Descriminalização das drogas: contra ou a favor?

fev 19, 2009 by     166 Comentários    Postado em: Atualidades
maconha

Legalização ganha força no mundo

Faz alguns dias que estou querendo escrever sobre drogas e descriminalização. Mas aí veio a entrevista do senador Jarbas Vasconcelos e cortou meu barato (hahahahaha… Piada infame). Mas o fato é que o assunto voltou à tona a partir de uma reunião Comissão Latino-Americana sobre Drogas e Democracia. A organização não-governamental tem à frente os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (Brasil), César Gaviria (Colômbia) e Ernesto Zedillo (México), além de reunir especialistas no assunto e intelectuais.

A proposta da ONG “presença” (outra piada infame), a ser apresentada na reunião da ONU, março, em Viena, será a de descriminalizar o uso da maconha. Por que a maconha? Diz a comissão que a maconha é droga considerada ilícita mais consumida no mundo, correspondendo a 90% do mercado mundial. Diz também que estudos comprovariam que os efeitos da maconha no organismo se equivalem aos do álcool, aceito por praticamente todo o mundo. E se o álcool está liberado (menos para quem dirige), porque a maconha não estaria?

Andei pesquisando o assunto e vi que existe certa tendência no mundo de aliviar para os usuários e endurecer com os traficantes. O Brasil fez isso em 2006 e muitos outros países estão fazendo. A lógica é que combater o consumo é enxugar gelo.

Só que existe uma contradição aí. O consumo pessoal não é mais crime, tudo bem. Mas onde o cara vai comprar para consumir? Na “boca de fumo”, a traficantes.

A classe média bolou uma operação mais higiênica e sempre tem uns boyzinhos dispostos a comprar na boca, repassando para a galera mediante pequena comissão. De toda forma, trata-se de operação perigosa, fazendo que mesmo o pequeno consumidor habitue-se a comprar grandes quantidades para estocar e não ter que ficar correndo riscos todos os dias. Mas se for pego com a cota mensal, pode muito bem ser enquadrado em tráfico.

"Quantas crianças precisam morrer para que um playboy possa fumar um baseado?", capitão Nascimento, Tropa de Elite

"Quantas crianças a gente tem que perder para o tráfico só para um playboy rolar um baseado?", capitão Nascimento, Tropa de Elite

A Espanha tentou resolver o problema autorizando cada pessoa a ter até dois pés de maconha em casa para consumo próprio. Na Califórnia, liberou-se o a venda para uso medicinal em farmácias autorizadas, com a hipocrisia de ter que apresentar receita médica, comprada facilmente por alguns dólares em qualquer esquina.

A experiência mundial tem mostrado que a liberação do uso não aumenta nem reduz o consumo. A faixa de usuários é semelhante (sempre perto dos 10% da população) em países que reprimem fortemente (no Vietnam o cara pode ser condenado à morte se pego com heroína) ou que são mais complacentes (como a Holanda e sua experiência dos cafés e parques de Amsterdã).

A grande vantagem da descriminalização é justamente esvaziar o negócio do tráfico internacional, responsável também pelas armas e outros crimes. Estima-se que o tráfico movimente quase R$ 30 milhões por mês só na favela da Rocinha, a maior da América Latina. Um levantamento da ONU constatou que no mundo o tráfico movimenta aproximadamente US$ 400 bilhões por ano e tem cerca de 200 milhões de consumidores.

É um grande negócio.

Regulado pelo Estado e comercializado por empresas sujeitas à fiscalização oficial, evita-se danos secundários das drogas: Aids e DSTs (no casos dos injetáveis) e doenças variadas devido a misturas que os traficantes fazem para tornar o produto mais rentável (como no caso da cocaína, misturado até com cal) ou ficar mais potente ( como a maconha “prensada” produzida no Paraguai, que aprendeu o truque da indústria do tabaco e adicionou amônia para aumentar a absorção neuroquímica).

A venda legal também arrecada impostos, que podem ser revertidos para o tratamento daqueles que deixam a condição de usuários e se transformam em viciados.

Acho que o texto deixou bem claro qual é minha opinião sobre o assunto. E qual é a sua? Vote na enquete abaixo e deixe seu comentário.

Você é contra ou a favor da descriminalização do uso de drogas?

  • Não tenho opinião (3%, 21 Votos)
  • Sou a favor, de qualquer droga (20%, 135 Votos)
  • Sou a favor, mas só da maconha (30%, 203 Votos)
  • Sou contra (47%, 320 Votos)

Total de Votos: 679

Loading ... Loading …

166 Comentários + Add Comentário

  • Meu avô vendia cocaína, que era produzida pela Merck Sharp & Dohme, meu avô nunca foi traficante, era farmacêutico, e trabalhava (depois virou sócio) numa Farmácia na Pracinha do Diário.
    Sem dúvida que há riscos à saúde o uso de Drogas, a hipocrisia é que umas são lícitas (tabaco, álcool, aspirina, coca cola…) outras são semi lícitas (solventes, cola, barbitúricos, morfina…) outras são proibidas (maconha, cocaína, LSD, heroína…)
    A utilização de drogas é tão, ou mais, antiga quanto a civilização humana, simplesmente proibir tem demonstrado que não funciona, e ainda tem o efeito colateral do tráfico.
    Gostei do tema, Zureia, valeu.

    • é Antiga, porem um veneno letal ! e velho, ninguem entra na casa do outro matando ou estuprando pra roubar um dvd pra ir na padaria e trocar por uma latinha de cerveja ! libera e no futuro se perde o controle !!

      • vamos deixar de pré – conceito eu não assalto ninguem pra fuma uma back ninguem vai assalta
        uma padaria pra roubar uma latinha de cerveja pra toma mais talvez fumar crack !!!!

        • E você ta aí, não sabendo nem escrever direito! Em vez de gastar seu dinheiro com maconha e outras drogas, vai estudar, meu filho!

  • Descrimianlizar coisa nenhuma, nada de escolher o caminho mais fácil. Tem é que acabar com a impunidade, que parece já estar institucionalizada, tem que melhorar os salários, combater a corrupção, outra instituição do país, instruir, educar, tratar com eficácia os dependentes, dar emprego.E se depois de tudo isso feito não obtivermos bons resultados, baixar o pau em quem consome e principalmente nos traficantes, jogar todos em um barco ,e em alto mar afundar o navio.

    • Puta estupidez cara…

    • Instruir e educar explicitam também acabar com a intolerância. acredito que você deveria ler o que escreveu e pensar antes de manifestar opiniões preconceituosas. Lembre-se que as estatísticas apontam que de dez a doze por cento da população são consumidores de algum tipo de droga, o que no Brasil representam de 18 a 20 milhões de pessoas que têm famílias, trabalham, estudam e votam. Sugestão: coloque seu preconceito nesse seu navio e se for muito apegado afunde com ele.

    • Ok, Francisco. Já que droga não presta, vamos pegar quem compra cerveja ou uísque e baixar o pau neles, já que são consumidores de droga (e põe droga nisso).
      Vc parece tão puro que aposto que jamais ingeriu álcool.

      • Não devemos nos nivelar pelo pior, ou seja, só porque o álcool é uma droga liberada, devemos liberar as demais! É um absurdo pensarmos assim! Para alguns que vivem distantes dos problemas causados na sociedade, principalmente as classes mais baixas, pelo uso de drogas não levantaria a bandeira da liberação. Está provado que 90% dos crimes violentos estão relacionados ao uso de drogas. Se vc já foi assaltado, existe uma grande chance de ser um usuário de drogas praticando tal conduta para manter o vício, ou para pagar alguma dívida de drogas, pois não é como vc que tem condições de comprar sem perturbar o sossego alheio, pelo menos o que esteja perto de vc, mas por outro lado, toda sociedade está pagando por isso.

    • É gente assim que faz do mundo o que ele é. Uma parte faz, a outra legitima. A tacanhez é tal que o pobre animalzinho ainda espera o “céu como recompensa”. Talvez tenha perdido parentes para o tráfico, mas não consegue dicernir que é contra o tráfico que a ideia da descriminalização trabalha. Gente como essa deu causa ou protagonizou os piores eventos da humanidade, como a inquisição e os estados totalitários. Defino-o em duas palavras: burro e religioso.

    • puta ignorância

      • mandei errado, eu queria responder o comentário do Francisco Barreto.

    • Putz Velho. Tu és bem ignorante em ? Corta os dedos pra não digitar merda.

    • tu é um mané nao sabe de porra nem uma..
      é por causa de gente como vc que o brasil nao vai pra frente….
      e se ser viado fosse crime tu ja ia ta morto..

      • ..essa pessoa além de preconceituosa, não sabe escrever! ¬¬’

        “porra NENHUMA” .. escreva assim fofura!

    • Há muito tempo atrás os EUA tentaram fazer esse tipo de repressão ao consumo de drogas. Sabe qual foi o único resultado? Prenderam quase a metade da população e, consequentemente, gastaram cerca de 9 BILHÕES de dólares no combate. O consumo não aumentou, no entanto NÃO diminuiu. E, obviamente, concluiram que ao invés de ficar predendo todo mundo, uma vez que não haviam resultados positivos, pegar os 9 bilhões de dólares e gastar no tratamente de saúde dos usuários, tendo em vista que este é um doente, não um crimonoso, era a melhor saída. Assim, não queimavam dinheiro e cumpriam o papel do Estado: manter a SAÚDE e bem-estar da população!

    • O melhor para a Polícia corrupta é manter essas poucas drogas proibidas. A descriminalização das drogas fará com que eles tenham muito menos oportunidade de extorquir as pessoas,
      Por isso, Titãs está certo quando diz: “Polícia para quem precisa; polícia para quem precisa de polícia”.

      Ahahahah,e é a própria polícia que precisa de polícia, sabia? Já pensou nisso?

  • Ops…a raiva me induziu ao erro. Quis dizer “Descriminalizar”.

    • SOU CONTRA AS DROGAS POIS ELA FAZ MUITO MAL PARA A SOCIEDADE NÂO USE DROGAS POIS ELA PODE ACABAR COM VOÇÊ.

  • A sociedade brasileira, e pernambucana, ainda é pouco apta ao debate com seriedade. Espero que eu esteja enganado. Mas, ao que parece, nossa sociedade está bêbada de hipocrisias e falsos moralismos.

    Avalia-se o problema na base da opinião. Muitas vezes, tomados pelo ódio, provenientes de uma visão limitada do problema. Enquanto isso, o mercado das opiniões cresce na bolsa…

    Qualquer pessoa com o mínimo de visão de sociedade (não confundam com “consciência”, por favor!), sabe que o problema mais grave de nossas metrópoles, e já em pequenas cidades dos interiores, não é a maconha, e sim o crack.

    E, para além desse fato, trata-se de uma questão de saúde pública, e não de polícia.

    Mas, sempre fomos habituados a ver os problemas sociais como casos de polícia. Foi assim com as greves de trabalhadores no início do século XX, e, por incrível que pareça, em tempos idos, até em casos de assombração se procurava a polícia para resolver o “problema”.

    O ridículo de hoje pode ser o ridículo de amanhã.

  • André,

    Eu diria que Brasil é um país muito conservador, muito resistente a mudanças de paradigmas. Fomos os últimos a abolir a escravidão, já estamos ficando para trás na questão do união entre homossexuais e ainda engatinhamos no quesito drogas…

  • Se a questão fosse só da impunidade, nos países do primeiro mundo não haveria tráfico nem consumo…

    Em tempo, cuidado, maconha pode levar você ao pódio olímpico

  • eu ia comentar uma coisa aqui, mas esqueci… Cacilds!

  • Guerra ao tráfico: Não só nas bocas de fumo, também nas festinhas regadas a drogas. A Maconha é a droga que abre as portas ao mundo das drogas ilícitas.
    Qualquer polícia sabe onde vende drogas, quem está no comando da boca, e principalmente os consumidores.
    Existe algum Maconhômetro, para detectar a quantidade de maconha se pode fumar antes de dirigir?
    A Holanda vive um problema sério após a liberação do consumo dessas drogas.
    Não é puritanismo não, mas não se deve relativizar tudo. Drogas destroem não só o drogado, mas toda a família vai junto.
    Imaginem o possível aumento de jovens comprando drogas na esquina de casa……..Já basta as drogas lícitas.
    Acho sim que a criminaliização das drogas é um fato inibidor do consumo, pois para entrar no mundo das drogas é muito mais uma questão de oportunidade para a população mais jovem.

  • O prejuízo social que a bebida alcólica pode causar é muito maior do que o do uso da maconha, naturalmente, em se tratando de droga ilícita, existe um julgamento muito negativo em torno do usuário. O Brasil é muito conservador neste aspecto mesmo, logo, é necessário ampliar este debate. Sou a favor da descriminalização.

  • Alguém sabe por que existe o tráfico? Por causa do usuário! E por que existe o usuário? Pela falta de disciplina e educação vindas do lar. Hoje, larga-se um ser no mundo, sem se preocupar com o que ele faz e deixa de fazer. Os pais são os maiores responsáveis pelos filhos. A sociedade acha que o Estado é responsável pelo controle da vida das pessoas. Certo que tem sua parcela. Cada um tem o dever moral e social de cuidar de sua família. Aí, vem outros problemas, como desemprego, violência etc. É uma questão mais grave. Tentam ir pelo caminho mais curto da liberação das drogas. Já não há drogas demais liberadas (Vejam os tipos de políticos de temos!)? Nem por isso deixa-se de cometer crimes. Agora, se houver uma política séria de punição e tratamento ao usuário, talvez num futuro incerto não seja preciso liberar as drogas, pois elas não terão nenhum atrativo aos jovens.

  • Apesar de seu texto fazer algum “sentido”, da maneira que foi colocado, venho questiona-lo.
    Nós não podemos, por ser mais fácil escolher um caminho, ou diria um descaminho.
    Seguindo esse raciocínio, em linha reta logo estaremos preferindo roubar a trabalhar para ter determinados bens.
    Exitem formas para acabar com o tráfico, mas acredito que isso não seja interessante a nenhum Governo do mundo conforme vemos e assistimos, botam culpa na extensão territorial dos Países e bla,bla,bla…
    Acontece é que o mundo precisa dessas drogas, ex: como um jovem soldado enfrentaria uma guerra em seu juízo perfeito.
    Este é apenas um de muitos exemplos que podemos elencar.
    Ou seja, existe mais coisas entre o Céu e a Terra que nossa van filosofia.
    Não acabaram com seu uso porque não quiseram, não lhe convinham.
    Não sou somente contra o uso, como também do modelo que usam para combater.

    Abraços

    • Meu amigo, não sejamos hipócritas. Sendo o álcool uma droga, lhe pergunto: você não o usa ou nunca usou?

  • A pior das drogas já está liberada:
    O álcool.
    Se ele pode, porque as outras não?Qual a diferença?Como pode um pai dizer ao filho pra não fumar maconha se ele toma um litro de whisky e dirige?O que fomenta o crime é justamente a proibição.
    É proibido proibir foi gritado na Europa há mais de quarenta anos!
    Em pleno 2009 somos o atraso em relação ao tema da descriminalização.
    FHC mesmo, passou o mandato todo sem tocar no assunto.Por quê só apareceu agora?

    Esse debate é bom, mas nossa tribo de índios ainda não está preparada para ele.Quem sabe daqui pro ano 2099 não encontraremos bares a servir cafe e maconha, tal qual a Holanda?

    O indivíduo tem a liberdade de fazer o que quiser do seu corpo.Ao Estado cabe apenas fiscalizar se o seu direito não interfere no do vizinho.Se o cara quiser tomar querosene,ninguém tem nada a ver com isso.

    • nossa muito bom…..
      todos que li sem duvida esse foi
      o melhor!

  • “Alguém sabe por que existe o tráfico? Por causa do usuário! E por que existe o usuário? Pela falta de disciplina e educação vindas do lar.”
    Quer maior prova de nossa ignorância e conservadorismo?

    1 – Tráfico existe porque a droga (maconhe é droga mesmo?) é proibida. Isso é fato. Se fosse liberada, não seria tráfico, seria comércio legal.
    2 – Existe usuário por que vivemos em uma sociedade imbecilizante, em uma realidade de absurdos políticos e morais. Repressão não ajuda em nada. Só piora.
    3 – Consumo de substâncias entorpecentes é mais antigo que a civilização.
    4 – Como disseram acima, ainda não estamos preparados para discussões sérias.
    5 – tem que começar de alguma forma.
    6 – Nem que seja pelo combate contra a intolerância.
    Parabéns pela enquete!

    • Parabens pelo omentario!

  • Dizer que a culpa é dos pais é muito fácil.
    Claro que existem pais ausentes que levam a desgraça dos filhos, mas tem filho que segue sua desgraça só e não tem pai no mundo que resolva.

    Não vamos generalizar e sim ser realista. A legalidade poderia até dar certo, no entanto, existe outra questão bem mais delicada. Será que o Brasil tem estrutura social e política pra administrar isso?

    Sou a favor da legalização apesar de não acreditar que país esteja preparado…

    Como disse Bahé, o Brasil é conservador e atrasado em relação a mudanças, ou forçamos a mudança, ou teremos que mais uma vez ser forçados a mudar como sempre ocorreu na nossa história.
    Seria melhor nos forçarmos à mudança.

  • Marco Bahé, sem querer dar uma de Nostradamus, sabe o que vai acontecer? Vão liberar a venda e consumo, tributar a maconha, ela terá que ter um selo com marca d’água impresso pela Receita Federal, com direito a um holograma, fazendo com que surja a maconha com nota fiscal e sem nota fiscal.

  • Proibir drogas é como namoro proibido, parece que instiga o uso, dá mais emoção entre outras consequências como o tráfico etc.
    Onde não há comprador, não ha vendedor, assim a alternativa era não proibir nada e investir maciço em educação. A longo prazo teríamos resultados.

    • Concordoo!!!
      Sábia opinião Manoel.

    • Sua opinião é generalista, e por isso mesmo, simplista! Ora, por conta dos recorrentes casos de corrupção ou mesmo as pequenas infrações éticas, assistimos ou tomamos conhecimento a cada dia, somos muitas vezes levados a pensar que não há pessoas cumpridoras da lei em nosso país, e mesmo no mundo, mas na verdade, essas pessoas ainda existem! E para pessoas, assim, o fato de uso de uma substância ser ilegal torna seu consumo uma interdição moral ou ética! No caso de uma liberação, evidentemente, que flexibilizaria a postura cautelosa dessas pessoas em relaçao ao consumo de entorpecentes, o que abriria, consequentemente, a possibilidade do aumento de usuários, e dentro dessa categoria o de dependentes químicos.

  • Pessoal, vou cutucar a onça.

    Drogas são negócio de gente grande. Faço uma analogia com a indústria da guerra: para quem não sabe guerra virou “big business” desde o século XVIII. O que aconteceu de tão misterioso nessa época, entre outras coisas? O estabelecimento dos bancos centrais nas monarquias européias. Para quem acha que banco central é algo nacional, prepare-se para cair da cadeira. Nomes significam pouco e hoje são usados para desviar a atenção das pessoas, como Banco do Brasil. Os bancos centrais são privados. Ponto final. Estados são meros acionistas.

    O que eu quero explicar é que os bancos centrais foram criados, entre outras coisas, para financiar guerras. Como os bancos centrais são privados, é do interesse dos banqueiros centrais que o estado participe de guerras por serem tão custosas. Nesse processo os estados, através de enormes empréstimos com os banqueiros centrais, roubam a população para financiar suas guerras. E quem pagará os juros resultantes do empréstimo aos banqueiros centrais? A população via impostos. E sabe o que é ainda mais lucrativo para os banqueiros? Financiar ambos os lados de uma guerra. Se a guerra é entre Alemanha e França, ambas podem pedir empréstimo a bancos suíços, certo? Não é coincidência o fato desses magnatas terem altos investimentos em empresas bélicas e de infra-estrutura. Nesse momento você deve estar se perguntando “será que pode ficar pior?” A resposta é sim. Eles também financiam a reconstrução dos países, aumentado ainda mais as respectivas dívidas internas (que serão pagas pelas populações via impostos). Não acredita em mim? Peço que pesquise por si mesmo. O sistema bancário central é monopólio legalizado da impressão de papel-moeda. É legal, porém ilícito. Há uma enorme diferença entre os dois.

    Naquela época foi que surgiu a terceirização de tropas. Como que num jogo de tabuleiro, os monarcas, as sociedades secretas e os banqueiros decidiam quem guerrearia contra quem. Após toda a matança ritualística, eles, os verdadeiros ganhadores, colhiam os lucros e dividendos.

    “Military men are ‘dumb, stupid animals to be used’ as pawns for foreign policy.”

    “Os militares são animais burros e estúpidos que devem ser usados como que peças no jogo da política internacional.”

    Henry Kissinger, ganhador do Nobel da paz

    Você acha que é diferente no caso das drogas? Drogas também são “big business”.

    Continuará.

    • Muito inteligente sua opinião

  • Pois é, prezado Manoel Alves.
    Como diria Cristóvam Buarque: “A solução é a revolução pela educação”.
    Eis aí o caminho, por mais longo que seja, é o único que nos pode garantir uma sociedade melhor!

  • A mailing do blog é so de doidão … vejam oi resultado parcial da enquente:

    Sou a favor, de qualquer droga (28,0%, 23 Votos)
    Sou a favor, mas só da maconha (41,0%, 34 Votos)

    da-lhe!

    • Sou Contra

  • Há duas questões distintas que temos que considerar. A primeira a liberação do uso da droga e a segunda a violência relacionada ao tráfico. Acho que não se pode usar como argumento para a liberalização a questão da violência. A simples discriminalização fará apenas que os traficantes mudem de ramo de atividade, ou alguém acha que eles trocarão seus fuzis por instalações industriais de fabricação de maconha? o efeito inclusive pode ser inverso com aumento de atividades como sequestro e assaltos a banco, além disso todos os fatores sociais, que no fim são o que gera a violência, continuarão todos lá. Se houver a liberalização esta deve acontecer por critérios relacionados aos efeitos da droga no indivíduo e a questões de saúde pública.

  • Tenho uma confissão a fazer: quem me iniciou no mundo das drogas foi a minha própria mãe! Pasmem, ela me dava melhoral infantil quando eu tinha gripe. Depois, foram outras as drogas, dentre estas sua infame tentativa de me convencer a torcer pela coisa, algo que nunca capitulei. Assim foi que tenho uma longa relação com as drogas. HOje, por exemplo, tornei a cair em tentação e comi uma coxinha nas Americanas. Não sei quando o efeito virá, mais já sei que será terrível. Orem por mim!

    • KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK PALHAÇO ;] Isso eh obesidade e nao drogas

  • Sou a favor para ADULTOS.
    Adolescentes vivem a melhor e pior fase de suas vidas , são seres com alta carga hormonal e por isso mesmo tem tendência a fazer coisas impensadas e uma sensação que podem tudo .

    Sou a favor de forma ordeira, sem essa bagunça e apologia que faz por exemplo esse MARCELO D2 que abocanhou R$ 120 MIL do GOVERNO DO ESTADO para fazer um show em Olinda essa semana de pouco mais de 1 hora e meia , que no final teve coro “CONTINUO QUEIMANDO TUDO ATÉ A ÚLTIMA PONTA” . Enquanto isso o maior bloco do mundo , ganhou a mixaria de 350 MIl . Pode isso ??? Que inversão de prioridades . O governo pagou pela apologia com dinheiro do contribuinte e ao mesmo tempo combate as drogas .

    Esse tipo de coisa não adiciona NADA ao debate . Da mesma forma é triste ver a POLÍCIA prendendo pessoas por estarem consumindo maconha e perdendo tempo com isso, enquanto milhares de ASSASSINOS e elementos de alta periculosidade estão á solta transformando PERNAMBUCO em campeão de HOMICÍDIOS.

  • dêem todas as drogas que eles precizarem!

    e mais…

    adoraria viver numa sociedade onde os jovens morressem “jovens”, de overdoses múltiplas, e muita produção artística, reflexiva… muito melhor que esses caretas drogados por vetos e ilusões alimentadas pelos pais, que não chegam a lugar algum, a não ser no preestabelecimento pequeno burguês de “família” e “sociedade”.

    o problema não está nas drogas, e sim, no que leva ao seu uso. E se não houver problema, então, deixem ele usar.

    Acho que a pior droga da contemporaneidade é o computador a internet, e games diversos, que fazem as crianças e jovens esquecerem que pode haver vida fora de suas casas… estão criando máquinas incensíveis, e anti-sociais…

    e enquanto o filho está no pc, o armarinho da mamãe ta cheio de tarja preta…

    não sou hipócrita, o que me torna um mal para muitos que isso lerem.

    estou me lixando.

    Me drogo quando, quanto, e como quiser, e legalizado ou não, pouco me importa.

    VIVA O DICLOFENACO DILETILAMÔNIO + CETOPROFENO!

    sede teu corpo com o torpor e o relaxamento mais sublime que a físico-quimica pode proporcionar… DD.

    E o melhor, eles entregam em casa, e aceitam cartão de crédito.

    Se legalizarem vai ter maconha na esquina de casa? E eu que sempre achei que sempre teve…

    os piores drogados, não usam drogas, e discursão assim, como foi demonstrado em alguns comentários acima.

    No Brasil não sei se é… legalizado… acho que não institucionalmente, mas culturalmente, estamos dandos passos largos nesse sentido. Na minha casa é.

  • Precisamos mudar a estratégia de combate às drogas. Apenas proibir não tem dado certo em lugar nenhum.
    Um bom caminho é o que tem sido feito com o cigarro. Quer fumar? Ótimo, pode fazê-lo. Mas não pode fumar em ambientes fechados, shopping, bares, restaurantes, no trabalho, no avião, no taxi, nos ônibus, em consultórios… não pode fazer propaganda nem apologia ao fumo, não pode dirigir fumando, etc…
    Medidas inteligentes assim dão a impressão que fumar está fora de moda e ajudam a inibir o consumo. Uma coisa ótima foi a proibição do fumo nos bares e boates do Recife. Estive recentemente numa boate nos Aflitos e fiquei impressionado ao não sentir o desagradável cheiro de fumaça.
    Acho que o caminho é esse: legalizar o comércio (e com isso acabar com tráfico), mas dificultar/inibir o consumo (existem muitas formas de fazer isso).
    É claro que isso não é o ideal. Bom seria um mundo sem drogas, sem viciados, mas… Tratando-se de mundo real, temos que encarar o problema de frente, com inteligência e perspicácia.

    • concordo plenamente!

  • Lembrem-se, amigos, que os EUA decidiram proibir a venda de bebidas alcoólicas no início do século passado, e o resultado foi desastroso: como ninguém deixou de beber, passaram a recorrer a mafiosos para comprar suas cervejinhas. Al Capone surgiu daí.

    • O sistema quer descriminalizar a droga apenas por interesse econômico e nada mais da mesma forma que o alcool e o cigarro….

  • Vai passar na tv:
    MACONHA!! desce redondoooo!!

  • A criminalização é a política de quem vende e de quem cobra propina de quem vende e de quem lava dinheiro de quem vende e recebe as propinas.

    A criminalização não aumenta, nem diminui a propensão a consumir entorpecentes. Não resulta em diminuições do consumo de entorpecentes.

    A criminalização aumenta os preços dos entorpecentes proibidos e agrega ao seu consumo uma cadeia de atos violentos.

    A criminalização é uma das maiores jogadas para pequenos grupos ganharem muito dinheiro e se divertirem com a absorção do discurso proibicionista pelos espectadores.

    Gera recursos, então, também para a imprensa. É estratégia certa reciclar, de três em três meses, uma matéria qualquer sobre os entorpecentes.

    O consumo de alguma substância entorpecente é, no limite, um problema de saúde pública. Proibir aumenta os problemas. Proibir casinos resulta em jogo ilegal. Proibir bebida resulta em várias coisas, até no aumento do preço dos perfumes.

    Se for descriminalizado o consumo de substâncias entorpecentes, o discurso de guerra urbana perde o sentido. A renda de muitos agentes públicos cai. A lavagem de dinheiro diminui e os bancos perdem clientes.

    A criminalidade cai. Mas aí, as pessoas perdem um culpado para os crimes e têm que procurar ver o que realmente acontece. Os grupos mentalmente fascistas perdem discurso e têm que procurar assunto.

    Sugiro que se busquem os pensadores liberais propriamente ditos. Ninguém vai se preocupar com uma bobagem dessas. Tente-se proibir a lei da gravidade.

  • É engraçado. Proibir não diminui consumo.

    Proibir por que? Para gerar discurso e renda?

  • A droga, não usada para fins terapêuticos, em si é uma desgraça. Acaba com a vida de muita gente. Assim como a bebida.
    Agora, há outras nuanças que não se pode perder de vista.
    Quem garante que o consumo vai diminuir ou, a quem interessa a legalização? Será só lado econômico que importa ou, a questão da saúde pública?
    Por exemplo: quanto o Estado gasta para combater o tráfico?
    É necessário, no mínimo um grande debate sobre o tema.
    E os traficantes das outras drogas, como ficariam?

  • Votei contra nesta enquete.. mas vou dizer por que:

    Não acho que o problema esteja na droga em si, pois , segundo nossa constituição, o individuo tem direito à liberdade… de ir e vir…

    O problema está nos bastidores… quem está por trás do comercio…O CRIME ORGANIZADO…

    Em países da Europa como a holanda, por exemplo, legalizaram a droga da seguinte forma: Cada usuário terá que plantar sua própria droga…

    Como no Brasil o droga está intimamente ligada ao crime… e é que o financia….

    SOU CONTRA !!

  • Sou contra a qualquer tipo de droga que venha prejudicar e destruir a saúde humana.
    Geralmente quem faz uso de drogas, o final sempre é decepção e tristeza em famílias, suicídos, cadeia, internamentos e mortes por overdoses, etc.

  • A criminalização é o discurso que convém ao tráfico.

    Eventuais problemas de saúde nada têm com a circunstância de ser, ou não crime.

    Combate a tráfico é assunto de vendedor de arma e lobista de projeto de lei de aumento de salário da polícia. É como guerra de guerrilha, inútil e invencível.

    Por que raios o consumo de substância a ou b é crime. Tomar veneno de rato é crime?

  • O TRÁFICO É CONTRA AS LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS!!!!

    E VOCÊ????????????????????

  • Votei contra nesta enquete.. mas vou dizer por que:

    Não acho que o problema esteja na droga em si, pois , segundo nossa constituição, o individuo tem direito à liberdade… de ir e vir…

    O problema está nos bastidores… quem está por trás do comercio…O CRIME ORGANIZADO…

    ____________________________________

    nossa mãe, que raciocínio bem embasado, reflexivo… diria Intuitivo… “Sou contra a descriminalização porque a criminalização gera o crime organizado”

    É UM GÊNIO!!!!!!!

  • O uso de drogas (todos os tipos) tem que ser combatido e o tráfico muito mais.

    Penso que as últimas alterações na legislação já foram de bom tamanho.

    O uso de drogas ainda é crime, pois na lei 11.343 (lei anti-drogas) está tipificado dentro do capitulo dos crimes. É um crime com uma pena muito branda, na verdade menos que pena, é mais um conselho para que se pare de usar droga.

    A droga é um mal das civilizações. O uso de drogas, em regra, é fruto de alguma desestruturação na vida da pessoa.

    Conheço pessoas que usam drogas, não quero que elas sejam presas, mas também queria que elas parassem.

    Deixar o uso de drogas de ser crime é dar um sinal positivo ao uso. Como o uso de alcool na direção devia ser crime por caracterizar a intenção do individuo em “pagar para ver” os riscos de causar acidente ao controlar um bolo de ferro dentro da cidade, causando situação de perigo. O uso de droga aumenta ainda mais esse “pagar para ver” ao gerar situação de perigo nessa e noutras circunstancias.

    Grande parte dos criminosos em começo de carreira usam algum tipo de droga para cometer os seus crimes. O Estado dar sinal positivo para o uso de drogas é em parte uma grande inresponsabilidade.

    Bom… Esse é um tema para ser muito discutido. Minha opinião não deve valer muito, pois não sou nenhum ex-presidente da republica, nem jornalista, muito menos alguem famoso.

  • è sabido que a proibição do uso da maconha só tem gerado violência, uma vez que o usuário tem que ir na boca para comprar, além de só aumentar a hipocrisia daqueles que são contra, mas não argumentam suas idéias, de fato, a descriminalização além de diminuir os riscos para o usuário, poderia até gerar emprego e renda, no caso das plantações no sertão Pernambucano e consequentemente gerar impostos.

  • Só queria lembrar a alguns ignorantes o seguinte:
    A votação não é para averiguar o percentual de uso de drogas entre os leitores do blog. Para tanto, expressões como “A mailing do blog é só de doidão. Vejam o resultado parcial” não fazem o menor sentido. Como muito bem exposto, o percentual de usuários é, em média, 10% das populações dos países. Se a maioria aqui é favor da descriminalização das drogas, isso quer dizer que boa parte dos indivíduos não-usuários (que são leitores do blog) são suficientemente conscientes e desprendidos de conservadorismo hipócrita ao ponto de refletir e votar pela opção em que talvez o tráfico se tornasse pouco influente.

  • Muito bonitinho esse texto, tipo: Galãs da globo drogados são chiques! Ex jogador de futebol dependente tem clínica chique para se tratar! Eu acho que as drogas hoje fazem o que as religiões cristãs só conseguem fazer em parte, ou seja , alienar os jovens e eleger políticos do meio. Então….

  • Discurso de descriminalização ou não é propaganda para tráfico. Todos ganham, traficante, mídia, consumidores, conservadores… enfim, é interessante para muita gente.

  • SOU RADICALMENTE CONTRA AS DROGAS.

  • Sou radicalmente contra.

    Andrei,
    tomar veneno de rato é coisa de doido ou a pessoa desejou suicídio. nada haver com crime.
    Quem é sabio, entenda !

  • Não sou apenas favorável. Após anos de pesquisa, estou concluindo um livro sobre a CANNABIS e, naturalmente, não poderia deixar de falar sobre outras drogas.

    Ah, se a maconha fosse o “bicho-papão” conforme à visão reinante na mídia, Amsterdã era uma tragédia…

    No entanto, tudo está no seu lugar: crianças nas escolas; caixas eletrônicos nas ruas; coffeeshops (um misto de bar, casa de chá e restaurante) cheios de apreciadores da erva; as ruas com seus mais de 150 canais de águas limpas, e com uma multidão de turistas apreciando seus museus, suas tulipas e suas prostitutas nas vitrines.

    Ah, você não ver um empurrão. E não tem balas perdidas!

    • Seremos mais uma vez cúmplices de bizarrices

  • Hipocrimente, muitos argumentos podem ser apresentdos. No entanto, entendo que: não é questão de de impunidade; de educação: de protenção à juventude; e tudo o mais.

    Vamos por parte, no Brasil e em muitos países da Amerérica Latina, se sabe que os traficantes de drogas finaciam campnhas eleitorais; têm partidos quase políticos(chamados de organição criminosa _ será que se parecem com partido totalmente poltico`, esses a única droga que traficam é influência, que termina por desviar o dinheiro do contribuinte,…), primeiro comanda da capital

  • Cont.Agora, permitir a liberdade de consumo e não permitir a liberdade de venda, é afronta ao princípio da isonomia (direitos iguais).
    Obser-se que, não existem direitos iguais em nenhum lugar do planete terra; por ferir o princípio da natureza, pois, ela é antagônica: dia, noite, calor quente, calor frio(só o vocábulo calor é igual)etc. continua…

  • Todos somos usuários de droga,não existe diferença entre lícita e ilícita, a grande diferença é que quem usa droga tem dinheiro para comprar(classe média por diante); pos outros procuram renda, de qualquer forma para usar o produto; quanto ao resto, vai trabalhar(trabalho indígno), por força do capitalismo selvagem, que quer lucrar sosinho. Se legalizar, o imposto será cobrado, e a sociedade será beneficiada, nessa relação EstadoXcapitalismo.
    Quero adiantar que, não fumo, não bebbo,não inalo nem injeto.Só uso droga na marra, quando o médico prescreve; e se não houver jeito de usar fitoterápico.

  • A verdade é que sou contra qualquer tipo de droga ou política que desmoralize e prejudique o ser humano de uma forma geral. Sabemos que o motivo da existência do estado democrático de direito é garantir a supremacia do interesse público. Espero, então, que admitamos que estamos num momento da história da humanidade onde todos falam em liberdade e muito pouco em moralidade e bem estar. Acho que tudo que agride a imagem do ser humano, de uma forma geral, deveria ser banido da prática nossa. Ceder ao que é mais fácil vem sendo um erro dos brasileiros a muito tempo. Espero que não cometamos mais esse.

  • O grande problema no Brasil, quando se trata de discutir assuntos relevantes para a sociedade é dar ouvidos ou se pautar por opiniões e diretrizes vindas de pessoas mal informadas, preconceituosas e geralmente com interesses “outros” por trás da “máscara” – como é o caso do cidadão FB que deixou um comentário que em nada contribui – Isso tem ocorrido, aqui, e também nas instâncias superiores de decisão (câmaras de vereadores, senado, assembléias legislativas…) Falta de competência e seriedade política, corrupção policial, e ignorância sobre o tema, me parecem os maiores problemas ao tratar a questão da maconha. Tenho 51 anos, fumo desde os 16 e não tenho nada do que me envergonhar nem me arrepender, maconha nunca me atrapalhou em nada na vida e não sou um caso isolado, conheço inumeras pessoas que também tem a mesma relação, tranquila e sem problemas. Por outro lado tem um sem numero de “falsos moralistas” de plantão que não fumam, não bebem … mas estão cheios de hipocrisia e sentimentos menores… isso sim, é bem mais nocivo à sociedade que a lombra da maconha (que abre as portas de percepção, deixa a pessoa tranquila e viajando na natureza…) – …rsrsrsrsrsrsrsr… Outra coisa… (para os ignorantes do assunto) maconha tem uma relação espiritual que transcende essa conversa “burocrática” sobre o assunto. Não considero-a como droga. Droga é crack, cocaína, alcool, o tabaco industrializado, etc… ah… “mas ela contém elementos químicos que a caracterizam como droga… ” (diriam outros) … o ser humano também… Enfim…

  • Bahé, você tem os percentuais de participação dos tipos de drogas em relação a esses números informados? Qual o perncentual de participação da maconha desses 400bi por exemplo?

  • Walter,

    O que li é que 90% do volume comercializado é de maconha. Cocaína vem em segundo, com uns 5%. Mais 3% dos químicos (LSD, anfetaminas, etc). O resto ficaria com heroína, ópio e outros.

    Não encontrei nenhuma referência ao crack.

    Abraços.

  • Faça-se a pergunta:se você desejaria ver seu filho puxando uma erva?Sem falar nas consequências patológicas quer físicas quer sociais.Sem mais delongas.

  • OW, claro q sim fumar maconha é muito bom claro,agora nao a favor a criminalidade ahhh ai sim.
    Pessoas falam da maconha , + o que ela faz de mais ficar tranquilo, ai é peso ninguem q fuma maconha ou usa a THC num fica fazendo merdas naum!
    Agora pq não falar da bebiba, pq? pq não falar dos outros tipos de delitos.
    Ai ficão perdendo tempo com quem fuma deverião se meter com coisas que prescisão seriamente de ajuda como os tipos de violencia e não com porra de quem fuma ..
    Bom essa é a minha opinião e espero que tentem ver pelo meu anglo que eh melhor…
    Um abraço para todos e que todos fiquem com Deus + todos usuarios qualquer tipo de pessoa pq preconceito é crime…

  • sim e se a maconha é uma planta como o tabaco pq não fuma-la num forão criadas por Deus…

  • O ser humano possui uma dificuldade imensa em aprender com a sua própria história.
    Passa o tempo e continuamos com a ideia de que o certo de hoje será o certo de amanha. Que o que é crime hoje será crime para sempre.
    Ao discutirmos um assunto tão delicado como este, devemos ter em mente que uma sociedade muda costantemente, e muda SEMPRE! Isso é fato. É inevitável.
    E é isso que estamos vendo acontecer. O cidadão questionando a realidade me que se encontra. Só assim uma sociedade evolui, através do debate e da “cabeça aberta”.
    Sou otimista em relação as mudanças que estão ocorrendo. Acredito que, muito lentamente, estamos derrubando os padrões sociais que impedem o ser humano de enxergar o mundo como ele é.
    Paz e sucesso a todos, Valeu !

  • É meus amigos se droga é taõ bom assim ofereça um pouco para o seu filho,quem sabe ele vai gostar, vai virar um finaciador do tráfico.Não tem problema mesmo já que “ta tudo liberado”.
    Mas quando ele desaparecer no meio da noite procurando uma paranguinha pra dar um “pega”,tambem não tem problema não é, ele so foi trocar na “biqueira”, o relógio que ganhou dos pais no seu aniversário de 13 anos.

    • Acertadamente

  • Legalize já!!!! Hipocrisia!! Atraso!!! Maconha é uma erva, a natureza criou há milênios e os falsos moralistas a tornaram ilegais há pouquissímo tempo na histórica. O mesmo tempo de dominação cultural yankee.

  • Nunca ouvi falar em nenheum traficante de bebida ou de cigaroo depois que os liberaram.
    Liberaria não só as drogas, como também o jogo do bicho. A CEF poderia assumí-lo.
    Com isso acabaria o poder dos traficantes e dos contraventores para comprar armas, aliciar jovens, corromper policiais, políticos e membros do judicário. O dinheiro arrecadado e o que se deixaria de gastar, INEFICAZMENTE, na repressão poderia ser usado para tratamento dos viciados.

  • bem!
    fato e que mesmo legalizando vai continuar a ter traficante veja um exemplo simples existem lojas que vendem cds ou dvs originais mais as pessoas so compram piratas.
    se legalizarem eo governo administrar o lucro das drogas seja maconha como cocaina etc. vai ocorrer que os traficantes vao querer vender droga piratiada ou seja para nao pagar tributos e entao os traficantes vao continuar atuando .
    muito me admira pessoas que se dizem tao intelectuais preferir remediar ao invez de curar a origem do problema.
    e lamentável!
    e ser muito hipócrita!
    e claro que o dependente precisa de ajuda tratamento agora usuário que e bem diferente de dependente precisa e de cana!
    popular mente ( cadeia! )
    por sustentar toda a estrutura do trafico.
    e fazer isso sem se importar com a sociedade esse tipo de individuo usuário precisa de corretivo pois ele e que mais consome e sustenta o trafico de armas e de drogas e sao muitos em todas as esferas da sociedade.
    resumindo e lamentavel termos ministros deputados defendendendo, e sendo usuarios e fazendo apologia e nao sendo penalizados .
    isso seria quebra de decoro.
    essa e minha opinião doa a quem doer!
    por que e por causa de usuarios que nao tem o vicio mais gosta de fazer festinha regadas a muita droga e nao tem responsabilidade social nenhuma para com seus semelhantes tornaram a sociedade nesse cos que esta hoje e lamentavel.

  • Se apenas a maconha for descriminalizada,tudo bem!é a droga que menos prejudica o organismo quando comparada a outras drogas,blá!,blá!,blá!,blá.Entretanto, a curto prazo outros debates virão,porque não descriminalizar o crack??acho que isso não terá fim ,o ideal é investir na educação e na segurança pública e tentar pegar os “peixões” do tráfico.

  • bom se no Brasil eles legalizarem as drogar no geral
    ira se tornar um grande caos aumentara o índice de violência por que nem todos vão ter o acesso as drogas como é agora e o governo não tem condições de sustentar uma população viciada, mais se por exemplo for um pais de grande potência como os Estados Unidos que tem muitas condições sustentar um pais inteiro usuários de drogas não vejo o por que a preocupação.
    O Brasil não pode ser legalizado não temos condições de levar essa conversa adiante!!!!!!

    • O Brasil não tem condições de ficar investindo milhões no combate ao tráfico enquanto nosso povo passa fome. Muito mais inteligente o PAIS DA FOME ter o controle dá situação do que ficar ”enxugando gelo”. Não estou falando que o Brasil deve sustentar uma nação viciada, mas sim autorizar uma certa quantidade por pessoa.

      • Não concordo

  • diga nao as drogas e sim a sua vida naofume parapoder viver melhor

  • Na minha singela opinião, o Estado não foi criado para opinar em uma escolha pessoal. O uso de substâncias psicoativas é milenar, e o MAU USO destas substâncias não deveria ser criminalizado, e sim tratado como problema de saúde. A violência gerada pelas drogas é fruto da proibição. Maior problema são as drogas legais! Estas o nosso querido Estado Brasileiro preocupado com a saúde da população não demoniza, ao contrário, estimula e faz propanda. E não falo de tabaco e álcool, mas de antidepressivos destrutivos, que tornam a população dependente e frustrada.
    Que consigamos abrir a cabeça, e questionar essas verdades superificias que nos são impostas!
    Vamos questionar, pesquisar e principalmente, experimentar!
    A vida é muito mais do que atitudes certas e erradas, portanto, vamos experimentá-la sem preconceitos e ideias fixas sem sentido.
    Abraços fraternais !!!

    • Concordo com vc…pois cada indivíduo sabe o que é melhor pra si, fica a critério do cidadão,afinal, DEUS nos deu o Livre-arbítrio.Sábia opinião, sua singela opinião como citaste.kkkk…

  • UMA DAS SOLUÇÕES PARA SE COMBATER AO USO DE DROGAS É CONCIENTIZAR AS PESSOAS DO MALEFÍCIO ENTRE OUTRAS CONSEQUÊNCIAS A PRINCÍPIO LEGALIZAR NÃO SERÁ A MELHOR OPÇÃO POIS O ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS MOSTRAM QUE LEGALIZAR NÃO É A SOLUÇÃO, VAMOS INVESTIR NO SER HUMANO, PORQUE SE NÃO VAMOS CHEGAR AO PONTO DE QUE UM JUIZ PRA DECIDIR UMA CAUSA DE ALGUÉM ANTES VAI TER QUE IR NA SALINHA DELE, PUXAR UMAS CARREIRINHAS ANTES PRA DAR O VEREDITO… SE É QUE ISSO JÁ NÃO TEM ACONTECIDO…

    • Verdade

  • Descriminalizar é uma coisa necessária. Como já vimos diversas pesquisas que comprovam que o usa da maconha não trás sérios riscos a saúde e seus colaterais são equivalentes ou inferiores ao tabaco ou álcool, não temos motivos para não descriminalizar ou até mesmo não legalizar. A mais de 10000 anos de uso não houve uma morte por causa da maconha, mas ai entra a parte da nossa sociedade escrota e ignorante que não enxerga que o dinheiro investido no combate ao tráfico seria muito bem utilizado se fosse para fins educacionais. Com um cidadão menos ignorante e mais informado através do dinheiro que deixou de ser do combate ao tráfico e dos impostos que o governo cobraria da venda de drogas leves, seria muita mais fácil o país se desenvolver, porque como todos nós já sabemos, educação é algo extremamente necessário para o crescimento do país. Mas ai vai de cada um o modo de ser e de pensar, por que é fácil ser preconceituoso e ter uma mente fechada. Até agora todos os que não eram a favor de descriminalizar não deram um ”bom” argumento para que eu repense minha opinião.

  • Agredir e prender usuários de drogas é no mínimo, tempo perdido para a polícia. Trabalhei com usuários de diversos tipos de drogas e suas histórias de vida é que realmente me impressionaram; desgraça familiar, falta de educação e desasistência total do estado. A maioria chora a falta disso tudo. Encontrei até pessoas conhecidas nesse meio, o que me entristeceu ainda mais. Na minha opinião, o problema deve ser resolvido no âmbito social e de saúde pública, pois atirar usuários nos presídio (como defendem alguns raivosos) não resolve absolutamente nada, pois digo, muitos deles tem melhor coração do que muitos que dizem não usar nada. E ninguém, absolutamente ninguém (seja um familiar ou amigo ou a si) está livre de, num momento de fraqueza, ao experimentar qualquer tipo de entorpecente (maconha q seja) seja pego, na maioria das vezes agredido fisico e moralmente, preso, e atirado junto à verdadeiros criminosos. Isto é justiça? Isso elimina o problema? Já tivemos muitos anos nessa política e vamos querer continuar com ela?

    • E vc ainda pensa em liberar…que tristeza

  • Sou um dos brasileiros que viveu a época de ouro do tabagismo, quando fumar era inclusivo, em contra partida não fumar era totalmente excludente; quem de nós jovens de 17 18 anos, lá pelos idos de 1996, poderia dizer não ao tabagismo? Sem arcar com o onus de estar fora do grupo social. Hoje o que verificamos é uma inversão neste valor, inversão está acontecida a partir de uma propaganda patrocinada pelos govêrnos mundo a fora anti-tabagista, o comum hoje é encontrarmos grande número de adolescentes não fumantes. Convém ainda que registremos o dito popular “tudo o que é proibido é mais gostoso”. Creio que com a liberação muitos problemas seriam evitados, os impostos relativvos à produção e comercialização, poderiam e deveriam ser investidos na conscientização dos danos causados pelo uso de drogas, e uma porta certamente seria fechada para o submundo do crime. Portanto sou favorável a liberação com responsabilização de produtores e distribuidores.

    • Meus pêsames

  • é sempre muito fácil ser do contra e ficar ao lado da maioria que defende a não legalização. Apoiar-se em superficialidades sem a verdadeira reflexão do assunto.
    Proibir, como todos sabem, não dá certo. A humanidade tem uma certa fascinação pelo “inacessível”.
    Tudo evolui, todos evoluem. O que era errado há alguns anos atrás, já não é mais.
    Precisamos sair desse casulo ao qual nos encontramos. Precisamos aceitar, mudar, tentar o que nos permite a melhora.
    O quanto já tentaram evitar o tráfico, a violência? Essas medidas não me pareceram suficientes. A legalização é mais uma chance, mais uma oportunidade.
    O dinheiro ao qual o governo gasta com o combate ao tráfico pode ser usado na educação desse país, que sem dúvidas, é nossa base.
    Cansemos de conservadorismo, preconceito.

  • sou totalmente contra a desciminalização e despenalização do uso de drogas. A lei é muito clara alivia a pena em prestação de serviços cumintarios (creches, hospitais, etc), a nova lei no seu art. 28 descrimaliza, a lei 9.099 no art. 33, despenaliza, o que é um grande erro pois usuário é o que tem maior contribuição para a criminalidade, o toxicomaniaco é capaz de tudo (matar, roubar, furtar) até da própria familia para conseguir a droga. O usuário contribui para que o tráfico aumente, sendo quem leva vantagens nestas negociações, é somente o traficante que cada vez mais se torna mais rico, e as familias ver seus filhos, ou parentes proximos serem mortos devido ao envolvimento com o narcotráfico ou por ser um usuário que não pagou o que consumiu. espero que este comentário possa servir de alerta para muitos que pensam em consumir drogras ou entrar para o narcotráfico.

    • Esse mundo não bom pra ninguém

  • Eu fico de certa forma muito triste quando se ignora o fato de, como ficaria o estado da Saúde Publica em nosso país miseravel com a liberação do uso de todo e qualquer tipo de intorpecente. Não estamos falando de Holanda ou qualquer outro país no mundo que ainda hoje chamamos de desenvolvidos, mas sim, falamos de um Brasil que tem milhões nos corredores de hospitais, um Brasil que não tem nenhuma política de conscientização pública que desenvolva o conceito de vida saudável nas escolas, de um Brasil que tem mais de 35 milhões de pessoas abaixo da linha da pobreza. Acho que tias coisas deveriam nos fazer repensar alguns conceitos.Eu?Digo não a legalização da doença social!

  • Só tenho uma coisa a dizer :”LEGALIZE JÁ!”. Chega de tanta estupidez e ignorância ! Quem planta em casa para o seu consumo é CONTRA O TRÁFICO.

    • Estupidez e ignorancia é legalizar

  • Sou a favor da legalização das drogas, pois cada indivíduo sabe o que é melhor pra si, fica a critério do cidadão,afinal, DEUS nos deu o Livre-arbítrio.
    E as drogas tbm tem seu lado positivo,maconha por ex:usada no tratamento do cancer,para aliviar dores,e da fome…
    e temos o caso do cigarro e alcool, q tbm são drogas,q matam, e pq tbm ñ proibi-las???
    Com a legalização, diminuiria o tráfico, a violência!!!

  • Uma coisa é certa A xuxa deu pro Pelé….

    • nossa manu da um tempo neh !

  • sou totalmento contra a´qualquer tipo di drodas, pois tantos pais mortos por tantos filho usuario da mesma. familhas desperedas; eu por exenplo tenho caso deste dentro di minha pro propria familha e´controlado e´mais não deicha de ser um caso, somos obrigados aver o que não queremos para ninguém.. Sou mãe… com lutas venho a´ útrapassar barreiras graça a´Ddeus…

  • sou totalmento contra a´qualquer tipo di drodas, pois tantos pais mortos por tantos filho usuario da mesma. familhas desperedas; eu por exenplo tenho caso deste dentro di minha pro propria familha e´controlado e´mais não deicha de ser um caso, somos obrigados aver o que não queremos para ninguém.. Sou mãe… com lutas venho a´ útrapassar barreiras graça a´Deus…

  • Com a despenalização do usuário, os traficantes de drogas devem ter ficado felizes. Agora não dá cadeia consumir o produto deles. Parabéns ao PT por facilitar a vida das FARC e dos traficantes brasileiros, azeitando a máquina criminosa no Brasil.

    O fato inquestionável é que usuário de drogas sustenta os traficantes. Se ninguém comprar, o negócio decreta falência. Se houver repressão ao usuário também, vai ser mais difícil alguém querer comprar drogas. Mas se houver só advertência, cursinho e prestação de serviços comunitários, não vai adiantar muito.

    Além disso, todo mundo sabe que os traficantes estão escondendo a droga e ficando com pequena quantidade no bolso. Assim, “se a casa cair” eles dizem que são usuários e não traficantes, e assim enrolam o Estado.

    Outro problema é que muitas pessoas acham que consumir maconha não faz mal algum e dizem não vão usar cocaína e crack, mas justamente por isso os traficantes, espertos e imorais que são, estão colocando pequenas doses de “paco”, uma droga terrível, pior ainda que o crack (pesquise no google e veja o drama do paco na Argentina), na maconha, o que faz a droga mais forte e viciante.

    Nós vemos as “pesquisas de opinião” (eu nunca fui perguntado e nem conheõ que foi) aprovarem o governo atual, como se tudo estivesse uma maravilha. Mas não está. Estamos vivendo uma realidade repleta de problemas sociais, econômicos e morais. Não fossem só os problemas da desigualdade social gritante, da deficiência na educação e na saúde, na falta de perspectiva de vida digna para os jovens, adultos e idoso, ainda vivemos numa sociedade extremamente violenta, que mata e mutila vidas, com índices de assassinatos superiores a muitas guerras declaradas.

    Eu não aprovo o governo que está aí e não vou fingir que não estou vendo o que está acontecendo. Precisamos mudar. Precisamos escolher bem nossos candidatos nas próximas eleições. Pesquisar o que fizeram e o que são cada um deles. E também devemos nos organizar como sociedade, exigirmos mais, cobrarmos mais, fazermos a nossa parte. Só assim o Brasil vai ser um país em desenvolvimento de verdade, medindo-se isso pela qualidade de vida dos cidadãos e não pelos fatores meramente econômicos.

    • Parabéns

  • Trabalho na área da saúde e vejo constantemente a desgraça que as drogas trazem para a vida das pessoas. Todos eles começam pela maconha e depois sempre querem experimentar algo mais forte. Cada organismo responde de uma forma, não são todas as pessoas que conseguem fumar um baseado durante anos de suas vidas e dizer que está tudo sob controle. A maioria sempre parte para drogas . E daí podemos constatar as grandes desgraças nas famílias, crimes e sustento do tráfico.
    Acorda gente, o Brasil não tem estrutura para controlar seus problemas sociais da saúde, educação e segurança. Vocês acham que legalizando a maconha, tudo vai melhorar? Já imaginou seu filho adolescente comprando maconha na esquina de sua casa e fumando na sua frente só porque a maconha é legal e deixa a pessoa tranquila? Será que não existe outro meio de ficar tranquilo? Como cobrar de seu filho para não usar maconha, sendo que a mesma vai ser liberada e não é crime. O adolescente é muito vulnerável, acho que teríamos muitos problemas com a liberação da maconha. E confesso, o Brasil não está preparado para enfrentar esse tipo de problema. Vai ser um caos.
    Feliz da família que é estruturada e que cria seus filhos com bons exemplos e com uma base religiosa. Talvez esses viveram na turbulência e sairão ilesos.
    Cada dia que passa tenho mais medo dessa modernidade que pensa que tudo é possível, que é careta não fumar maconha.
    Nunca fumei e sei que nunca vou fumar, graças á Deus consigo me relaxar tirando férias, vou para o clube, á praia, danço, brinco com meus filhos, vou ao cinema, durmo muuiito, bebo um drink de vez em quando sem exageros, contemplo a natureza e faço amor gostoso e assim me livro do estress. E é assim que vou vivendo e ensinando para meus filhos a viver…

    • Muito Bem

  • Não sou a FAVOR quem usa, nao ligo porque o mundo ta do jeito que ainda as pessoas vão ligar pra quem usa DROGA !
    Tem pessoas que usam drogas para se destrair para ficar mais soltos, tudo bem tem uns que ja esagera , você não precisar usar uma coisa se você quiser ninguem e obrigatorio fazer nada o que os outros manda . E VIVENDO E APREDENDO o mundo que mim fez reconhecer essa frase do dia a dia .

  • Drogas.
    Legais ou ilegais: quem quer usar, usa; quem quer se viciar, se vicia.
    E ha – imensa maioria – os que estao pouco se lixando para drogas porque nao precisam delas.
    Li muita bobagem por aqui ate agora: prender, bater, jogar no mar, rezar e ficar chocado se um filho fuma cigarro de maconha na presenca dos pais.
    Note-se que, no Brasil, os pais mandam criancinha de oito, dez anos no bar ou na padaria para comprar alcool e cigarro e eles conseguem a mercadoria. No Brasil, qualquer adolescente fica bebado em qualquer bar (pobre ou rico) a partir de 14/15 anos.
    Sinceramente, nao existe um unico dado no mundo inteiro que prove que a descriminalizacao da maconha ou de qualquer droga tenha aumentado o consumo, o que prova o que eu disse no comeco sobre o uso do livre arbitrio.
    Por outro lado, olhando para o que acontece no Brasil, especialmente na metropole da droga que e o Rio, se virar legal, o crime organizado perde sua principal fonte de renda, algo como tirar o petroleo da Petrobras ou o aco da Embraer.
    Sou totalmente a favor da descriminalizacao da maconha e de todas as outras. Ou aos hipocritas, se todas as drogas sao perniciosas, porque voces nao comecam uma campanha pela “criminalizacao” do alcool, do cigarro, do McDonald’s e do axe, que sao drogas tao perigosas como quaisquer outras.

    • As pessoas, em sua maioria partidários da liberação das drogas, no afã de tentar fazer que a sua opinião prevaleça, muitas vezes tratam esse assunto de forma irônica e debochada, o que prejudica qualquer discussão séria! Ora, no seu desabafo, em defesa a descriminalização das drogas ilícitas, vc cita o exemplo da contradição do Brasil adotar uma política de repressão para uma série de drogas, mas de ao mesmo tempo ser culturalmente, inclusive no campo legal, indulgente em relação ao álcool, o que, na sua opinião, tem provocado a dependência precoce ao álcool. Ora se você não percebeu, eu percebi, que vc também cai na armadilha da contradição! Afinal, o aumento do consumo de álcoool por parte da nossa juventude não seria justamente decorrente do fato do álcool ser uma droga legalizada e por isso mesmo acessível? Quem pode nos garantir que com a maconha ou outros de drogas, hoje ilíctas, liberadas, a médio e longo prazos, não ocorreria a mesma coisa? Já disse em outros momentos: não se pode fazer experimentações inconsequentes num assunto tão sério!

      P.S.: Não acredito também que haja pessoas que queiram deliberadamente se viciarem. Todo viciado, foi um dia apenas um curioso!

      • Vc está certa

  • A favor sim! As pessoas tem que pensar o seguinte: as pesquisas mostram que o tráfico de drogas gera cerca de R$200 milhões por mês só na favela da Rócinha, imagina quanto seria a arrecadação de impostos sobre elas. Essa dinheiro poderia ser usado para o desenvolvimento do nosso País em vez de ficar com os bandidos…. Mas ao invés disso o governo resolveu investir “pesadamente” em armamento e treinamento de novos soldados….¬¬’
    Concordo que a situação pedia uma atitude mais severa por parte do governo…Mas dizer que as tropas terao que “morar” nos morros, apenas adia um problema problema maior, é como colocar poeira em baixo do tapete!

    • Esses r$200 milhões irá apenas trocar de local…Apenas….pense nisso

  • Ao pensarmos sobre esta polêmica discussão, temos que considerar em primeiro lugar os efeitos do que está sendo proposto. Descriminalizar as drogas, em tese, nos trará consequencias benéficas, enquanto medida de conbate ao tráfico de drogas e à violência de modo geral, podendo, no entanto, surgir efeitos colaterais que precisam, também, serem considerados.
    Trata-se de um problema conjuntural, a medida não se encerra em liberar o uso de qualquer entorpecente, ou de mais um específicamente. Terá grandes repercussões sociais que precisão ser cuidadosamente avaliadas. Tomando como exemplo paises europeus, podemos perceber que a idéia é viável e eficaz. Em Portugual a descriminalização de alguns tipos de drogas, como a maconha, não almentou o índice de consumo e reduziu significativamente a criminalidade nos locais onde o consumo é mais comum, nos dando a esperança de que um dia encontraremos a solução para o tráfico em nosso país.
    Não obstante os resultados obtidos em Portugual, não podemos afirmar que a legalização da maconha e outros entorpocentes no Brasil trará os mesmos resultados. Temos, historicamente, uma formação educacional de péssima qualidade e baixo nível cultural, se comparados ao nosso antecedente, fator que, na opinião dos pessimístas, poderia transformar nosso país no subúrbio do consumo legalizado.
    O que sei é que estima-se que apenas na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro – RJ, o tráfico movimente 200 milhões de reais por mês. Sendo o comércio legalizado o Estado arrecadaria, apenas nesta hipótese, em torno de 60 a 80 milhões de reais por mês em impostos, que poderiam ser convertidos em clínicas de tratamento para dependentes e campanhas de concientização ao não consumo de drogas, a meu ver, mais eficazes e menos prejudiciais a sociedade que instalar a “guerra contra o tráfico”.
    De fato a questão ainda não está decidida, e não sou eu quem tem a resposta, mas posso afirmar que resolveriamos o problema a longo prazo se investíssemos em educação neste país, que está jogado as traças pela inércia e desinteresse de nosso legislativo, que não se preocupa em discutir questões tão relevantes para a sociedade, como esta.

    • Argumentos recheados de “boas” intenções, mas ainda, assim, rísiveis! Ora a bem pouco tempo as movimentações financeiras dos brasileiros eram taxadas com a CPMF, imposto criado para financiar os gastos com saúde pública no país. Bilhões de reais foram arrecadados durante a vigência desse imposto, quanto desse dinheiro foi devidamente aplicado, como mandava a lei, em nossos hospitais???? Se a taxação não funcionou com a CPMF, por que haveria de funcionar com a drogas??? Não haveria aí um excesso abusivo de otimismo ou credulidade???? Uma outra coisa pouco ponderada pelos defensores da liberalização é que quem garante que a legalização irá de fato acabar de vez com o tráfico de drogas??? Ora, também é ilegal a cópia de cds e de filmes, e nem por isso se deixa de piratear esses produtos… Não podemos ser ingênuos num assunto de tal magnitude!

      • Eles querem que nós acreditamos na piada de taxação e no fim do trafico…só um tolo cairá nesse truque

  • Sou a favor da maconha sim.
    E continua queimando tudo até a ultima ponta..

  • Meu acho que o problema é que muitas pessoas não sabem o significado de DESCRIMINALIZAR ou DISCRIMINALIZAÇÃO das Drogas. Discriminalizar não é liberar ou legalizar as drogas, mas tentar ajudar a combater o trafico. Uma pessoa que é Viciado ou Usuário [que são duas coisas diferentes] se for preso não tem chance alguma de se tratar, na cadeia vai consumir cada vez mais drogas, mesmo porque acredito que a cadeia é onde contem o maior numero de TRAFICANTES. O viciado tem que se tratar, quanto menos haver Usuários ou Viciados em drogas menor será o numero de traficantes, nem todos traficantes são Usuário, e isso não significa que o traficante ou viciado que cometeu algum CRIME não seja punido

  • Vamos lá : só existe o tráfico porque existe ooooo…. quem pode me responder?? CONSUMO. Parece-me que as pessoas que apoiam a descriminalização ou mesmo a legalização das drogas são aquelas que necessitam suavizar a ideia, devido ao próprio “rabo” preso ou porque não conhece de perto os problemas socias que, diga-se de passagem, são praticamente todos influenciados pelas drogas! Pensem nisso.

  • De acordo com o Grupo de Combate ao Contrabando de Cigarros e com a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), são consumidos por ano quase 150 bilhões de unidades de cigarros no País. Desse volume, cerca de 50 bilhões são oriundos de contrabando. O governo deixa de arrecadar R$ 1,4 bilhão em tributos aos cofres públicos.

    Com a maconha aconteceria a mesma coisa. Os traficantes ainda continuariam a lucrar com a venda dessas porcarias.

    “Nada como uma crise econômica para aguçar a criatividade da bandidagem” Tropa de elite 2

  • Digamos que a droga seja legalizada em nosso país. Seria produzida e tudo o mais, vendida em farmácias etc. Mas como aqui o imposto nem é alto (vê a gasolina, o quanto custaria sem os impostos, mais de 70 sobre esse produto, ou sei lá quantos… Perdi a conta ) tenho certeza que não adiantaria. O usuário de drogas iria comprar na farmácia pagando um preço, sendo que ele pode pagar mais barato ainda na mão de traficantes sem nenhum imposto a pagar. Tome-se como exemplo a pirataria de DVD, quem é que compra um por 50R$ se pode pagar 5R$ ?

    Esse assunto ainda vai render muita polêmica…

  • Concordo com você, o assunto é bem delicado, mas como diz o ditado, tudo que é proibido é mais gostozo, ou atrativo. E com a regularização talvez o desejo, a vontade das pessoas de usar a droga diminua, e também com a regularização, o dinheiro que é movimentado nesse tipo de negócio, seja um dinheiro mais limpo, que de emprego, gere renda e melhora a vida de muito brasileiros..Adorei a matéria, Parabéns.

  • O que eu vejo é que argumento fraco de quem propõe a legalização de drogas é, invariavelmente, baseado em fantasias e mitos. É com base na descarada improcedência dos argumentos apresentados por quem defende a legalização de drogas que eu não tenho mais dúvida de que se trata de um discurso ideológico que foi empurrado goela abaixo dos mais tolos.

  • “Digamos que a droga seja legalizada em nosso país. Seria produzida e tudo o mais, vendida em farmácias etc.”

    Isso, a meu ver, é fruto de mais confusão feita pelo ridículo lobby pró-drogas!

    Não faz sentido falar em vender drogas entorpecentes e alucinógenas em farmácias. Isso parte de uma analogia completamente descabida.

    Droga vendida em farmácia tem indicação para tratamento de saúde. As drogas ilícitas, ao contrário, são justamente substâncias impróprias ao consumo que passaram a ser utilizadas de forma boçal, de maneira lesiva não apenas à saúde física, mas, principalmente, à saúde PSÍQUICA, e que, ao organizar toda a química cerebra e causar danos aos neurônios, entre outros, desencadeiam efeitos como deixar o usuário “doidão”.

    Imagina se tem cabimento propor a venda em farmácia de substâncias sob a justificativa de “ficar doidão”.

    Só falta os irracionais que falam com a maior facilidade em legalização de drogas, porque leram algum discurso irresponsável por aí, de gente que ou tem interesse grosso financeiro por trás ou interesse ideológico nessa bobagem, dizerem que cachaça precisaria ser vendida em farmácia.

    O fato é que a política hoje vigente é justamente uma forma de REGULAR o uso de drogas, mantendo as drogas ilícitas fora do alcance do grosso da população. Não adianta delirar em torno da tolice de que o proibido é mais gostoso, pois, apesar disso, qualquer pessoa informada sabe que drogas lícitas (não proibidas) são justamente as mais consumidas por serem legalizadas.

    Dizer que a proibição de drogas foi mal sucedida é desconhecer completamente o problema, pois as drogas mais consumidas são as de livre circulação. Não há nem termos de comparação entre o consumo de drogas lícitas e ilícitas.

    Além do mais, a política proibicionista não pode ser tomada como fracasso quando na realidade nem mesmo é aplicada. Vigora um ambiente de total tolerância às drogas no Brasil, especialmente em relação aos usuários de drogas e isso não é de hoje.

    O ambiente de tolerância às drogas é que levou a uma disseminação assustadora do consumo. Tanto é que, desde a década de 90, quando essa conversa de legalização de drogas passou a virar carne de vaca na boca de economistas vedetes que não entendem absolutamente nada do assunto, o problema da droga só se agravou.

    Alguns países, que têm uma política de combate efetiva, conseguiram só nos últimos anos, depois da onda dos anos 90, começar a apresentar algum sucesso no combate. Com políticas claras de desestímulo ao consumo de drogas.

    Quanto à Holanda, não é verdade que o consumo não aumentou com a legalização da maconha, pois esse aumento do consumo de drogas é justamente um problema enfrentando pela Holanda. Contudo, não se pode comparar a Holanda a países de dimensões continentais como EUA (imagine então tentar comparar a um país desorganizado e mal governado como o Brasil!), pois antes da legalização da maconha o consumo de drogas na Holanda era irrisório e isso se deu na época em que o problema das drogas começava a atingir proporções epidêmicas, por força da influência negativa que a contracultura promoveu nesse aspecto, legando esse imenso flagelo às gerações seguintese.

    Assim como a Holanda, outros países adotaram uma política mais liberal em relação às drogas e tiveram de voltar atrás, devido ao retumbante fracasso. Países estes que, assim como a Holanda, são minúsculos e de fácil controle, mas que nem assim tiveram êxito em implantar uma política “alternativa” em relação às drogas.

    E para os que falam em REGULAMENTAR, a proibição em si de substâncias impróprias para consumo justamente uma forma de regulamentar o uso de drogas. Drogas que têm indicação médica são livremente vendidas desde que leves, drogas que têm indicação médica mais pesadas são vendidas com prescrição, o uso de drogas mais pesadas, cuja indicação mesmo médica é discutível, devido às sequelas que pode deixar, é vetado ou muito limitado, como ocorre coma morfina. Utilizar drogas que acarretam tais danos, especialmente do ponto de vista psíquico, com propósitos boçais é proibido.

    Em outras palavras, a regulação do uso de drogas é o modelo que já funciona, por razões mais do que justificáveis. Estão tentando, com essa conversa de legalização, que tem interesses de gente grossa por trás, confundir os incautos pela associação entre o uso indevido de substâncias impróprias para consumo com substâncias medicamentosas que têm indicação exclusivamente médica.

    Por fim, é uma grande mentira dizer que o proibicionismo não funcionou, pois, além dele ter mantido o consumo de drogas que deformam a percepção justamente por desorganizar a química cerebral, lesionando a psique do marginal que resolve fazer esse tipo de uso boçal de substâncias completamente impróprias para consumo, ele funcionou onde foi efetivamente aplicado. O que NÃO funcionou em lugar nenhum foi a tentativa de legalizar drogas.

    Todos os países que adotaram essa abordagem idiota, deixando como consequência negativa o mito de que legalizar droga é coisa de país desenvolvido, que povoa as fantasias dos mais incautos, desistiram desse disparate (inclusive a Suíça). A Holanda é exceção e mesmo assim droga lá NÃO é legalizada como muitos pensam.

    O que existe na Holanda é apenas uma política de tolerância com o uso de maconha em alguns cafés, mas essa política também vem se tornando cada vez mais restritiva, tendo diminuído a quantidade de maconha permitida pra venda, tendo resultado no fechamento de alguns cafés e mesmo na descontinuidade total dess política em várias cidades holandesas. Até porque, em vez de resolver alguma coisa, como era de esperar, essa política só serviu para (1) multiplicar o número de usuários de maconha na Holanda, que antes era um país pacato e hoje tem índices de consumo similiares aos dos EUA, que são um país gigante e de dimensões continentais (logo, de muito mais difícil controle que uma minúscula Holanda); (2) criar um mercado paralelo de outras drogas no entorno dos tais cafés.

    O fato é que os poucos países que adotaram o PROIBICIONISMO a sério são os únicos que tiveram bons resultados no combante dessa desgraça. O resto é conversa fiada de apologista da droga (ou de gente tola).

  • PS:

    Onde está escrito “organizar a química cerebra” leia-se DESORGANIZAR A QUÍMICA CEREBRAL, que é o que certos tipos de drogas fazem ao promover efeitos como DEFORMAR A PERCEPÇÃO DA REALIDADE.

    E parem de abordar essa questão apenas do ponto de vista da saúde do próprio consumidor. Quando se fala em drogas alucinógenas e entorpecentes, que é o foco dessa discussão, a saúde física do usuário é apenas UM aspecto a ser considerado e não é o mais relevante.

    Levar em conta a saúde do usuário faz sentido quando se fala em drogas que causam danos apenas físicos e apenas a este (tabaco, uso abusivo de remédios, gorduras trans, cafezinho em excesso, etc.). No caso das drogas em discussão, que muitos tentam, para confundir os mais tolos, misturar a outras drogas, estas causam danos do ponto de vista também PSÍQUICO e, mais importante, têm efeitos imediatos como DEFORMAR A PERCEÇÃO DA REALIDADE, que afetam não apenas a saúde do consumidor, mas a integridade da sociedade como um todo.

  • “A favor sim! As pessoas tem que pensar o seguinte: as pesquisas mostram que o tráfico de drogas gera cerca de R$200 milhões por mês só na favela da Rócinha, imagina quanto seria a arrecadação de impostos sobre elas. Essa dinheiro poderia ser usado para o desenvolvimento do nosso País em vez de ficar com os bandidos…”

    Esse dinheiro seria torrado em gastos com o aumento do ônus da saúde e segurança pública que uma hipotética legalização de maconha representaria, isto sim. Isso para não falar nos desvios de recusos públicos.

    E nenhum país se desenvolve tendo boa parte de sua população entregue às drogas, especialmente a massa, formada pelos segmentos mais pobres e menos esclarecidos, que constitui grande parte da população brasileira. Falar em legalização de drogas é o mais puro delírio simplista (no contexto brasileiro, então, esse discurso é ainda mais irresponsável e criminoso)!

    No mais, a legalização da maconha só tenderia a fortalecer ainda mais o narcotráfico, pois a maconha não é sequer a maior fonte de lucrsos. E, além de uma hipotética legalização induzir a um aumento substancial do mercado consumidor de maconha, especialmente entre as classes mais desassistidas e menos educadas (massa gigantesca no caso brasileiro) levaria o tipo consumidor de drogas ilícitas (que não consome substâncias que provocam efeitos como “nóia” na melhor das intenções e sim porque estimulados pela cultura de tolerância ao crime em que vivemos a flertar com a marginalidade) a migrar para drogas ainda mais pesadas.

    Sem falar que usuários eventuais de maconha, aqueles molequinhos boçais e insegueros que só fumam durante a adolescência para se auto-afirmar junto à patotinha, passariam, dada a facilidade de acesso, a se tornar usuários permanentes, como ocorre no caso de drogas lícitas como álcool e tabaco.

  • “Meu acho que o problema é que muitas pessoas não sabem o significado de DESCRIMINALIZAR ou DISCRIMINALIZAÇÃO das Drogas. Discriminalizar não é liberar ou legalizar as drogas, mas tentar ajudar a combater o trafico. Uma pessoa que é Viciado ou Usuário [que são duas coisas diferentes] se for preso não tem chance alguma de se tratar…”

    Pra começo de conversa, não é preciso “descriminalizar” para discutir o tipo de pena que deveria ser aplicada a usuários de drogas. A rigor, o país não tem uma política decente para tratar usuários de drogas, mas nada impede que usuários sejam tratados, pois mesmo a legislação hoje vigente já prioriza, em tese, tratamento.

    O que o país não tem são políticas competentes para tratar eventuais usuários viciados em drogas (o que, diga-se, não é o caso da maioria; aliás, tratar todo usuário de drogas como viciado já é uma forma de glamourizar o consumo e problematizar o usuário, que passa a ser alvo de atenções, recebendo, portanto, não desestímulo da sociedade, mas um estímulo a mais para cometer esse e até outros tipos de crime, tendo a droga e o “vício” como álibi). Achar que a descriminalização tem o condão de criar políticas competentes de tratamento de drogados é coisa de quem aborda a questão com puro pensamento mágico e fantasioso, não com um mínimo de pé no chão e racionalidade.

    No mais, adotar uma política que descriminaliza o usuário é alimentar o narcotráfico. São os usuários que sustentam essa rede criminosa, logo, são cúmplices de tantas desgraças, de práticas bárbaras que sacrificam a vida de pessoas inocentes todos os dias.

    Tratar os usuários como vítimas, abordando o assunto apenas do ponto de vista da saúde destes, desconsiderando as inúmeras e sérias complicações ligadas ao uso de drogas, é uma forma de agravar ainda mais todo esse estado de coisas que já atinge limites do insuportável. É preciso abordar esse assunto com mais coragem e honestidade.

  • “Meu acho que o problema é que muitas pessoas não sabem o significado de DESCRIMINALIZAR ou DISCRIMINALIZAÇÃO das Drogas. Discriminalizar não é liberar ou legalizar as drogas, mas tentar ajudar a combater o trafico. Uma pessoa que é Viciado ou Usuário [que são duas coisas diferentes] se for preso não tem chance alguma de se tratar…”

    Pra começo de conversa, não é preciso “descriminalizar” para discutir o tipo de pena que deveria ser aplicada a usuários de drogas. A rigor, o país não tem uma política decente para tratar usuários de drogas, mas nada impede que usuários sejam tratados, pois mesmo a legislação hoje vigente já prioriza, em tese, tratamento.

    O que o país não tem são políticas competentes para tratar eventuais usuários viciados em drogas (o que, diga-se, não é o caso da maioria; aliás, tratar todo usuário de drogas como viciado já é uma forma de glamourizar o consumo e problematizar o usuário, que passa a ser alvo de atenções, recebendo, portanto, não desestímulo da sociedade, mas um estímulo a mais para cometer esse e até outros tipos de crime, tendo a droga e o “vício” como álibi). Achar que a descriminalização tem o condão de criar políticas competentes de tratamento de drogados é coisa de quem aborda a questão com puro pensamento mágico e fantasioso, não com um mínimo de pé no chão e racionalidade.

    No mais, adotar uma política que descriminaliza o usuário é alimentar o narcotráfico. São os usuários que sustentam essa rede criminosa, logo, são cúmplices de tantas desgraças, de práticas bárbaras que sacrificam a vida de pessoas inocentes todos os dias.

    Tratar os usuários como vítimas, abordando o assunto apenas do ponto de vista da saúde destes, desconsiderando as inúmeras e sérias complicações ligadas ao uso de drogas, é uma forma de agravar ainda mais todo esse estado de coisas que já atinge limites do insuportável. É preciso abordar esse assunto com mais coragem e honestidade.

  • Legalizar o plantio próprio de maconha já!

    Força Suplicy!

  • Acho q o debate vem em boa hora quem sabe assim possamos enxergar a luz no fim do túnel, pq até hoje tivemos uma época obscura, tanto quanto na idade media “caça as bruxas”, política promovida pela igreja , fato do qual até hoje só restou vergonha e omissão histórica por parte da igreja, ou nos anos 20 do século passado; quando criaram à lei seca (o erro histórico se repete) a proibição fomenta o crime, vamos debater e ver qual a opção que vai causar menos danos aos usuários, menos corrupção nos aparelhos do estado, menos armas nas ruas, e mais felicidade ao povo.
    Parabéns Srs. Ministros

  • olá, na minha opniao deveriam discriminalizar sim, pq NUNCA teve um mundo livre das drogas e NUNCA terá, ja que o uso de entorpecentes é mas antigo que a civilizaçao. Mas para que haja a descriminalização é preciso ter estrutura pra isso, coisa que o brasil HOJE nao tem, fora isso o nosso país ainda poderia lucrar com os impostos cobrados por cada carteira de cigarro de maconha vendido em cada canto do Brasil. VIVA A LIBERDADE DE EXPRESSÃO, FORA HIPOCRESIA.

  • Você compra o leite e tantos % dele é imposto, vai pra pagar os gastos com presídios.
    Você compra um feijão e mais tantos% dele de impostos vão para pagar os acidentes e problemas de saúdes que os usuários de drogas ou fumantes tem.

    Porque não legalizar e dai deste produto legalizado deixar que venha este imposto para pagar essas despesas?

    Você que usa, vai comprar aquela pequena quantidade em locais autorizados e não vai até a boca de fumo ou pegar de um intermediário, dando acesso aí a outras drogas, vai ao local, compra, paga por ele e junto seus impostos.
    Daí esse imposto DESTE produto agrega ao imposto já existente.

  • A informação sempre é a melhor estratégia para um bom debate: Sugiro que assistam o excelente documentário Cortina de Fumaça. Com certeza esclarecerá algumas dúvidas em relação a quebra de alguns tabus e a nossa posição em relação as políticas mundias.

  • “Sou a favor, mas só da maconha.” = HIPOCRISIA

  • É estupidez argumentar que liberar as drogas vai acabar com o tráfico. Aliás, é uma imbecilidade que nem dá para comentar.

    O efeito de descriminalizar as drogas seria apenas 2: A) Os traficantes, sem sua fonte de renda, partiriam para roubar ou vender drogas mais pesadas. B) Se só a maconha, ou todas as drogas forem legais, de toda a forma você acabaram de criar droga pirata, sem imposto. Parabéns intelectuais! Acabaram com o tráfego de maneira nenhuma. Ou você acha que quem faz coisa errada fica “reto” de uma hora para outra?

    Segundo lugar, também é ímbecil quem diz que o governo não gostaria de liberar as drogas. Os policiais corruptos podem até não gostar, mas você realmente acha que o governo, aqueles deputados, senadores que adoram roubar não adorariam outra droga para cobrar imposto? O cigarro, por exemplo, têm uma das maiores cargas tributárias do Brasil. Imaginem quanto imposto podemos enfiar na cabeça desse malucos que tomam isso.

    Outros idiotas são aqueles que citam a Holanda. Se você estivessem atualizados, saberiam que até eles já estão lentamente voltando atrás. A LIBERAÇÃO DAS DROGAS NUNCA FUNCIONOU EM UM PAÍS, NÃO É NUM PAÍS SUBDESENVOLVIDO COMO O BRASIL QUE VAI.

    E quem compara o cigarro, alcóol com as outras drogas é ímbecil. É uma clara falácia: não é porque têm algo errado que podemos fazer tudo errado! Pura simples lógica.

    E quem citou que desde os primórdios da humanidade consumiram drogas, bem, porque não volta as primórdios da humanidade também? Volta a andar pelado e cagar no mato. Deus também criou diversas plantas venenosas. Porque não experimentam comer algumas?

    Por fim, os que falam do dinheiro esquecem também que temos um sistema de saúde pública, muito ruim por sinal, chamado SUS. Os problemas de saúde causados a maior parte será encobrida pelo próprio estado. O tratamento destes infelizes também será feito pelo estado. Qual a vantagem de arrecadar dinheiro de um monte de pobretão, para ter depois de dar tratamento a um monte de pobretão?

    Só concluindo, eu só serei a favor da liberação se criarem a droga: VAI E NÃO VOLTA. Aí sim eu sou a favor da liberação em massa. Quem quer se matar, pula de uma ponte, na frente de um trem, mas para de prejudicar sua família e a sociedade que não tem outra escolha senão te abrigar!

    E não, vocês não tem direito de fazer o que quiserem. Pois se um de vocês depois encher a cara e bater o carro, fumar e têr um câncer, enfiar tantas merda na cabeça que for parar no hospital, a sociedade vai ter que cuidar de vocês. Será o meu, o seu, o nosso dinheiro que vai cuidar desses irresponsáveis. Todo mundo têm liberdade, claro. Mas sua liberdade acaba quando ela afeta o dinheiro de toda a nossa sociedade. Pensem nisso!

    • Parabéns! A leitura de tal comentário emocionou-me, pois o genial comentarista apresentou suas teses com o devido rigor científico, tudo em linguagem impecável, em portugûes castiço que há muito não experimentava o prazar de ler, nada obstante, apenas por amor à argumentação e longe de quaisquer laivos de preconceito, tenha ele agraciado com adjetivos um pouco fortes àqueles que ousam pensar deferentemente dele.

      Trancreve-se o seguinte texto de:
      Anthony Weston

      Algumas pessoas pensam que argumentar é apenas expor os seus preconceitos de uma forma nova. Os argumentos são tentativas de apoiar certos pontos de vista com razões.
      Neste sentido, os argumentos não são inúteis; na verdade, são essenciais. Os argumentos são essenciais, em primeiro lugar, porque são uma forma de tentar descobrir quais os melhores pontos de vista. N
      em todos os pontos de vista são iguais.

      Algumas conclusões podem ser apoiadas com boas razões; outras, com razões menos boas. Mas muitas vezes não sabemos quais são as melhores conclusões. Precisamos de apresentar argumentos para apoiar diferentes conclusões, e depois avaliar tais argumentos para ver se são realmente bons. Neste sentido, um argumento é uma forma de investigação.

  • Assisti a um documentário da History Channel sobre a legalização da maconha. Lá existem muitos prós e contras sobre o assunto e a emissora é claro ficou imparcial.
    Conheço pessoas que exemplificam com muita clareza o senso comum por acreditarem que estudantes universitários estariam consumindo mais maconha nos EUA e assim acreditarem que maconha é bom, e tem que ser legalizada.
    Quando me perguntam se sou a favor ou contra eu simplismente respondo: Eu sou contra!.
    Afinal qualquer um pode fazer o que quiser com sua vida, não é. Isso é senso comum, pois todos ouvem esta frase e a acham coerente.
    No fundo, o bom senso que todos deveriam desenvolver sempre deveria mostrar que você sempre sabe o que é realmente bom pra você ou não.
    Pelo meu bom senso, hoje acredito que nenhum tipo de fumaça seja bom pra mim, embora tenha fumado durante 1/3 de minha vida já que tenho 30 anos. E pelo senso comum que já não me pertence mais, já fumei maconha.

  • 5. Diferencie legalização de descriminalização das drogas e apresente a sua opinião sobre a proposta descrita no documentário.
    A proibição do consumo de drogas não impediu o crescente consumo e as atividades de troca e venda referente a esse mercado. A solução dada pelas esferas sociais, no Brasil, é de transferir essa responsabilidade para as esferas penais e criminais, que são os órgãos de maior poder coercitivo social. Sabe-se que o uso de drogas não esta em si direcionado a atos criminosos e que a proibição gerou a criminalização do usuário, vendedor e impulsionou a criação de um mercado paralelo e ainda a criminalização da pobreza. Descriminalizar se refere a retirar de algumas condutas o caráter criminoso, por exemplo, portar drogas para consumo próprio. Porém na descriminalização o ato continua sendo ilícito, porém exclui-se a incidência do direito penal (no entendimento penal, cerceamento da liberdade e etc), porém o ato não se torna legal e pode passar a ser ilícito para outros entendimentos como o administrativo, por exemplo. Concordo com o ponto de vista da legalização, onde o ato deixa de ser ilícito, ou seja, passa a não ser objeto de nenhuma sanção. Claro que com toda uma política de educação e orientação as drogas, buscando, também, a regularização de postos de vendas e que possa ser regulamentado pelo estado como qualquer outro tipo de produção como é o caso do cigarro em nossa sociedade. É importante também refletir porque existe uma problemática maior em alguns países no relacionamento que esses usuários tem com as drogas. Em países como o Brasil existe problemáticas como a alta vulnerabilidade social de determinados grupo que podem acarretar uma relação problemática com as drogas. No mais, a maconha por ser uma droga tão consumida ( representa a droga mais consumida no mundo) e de riscos baixos não há justificativa para uma proibição e uma criminalização, visto que o álcool e o cigarro tem de dependência maiores e acarretam mais prejuízo social . Países como a Holanda vêm mostrando que o problema não é a droga em si e sim a proibição que gera vários outros problemas. A relação que se dá neste país com as drogas é de total controle, através de políticas publicas que visam informar, orientar e acabaram por diminuir bruscamente o uso de drogas. Dados mostram que os maiores usuários e que, por sinal, causam problemas lá são os estrangeiros de países não legalizados. A relação da população com as drogas se dá de uma maneira consciente e regulamentada pelo estado, onde a população tem acesso a informação e é consciente de como se comportar na posição de usuário. O uso de psicoativos é uma realidade vivida pelo homem desde muitos séculos passados, sempre existiu e sempre existirá e de maneira, cada vez mais sofisticadas ( as drogas alucinógenas são um bom exemplo) é necessário discutir essa questão de maneira democrática e sensata para que se venha descobrir uma melhor maneira de lidar com a existência das drogas, para que ela acarrete o menor dano possível.
    um bom documentario que trata desse tema pelo vies cientifico (tanto do ponto de vista das ciencias biologicas como sociais) é o cortina de fumaça, que quiser entender o assunto é so procurar

  • SOU TOTALMENTE CONTRA Á DESCRIMINALIZAÇÃO DAS DROGAS,POIS DESSA FORMA OS USUÁRIOS IRIAM ESTÁ LIVRES PARA USAREM AS DROGAS ONDE BEM QUISEREM,CONSTRANGENDO ASSIM O RESTANTE DA POPULAÇÃO.A LIBERAÇÃO DO USO AUMENTARIA AINDA O ÍNDICE DE VIOLENCIA,POIS SABE QUE GRANDE PARTE DOS USUÁRIOS NÃO TEM DINHEIRO PARA MANTER O VÍCIO,SENDO ASSIM OS ESTABELECIMENTOS QUE VENDERIAM AS DROGAS SERIAM ASSALTADOS??????

  • E HÁ QUEM FAÇA PASSEATA PELA DISCRIMINALIZAÇÃO DAS DROGAS… PRÁ QUÊ? PRA VERMOS MUITO MAIS JOVENS MORRENDO DE OVERDOSE POR ACHAREM NORMAL FICAREM DROGADOS NO COLÉGIO, EM CASA, NOS SHOPPINGS, EM FESTAS DE ANIVERSÁRIO, ETC???
    É CRIME SIM PQ A DROGA MATA!!!

  • Boa tarde!
    A questão não é tão simples quanto parece. Vamos ver que existem diversos interesses.Entre eles, citemos a produção, desde os campos de coca da Colombia, da Bolivia, a maconha de nossos vizinhos mais próximos Paraguai e a propria produção do Nordeste entre outros produtores desde o ópio até outras porcarias alucinógenas obtidas através do cultivo.
    O próximo segmento seria a produção de drogas sintéticas, verdadeiras bombas que se consomem e se vendem num frenético contrabando que passa da produção dos países europeus e desagua na importante metropole do comercio latino americano de quinquilharias – Ciudad del Leste -e acaba nas baladas do eixo Rio-Sampa-Belo-Pelo(sem preconceitos).Essa indústria química logicamente iria buscar/organizar/burlar a vigilância sanitária e provar por A+ B que as substâncias utilizadas no RedBul, digo, no ecstase de sua fabricação é produto de primeira qualidade e que pode tomar a vontade. Tudo vai depender do acerto economico para, plagiando os cigarros, estar disponivel nas prateleiras dos botecos dos postos de combustiveis e nas “in”-conveniências frequentadas pela galela.
    A legalização de um, sinaliza para o seguinte, e o seguinte e….
    Por outro lado, quem deve estar com a palavra, sem sombra de dúvida, é o contribuinte(o otário) que vai ter que pagar mais INSS, ISS,ISQ, PQUEOP para pagar essa farra(uma verdadeira put…)pois a cambada não vai trabalhar, vai cheirar, fumar, espernear e, como consequencia, a familia vai se atormentar, se fornicar toda para reabilitar o fdp do pimpolho bajulado.
    Se quizer cheirar e fumar, que se arque com as consequencias.
    Portar drogas para uso pessoal, plantar para o consumo, viciar-se, que assim seja. Mas, de quebra, eu não vou pagar essa conta e você?

    Em compensação, não vamos precisar prender mais ninguém.

  • Você que é a favor da liberação, na certa é usuário ou não está nem aí pra os seus filhos. Fui usuário de maconha por longos 15 anos “somente maconha” e digo que conheci o inferno. Se liberar esta (D R O G A), vocês vão ver no que vai dar.

    • Muito bem Paulo, vc que sentiu na pele os efeitos das drogas é a melhor pessoa para falar do assunto. Parabens por ter largado essa vida. Que Deus continue iluminando na sua vida!

  • FUMEM UM BASEADO E TIREM SUAS PROPRIAS CONCLUSÕES !!!

  • Eu Acordo e fumo maconha e assim vai o dia enteiro,tenho 19 anos, Trabalho muito , sou pai e sustento uma casa Quer mais o que? e dai se eu fuma uma maconha?!?! EM CASA NA BOA!!

    So Paz e Amor…

  • Sem pre-conceito pessoas.. se respeitem , cada um na sua … Sem enterfirir o outro, des que nao te encomodem.. eu fumo muita maconha e nao encomodo nimguem… acho ate que sem fuma eu nao penso direito. E quando eu nao fumo ,fico mo lezado…dai dou um tapa, ja acordo, lembro de tudo… faço tudo muito melhor…sabendo usar Maconha e Muito Bom…

  • Camila, nao entendi, por que o cara tem que estuprar a mulher para comprar maconha!! vai ver, existe dinheiro dentro da XXXXXXX da moça! E se for uma mulher? vai estuprar o homem? Que comentario mais besta! ninguem rouba pra comprar droga, as pessoas roubam por que não tem emprego, nao tem comida nao tem roupa, e vai voce dizer, que e so trabalhar!! voce daria emprego a uma pessoa dessas? Então parem de associar drogas a roubos e estupros….
    As drogas devem ser descriminalizadas, na minha opiniao deveriam ser totalmente legais, mas as pessoas nao percebem que isto faria de paízes hoje totalmente subdesenvolvidos, como os paízes que produzem drogas, grandes potencias, afinal o mercado das drogas e um mercado bilionário $$$$ e paízes como os Estados Unidos e muitos outros, nao gostam da ideia de que esses paizesinhos tornem-se grandes potencias no cenario mundial, por que isso atrapalharia os planos e os negocios de dominar os paízes fracos como eles tem feito nos ultimos 60 anos!! Enfim o problema da violencia e do trafico nao e a dorga em si quem gera, e sim a politica proibicionista que visa o interesse de banqueiros e de industrias norte-americanas entre outras de manter o poder e lucrar com esta politica assassina que gera violencia e crimes terriveis como assassinatos e nem vo fala do resto!! Mas enfim sou a favor da descriminalizaçao e da total legalizaçao das drogas!!

  • O povo tá perdendo a voz, a mídia ta manipulando nossa mente, cuidado povão com a vida que vc leva, pois vc é que está sendo levado…. Liberaram o casamento gay, estão querendo libarar o aborto e agora as drogas… Hó meu Deus até onde vamos chegar!!, pois as drogas é um dos maiores motivos da violência no Brasil, o cara faz a cabeça para roubar, faz a cabeça para estrupar…. e tudo de ruim que possam acontecer… pois assim perdem o senso de responsabilidade e afinidade com Deus. Pensem antes de opinar sobre o “a favor” das drogas.

  • É sabido que 90% dos crimes(assaltos à caixas eletrônicos, seqüestros relâmpagos, dentre outros delitos) são praticados por traficantes de drogas. E por quê por traficantes de drogas? Por que esses traficantes compram a drogam, fazem festa com amigos e consomem-na quase toda e outra parte dão de presente a outros amigos e, portanto, ficam sem dinheiro para pagarem os fornecedores e assim sendo os fornecedores os pressionam obrigando-os a a cometerem assaltos, assaltos à Caixas Eletrônicos e sequestros relâmpagos. E como acabar com isso? A droga existe e sempre existirá, basta então legalizá-la tributando-a com IPI e ICMS e assim o seu preço vai cair tanto que nao valerá mais à pena e nem será necessário cometer crimes de assaltos diferentes e sequestros relâmpagos para poder comercializá-la.Façam como é feito com o cigarro e com a bebida alcoólica: liberem e tributem e incentivem o consumo moderado por adultos que têm o direito do livre arbítrio.Verão que a polícia ficará com muito menos trabalho e a população bem mais tranquila.

  • É sabido que 90% dos crimes(assaltos à caixas eletrônicos, seqüestros relâmpagos, dentre outros delitos) são praticados por traficantes de drogas. E por quê por traficantes de drogas? Por que esses traficantes compram a drogam, fazem festa com amigos e consomem-na quase toda e outra parte dão de presente a outros amigos e, portanto, ficam sem dinheiro para pagarem os fornecedores e assim sendo os fornecedores os pressionam obrigando-os a a cometerem assaltos, assaltos à Caixas Eletrônicos e sequestros relâmpagos. E como acabar com isso? A droga existe e sempre existirá, basta então legalizá-la tributando-a com IPI e ICMS e assim o seu preço vai cair tanto que nao valerá mais à pena e nem será necessário cometer crimes de assaltos diferentes e sequestros relâmpagos para poder comercializá-la.Façam como é feito com o cigarro e com a bebida alcoólica: liberem e tributem e incentivem o consumo moderado por adultos que têm o direito do livre arbítrio.Verão que a polícia ficará com muito menos trabalho e a população bem mais tranquila.

    sugestão: se as pessoas que usam drogas já legais como o cigarro e as bebidas alcoólicas; e se forem legalizadas as drogas ainda ilegais e houver usuários que adoeçam com o abuso destas, então, deveriam arcar com as despesas dos tratamentos e os governos municipais, estaduais e federais não teriam obrigação nenhuma de tratar usuários de drogas legalizadas ( só o cigarro e as bebidas alcoólicas e as outras se estas também forem legalizadas)……………………

  • NÃO ADIANTA SÓ DESCRIMINALIZAR livrando o usuário de qualquer ônus criminal porque isso não vai resolver o problema dos assaltos, assaltos a Caixas Eletrônicos e outros assaltos, e arrastões, e sequestros relâmpagos COMETIDOS, em 90%, PELOS TRAFICANTES que não serão atacados com a descriminalização das drogas e tudo continuará como está. O negócio é dar alvará para quem não tem antecedentes criminais, cobrar impostos de IPI e ICMS porque só assim, legalizadas, as drogas perderiam bastantíssimo valor – barateariam muitíssimo – e os atuais traficantes assaltantes não teriam motivo para assaltar ao contrário de hoje em que eles compram as drogas dos fornecedores, consomem grande parte e outra parte presenteiam suas amantes, esposas, filhos e amigos e acabam ficando sem dinheiro para pagar os fornecedores que os pressionam obrigando-os a cometerem os crimes citados acima para arrecadarem dinheiro para pagarem suas dívidas e caso não paguem eles (traficantes)morrem. E no caso dos usuários adoecerem pelo uso desmoderado eles teriam que pagar a conta do tratamento e não o SUS pagar porque se o usuário adulto também tem LIvre Arbítrio então que o use com inteligência. Essa medida de o SUS não pagar a conta do usuario doente desestimularia a adesão de novas pessoas e elas pensariam várias vezes antes de se tornarem usuárias. Isso também valeria para os cigarros e bebidas alcoólicas que são drogas e estão legalizadas e tributadas.

  • eu sou contraaa

  • A legalização ou regulamentação adotada em alguns países, revelam que apesar de regras no uso de drogas, ainda existem vendedores ilegais que abordam quem esteja interessado em comprar as drogas. Nesses países o consumo não diminuiu apesar de algumas vantagens em relação a organização.
    No Brasil a decisão de tornar legal o consumo, não diminuiria os casos de roubos por causa das drogas. Para alimentar o vício muitos jovens roubam casas e pessoas nas ruas, muitas vezes perto de delegacias, sem nenhum pudor. Ainda que o medo dos viciados em relação a justiça esteja sendo menos visto, ainda há uma certa consciência de que roubar não é certo e nem consumir ou vender drogas. Com a legalização essa ideia de regras não iria existir, o consumo de drogas ia acontecer em praças públicas, assim como o consumo de álcool. Já não temos no Brasil drogas lícitas suficientemente maléficas? Se já é difícil conter o número de jovens que cada vez mais cedo estão bebendo álcool, pelo fato de que existem lugares em que não há a preocupação em saber se o jovem é menor de idade ou não, o mesmo aconteceria com as drogas, a “onda” da maconha ou drogas mais pesadas, seria um incentivo e lugar onde achar não seria um problema. As famílias não teriam mais uma preocupação em deixar seus filhos saírem a noite?
    Optar por um caminho mais fácil não solucionaria o verdadeiro problema, a educação. É preciso combater o tráfico, mas antes disso investir na educação dos traficantes quando ainda são crianças. O ambiente onde os traficantes crescem são cercados por pobreza, falta de oportunidades e violência. O caminho mais longo é o único que atingiria a raiz do problema. Afinal, queremos continuar com tamanhas desigualdades sociais, onde políticos estão mais preocupados com seu ego do que com a nação em que representa? Só com REVOLUÇÃO GALERA!

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação às punições de corruptos...

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia


  • “O homem de bem é um cadáver mal informado. Não sabe que morreu.”
    Nelson Rodrigues.

ARQUIVO

novembro 2014
S T Q Q S S D
« set    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).