Estatuto do Nascituro, aprovado hoje, proíbe aborto em qualquer hipótese

mai 19, 2010 by     349 Comentários    Postado em: Atualidades

Enquanto as torcidas organizadas só têm olhos para o que fazem e falam seus candidatos presidenciais, coisas importantes estão acontecendo em Brasília sem o devido acompanhamento da sociedade. É o caso do projeto de lei 478/07, aprovado hoje na comissão de Seguridade Social e Família da Câmara.  O projeto, que cria o Estatuto do Nascituro, acaba com qualquer hipótese de aborto legal no Brasil.

A lei brasileira atual permite que o aborto seja feito, inclusive na rede pública de saúde, em dois casos: estupro ou quando a gravidez coloca em risco a vida da mãe.

Pois bem, o tal Estatuto define o nascituro como portador de direitos desde “a concepção”. Ou seja, desde que o espermatozoidezinho do papai entra no óvulo da mamãe.

Essa definição não apenas dificulta uma futura legalização do aborto por decisão da mulher, como acaba com as duas possibilidades legais hoje existentes. Provalvemente, terá também repercussões para as pesquisas com células-tronco de embriões.

A autora do projeto, a deputada Solange Almeida (PMDB-RJ), defende sua posição alegando que  ”a criança não pode pagar pelo erro dos pais.”

349 Comentários + Add Comentário

  • tenho certeza que se os “nasciturnos” soubessem o que viria ao nascer, eles se auto-abortavam.

    • Não seja por isso, procure um vendedor de “chumbinho” lá na Dantas Barreto e começa dando o exemplo, ô inteligência suprema.

      • Ótima resposta, Cláudio.
        Tens muita anta poraí achando que é Sócrates.

      • Adorei essa resposta….

      • Sinceramente, acho incompreenssivel alguem colocar uma resposta dessa. Acho que se esquece que é humano.

    • Muito boa…o pior q é realmente isso. Esse povo nunca conviveu com crianças vítimas de estupros ou até crianças não planejadas. São a maioria vítimas de atrocidades. E o direito da mulher de escolher seu destino é mais uma vez tomado pelo Estado.

      • O direito da mulher de escolher o seu destino, lhe é oferecido as carradas neste terceiro milênio. Pilula, camisinha, injeções, tantos métodos contraceptivos, por quer optar pelo assassinato. Se a mulher é irresponsável no ato sexual, que arque com o ônus da sua irresponsabilidade, ou seja, a Gravidez, pois o nascituro não tem culpa da liberalidade da mulher.

        • Prezado Antonio Sergio da Cruz, sua resposta suscita muitas dúvidas. Parece haver uma tentativa de impor uma “nova ordem da mulher fazer sexo”, de acordo com sua doutrina religiosa (só para reprodução), usando-se o Estado como instrumento coercitivo. Isto não é correto! Termos como “liberalidade” e ônus da gavidez, usados por vc, não fazem muito sentido fora do contexto de doutrinas religiosas. Acho que vc nos deve uma resposta mais clara, pois, francamente, não desejo fazer parte de movimentos de “contra-reforma”, depois que Portugal se tornou “europeu”, aceitando a “interrupção voluntária da gravidez” e a “união civil de homossexuais”. Lamento pelo movimento católico, mas briguem lá na Europa e não nos envolvam nisso. O Brasil não merece isso e espero que vc seja patriota o suficiente para não usar o “discurso dos nascituros” como justificativa para fazer do Brasil (o lado católico dos BRIC’s) plataforma para “experimentos exóticos” de guerrinhas religiosas. Não estamos dando conta de atender com dignidade nossas crianças já nascidas! Aguardo sua resposta.

        • Me explica, dentre essas ‘carradas’ onde fica o direito de uma menina de 10 estuprada por um merda de mente miúda feito a tua…
          Vai dizer que a culpa é dela agora?

        • Por causa de gente *¨%$#@ q nem vc é que o nosso país está indo pra vala.

        • Me refiro, obviamente, ao sr. Antonio Sergio da Cruz.

        • Concordo com o Antônio no que se refere a defesa do nascituro e aos métodos contraceptivos. No caso da mulher não desejar a criança, que a mesma seja entregue para a adoção. Assistam ao filme Juno.

        • Exatamente, um monte de células com metabolismo vem na frente do direito das mulheres. Machista de merda…

        • Sergio, certissimo! Concordo com vc, e hoje em dia só engravida quem quer. E outra, se a mulher fosse educada desde a primeira relação a tomar contraceptivos, em caso de aborto, seria reduzido a chance de engravidar.

        • Fexe as pernas.

          Simples.

        • E você, Anna, também é um monte de células, não? Apesar de faltar muitas células nervosas aí pelo seu comentário…

        • Punir assassinato é ser coercitivo?

        • Concordar com o aborto é fácil, agora que vocês ja nasceram né!

        • Concordo que há várias maneiras de prevenir a gravidez e, dentre elas, o assassinato, com certeza, não é a mais viável. Mas pq sempre colocamos a culpa na mulher? É a mulher que não se previne, é a mulher que faz sexo irresponsável, é a mulher que faz o aborto… Cadê o pai desses nascituros? Com certeza, a mulher não se autofecundou! Não concordo com o aborto, mas tbm acho uma indecência criminalizar a mulher pelo aborto.

        • O direito da mulher… – é, neste caso não é o homem que escolhe o destino.

          Se a mulher é irresponsável… é que os homens são muito responsáveis. Eles não precisam se preocupar com a prevenção – isto é unicamente o dever e obrigação de uma mulher.

          Pelo texto escrito aqui percebe-se logo que foi redigido por um homem. O homem não pensa quando o assunto é sexo. Ele age pura e simplesmente pelo instinto – igual a um animal. É a mulher que é obrigada a pensar nisto tudo sozinha.

        • Concordo com você, com exceção de estupros. Eu preferia mil vezes a morte do que ter que carregar por nove meses o produto de um estupro.

        • só que não é bem assim, as vezes pode ser uma criança que foi planejada com amor e termina sendo a vítima da natureza(anencéfalos) não sou a favor do aborto, porque de acordo com o Direito, respirou tem personalidade, a criança nasce viva mesmo tendo pouquíssimo tempo de vida.

      • Carissáma ‘Tati”, eu acredito que o assunto em questão não se trata apenas de um direito das mulheres ou uma imposição do estado, mais como fica o direito do feto, será que ele não pode ser considerado uma criatura viva, não façamos dos abusos e estupros contra mulheres, mais um pretesto para aprovar uma verdadeira carnificina de fetos, indefesos das ações irresponçais de translocadas e débis que achão que o feto é uma extenssão do corpo delas.
        niguem quer reprimir os direitos das mulheres, mais que foi que disse que as mulheres tem o direito de matar uma vida alheia.
        Ass: FK.

      • Tati,

        Meus pais não planejaram o meu nascimento, assim como a maioria das pessoas não são planejadas… Faça uma pesquisa ao se redor! Vc já imaginou se nossos pais tivessem tido a oportunidade de nos matar? Poucos restariam…

      • Antonio Sergio, digo-lhe com toda a minha franqueza: São homens assim como você, que as vezes deixa-me envergonhado de ser homem. Tu és um machista e ainda por cima ignorante. Raciocina comigo: Quantas mulheres não ficam gravidas porque a camisinha furou? Quantas não ficam gravidas porque o anticoncepcional falhou ou não fez efeito? Quantas não vão para um ato sexual inconsciente de que toda a responsabilidade é dela? Sim! porque você com o seu machismo sempre acha que a responsabilidade nunca é sua! Pergunto mais: Na hora de virar os olhinhos os prazeres não são iguais? Preta atenção seu energúmeno! Você vive sem sexo? Claro que não! então porque crucificar a mulher com este seu comentário idiota? Imagine se Deus resolvesse de uma hora para outra inverter os papeis, e quem ficasse gravido fosse você. O pior de tudo isto é que você deve julgar-se bastante entendido sobre mulheres. Preste atenção no que vou lhe expor: Em minha casa eu tenho um casal de filhos adotados. As mãos biológica dos dois são malucas que vivem nas ruas sendo estupradas e parindo filhos todos os anos. cada um que nasce é abandonado.
        Pois muito bem! Me condoendo com a situação das duas, corri atrás de suas ligaduras durante 4 anos e só consegui para uma. Agora a que não foi ligada, está com 8 meses de gravidez, perambulando a esmo totalmente doente, sem apoio de um parente ou da nação. É meu caro! está provado que pimenta no cu dos outros é refresco! Mais algumas perguntas: Alguma vez na vida você soube o que é sentimento humanitário? Alguma vez na vida você se imaginou no lugar de uma estuprada? Sentiu de perto a dor no seio de sua família com um estupro ou com uma gravidez indesejada? Não vês que este projeto do nascituro saiu de uma cabeça sem cérebro? Que a nação só enche o brasileiro de leis? Que na verdade ela quer que ele se lixe? Creio que você ainda é capaz de dizer que ama a pátria! Porque eu vou amar quem me desama? Quem nunca me dá nada? Muito pelo contrário, ela só me tira! Se liga! Pare pra pensar um pouco. Quem sabe assim você não muda os seus conceitos? principalmente sobre a mulher.

    • Caro “necessário”, você se lembra o que diz a nossa Constituição Federal???
      Você se lembra do que diz artigo 5????
      “Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança…”
      Portanto, como diz a nossa constituição federal, inviolabilidade do direito à vida. Com a aprovação do estatuto do nascituro, agora no Brasil, há defesa para todos.

      • É dever do Estado garantir a segurança de todos, quando acontece um crime como o estupro seguido de gravidez, o direito da mulher está sendo violado e você vem me dizer que ela que ja teve seus direitos perdidos tem que perder outro direito que é o da vida? que ela tem que correr o risco de morrer por conta de um suposto direito de uma suposta vida que ainda nem se concretizou???

        • Prezado PAULO,
          PAZ E BEM,
          Nem só quando acontece o estupro seguido de gravidez, mesmo não seguido de gravidez o estupro é crime hediondo, bárbado que merece todo rigor da justiça. Sim quando sofre um estupro a mulher teve seus direitos à inviolabilidade de sua pessoa violado. A gravidez, normalmente, não oferece nenhum perigo à mulher. Quando uma mulher engravida, a gravidez é prova insofismável da concretização de uma vida nova, ligada indissoluvelmente à vida da mulher, infelizmente por circunstância indesejáveis. Mas a gravidez é a prov ainconteste da nova vida já concretizada.
          Se não concorda, por favor, diga-me em que momento da gestação começa a vida?
          Vou torcer para que você reflita sobre seus conceitos de vida.
          Fraternalmente,
          CID PEREIRA

        • concordo com você Paulo e esse(a) CID PEREIRA primeiro não está levando em consideração que uma gravidez pra uma criança de 10, 11, 12 anos é sim um risco de vida, e além disso, graças a “Deus” nunca deve ter sofrido um estupro, ou nenhum de seus entes queridos deve ter sofrido um estupro que ainda teve como consequência uma gravidez, só quem teve ou esteve perto de alguém que passou por isso sabe com é a dor de ter que gerar um filho de quem lhe agrediu.

        • Concordo com o Cid Pereira, pois embora o novo ser esteja se formando no útero da mulher, essa nova vida não lhe pertence e assim ela não pode decidir eliminá-la.

        • Prezados,
          quem é cristão e lembra das palavras do mestre, ou segue qualquer religião, sabe que nenhuma folha cai sem que isto esteja nos planos de Deus…
          Agora se a gente não aceita ou não entende (em grande parte é isso que acontece) é um problema que cada um deve trabalhar.. Senão toda vez que se for contrariado e se achar no direito de fazer algo anti ético ou amoral (pessoa que não tem senso do que seja moral, ética) estaremos perdidos.
          Não sou a favor do aborto, mas acho que ele deve ser legalizado para impedir que milhares de gestantes morram na tentativa de um aborto clandestino.
          Não cabe a mim nem ninguém julgar estas mulheres ou sondar o porque de quererem realizar o aborto.
          Mas cabe a todos nós garantir que elas não se matem nos “açougues”.
          A maior parte das gestantes que cometem aborto não foram estupradas, mas são em grande parte adolescentes ou muito carentes e sem condições financeiras, e entram em desespero quando se vem grávidas.
          Deveríamos cobrar, ao invés de ficar discutindo o aborto em si, que sejam incrementadas políticas públicas e gratuitas de amparo psicológico, médico e até financeiro a estas futuras mães. Cobrar melhorias nas campanhas contraceptivas. E cobrar que a vida da mãe, quando há risco, que esta seja priorizada.
          E quanto ao feto ter vida, isso, apesar das controvérsias, acho que todo mundo, no fundo no fundo, sabe que a partir da fecundação já existe a possilibidade de vida e isso já é maravilhoso! Os cientistas há séculos tentam chegar perto desta possibilidade e a cada passo é uma comemoração. Então passemos a celebrar a vida, apesar de todas as extranhezas e dificuldades que ela possa ter e que nós ainda na nossa ignorância não entendemos.

        • Poxa vamos ler o projeto antes de criticar, nestes casos o projeto prevê:
          Art. 13

          I – direito prioritário à assistência pré-natal, com acompanhamento psicológico da gestante;

          II – direito a pensão alimentícia equivalente a 1 (um) salário mínimo, até que complete dezoito anos;

          III – direito prioritário à adoção, caso a mãe não queira assumir a

          criança após o nascimento.

          Parágrafo único – Se for identificado o genitor, será ele o responsável

          pela pensão alimentícia a que se refere o inciso II deste artigo; se não for

          identificado, ou se for insolvente, a obrigação recairá sobre o Estado.”

          O projeto é perfeito no âmparo a situações de estupro, e mais ainda, ele prevê uma responsabilidade a mais no para o genitor causador do estupro, além da punição penal prisão (que infelizmente ninguém fica preso neste país) que já está prevista, a obrigatoriedade de pagar um salário mínimo a criança; o projeto é perfeito neste sentido. Se a mãe optar por criar o filho a beneficiaria será ela.

      • Não vou nem argumentar a favor da livre escolha em caso de risco de vida…

        Direto da Constituição Federal (livro que eu acredito que devia ser estudado nas escolas do começo ao fim):

        “Princípios Fundamentais – III – a dignidade da pessoa humana.”

        “Artigo 226 – 7º – Fundado nos princípios da dignidade da pessoa humana e da paternidade responsável, o planejamento familiar é livre decisão do casal, competindo ao Estado propiciar recursos educacionais e científicos para o exercício desse direito, vedada qualquer forma coercitiva por parte de instituições oficiais ou privadas.”

        Planejamento familiar inclui NÃO QUERER SER OBRIGADA A TER EM SUA FAMÍLIA O FRUTO DE UM HOMEM QUE LHE VIOLENTOU.

        “Art. 227. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.”

        Tenta pensar como será a convivência de uma família com um indivíduo que todos sabem ser fruto de uma violência. Por questões culturais e também biológicas, a mãe é quem tem mais contato com o filho. Você acha que uma mulher violentada não tem grandes chances de, em momentos de descontrole, oprimir ou excluir o fruto daquela violência? Esse será o primeiro instinto dela.

        Se preocupar com o indivíduo é coisa do passado. Deixem o direito de escolha dos outros em paz.

        • O estatudo do nascituro fala claramente no art. 13 inciso III que se a mãe “não quiser” a criança terá prioridade na adoção. Resolvido.

        • Política e religião não se misturam. Sou contra o aborto, salvo em caso de estupro, risco de vida a mãe e quando a criança vai nascer morta. Que é o que a lei altera-rá. O governo vai obrigar a mulher a carregar durante nove meses o fruto de um estupro? E se o estuprador não for identificado, não for encontrado, o governo irá pagar o ” bolsa estupro”? Parem com isso, deixem a lei como está. Vamos supor que mãe queira doar a criança depois, mais uma criança largada neste mundo? E o marido dessa mulher estuprada, conviver nove meses com o fruto do estuprador de sua mulher no ventre da mesma? Isso é um retrocesso!!!!! Devia ser proibido pastores e religiosos em geral se meter em política!!! Essa leis só ferram o povo!!!! Em vez de se preocupar com tatuagens de menores de idade, se preocupar em privar os gays de seus direitos, em vez de privar as famílias de seu planejamento familiar. Vão fazer a reforma agrária, a reforma tirbutaria, reforma política. Coisas que a décadas estão para ser feitas e nunca da tempo. Não há tempo pq o governo insite em perder tempo fudendo o povo

    • então pq vc ainda tá vivo?

    • “É muito temerário qualquer resolução definita para questões tão complexas como o aborto, deveriam se preocupar em debater exaustivamente a questão com o intuito de compreender as varias esferas que ela atinge.O aborto não deveria ser proibido nem incentivado,mas sim discutido de manerira séria e coerente no intuito de ser achar a soluçao para as varias nuances que a situação de uma gravidez indesejada tem.Deveriam proibir político de se corromper e utilizar dinheiro e recursos publicos inadequadamente.Isso é um desproposito que agrava os problemas da sociedade que mal instruida e pobre não consegue avaliar adequadamente assuntos tão complexos como esse que está interligado a varios setores publicos com saude,educação e economico.Uma precipitação desnecessária!

    • A você que apoia o projeto, saiba das suas consequencias nefastas!

      Imagino que tenha conhecimento do Estatuto do Nascituro Lei 478/2007 em pleno teor para assim apoiá-lo, então irei direto aos questionamentos.

      Você sabia que se esse estatuto for aprovado, todas as mulheres e meninas que engravidarem de estupro serão obrigadas a ter o filho do estuprador? Imagine você, sua filha ou sobrinha, de 12 anos estuprada e ainda grávida de um criminoso! Que tal sua filha ou sua irmã nesse papel?

      Ou ainda, que tal o estuprador engravidar tua mulher, e depois vc se ver obrigado a criar a criança, filha de um criminoso, no seio da tua família?

      Ou mais uma hipótese, sendo o nascituro prioritário em seus direitos, que tal imaginar uma amiga sua grávida e precisando realizar uma quimioterapia? Saiba que ela será impedida, pois a quimioterapia sabidamente interfere no desenvolvimento fetal. Sua amiga morrerá a míngua sem tratamento.

      Este é um lado da questão que os deputados que redigiram essa indigestão pública não mostram pra ninguém.

  • Como a criança não pode pagar pelso erros dospais. Pra fazer este comentário ela desconsiderou o estupro, né?!

    • Acho que não, Natasha. Infelizmente, no caso o pai é o estuprador.

  • O pior é quando vemos mulheres usando e abusando de machismo para proibir que outras mulheres tenham direito ao seu corpo…

    • E desde quando o aborto faz parte do corpo da mulher ? Ele apenas o utiliza para se desenvolver.

      • “Apenas”? De quem é o corpo? Da mulher, logo, é dela para fazer o que bem entender. Se quem engravidasse fosse homem o aborto seria liberado há séculos!

        • Se, se, se , se. Mais algum ?

        • O filho é dos dois… e o pai, não tem direito de opinar?

          Além disso, a mulher não tem o direito de MATAR o seu filho… é OUTRA VIDA e não a dela.

          Essa mulherada irresponsável…

        • Prezado “eu”,se você é um estuprador duvido muito que o senhor vá correr atrás de filinho,já que esta nas drogas ou na cadeia.

        • Se o ser humano fosse capaz de administrar sua propria vida, Deus o teria crido e depois se matado.O ser humano tem o poder da escolha,porém, suas escolhas geralmente são um monte de abobrinhas tipo essa sua forma de pensar sobre o que a mulher deve fazer com seu corpo.A pensar nisso imagino como deve estar o seu,isso sem falar da sua alma.

        • Pensando sobre esse ponto de vista tão liberal de que as mulheres têm absoluto direito sobre seu corpo, porque então tem-se tanto preconceito quanto a prostituição? Ou é ou não é.
          Não é questão de feminismo, machismo ou sei lá o quê.
          Sabemos dos inúmeros métodos contraceptivos disponíveis, mas sabemos também que ainda são poucos os que usam.
          Mesmo que proibido, o aborto é muito praticado e se torna um grande problema de saúde pública.
          Sou contra o aborto por questões espititualistas, mas tenho certeza de que esse estatuto é um atraso; nenhuma mulher decidida a abortar vai deixar de fazê-lo por constar num estatuto qualquer que é ilegal!

  • E se o pai for um estuprador, um pedófilo, um maluco qualquer? Se a gravidez acontecer através da força e contra a vontade da mulher? Cara deputada Solange Almeida, espero q nunca aconteça um fato desses na sua família! Isso é um retrocesso absurdo! Estou me sentindo no Brasil da ditadura. O que aliás, tá bem perto de acontecer, se formos pelos caminhos apontados pelos que lançam esses projetos estapafúrdios e pior, pelos que aprovam esse tipo de distorção da vida real. Suba os morros do RJ, vá conhecer a subvida das pessoas comuns, dos brasileiros desafortunados. Seu projeto de lei é completamento alienado. Ou vá a Pernambuco, onde no ano passado, uma criança de 9 anos foi estuprada e engravidou do padrasto. Ainda bem q seu projeto ainda não tinha sido aprovado, não é mesmo? Mas agora a sociedade já sabe. Próximo estupro, próxima gravidez indesejada, favor enviar os bebês para a sra. deputada Solange Almeida criar!

    • Os argumentos pró aborto sempre descrevem as mesmas situações: estupro, gravidez de crianças, fetos mal formados… Caros abortistas, sejam verdadeiros com seus leitores e consigo mesmos. A idéia é utilizar do aborto também para QUALQUER forma gravidez indesejada, não é? Taí porque essa lei está rolando. No fundo, todos sabem que a estrutura a ser criada para abortos legais também serve para abortos ilegais.

      • Marciel,
        Sou criminalista, e sempre me posicionei favoravel ao aborto pela simples razão de ser uma decisão da mulher querer ou não gestar um filho.
        O estado não pode, NEM DEVE intervir nessa ceara!
        Infelizmente em nosso país a legislação, em alguns casos, está atrelada a questões religiosas…Contra fanatismo não tem argumento!
        Mais uma vez o aborto ilegal está sendo autorizado pelos legisladores…
        Retrocesso legal!!!
        Nascituro já tinha direitos garantidos no CC, e pai de nascituro fruto de gestação decorrente de meios normais, já tinha mecanismos legais para impedir eventual pretensão de aborto da mãe, essa aprovação é fruto das mentes religiosas, MESQUINHAS, que habitam nossa camara Federal.

        Como toda aprovação na camara, ainda depende de aprovação no senado, e ainda de sansão presiencial, então, resta tempo para que se impeça que esse absurdo vire legislação brasileira!!1

      • É verdade! Devíamos ilegalizar a medicina, pois ela só dá asas ao assassino dentro de cada médico cientista/pesquisador…

      • Sim, porque nestes casos o aborto deve ser deixado como uma ALTERNATIVA. Não sou a favor do aborto indiscriminado, aquele em que a mulher, mesmo tendo todas as opções disponíveis, se arrisca e engravida. Isso é muito diferente de ser violentada. Ninguém, nenhum líder religioso ou quem quer que seja pode obrigar a mulher a carregar essa gestação. Muitos falam da adoção. Tá certo, mas pra isso a mulher terá que ficar nove meses carregando não um filho, mas o produto de uma violência, uma coisa dentro dela que ela não queria. Se ela OPTAR por interromper este gravidez, isso tem que ser garantido a ela. Pode ser pecado, mas que sua alma se entende com o homem lá em cima, mas ninguém aqui na terra pode obrigar uma mulher a carregar a lembrança diária da violência que ela sofreu. EU sempre tomei todas as precauções para não engravidar, mas EU não carregaria EM HIPOTESE ALGUMA, com todo respeito que tenho pela vida, um produto de um estupro.e meses carregando um feto que ela não quer. Lembrança diária da violência que ela sofreuy!

    • Estou grávida agora e me perguntei: como se sentiria uma mulher grávida do fruto de um estupro? Como conviver com uma criança que te lembraria todo dia, desde sua concepção, dos momentos de pavor ao ser penetrada por um estuprador, penetrada sexual, espiritual e moralmente?
      E uma menina de 8 anos abusada por seu pai?
      Isso é uma vergonha, proibir essas situações, assim como em fetos anencéfalos só faz aumentar as casas de abortos ilegais e a morte materna nesses estabelecimentos…
      É a verdadeira regressão do que entendemos por Direitos Humanos.

      • Prezada LUCIANA,
        PAZ E BEM,
        Seguindo a mesma linha de argumentação que você usou. Peço que desenvolva um raciocínio de como você se sentiria se você fosse o fruto do estupro, o nascituro. Como você se sentiria, tendo um pai criminoso desde seu nascimento e uma mãe que lhe rejeita, sem que você lhe tivesse causado nenhum mau.
        Tenho notado que ninguém dirige suas atenções para o estuprador, só contra o indefeso e inocente nascituro.
        Fraternalmente,
        CID PEREIRA

        • Acho que já ficou determinado que um feto NÂO tem consciência ou opinião.

        • parabéns jair, como já disse esse(a) Cid deve viver realmente num mundo de paz e bem e é incapaz de se colocar no lugar de quem não vive nesse mundinho.

        • Na verdade, Cid , a criança que nasce de um estupro é o mal PERSONIFICADO. Ela não só causa o mau à mãe, como é a personificação dele. Não, a criança não tem culpa. Mas tem ainda menos culpa a mãe, concorda?
          Fraternalmente o caralho.

        • até o terceiro mês nao sentiria nada…

      • Luciana, venho fazer as minhas palavras igual as do Cid, e lhe digo mais tive um bebê anencefalo à 6 meses e o gerei com muito amor assim como você também está gerando um no seu ventre.

        E gerarei quantas vezes acontecer, pois eles tem vida conforme qualquer outra criança, mexia no meu ventre igual as demais, eu pude escultar seu soluço através de consultas do pre-natal igual a que você deve fazer.
        Portanto certos argumentos que aqui estão sendo expostos não justifica os meios, se for assim ao invés de matar uma criança inocente, deveria matar o estrupador, o que violou os direitos da mulher.
        A criança não pode responder por si nem muito menos a mulher é dona de si o suficiente para tirar a vida de alguém, somente Deus criador de tudo e de todos pode tirar a vida de alguém, a vida é um dom e esse dom é para ser preservado independente da situação em que ela se encontre.
        Abraços.

        • A “criança” é uma consequencia do ato feito pelo estuprador.
          E essa mulher que foi estuprada não é obrigada a carregar filho de estuprador em nenhuma circustância!
          Gravidez para quem planeja é apenas rosas,e para quem não planeja é a mesma coisa que a escravidão!
          Gravidez é coisa séria,não é brincadeirinha,se a menstruação é um porre imagina isso!
          Parem de ser tão egoístas.

        • Querida, não estamos decidindo aqui o que deves acreditar como certo e errado. Discutimos, na verdade, a liberdade de fazermos o que acreditamos ser certo ou errado NESSE CASO. Pois quem vai criar a criança é a mãe, e aquela, se foi consebida em um estupro, vai -certamente- ser rejeitada e tornar-se-á um adulto infeliz, ou pior. Se essa criança for para o nosso péssimo e burocrático sistema de adoção, vai se sentir rejeitada da mesma maneira. E não esqueçamos que quem aqui se opõe ao projeto da deputada, não necessariamente aprova a liberação total do aborto; pois o projeto tira a pouca liberdade que é dada somente em casos extremos.

      • Digo, sinceramente que o estado deve correr atrás do prejuizo, as vitimas da violencia sexual devem ser cuidadas por especialistas para que tenham a oportunidade de se refazer. São os acontecimentos traumáticos que fazem com que as pessoas amadureçam e se tornem mais humanas. Mas, e ao nascituro? Que oportunidade devermos dar-lhe?
        Na nossa sociedade da comodidade, do prazer, e da volúpia não existe mesmo espaço para a generosidade? Quem, entre todas as suas limitações estaria mais facilmente disponível para o sacrifício? A mãe devidamente amparada ou o nascituro? Se pudesse falar ele diria que aceita morrer para que sua mãe não tenha que sofrer os incômodos decorrentes de sua gestação? Não se trata de escolher entre o bem e o mal mas de escolher o mal menor, já que o mundo nos coloca situações de sofrimento e prova que nos surpreendem e questionam nossos princípios.

    • Prezada CASSIA,
      PAZ E BEM,
      Com todo respeito entendo que você está equivocada. Não houve nenhum retrocesso. O atual projeto, não altera o código penal, apenas o mantém. Ele explicita os direitos do nascituro já estabelecidos em toda a legislação. O ABORTO antes desse projeto era CRIME e continua sendo CRIME.
      CID PEREIRA

      • Nada ve,agora ele tira o direito da mulher fazer em caso de estupro e risco de vida.
        Isso é um retrocesso sim,esses políticos não cansam de roubar e ainda querem piorar a situação desse país encalhado na lama,e no lado dele uma pilha de ouro.

        • “nada ve” é o fato de politicos roubarem com os direitos das vidas q são tiradas quando ainda são fetos.

  • Essa deputada é uma completa “tapada”!! Está indo de encontro a todo o avanço da sociedade!

    Filhos indesejados tem um futuro quase negro, devido a rejeição dos pais, a impossibilidade de criá-los e a possibilidade de “fabricação” de um criminoso devido aos fatos anteriores.

    O pior de tudo isso é que esse decisão é um fato gerador das clínicas ilegais de aborto.

    Espero que isso não passe na votação em plenário!!!

    • O risco, Fortunato, é juntar as bancadas evangélica e católica com os conservadores em geral… Capaz de passar.

      • Não duvido nada que passe. Um baita retrocesso.

        • O tema realmente não pode ser tratado de forma tão superficial, pelo que tá parecendo. A discussão tem que ser feita do ponto de vista do direito(de ambos) e da saúde pública.

        • De fato, um baita retrocesso. O pior é que se passar vai aumentar a quantidade de abortos, feitos em qualquer lugar sem os mínimos cuidados. Ou seja, essa lei não evita o aborto, pelo contrário, acho que vai aumentar os abortos feitos às escondidas.

      • Presado Marco
        Retrocesso é ver o país com tanta roubalheira, a crise na saúde, na educação e que em mais um ano de eleição a população na acorda para mudar esta situação.

        Ao invés de estar aqui dizendo que defender a vida é um retrocesso, vamos lutar por um país que favorece aos pobres, necessitados, que possa haver igualdade social e não mais crime como este, pois de crime o Brasil está cheio.

        Defender a vida é lutar por dias melhores.

        • É,vamos lutar para que cada mulher seja estuprada e ainda receber um “bolsa estupro”,aí a cada esquina uma mulher com DST,né?
          E o aumento de casos de mulheres que jogam as crianças em valas ou em sacos de lixo!
          Sim vamos lutar pela coisa mais irracional que podiam criar nesse país.
          Vai nessa ingenuidade ¬¬

        • Aíla, como vcê mesma citou, nosso sistema educacional e de saude públicas, estão em crise, um colapso eterno, e vcs ainda querem mais crianças para lotar escolas/creches e hospitais/postos

    • Para isso existe o dispositivo da Adoção. Ao invés de matar, entregue para uma família que queira aquela criança.

      • o dispositivo da adoção é muito bom para os filhos não planejados e concebidos por descuido dos pais, aqui o que se deve discutir é que esse projeto está tirando o direito de aborto em casos que eram previstos em lei, ele não trata de proibir aborto, isso já é proibido, somente sendo permitido em casos de estupro ou de risco de vida, vc alguma vez imaginou o que seria gerar por nove meses um fruto de um estupro e a cada enjoo, a cada mexida, a cada chute desse feto essa mãe ter de lembrar de todo o ato que sofreu?
        vem um pouco pra realiddade caro(a) WTF.
        E só pra constar, acho que quem quer opinar em alguma coisa deveria mostrar pelo menos o nome e o sexo, é muito fácil contestar alguma coisa sem se expôr.

  • Inconstutucional, só isso que tenho a dizer. Fere a dignidade da pessoa humana, força a mãe a arriscar sua vida, por aí vai.

    É incrível como absurdos como esse ganham força no Brasil. Ninguém apresenta um argumento consistente para ser contra o aborto, ainda mais nestes casos que já são previstos na legislação. É pura e simples insanidade religiosa.

  • Concordo que a mulher tem direito ao próprio corpo, mas não podemos usar o aborto como anticoncepcional. A criança também tem direito. Sou a favor do aborto no caso de risco de morte e no caso de aborto, dependendo da idade da mãe. Adoção é uma opção plausível, acredito.

    Sou contra o aborto, mas não contra a legalização.

    Deus nos deu livre arbítrio. Arcamos com as consequencias de nossas escolhas. Seja qual for.

    • Corrigindo: “e no caso de estupro, dependendo da idade da mãe”

    • Quem faz bom uso do “livre arbítrio” não engravida.

      • Por isso que digo, o aborto não pode ser usado como anticoncepcional. A mulher tem direito sobre o seu corpo, mas se dentro dele existe outra vida, quem nos deu o poder de decidir sobre ela? Sejamos responsáveis antes e evitemos a concepção indesejada.

        • Alessandra, responsabilidade nao eh a questao aqui. Voce acha que quando duas criancas de 14 anos resolvem “dar umazinha” eles tem consciencia das consequencias?

          Essa conversa de “so deus pode tirar uma vida, blah, blah, blah” Eh uma coisa preocupante! O Brasil eh um estado laico. A igreja que vah cuidar de seus padres pedofilos e deixe as pessoas de bem viverem em paz.

        • Marcos Araujo, o problema é dos pais que não educam.

          Se você acha que a melhor forma de resolver uma gravidez na adolescência é um aborto, você é um irresponsável.

      • Com certeza, e o mau uso do “livre arbítrio” seria escolher ser estuprada?
        Quem tem essa escolha? Ninguém!
        Se liga!

        • Ninguém está discutindo o estupro, mas o aborto.

          O mau-uso do livre arbítrio que ele está dizendo é uma gravidez acidental.

      • voce ja foi adolescente? acho que nao!
        entao nos mulheres temos que sempre usar camisinha feminina antes de ir trabalhar, estudar “ops” sou virgem, mas tenho que me proteger và que um tarado aparece, ou vou sair ja pronta pra ceder ao sexo masculino?! depois engravido a responsabilidade é só minha!? e a gestacao indesejada, o feto rejeitado que condicoes psicológicas essa mae vai ter será o futuro:marginal,pedófilo, etc… devemos seguir a “moral” da sociedade, existe?se fizermos um aborto cabe a deus somente à ele julgar mas nao ao homen que tao pecador quanto a mulher que achar nescessário fazer! direito à vida certo?optar entre a mae que ja sabe o que è viver?! ou um ser que nem sabe?, e nas condicoes e o mundo do jeito que esta; o feto se assasina!!!!!

    • Também sou contra à legalização!!! Se assumiu a responsabilidade da liberdade sexual, tb deverá assumir o resultado da concepção.
      Mas sou contra tirar o direito de uma mulher ter o livre arbítrio de tirar do seu corpo e de sua vida, o fruto de um momento tão brutal, que foi o estupro!!! Porque uma criança gerada desta maneira será a lembrança viva de um estuprador e do lixo de uma sociedade.
      Só irá aumentar as clinicas ilegais…Sou médica e sei o que vejo nos hospitais como consequencia de um aborto ilegal. Imagine uma inocente, vítima de um estupro, pagar com sua vida após o aborto ilegal, o crime cometido por outra pessoa?
      Que vergonha sra. deputada Solange Almeida

      • A “inocente” e “vítima” deixou de ser ambos quando partiu para o assassinato da criança sendo gerada no seu ventre.

        Se por conta disso ela morrer, não vejo injustiça.

    • Prezada ALESSANDRA,
      PAZ E BEM,
      Identifico alguma confusão nas suas idéias. É cientificamente impossível usar-se o aborto como anticoncepcional.
      A ciência médica já demonstrou que, em caso de risco de vida é há procedimentos médicos possíveis de salvar tanto a mãe como o nascituro. Sim a adoção é uma saída, por que não priorizá-la em vez de matar o nascituro?
      Fraternalmente,
      CID PEREIRA

      • Isso aí,vai a geral engravidar e tudo enfiar em um lugarzinho lá,onde tem “muitas” pessoas querendo adotar.
        Sabiam que 50% da população nasceu ao acaso?Como vai ficar a droga dos orfanatos com tanto pirralho,e ainda nem todo mundo é adotado,e os que são são os bonitinhos e tudo mais.
        E aqueles que completam 18 anos lá são expulsos para o mundo,e de lá eles tem que se virar sozinhos e MUITOS vão para o lado da violência,do crack,e o uso do crack no Brasil já atinge todas as classes sociais,sabiam?E vem aumentando seu uso diariamente!
        Acham que essa pedra é fácil de controlar?
        De cada 10 pessoas viciadas apenas uma sai do vício.
        A maioria deles morrem na mão de traficantes.

      • Adoção é uma ALTERNATIVA da mesma forma que o ABORTO É UMA ALTERNATIVA. Cabe a mulher decidir o que vai fazer nesse caso. Ninguém pode, em nome de uma futura adoção, OBRIGAR uma mulher a carregar na sua barriga o fruto da violência que sofreu. Todo mundo trata o aborto como se ela fosse se submeter a outra violência, mas o parto do produto de um aborto é tão violento quanto..

  • Sou a favor da legislação como é hoje: aborto permitido em caso de estupro e de risco de morte para a mãe. Nem liberar indiscriminadamente o aborto, nem proibí-lo em qualquer caso.

    • Estou com o juan nessa, nem liberar totalmente, nem proibí-lo. E ainda sou a favor dos estudos com células tronco.

      • Existem técnicas alternativas parar obter células-tronco que não são embrionárias.

  • Por que que legalizar aborto se existe pílula e camisinha? o que precisa é haver educação sexual e melhorar o acesso da população aos métodos contraceptivos.

    No caso de estupro, precisa-se haver uma ação estatal e orientação eficiente para atender essas vítimas logo após o ocorrido, na qual a mulher seria prontamente medicada com a pílula do dia seguinte e receberia todo acompanhamento psicológico do Estado.

    Não foi a criança que cometeu o crime, logo ela não pode ser penalizada por tal. O Estado e a sociedade devem incentivar e criar mecanismos de adoção.

    Já em relação em caso de risco de morte da mãe, deve-se priorizar a primeira vida, a já existente e formada. É o único caso que eu vejo como admissível.

    • OK, a pílula do dia seguinte é a melhor saída. Mas caso ela não tenha sido usada e a mulher esteja grávida devido ao estupro, o aborto é um direito óbvio. Em nome da dignidade humana, não se pode obrigar uma mulher a carregar nove meses no ventre o fruto do estupro.
      Tem outra ainda: defendo também o aborto em caso de bebês anencéfalos, que morrem logo após o parto. Também é absurdo obrigar uma mãe a esperar nove meses por uma criança que com certeza não viverá.

      • Considerável, entendo, mas eu acredito que o direito à vida está, naturalmente, acima do ilusório conforto psicológico da mulher.

        • Não é ilusório. É real.

        • Graças a Deus, minha mulher está muito bem de saúde meu filho não é anencéfalo, e não surgiu de um estupro.

          Nas duas primeiras hipóteses, eu certamente defenderia o aborto. Na terceira, bem… eu seria um criminoso e nem estaria aqui postando.

          Concordo com o primeiro comentário do Marcelo, bem como o segundo do juan.

          Mas, Marcelo, tenho que dizer que o “ilusório conforto psicológico” não é ilusório e nem é apenas psicológico.

          Assim como você, não sou mulher, portanto só posso imaginar o que é sentir náuseas e enjoos (desconforto do aparelho digestório), não suportar determinados odores (desconforto do aparelho olfativo), caminhar com dificuldade (desconforto dos músculos), ter inchaço nas pernas e tornozelos (desconfotro do sistema linfático), sentir a pelve se alargando em face do crescimento do feto e sentir dores na coluna o tempo todo (desconforto dos ossos, isso dói), – para, no final, parir um anencéfalo, que não vai mamar, não vai engatinhar, não vai tomar banhinho nem usar fraldinhas, não vai aprender a andar, nem comer sozinho, nem falar… não vai viver (e aqui o desconforto psicológico, que parece bem real).

          Você vai entender melhor quando tiver uma esposa grávida em casa.

        • Direito à vida Marcelo?
          Supostamente aquela que vc não queria ter ao saber ser rejeitado por ter sido fruto de um estupro!!!!
          Dificil achar que a saúde pública funciona assim: estupro-hospital-maneiras anti-conceptivas-casa. Já imaginou a vergonha de uma mulher perante à sociedade após seu estupro? Ir dar queixa em delegacias que demoram horas para formalizar o boletim de ocorrencia?
          Muito bom nascer em berço esplendido e defender a proibição do aborto após a concepção de um ato de brutalidade e vergonha. Pq a criança que virá a nascer será isso:fruto de um lixo da sociedade, um estuprador

        • Ah, sim, o conforto da mulher não precisa entrar em questão. Grandes coisas esses pequenos traumas, estupro, filho natimorto, não é mesmo?

          Afinal, a mulher é só uma encubadora, depois que a sagrada semente masculina entra em questão, ela perde todos os direitos de escolha.

          Falando sério, eu não tenho certeza se abortaria nos casos previstos pela lei, mas gosto de saber que estas opções existem. É muito fácil falar quando a gente não vive o problema ou não pode vir a ter o problema. Sério.

    • “na qual a mulher seria prontamente medicada com a pílula do dia seguinte e receberia todo acompanhamento psicológico do Estado.”

      E nos casos em que um pedófilo abusa sexualmente por anos a criança, ameaçando-a e por isso ela não conta para ninguém. De repente, adivinhem?! Ela fica grávia aos noves anos e só é descoberto por ela mesmo dois meses depois? Aí não vale mais pílula DS… e aí ela corre o risco de morrer… e aí NÃO pode fazer o aborto segundo sua defesa, Marcelo! E aí?

      • Neste caso a criança correria risco de vida, e como opinei anteriormente, é quando vejo que o aborto é admissível.

        • Antes ou depois de checar cuidadosamente todos os recursos possíveis na medicina?

    • Voces sabem quanto custa um pacote de camisinhas? Quanto custam anticoncepcionais convencionais ou mesmo a pilula do dia seguinte? Num pais em que uma parcela consideravel da populacao eh pobre ou miseravel, quantas pessoas voces acham que podem arcar com estes custos?

      Abram os olhos, minha gente!

      • E a população estaria disposta a pagar mais impostos considerando que a legalização estimularia ao sexo irresponsável e consequentemente incidência de busca ao atendimento do SUS visando um aborto? Não perpetuaria a deseducação sexual, assunto que incomoda alguns segmentos da nossa sociedade? Basta lembrar a polêmica surgida quando educadores se preocuparam com o assunto lançando uma polêmica cartilha para jovens alunos… Educação em primeiro lugar. Gravidez não acontece por acaso e existe uma infinidade de métodos anticoncepcionais ao alcance de qualquer pessoa responsável.

        • será que até agora essas pessoas que ficam aí dizendo que não pode legalizar o aborto ainda não perceberam que aqui não se trata de liberar e sim de garantir o que hojé é lei?

        • Gezy, imagine a seguinte situação – filhinha de 10 anos saindo da escola, após uma aula de ducação sexual, conversando com as amiguinhas, vem um delinquente e estupra essa meniniha fofa e cheia de vida… resultado, gravidezn INDESEJADA, por ela, e pela família… o que vc faz?
          diz a ela, olha gera esse fliho de um monstro que o governo vai bancar ele até os 18 anos meu anjinho!
          é isso que vc faz?
          reveja seus conceitos!

      • Estão disponíveis camisinhas nos postos públicos.

    • Prezado MARCELO
      PAZ E BEM,
      Há no seu pronunciamento alguma confusão.
      Se o nascituro não pode ser penalizado, eis que não cometeu nenhum o crime, o que seria mediacar a mãe com a pílula do dia seguinte?
      Se no caso de risco de morte da mãe, deve-se priorizar a vida já existente e formada, você fica num dilema de impossível solução. A mãe é vida já existente e formada. O nascituro não é vida, não existe? Se não existe por que toda essa movimentação em relação a uma coisa que não existe?
      Tanto a mãe como o nascituro estão completos, desde a concepção, apenas durante toda as suas vidas eles apenas se desenvolvem, para tal só precisam de nutrientes, ar e alimentos, nada mais. Ambos são seres vivos de igual importância.
      Fraternalmente,
      CID PEREIRA

      • Não,o nascituro não chega a ser um ser completo,ele apenas existe,o que o aborto faz e não deixar que sua existência se complete na sociedade.
        E na fase de células ela é apenas uma junção de genes,genes são genes seres completos são seres completos.

        • Isso é aberto à discussões.

  • Mas essa aprovação não é definitiva, certo? Ainda vai passar por votação, né?

    “Comissão de Família”. Será que é conservadora?

    • Isso, Mário. Tem que ser aprovado por outras comissões, no plenário da Câmara, no Senado e, por fim, sancionado pelo presidente. Só aí que vira lei.

  • Sou totalmente a favor do aborto em qualquer situação por questões sociais, demográficas, políticas e econômicas.

    O Brasil ainda vai precisar discutir muito seriamente isso como fizeram os europeus.

    • Concordo totalmente.

      Do jeito que as coisas estão hoje, eu acho até que o Estado deveria incentivar o aborto, facilitá-lo, estimulá-lo, criando uma espécie de bolsa-aborto ou qualquer coisa do gênero.

      No ritmo que a Terra vai, em 2060 isso aqui vai estar simplesmente inabitável.

    • Os europeus não são aqueles civilizados que fizeram duas grandes guerras no século XX com cerca de 60 milhões de mortos, os campos de concentração, o fascismo, a xenofobia, as guerras da Bósnia, o colonialismo, organizaram a tortura e fizeram os seus principais manuais na guerra de independência da Argélia contra a França, que tiveram um a península ibérica sob ditaduras o século XX quase todo, que quando quiseram explicar o mundo, primeiro disseram que ele formado por estruturas, depois mudaram de idéia e disseram que não era feito por nada e que todas as coisas estão corretas porque não podem ser comparadas com nada a não ser com elas próprias, pôxa, como são civilizados, muito acima de nós, devendo mesmo ser os nossos modelos.

      • Também são os europeus os responsáveis por trazer o catolicismo até nós e toda a sua peleja contra o aborto. Portanto, nós não temos originalidade alguma sobre quase nada. Nosso modelo de concepção de vida humana é totalmente católico romano.

    • O pessoal esquece q somos um estado laico!!! CAso seja contra Deus que a pessoa depois se entenda com ele.

      • Parabéns Tati, não sou a favor do aborto, mas sou sim a favor da legalização, apesar de não ser esse o tema da discussão, acho que cada um deve decidir, e as religiões que cuidem de conscientizar seus fiéis para que não façam, acho que cada um deve decidir, hoje há um limite de consideração para o fim da vida, o sujeito vive enquanto seu cérebro funciona, acho então que deveria ser a mesma coisa pra a vida começasse, que fosse considerada vida só a partir do fucnionamento do cérebro. Volto a afirmar não sou a favor do aborto, não faria, a não ser que fosse no caso de um estupro, que já sofri, e graças a Deus não engravidei, mas sou a fovor da legalição, e se não for legalizado, que pelo menos permaneça o direito existente hoje.

      • Maravilhosa colocação, Tati.

  • Uma forma interessante de fomentar o aborto e torná-lo interessante para a mulher seria mesmo uma espécie de “salário” ou “seguro” garantido pelo serviço público de saúde (Estado) para que a mulher pudesse fazer seu aborto tranquilamente e ter um pós-aborto seguro e tranquilo também, inclusive do ponto de vista psicológico.

  • Gente!! Por favor estamos no século 21!!

    Proibir o aborto é INACEITÁVEL!!!!

  • O aborto só deveria ser permitido quando há risco para vida da mãe. Aí teria sentido eliminar uma vida em detrimento de outra. No caso de estupro, se a mulher não for morta, há como evitar gravidez ( de forma que não tem sentido esse drama de gravidez decorrente de estupro, mas se o estado não fornece os meios, embora seja sua obrigação, aí são outros 500) e profilaxia para DST’s. Digo isso porque o feto não faz parte do corpo da mãe. Ele o usa para se desenvolver. Se alguém quer defender que cada um pode fazer o que quiser com seu corpo então vá lutar pela legalização da venda de órgãos. Aí, quem quiser vende um rim, medula óssea e etc.

    • Alexsandro,

      O furo do seu argumento é que todos os métodos posteriores à concepção (fecundação do óvulo) são abortivos. Seja a pílula do dia seguinte, seja o que for… Não há diferença conceitual. Você está discutindo se o aborto será no dia seguinte ou depois de um mês.

      Além disso, não há método contraceptivo 100% seguro. Camisinhas, pílulas, injeções, etc possuem margem de ineficiência.

      Portanto, o aborto como instrumento de planejamento familiar não pode ser descartado do ponto de vista social e de saúde pública.

      • Não, Bahé, tecnicamente só é aborto após a fixação do óvulo na parede do útero. Por isso, a pílula do dia seguinte não é abortiva, pois impede justamente essa fixação.

        • Não é bem assim, Juan. A OMS define que a gravidez começa com a “implantação” do ovo no útero. Alguns consideram a implantação como sendo a fixação na parede uterina, outros que seria a simples passagem do óvulo fecundado das trompas para o útero.

          De toda forma, a discussão ético-filosófico sobre o tema desconsidera isso tudo e debate o início da vida: na concepção (fecundação) ou num determinado estágio mais avançado (cujas opiniões variam de algumas semanas ao nascimento propriamente dito). Há argumentos científicos e conceituais sólidos dos dois lados.

          O princípio ativo da tal pílula do dia seguinte é o levonorgestrel, que contém hormônios equivalentes a meia cartela da pílula tradicional (o que é uma dose cavalar), e age de duas formas: 1) tenta impedir que o espermatozóide se encontre com o óvulo; 2) realiza uma descamação da parede uterina para evitar a fixação do óvulo fecundado.

          Ora, na sua primeira ação, o levonorgestrel se assemelha à pílula tradicional, pois tenta evitar a fecundação. No segundo momento, sua ação é abortiva, pois elimina um óvulo fecundado.

          No fim das contas, o debate é ser contra ou a favor do aborto. Seja em qualquer estágio

        • Para mim, pela lógica, “implantação” é a fixação na parede uterina.

        • Bahé, tu sabes a diferença de fecundação e nidação ? O levonorgestral impede a nidação.
          Já o aclamado e glorificado ,por alguns, aborto é bem diferente.

        • Abortamento é o processo de interrupção da GRAVIDEZ. Bem diferente do uso no levonorgestrel que impede a NIDAÇÂO. Pelo teu raciocínio masturbação é um genocídio.

        • Não importa se impedir a nidação é ou não aborto. De acordo com o projeto aprovado, um óvulo fecundado* é um ser humano e tem direito à vida e, portanto, métodos anticoncepcionais baseados no impedimento da nidação, como DIU e a pílula do dia seguinte, tornam-se ilegais.

          *o Art. 2º fala em “concepção in vitro”. Como não ocorre “nidação in vitro”, fica claro que o projeto considera que concepção equivale a fecundação.

        • Rafael, isso sim é um artigo criado por quem não entende o que está fazendo. Por esse raciocínio, se vc se masturbar, com todo respeito, você se porta como um Hitler ou um Stalin. A única diferença entre antes e depois da fecundação é que a célula de haplóide passa a diplóide. Tem algum artigo quem condena a morte de células diplóides ?

        • Alexsandro, o texto não fala nada sobre células haploides ou diploides. Aliás, o texto não tem nenhuma definição científica clara. Tudo é, lamentavelmente como sempre, passível de ampla interpretação.

          Agora, tenho que dizer que seu argumento sobre masturbação masculina é fraquíssimo. É uma variação da falácia da encosta escorregadia. Ao longo de todos os estágios da formação humana você pode dar uma interpretação na qual os estágios se diferenciam fracamente. Fazendo um bom jogo de palavras, você também poderia argumentar que abortar um feto equivale a assassinar um recém-nascido (como argumentam, aliás, quase todos os “pró-vida”).

          De qualquer forma, não tenho interesse em discutir se a pílula do dia seguinte ou o DIU são abortivos ou não. Estou meramente alertando que, aos olhos do projeto de lei aprovado ontem, isso é irrelevante.

        • Alexsandro,

          Você e eu sabemos que nidação é quando o embrião se fixa no endométrio, que é justamente o que discutia acima com Juan.

          Quanto à masturbação, amigo, não pode ser considerado interrupmento da vida pois os espermatozóides não teriam cumprido com a premissa de encontrar-se com um óvulo.

          A não ser que você conheça algum tipo de óvulo voador ainda não catalogado pela ciência.

      • “No segundo momento, sua ação é abortiva, pois elimina um óvulo fecundado”.

        Se a pílula DS impede que o espermatozóide fecunde o óvulo como o óvulo “fecundado” é liberado? Se houve o impedimento, não há fecundação. Se não hpa fecundação, não há método abortivo…

        • É abortivo pq impede que o óvulo fecundado se fixe na parede uterina.

  • Esse blog tem se tornado piada. Num post anterior muitos dizem que matar bandido é crime. Mas, em outro, defendem o aborto. Quem entende ? É melhor rir. KKKKKKKKKKKKKKKKKK

    • Apoiado, Alexsandro!

      Que tal mostrar a filmagem de um feto tentando se defender do aparelho de sucção?

      • Se defender o caramba,ele nem tem noção de sua existência imagina saber do que o aguarda.

    • Dessa vez vou concordar contigo (pois discordo quando o assunto é política)…se bem que o assunto não deixa de ser político, mas enfim o que constato é que a gente usa as expressões de acordo com nossas conveniências…falam tanto de Princípio da Dignidade, de Direitos Humanos, mas quando o assunto é aborto “cada um tira o seu da reta”…também contribui para isso o fato do assunto estar sendo conduzido no legislativo por bancada de religiosos, o que termina dando munição pra aqueles que defendem o aborto como anti-concepção, método de contenção demográfica ou, simplesmente, como uma saída pra aquela noitada em que o estado etílico fez com que a camisinha e a pílula fossem esquecidos…tanta liberdade, mas responsabilidade que é bom…tem até gente sugerindo bolsa-aborto…tratar questões sociais desse jeito é fácil né!!

      • Postei o comentário de maneira incorreta. Era pra ter sido uma resposta ao comentário do Alexsandro logo acima.

  • Eu gostaria que essa deputada fosse estuprada e engravidasse. Gostaria de saber se a opinião dela seria a mesma.

    • Justo é se perguntar, se foi a criança que cometeu o crime?

      • Como eu perguntei ontem para o Paulo: “que criança?”

        Um zigoto não é uma criança.
        Um embrião não é uma criança.
        Um feto não é uma criança.

        No dia em que você for a um restaurante, pedir um ensopado de frango e receber à mesa uma sopa de ovos você vai entender a diferença.

        • Para mim não há diferença, não como nenhum dos dois. Sou vegetariano. Vida pra mim vale muita coisa, seja animal ou animal-humano.

        • “Potencialmente” é uma criança sim…

        • Mas não vale esse potencial,estragar uma pessoa que demorou anos para chegar onde esta na vida.
          Aquelas garotas que sairam da pobreza,e se cuidaram,então vem uma maldita notícia de sua gravidez,ela teria que sacrificar a vida dela para tomar conta de um potencial indesejado?
          Absurdo comentário,egoísta se achar no direito de obrigar uma mulher carregar uma coisa que nunca quis!
          É ser a favor dos conceitos da igreja quando dizem isso,que o homem obrigava a mulher a ter herdeiros.
          É ridículo,é REALMENTE voltar aos tempos antigos,e ainda essa lei estúpida que favorece O ESTUPRADOR,porque?”Bolsa estupro”,então a mulher fica na boa?
          CARA o Brasil é PODRE!
          Chega dessas porcarias de bolsas idiotas que só incentivam o desleixo e a preguiça da população,é só terem filhos que ganham essa porcaria.
          E agora PIOROU porque estão favorecendo o estupro e grande numero de pessoas com DSTs!
          Acha que o estuprador tem remorso?Acha que Deus existe quando a igreja permite que o homem estupre a mulher,mas não condena os padres que abusam de crianças?
          O que dera uma criancinha de 9 anos que engravidou do PADRASTO!E quando ela aborta tem um retardado pra excomunga-la,eu achei certo que ele fez isso porque quem adota esse tipo de religião vive uma escravidão indireta.
          Esse país essa igreja deviam ser queimados no inferno e serem torturados até desmaiarem de dor e ficarem em coma!

  • Alexandre,
    Tenho certeza que se um estuprador te colocasse de quatro em um beco escuro vc pensaria da mesma maneira ne?

    • Esses melodramas não me comovem. Já ouviu falar em levonorgestrel ? Se o estuprador não matar a mulher, há como evitar gravidez. Agora, se o estado é ineficiente a culpa não é minha. Agora,se ele matar a mulher, com certeza aparecerá quem o defenda, alegando que ele é vítima da desigualdade social.

      • Eu queria que acontecesse com vc. Falar é facil meu amigo. Até pq pimenta no olho dos outros é refresco.

        • É obrigação do estado garantir que a estuprada não engravide. O resto não passa de melograma de quem não tem argumentos.

        • A obrigação do Estado é garantir a qualidade de vida do cidadão. A mulher é um cidadão, o feto não é.

        • É?

          As mulheres não eram cadadãs há pouco tempo. Assim como os índios, os negros, etc.etc. etc.

          E aí? quando eles(as) não o eram, vc quer dizer que as atitudes do Estado daquelas épocas éram certas?

        • Exatamente pelo fato da mulher ser cidadã o estado tem a obrigação de fornecer meios para ela evitar a gravidez se estuprada! Entendeu, ou tá difícil ?

      • *%$# Alexsandro, põe o estado pra funcionar então!
        Isso não funciona aqui no BR cara, cai na real!

      • Alexsandro, se o estado não garante esse direito a mulher que lasque né, muito bonitinho da sua parte, além do fato desse método não ser anticoncepção e sim abortivo, uma vez que o projeto diz que a vida existe desde a fecundação… vc além de egoísta quando diz que o problema não é seu, também é um ibecil nas suas afirmações. E dizer que o resto é melodrama de quem não tem argumento… vc é incencível, inocente ou realmente imbecíl.

  • Sou contra o aborto, mas o tolero em casos extremos, como estupro e risco de vida mãe. Esta solução moderada me parece mais adequada.

    Sou contra o aborto, mas o tolero em casos extremos, como estupro e risco de vida mãe.

    Logo, sou a favor da manutenção da lei atual. Tem muita coisa boa legislação brasileira que, infelizmente, muda para pior só para os parlamentares fazerem mídia.

    O que não acho legal é ver o blog propagandeando a legalização do aborto como se fosse um “avanço”. Cometem o mesmo erro daqueles que são contra o aborto em toda e qualquer ocasiãi. É radicalismo dos dois lados.

    • Danilo,

      Se você reparar direitinho no post, não há esse tratamento de “avanço” sobre a legalização do aborto. O que foi posto é a perda de direitos que hoje as mulheres já têm.

      As opiniões particulares de cada um de nós estão postas nos comentários.

      Abs.

      • Bahé.

        Colocar o aborto como uma questão de “direito da mulher” é um equívoco já de princípio.

        • Arnaldo,

          Quando a gravidez ameaça a vida, a dignidade ou o bem-estar psicossocial da mulher, a decisão sobre o aborto seria direito de quem?

        • A decisão é nossa, responsabilidade da coletividade. É até covardia para com as mulheres (disfarçada de valorização, direitos, etc.) a transferência dessa carga de decisão.

        • Sei, a decisão é “nossa”, mas quem perde a vida é ela? Interessante…

        • Não estou defendendo a perda de vida de ninguém. Nem sequer afirmei categoricamante e unilateralmente que o aborto não pode, em algum caso, ser admissível. Agora colocar essa questão como se fosse uma fútil escolha individual, como a simples compra de uma neosaldina para uma enxaqueca, é tripudiar demais do conceito e valor da vida.

      • Responsabilidade da coletividade Arnaldo???
        Que m**** é essa?
        A decisão é da mulher sim!!!
        A coletividade funciona bem na hora de julgar, mas pra se responsabilizar por isso depois nada né….
        Tu e o teu coletivo salvam o feto pra poder nascer e depois??? daí o Arnaldo é só um né, na hora que a coisa aperta acaba-se o coletivo!

  • Se passar o STF declara inconstitucional.

    • Falou Gilmar Mendes!!!!

  • parabens a deputada solange almeida e aos autores do projeto a criança deve ser protegida desde a concepção.Ela não tem culpa do pai ser estuprador….

    • Que criança?

      • Exato, xará.
        Em caso de estupro, ou risco de morte para a mãe, sou totalmente a favor do aborto. Proibir isso é voltar no tempo.

    • É, ela não tem culpa, mas vai carregar esta culpa pela vida toda: ser filha de estuprador, rejeitada pela mãe por isso e, finalmente, colocada para adoção. Se der muiiiiiiiiiiiiiiiiiita sorte, pode encontrar uma boa família e ser feliz apesar de tudo. Mas estamos no Brasil né, não adianta sonhar tanto. A probabilidade é que seja mais uma criança que ninguém quer na enorme fila de adoção.

      • Ah, então vamos matá-la, antes de dar oportunidade da historia de vida dela ser bem diferente.

        • matar como??? se nem é vida ainda!

        • Sem estar propriamente viva, não pode ser morta. Mas pode e deve ser eliminada.

    • Paulo, em primeiro lugar quero que fique ciente do seguinte: não desejo-lhe mal algum pelas suas congratulações aos infelizes autores deste esdruxulo projeto. Pois você ainda é livre para pensar e ter suas opiniões. Mas do jeito que caminham as coisas em nosso país, creio que esta sua liberdade, assim como a de todos brasileiros está por um fio! Se liga cara! Você tem a sua família, circulo de amigos e obviamente entre estes existem pessoas do sexo feminino. Pois muito bem, imagine que aconteça um estupro de um seu ente querido, suponhamos que seja uma criança que nem se quer tenha o seu útero já totalmente formado. Pergunto-lhe: Serias capaz de ser insensível? Não lhe cresceria a revolta? Não buscarias um meio de aplacar sua dor? Não chorarias? Serias capaz de dizer que a criança deve ser protegida desde a concepção? Que ela não tem culpa do pai ser estuprador? Não se desesperaria com o trauma desta criança? É totalmente verdadeiro o ditado: Pimenta no … dos outros é refresco. Faço-lhe este comentário pelo simples fato de sentir-me indignado com pessoas que vêem a vida por um angulo só. Sabes muito bem que a pedofilia, a prostituição de crianças, a podridão do mundo, o pouco caso das autoridades cada dia impera mais. E como se não bastasse isto, ainda me vem você dando demonstrações de que não valoriza sua progenitora e nem o seu nascimento. Porque se valorizasse, jamais parabenizaria estes parlamentares destituídos de cérebro. Sim! sou defensor de toda e qualquer mulher! Pois foi uma quem me deu a vida. Além do que elas já carregam muitas culpas que homens lhe imputam. Não achas tu que a mulher deveria ser mais respeitada e amada?

  • “Enquanto continuarmos tentando legislar a moral, estaremos todos em desgraça”.

    Li essa frase num comentário do Slashdot e não tem coisa mais certa. Não se pode legislar a moral. O importante é focar nas implicações práticas.

    Não adianta codificar em lei se é certo ou errado abortar. O fato é que o aborto existe independente da lei. Sendo ele ilegal, será realizado de maneira precária, matando milhares de mulheres por ano.

    Não adianta codificar em lei se pena de morte é certo ou errado. Ela acontece todo dia. Sendo ela ilegal, só os ladrões das nossa cidades julgam, condenam e executam cidadãos diariamente, segundo seus próprios códigos de ética, moral, dignidade e honra.

    Não adianta codificar em lei se consumir, vender e fabricar drogas é certo ou errado. As drogas são consumidas por quem quer, independente da lei. Sendo ilegal, tudo vai acontecer fora das vistas da sociedade, sem controle de dose, sem informação, sem direito do consumidor, sem vigilância sanitária, sem estatística. Pior ainda, na “guerra” ao “tráfico”, morrem civis e agentes públicos, por nada. Morrem pessoas vítimas da máfia que se desenvolve em torno de todos os negócios ilegais. Morrem muito mais pessoas nesse processo inútil do que seria possível matar de overdose se essas porcarias fossem legalizadas e controladas.

    É por essa atitude imbecil e inconseqüente que os estados do mundo todo assassinam cidadãos (direta e indiretamente) na guerra contra as drogas. A imbecilidade do jeito estadunidense de legislar chegou até a tratados internacionais, que a ONU tem a audácia de nos impôr goela abaixo.

    Vivemos na merda que estamos neste século por causa de lobistas e religiosos cretinos no poder legislativo. Na próxima revolução popular, devíamos enforcar todos.

    • Vc começou o texto tão bem…Concordo com primeira parte. Pq colocar a culpa do mal do mundo nos EUA, não dá, né?

      • Se a legislação nacional é alinhada cuidadosamente com tratado imposto pela ONU (sob pena de sanções diplomáticas), se a ONU resume-se, na prática, ao Conselho de Segurança, se quem manda no Conselho de Segurança são os EUA, a culpa é de quem?

        Minha é que não é.

        O mundo tem muitos males, mas este mal específico é uma doença artificial cuidadosamente cultivada por uma dúzia de famílias pilatnras.

        Dica: a indústria bélica não vive só de guerra. Vive de “segurança doméstica” também, e isso inclui combate às drogas.

        Se você olhar o mapa-mundi através de um rolo de papel higiênico, só dá pra ver uma parte de cada vez.

  • Parabéns à deputada machista fundamentalista-religiosa que nos põe pau a pau com países teocráticos na legislação sobre aborto.

    http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/aborto+no+brasil+e+tratado+igual+no+sudao/n1237620891778.html

    Estamos no caminho de nos tornar uma idiocracia feito a euamericana.

    • Libera geral então…

    • Mate uma criança mas não mate um pé de mangue!

    • Pois é Robson, tanta preocupação com as causas ecológicas e ambientais, com os caranguejos e siris, mas quando se trata de um feto, de uma vida “em potencial”, o tom do discurso muda né…lamento, sinceramente, até porque concordo com a maioria dos textos que vc posta, mas nesse caso, como mulher que tem o livre arbítrio de usar sua sexualidade como bem quer e entende, em uma época em que existe uma gama de métodos anti-conceptivos (exceção em relação às que são estrupradas), fico estarrecida como nossa “pseudo-avançada” sociedade trata a questão do aborto, querendo fazer dele um método anti-conceptivo e até de contenção demográfica…outro equívoco é apontar qualquer pessoa que se opõe ao aborto como um fundamentalista religioso, não é uma questão de religião, é uma questão de humanidade. Percebo que velha retórica constitucionalista do Princípio da Dignidade se amolda ao objeto do nosso discurso de acordo com nossas conveniências…lamentável!

      • É, cara Patricía, o defensor das gramíneas é a favor do aborto. Se tiver celulose na parede celular, vive, se não, morre.

      • Patrícia.

        Minha falta de tempo não me permitiu postar com um pouco mais de palavras contra a recorrente hipocrisia do Sr. Robson. Você o fez com muita competência. Acompanho o AC há algum tempo e vejo que o personagem mais fundamentalista que circula por aqui é o Sr. Robson.

  • Esse projeto é uma idéia estúpida baseada em um argumento primário.

    Não supreende que venha de um parlamento que mistura em harmônica proporção semi-analfabetismo, má-fé e leniência.

    Os conceitos manuseados pela deputada não têm qualquer pertinência com a atividade legislativa em uma república que se diz balizada pelo direito e laica.

    Pagar por erros de pais é retributivismo de lei mosáica. Não há pagamentos, nem erros nessa estória. Alias, no afã justificador a deputada incorre na ilogicidade.

    As possibilidades de interrupção da gravidez não são imposições de pagamentos por quaisquer erros. São possibilidades legais estabelecidas em função de aspectos médicos e de proteção das vítimas de crimes.

    A deputada, estupidamente ou de má-fé, erige um monumento ao estupro. Uma homenagem ao princípio caro a nós, bárbaros, da culpabilidade das vítimas.

  • Não vai passar pois está indo na contramão da sociedade e do entendimento dos Tribunais Pátrios.

    Gostaria de fazer uma ressalva quanto a forma como o Marco relacionou a concepção com o momento em que o espermatozóide fecunda o óvulo. O entendimento majoritário não é esse Bahé, mas, sim, que se dá a concepção em uma fase em que o óvulo já fecundado se prende à parede do útero da mãe.

    Além desse, existem vários outros posicionamentos.

    Logo, não fique achando que o termo concepção possui conceito pacífico entre os profissionais da saúde e do Direito não.

    Senão jamais poderiam os abortamentos em casos de estupro e feto anencéfalos serem permitidos, pois, desde a entrada em vigor do Código civil de 2002 já se previa a proteção aos direitos do nascituro desde a concepção, senão vejamos:

    Art. 2o A personalidade civil da pessoa começa do nascimento com vida; mas a lei põe a salvo, desde a concepção, os direitos do nascituro.

    http://www.planalto.gov.br/ccivil/leis/2002/L10406.htm

    Abçs

    • Carrilho, diante de seu argumento, fui pesquisar. Vejamos o que dizem alguns célebres livros utilizados nas escolas de medicina do mundo:

      “Zigoto. Esta célula resulta da fertilização de um oócito por um espermatozóide e é o início de um ser humano… Cada um de nós iniciou a sua vida como uma célula chamada zigoto.” (K. L Moore. The Developing Human: Clinically Oriented Embryology (2nd Ed., 1977), Philadelphia: W. B. Saunders Publishers)

      “Da união de duas dessas células [espermatozóide e oócito] resulta o zigoto e inicia-se a vida de um novo indivíduo. Cada um dos animais superiores começou a sua vida como uma única célula.” (Bradley M. Palten, M. D., Foundations of Embryology (3rd Edition, 1968), New York City: McGraw-Hill.)

      “A formação, maturação e encontro de uma célula sexual feminina com uma masculina, são tudo preliminares da sua união numa única célula chamada zigoto e que definitivamente marca o início de um novo indivíduo”. (Leslie Arey, Developmental Anatomy (7th Edition, 1974). Philadelphia: W. B. Saunders Publishers)

      “O zigoto é a célula inicial de um novo indivíduo.” (Salvadore E. Luria, M. D., 36 Lectures in Biology. Cambridge: Massachusetts Institute of Technology (MIT) Press)

      “Sempre que um espermatozóide e um oócito se unem, cria-se um novo ser que está vivo e assim continuará a menos que alguma condição específica o faça morrer:” (E. L. Potter, M. D., and J. M. Craig, M. D Pathology of lhe Fetus and lhe Infant, 3rd Edition. Chicago: Year Book MedicaI Publishers, 1975.)

      “O zigoto (…) representa o início de uma nova vida.” (Greenhill and Freidman’s, Biological Principies and Modern Practice of Obstetrics)

      • Se vocês analisarem com cuidado o projeto de lei, verão que o Art. 2º tem uma definição implícita de concepção:

        “Art. 2º Nascituro é o ser humano concebido, mas ainda não nascido.

        Parágrafo único. O conceito de nascituro inclui os seres humanos concebidos ainda que “in vitro”, mesmo antes da transferência para o útero da mulher.´´

        Como não existe “nidação in vitro”, fica claro que o texto considera que a concepção humana se dá no momento da fecundação, não da nidação.

        • Ou seja, pesquisa com células-tronco de embriões “never more”…

        • É retrocesso SIM CARAMBA!
          Os outros países vão sair na frente nas pesquisas com células tronco e vamos ter que comprar tudo deles só por essa lei idiota.
          Claro que não vão aprovar,pois o Brasil já disse SIM!Ao estudos com células tronco!E isso teve a aprovação do presidente Lula.
          Essa vai ser mais uma lei que vai ficar dando voltas e voltas e não será aprovada.

  • Os “açougueiros” que realizam abortos em “clínicas” clandestinas agradecem!
    Um brinde aos hipócritas!

    • Pois é.

      • Não entendo certos argumentos pró-aborto. Se existe gente abortando ilegalmente, então vamos liberar? Se este argumento vale, então vamos liberar o assassinato, desde que seja feito com dignidade, sem humilhação. Se existem tantos roubos, prá que lei impedindo, vamos liberar, mas sem violência… e por ái vai. Pior é o cidadão que nega que o nascituro seja uma vida, se até lembranças pé-natais nós temos, e le que seja feliz pela defesa da sua vida que sua mãe fez, e que em nenhum momento ela pensou nela e o expeliu do seu corpo.

        • So que o aborto não é equivalente a esses exemplos que você mencionou.

        • Lembranças pé natais é difícil.
          E na verdade,não temos,só temos consciência de que temos consciência anos depois do nascimento.

  • Realmente, um retrocesso. No livro Freakonomics, levanta-se a queda dos índices de criminalidade em Nova Yorque na década de 90, como efeito da legalização do aborto, “coincidentemente”, 20 anos antes.

    Como falou o “Anônimo”, o aborto vai existir, sendo legal ou ilegal. E se a questão são vidas humanas, a matemática prova que perde-se menos vidas legalizando-o. Há de se incluir nesta conta as mães que perdem a vida em clínicas ilegais, as pessoas que perdem a vida por atos de violência causados por jovens que teriam sido abortados se o aborto fosse legal, etc. A conta não pode considerar somente os fetos.

    De toda forma, o post do Carlos Carrilho me deixa mais tranquilo.

  • A cada dia que passa vejo que o nível dos Dep. estão cada vez pior !!!! Essa Deputada é uma Louca Varrida !!!

  • Poxa… As mulheres erram bastante quando são estupradas e quando os bebês podem provocar a morte da mãe… Tudo é culpa das mulheres.

    E do “papai” estuprador… E é porque é uma DEPUTADA…

  • Ah, brincadeira, né? Que grande projeto… Impedir uma mulher que foi estuprada de decidir se vai querer continuar com a gravidez é brincadeira! Uma vida destruída por um monstro e que agora tem que sofrer mais por conta do estado!!! Imagina acordar todo dia com uma vida dentro de si, uma vida construída sobre a destruição da sua!!!! Há, Bahé, era bom você rever seus conceitos sobre os cristãos, fora os alienados católicos parecem cachorros mancos e cegos, os evangélicos tem visões bem diferentes sobre esse assunto.

    • Entre os evangélicos, Artur, depende de cada denominação… Que eu conheça, só os adventistas têm uma posição mais ou menos flexível. Os neopentecostais condenam o aborto, assim como a maioria dos pentecostais.

  • o pior é que ira dificultar o aborto quando há risco de vida para a mãe, ja que a lei considera os dois co direito à vida. é um retrocesso. embora não concorde com o aborto, exceto pelas duas formas da leis vigentes ate entao

  • ah, cachorros mancos e cegos são os seguidores deste “evangelismo” disseminado em cada esquina…..

  • Senhores, a lei maior, a Palavra de Deus diz: NÃO MATARÁS! Para tanto o aborto é e sempre continuará sendo um crime hediondo. Se o homem é capaz de defender um ovo de tartaruga com pena inafiançavel, porque não faz o mesmo com o “ovo” no utero materno??? Lembrem-se que Deus pedira conta de todos os nossos atos, quer voce queira ou não. Felizmente o Brasil é 97% contra este crime hediondo e, que embora o sr. Presidente da República tenha feito todo possivel para descriminaliza-lo desde o inicio de seu governo e até no PNDH3; a vitoria do bem contra o mal continuará ou seja: A VIDA É O BEM MAIOR QUE TEMOS RECEBIDO DE DEUS.
    NO DIZER DO ESCRITOR MARIO QUINTA ,TEMOS O SEGUINTE:

    “O ABORTO NÃO É, COMO DIZEM, SIMPLESMENTE UM ASSASSINATO. É UM ROUBO…NEM PODE HAVER ROUBO MAIOR. PORQUE , AO MALOGRADO NASCITURO , ROUBA-SE-LHE ESTE MUNDO, O CÉU, AS ESTRELAS, O UYNIVERSO, TUDO. O ABORTO É O ROUBO INFINITO.”

    E NO DIZER DA PALAVRA DE DEUS TEMOS O SEGUINTE:

    PROFETA ISAÍAS 5.20 – AI DOS QUE AO MAL CHAMAM BEM, E AO BEM, MAL; QUE FAZEM DA ESCURIDADE LUZ E DA LUZ, ESCURIDADE; PÕEM O AMARGO POR DOCE E O DOCE POR AMARGO.

    PROFETA ISAÍAS 10.1 – AI DOS QUE DECRETAM LEIS INJUSTAS , DOS QUE ESCREVEM LEIS DE OPRESSÃO, PARA NEGAREM JUSTIÇA AOS POBRES, PARA ARREBATAREM O DIREITO AOS AFLITOS DO MEU POVO A FIM DE DESPOJAREM AS VIÚVAS E ROUBAREM OS ORFÃOS!

    Infelizmente a sociedade tem abraçado valores que banalizam o sagrado.
    Pense nisso! Eclesiastes um dos livros escrito pelo Sabio Salomão diz: Faça de tudo o que o teu coração quiser, porém, lembra que de tudo que fizeres Deus te pedirá contas.

    abç.

    Arnaldo

    • Na boa, Arnaldo?
      O Estado é LAICO.
      Se você acredita no seu Deus, e acha que ele vai te cobrar qualquer coisa, o problema é seu.
      Se sua mulher/irmã/filha acredita que Deus vai cobrar a pseudo-vida que está dentro dela, então, ela que não aborte em clínicas ou use métodos contraceptivos pós-coito.
      Por favor, não venha querer, em nome do SEU Deus, tirar o “livre-arbítrio” e o poder de decisão sobre seu próprio corpo de uma mulher que NÃO acredita nesse Deus.
      Para a informação de vocês, a gravidez não passa de uma eterna luta. O corpo da mãe passa NOVE MESES lutando contra um corpo estranho, que nao é o dela, que está se aproveitando de gases, nutrientes, água. O feto não é nada mais do que um grande PARASITA que consegue suprimir o sistema imune do hospedeiro. Para cada sucesso em uma “gravidez”, uma mulher tem muito mais abortamentos causados pelo seu próprio organismo.
      Supressão do sistema imune, problemas de oscilação de pressão, anemias, sobrecarga dos rins, fígado, coração, são só algumas das consequencias de um feto conseguir evitar ser posto para fora do organismo da mulher.
      Se ela ESCOLHE passar por isso, you go girl!
      Agora, se ela NÃO QUER PASSAR POR ISSO, é direito DELA. É o corpo DELA. E ela que deve lidar com a consciência dela. E não vocês, principalmente se homens.

      Bahé, na realidade, nas melhores universidades do país e do exterior, usam-se livros novos, de, no máximo, 5 anos atrás. Um livro na área de saúde/biológicas publicado hoje no Brasil, já está 3 anos desatualizado. Hoje, os estudantes se formam à base de livros recentes e artigos publicados em revistas de alto impacto, como Science, Nature e outros, com, no máximo, dois anos de publicação.
      Há algumas coisas que não mudaram nos últimos anos, mas 99% mudou, e por isso essa necessidade.

      Grata pela atenção,

      Ana Arcanjo
      Bacharel em Ciências Biológicas
      Mestranda em Biologia Animal

      • Claro, é só ela usar um ou dois, dos “milhares” de métodos anticoncepcionais e não engravidar. Simples assim. O corpo é dela, ela não engravide. Já o feto deve morrer por ser uma parasita. Logo todo parasita deve ser morto. Engraçado é que só aplicam esse raciocínio no caso do aborto. Poderiam aplicar isso em nível de Brasil. Imagina a carnificina.

      • Como conhecedora da Biologia deverá conhecer muito bem a fisiologia do corpo e, obviamente o que se refere a reprodução humana, só não entendi onde a não legalização do aborto vai interferir na liberdade da mulher sobre o seu corpo? Sabemos que uma interrupção de gravidez é sempre traumático para a mulher, que seja espotânea ou criminosa (aborto), por que então não evitar tais consequências através de sexo responsável? Não haveria gravidez e consequentemente desnecessário seria o cometimento do ato criminoso. É preciso consciência antes para o não arrependimento depois. Escolhemos o que semeamos, mas só poderemos colher aquilo que plantamos. O libre arbítrio pode ser usado a nosso favor ou contra nós… Reflitamos…

        • Existe sexo responsável através do estupro, Gezy? Sem consentimento da mulher, pior, contra a vontade dela.
          Isso é ser responsável??
          Tenho certeza que não!

          Agora, reflitamos, se algo monstruoso como isso (estupro) ocorresse com você.
          Imagina, você grávida de um monstro.
          Legal, né?

      • Sra, Ana Arcanjo
        Bacharel em Ciências Biológicas
        Mestranda em Biologia Animal

        O Estado é Laico. E não só isso: é democrático e de Direito.

        Sra, Ana Arcanjo.
        Bacharel em Ciências Biológicas
        Mestranda em Biologia Animal

        Isso significa que o Sr. Arnaldo pode e deve – assim como a Sra., assim como o representante do clube de dominó da sua rua, assim como qualquer cidadão – expressar sua opinião. Estado laico não é Estado em que os crentes não têm vez e voz e possibilidade de influenciar a sociedade, assim como o representante da torcida organizada do seu time preferido.

        Sra, Ana Arcanjo.
        Bacharel em Ciências Biológicas
        Mestranda em Biologia Animal

        A maior probabilidade neste país é de que essa fictícia mulher que a sra. fala – mulher REAL, não uma cobaia de laboratório biológico – acredite SIM no mesmo Deus do Sr. Arnaldo.

        Sra, Ana Arcanjo
        Bacharel em Ciências Biológicas
        Mestranda em Biologia Animal

        O termo parasita revela o grau de redução do valor da vida que a sra. possui em sua fria e cartesiana abordagem da mesma. Felizmente estou certo que isso não é verdade para a maioria dos que postam aqui, estejam eles de um lado ou outro da questão.

    • Lamento Arnaldo, mas nesse país, ainda a lei maior é a Constituição da República Federativa do Brasil. Se seguíssemos a Bíblia, ainda estaríamos vendendo nossas filhas como escravas (Êxodo 21:7) e eu nem poderia vestir a calça que estou vestindo que mistura algodão e poliéster (Levítico 19:19)

  • Bahé, achei sua pesquisa meio tendenciosa :D :D:D. Com todo respeito.

    Essa edições são mesmo de mais de 2 décadas???? e nenhum é de brasileiros??? nem da área jurídica??? Os conceitos estão em constante evolução e mudam de área pra área.

    Ademais, em todas as citações existe apenas menção ao momento em que a vida começa. Imagino ser óbvio que é na fecundação. Deste momento em diante é que começa todo o processo que aprendemos na aula de embriogênese do Colégio :P .

    O ponto em discussão é quando, PARA O DIREITO – para fins de proteção dos direitos do nascituro – , é que se dá a concepção.

    Os que defendem a tese que eu defendo, que é a de que a concepção se dá quando o óvulo fecundado se prente a parade do útero, a defendem pelo fato de que o simples óvulo fecundado nada mais é que uma célula. No momento em que se prende à parede do útero é que essa célula começará a se dividir e a formar um indivíduo. Antes disso não há diferença entre o óvulo e uma céula qualquer.

    O fato é o seguinte, a pesquisa com células tronco vai existir, a clonagem de seres humanos vai existir, todos os demais absurdos que advierem do avanço tecnológico vão existir. Pode demorar mais existirão. Pois nada segura o avanço (ou desavanço).

    Imagine você, Bahé, como é uma aula de Bioética na faculdade, onde vemos questões como transexualidade, pesquisa com células tronco, testemunhas de jeová, abortamento, eutanásia (ortotanásia e distanásia, incluídas), etc etc etc.

    São assuntos complicados e que demandam muito debate.

    • Carrilho, meu velho, 90% dos livros utilizados nas universidades têm 2 décadas ou mais… kkkkkkkkkk. E a datação do texto não o torna velho, diga-se.

      Mas, voltando ao assunto, você pode defender a tese que quiser. Há teses para tudo nessa vida, seja na ciência, no direito ou na religião. Eu defendo o aborto legal e assistido em qualquer situação, desde o risco de vida da mãe a como forma de planejamento familiar. Não praticaria, mas defendo o direito de quem deseja. Da mesma forma que o Estado deveria acolher com dignidade quem deseja ir ao fim da gravidez, mas não se considera apto (a) para criar o filho.

      Por isso, acho contraprodutiva essa discussão de quando o aborto seria legítimo, se na fecundação, na nidação, com 4 semanas, 8, 10… Pra mim, se não é uma vida autônoma, ou seja, enquanto não sai da barriga da mãe, é passível de aborto, sim. E por decisão, em última instância, de quem vai carregar na prática a responsabilidade, os riscos e/ou consequências dessa gestação.

      Essa é a minha “tese”.

      • Caro Bahé, com “um bilhão” de métodos contraceptivos para quê engravidar e depois abortar ? Só porque a irresponsável não pode criar o filho ? Se não pode não engravide. Qualquer posto de saúde fornece condom, anticoncepcional oral, injetável e etc. Mas esse tema é bom porque alguns se revelam. Só espero que tenham a sensatez e demorem um bom tempo para lançar posts contra Suape ( chororô contra destruição do meio ambiente) , Shopping da Tamarineira e JCPM ( oh, que vilão malvado). Engraçado que a maioria aqui defende que cada um pode fazer o que quiser com seu corpo, inclusive com outra vida, mas metem o pau na forma como aqueles que trabalham honestamente gastam seu dinheiro. Afinal, pensam , vc se sacrificou trabalhando mas não pode comprar um carro, casa, viajar pro exterior entre outros. Você vira babaca de classe mérdia. Acham que vc tem que ralar pra fazer caridade com espectador de vale a pena ver de novo. Uma mulher pode abortar porque o corpo é dela mas JCPM não pode usar o dinheiro dele como ele bem entende. Muita hipocrisia!

        • Alexsandro,

          Você tá reclamando pra pessoa errada. Acho que JCPM pode fazer o que quiser com o dinheiro dele, desde que isso não afete a coletvidade. A decisão particular de uma mulher abortar (e isso, pode ter certeza, por si só já é um grande trauma) só traz consequências para ela mesma e para uma vida em potencial. Não estou entre os que acham que uma vida tem que ser preservada a qualquer custo… Nem mesmo a minha. Eu clamaria por uma eutanásia, por exemplo, caso me encontrasse em determinadas situações. Tem custo que não vale a pena.

        • Bahé, uma mulher que aborta pode afetar a coletividade. Se ela for acometida por uma infecção em consequencia do aborto induzido precisará se internar, gastar com antibióticos e etc. E tudo com dinheiro público, ou seja, pode sim afetar a coletividade. Como já acontece.
          Quanto a eutanásia, eu acho que em determinadas situações tem sentido. Mas você teria a opção , se fosse legal, de registrar documento afirmando que queria isso para sua vida. Tem tanto método anticoncepcional, engravida quem quer. Se ela pudesse “despejar” a criança em qualquer fase da gestação porque não deixar nascer a termo e jogar num lixo, no esgoto, no mar ?
          Ou então, se o filho virasse homicida, poderia decidir por sua morte afinal ele iniciou sua formação no corpo dela e é ela quem manda.

      • Então estamos, pelo que li, 100% de acordo. Acho que as pessoas se apegam demais ao que as outras fazem ou deixam de fazer.

        A mulher tem que decidir sim.

        • De acordo com o Bahé. O cara aí de cima falou de antibióticos e sei lá mais o que. uhauhuahua, mal alex, mas o gasto com uma criança abandonada à própria sorte e que possuirá grandes chances de se delinquir são maiores que os que se gastaria com antibióticos.

  • O x da questão parece ser o dilema de quando começa exatamente a vida. Se vamos discutir sobre o direito ao aborto, primeiro discutamos sobre o direito a vida. Como alguns já citaram existe vairas formas de se evitar a gravidez. Todos podem conscientemente usar os métodos contraceptivos, no entanto a partir da fecundação estaremos dicidindo não só por nós, mas por uma nova vida que independente da forma que foi gerado já existe. Valorizar a vida humana deveria ser o nosso objetivo principal. Independente dos nossos conceitos e preconceitos a vida existe e o ideal é que seja preservada. Vivemos num momento tão conturbado no nosso planeta, que esquecemos de dá o devido valor a vida humana. VALORIZE A VIDA, ACIMA DE TUDO.

  • Parece até que todo mundo no Brasil tem informações sobre seus direitos. Que as mulheres e as meninas que são estupradas principalmente em áreas interioranas, distantes dos grandes centros, terão condição de buscar, por exemplo, a pílula do dia seguinte. E, na maioria dos casos, os estupros acontecem dentro da própria casa, com familiares e as vítimas morrem de medo dos criminosos e só acabam falando quando os sintomas (a barriga) começa a aparecer – e mesmo assim, só em alguns casos. Noutros, a menina leva para o resto da vida um filho que ela não planejou, de alguém que ela não desejou, não amou e de quem tem medo. E ainda corre o risco do filho ter o gene do pai e virar outra coisa ruim, outro criminoso, estuprador ou pedófilo. Para apresentar um projeto como este, esta deputada deve ser, no mínimo, estéril.

    • Então legalizem outra forma de aborto : Aborto por ineficiencia do estado. Aí eu seria a favor. A mulher foi estuprada e não foi fornecido meios para evitar a gravidez. Ineficiencia de quem recebe impostos, teoricamente, para ser eficiente. Impostos Nórdicos para vida Africana, isso é Brasil.

    • Por que muita gente tem medo de denunciar tais atos ? Porque sabe que a maioria dos serviços oferecidos a população não passa de teatro. É tanta gente eficiente quando o caso dá mídia. Quando não, já sabemos o desfecho. Aborto por ineficiencia do estado!

      • O Estado não consegue dar conta de atender nossos doentes, vai arrumar idéia de bancar com o meu dinheiro o aborto. Se a maioria escolhe os governantes, então eles precisam seguir o que a maioria quer.

  • Trata-se de discutir moralidade, então. Se a mulher (e o homem) são irresponsáveis, ora, eles que tenham seu castigo em cuidar da criança pro resto da vida. É assim?
    Não fazer o aborto para proteger a criança anuncia-se, desta forma, como consequencia (nesse caso, castigo) de seu “ato impensado”.

    • Com tanto método anticoncepcional, praticamente engravida quem quer. Se a mulher ou homem são irresponsáveis, que aprendam o que é responsabilidade. Vê o raciocínio tosco de alguns : Se duas “criancinhas” de 14 anos fizeram um filhinho e logicamente não tem condições de criá-lo, matem-no. Por esse raciocínio, a solução da pobreza seria simples : matem os pobres. Numa situação dessas, uma menina, digamos, de 12 anos grávida, até poderia fazer o aborto pois uma gravdez nessa situação representa risco para ela. Seria um argumento mais plausível.

  • É incrível como o direito de escolha é burlado. É incrível como algumas pessoas se acham no direito de dizer o que os outros devem fazer, pelos argumentos mais estapafúrdios. Gostaria de lembrar que o Brasil é um Estado laico. E só mais uma coisa: MEU CORPO ME PERTENCE.

    • Pagu,
      Concordo plenamente com o seu comentário.
      Não poderia ser mais oportuno e acertado!
      :)

    • Quem usa bem seu direito de escolha não engravida!

      • hauhauhuaha, para meu. Tá simplificando demais algo que não é tão simples.

    • O seu corpo, mas não o corpo que você permitiu se formar no seu ventre e que se chama filho. Na gravidez não apenas você existe, mas um novo ser que já traz todas as informações do que será quando adulto. Eis a diferença. Cuidado para não embarcar nas ideias machistas. Ouça a sua consciência que obterá a resposta mais acertada. Não tenha mêdo!!!

      • Vc leu mesmo o texto?
        Pq parece que não. Ou você pensa que UM ESTUPRO é feito com a permissão da mulher??????

    • É só não engravidar que o aborto não acontece.

      • E como vc faz pra n engravidar de um estupro? Reza? Espera a sorte? Punição às que não tem sorte, é isso?! Ah, me poupe, parece q vc, assim como a moça de cima, não leu a matéria direito, ein…

        • Procure saber a notícia correta. Embora eu particularmente seja contra o aborto também nestes casos, pois não é o filho que irá te fazer sofrer mais, nem o aborto lhe fará esquecer o que sofreu. violência não se paga com violência… Mas o projeto de lei NÂO altera a questão do aborto mediante estupro.
          Aliás, se pesquisarem as leis, verão que não é lícito matar esta criança no caso do estupro, só não é punível. Assim como a mãe ocultar um filho criminoso para protegê-lo, continua sendo crime, mas não punível.

        • Engano seu, Monica. O projeto define concepção e fecundação como sendo as mesmas coisas. Vou reproduzir o comentário de Rafael, acima, que está bem didático:

          “e acordo com o projeto aprovado, um óvulo fecundado* é um ser humano e tem direito à vida e, portanto, métodos anticoncepcionais baseados no impedimento da nidação, como DIU e a pílula do dia seguinte, tornam-se ilegais.
          *o Art. 2º fala em ‘concepção in vitro’. Como não ocorre ‘nidação in vitro’, fica claro que o projeto considera que concepção equivale a fecundação.”

    • Então cuide bem dele, e o que você faz com ele.

  • Comissão de Seguridade aprova Estatuto do Nascituro

    Texto aprovado não altera artigo do Código Penal que autoriza o aborto em casos de estupro e de risco de vida para a mãe.
    Ouça entrevista da Rádio Câmara com a relatora Solange Almeida

    Em reunião que durou mais de quatro horas, marcada por argumentos contra e a favor da interrupção da gravidez, a Comissão de Seguridade Social e Família aprovou o substitutivo da deputada Solange Almeida (PMDB-RJ) ao Projeto de Lei 478/07, dos deputados Luiz Bassuma (PT-BA) e Miguel Martini (PHS-MG), que cria o Estatuto do Nascituro. Em seu substitutivo, a deputada define que a vida começa na concepção. Nascituro é o ser humano concebido, mas ainda não nascido. Este conceito inclui os seres humanos concebidos “in vitro”, mesmo antes da transferência para o útero da mulher.

    Casos de estupro
    Por acordo entre os deputados da comissão, a deputada elaborou uma complementação de voto para ressaltar que o texto aprovado não altera o Artigo 128 do Código Penal, que autoriza o aborto praticado por médico em casos de estupro e de risco de vida para a mãe.

    No caso de estupro, o substitutivo garante assistência pré-natal, com acompanhamento psicológico para a mãe; e o direito de ser encaminhado à adoção, caso a mãe concorde. Identificado o genitor do nascituro ou da criança já nascida, este será responsável por pensão alimentícia e, caso ele não seja identificado, o Estado será responsável pela pensão.

    O projeto também garante ao nascituro sua inclusão nas políticas sociais públicas que permitam seu desenvolvimento sadio e harmonioso, e seu nascimento em condições dignas.

    Ao nascituro com deficiência, o projeto garante todos os métodos terapêuticos e profiláticos existentes para reparar ou minimizar sua deficiência, haja ou não expectativa de sobrevida extra-uterina.

    Direito à vida
    Na avaliação dos autores da proposta, o Estatuto vai garantir ao nascituro direito à vida, à saúde, à honra, à integridade física, à alimentação, e à convivência familiar. O projeto original proíbe a manipulação, o congelamento, o descarte e o comércio de embriões humanos, com o único fim de serem suas células transplantadas para adultos doentes – práticas consideradas “atrocidades” pelos autores da proposta. O substitutivo retirou essa proibição.

    Tramitação
    A deputada rejeitou os projetos de lei 489/07 e 1763/07, apensados. O projeto será votado também pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e pelo Plenário da Câmara.

    • Prezada MONICA,
      PAZ E BEM,
      Em seus comentário você diz: “Casos de estupro … o texto aprovado não altera o Artigo 128 do Código Penal, que autoriza o aborto praticado por médico em casos de estupro e de risco de vida para a mãe.”
      Desculpe mas a leitura do referido artigo não leva a este entendimento. Por favor, releia o artigo e comprove que, como entendo, o significado do art. 128 do CP não é este. O art. 128 apenas exclui a punibilidade, (“não se pune”), ele não autoriza o aborto. Na atual legislação brasileira o aborto, em quaisquer circunstâncias é, simplesmente, crime sem nenhuma exceção.
      ABORTO É CRIME e ponto.
      Fraternalmente,
      CID PEREIRA

      • Olá Cid,
        Respondi isto dois comentários acima…
        Grande abraço!

    • Monica, segundo vc postou:
      # Texto aprovado não altera artigo do Código Penal que autoriza o aborto em casos de estupro e de risco de vida para a mãe.

      Se esse texto retira opção de aborto, altera legislação penal sim!!!

      Prever que as mães estupradas tenham direito a pré-natal, bem como encaminhar os indesejados para adoção é DEMAGOGIA QUE ME CAUSA NAUSEAS E REVOLTA!!!

      Ao aprovarem essa lei, só falta obrigarem as mulheres a usarem burca, e nos retirarem todos os direitos, tal fazem os estados Islaminicos mais radicais.

  • Engraçado…

  • Isso é um ABSURDO! E nós, mulheres brasileiras, vamos nos organizar CONTRA isso!

    ALÔ RECIFE: DIA 28 DE MAIO, DIA INTERNACIONAL DE AÇÃO PELA SAÚDE DA MULHER, MOBILIZAÇÃO CONTRA O ESTATUTO DO NASCITURO, ORGANIZADA PELA ONG FEMINISTA SOS CORPO!

  • MULHERADA IRRESPONSÁVEL???????????
    O cara ESTUPRA a mulher e ela é a irresponsável???????!!!
    Vão pro inferno, bando de machistas!

  • EssaFDP que criou a lei: Solange Almeida (PMDB-RJ), alegando que a criançanão deve pagar pelos erros dos pais.. Desde quando a mulher erra porser
    estuprada?? Desde quando a mulher erra quando corre risco de
    vida???Essa politica não é mulher não…deve ser uma aberração da
    natureza.
    Quero ver se ela, ou filha dela, ou qq outra parente dela for estuprada..será que vai carregar o filho na barriga???

    • Prezada MARINA,
      PAZ E BEM,
      Pelo seu pronunciamento prenhe de muita revolta, parece-me que você já foi estuprada, talvez, se eu tivesse sofrido tal violência eu também me sentiria como você, mas tendo ou não tendo sofrido estupro, considero-o um crime bárbaro e contra ele dirijo também toda minha revolta. Mas gostaria de ponderar. Por que não dirigir essa revolta, essa raiva contra o estuprador. Por que não iniciar uma campanha para torná-lo imprescritível?
      Com certeza, tanto as pessoas a favor do aborto como as contra o aborto apoiarão a campanha.
      Para fazer isso contra os estupradores, conte comigo; para praticar maior violência contra um nascituro, desculpe-me mais nunca terá o meu apoio e, com certeza, o de muitas outras pessoas, a maioria da sociedade brasileira.
      Fraternalmente,
      CID PEREIRA

      • O estupradores existem a mais tempo que todos nos,eles tem o apoio da igreja católica,que não os condenam.
        Acha que é fácil fazer uma campanha quando isso envolve totalmente uma questão psicológica,quando não pode ser resolvida com uma simples aprovação da lei da castração química?
        Tem milhares de fatores que formam um estuprador,e não é simplesmente fazer uma campanha imbecil(que normalmente é a unica coisa que os pró vida sabem fazer na vida real),que vai resolver esse tipo de coisa.
        A mente humana é muito complexa e existe lados dela que muitos de nós desconhecemos,mas só hoje em dia é que os perfis de estupradores vem sido analizados.
        Então faça algo mais util (além de protestinhos) ao seu país e aprenda um pouco sobre psicologia já que hoje ser contra o aborto não ajuda realmente em nada,só defender um conceito radical que gera um ENORME retrocesso.
        Cada vez mais comentários ingênuos eu vejo,aqui.

      • “PAZ E BEM”? “Fraternalmente”?
        ***************
        Me diz como uma campanha vai ‘curar’ a mente doentia de cada estuprador no país inteiro! No contrário ela não serviria de muito né…
        E aproveita e já proíbe o risco de vida de existir, já que no teu mundinho lúdico campanha resolve tudo!

      • você dissi tudo cara vc nunca foi estuprado…..

  • ACHO QUE VOCÊS NÃO LERAM…
    Comissão de Seguridade aprova Estatuto do Nascituro

    Texto aprovado NÃO altera artigo do Código Penal que autoriza o aborto em casos de estupro e de risco de vida para a mãe.
    Ouça entrevista da Rádio Câmara com a relatora Solange Almeida

    Em reunião que durou mais de quatro horas, marcada por argumentos contra e a favor da interrupção da gravidez, a Comissão de Seguridade Social e Família aprovou o substitutivo da deputada Solange Almeida (PMDB-RJ) ao Projeto de Lei 478/07, dos deputados Luiz Bassuma (PT-BA) e Miguel Martini (PHS-MG), que cria o Estatuto do Nascituro. Em seu substitutivo, a deputada define que a vida começa na concepção. Nascituro é o ser humano concebido, mas ainda não nascido. Este conceito inclui os seres humanos concebidos “in vitro”, mesmo antes da transferência para o útero da mulher.

    Casos de estupro
    Por acordo entre os deputados da comissão, a deputada elaborou uma complementação de voto para ressaltar que o texto aprovado NÃO altera o Artigo 128 do Código Penal, que autoriza o aborto praticado por médico em casos de estupro e de risco de vida para a mãe.

    No caso de estupro, o substitutivo garante assistência pré-natal, com acompanhamento psicológico para a mãe; e o direito de ser encaminhado à adoção, caso a mãe concorde. Identificado o genitor do nascituro ou da criança já nascida, este será responsável por pensão alimentícia e, caso ele não seja identificado, o Estado será responsável pela pensão.

  • Gente
    venho acompanhando a polêmica e diante das duvidas preferi ouvir no site da Camara o audio da Audiência e confirmei que a relatora ressalvou o artigo 128 do Código Penal.
    Gente o aborto em caso de estupro e em caso de risco de saude para mãe está garantido neste artigo do Codigo Penal e a relatora não mudou nada do Codigo Penal.
    Então, porque toda polêmica em um Projeto que só quer proteger bebes nos ventres maternos?
    A gente já não protege os ovos de tartarugas no Barsil?
    A gente já não tem estatuto da crinçana, estatuto do idosos poruqe não tem um do anscituro se o codigo civil já fala e garante alguns direitos ao nascituro???
    Então porque não proteger os bebes.
    Pessoal leiam atentamente o texto e ouçam o audio da audiencia.
    Voces estão fazendo tanta polêmica por nada.
    Regina Alves
    Regina

    • tem muito menos tartaruga no Brasil do que crianças, infelizmente as tartarugas estão em extinção. já as crianças são postas no mundo de maneiras as mais irresponsáveis possíveis.

  • Sim, eu li. Só não entendi a parte da pensão.
    A única punição do responsável será a pensão??

  • COntinuando…

    O certo seria ele estar PRESO! Como então irá pagar a pensão?
    Esclareçam minha dúvida, se possível.

  • [...] Estatuto do Nascituro, aprovado hoje, proíbe aborto em qualquer hipótese, blog Acerto de [...]

    • Querido,
      A sua fonte se refere exatamente ao site que você está, ou seja, a informação continua errada!

  • Eu dei algumas explicações sobre como o projeto aborda o caso do estupro aqui, inclusive com links para alguns momentos do debate na CSSF: http://brasilsemaborto.wordpress.com/2010/05/20/o-aborto-em-caso-de-estupro-no-estatuto-do-nascituro
    Quanto ao estuprador, o projeto só acrescenta responsabilidades a ele, obviamente não mexe na sua punição penal. E o fato de estar preso não impede por si que ele pague pensão.

  • Querem Justiça? Lutem para aumentar o rigor da lei em relação ao estuprador e não para declarar pena de morte à uma das vítimas.
    Digo não ao assassinato de crianças indefesas.

  • A lei do aborto VAI sofrer um retrocesso no Brasil porque as nossas feministas são BURRAS, INÚTEIS, IDIOTAS, UM BANDO DE ANALFABETAS!!!! Nunca vi tanta BURRICE!!!! Engolem direitinho a isca dos contra… O Estatuto do Nascituro pode ser bom, pode ser mal, pode ser aprovado, pode não ser. Isso pouco importa!!!! Os contra foram mais espertos – e não precisaram nem de muito esforço, estão forçando a discussão sobre a legislação “não-punitiva”!!!!!!!!!!! Ninguém entendeu isso ainda???? Quanto mais se discutir sobre esse Estatuto, pior!!! Nunca vi um movimento feminista tão IMBECIL como o brasileiro… Botam tudo a perder, mas não deixam de dar piti.

  • Se uma mulher pode matar o filho no seu útero por que foi estuprada, por que não podemos matam o estuprador? A criança como a mãe não tem culpa nenhuma. Já que não podemos matar o estuprador, por que a lei não permite, e já que a mãe vai sofrer com o fruto de um aborto, vamos matar a mãe. Aí fica tudo certo, o estuprador com os direitos garantidos e a mão nãe vai sofrer vendo o “fruto do estupro”. Isto é cabível já que querem matar um inocente, matemos a mãe que já experimentou a vida mais do que a criança.

    • matar a mãe mata a criança também, argumento muito mal pensado esse teu. quer ou não quer defender a criança?

  • Lindo, celestino! Matemos a mãe, que foi vítima, e o monstro, deixemos com os direitos garantidos.
    A vítima que é bom, que morra né? É mulher mesmo… deixa pra lá!
    Ridículo!!!!

    • E essa criança, não é vítima também? Porque despedaçá-la? Tenho uma curiosidade: Vocês têm noção de como o bebê sofre no útero ao ser abortado ou acham que apenas se apaga um desenho? Certa vez ouvi a autora do documentário Fim do Silêncio, pró-aborto, dizer que o tema não era a criança, mas o aborto. Como assim????? Fiquei com a impressão que ela não sabia o que acontecia ao concretizar um aborto. Será??????

      • Essa “criança”é uma consequencia,vítima o caramba.
        Ela é a pedra no sapato,visto sim como uma doença para mãe.
        Se apaga o projeto que nunca ia dar certo,isso é certo!
        Ela quis dizer o aborto em si,e vocês só enfiam culpas goela a baixo da mulher que É OBRIGADA,a carregar algo que não quer.
        Imagine vocês com 19kg adicionais,e ainda o peso do coisa,tendo toda as apurrinhações de uma gravidez.
        Patético.

      • Como você é “original”, esse discurso é totalmente “inédito”, suas palavras só devem ter sido repetidas mil vezes e sem nenhum embasamento científico.

        Já foi provado de forma lógica e indiscutível a diferença de embrião, feto, vida…

      • Ei, hello. Como VOCÊ sabe o que um feto sofre no aborto (se lembra da vida de feto? E já foi abortada?

        Argumento insuficiente.

        • É só ver no vídeo “o grito silencioso” e está no you tube. É real e o bebê que vocês chamam de qualquer coisa, tenta pegar a cureta que vai matá-la. E grita! Foi gravado por um médico que já tinha realizado muitos abortos e não sabia o que acontecia. Após ver numa ultra sonografia o aborto que realizava, passou a coincientizar outros médicos contra o aborto.

      • na verdade antes da formação do sistema nervoso o embrião não sente dor, nem medo, nem qualquer outra sensação ou sentimento, é apenas um conjunto de células como as da sua epiderme. A legalização do abordo tem em vista apenas a interrupção de gravidez em fetos que ainda não tem sistema nervoso.

  • também acho que só vai aumentar o preço do cytotec.

    • Pode aumentar a vontade, eu compraria mesmo assim…

  • Queridos comentaristas, sou favorável, as opiniões inteligíveis e por que não dizer convincentes de ambos os pensamentos, por conta desta situação tão controversa. Na minha opinião o que não se deve esquecer é que somos revestidos de CORPO-ALMA E ESPÍRITO, se discernirmos no Corpo-Razão, teremos uma visão, arrogante, terrena, obcecada e iníquoa. Se na Alma-Espírito, teremos uma visão de sensatez, prudência, e autocontrole. Por isso as opiniões não devem ser impensadas, para mais tarde as consequências não serem pesadas e irreversíveis. Atentemos pois, para esta situação com muito cuidado. O projeto está pronto e me parece aprovado. “A morte não tem valor sobre a vida, e nem o mal sobrepuja o bem”. Meu respeito e admiração por todas as opiniões. Paulo

    • Racionalidade combina mais com sensatez e prudência que espiritualidade. A espiritualidade, religiosidade etcteras combina mais com fanatismo, falso moralismo e opiniões que mais prejudicam os outros do que ajudam o coletivo.

  • Parabéns moralistas histéricos, vocês acabaram de garantir que os ricos continuem a abortar na segurança de clinicas clandestinas e os pobres continuem a abortar sem segurança nenhuma. Agora não podemos receber as pessoas que querem abortar pelo sistema de saúde e convencê-las de que elas podem ter outra solução e encaminhá-las para tratamento psicológico se for o caso. Brazzzil, nação de moralistas histéricos!

  • afinal, deixando essa discussao estéril de lado, o que nós cidadãs podemos fazer para nos posicionar contra esse absurdo?

  • Só vejo discussões em torno do ESTUPRO… Mulheres, se imaginem em uma gravidez de alto risco, ou vive vc ou vive o bebê. Homens, se imaginem como o marido dessa mulher e recebendo essa notícia, a de que só um pode sobreviver. Todas as mulheres aqui dariam sua vida para salvar a criança? Todos os homens assumiriam o sacrifício?

  • Realmente é um retrocesso. Concordo com o aborto nesses casos:

    1) Estupro.

    2) Gravidez com risco para a vida da mãe.

    3) Mãe não tem condições mentais, morais ou financeiras de cuidar da criança.

    Agora, quando a mulher não se enquadra em nenhum desses casos, gravidez não-planejada o caralho! A parte do prazer, quando ela fica virando os olhos em cima da cama ela quer, mas a consequência de não ter usado camisinha ela não quer, que é o filho! As feministas podem gritar o quanto quiserem! Aborto fora daquelas três condições não é certo! Me xinguem de machista, de imbecil ou o que for, mas deixar o aborto à vontade é errado!

    • E o cara? Não gosta de virar os olhos também? E o filho indesejado pra ele é fácil, basta largar a mulher e pagar pensão, às vezes nem isso. Pra mulher o compromisso é muito maior cara pálida.

  • Espera oque deste politicos !Agora que a maioria de brasileiros esta mais atenta a copa do mundo, as leis polemicas serão votadas!! O povinho estupido esse! Monta o circo!

    Não temos mais leis!
    Futuro pra esse pais! Guerra civil!

  • Olha, na boa… Não consegui ler todos os comentários, mas brigas e acusações verbais não vão levar a lugar algum.
    De fato, é um grande absurdo colocar a responsabilidade de todas as causas da gravidez em uma mulher violentada sexualmente. É muito fácil e muito simples mesmo colocar relações religiosas no meio da história, entidades tão cheia de “verdades” irracionais.
    A legislação deve agir racionalmente, pensando no bem de seu povo, sem se deixar levar pro crenças particulares que nada provam. Lei é coisa séria, é coisa que deve envolver indivíduos sábios para sua definição… e sabedoria foi uma coisa que faltou na tomada dessa decisão. Pelo que tudo indica, não houve se quer consulta a um especialista do assunto para saber a partir de que momento o feto é uma vida concretizada. Pois existe uma fase de simples desenvolvimento celular antes de chegar na magnifica concepção de um ser humano, e não é o que o pessoal a favor desta lei absurda parece saber.

    Falta de planejamento… é isso que essa lei prova. Falta de planejamento, respeito à vida da mulher violentada – que além de ter que lidar com o trauma de ser violentada será OBRIGADA a conviver com o fruto da violência – e falta de consideração e consciência a respeito da vida desta criança que, não apenas sofrerá a falta e o abandono do pai, mas será filho daquele que prejudicou e gerou graves traumas pra sua família.

  • Isso só prova mais uma vez que o Brasil é uma grande piada!

    • Piada de mau gosto!

  • UM TREMENDO ABSURDO!

    Quero ver se a filha de um de vocês sofrer um estupro e engravidar… vocês vão querer o neto??? DUVIDO, MEU CAMARADA, DUVIDO!!!

    ************************************

  • Moderador, pode apagar meu comentário. Foi infeliz no palavrão. Me desculpe.

  • Tá ok, evita-se o aborto em qualquer circunstância. Mas o que acontece se a mãe morre por causa da gravidez?
    Em caso de risco de morte, a vida da mãe vale mais, existe a mais tempo, está mais definida, a natureza está trabalhando a mais tempo pela vida da mãe. E já que nosso governo gosta tanto de dinheiro, a mãe paga imposto, o bebê sem mãe, não. O governo perderia contribuintes!
    Se nenhum outro tratamento consegue salvar a vida da mãe e do filho, e tiver de optar por uma delas, a da mãe vale mais! A não ser q ela mesma decida se sacrificar pelo filho, cada qual com sua escolha.
    E no caso da gravidez por estupro, discute-se muito a questão da criança, mas fica parecendo que o trauma que a mulher carregará na mente pela vida inteira (ou talvez não, os casos variam) não tem relevância… nunca vi ninguém discutindo formas de atenuá-lo, tentar compreender a situação da mulher. Tá, a mulher agora é estrupada e não pode abortar. Já que foi o governo q tomou essa decisão de proibir, então ele que forneça de graça tratamento psicológico e contra DSTs, facilite processos de adoção, e não apenas ofereça um bolsa-estupro, a questão é bem mais que financeira. E formas mais eficientes de punir estupradores. E estuprador deveria ser CASTRADO e isolado da sociedade bem longe ou até morto!! Pra não ficar causando mal as mulheres e nem botando filho no mundo, cujo futuro pode vir a ser indefinido e certamente o passado estigmatizado. Antes do governo proibir, deveria já pontuar outras soluções que favorecessem as mulheres com gravidez indesejada, não é sempre por culpa delas que elas se engravidam.
    Em vez do governo proibir, deveria fazer campanhas para conscientizar e propor formas de auxilios eficientes.
    Concordo com o que muita gente já disse, a proibição só vai gerar mais abortos ilegais. O aborto nunca vai ser impedido, o jeito é mantê-lo legal em certos casos, e incentivar que ele não seja feito nos casos desnecessários, não é com proibição que a cabeça das pessoas vai mudar. O governo e as igrejas tão sendo incompetentes em conscientizar as pessoas, então ficam aí proibindo.. não vai adiantar nada!
    O Brasil não tem estrutura para manter o aborto totalmente proibido. Se quer proibir, se estruture pra isso…
    Isso aí gte, faço minhas as palavras da Cássia Miranda “Mas agora a sociedade já sabe. Próximo estupro, próxima gravidez indesejada, favor enviar os bebês para a sra. deputada Solange Almeida criar!”
    E concordo com os argumentos do Covarde Anônimo. Gostei do que disse a Alice também.

    • É isso aí Francis,
      Concordo contigo em número gênero e grau!

  • O problema é que o Brasil é um país que separa Igreja e Estado no papel, mas é comandado pelas bancadas religiosas e pelas fileiras de fiéis que acham que tudo que suas religiões idzem deve valer para todos os outros.

    Eu me cuido, tomo anticoncepcional, uso camisinha e tudo mais. E se acontecer o imprevisto (visto que nada é 100%) eu gostaria muito de ter o direito de decidir sobre MEU CORPO, se quero ou não ter um filho e me comprometer pelo resto da minha vida com uma outra pessoa da qual nem pretendia criar.

    A mulher tem de ter o direito de decidir SIM!

    E isso não apenas em casos extremos (o que não deveria nem ser discutido), acho que toda a mulher deve se cuidar se não quer ter filhos, mas também acho que deve ter o direito de escolher o que fazer sobre seu corpo. O aborto é feito enquanto o feto ainda é muito pequeno, o que pra mim, não seria assassinato, seria como retirar uma célula do corpo, porque é isso que os fetos são, células…

  • O mundo é dos homens, por isso a mulher não pode decidir sobre seu corpo. O mundo é dos religiosos, por isso a mulher tem de fazer sexo apenas para procriação e não por prazer. Que se dane tudo isso, mulheres pelo direito de decidir!

  • A questão, no meu entendimento, não diz respeito à mulher, mas ao nasciturno que, com não tem como se defender, precisará de uma lei específica. Ainda muito deve ser discutido. Por isso, aconselho aos polemistas aí de cima que leiam o projeto. Por exemplo, a respeito dos concebidos via estupro, a lei reza:

    “Art. 13. O nascituro concebido em decorrência de estupro
    terá assegurado os seguintes direitos:
    I – direito à assistência pré-natal, com acompanhamento
    psicológico da mãe;
    II – direito de ser encaminhado à adoção, caso a mãe
    assim o deseje.
    § 1º Identificado o genitor do nascituro ou da criança já
    nascida, será este responsável por pensão alimentícia nos termos da lei.
    § 2º Na hipótese de a mãe vítima de estupro não dispor
    de meios econômicos suficientes para cuidar da vida, da saúde do desenvolvimento e da educação da criança, o Estado arcará com os custos respectivos até que venha a ser identificado e responsabilizado por pensão o genitor ou venha a ser adotada a criança, se assim for da vontade da mãe.”

    O estuprador é e deve ser responsabilizado até o fim, mas não futura criança. Matar não é a solução. Fazemos parte de uma sociedade e não de um aglomerado de animais!

    Homero Gomes

    • A questão não é o apoio do Estado à mãe, a questão é que não se deve obrigar uma mulher a gerar um filho e ser submetida à todo o sofrimento que é uma gravidez (além dos riscos de vida para a mãe que sempre existem). Ela pode sim dar a criança para adoção, mas quem vai gerar o bebê pra ela? você?

    • Homero, lamento muito que a mídia já tenha feito a tua cabeça. Pois de acordo com os argumentos expostos, você acredita nas leis do nosso país. Acredite: Certas leis em nossa pátria, foram feitas só para constar. E de acordo com o que pude entender, digo-lhe com sinceridade: És igual a muitos, que não se importa com o sofrimento alheio, acredita que toda e qualquer mulher é objeto para o seu bel prazer, que a responsabilidade de uma relação sexual cabe somente a ela, que não se comove com os traumas de uma que foi estrupada e nem com as consequências de tal violência que a infeliz sofreu. Os seus argumentos e modo de pensar, trouxe-me indagações, tais como: Não seras tu também um estuprador? Que ri das tais leis expostas no seu comentário? Eu particularmente me rio destas leis. Pois entre milhões de estupradores existente em nosso país, talvez nem 1 por cento estão atrás das grades pagando pelos seus crimes. Enquanto que todas que foram estrupadas e as que ainda passarão por tão horrenda experiencia sofrem e sofrerão traumas pelo resto de suas vidas.

  • Caramba… quanta gente falando de “Estado laico”, de “inconstitucional”, de “e se a mãe não tem condições pra criar a criança”…

    Bacana pacas.

    Vamos então ser completamente a favor do aborto nesses casos:

    1 – Estupro. Se o erro foi o maldito estupro, porque permitir o aborto? Pune o miserável que estuprou. Ataca o problema certo, o ESTUPRO. E qualificar uma criança, uma VIDA como uma simples “consequência” de um crime é MUITA sacanagem. Mas tudo bem, né? tem gente que dá festa de aniversário pra cachorro… isso é que é valorizar a vida humana.

    2 – Risco de morte para a mãe. Tá, quais os critérios pra definir quem vive e quem morre? Econômicos? Então podemos dizer que “essa cidade não tem meios econômicos pra manter tanta gente. Podemos matar os mendigos e os menos capacitados.” Ou os critérios são sentimentais? “Marido, escolhe aí. Você fica com sua esposa, ou seu filho indesejado, acidental ou whatever?” Lamentável. A pergunta é: Quem pode decidir quem vive e quem morre? E onde entra o direito hierarquicamente mais “poderoso”, o direito à vida? Se tem vida no feto, no embrião, ou qualquer que seja o nome, podemos matar uma pessoa (ainda em formação) pra manter outra viva?

    3 – Mãe não tem condições de criar o filho. Já falei disso ali em cima. Então, a mamãe não tem condições financeiras pra criar um filho? Mata ele. Ih, nem nasceu ainda? Mais fácil. Aproveita e mata o de 2 aninhos ali, que tá todo doentinho… o de 3 anos não, ele é inteligente. Mas os de 7, 8, 10 e 12 tão muito malcriados. E não tenho condições pra criar isso tudo. Matem todos. VERGONHOSO.
    Ah, condições psicológicas? Sentimentais? Não me venham com essa. Deixar a decisão de se uma vida deve continuar ou terminar sujeita ao julgamento subjetivo de uma pessoa, é colocar nas mãos de uma pessoa o poder de decidir sobre a vida e a morte de alguém.

    Você pode decidir quem vive e quem morre?

    Alguém pode decidir quem vive e quem morre?

    Abraços.

    P.S.: Estado laico não significa Estado sem religião.

    • estado laico é sim, Estado sem religião, o que não significa que as pessoas que vivem nesse estado optem por viver sob as regras de uma religião. já disse lá em cima que eu pessoalemnte sou contra o aborto, mas acho que ele deveria ser liberado e assistido. As RELIGIÕES que cuidem dos seus fiéis. Sou Espirita e sei o peso de um aborto na minha religião, mas cada um deve ter a oportunidade de decidir.

    • 2 – não existe critério para decidir quem vive e quem morre. Mas imagine que você estivesse numa gravidez que apresentaria muitos riscos à sua vida, e que o médico te forçasse a por a sua vida em risco por uma lei da qual você não concorda.
      Eu quero ter o direito de continuar viva e de escolher a minha vida ao invés do meu feto. A decisão de continuar uma gravidez de alto risco deve ser da mãe, pois ninguém ama mais o feto do que ela.

  • Quem publicou essa nota provavelmente não conhece o Código Penal. Nele continuam previstas as hipóteses em que o aborto é permitido, e o novo projeto de lei não revoga esses artigos, apenas altera alguns. Leiam o projeto vocês mesmos ao invés de espalhar a opinião de alguém que não está por dentro do assunto.

    • Eu realmente não conheço o código penal como um bom jurista. Mas, por favor, me diga de que maneira o trecho abaixo deixará brecha para que aborto em caso de violência sexual seja permitido. Ou ainda, a segunda parte do trecho permitirá manifestações públicas a favor do aborto como fazem hoje por aí?

      “Art. 13 O nascituro concebido em um ato de violência
      sexual não sofrerá qualquer discriminação ou restrição de direitos, assegurando-lhe, ainda, os seguintes:
      I – direito prioritário à assistência pré-natal, com acompanhamento psicológico da gestante;
      II – direito a pensão alimentícia equivalente a 1 (um) salário mínimo, até que complete dezoito anos;
      III – direito prioritário à adoção, caso a mãe não queira
      assumir a criança após o nascimento.
      (…)
      Art. 28 Fazer publicamente apologia do aborto ou de
      quem o praticou, ou incitar publicamente a sua prática:
      Pena – Detenção de 6 (seis) meses a 1 (um) ano e multa.”

  • Porque a mãe ser estuprada é um erro pelo qual a criança não pode pagar. Quanta mulher errando, né.

  • Quero ver se essa deputada sofresse um estupro , se ela ia criar a criança…ou se sua propria filha sofresse um estupro…duvido q iria deixar sua filhinha ter um filho com um estuprador! País de merda , governado por idiotas … Cada dia tenho mais vontade de abandonar esse barco

    • Eu reso todo dia para que esse tipo de coisa aconteça..

  • Acho que quem aprovou esse “Direito do Nascituro” vive num local muito maravilhoso onde violência e outras coisas que acontece aqui no Brasil não o atinge. Por favor me passe o endereço porque vou adorar morar la.
    Primeiramente não sou a favor do aborto, não acho que a pirralhada de hoje em dia faz o que faz, engravida (e não é por falta de informação) e como ninguém quer assumir, deita fora a criança que estava no ventre. Nesse caso eu sou contra.
    Mas no que estava na lei não tem nada a ver com a frase que a deputada usou “A criança não deve pagar pelos erros dos pais”
    Sinceramente, não sabia que estrupador era pai. Acho que estrupador nem ser humano é, entao como a mãe cometeu erro para poder gerar a criança? O certo seria cortar o mal pela raiz, punir o estrupador, mas como aqui é o Brasil onde tudo acaba em pizza (e em futebol, fazendo alusão a Copa do Mundo), a mulher então que vai pagar o pato? Ela sofre a violência, vê seu crime não solucionado e descobre que tá gerando um bebê daquele agressor. Ninguém analisou que a mente dessa mulher tá abalada e levando a gestação adiante quem vai sofrer vai ser a criança, que vai ser rejeitada e abandonada. Então é erro dela ser violentada e gerar um bebê não bem vindo? Foi escolha dela acontecer isso? De acordo com esse estatuto sim.
    A outra questão em debate é quando o feto põe em risco a vida da mãe. Imaginem um casal feliz com seu filho que está sendo gerado e descobrem que ele pode matar a própria mão por causa de algum defeito genético. Os pais com certeza levarão um choque e vão adiar o maximo possível a interrupção da gravidez, mas vendo que se levar adiante haverá a perda da vida da mãe e do bebê, optam então pela interrupção. É melhor salvar uma vida do que perder duas. Não é questão de escolha egoísta e sim vidas em jogo. A mãe sobrevivendo, poderar gerar outros filhos saudáveis. Também tem o caso de quando o feto morre ainda no útero e não há a expulsão espontânea. Deve ser uma dor incondicional para a mulher levar a gravidez adiante e passar pela dor do parto para no fim não ouvir o choro do seu filho.
    Até parece que não veêm seriados médicos ou telejornal, vivem em que mundo então?
    Sabe de uma coisa se fosse para resumir isso tudo resultaria em uma única expressão: fanatismo religioso!

  • Tantas coisas importantes e eles proíbem uma estuprada de fazer aborto.

    Próxima pauta: Dia do Saci.

    • é interesante como sua ótica imbecil e desumana trata o aborto como se fosse um mero procedimento médico!é como se uma vida fosse nada!…um tumor q estou estirpando né??um pedaço de lixo que estou jogando fora!!parabéns por ser adepta da idéia do descartável!espero que se faça o mesmo com você em sua velhice!já que assim como um feto de estupro vc não vai servir pra nada mesmo!

  • Isso aí, Brasil incentivando as clínicas ilegais!

  • É só olhar quem criou este projeto de lei..

    Deputado do PT e deputado de MG.. óbvio que coisa boa não vai ser..

    • link do projeto de lei:
      http://www.camara.gov.br/sileg/integras/443584.pdf

      Deputado Luiz Bassuma – PT/BA Deputado Miguel Martini – PHS/MG

      • É que nem aquele pastor que considerava o aborto da menina de 11 anos que foi estuprada pior do que o estupro que ela sofreu e expulsou a familia dela da igreja..
        Nossa.. eu admiro um deus assim.. vamos viver no Afeganistão onde podemos estuprar a vontade e quando morrermos, teremos 72 virgens a nossa disposição.. rsrsrs

    • não existe Lei para a Consciência Humana, podia ser um “mané” qualquer de quqlquer partido, mas seu espirito preconceituosos, olha para a Instituição e esquece o Humano…olha seu preconceito ai…”PT e Mineiro”..Acorda.

  • GOSTARIA MUITO DE SER A FAVOR DO ABORTO E QUEM SABE PODERIA TER OPINADO QUANDO AS VOSSA MÃES RESOLVERAM DEIXAR QUE VOCES NASCESSEM, E PUDESSE TER SUGERIDO A ELAS QUE ABORTASSEM VOCES…MAS SOU CONTRA O ABORTO E CONSEQUENTEMENTE A FAVOR DAS VOSSAS EXISTENCIAS…AINDA QUE NÃO OS POSSA VER COMO PLENAMENTE HUMANOS…
    COMO NÃO SÃO OS ESTRUPADORES, OS PEDÓFILOS, E TODOS OS DEMAIS ASSASSINOS DE INOCENTES…
    SER A FAVOR DO ABORTO É PREPARAR A HUMANIDADE PARA UM HIGIENIZAÇÃO GLOBAL…É O PRIMEIRO DEGRAU PARA JUSTIFICAR O ASSASSINATO DE HOMOSSEXUAIS, DE VICIADOS, DE NEGROS, DE BAIANOS, DE NORDESTINOS
    É DOUTRINA NAZISTA E DESUMANA, E NÃO É UMA QUESTÃO RELIGIOSA , É UMA QUESTÃO HUMANISTA.
    É PLATAFORMA DA VIOLENCIA PELA VIOLENCIA, EM FAVOR DA VIOLENCIA….

    • concordo inteiramente com você!

  • jc, minha mãe não foi estuprada, não correu risco de vida e nem teve uma gravizes indesejada, por isso fui uma criança amada e estou aqui hoje. Assim, não adiantaria vc tentar opinar. No mais, continuo falando que cada religião que convença seus fiéis, mas leis, essas sim devem ser feitas com seriedade e sem a influencia de quelaquer que seja a religião, se não, vai obrigar uma pessoa a viver sobre um preceito religioso que não faz parte de sua crença. E só pra frizar, eu não faria um aborto.

    • a você minha cara,

      saiba que a religião é parte da cultura e do conjunto de valores de um povo e seus representantes políticos tem a obrigação de refletir o pensamento da sociedade que o elegeu!não me venha com essa baboseira determinista de que uma criança infeliz e descuidada não pode ser um adulto equilibrado e resolvido!
      te garanto que exemplos não faltam!!

  • Toda criança tem direito a nascer, quem realiza essa barbaridade era pra ser FUZILADO sem direito a defesa, igual como fez com seus próprio filho, com uma única diferença, teve a oportunidade de nascer e o PRÓPRIO FILHO NÃO.

  • Para saber o que acontece com um bebê durante um aborto, é só ver no vídeo “o grito silencioso” e está no you tube. É real e o bebê que vocês chamam de qualquer coisa, tenta pegar a cureta que vai matá-la. E grita! Foi gravado por um médico que já tinha realizado muitos abortos e não sabia o que acontecia. Após ver numa ultra sonografia o aborto que realizava, passou a coincientizar outros médicos contra o aborto.

  • Graças a Deus alguém aprovou uma lei descente nesse país, que visa a vida e não a morte!

  • a vida deve ser protegida a qualquer custo,inclusive em casos de aborto!
    o nascituro não pode pagar pelo erro do pai!muito menos pela irresponsabilidade da mãe como o artigo defende de forma velada!a mulher deve ter o direito de decidir exclusivamente sobre seu corpo,não em relação a outro corpo e outra vida temporariamente alojada na sua! se não quer criar, entregue para a adoção!mas não cometa aborto!isso é homicídio,tão condenável quanto o que os nardone fez!a diferença é quem há um movimento hipócrita como o feminista e as mídias de grande massa a favor dessa idía nefasta e desumana!

  • Ao invés de debatermos um direito já adquirido, vamos nos preocupar em instituir uma forma de que mulheres impedidas de abortar possam ter acesso a “desovar” essas criaturas nas mãos de pessoas que sonham em ter um filho e nao conseguem. Quem sabe assim a hipocrisia deste assunto é um pouco atenuada dando à mulher o direito a escolher doar a criança assim que ela nascer. Claro que isto já existe, mas nao existe uma divulgação do assunto incentivando esta atitude para evitar que tantas crianças sejam jogadas na lata do lixo, maltratadas, abusadas e surradas.

  • O feto é parte integrante e dependente do corpo da mulher sim, e não outro corpo que usa do dela para se desenvolver. Ele depende para sobreviver desde a entrada do espermatozóide no ovócito, passando pela nutrição, oxigenação (circulação,respiração), excreção e até a amamentação para receber os anticórpos que não produz. Também depende da boa saúde placentária para não morrer numa trombada da barriga com um pé violento de um marido agressor. E por isso a mulher tem o direito de decidir sozinha, pois o feto é seu corpo e seu corpo é sua jurisdição.

    Se lembrarmos que é a mulher que vai em pré-natais, que faz ginástica para gestantes, que tem que tomar remédios, que muda sua dieta, suas roupas, que se ausenta do emprego (isso quando não o perde!), que perde cálcio e consequentemente seus dentes, que cuida praticamente sozinha desse filho pro resto da vida, que é discriminada em seleções p emprego se tiver filho, aí é que esse feto é mesmo jurisdição dela!

    Nessa idéia de que nem tudo o que está no meu corpo é meu mas só precisa de mim pra sobreviver, então eu não posso tomar vermifugo ou passar pomada p/ matar um fungo que aparece no meu pé toda vez que estou estressada, nem fazer transplante de órgãos. Afinal, a vida do meu rim vale mais do que a minha. Ele não é do meu corpo, só está nele para se desenvolver. Afinal, não posso mexer na obra de Deus. Só ele decide sobre a vida e a morte. Se ele me fez imperfeita, eu que me foda, não posso fazer um transplante ou mesmo receber o sangue de outrem em uma doação.

    Se um cachorro me morder na rua, eu nada posso fazer. Porque o pedaço que ele tirou é do meu corpo mas não me pertence pois o cão depende dele para sobreviver à fome.

  • O feto recebe oxigêncio e alimento da mãe e devolve p ela gás carbônico, dejetos jogados no corpo da mãe, dores, enjôos, o sacrifício de um parto, um corpo deformado que mtz vezes nem com academia volta ao normal, uma dor na coluna eterna para que precisa fazer cesariana (por causa da injeção antes do parto). Enfim, se a gravidez é um mar de sofrimentos ou de delícias, o fato é que só acontece no corpo da mulher, na vida dela, então ela tem todo o direito de decidir sobre o feto. Esta não é uma decisão coletiva pois os homens não engravidam nem arcam com uma gravidez e um filho indesejado.

    Se só acontece no corpo dela, é antes um fato que´terá muito mais desdobramentos para a vida individual desta mulher do que para a coletividade. Não sou eu que vou perder o emprego se numa seleção a equipe do rh souber que a fulana de tal tem filhos. O Estado também não tem malefícios pois desejado ou indesejado essa criança não vai custar aos cofres publicos pois este não dá direitos na prática pra ninguém.

  • Uma coisa que não entendo:

    Se atualmente a mulher tem amplo acesso a pílula anti-concepcional, fora outros contraceptivos, ela engravida se quiser*, ou se for responsável*.

    Logo, se teve o filho, é porque ou quis ou foi irresponsável*. Então, porque ela deveria poder abortar? Ora, se quis ou foi irresponsável*, que arque com sua irresponsabilidade*!

    *Supondo-se aqui que não houve estupro. Supondo-se também que o nascituro não tem qualquer deformidade ou deficiência. Supondo-se também que a mãe não corre risco de vida ao dar à luz. Casos esses em que o aborto é (deveria ser!) permitido.

  • Graças a Deus que ainda existem pessoas com o verdadeiro sentimento humano no coraçao,em proibir o aborto.Diga NAO ao aborto!!!

  • a mulher deve abortar se ela achar certo
    tudo bem que a criança ñ tem culpa mas pra quÊ gerar um bb que ñ vai ser feliz e vai apenas ser rejeitado?
    sou a favor do aborto em qualquer circunstância principalmente em estupros e quando bbs oferecem risco a saude de suas mamaes

  • Melhor que falar é agir, afinal esta discussão é interminável.
    Vamos assinar uma petição organizada por Jornadas
    Brasileiras pelo Direito ao Aborto Legal que aponta 10 razões pelas quais o ESTATUTO DO NASCITUTO é prejudicial para a saúde e para os direitos humanos das mulheres!!

    Entrem no site onde está a petição e assinem:
    http://jornadaspeloabortolegal.fw2.com.br/

    Observação:
    As Jornadas Brasileiras pelo Direito ao Aborto Legal e Seguro é uma coalizão de articulações e redes, organizações e ativistas que trabalham para os Direitos Humanos das mulheres e tem como objetivo contribuir para uma agenda propositiva a favor dos direitos reprodutivos no Brasil.
    ASSINEM, DIVULGUEM!!
    Vivian

  • corrigindo: NASCITURO

  • totalmente contra, a lei como está ja está ótima, não sou a favor do aborto, mas como ja li em comentários acima o estado tem o dever de proteger as pessoas de atos como estupros, e em caso de risco de vida da mulher, sim sou a favor do aborto, até por que como seria a vida dessa criança? ali tem um argumento totalmente ridiculo ”a criança não pode pagar pelo erro dos pais.”, esse argumento só é valido quando a relação sexual foi entre duas pessoas que QUERIAM fazer, não em caso de estupro, e o mesmo vale pra gravidez de risco, você sabe que vai morrer e a LEI não te deixa viver? não é que não estou pensando na criança, mas então vamos ver. Se essa lei for aprovada, então todas as crianças filhas de pais estupradores devem nascer, então a mãe vai ter que custear uma criança que ela não quiz, ela não vai tratar a criança como filha dela e isso todos nos sabemos, será muito pior ainda pra criança. E em caso de gravidez de risco, é legal uma criança crescer sem a mãe? sem falar na agonia da mãe saber que não vai sobreviver por que a LEI NÃO PERMITE? se postarem respostas. por favor, me digam pelo twitter que deixei ali no (site/blog) pra eu replicar.

  • A idéia pode até ser boa em teoria: ao invés de abortar o feto, encaminhar à doação. Mas agora me respondam: se aqui no Brasil há várias crianças à espera de uma adoção, com o Estatuto do Nascituro, o que aconteceria?

    Além disso, um salário mínimo até completar 18 anos caso resolva cuidar do filho. Um salário mínimo é o suficiente, não somente para cuidar da criança, mas também como compensação para eventuais danos psicológicos que o estupro possa ter causado? E se resolver cuidar do filho, será que a mãe dará o mesmo afeto desse filho? Será que o Governo conseguiria pagar em dia?

    Vamos supor agora também, que uma situação como a gestação ectópica venha a ocorrer em uma mulher. O que se faz, ainda mais se o feto se encontrar em uma idade em que ainda não é possível a sobrevivência extra-uterina? Trata-se de um quadro clínico grave, que se negligenciado, pode provocar a morte da gestante. A lei não deu ressalvas quanto a isso. Dessa maneira, nessas situações, não seria o mesmo que deixar a gestante à beira da morte por causa dessa complicação gestacional?

  • Abortar nunca será a melhor opção, principalmente para a criança, pois a mesma não terá chances de defesa, não foi dada a ela o direito de escolha se ela queria ou não ser concebida, porém num momento de gozo da vida de seus pais ela foi concebida e agora é algo indesejável e deve ser expulso.
    Devemos expulsar tudo de ruim de dentro de nós, até mesmo a vontade de matar nosso próprio filho. Será possível viver com a consciência tranquila após cometimento de tal crime.

  • Incrível como o discurso feminista sobre as “minorias” é completamente suspenso quando isso importa a diminuição de um direito delas, não é verdade? Afinal, o que seria o feminismo e o marxismo cultural, senão uma tentativa infantil e egoísta de introduzir um falso comunismo com base na estigmatização do capitalismo e discurso pseudo-moralista sobre igualdade? Igualdade, para essa gente, é devida a quem grita mais por socorro, quem se faz mais de vítima. Igualdade sentimental, e não racional e lógica.

    Não existe minoria mais fraca que o narcituro. Não existe outro ser que não tenha tamanha necessidade de protegido como o narcituro. É absurdo que os abortistas defendam que o narcituro seja apenas parte do corpo de uma pessoa, como sangue, pele, olhos, etc. A proteção aos direitos do narcituro diz respeito a uma vida em especial, um caso especialíssimo que não se iguala a nenhum outro.

    Entendo que a dignidade da mãe é um direito importantíssimo, fundamental e que deve ser protegido sempre que possível. Por este motivo, deve-se aumentar a eficácia no combate aos crimes contra a dignidade sexual e outras fraudes que tenham como consequência uma gravidez indesejada. Deve-se também proporcionar, na medida do possível, todas as condições necessárias para garantir uma gestação adequada.

    O que não se pode fazer, no entanto, é colocar o direito à dignidade acima do direito à vida. O direito à vida é absoluto, podendo apenas ser restrito para salvar outra vida. Só a vida se iguala a vida.

    É assustador ver pessoas falando que “a criança vai ter uma vida cheia de preconceitos e pode se sentir triste pelo seu passado”. Oras, crianças com doenças genéticas também são vítimas de preconceito. Pessoas que nasceram homossexuais também. Para isso existem várias medidas e campanhas para resguardar que a sociedade se comporte de maneira adequada diante da situação. As medidas devem ser direcionadas a uma sociedade sem preconceitos. Destruir uma vida nunca irá destruir o preconceito que já existe e cada dia se torna maior. Lógica absurda a de matar alguém para evitar que essa pessoa seja vítima de preconceitos.

    É ingênuo, também, quem pensa que o estatuto é mero fanatismo religioso. Oras, suponham que o Deus cristão existisse. Se existisse, Deus certamente compensaria o sofrimento que ele passou sem mesmo poder se defender, e o encaminharia para a prosperidade eterna, o que em tese é muito melhor do que qualquer felicidade que se pode obter em vida.

    Eu sou ateu, e por isso acredito que não exista nada depois da vida. Ou seja, se o narcituro for abortado, ele vai deixar de existir para toda eternidade, em qualquer plano existencial, e sob qualquer ponto de vista. É simplesmente o fim para ele. E este é um dos motivos pelos quais não se pode admitir aborto em caso de estupro. Direito à vida > direito à dignidade. Fora que a constituição resguarda a prioridade ABSOLUTA da proteção à criança e ao adolescente, o que obviamente inclui os direitos da prole antes de seu nascimento.

    Pela lógica dos abortistas, se fosse a mulher que estuprasse o homem (a partir de grave ameaça, uso de drogas, ou muitos outros métodos possíveis), então o homem poderia entrar na justiça e forçar a mãe a abortar, não é verdade?

    Na mesma linha de pensamento, poder-se-ia considerar que certos atos sexuais envolvem uma promiscuidade tão ou mais profana quanto o estupro, e aí poderia haver aborto.

    Ambos um absurdo!

    >>>O direito à vida não pode ser relativizado por mero julgamento moral<<<

    Eu sacrificaria o meu direito à dignidade pela vida do meu filho, mesmo que ele fosse fruto de uma coação criminosa contra mim. A prole não tem culpa pelos erros dos pais.

    Deve-se combater a prática de crimes, a irresponsabilidade dos pais ao ter filhos sem planejamento familiar, a ampliação das garantias aos direitos da prole, entre outras coisas. Agora…combater a vida? Que loucura é essa?

    • “Pela lógica dos abortistas, se fosse a mulher que estuprasse o homem (a partir de grave ameaça, uso de drogas, ou muitos outros métodos possíveis), então o homem poderia entrar na justiça e forçar a mãe a abortar, não é verdade?”

      Vou colocar dois pontos aqui:

      Em primeiro lugar o corpo da mulher não se torna sua propriedade só porque você gozou dentro dele.

      Caso as vítimas de estupro pudessem mandar no corpo dos estupradores ou seus aparelhos reprodutivos, imagino que haveria um bocado de homens castrados por aí. O que não acontece.

      O segundo é que sexo consensual (onde todas as partes estão legalmente aptas a participar) é bem diferente de um estupro, independentemente de ser profano aos seus olhos ou não.

      “Eu sacrificaria o meu direito à dignidade pela vida do meu filho, mesmo que ele fosse fruto de uma coação criminosa contra mim. A prole não tem culpa pelos erros dos pais.”

      Que tipo de dignidade você precisaria sacrificar, já que é um homem? É no plano das suposições ou seria forçando sua esposa a manter um filho fruto de estupro, por exemplo?

  • Juliana Rodrigues Ferreira disse:
    05/09/2010 às 17:04
    “O feto recebe oxigêncio e alimento da mãe e devolve p ela gás carbônico, dejetos jogados no corpo da mãe, dores, enjôos, o sacrifício de um parto, um corpo deformado que mtz vezes nem com academia volta ao normal, uma dor na coluna eterna para que precisa fazer cesariana (por causa da injeção antes do parto).”

    RÁRÁRÁRÁRÁRÁRÁRÁRÁRÁ!!!
    Eu estou PASMO com isso tudo!

    Se for pra liberar aborto num país com as mulheres pensando assim, melhor proibir mesmo. E não me venham com esse papinho de “liberdade de escolha da mulher” pois ela já TEM esse direito de escolha, vide os métodos contraceptivos. E mais, uma pessoa com essa mentalidade aí não é capaz de ter discernimento nenhum, quer ser irresponsável pro resto da vida, cometendo GENOCÍDIO por motivo fútil!

    Comentário triste, triste mesmo. Espero que você cresça pra vida um dia.

  • Querem que nasçam um monte de Freddy Kruger por aí. =D seria cômico se não fosse trágico…

  • Wilian Priest
    20/05/2011 às 23:10

    “quer ser irresponsável pro resto da vida, cometendo GENOCÍDIO por motivo fútil!”

    Motivo fútil?

    Tudo bem, existe camisinhas, anticoncepcionais diversos, pois bem, que a partir de agora então, toda mulher tenha obrigatoriamente em sua bolsas, camisinhas e tome fielmente seus medicamentos anticoncepcionais, assim, quando um estuprador pegá-la, ela dirá antes:
    “Espera aí, coloca a camisinha, tá!?”, ou “Você quer com camisinha feminina ou masculina?” e ainda: “Vai com vontade, porque estou tomando anticoncepcional.”
    Faz-me rir!
    E depois ainda fala que a mentalidade da outra é que é insana, coloca a tua mãe, tua irmã, tua mulher na rua para ser estuprada e parir filho de estuprador então!
    HIPÓCRITA PATÉTICO!

  • O nascituro não faz parte do corpo da mãe, apenas se desenvolve lá dentro.
    Matá-lo é o mesmo que matar com crueldade uma pessoa já nascida, e indefesa

    • Não se pode forçar uma criança a pagar com a vida um crime que outro cometeu

  • Tem todo meu apoia quanto a defesa do nascituro.
    Tudo na vida tem consequência. E toda consequência é para ser assumida com responsabilidade. Homem e mulher deve assumir seus filhos. Ninguém é inocente ao praticar o sexo, e o resultado é filho. Então assumamos isso. Mesmo com sexo “protegido”, fica-se grávida. A partir de que o homem e a mulher tem o entendimento de que é uma vida que se forma, não devem abortar. Não são inocentes. Fizeram já o aborto, não façam mais. Se não sabia que era vida, agora sabem. RESPONSORIALIDADE É PARA SER ASSUMIDA. Se é bom fazer sexo, melhor ainda é dar vida ao filho. Mãe e pai são antes de nascer. Acaso o filho é filho somente antes de nascer! O que voce diriamos a nossos pais se eles tivessem desejado nos matar?
    Amar consiste em dar a vida e não matar.

  • Projeto absurdo que tenta obrigar a estuprada a ter o filho do estupro. A mulher seria duplamente violada: pelo estuprador e por esses fundamentalistas que dizem defender a “vida”. Se o nascituro fosse cidadão seria contado nos recenseamentos. É “presunção de vida” , e não “vida consumada”, como o nascido vivo. O problema é que o lobby religioso está crescendo em conseqüência da péssima escola pública, onde os colégios são depósitos de crianças. A falta do ensino de ciências humanas como a filosofia e ciências sociais desde a pré-adolescência torna os jovens presas fáceis de obscurantistas. O projeto é inconstitucional em muitos aspectos. Se passar no CN vai ser revogado pelo STF.

  • Muito blá blá blá…
    Sou casada e fiz um aborto quando tinha 23 anos, na ocasião achando que estava em um momento de desespero na minha vida. Quero informar que o meu desespero desde então passou a ser a atitude que eu tomei na ocasião, não tinha o direito de tirar de dentro de mim uma vida, o meu filho, por nenhum motivo deste mundo.
    Portanto, as pessoas devem refletir e nunca tomar uma decisão tão séria em função de problemas que estejam vivendo em suas vidas, pois todos serão muito pequenos depois da atitude de tirar a vida de uma criança, principalmente a sua criança.
    É só isso que tenho a dizer.
    Sou contra o aborto em qualquer circunstância. Hoje tenho 42 anos e ainda sofro com a minha atitude.
    Reflitam.

    • Sim, mas você ESCOLHEU naquele momento essa saída. Você pode até ter se arrependido. Quem te garante que você hoje não diria exatamente que se arrepende de não ter abortado. Ainda que você seja contra o aborto em qualquer circunstância, você não pode impor isto a outras mulheres. Eu jamais teria em hipótese alguma o produto de um estupro, por exemplo. Assim que ficasse ciente do fato a primeira coisa que faria seria procurar o hospital mais próximo para fazê-lo. Entretanto, eu não posso obrigar outra mulher na mesma situação que eu a fazer o mesmo. O negócio aqui é escolher qual a violência que você quer se submeter. O estupro não foi escolha da mulher, mas abortar ou levar a gravidez adiante são violências as quais ela terá que escolher. Pelo menos aí, ela poode escolher.

  • Você que defende o aborto não estaria aqui se tua mãe pensasse como você! Ou estaria? Se na tua casa reina o amor, com certeza não!
    Para você que diz que isto é papo de católico, a grande arma de Gandhi foi o amor! αγάπη!!!

  • Sabe oque eu acho?
    Na verdade isso aí tira totalmente o direito da mulher optar por ter ou não ter um filho de uma gravidez acidental ou não planejada, ou vitima de um crime como o estupro.

    Na verdade mais uma vez os politicos passaram por cima de um direito que a sociedade deveria estar ciente e participativa dessa votação, oque eu acho engraçado é que nos países de primeiro mundo o abroto é lagalizado e tem total apoio da rede publica de saúde.Afinal um país desenvolvido não iria aceitar pais despejando seus filhos nas ruas, frutos de uma gravidez não indesejada ao ponto de virarem marginais, mendigos, traficantes ou fazer parte da geração zumbí “CONSUMIDORES DE CRACK” como vem acontecendo em toda cidade grande eo governo não consegue combater essa epidemia alarmante.

    Por isso se for para ter um filho de uma gravidez indesejada ou concebida de um crime como o estupro, É MELHOR ABORTAR MESMO E QUE SEJA BEM NO COMEÇO! más infelizmente esse éo retrato politico social do nosso povo e do nosso pais de a sociedade não ta nem aí pelo seus direitos de também optare por uma decisão desmocrática dessas.

    • Vocês estão esquecendo que foi apresentado um substitutivo que acrescenta a seguinte redação ao texto: “Ressalvados o disposto no Art. 128 do Código Penal Brasileiro”. Ou seja: o direito a abortar nos casos de estupro e de risco à saúde da mãe continuarão assegurados se o Estatuto do Nascituro for aprovado. Pesquisem no site da Câmara dos Deputados.

  • Minha gente vivemos em um Estado Laico,a religião não deve influenciar nas decisões governamentais.O direito de abortar ou não eh da mulher e não tem homem e nem politico que tem razão em dizer o contrario.

  • esse CID é um completo ignorante! meu amigo, só por que vc sabe colocar palavras bonitinhas, não quer dizer q vc entende do q está falando.
    1a colocação do infeliz: gravidez normalmente não infere nenhum risco a mulher. ô anta, estuda um pouco sobre fisiologia e clinica da gestação, q vc vai ver q é consenço cientifico q na gravidez os aspectos clinicos e fisiologicos da gestante se alteram ultrapassando o limite da normalidade e beiram a da patologia. a chance de uma infinidade de doenças, muitas vezes c risco de morte, aumenta mto em mulheres gravidas. resumido, é exatamente o contrario d q vc expoe aqui: QUALQUER mulher gravida tem risco mtos mais elevados de morrer do q mulher nao gestante. Pois é meu amigo, as mulheres se colocam em risco desde de sempre p a propagação da espécie, e vc fica aí falando merda. Imagino como seu Deus nao deve se sentir em relação a vc.
    2- como vc se sentiria se fosse abortado? pronto, aí o CID prova por fim sua infinita ignorancia e bestialidade. como meus preceitos religiosos me ensinam a ser paciente, eu te explico cid. meu amigo, até o 3-4 mês não há sistema neural executado no feto, ou seja ele é incapaz de sentir qq coisa. eu pergunto a vc o q sente um mosquito qdo vc o esmaga? ELE SENTE MUITO MAIS DO Q QUALQUER FETO! and i rest my case!
    Se vc discorda d q falo, então vc é contra a ciência! Se vc é contra a ciência eu proponho q vc pare de tomar remedio qdo ficar doente, q vc não procure o hospital se ficar doente ou sofrer um acidente, q vc vá morar numa caverna ou monte a sua propria oca, sem direito a advanços da engenharia. Ou entao, continue sendo esse completo imbecil, idiota, hipocrita q c certeza vai queimar no marmore do inferno!
    E ás MULHERES IMPREGNADAS C PRECEITOS MACHISTAS, eu sinto muito informa-lhes, mas vcs q cometeram o CRIME DE ABORTO INTELECTUAL. vcs envergonham o resto das mulheres se submentendo e cativando essas ideias machistas, quem vc acha q inventou essas religiões? foi uma mulher? se vc querem se submeter as leis morais criadas por HOMENS q criaram as religiões, blz, eu entendo a falta de amor proprio. mas querer submeter todas as mulheres a isso, aí é crueldade demais. alias, quer crueldade maior do q apoiar uma lei q diz q o direito de um punhado de células é maior do q o de uma mulher? sinto muito muito por vcs e mais ainda por minha amigas q lutam incansavelmente pelo direito das mulheres. mais triste q os comentarios do cid! pode ter certeza q Deus vai estar esperando vcs na porta, p mandar direto p inferno, seus barbaros!

  • infelizmente a lilian wanderley esquece q quem assume todo o aspecto emocional, psicologico, fisiologico e social de uma gravidez indesejada é EXCLUSIVAMENTE A MULHER! vc acha q o pgto de pensão supri todos os aspectos da paternidade responsavel? vc teve pai na sua criação lilian? poies, pensa nisso. então, vem os machistas q me envergonham de ser homem, e dizem: q fechem as pernas então (o q p mim ou significa qesses homens nao gostam de sexo, ou tem inveja da mulher de poder propocionar – ou negar – tamanho pazer) . pois eu é q lhes digo: q cortem seus paus!

  • ai vem outro imbecil supremo q devia ser proibido de fazer amor c uma mulher, se é q ele faz: “Francisco
    22/07/2011 às 18:33
    Não se pode forçar uma criança a pagar com a vida um crime que outro cometeu….”
    Mas vc quer obrigar uma mulher a pagar c sua vida (é mais ou menos isso vc ser estrupada e conviver sua vida toda c a prova do crime ou literalmente no caso dela correr risco de vida decorrente da gestção) por um crime q um homem cometeu?”
    sério, vc só devia ser permitido transar c cabras! coitadas das cabras.

  • em caso quase o mundo inteiro esta sabendo que isso foi um abuso a demenor de apenas uma criança de 9 anos de idade foi estrupada pelo padrasto uma fato de um aborto que e crime no mundo mas mesmo assim os medicos e a mae descidiu a fazer um aborto sobre a criança gravida de gemeos uma criança cuidando de duas -*

  • A velha tática de usar palavras falsas para desvirtuar uma discussão honesta. Aborto é uma coisa, assassinato é outra. Feto é uma coisa, embrião outra, bebê outra, criança outra. Chamar feto de criança e aborto de assassinato é golpe baixo. Por que aqueles que são contra o aborto dos outros não pegam pra criar as crianças indesejadas que nascem aos milhares?

  • Esses misóginos imbecis nunca desistem de tentar controlar a sexualidade feminina… se dizem em favor da família pai, mãe e filho héteros e fiéis, mas todos eles certamente tem suas amantes e casinhos extras, com as quais usam todos os contraceptivos que existem e que, se engravidarem, serão imediatamente mandadas para uma clínica para fazerem o aborto com toda discrição, a fim de não armar escândalo e arruinar a fachada “Família” dessa politicada mentirosa e nojenta (redundância). Tentem impor isso a mim… eu arrancaria fora meu próprio útero antes de ser forçada a uma gravidez indesejada.

    Bom, meninas e meninos conscientes, eles podem até tentar controlar o aborto mas em casos que não sejam de estupro eles não podem controlar a contracepção. Façamos campanhas pelo direito a camisinhas, pílulas, laqueadura e vasectomia gratuitas e por conscientização e incentivo ao sexo seguro. Eles podem até reinvidicar que um punhado de células como propriedade deles (afinal, o embrião não é um ser humano, é objeto, então as pessoas podem decidir se ele fica na ‘caixa’ ou não) mas não podem reinvidicar o corpo das pessoas como propriedade.

  • Deixa eu ver se entedi se uma mulher for estrupada ou uma criança de 9 ou 10 anos acabar engravidado como vemos em muito caso aqui em brasilia,ela vai ser obrigada a ter a criança memos que ela não queira e isso.Que dizer que esses bando de desocupado que so trabalha 3 dias por semana ainda vez essa merda pois um bando de gente,ou melhor pessoas que deve ter a vida perfeita que morar no paraiso que não acontece nenhuma desgraça como essa acha que tem o direito de obrigar uma pessoa que foi violentada a ter,cria uma criança que não quis e toda vez que olhar aquele filho vai lembrar de tudo que passou porque o governo quer,por favor fala sério isso e serio gente.Ta certo que tem um monte de mulher que faz aborto por safadeza ai sim eu concordo que tem que ter o filho mesmo,mais uma pessoa que e vitima de estrupo ai não tem nem como dizer uma coisa dessa.Quero ver se uns desses que diz tanto absurdo vai la para perguntar para ela oque ela acha disso,se vai ajudar ela ,isso sim eu queria ver.Para mim isso devia ser votado pelo povo não por pessoas que so faz merda e diz que estão fazendo para melhorar o brasil,fala serio.

  • O PL 478/2007 (Estatuto do Nascituro) não quer impedir mulheres grávidas por estupro de abortar, como estão dizendo, nem impedir pesquisas com células-tronco. Basta ler, no site da Câmara, ou seja, direto na fonte, a íntegra do Substitutivo do PL 478/2007 aprovada agora no dia 5 de junho na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara. O Estatuto, quer, apenas, dar às mulheres grávidas nessas condições, se assim desejarem, FIQUE CLARO isso, condições de criarem a criança ou entregá-la, em segurança, à adoção. O texto sequer menciona pesquisas com célula-tronco e mantém o disposto no artigo 128, não mexendo nas garantias já dadas pela lei com relação ao aborto. Leiam o texto do Substitutivo do PL 478/2007 aprovado no site da Câmara dos Deputados. São só 14 artigos.

  • Infelizmente o país faz as suas leis e o povo é obrigado a cumpri-las. Na realidade, não passamos de massa de manobra em suas mão. São aproximadamente duzentos milhões trabalhando, se matando para que dez milhões vivam como nababos. Se não vejamos: as 3 forças amadas, a politica, os poderes judiciários… Pergunto a qualquer um e que venha me responder o mais inteligente ou capaz: O que a nação faz para lhe ajudar a criar um filho? ela coloca o pão dentro de sua casa? Ela lhe fornece algum subsidio para a educação de seu filho? Ela tem tudo preparado para prestar um socorro ao seu filho, caso ele fique doente? O que mais se vê na internet são pessoas pedindo doações para tratar da doença de seus filhos em hospitais de outros países. Ai, vem a mídia em nome da nação tentando fazer o povo engolir que tudo está bem, que este é um pais prospero e blá blá blá! Agora surge a lei do nascituro. É mais uma desgraça para as mulheres e elas são obrigadas a rir desta desgraça. Poque ao invés desta esdruxula lei o país não cria uma onde toda e qualquer mulher acima de 21 anos seja esterilizada? tenha filhos ou não!

  • São leis como esta que ajudam a superlotar os orfanatos de bastardos e abandonados. Onde a criança não tem o direito de ter uma mente sadia, uma infância feliz ou um lar. Porque a maioria dos que procuram adotar uma criança escolhem os mais bonitinhos, preferem os de olhos azuis, tem que ser branca e e.t.c. Esta lei é mais um adendo para que o ser humano troque o seu coração de carne por um de pedra. Na palavra de Deus ele diz que somos feito a sua semelhança e imagem. E com toda certeza digo: esta lei foi encomendada pela igreja católica. Lembro-me muito bem que quando o papa João Paulo visitou o brasil, combateu a distribuição de camisinhas no carnaval. Dizendo ele que as camisinhas impediriam o nascimento de crianças. Mas ele não se importou com a aids, com as doenças venéreas e coisas tais. A igreja mancomunada com a nação fazem de tudo para passar atestado de burrice ao povo. Que a cada dia que passa fica mais desnorteado, sem rumo, sem alegria no coração, sem animo para viver, e o que é pior sem alto estima. Sim! Porque a mídia esta ai mesmo para incutir na cabeça do povo o desejam do povo. Lamento e fico muito triste pela mulher. Porque na verdade, ela nunca se emancipou e nem vai. Assim como o homem ela é propriedade do governo.

  • Cid, pelo seu palavreado, presumo que deves ser um destes cristãos bem bitolado. Li os seus comentários e fiquei estarrecido com a sua ignorância! Ainda bem que outras pessoas lhe respondendo concordam comigo em gênero e gral. É como disse o outro: Podes ter certeza que Deus estará lhe esperando. E quando lá chegar seras mandado diretamente para o inferno. Pois a tua insensibilidade não provem de Deus. Vês a vida pela sua bitola. Não imaginas nunca que um estrupo pode acontecer no seio de sua família, não imaginas nunca que a vergonha, o constrangimento e o trauma podem rondar a sua casa. Peça a Deus que tais coisas nunca aconteça. Sinceramente: a tua insensibilidade é a toda prova. Se liga o bitolado! Acreditando você que é de Deus, não se situa como tal. Larga de ser hipócrita! Mude os seus conceitos urgentemente. Pois só assim estarás nos caminhos de Deus e próximo a ele.

  • Legal a criança crescer e saber q a mãe não o desejava, que foi feito após um crime, crescer sem pai… garanto q qm aprovou essa lei…naum teve a mãe estuprada nem humilhada…

  • [...] Estatuto do Nascituro, aprovado hoje, proíbe aborto em qualquer hipótese, blog Acerto de [...]

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

setembro 2017
S T Q Q S S D
« mai    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).