Quantos livros você lê?

mar 19, 2009 by     13 Comentários    Postado em: Atualidades, Cultura

boy-buried-in-book

Segundo a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, publicada em 2008 pelo instituto Pró-Livro, a média anual de leitura do brasileiro é de 4,7 livros por ano. Na Região Sul, a média é maior do que a nacional, com 5,5 livros. O Norte tem o menor índice, com 3,9 livros por habitante. Entre os que têm 3º grau completo, o número é de 8,3 livros, enquanto para quem cursou até a 4ª série, a média é de 3,7.

Não parece um número muito bom, sobretudo quando comparamos com a média de 11 livros anuais dos franceses. De fato não é um número bom, mas, existem alguns estigmas sobre o tema, e não é tão fácil dissipá-los.

Estava procurando alguns números, e vi os resultados de uma pesquisa de publicada em 2007 (realizada pela Associated Press com Ipsos), sobre os hábitos de leitura dos americanos, e os dados não eram dos melhores. Consta que um em cada quatro americanos não leu nem um livro sequer em 2006. Em números brutos, um percentual de 27% da população não lê – preferindo outros meios para obter informação e conhecimento, como TV e Internet.

Em números absolutos, comparando a França e os EUA, a diferença é grande. Na França, a média obtida por esta pesquisa é de 11 livros por ano, e nos EUA, uma média de 4 títulos pessoa/ano.

Como vemos, não estamos tão longe dos EUA. Por outro lado, em relação à França, existe ainda um abismo. Curiosamente, existe um dado que mostra que possivelmente a França não é o paraíso da leitura, como se costuma pensar. Em verdade, seriam os “grandes leitores” os responsáveis por elevar essa média.

Seja como for, mesmo não se atendo aos números, tudo leva a crer que nossos índices de leituras não são bons, e talvez seja um equívoco tomar os EUA como parâmetro.

Políticas públicas de difusão de livros e incentivo à leitura, certamente poderiam ajudar a melhorar nossos índices. Existe uma série delas, mas sempre parece pouco.

Aqui em Recife, ano passado, lembro que a Prefeitura do Recife promoveu uma rodada de oficinas de literatura nas escolas públicas, ministrada pelo escritor premiado (prêmio Jabuti, entre outros) Raimundo Carrero.

Carrero é uma figura que aprecio muito. Mesmo nunca tendo assistido suas oficinas, tenho certeza que conseguiu cativar alguns leitores a mais em nossa cidade. Pelo que sei, suas oficinas primam mais pelo aspecto criativo, e para a prática da escrita. Mas, acredito que dificilmente se desperta o gosto pela escrita, sem que se obtenha ganhos na prática da leitura.

Outro aspecto curioso é que, por mais que se diga que o livro é caro no Brasil (e, de fato, o é), o mercado editorial de livros de bolso (que são mais baratos, entre 8 e 15 Reais o exemplar) tem crescido bastante, e com bons títulos clássicos e famosos muito interessantes – como Shakespeare, Platão, Goethe, Júlio Verne e Moacyr Scliar (para citar autores para diversos públicos e gostos).

De toda forma, incentivar a prática de leitura e a difusão de livros deve ser sempre um compromisso do Poder Público.

Gasta-se muito com outras coisas (o Senado, a Câmara Federal e as Câmaras Municipais têm-se mostrado dois poços sem fundo de desperdicio de dinheiro público, sem falar no Judiciário, que parece consumir muito, para poucos resultados práticos), em detrimento da Educação.

Em vista de tudo isso, o blog propõe a seguinte enquete aos nossos leitores:

Quantos livros você leu nos últimos três meses?

Ver Resultado

Loading ... Loading …

13 Comentários + Add Comentário

  • E por falar em livros e leituras e aprendizagens… sabiam que muitos dos ilustres “pensadores” de diversas áreas, incluindo a Pedagogia, defediam até bem pouco tempo a idéia de que mulher não aprende???

    Márcia Tiburi e Margareth Rago detonam alguns mitos em torno das crenças sobre a baixa capacidade intelectual das mulheres neste vídeo: http://eimidia.com/portal/index.php?option=com_content&task=view&id=112&Itemid=1

  • “O livro é uma porta aberta para a mente fechada”
    Parbéns pelo texto.

  • Muito bom… Valeu por notarem que os tão amados estadunidenses estão longe de ter uma média aceitável de leitura… 4 livros por ano, uma lástima!

  • O Brasil ainda possui um demanda muito deficiente de leitura, tem 16 milhões de analfabetos com mais de 15 anos e 33 milhões de analfabetos funcionais, isto é, pessoas que sabem ler mas não entendem o que leêm.
    Segundo informaçoes, atualmente o índice de leitura por ano no Brasil é de 1,8 livros por pessoa e o Nordeste tem o pior índice desta leitura, isto é muito ruim.

    Amanda, eu acredito muito na capacidade intelectual das mulheres.
    estes pensadores devem estar muito equivocados.

    Vamos torcer para que os brasileiros se sintam mais entusiasmados para lerem livros.

  • Ontem estava conversando com a minha irmã justamente sobre isso – ela cursa pedagogia na ufpe – e estava lendo um texto que falava sobre isso (mas era menos atualizado, pois quando li aqui o texto vi que os números estão diferentes).

    Comparando um texto e outro, o número de livros por pessoa cresceu (tanto aqui quanto na frança por sinal).

    Eu sou leitora compulsiva. Não sei entrar em uma livraria e sair de mãos vazias. É mais forte que eu.

  • André, muito interessantes o tema e sua abordagem!

    Essas estatísticas de leituras por países devem esconder números ainda mais intrigantes. Isso porque acredito que deve haver uma grande concentração de volume de leitura em poucos leitores.

    Outro aspecto que fico me perguntando é a relação entre leitura e desenvolvimento econômico. Se o desenvolvimento econômico está atrelado ao nível cultural de um povo; e o nível cultural pode ser medido pela quantidade de livros que ele lê, então deveria haver uma disparidade maior entre Brasil e EUA.

    Então a pergunta precisa dar dois passos atrás: quantidade de livros não tem a ver com o nível cultural de um país; ou o nível cultural de um país não tem a ver com o seu desenvolvimento econômico?

    Abraço,
    Rodolfo.

  • Rodolfo,

    Tem um ditado que diz: “Quem estuda não tem tempo pra ganhar dinheiro”. Talvez se enquadre bem neste contexto. rsrsrsrsr

    Outro dado curioso, que acabei nem colocando no post, é que, segundo essa pesquisa da Associated Press/Ipsos, nos EUA as mulheres tem um hábito maior de leitura que os homens. No entanto, lê-se mais livros religiosos.

    Abraço!

  • Gosto muito de ler e gostaria muito de aperfeiçoar e alavancar a minha leitura, aumentando a velocidade e a compreensão. Em 2009, li 29 livros, incluindo a Bíblia, a qual já li 20 vezes. Este é o melhor livro do mundo!
    Para ler mais é preciso ter disciplina e constância e diariamente persevar para atingir novas metas de leitura! Estou buscando organizar-me melhor no tempo e no espaço para superar o número de livros lidos no ano passado.

  • minha meta para 2010 era 30 livros e já ultrapassei.
    tem que haver disciplina para tal fim, caso contrario nada feito.

  • Gostei Renato!! tambem quero ultrapassar minha meta de 20 livros por ano! acredito que assim estaremos não nos livelando em relação a outros países, cuja cultura é proporcionalmente diferente que a do Brasil, mas sim possibilitando um avanço pessoal de mostrar para nós mesmos que temos capacidade de gostar de ler e fazer desse gosto uma realidade em nossas vidas!

  • Muito bom texto e retrata muito bem a sociedade brasileira.
    Eu particularmente não sou um assíduo leitor ou pelo menos não era… há pouco tempo comecei a verdadeiramente me interessar por livros e lê-los com muito prazer.
    Antigamente, eu não lia sequer um livro por ano.

    Sobra a questão política abordada, é bastante sério e revoltante saber que o governo recebe milhões, ou melhor bilhões de reais – se não for mais – de impostos e não o utiliza da maneira correta. A educação é o ponto fundamental para toda e qualquer sociedade, não há progresso e desenvolvimento desacompanhado da instrução. Muita propaganda se faz sobre o avanço financeiro brasileiro, que o Brasil se encontra entre as 5 primeiras economias mundiais, mas verdade seja dita: dinheiro não compra intelecto.

  • [...] http://acertodecontas.blog.br/atualidades/quantos-livros-voce-le-por-ano/ Por que o brasileiro lê menos que os ‘hermanos’ argentinos? [...]

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

janeiro 2018
S T Q Q S S D
« mai    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).