Sistema de aluguel de bicicletas do Porto Digital começa a funcionar no Bairro do Recife

jan 8, 2013 by     99 Comentários    Postado em: Atualidades

Hoje entrou em funcionamento o Projeto Porto Leve, que espalhou dez pontos de bicicleta para aluguel, centralizados no Recife Antigo (também tem um ponto em Santo Amaro e outro no Cais de Santa Rita).

O projeto foi concebido e está sendo gerenciado pelo Porto Digital, que atualmente é a instituição que mais contribui para a cidade, em vários aspectos.

Uma das grandes dificuldades para quem trabalha ou precisa ir ao Recife Antigo é a escassez de estacionamento. Agora será possível ir de carro, deixar o mesmo no estacionamento da Prefeitura, e utilizar a bicicleta até o Porto Digital ou Paço Alfândega. Ou mesmo ir de ônibus até o Cais de Santa Rita e alugar a bike para ir até a ilha.

A utilização de bike alugada como modal já funciona em algumas cidades brasileiras, e tem sido um sucesso. Em algumas cidades da Europa, como Paris, o sistema de aluguel de bicicletas é tão intenso que é impossível passar dois minutos sem observar alguém com uma bike alugada.

O projeto já era para estar em funcionamento há meses, se não fosse o repouso absoluto na burocracia da Prefeitura, ou mesmo no birô de João da Costa.

E acabou que um órgão não estatal (o Porto Digital) é que levou o projeto à frente, dando grande contribuição para a cidade.

Na verdade o bom funcionamento do projeto é de grande importância para a criação de uma alternativa de mobilidade na cidade. É claro que apenas um sistema de ciclovias vai resolver o travamento da cidade, mas a solução está justamente em um eficaz sistema de modais, e a bicicleta é um deles.

O fato de não ter ciclovias em funcionamento no Recife Antigo também não invalida a iniciativa. Na verdade cabe agora ao Governo educar minimamente os motoristas profissionais (especialmente os de ônibus) a respeitarem os ciclistas.

Para utilizar o sistema, é preciso se cadastrar, pagar R$ 10,00 por mês, e retirar a bike na estação. Se quiser pode pagar uma diária de R$ 5,00 para o cadastro. Pode utilizar por 30 minutos gratuitamente, ou então pagar R$ 5,00 por cada 30 minutos adicionais.

A explicação em detalhes está no site do Projeto.

Amanhã vou testar.

99 Comentários + Add Comentário

  • Muito bakana mas ONDE ESTÃO AS CICLOVIAS?!?!

  • Essas bicicletas irão circular onde?

    • Vão colocar cobertas em cada posto ou essas bicicletas vão ficar ao relento( levando sol e chuva )?

  • Houve um errinho aí, não?Querias dizer que mesmo que “apenas um sistem de ciclovia…” vai resolve? Acho que faltou um NÃO.

    No mais, parabéns pelo excelente blog do senhor!

  • Bela iniciativa. pelo menos alguma coisa que sai do papel. ainda que seja por um órgão não estatal. espera-se que os vândalos não atuem com veemência e o projeto possa seguir a diante por muito tempo.

  • Rapaz, sei não.

    Aluguel de bicicleta, no Brasil?

    Não sei se resiste aos canibais e aborígenes no carnaval.

    • Vão roubar logo logo, esperar pra ver. Estamos no Brasil!!! É verdade que a Prefeitura gastou 1 milhão de reais para a compras dessas bicicletinhas? kkkkkkkkkk

      • Não foi a prefeitura, mas o Porto Digital que gastou.

      • Iniciativa corajosa e merece nosso apoio,será bom para todos! THINK+

    • Brasileiros que desconhecem o Brasil: já existem diversas cidades com o sistema e com muito sucesso, Rio de Janeiro, Campinas, São Paulo…

      • Ate Maceio, por incrivel que pareca, tem.

  • Fantastico, mas morro de medo de que uma hora destas saia no noticiario um atropelamento de um usuario destas bikes ou mesmo assalto.

    • Concordo.

      Se os animais indomáveis dessa selva chamada Recife não depredarem ou picharem, certamente vão roubar, até pra revende-las.

      Agora, se por intervenção do espírito santo as bicicletas conseguirem sobreviver, o desafio para o usuário corajoso e destemido vai ser não ser atropelado pelos animais motorizados no trânsito ou assaltado pelos maloqueiros e noiados, tradicionais donos da região.

      Quer dizer, usar essas bicletas será um tremendo ato de bravura heróica.

      • 700 pessoas se cadastraram no sistema, só no 1º dia.

        • 700 Posers!

        • O bom é que pra ser idiota não precisa ser poser.

      • Concordo Breno.

    • Alguns incidentes de roubo e furto irão existir. Mas considerando que várias peças desta bike não são adaptáveis as demais, que elas são bem diferentes do que costumamos ver e ainda, que devem possuir rastreador, logo a bandidagem vai ver que não vale a pena. Digo devem, pois a Serttel que elaborou o projeto e em outras iniciativas suas, tem rastreador. Acho que não divulgam, pra pegar o bandido “no pulo”.

      O problema maior ainda é a falta de educação dos motoristas, com pressa pra chegar no próximo sinal vermelho, que desrespeitam a vida!

  • Os motoristas de Recife não estão preparados para dividir o pouco espaço que existe com os ciclistas.
    Onde estão as ciclovias?!?!
    Onde está o programa municipal de conscientização dos motoristas com relação ao respeito aos ciclistas?!?!

  • No primeiro arrastão, não fica uma.

  • A pergunta que não quer calar: será que os flanelinhas já bolaram algum plano pra ganhar dinheiro em cima dessas bicicletas?

    • Sim. Roubando-as.

    • No Recife Antigo? Vendendo drogas.

  • Como estacionar na prefeitura? Só se for funcionário, não ?

  • Iniciativa pontual, isolada, que infelizmente não terá grandes repercussões na mobilidade do Recife antigo com a diminuição dos carros naquelas bandas. Esperar que “o Governo educar minimamente os motoristas profissionais (especialmente os de ônibus) a respeitarem os ciclistas”, é acreditar em saci pererê, boitatá, lenda do boto, curupira, mãe d´água, pisadeira, mula sem cabeça, corpo seco, mãe de ouro, e tantas outras lendas do folclore.

  • A galera rouba até árvore de praça, não vão dar um jeito de “carregar” essas bicicletas?????

    O pessoal pensa que tá na Europa, nos EUA ou no Japão e se esquece do “mundo cão” em que vivemos.

    Outro dia veio Pierre na maior ingenuidade (ou desconhecimento da realidade) sugerir a idéia de praçinhas de leitura na rua. Essas idéias podem dar certo em lugares onde o público tenha o mínimo de educação, mas no Brasil é complicado. O povo gosta é de viver no meio da esculhambação. Se o governo ou alguma empresa quiser investir e melhorar demais, o próprio povo trata de avacalhar de novo.

    • A bicicleta fica com cadeado.
      Se voce roubar a bicicleta, o valor dela vem debitado no seu cartão.
      Na França é assim. Em algumas cidades do brasil tb.
      Aqui ainda não sei.

      • Rapaz, já levaram caixa eletrônico, literalmente. Colocaram numa caminhonete e levaram, aqui em PE lembram? Quanto mais uma bicicleta peba. kkkkk Vão roubar e levar até o cadeado, é só uma questão de tempo. Estamos no Brasil!!!! kkkkkkk O povo daqui anda sonhando! hehehehe

        • E por falar em roubar, nos arredores da Praça Maciel Pinheiro, há dois jovens roubando as pessoas com uma faca. Tomem cuidado, por pouco não fui vítima, pois me liguei logo. Peguei um táxi e o taxista me falou que está acostumado ver eles investindo contra as pessoas. Só a polícia não aparece lá. Se liguem!!!! Muito ladrão no Recife!

        • Questão de custo benefício. Pro bandido o lucro de um roubo de caixa eletrônico é grande.

          Agora imagina roubar uma bicicleta toda diferenciada, com mercado de venda difícil, que fica com cadeado, em locais com câmera de vigilância, com rastreador. Pra que? pra derreter? Vão acontecer incidentes de furto, mas logo serão reduzidos, assim como foi em vários lugares do mundo, inclusive em outras cidades brasileiras.

        • E quanto aos bandidos da Praça Maciel Pinheiro, é incrível como brasileiro é conivente com roubo, furto, armação e bandidagem. O taxista já “esta acostumado” com os bandidos, ao invés de fazer uma denúncia, ainda que anônima.

      • Pierre, vc notou que as magrelas são da laranja!!!! muito suspeito, é a cor da Moura Dubeux!!!!! tenho certeza que com sua perspicarcia de exergar o que ninguem ve!!!! ja deve ter percebido que a dona da cidade quer ganhar dinheiro com esse negocio tb!!!!!!!

        • Caçador de bruxas detected.

          É laranja porque o projeto tem participação do Banco Itaú. Visite http://www.vadebike.org

  • Já existe semelhante em João Pessoa e de fato, funciona a bem. A grande questão passa agora pela análise de criminosos flanelinhas, ausência de ciclofaixas em bom tamanho e a segurança pública. As bicicletas têm seguro? Quem vai arcar com um possível roubo? Mais a idéia é mais que bem vida, final de semana próximo irei experimentar, com prazer.

  • Faltou uma parada mais próxima à Conde da Boa Vista…

    • Concordo. Tb poderia ter uma nas imediações da Guararapes e da estação central do metrô.

  • Iniciativa até bem intencionada, mas de resultado duvidoso no Recife. (Espero estar enganado).

    Acredito que seria mais interessante o aumento do número de ciclovias para os cidadãos usarem suas próprias bicicletas. Junto com propaganda de conscientização na TV.

    Um dos candidatos a prefeito certa vez levantou a possibilidade do uso de catamarãs como modal de transportes entre as “ilhas”.

  • Acredito que se há a oportunidade de fazer o projeto das bicicletas e não fazê-lo é equivalente a deixar de andar a pé nas ruas por causa da violência e desordem. Em ambos os casos se está contribuindo para uma piora da organização urbana, aceitando o modelo vigente, se isolando e não enfrentando.

    Colocar as bicicletas nas ruas é uma forma de dizer ao governo que a implantação de ciclovias é uma necessidade urgente. É uma forma de fazer pressão. Deixar de agir com medo dos males da cidade é uma forma de ser conivente com eles.

  • O Porto Digital é mais do mesmo: como tudo que se faz em Pernambuco, sao recursos públicos administrados faz quase 15 anos por um grupo selecto de escolhidos (professores da UFPE e demais amigos) sem nenhuma accountability, ou em bom português, nenhum tipo de auditoria independente que questione os números que o presidente grita sem nenhuma base. No início do ano passado montei o http://observatorioportodigital.tumblr.com/ e fiz junto com algumas pessoas do grupo Startup PE uma tentativa de prestacao de contas. O resultado foi bater no Diário de Pernambuco, e a turma do deixa disso entrou em acao. Passados quase 12 meses, nenhuma auditoria sobre os numeros e resultados do Porto digital foram apresentados. E segue a pergunta: onde estao os milionarios gerados pelo porto digital? onde estao as empresas que juntas faturam 1 bilhao de reais? A diferenca dos jooes, dos dudus e dos geraldos é pouca ou nenhuma.

    • Não só concordo integralmente, como coloquei seu blog na minha lista de leitura.

    • Jairson, posso atualizar os dados de uma empresa na planilha ? Abs!

      • Claro !

  • Apesar de todos os motivos para dar errado que os pessimistas enumeraram, acredito que toda intenção de melhora seja bem-vinda.
    E o fato de ser feita pelo Porto Digital é um fato positivo, pois, não é meu dinheiro que está sendo investido lá (se fosse 0% estatal seria perfeito, mas não sei se foi isto que o artigo quis dizer).
    E se fosse estatal, alguém já pensou qual seria o preço pago pela compra das bicicletas? Eu voto no quádruplo do preço de mercado.

  • Os donos das empresas de ônibus irão boicotar o projeto. Não sei de GJ vai comprar a briga… Só sei que o PT estava no bolso deles por longos 12 anos de lambanças.

    • Lembrou bem!

      Uma bicicleta a mais é uma passagem a menos! BLASFÊMIA!!!!!!!!!!!

  • Não é que as bicicletas “não vão resolver sozinhas” o travamento da cidade, é que elas não vão fazer NADA em relação ao travamento da cidade. O problema são as viagens de média distância (como de Boa Viagem ao Recife Antigo ou do Derby para Piedade), para as quais as bicicletas não contribuem em nada.

    • pra resolver isso tem que tirar esses caminhões de gado que são os ônibus e colocar metrô de superfície, que tem capacidade de vários ônibus e transita em sua via própria.

  • O porto digital deveria governar a prefeitura do Recife! A iniciativa é de muita coragem deles!

    Acredito que com sua administração vai dar certo e os problemas citados acima, serão superados!

  • Expandir o tempo de utilização das bicicletas para oferecer passeios com mais prazer e que o usuário possa desfrutar das belas paisagens de nossa Cidade. O período de 30 minutos estabelecido é muito curto, o ciclo deve ser livre e a critério do condutor.

    • eu acho que o objetivo é transporte e não passeio. mas o tempo de 30 minutos é pouco mesmo. já vi em cidades menores o tempo ser de 1 hora. e a quantidade inicial de bicicletas, 100, não vai dar pra nada. só no 1º dia 700 pessoas aderiram ao sistema.

  • Todas as críticas que estão fazendo aqui eu não tiro como pessimismo, e sim como análise crítica da realidade brasileira-pernambucana-recifense.

    Depois que a classe média passou a viajar de avião o negócio descambou! Tudo que veêm lá fora querem trazer para cá (o que não é ruim em tese) sem se preocupar com a realidade de onde moram.

    Aqui acontecerá o que já acontece há muito tempo em São Paulo: Frustração por não ser europeu (notem como o paulista diz logo que é descendente da put@ que o p@ariu!).

    A idéia da bicicleta dará errado. Não porque acontecerão muitos roubos, mas, simplesmente porque não se tem para aonde se deslocar com elas. O Recife antigo é pequeno e as pessoas preferirão andar a pé mesmo!

    PS: Lógico que no começo vai ter gente colocando capacetinho e luvinha pra pedalar pela “Boulevard Good Jesus” fingindo que tá na Bélgica, Austria ou coisa que valha!

  • Moro em SP e aqui realmente está virando moda. Praticamente em tudo quanto é esquina tem um ponto de bicicletas. As pessoas usam cada vez mais as bicicletas para se locomoverem.

    O detalhe é que aqui é de graça por 30 minutos, após isso, você paga.

  • Muito bom!

    E claro, tem que ter uma iniciativa privado para o projeto andar. Se fosse depender dos burocratas sonecas…

  • Eu quero ver o recifense aprender a usar a bicicleta.

    O povo tem uma verdadeira tara por carro, duvido deixarem suas “paixões” na garagem pra andar de bicicleta, ainda mais alugada (tem esnobe que vai dizer “coisa de pobre”, e esnobe é o que não falta em Recife…).

  • Se as bicicletas ainda estiverem TODAS lá e INTEIRAS depois de 1 mês, o projeto já poderá ser considerado bem sucedido.

  • Que povo pessimista da bexiga! Vôte!

    É óbvio que incentivar o uso da bicicleta não vai resolver todos os problemas de transporte. Precisa de outras iniciativas do governo e também da sociedade. Mas esculhambar o projeto por causa disso é demais.

    O Recifense parece acostumado a viver na merda. Quando alguém começa a pensar fora da caixa, leva é pau!

  • Talvez no começo haja um frenesi, como tudo que é moda e “bonitinho” no início. O recifense é meio tupiniquim e nunca viu essas coisas por aqui antes, então tudo vira moda.

    No entanto, depois de algumas semanas quando uns 100 tiverem sido atropelados, 300 assaltados e metade das bicicletas roubadas/depredadas/pichadas a única frase que vai se ouvir será: deus me livre andar de bicicleta em Recife de novo.

    Os empresários de ônibus ainda só não tentaram melar a idéia por que sabem que a coisa não vai muito longe, que é tudo fogo de palha de algum idealista classe média que acha que mora na França.

  • A iniciativa é ótima.

    Estive ontem rapidamente no evento de inauguração e deu pra ver que foi algo feito com a melhor das intenções.

    MAS (sempre tem um mas) concordo com os “pessimistas” e tenho sérias dúvidas da REAL aplicação das bicicletas no dia-a-dia da cidade.

    Digo isso no sentido prático da coisa:
    Quem vai utiliza-las realmente?
    Vai existir um apelo prático para locomoção?
    Com apenas 30min de uso “normal”, qual o público-alvo realmente?

    • 30 minutos de bicicleta dá pra ir da Praça de Casa Forte pro Recife Antigo. Ainda que não seja este o objetivo do projeto.

      Pelo o que eu li, a ideia é facilitar a mobilidade no Bairro do Recife (sobrando um pouquinho para Santo Amaro), e não resolver o problema da cidade do Recife ou da Região Metropolitana.

      Quanto às dificuldades que existem em pedalar pelo Recife, elas existem, mas não são tão grandes como muita gente coloca. Já há vários ciclistas pedalando (basta ficar uns 5 minutos na rua da Aurora, que dá pra ver pelo menos umas 3 bicicletas circulando) e ninguém vive morrendo o tempo todo. O próprio aumento do número de ciclistas tende a fazer com que os motoristas de carros prestem mais atenção neles. Enfim, a ideia tem tudo pra dar certo, lembrando que dar certo não é resolver o problema de trânsito da cidade, mas oferecer mais uma alternativa de locomoção.

      • Márcio, obrigado pelas colocações.

        Ainda acho o tempo de 30min insuficiente, mas como o uso é restrito ao bairro do recife (julgo ter sido essa a intenção), pode não ser um grande problema.

        Trabalho no recife antigo e – depois de estacionado, claro – consigo fazer todas as minhas reuniões e refeições a pé sem qualquer dificuldade já que o bairro é compacto. Ainda não consigo me imaginar tendo que me deslocar a um ponto longe o suficiente para justificar pegar e deixar as bicicletas.

        Novamente, a iniciativa é ótima! Quem dera tivéssemos em pontos “estratégicos” da cidade, como Dona Lindu, Jaqueira, Av BV, etc. Só não acho que o bairro do recife tenha JUSTIFICATIVA REAL para isso, entende? É muito compacto.

        • Bom, isso tinha que começar por algum lugar e como há uma vinculação com o Porto Digital, faz todo o sentido ser no Recife Antigo. Além do mais, acho que isso é apenas um projeto-piloto para identificar os pontos falhos antes de expandir. Nota 10 pra esse projeto e para aqueles que o conduzem. Sempre haverá críticas (algumas saídas do mundo dos delírios, outras bastante sensatas), o importante é fazer acontecer e transformar a realidade, mesmo que numa pequena escala, apenas pra provar que “yes, we can” também.

  • Já sei qual vai ser o público-alvo: os trombadinhas e noiados usarão as bicicletas pra fugir da “puliça” e os flanelinhas para poderem fazer suas cobranças em pontos diferentes na cidade com mais agilidade.

    • kkkkkkkkkkkk… Agora o flanelinha pode ficar no inicio da Rua do Apolo, pegar sua Bike com o auxilio do seu Tablet e chegar no carro estacionado na frente do PD mais rápido…
      Comentário mais sem noção, mas o mais divertido,sem dúvidas.

      • A entrega de drogas nos fins de semana nas esquinas do Recife antigo também vai ser facilitada com o uso da bicicleta. A utilidade será diversificada. rsrsrs

  • No rio de janeiro esse mesmo sistema tem sido um sucesso, tanto que tão sofrendo pra manter e repor as bicicletas. Eu mesmo sou usuário no Rio e o fato da cidade ter uma grande malha de ciclovias e ciclofaixas ajuda muito a se locomover por toda a zona sul e centro.

    Espero que o sistema aqui chegue logo até o Derby. Seria muito bom poder pegar uma bike no Derby pra ir tomar um café no Paço ou uma cerveja na rua da moeda.

  • -Ótima iniciativa!!!!

  • -Ótima iniciativa!

  • E se o cara alugar uma e for pro mercado da Boa Vista tomar uns tragos e esquecer a hora de devolver o camelo?
    Ou pior, ficar bicado e levar pra casa? Não por maldade, mas por cachaça no quengo.

    Projeto massa, véi! Espero, de coração, que sobreviva ao galo e ao carnaval.

    • Zé Melo, nesse caso, devolvendo a bicicleta até o dia seguinte, paga-se R$ 5,00.
      Se não devolver no dia seguinte e apresentar um boletim de ocorrência que justifique o ocorrido, paga R$ 350,00.
      Mas se não devolver, nem apresentar BO, aí paga R$ 1.350,00.

      O termo de adesão não é exatamente claro com o que acontece se a pessoa devolver a bicicleta 2 ou 3 dias depois do previsto. Em tese, teria que pagar os R$ 1.350,00, mas como esse é o valor da bicicleta, então a pessoa não precisaria devolvê-la, pois estaria havendo uma multa desproporcional.

      Ah, em caso de danos às bicicletas, desde que haja culpa ou dolo do usuário, paga-se uma taxa de R$ 50,00.

      Está tudo explicado no site do projeto, na seção Informações > Termo de adesão e uso.

  • Pierre,
    Trabalho aqui na região e, apesar de ser fã da ideia, não vejo grandes horizontes para ela na situação atual do recife antigo. Cito alguns pontos:
    1- Usar o transporte público e complementar o trajeto com a “bike” (descendo no cais de Santa Rita por exemplo) é inviável. Por um único motivo: NOSSO TRANSPORTE PÚBLICO É UMA M… Ninguém em sã conciência irá deixar seu carro em casa e andar nesses nossos “busões”. Quentes, cheios, musicalmente sofríveis.
    2- Não temos grandes parques de estacionamento no entorno que nos permita complementar saudavelmente o trajeto. O Recife Antigo é um dos piores lugares para se estacionar, e seu entorno não ajuda. Por isso, continuaremos a estacionar o mais próximo possível do local de trabalho.

    Hoje só vejo grandes ganhos no fim de tarde ou nos fins de semana.

    • “Consciência” – Perdão

    • Artur,

      Apesar de eu discordar que nosso transporte público seja uma M. (eu deixo o carro em casa e venho trabalhar de ônibus todos os dias), vou pular esta parte de sua objeção.

      Ou seja, mesmo aceitando-se sua premissa 1, caso, de alguma forma, você consiga estacionar seu carro no Recife Antigo, você ainda pode usar a bicicleta para deslocamentos durante o dia, dentro do próprio Recife Antigo. Seja para ir almoçar ou tomar um café/chocolate na Delta ou na Cultura ou ainda para resolver algum problema na Prefeitura ou na Receita Federal (claro que isso depende de exatamente onde você trabalha no Recife Antigo).

      • Sem dúvida Márcio essas serão os usos mais comuns. Mas são trajetos que normalmente se faz andando mesmo, Pelas, relativas, boas e amistosas calçadas do Recife Antigo.
        Se levar em consideração a maior concentração de empresas, ou seja, do Paço até o Cesar, os trajetos são feitos sem grandes problemas a pé mesmo.
        Quem usa mais o carro para esses trajetos são trabalhadores da PCR e dos órgãos Judiciais ali instalados, pela “distância” do Paço.
        Também já deixei o carro em casa algumas vezes, pego o tremzão na Werneck. Normalmente demoro o mesmo tempo, mas sem tanto stress. Todavia, sem o mesmo conforto.
        O custo é praticamente o mesmo diariamente.

      • Você deveria frequentar uma integração…

        Krish

        • Krish,

          Eu frequento a integração de Afogados e a da estação Central. A do Joana Bezerra eu só usei pra trocar de metrô, então não conta muito. Essas duas, pelo menos, funcionam muito bem.

      • Márcio o ônibus que você pega é o geladinho da Borborema Aeroporto ou Piedade? O transporte em Recife é uma M… sim. Assiste a esse vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=MsbELA4wAK0 Tem vários no youtube. Você anda em qual linha de ônibus em Recife?

        • mar, eu normalmente pego o PE-15/Afogados, Circular (Príncipe), Mangueira, San Martin (Abdias de Carvalho), Jardim São Paulo (Abdias de Carvalho), Alto do Mandu, Dois Irmãos (Rui Barbosa) e Estrada dos Remédios. Além de usar o metrô. Sinceramente, não acho que seja uma porcaria.

        • Ah, sim, e de vez em quando eu pego algum Curado ou Totó. Mas esses são mais raros.

        • Márcio as linhas que você falou conheço duas: Alto do Mandu, tem poucos carros e demora demais, apesar de ter poucos passageiros. O Dois Irmãos – Rui Barbosa demora demais, agora está beleza devido às férias. Só vive lotado e demora muito. Péssimo serviço da Transcol nessa linha. Aparece na Estação Barro ou Joana Bezerra no horário de pico que verás como é o sistema de transporte na RMR. Não te convencestes com o vídeo? Ou será que é mentira da TV? Daqui há pouco vão querer me convencer que o transporte em Recife é o melhor do mundo. rsrsrs

        • O transporte público de uma forma geral não é bom, mas dependendo de onde você mora não é esse inferno dos vídeos não. Moro próximo à Av. Norte e há dois anos deixei de usar carro por conta da dificuldade em estacionar no RA. Posso dizer que nesses trechos, os ônibus dificilmente estão lotados e há várias opções.

        • mar, problemas no transporte público existe em todo lugar do mundo. Procure no youtube imagens do metrô de Tokyo. Em Londres já teve vez de eu sequer conseguir entrar na estação de metrô, quanto mais dentro do metrô.

          O sistema daqui não é perfeito, nem ótimo, mas está muito longe de ser uma M… Quanto à demora dos ônibus, não sei se você já notou, mas eles costumam passar mais ou menos no mesmo horário. De fato, se você chegar logo depois que o ônibus passou, certas linhas vão demorar muito a passar de novo. Isso ocorre em qualquer lugar do mundo. Algumas linhas têm alta frequência, outras médias, outras baixas.

          Agora, querer que eu acredite mais na TV do que no que eu vejo como usuário do sistema é completamente sem sentido, até porque eu sei como muitas reportagens são feitas.

          Mas acredite, em qualquer lugar do mundo, numa cidade grande, transporte coletivo é lotado na hora do rush.

  • Morei em uma cidade na França que tinha esse mesmo sistema. O cadastro, lá, já incluía informações do seu cartão de crédito. Se você excedesse o tempo, roubasse a bicicleta, algo assim, a fatura já vinha no seu cartão.
    Quanto a roubarem a bicicleta lá do ponto central delas, tem suas dificuldades. Elas ficam presas em um sistema meio que magnético (não entendo disso), parece ser seguro. Se vão conseguir, não sei. Mas é simples, como toda boa empresa, se os roubos derem prejuízo, vão tirar o sistema ou colocar seguranças, a depender da viabilidade.
    O problema é que, nesse sistema, você tem entre 30 minutos e 1 hora para usar uma bicicleta, então é provável que, a princípio, a circulação se restrinja às áreas do Recife Antigo. Acho que vão estudar a viabilidade para expandir os bairros contemplados.

    • Usei as da frança também e não tem como roubar.

      Essas usam um sistema diferente (e mais rustico) mas teoricamente igualmente seguro.

      Minha questão é apenas quanto à aplicabilidade e uso real das bicicletas.. Se for só pra andar no bairro do recife perde muito o sentido, na minha opinião.

  • Poderiam colocar estaçoes na frente do metro do Recife, facilitando pra quem vai pro Cais ou Aurora, e na frente do shopping boa vista (talvez até administradas pelo próprio shopping). Com estaçoes em locais de grande circulaçao, a clientela era certa!

  • Impressionante como tem gente que coloca gosto ruim em tudo que se faz. Se fosse depender desse povo, o Brasil nem era descoberto. Teriam dito “Cabral, embarca essa caravela nao que vai afundar, num tem nada pro lado de la, melhor ficar aqui mesmo…”

    Eu utilizo com frequencia o mesmo sistema aqui em Porto Alegre. Alias, a empresa é a mesma. Nao é solucao pro transporte, mas serve como complemento. Jornadas que fazia a pe e duravam 30 minutos, agora faço de bike em 10 min. Aqui tb nao tem tantas ciclovias e nem sempre os motoristas, de carros ou onibus, sao respeitadores, mas com cautela da pra seguir com segurança.

    O valor é baixo pela frequencia de uso e pode gerar um efeito multiplicador. Se as pessoas começam a usar a bike, seja por lazer ou pra pequenos trajetos, logo percebem que é viavel e podem comprar uma magrela. Ou surgirem outras empresas de aluguel, investindo nisso.

    Ta certo começar no Recife Antigo. Mts vezes eu precisava me deslocar pra varios lugares por la e sempre a pe. Agora poderei usar o sistema. Deveriam expandir tb para a orla de BV, que, bem ou mal, tem uma ciclovia e, no futuro, toda a cidade estaria interligada.

    E é fruto da iniciativa privada. Se der prejuizo mesmo, os caras vao internalizar no preço ou mesmo parar a prestacao do servico.

    • Não estou indo contra a idéia, mas qual percurso do recife antigo não da pra fazer a pé?

      A Av BoaViagem seria o melhor alvo. Teria visibilidade E utilidade aos moradores da area. Quem mora em setubal poderia ir numa padaria do Pina, Ir a um médico no clinical center, etc. Tudo isso sem precisar usar o carro e desafogando o transito de verdade.

      Espero que essa iniciativa dê certo, para que possam expandir para bairros que REALMENTE precisem disso.

      • PG
        Da prefeitura para o Poeto Digital é longe. E lá tem um estacionamento.
        Ou mesmo ir ao paço e fugir daquele estacionamento caríssimo

        • Pierre, não acho a prefeitura longe do PD, dá pra ir a pé com tranquilidade. Já fui diversas vezes do Paço ao Cesar andando sem problemas também. Não é como ir do Dona Lindu à Planet Pão, por ex. Onde você realmente PRECISA de um meio de locomoção, entende?

          Veja, repetindo pela enésima vez, acho a iniciativa excelente e acabei de me inscrever no site.

          Só minha cabeça que está fritando tentando inventar um percurso que eu precise usá-las e testá-las.

        • EM Boa Viagem realmente seria excelente.

  • Tem muita gente pensando que está na Europa! É pagar pra ver o que vai acontecer, principalmente durante o carnaval. A idéia é boa mas o povão não é educado pra essas coisas.

  • Acho a ideia ótima, eu mesma já havia pesquisado que seria muito melhos ir da estação central do metrô para o campus de saúde da UPE ( em Santo Amaro), pois o trajeto é pequeno e espero muito pelo ônibus para realiza-lo, e os horários de pico além da demora o trânsito não ajuda, e um percurso tão curto eu acabo levando até 40 min de ônibus. se fosse de bicicleta seria mais rápido e ainda resolveria meu problema de falta de tempo para prática de exercícios físico. Agora é necessário que não só seja ensinado aos motoristas a respeitarem os ciclistas, mas também aos ciclistas a se deslocarem com responsabilidade e seguindo as nosras vigentes que a eles protegem, pois estou cansada de ver por exemplo, ciclista á noite todo de preto sem sinalização e andando na contra mão. è por isso que ocorre atropelamentos.

  • A idéia é boa, mas numa cidade sem ciclovias isto não vai para frente, e não tendo sucesso pode ficar com o estigma que nunca dará certo.

  • O importante é dar mídia. Imagem é tudo, permite continuar sugando os milhoes de reais todos os anos para o grande porto digital. Mas na pratica a coisa se destrói sozinha em menos de um mês.
    http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/noticia/2013/01/14/bicicleta-do-projeto-porto-leve-aparece-sem-pneu-69853.php

    É preciso discutir mais do que modismos, é preciso atacar as raízes dos problemas de mobilidade da cidade: transporte publico de qualidade.

  • Falaram em “educação dos motoristas profissionais…” Certo. Apenas um adicional de que a população também deve se educar, ter consciência em zelar pelas bicicletas (já que elas agora também serão transportes públicos) e, não radicalizando uma opinião acima do leitor, ainda lembrar que estamos no Brasil, e aqui sabemos (e sejamos realistas) que muitas pessoas têm caráter duvidoso em relação a honestidade.
    A educação do Brasil não é européia. Agora, basta ficarmos na torcida pra que o projeto continuem dando certo e que a cidade se adapte a ele.

  • eu queria saber como é que eu me cadastro eu quero andar de bike com minha neta

  • Otima iniciativa do Porto digital, e parabens aos blog pela divugação… Finalmente podemos fazer o que a anos se faz na Holanda!

  • Como eu.faço para mi cadastra

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação às punições de corruptos...

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia


  • “O homem de bem é um cadáver mal informado. Não sabe que morreu.”
    Nelson Rodrigues.

ARQUIVO

julho 2014
S T Q Q S S D
« set    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).