainda bem que você sabe disso. Porque gerar discussão religiosa a esta altura, não vai levar a nada. O buraco é mais embaixo.

    • Robson, tentar gerar discussão religiosa num momento como esses é de gosto, no mínimo, duvidável.

      É muito difícil manter a integridade intelectual num momento como esses, de forte comoção. O que me leva a questionar a real motivação de levantar uma bola dessas.

  • Acorda Brasil. Nós somos a maioria! Ou não? Existem mais bandidos do que trabalhadores? Existem mais Alcides ou mais assassinos? Onde foi parar a nossa força? A nossa mobilização? Vivemos nos escondendo dentro dos nossos medos e mundinhos, tentando escapar. Quem pode blinda o carro, paga segurança. Quem não pode reza. Será que tem de ser assim? E Bogotá e Nova York. E a tolerância zero? Vivemos esquecendo os mortos!!! Vamos lutar juntos para nos manter vivos. Não prego aqui a criação de uma Viva Recife, porque acho que o movimento Viva Rio se perdeu nos labirintos da vida. Mas nessa cidade onde a imensa maioria acorda todo dia para estudar, trabalhar, lutar honestamente pelos seus sonhos temos é que lutar mais ainda para que a morte de Alcides, João Hélio e tantos outros não tenham sido em vão. Se não vai continuar piorando. Com a palavra o sabe tudo do Ratton . Que apareça aqui para propor e não se desculpar. Parabéns Pierre. Esse blog já faz parte da vida da minha família. Contem comigo. Sem bravatas. Sem euforia. Sem falsos entusiasmos. Contem comigo para a mobilização, cobrança e ação. Vamos tentar. Vamos tentar de novo. Vamos tentar sempre.

    • Parabéns Sávio e abaixo a hipocrisia dos governantes!

  • Antes fosse somente a violência, nossa sociedade está doente de uma forma crônica. Mata-se por nada, vive-se para nada. Ninguém quer se esforçar na vida como o Alcides fez: estudar, trabalhar, construir. Tudo é feito para alcançar o mais fácil, mais rápido e subjulgar a todos, humilhar para não ser humilhado. E ninguém é mais inocente em pensar que tudo de ruim é ligado apenas pela pobreza. Nossos políticos são currúptos; nossos empresário corrompem; nossos cidadãos furam filas e dirigem alcoolizados naturalmente; filhos da classe média usam ecstasy, cocaína e whisky em raves/baladas; os da classe pobre tem crack, maconha e aguardente em bailes funk/pagodes/forrós. É preciso uma análise séria dos caminhos quem estamos traçando, voltar às origens de sermos humanos – demasiadamente humanos – naquilo que temos de melhor, o amor. Sentimento esquecido e que virou para muitos apenas sinônimo de sexo. Esqueçamos essa adoração esseciva ao culto do possuir/exibir que há décadas molda o que vivemos hoje. Antigamente se morria de velhice. Quando alguém era assassinado até o começo do século passado, havia uma longa história por trás do crime (eram denominados passionais, fratricidios, etc.) qual o nome que se dá a essa execução do jovem Alcides? Randomicídio? hoje também desencarnamos de câncer em todos os lugares do corpo (hilária justificativa – doenças modernas). A alma humana é cheia de mistérios, para conhecer um pouco dela temos Nietzsche, Voltaire, Platão, São Francisco de Assis, o Cristo Jesus, etc. Para conhecer a determinação de lutar com o coração tinhamos dentre vários herói o guerreiro Alcides, agora não o temos mais.

  • Este país está muito pior que há 20 anos atrás, imagine 30. Tenho 34 anos, e lembro de tempos melhores, imagine quem tem um pouco mais de vivência. Saia à pé, havia mais respeito e ainda um pouco de segurança.

    Nunca chegaremos ao desenvolvimento humano que tanto queremos, por mais que consigamos nos desenvolver economicamente. No caso do Brasil, uma coisa não está ligada à outra, mas parecem ser inversas.

  • A fonte de (quase) todos os problemas do Brasil, inclusive a lamentável violência, é a inacreditável apatia e inércia das pessoas, da população. Já dizia um prosador italiano: “quem se encanta com o céu se esquece do chão”, ou seja, é muito fácil, numa situação como a do Alcides, culpar as “autoridades” os “peixes grandes”. Enquanto as pessoas, no seu insuspeito cotidiano, continuarem negligenciando as coisas mais simples da convivência humana como o respeito e a civilidade, atos de barbárie tornar-se-ão cada vez mais frequentes. O pior é pensar que está tudo cada vez pior: o assassinato de uma pessoa como esse garoto é, no mínimo, um gigantesco estímulo à descrença em dias melhores. Mas a fé é o alimento da alma e temos (nós e a inconsolável mãe do rapaz) que continuar vivendo para, pelo menos, sobrevivermos.

  • Reforma do código penal já!!!!!!!!!!!O código de execuções penais brasileiro é uma puta que paga para ter relações com o bandido, é uma mãe e prostituta ao mesmo tempo!!Construir mais cadeias(somos um país de 180 milhões de habitantes, deveria, portanto ter no mínimo 5 milhões de vagas nas penitenciárias, hoje não temos nem metade), penas mais duras, Semi-aberto mais restrito, Progressão de pena mais restrita, e maiores de 12 anos em cana,sim!!!!!!!Essa carnificina tem que parar.Se não parar, que pelo menos dê-se punição aos culpados!Pena de morte é coisa para bravateiro eleitoreiro.Se um político quiser ter uma eleição tranquila, eu votaria nele e muitos também, basta prometer que no Congresso nacional vai empunhar a bandeira de reforma desse código de puta.PORRA!!!!

  • E nem me venham falar em educação, Os EUA com mais de 50% da população com nível superior e mais 80% com o ensino médio, tem hj a maior população carcerária do mundo, aproximadamente 1% da população americana é presidiária!!!!!!E no final da década de 1980 e década 1990 o crime diminuiu muito nas cidades americanas em grande parte devido ao aumento do rigor com os criminosos. Mais bandidos na cadeia significa menos deles nas ruas!!!!!!!!!

    • A quantidade dos números de educação nos EUA não se traduz em qualidade. Já denunciavam Michael Moore e Carl Sagan em seus livros, a educação estadunidense é bem menos qualificada que a europeia.

      • Mas é melhor que a brasileira, vc tem q concondar com isso,crime é uma decisão individual, pessoal e MORAL, todos devemos pagar pelos nossos atos, devemos ser julgados pelos nossos atos não pela nossa idade ou condição social.

        • E michael moore e um desonesto intelectual e delinquente moral.A educação americana é tão ruim que eles só tem Havard, Priceton, Berkeley, Stanford… a League Ivy toda e outras escolas de excelência, fora as academias militares(west point) e as escolas preparatorias como andover e phlips execeter.Lá tem muita fajuca e community college, mas um aluno excelente encontrará lá a melhor educação possível.

  • Bandido na cadeia é bom para os marginais também, basta ver que os assassinatos hj são cometidos por ex-presidiários contra ex-presidiários, traficantes contra traficantes, na maioria gente que já passou pela cadeia e ficou menos de 2 anos, se a lei fosse mais dura eles estavam vivos até hj e com alguma chance de regeneração!!!!!!!!!!!Pierre tu que tens amigos políticos dá uma força aê, vamos reformar essa lei e pedir mais construções de presídios!!É nessa hora que faz falta um partido conservador no Brasil!!!!!!!!É sou liberal na economia e conservador social e não existe partido assim no brasil sou orfão na política aqui. O Brasil é a única democracia no mundo que não existe direita, no máximo um partido pseudo-liberal(psdb) simpatizante de causas esquerdistas.

  • A vida é feita de atitudes e gestos, a dor pungente que essa sofrida mãe sente só o seu coração pode avaliar e há de revelar ao criador, todavia o tempo é inexorável como instrumento de Deus para as pessoas suportarem.
    Mas, como disse a vida é feita de gestos, lembrei-me do soldado general que doou o carro a aacd.

    “Rir muito e com freqüência; ganhar o respeito de pessoas inteligentes e o afeto das crianças; merecer a consideração de críticos honestos e suportar a traição de falsos amigos; apreciar a beleza, encontrar o melhor nos outros; deixar o mundo um pouco melhor, seja por uma saudável criança, um canteiro de jardim ou uma redimida condição social; saber que ao menos uma vida respirou mais fácil porque você viveu. Isso é ter tido sucesso.” Ralph Waldo Emerson

  • Pierre, vamos cuidar para garantir que daqui a 30 anos nossa cidade esteja melhor em todos os aspectos.

    LUTO por Alcides…

  • esse é mais um exemplo de que a exclusão não pode ser vencida somente com força de vontade e talento. Talento pode até valer para jogadores de futebol e cantores de pagode, mas, ainda assim, mesmo quando os miseraveis ronaldos e rivaldos saem das favelas e ganham milhões, o estigma da exclusão os persegue. Àqueles que continuam achando que é pelo simples mérito individual, inclusive num país como o nosso, que se vence na vida têm aqui a prova de que mérito individual só existe sob condições de tranquilidade paz social, de razoáveis oportunidades para todos. Se não, em algum lugar na próxima esquina o resto do mundo pode estar a esperar e destruir aquilo que achávamos que só dependia de nós.

    • “têm aqui a prova de que mérito individual só existe sob condições de tranquilidade paz social, de razoáveis oportunidades para todos.”

      Exato! Achar que pode haver meritocracia sem que as condições para concorrer em pé de igualdade sejam oferecidas pelo Estado é se valer da idéia de mérito para encobrir privilégios. Isso não é meritocracia.

      • Pablo e Amanda, lendo seus comentários eu ainda posso ver alguma esperança para o futuro.

        Exatamente: não pode haver meritocracia se não houver igualdade de oportunidades.

        Eu me emocionei quando o Alcides passou no vestibular (coincidências da vida: eu assisti o Fantástico no dia em que passou essa matéria, coisa que quase nunca fazia), e hoje me emocionei de novo quando vi esse vídeo do Fantástico de Domingo passado.

  • Penso aqui, e peço que tod@s apreciem (e alguém suficientemente conhecedor responda) essa hipótese com carinho:

    Procederá dona Mª Luiza processar o Estado por ele ter falhado em proteger a vida de seu filho, que sem sombra de dúvidas era inocente de qualquer envolvimento com a criminalidade? E, se o processo emperrar na justiça, denunciar o Estado pernambucano e brasileiro à OEA como fizeram com o caso da violência que dona Maria da Penha sofreu?

    • Não, não procederá eventual ação de indenização em face do Estado por omissão na proteção da vida do filho. A menos que algum juiz da Vara da FAzenda Pública queira “jogar para a platéia”

      O Estado não é segurador universal, e nem pode ser.

      • Rodolfo, não entendo muito de direito, mas, se os assassinos não são réus primários e se já tiveram presos, cabe processo contra o juiz que os libertou ?

      • Mas deveria. Se o estado fosse processado a cada morte causada por arma de fogo, que não do combate entre policiais e marginais, e tivesse de indenizar cada vitima, começaria a se mexer com mais rapidez e eficiência!

    • Penso que culpar o Estado é impessoalizar ou mascarar a real reponsabilidade da morte do rapaz de quem lhe pertence de direito, ou seja, os governantes, secretários e demais “autoridades” reponsáveis pela segurança publica. Assim como somos todos culpado, ora por não cobrarmos dos politicos aquilo que foi prometido em campanha, de fiscalizar aqueles que pusemos no gabinete, assim como aqueles que financiam o tráfico de drogas e outras crimes motores da violencia.

      Enfim, deixemos de ser complacentes. Por que a comunidade/imprensa não exigi explicacao das autoridades? Estão todos sempre lamentando e fazendo paliativos. Pacto pela Vida? Alcides não está aqui mais pra concordar com essa falácia.

    • Robson, concordo com você. Onde está Deus nestas horas?

      • Acredito desde algum tempo que Deus não se mete nessas coisas. A entidade a quem chamamos de Deus não se intromete muito no dia-a-dia.

        Sempre me perguntava quando estudava na escola Católica ao padre: “Por que Deus permite que alguns vivam vidas miseráveis e outros não?”, e a resposta era sempre a mesma: “Não cabe a nós tentarmos entender os disígnios dele, mas sim acreditar”. Sempre achei isso uma bobagem sem sentido..

        Hoje tive mais uma confirmação disso. O rapaz morreu literalmente de graça porque nem para rouba-lo foi!

        Quando iremos entender que Deus não se mete no nosso dia a dia? Cabe a cada um ter iniciativa e fazer por onde as coisas acontecerem, assim como o Alcides fez.

        Deus fica para as orações e os Domingos. Segunda a Sábado, façamos por onde.

  • Mostra que o mundo real é bem diferente do ideal, que cultivamos em nossa mente!

  • Hoje de manhã acordei pensando neste texto de Pierre.
    Uns falam que tempos atrás não havia tanta violência, outros dizem que a violência sempre existiu, mas não havia tanta divulgação através dos meios de comunicação, alguns vieram relacionar os fatos a fé de cada um, e por aí foi.

    Não sou historiador, mas desde que o mundo é mundo sempre houveram delitos. Para conter estes delitos, os governantes criaram leis ao longo dos séculos, deixando claro que cometeu crime, é punido. Seja prisão, forca, fogueira, decapitação, prisão, pagamento de fiança, enfim, cada país, cada cultura, em cada época, houve o surgimento de punições aos criminosos.

    Brasil, segunda década, Século XXI. A sociedade clama pela segurança, dever do Estado. Cada vez mais a violencia faz parte da roda de conversa de cada um de nós. Até o Jornal Nacional começa com a parte policial, não sei se a maioria já se deu conta disso.
    Com o passar do tempo, com a impunidade de criminosos, desde os da periferia, até os de terno e gravata, o aparelho policial não consegue dar conta, pela omissão e incompetência governamental, seja estadual ou federal.
    Vieram as empresas de segurança privada.
    Quando eu era criança, nos idos dos anos 80, empresa de segurança cuidava apenas de transporte de valores em carros forte. Hoje, aquelas mesmas empresas de segurança tem produtos até para que mora só em casa, com a vigilancia eletronica. Por que elas são o segmento que mais cresce?
    Não temos policia! A bandidagem tira proveito disso, furtando onde quer que seja, podendo ser no “vuco-vuco” do centro da cidade ou mesmo nos grandes shoppings da cidade, na minha rua (literalmente falando) em Boa Viagem, de dia, de noite, sabendo, pessoal, que a probabilidade de obter êxito na investida são infinitamente maiores do que a de ser abordado pela policia e a de ser julgado e parar atrás das grades são quase nulas.

    Então, caros contemporâneos, gente como eu que está chegando aos 40, a rapaziada que tem seus 20, 30 anos, nossos nobre que tem seus 50, 60 anos de idade, se hoje está assim, onde vivemos assustados, o que nos espera em um futuro bem próximo, daqui uns 10 anos, hein?
    Será que haverá uma privatização da policia?
    Teremos que andar com colete e itens de proteção pelas ruas?
    E as crianças de hoje, que ambiente terão que enfrentar quando forem jovens como o Alcides e adultos como nós daqui alguns anos?

    • É Caio, já vimos isto retratado em filmes em que o cenário futuro é uma cidade sitiada, lembram?

  • Orgulho de ser brasileiro ? Só em época de Copa do Mundo.. e olhe lá !

  • Parabéns pela coerência Pierre!! Mas, o Dr. Ratton não se pronuncia. Será que ele ligou para mãe desse rapaz como fez quando você foi assaltado? Escreveu um texto lindo nesse blog e ao mesmo tempo medíocre. Será que é porque vc é um Blogueiro?

  • Alcides viveu exatamente da forma que a nossa sociedade queria que ele vivesse. Apesar da condição social imposta, ele decidiu acreditar que talvez a sociedade não fosse tão injusta. A vida dele dizia para aquela comunidade que ainda existe uma chance para quem é pobre e negro em PE. O fato é que ele morreu e, pelo menos eu não vi, secretário de segurança pública se pronunciar para dizer que vai aumentar o policiamento no bairro ou algo do gênero. Lembro-me que, em 2006, mataram o jovem Rafael Dubeux pelo mesmo motivo que mataram Alcides, isto é, por nada. Houve debate no Legislativo, o governo se pronunciou e aumentaram o policiamento em Boa Viagem.

    Qual o recado que estamos dando para os outros Alcides de comunidades como a dele? Acho que seria: “você pode estudar e chegar onde você quiser, mas enquanto morar ai não nos interessa”.

    Os assassinos serão presos, não tenho dúvidas. Mas outros assassinos vão estar matando outros Alcides ainda hoje. E ai?

    Infelizmente, acho que já não da para mudar o sentido do fluxo do rio, mas pelo menos vamos nadar na direção contrária.

    • Antônio, cada dia temos menos porque nos orgulharmos da obra de nossos ancestrais na construção desse país..

      Conchavo, miséria, ignorância, mentalidade exploradora, falta de capitalismo verdadeiro, preguiça.. reflexo dos nossos valores como sociedade.

      Estou escrevendo da Austrália, um país com menos da metade da idade do Brasil porém muito, mas muito melhor estruturado. Ah, detalhe: longe demais das capitais.. literalmente do outro lado do globo, incrustado em uma região de cultura completamente diferente. Além da Nova Zelândia, não há países com perfil semelhante nessa área do mundo. Pois bem, não há crimes sem solução nem falta de oportunidades para quem quer.

      Pobre Alcides.. por que não nascestes na Austrália ao invés de no Brasil? Ao menos estaria vivo e podendo correr atrás dos teus sonhos sem uma bala para calar-lhe a boca.

  • O país não, mas as pessoas sim.

  • Não acredito em pena de morte, mas acredito que o sistema carcerário brasileiro, assim como sua justiça penal estão falidos.

    Um bom exemplo de mudança foi a operação tolerância zero que aconteceu em Nova York onde quase 75% dos policiais que corruptos foram expulsos e o crime realmente diminuiu, não precisa ser igual mas é um bom modelo, um outro exemplo é o que aconteceu em Bogotá onde a taxa de criminalidade decresceu 70%.

    Alguém em Recife consegue andar pela cidade sem olhar para todos os lados?

    • Só conseguia quando era criança, ao menos ate ser assaltado pela primeira vez.

      • Eu sou tão “noiado” com isso que mesmo morando fora há quase 2 anos ainda olho para os lados quando ando na rua.

        Até ter coragem de andar nas ruas de noite demorou uns bons 2-3 meses, e ainda assim andava com medo.

  • Na época da ditadura podia ser que se morresse menos por assalto, os assassinatos tinham outras motivações e a divulgação, obviamente, inexistente…
    Não acho que o país estará pior daqui a 10 anos, ao contrário… Toda a violência que estamos vivendo agora foi herdada da miséria que a população – em sua maioria negra – sempre foi submetida. Não existe frase mais certa do que dizer que “o negro mudou da senzala para a favela”…
    A violência só será vencida quando os benefícios de um país que está em desenvolvimento (alimentação, saúde e escola) começarem a atingir as camadas mais sofridas… Chegará, mas, levará tempo!! Somos os chamados “novos ricos”, temos o dinheiro, mas, não temos a educação, o berço!! Acredito sim, que conseguiremos reverter o quadro! Mas, será uma tarefa árdua e de todos nós, não só da administração pública!!
    Bom carnaval para todos!!

  • P.S: Sobre o que passou ao Alcides, pergunto-me quantos Alcides não morrem diariamente sem que tenhamos conhecimento do fato… Sim, pq será que se o Alcides não tivesse sido o primeiro colocado (das escolas públicas) no vestibular, teríamos tomado conhecimento do fato?? E quantos Alcides não são humilhados e assassinados por grupos de extermínio formados por policiais, que os julgam pela cor da pele???
    Que a morte do Alcides não tenha sido em vão e que a sociedade comece a olhar para nossos jovens (negros e pobres) como provaveis Alcides e não como futuros “Marcolas”!
    Refiro-me , principalmente, da forma violenta truculenta e humilhante que policiais abordam a população carente!!
    Já para os marginais, penso que todo o castigo é pouco!

    • Parabéns Erica. Comentário consciente, justo. Grande parte dos que comentaram aqui nunca foi a uma passeata ou nunca participou de movimentos pela ética, pela educação, pela justiça social. É triste a história de Alcides, mas outras iguais acontecem todos os dias. Não é só um problema de governo. Tem origem na injusta Justiça brasileira, que representa fielmente o que de mais podre resta da elite desse País.

  • Pierre, o que seria o “máximo de justiça possível dentro da lei”?

  • Não sei se estou muito de acordo com as opiniões aqui expressdas, inclusive a de Pierre, de que o REcife era menos perigoso há 20, 25 anos atrás. Menos perigoso para quem? Para a classe média, sem dúvida. Para quem morava em favela, a coisa não era bem assim. Lá pelos idos de 87, quando Pierre chegava ao Recife, eu circulava pelos Coelhos, onde nunca foi seguro de ninguém morar. Meu marido foi assaltado no ônibus também nesta época com direito a revólver na cabeça e tudo, em Peixinhos. Também nesta época tive dois relógios roubados, um no Ibura onde eu morava, outro na Rua do Príncipe.

    Ou seja, as áreas pobres da cidade sempre padeceram de falta de segurança e com a presença da violência. A única diferença que reconheço hoje é a existência do crack, que mudou bastante o conceito de violência até mesmo nas comunidades pobres, já que por causa dele é que a violência é mais cometida, não mais por causa da fome e da miséria. Provavelmente Alcides foi assassinado por que os assassinos foram cobrar de outras pessoas dívidas de crack. O dinheiro que o crack gera para o traficante é muito e rápido, não tem emprego que consiga competir com ele. Ou o estado intervém nessa relação com toda a força que deveria ter, ou a batalha estará perdida para todos nós. E muitas mães ainda irão chorar seus filhos assassinados.

    • Exato, Arthemísia! Nasci e fui criado em afogados e vi muito muitos garotos da minha geração perderem a vida, e hoje não é muito diferente. As principais mundanças são o crack e a apliação da área de atuação, que antes estava restrita aos bairros da periferia, agora se alastrou.

  • Perfeição – Legião Urbana

    Vamos celebrar a estupidez humana
    A estupidez de todas as nações
    O meu país e sua corja de assassinos
    Covardes, estupradores e ladrões
    Vamos celebrar a estupidez do povo
    Nossa polícia e televisão
    Vamos celebrar nosso governo
    E nosso Estado, que não é nação
    Celebrar a juventude sem escola
    As crianças mortas
    Celebrar nossa desunião
    Vamos celebrar Eros e Thanatos
    Persephone e Hades
    Vamos celebrar nossa tristeza
    Vamos celebrar nossa vaidade.

    Vamos comemorar como idiotas
    A cada fevereiro e feriado
    Todos os mortos nas estradas
    Os mortos por falta de hospitais
    Vamos celebrar nossa justiça
    A ganância e a difamação
    Vamos celebrar os preconceitos
    O voto dos analfabetos
    Comemorar a água podre
    E todos os impostos
    Queimadas, mentiras e seqüestros
    Nosso castelo de cartas marcadas
    O trabalho escravo
    Nosso pequeno universo
    Toda hipocrisia e toda afetação
    Todo roubo e toda a indiferença
    Vamos celebrar epidemias:
    É a festa da torcida campeã.

    Vamos celebrar a fome
    Não ter a quem ouvir
    Não se ter a quem amar
    Vamos alimentar o que é maldade
    Vamos machucar um coração
    Vamos celebrar nossa bandeira
    Nosso passado de absurdos gloriosos
    Tudo o que é gratuito e feio
    Tudo que é normal
    Vamos cantar juntos o Hino Nacional
    (A lágrima é verdadeira)
    Vamos celebrar nossa saudade
    E comemorar a nossa solidão.

    Vamos festejar a inveja
    A intolerância e a incompreensão
    Vamos festejar a violência
    E esquecer a nossa gente
    Que trabalhou honestamente a vida inteira
    E agora não tem mais direito a nada
    Vamos celebrar a aberração
    De toda a nossa falta de bom senso
    Nosso descaso por educação
    Vamos celebrar o horror
    De tudo isso – com festa, velório e caixão
    Está tudo morto e enterrado agora
    Já que também podemos celebrar
    A estupidez de quem cantou esta canção.

    Venha, meu coração está com pressa
    Quando a esperança está dispersa
    Só a verdade me liberta
    Chega de maldade e ilusão.

    Venha, o amor tem sempre a porta aberta
    E vem chegando a primavera -
    Nosso futuro recomeça:
    Venha, que o que vem é perfeição

    • Essa música da Legião Urbana data de 1993 e a cada ano que passa ela faz mais sentido dentro do nosso “Estado violência” (música dos Titãs de 1986).
      A violência não é nenhuma novidade em Recife e Gino César tinha o mesmo trabalho há 20/30 anos que tem hoje para noticiar crimes diários, mas lembro que na década de 80 eu voltava dos “assustados” e “FA’s” a pé, em plena madrugada na zona norte (sempre discriminada), sem a mesma preocupação e angústia que eu tenho hoje ao voltar das “baladas” na “segurança” do meu carro.

      Um dos problemas que eu vejo é a total falta de respeito pela autoridade.
      Acho que já está mais do que na hora de ser revisto o ordenamento jurídico. As penas são muito frouxas e aliadas a um sistema prisional que é uma piada de mau gosto, continuaremos reféns da violência desenfreada.

  • EM TEMPOS DE PLEITO ELEITORAL SE AVIZINHANDO, É OPORTUNO LEMBRAR QUE PACTO PELA VIDA, É PROTEGER A SOCIEDADE, DANDO SEGURANÇA DE FATO, COM UMA AMPLA REDE SOCIAL, NO ENTANTO NOSSO ” QUERIDO” GOVERNADOR EDUARDO CAMPOS, ACHA QUE SEGURANÇA É COMPRAR VIATURA, E FAZER CONCURSO PARA PM, E É POR ISSO QUE HOJE RECIFE, TÁ CADA DIA MAIS PARECIDA COM UMA ZONA DE GUERRA, O QUE MATOU ALCIDES, E MATA MILHARES DE CIDADÃOS PELO BRASIL A FORA, É A OMISSÃO DO PODER PÚBLICO, E QUEM PAGA O PREÇO É O CIDADÃO PACATO, TRABALHADOR, ESTUDANTE, QUE DE SOL A SOL TENTA CONSTRUIR SUA VIDA, PARA UM MARGINAL DE REPENTE CHEIO DE CRACK NO JUÍZO METER O REVOLVÃO NA NOSSA CARA, ” BORA…BORA…PASSA…” E “TEI!!! TEI !!!!”, MAIS UM CORPO PARA ESTATÍSTICA. REALMENTE ME ASSUSTA A OMISSÃO DO ESTADO, POIS TRABALHO COM DIREITO PENAL, E O ESTADO QUER TRANCAR OS DELINQUENTES NO CÁRCERE E ESQUECER QUE ELES EXISTEM, MAS AH !! QUE SE LEMBRAR, UM DIA ESTE POVO SAI DE LÁ, UNS MORTOS, OUTROS DE VOLTA PARA SOCIEDADE, DEPOIS DE ANOS TRATADOS FEITO BICHO, IMAGINE COMO ELE VAI SE COMPORTAR …. POR ISSO, REFLITA MUITO ANTES DE VOTAR, E ESCOLHAM CANDIDATOS COMPROMISSADOS COM A SEGURANÇA DO POVO DE NOSSO QUERIDO ESTADO, E QUE DEUS NOS AJUDE À TODOS.

    • O problema é que eles saem rápido demais graças a esse código penal de puta!!!!!!!!!!O cara entra na cadeia com 20 e sai com 25!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Isso é uma palhaçada ,crimes violentos como assassinato o cara entra jovem e deveria sair com a cabeça branca(45 anos ou mais). Quero ver ele fumar pedra, correr da polícia, trocar tiro e correr…Mais bandidos na cadei significa menos deles nas ruas.CRIME É UMA DECISÃO MORAL INDIVIDUAL!!!!!!!!!!!!!

    • Andre, esse é conceito de governo de Dudu e cia. Acham que segurança é comprar viatura, educação é fornecer merenda e saúde é construir hospital, mesmo que este precise de liminar para funcionar.
      Agora, o crescimento econômico do estado deve ser comemorado ,afinal, nossos coroneis encherão o bolso!

  • Senhores faço apenas perguntas para reflexão. Será que essa democracia que vivemos está valendo apena? Será que não estamos muito passivos e permissivos há tanta violência e falta de valores? O que será da instituição familia daqui a 10 anos? Não precisamos dá um basta nisso?

    • Claro, tem que aparecer um candidato a deputado federal que canalize essa revolta, ele terá uma votação consagradora (por favor bravateiro a favor da pena de morte, não).Basta falar que na medirá esforços para a construção de novas cadeias, marjorar as penas, enfim tornar o custo do crime maior para os bandidos.Hj o trade-off do crime é favorável ao bandido a chace dele ser pego é pequena e mesmo se for ele sabe que não ficará muito tempo na cadeia, ele só cumprirá se muito 1/6 da pena.PORRA!!ISSO É UMA PALHAÇADA!!!

  • 65 pessoas analisando e constatando o caos na segurança pública de um estado importante… Será que alguém do governo tem coragem de falar sobre a excelência dos seus programas ? será que alguem do governo tem coragem de perguntar a uma das 386 mães sobre o que pensam do estado que elas mantem? Eleições é a melhor época de reflexões para decisões nessa nossa carcomida democracia eleitoreira!

    • Jorge, dessas 386 mães, pelo menos a metade “criou” filhos que ajudaram a matar a outra metade. Pelo menos 70% dessa estatística é composta de drogados, ladrões e assassinos.

  • O episódio é muito triste e revoltante. E, na minha opinião, muito do que foi dito acima é relevante, como por exemplo a sugestão de reforma no Código Penal. Parece-me, entretanto, que não foi mencionada uma questão que julgo importante: o Alcides é um exemplo de como as populações negras estão ausentes de nosso sistema educacional público. Eu particularmente não sou tão favorável ao regime de cotas. Mas é inegável reconhecer que o Alcides era uma brutal exceção à regra. Qual regra? a da juventude que frequenta as universidade federais do Brasil. Alcides era duplamente impelido a não frequentar aquelas escolas – impelido estatisticamente – por ser muito pobre e por ser negro.
    De resto, aquele local, Santa Luzia é o mais acabado microcosmo do caos do Recife. É absurdamente intrigante que a mesma cidade que dispõe de Shopping Centers e Olinda beers seja a mesma que permite a existência de pessoas habitanto o canal que cruza aquela comunidade.

    • Deixa de bobagem, Germano. Por acaso, alguém é melhor ou pior porque é branco ou preto? Desde quando o branco merece entrar ou o preto merece não entrar, ou vice-versa? Deixa de nhem-nhem-nhem que a verdadeira mudança começa na mudança desses dircursos demagógicos que não pega nem na favela mais. Só para lembrar: o alcides era negro.

      • DFTFT. Atenção: O “F” extra não é erro de digitação não.

  • Onde estão os defensores dos “direito umano?” Onde estão os babões de dudu precatório, de mulla e toda a corriola de marginais do passado e do presente, que estão no “pudê?” Onde estão amanda, lyra, martins, raboni e todos os outros que são tão compreensíveis, condescendentes e lenientes com a marginália, com a bandidagem, com a safadeza, a falta de vergonha e a mentira deslavada dos atuais poderosos, outrora “do povo”, com seus números fabricados sobre todas as “realizações”, principalmente na questão de segurança pública.
    pacto pela vida, nada mais é do que um puta marketing eleitoral, assim como pac, minha vida sem casa, fome zero, e tudo o mais que não passa de embromação para iludir os incautos.
    Podem perguntar: e o que isso tem a ver com a morte do rapaz? Tudo a ver, eu digo. Pois a impunidade, que é o real motivo dessa cidade piorar a cada dia que passa, tem que ser para todos. Porquê os governantes são inimputáveis? Porque essa gente os absolve. Têm uma realidade relativa, uma verdade relativa. Na verdade, no caso do rapaz da Torre, estão até mantendo a coerência, pois não apareceram aqui para condenar os assassinos. Nem podiam, pois defendem diariamente sequestradores, terroristas e amigos de terroristas nucleares, ladrões e toda sorte de energúmenos que se alimentam da mentira,da ingenuidade e da necessidade da grande maioria carente de tudo da população brasileira.
    A polícia acabou de divulgar que não houve nenhum engano no extermínio do rapaz. Os bandidos são da própria localidade, portanto não houve engano. FOI INVEJA MESMO. Foi ruindade mesmo, inclusive tem um menor no meio. E eu desconfio que essa gente não se pronunciou, porque, para os critérios das políticas compensatórias que eles defendem tanto, o Alcides já era considerado classe média.
    É isso mesmo, pois para essa “gente”, para ser considerado burguês, basta sobrar uma laminha do seu salário no fim do mês.

    • VOCE ESTA TOTALMENTE CERTO ESTE PAIS E UMA ZONA ONDE UM BANDO DE POLITICOS CANALHAS E CORRUPTOS ENGANAM AO POVAO, COM PROMESSAS VAZIAS E ELEITOREIRAS. SO TEM UM JEITO VOTO NULO NELES. VAMO ANULAR A PROXIMA ELEICAO AI EU QUERO VER POLITICO CANALHA CHORAR DE RAIVA. EU QUERO VER SE A APROVACAO DO LULA E 89% COMO PREGAM NA IMPRENSA. ENQUANTO EXISTIR COMODISMO POLITICO ONDE O ELEITOR ACHA QUE O VOTO E APENAS UMA MOEDA DE TROCA DE FAVORES E O POVO CONTINUAR INDO ATRAS DE CABO ELEITORAIS, VAMOS CONTINUAR NA MERDA, COM VIOLENCIA, SAUDE PUBLICA DESMANTELADA E EDUCACAO PUBLICA NO ESGOTO. ESTE E O PAIS DO CARNAVAL E DO FUTEBOL, QUE SERVE DE ILUSAO E CONSOLO PARA OS POBRES DE ESPIRITO. VAMOS ACORDAR E VOTA NULO – O VOTO NULO E A NOSSA ARMA DE MUDANÇA.

  • Claro, pátria. A partir do momento que você não faz parte dos pobres cultivados pelo bolsa família você já é classificado como burguês safado!

    • Burguês, não.

  • Temos a mania de achar que a solução para todos os problemas é modificar a lei e tornar a punição mais pesada. Ao meu ver o que Pernambuco e o Brasil necessita é aplicar a lei existente e acabar com a impunidade. A certeza de ser pêgo é muito mais atemorizante que a estipulação de uma pena mais pesada.

    • Débora,acho que o melhor seria unir os 2!

  • Peço que o blog não exclua meus comentários. Ao menos alguém tem que dizer alguma verdade aqui. Meu comentário em resposta à Erica disse 09/02/2010 às 12:12 foi retirado.

    Até nessas horas vocês fazem jogo de cena? Estão jogando para a torcida?

    • Melhor dizendo, foi em resposta a Arthemisia.

    • E já que você só você gosta de dizer a verdade, pode começar falando seu nome?

      • “Ela” não diz o nome porque não é muito de “dizer a verdade”….

        • Não a vocês.

  • Enquanto tivermos canalhas dominando a cena política brasileira, não teremos mudanças significativas no campo penal. Infelizmente, Alcides foi apenas mais uma vítima, que só aumentará as estatísticas. Ou alguém acha que político bandido irá produzir leis mais duras? Ou alguém acha que não temos políticos integrantes de facções criminosas? Ou alguém acha que os PCCs, CVs da vida não investem em políticos, advogados, juízes e nos demais que detenham poder? Temos que começar pela limpeza na política. A desordem social começa pela desordem na política. Sociedade que tem os políticos que temos, tem em seu tecido um câncer que precisa ser extirpado urgentemente.

  • Vou deixar de entrar nesse blogue, que deixou de ser um espaço de debate para ser um espaço de visão única.

    • Que coisa boa Renan.
      A partir de quando está valendo sua promessa?

  • Pessoal nada disso vai mudar, a proxima vitima podera ser qualquer um de nós, pois enquanto a sociedade continuar na mesmice de bajular politicos em troca de cargos publicos. tudo vai continuar do mesmo jeito, com mortes violentas e pessoas desajustados cometendo todo tipo de violencia e loucura, e enquanto isso o LULA vai continuar fazendo propaganda da sua popularidade de 90%, e os politicos a colocar dinheiro nas cuecas e meias, alem e claro das conta abertas fora do Brasil. O povo tem que acordar e votar NULO na proxima eleição caso contrário nada vai mudar e o BLOG vai continuar estampando outra vítimas da violência, não adianta so prender tem que mudar a politica penitenciaria, tem que se recuperar o apenado e nao apenas deixar o mesmo no presidio fumando maconha e outras dogras que por la circulam, alem e claro da forte interferencia dos traficantes. O presidio deve ser um local de recuperação de ordem e disciplina, onde o apenado deve obedecer as diretrizes do Governo e ter seus direitos respeitados, mas tambem devera trabalhar todos os dias, seja para garantir sua sobrevivência como da sua familia e reparar o dano causado a sua vitima e a seus familiares. E para que tudo comece a mudar devemos afastar do poder todos esses parasitas que mamam na teta do estado com nosso dinheiro, e para isso devemos votar NULO, pois ate agora só temos candidatos demagogos comprometidos com bancos e empresas do setor financeiro, como e o caso da Dilma. Vamos votar consciente, não estraguem seu voto e a unica arma que temos contra este estado de violencia que vivemos, e contra a impunidade generalizada.

  • VCS AINDA NAO PUBLICARAM OS COMENTARIOS ENVIADOS.

  • XiiiiiiI O BLOG ESTA CONTAMINADO PELA CENSURA

  • Parece-nos que voltamos aos velhos tempos das barbáries. Ao ligarmos nossas tvs nos deparamos com o caos em que nos encontramos. São assassinatos, mortes no trânsito, insegurança na ruas e em nossas próprias casas, hoje, na verdade, estamos a mercê dos ímpios que ceifam vidas por puro prazer. Não podemos deixar que as vidas se esvaiam e não seja feito nada por elas. Precisamos sair às ruas para cobrar de nossos governantes respostas à tanta impunidade. Estamos no limiar de mais um carnaval, festa essa que “aliena” a população que se contenta com pão e vinho e enquanto isso muitas pessoas irão perder suas vidas (espero em Deus não está no meio dessas). Infelizmente o povo brasileiro em sua maioria é passivo e alienado. Para governar um povo com essas características é muito fácil.

  • Este blog está com tudo, é só medir a quantidade e a qualidade dos comentários sobre este assunto e comparar com os outros que colocarama mesma matéria, foi de lapada, até quem diz que não comenta mais continua comentando no blog usando outro “nick”.

  • Perdemos Alcides, o simbolo da esperança para os jovens pobres, temos que tomar cuidado agora para não perdermos o nosso estado para o tráfico de drogas!!!!
    Mudança no código penal urgente, bandido não é cidadão!!!!

  • A Coisa so vai melhorar quando aplicarmos a lei do taliao!

  • A indústria da insegurança fatura cifras astronomicas a cada ano, pergunta-se quem são os detentores deste produto? Pessoas que muitas vezes deveriam zelar pela segurança da população. É notório saber que correr atrás para desvendar um crime dá muito trabalho, as vezes se fraudam laudos para facilitar os interesses de alguém. Alcides tornou-se um produto da “sociedade do espetáculo” pois tudo indicava que por sua condição social e física seria relegado ao fracasso, mas ele se sobressaiu e a mídia explorou o milagre do pobre que venceu, nós continuamos a achar isso normal e esquecemos dos mihares de Alcides que não conseguem nada por um sistema cruel e desigual que exclui as pessoas e as destroe. Claro que o caso será elucidado, pois há interesse dos poderosos para que assim seja, quantos casos iguais acontecem todos os dias, vcs duvidam? assistam aos programas policiais (que na maioria das vezes só trazem desgraças). Os governos que assumem sempre trazem programas de “segurança” com nomes que trazem certo impacto como o “pacto pela vida” que no fim das contas só amenizam os dados estatísticos, mas que não resolvem o problema seja a que prazo for. A versão de tráfico de drogas no local reforça o quanto nosso apareho policial é reativo ao invés de proativo, o carnaval está chegando vamos nos iludir e esquecer através de um factóide a realidade de nosso país, os Arrudas, entre outros agradecem, vamos aprender a votar e a cobrar, senão a realidade não mudará e só lamentaremos as desgraças que estão por vir como mortes, os mensalões e as meias e cuecas recheadas de dindim.

  • Pierre, parabens pelo texto. Espero que a repercussão dele seja a altura da reflexão que o crime merece.

  • Essa TRAGÉDIA foi mais uma, apenas mais uma tragédia de uma vida Humana sendo banal e violentamente exterminada; mas dessa vez não foi uma figura anônima, mas uma foi de uma representação de esforço e esperança na vida.

  • O mais revoltante é a hipocrisia dos nosos governantes. Certamente irão prender os assassinos, irão dar declarações sobre a pronta intervenção do poder público na elucidação do crime, mas depois virão outros e mais outros Alcides e a esperança estará, inúmeras vezes, interrompida. Esse pacto pela vida é uma hipocrisia e um engodo. Estamos diante de uma guerra urbana onde as pessoas de bem estão presas, encarceradas, nas suas próprias residências enquanto os marginais, estejam de paletó ou não, estão fazendo miséria com o povo. E os direitos humanos? onde se encontram nesse momento? Alcides era pobre, era negro, mas não era marginal e talvez por isso não teve a intervenção das ONG´s dos direitos humanos.
    Tive a felicidade de conhecer o Alcides lá na nossa Paróquia da Torre. Qunado ele passou no vestibular, tratou de me avisar e dividir comigo e com todos a sua alegria. Era uma pessoa simples, de boa índole, honesta e que certamente traria uma grande contribuição para todos e especialmente para a sua comunidade. Finalizo dizendo que NUNCA, mas NUNCA mesmo, vi o Alcides com a cara fechada, apesar de toda a sua dificuldade. Ele se apresentava sempre sorrindo para a vida. Que DEUS o receba na sua glória. Amém.

  • Lendo estes comentários de vocês sobre a passagem trágica
    para a vida eterna do jovem inteligênte e dinâmico estudante de Biomedicina da UFPE Alcides; vejo em vocês, que são pessoas de altíssimas personalidades marcante, com grande solidariedade humanas e que dislumbram um grande amor ao próximo, isso é muito lindo ; e deixa-nos ainda trânquilo de ver que ainda existe centenas de semelhantes de nós que realmente são seres humanos; e não pessoas travestidos de seres-humanos como aqueles ensetos das mais perigosas espécies, que se chama bandidos, os quais assassinaram covardemente o jovem estudioso e com um futuro lindo que seria um bem feitor da humanidade, ou seja; um grande cientista a serviço das causas nobres que seria a saúde dos seus semelhantes, através da verdadeira Medicina, as quais os análises nos laboratórios com amor, mostrando as causas das doenças; mais isso é Brasil, onde o crime paresse que compensa, um País onde criminosos de todas as espécies estrangeiros são muito bem recebidos,e até defendidos por um Ministro da Justíça e com o aval do Presidente da nossa Lastimável Repúlblica, como foi e está sendo tratado aquele perigoso assassino e cruel, o Italiano Batisti; isso é uma vergonha e ensentivo a violência desenfreada no nosso País, onde existe uma tenebrosa e famigerada lei com o nome de Exercusões Penais; que só dar festival e ar de impunidade e benefícios a todos os tipos de criminosos inrecomperável; desde estrupador serial killer de todas as espécies, a latrocidas constumazes em matar para roubar; por isso eu nunca mais votei em ninguém, fazem quatro eleições, porque as leis do nosso País é incompatível com a realidade dos dias de hoje e ele os políticos, Senadores e Deputados Federais no nosso congresso se gritar pega ladrão, não fica quasem niguém lá, porque só fasem leis em causa própria, e nós homens e mulheres de bem sem a mínima seguerança .

  • pet insurance
    Compare pet insurance company features to find one that is right for your requirements. With Quick-Tag, customized and engraved pet ID tags can be created at affordable rates in a very short time. There are plenty of reasons, actually, for this kind of behavior.

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

dezembro 2019
S T Q Q S S D
« mai    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).