Vera Fischer detesta escrever pra pobres. Mas pra vender não discrimina ninguém…

dez 14, 2010 by     84 Comentários    Postado em: Atualidades

"eu não sei escrever pra gente pobre. Eu detesto."

A atriz Vera Fischer mostrou hoje uma faceta que eu não conhecia: é uma afiadíssima crítica literária (sic), além de volumosa escritora. Numa só frase botou toda a obra de Marcel Proust no chinelo, e ainda revelou que escreve muito: colocou dez livros no papel em apenas um ano – realmente, a mulher escreve muito!…

Com toda a sua verve crítica, enfiou os flashbacks de Proust (quem???) na caixinha de fósforos e sentenciou sobre seu próprio estilo: “esse negócio de descrever uma folhinha caindo da árvore em quatro páginas, ninguém tem mais saco pra ler isso, não. As coisas são rápidas nos meus livros.”

Demonstrando ser uma escritora de profunda espirituosidade e latejável elitismo, deu uma grande galhofada da cara dos miseráveis, dizendo que detesta escrever pra gente pobre. Mas admitiu que os pobres também podem comprar seus livros, afinal “eles não custam caro. Eles [os pobres] vão se identificar e adorar. Coisa bonita sempre é melhor.”

Pelo visto, Vera Fischer levou Manoel Carlos às últimas consequências. Ela parece ter incorporado com tanta intensidade os personagens do Leblon, que acabou tornando-se ela própria uma personagem daquelas novelas das oito. Talvez assim a vida fique “mais chique”.

Fico imaginando essa figura comendo pipocas e assistindo as ações policiais nos morros cariocas. Ah!, mas isso não deve existir na vida dela, porque “coisa bonita é sempre melhor” e gente pobre amontoada nos morros é muito feio.

Segue logo abaixo a entrevista que ela concedeu à coluna de Mônica Bergamo na Folha de S.Paulo. Essa pérola merece ser lida.

EU NÃO ESCREVO PRA POBRE

Vera Fischer lança, no dia 20, o romance “Serena”, o primeiro de uma série de dez, todos com nome de mulher. Ela falou à coluna:

Folha – Como é o romance?
Vera Fischer
– Não queria que meus livros fossem açucarados, mas sim vibrantes, para o público começar a ler e não parar mais. Já tenho dez livros escritos. E não queria títulos como “Um Amor e a Traição”, “O Barco e a Saudade”. Falei: vou botar nome de mulher, “Serena”, depois “Donatela”, “Valentina”, “Pietra”… É a marca Vera Fischer. Fica mais chique.

Dez livros?
Fiz um atrás do outro, durante um ano. Como tenho muita imaginação, vou criando personagens. Tem uma situação ou duas pelas quais eu passei. Mas ninguém pode saber, é “segredíssimo”. Eu descrevo os personagens, o perfume, as roupas, se é Ungaro ou Valentino. Meus personagens não são nunca pobres, são sempre ricos (gargalhada).

Por quê?
Porque eu não gosto, eu não sei escrever pra gente pobre. Eu detesto.

O universo dos ricos é mais interessante?
É mais interessante. Cada livro tem pelo menos uma viagem ao exterior. O “Serena” tem Marrocos e St. Barths, no Caribe.

Os que você chama de pobres podem comprar seus livros.
Podem. Porque eles não custam caro. Eles vão se identificar e adorar. Coisa bonita sempre é melhor.

Qual é o seu estilo?
Ah, esse negócio de descrever uma folhinha caindo da árvore em quatro páginas, ninguém tem mais saco pra ler isso, não. As coisas são rápidas nos meus livros.

Tem até um sequestro.
Achei que o livro tava acabando e aí falei: tem que inventar coisa interessante pra acontecer. Vamos botar um sequestro! É ação.

Tem também sexo oral.
Os meus livros têm sexo de todo tipo. Têm gays fazendo sexo – eu não sei como é, mas invento. Tem de tudo. Não tenho pudor. O mundo dos escritores é assim.

Em 2009 você disse: “Estou há dois anos sem sexo”. E agora?
Ah, de vez em quando tem um sexozinho assim rápido.

O que você achou de uma mulher ser eleita presidente?
Eu achei que podia uma mulher ser eleita presidente, mas não esta (Dilma Rousseff). Porque essa não dá, né? O PT não dá mais.

84 Comentários + Add Comentário

  • No Brasil é assim : Fazer apologia a pobre torna você “revolucionário”, “inteligente”, “intelectual”. Fazer apologia a rico é “crime”, “pecado”, “malvadeza”, “gargamel querendo comer o fígado dos smurfs”. Se ela escrevesse as mesmas coisas mas dissesse na entrevista : “escrevo para o povão ( preconceito é achar que povo é só quem pega ônibus e mora na favela)” certamente o Raboni estaria dizendo que a obra dela é “‘revolucionária” e ela mereceria uma vaga na Academia Brasileira de Letras.

    • Alexsandro, o incorrigível. Com peninha dos ricos. kkkkkkkkkkkkkkkk

      • Ser rico não é crime. Esse lula que bota rico vs. pobre só gera mais violência.

        Claro, não defendo o que ela disse aí, foi uma total futilidade.

        mas pintar o demônio de quem é rico, aí é deixa de ser uma conversa séria…

        E também aceitar que Lula é proletariado, aí também…

        • Cara, como isso foi virar discussão política? O texto do autor do post não fala que é legal escrever para pobre e que ser pobre é mais legal que ser rico… a “porra” do texto fala que a “lontra” da Vera Fischer escreveu dez livros em um ano (para mim, esse é o absurdo maior) e acha que as obras são um “primor” da literatura. Ao se incluir no mundo dos escritores ela quis se colocar no mesmo patamar que grandes mestres da literatura, ou em um nível acima ao dizer que os títulos dela são mais “chique” que os de outros.
          Dica para quem estou respondendo, por favor, leia o post com atenção, ou ao menos leia… porque parece que você só quis expor sua antipatia tucana de forma gratuita, sem ter lido.

      • Leitor, depende da forma como se fica rico.
        E neste blog a maioria não tem pena dos novos ricos que vestem vermelho e dizem do povo ?

        • A velha dualidade hein alexsandro??? Depois não vale chamar o Robson de monotemático.

          A verdade é que você pode ser rico ou pobre, todos devem buscar a riqueza, seja material seja espiritual. Mas daí a você querer separar as pessoas em grupos, negando-lhes ou taxando essas e aquelas de melhores ou piores já são outros quinhentos.

          É exatamente isso que fizeram a Mayara Petruso (a culpa é do nordestino), o LCP (quem bate carro é pobre) e, agora, a supra sumo da intelectualidade, Vera Fisher ¬¬.

          Imagino o naipe dos livros dela, ao melhor estilo novela das 20:00 mesmo uhauhauhauha. E ainda colocou um SEQUESTRO (uma bela novidade, ninguém poderia esperar, Oh meu deus uuhauhauhuaha) para dar uma….. AÇÃO!!!!

          Tosca, ela e a outra doida, a Suzana Vieira ¬¬.

        • Carlos, lembre que boa parte dos brasileiros assite a novela das 20h. Isso não faz eles piores nem melhores que ninguém. Como não será crime alguém ler e gostar dos 10 livros dela.
          Meu comentário vai para o Sr.Raboni, que gosta do tema luta de classes. Sempre pega condições em que os pobres são aparentemente menosprezados para dar vazão a sua ideologia mas esquece que classe social nada tem a ver com honestidade, bondade, ruindade e etc.Ele sim gosta da dualidade : Todos os ricos são malvados e conspiram contra todos os pobres que são todos bonzinhos.

        • “… ruindade e etc”. Duas facadas na gramática em três palavras.

      • Sem comentários…. Acho que esta mulher, os seus “livros”, e o seu comentário infeliz não mereçem nosso tempo!!!!! Bota ela no mesmo saco do prates e põe no lixo!!!!!!!
        4 LINHAS SOBRE ESSE ASSUNTO JÁ TA DI BOM TAMANHO…. próximo….

        • Alexsandro, amor e ódio caminham juntos, lado a lado.Eu acho que vc está apaixonado pelo Raboni, pois não deixa de falar sobre ele, sei não, a fruta que vc gosta, sei não. Não descrimino homossexuais, mas acho que vc deveria assumir logo o que é KKKKKKKKK!!!!!!!

    • sua velha horrorosa . habugenta, voce que e pobre.. o pior pobre e aquele de espirito ,e è voce …. sua frustada ,,, tomara que fique tao pobre que nao tenha o que comer.

      • Credo! Quanta classe ein?

    • Não concordo com seu discurso de que o autor critica a atriz por fazer apologia aos ricos, sua reclamação é por desrespeitar os mais pobres… infelizmente quem tem um pouco mais de dinheiro acredita que pode esculhambar o povão pq estes não merecem respeito.

      Não é certo discriminar ngm, seja pobre ou rico… não há erro que possa justificar outro.

    • “Fazer apologia a pobre torna você “revolucionário”, “inteligente”, “intelectual”. Fazer apologia a rico é “crime”, “pecado”, “malvadeza”, “gargamel querendo comer o fígado dos smurfs”.”

      NENHUMA dessas expressões está no texto do Raboni.
      Não precisa INVENTAR para criticar.

      • Joselitus,

        Essas coisas me fazem rir e me lembram uma passagem de Ortega y Gasset (um liberal de grande nível, coisa que parece dar urticárias na direita “liberal” tupiniquim), no livro A Rebelião das Massas:

        Acontece o mesmo nos outros campos, muito especialmente no intelectual. Talvez seja vítima dum erro; mas o escritor, ao pegar na pena para escrever sobre um tema que estudou longamente, deve pensar que o leitor médio, que nunca se ocupou do assunto, se o lê, não é com o fim de aprender dele alguma coisa, mas, ao invés, para sentenciar sobre ele quando não coincide com as vulgaridades que este leitor tem na cabeça.”

        • Só não sei quem são o escritor que estudou alguma coisa longamente e o leitor médio, nesse caso…

        • Boa krishna!

        • Realmente, para escrever o trecho
          “Fico imaginando essa figura comendo pipocas e assistindo as ações policiais nos morros cariocas. Ah!, mas isso não deve existir na vida dela, porque “coisa bonita é sempre melhor” e gente pobre amontoada nos morros é muito feio”, é preciso “estudar longamente” né Raboni. Esse escrito deve ter vindo de profundas reflexões, né ? Você vive num conto onde todos os pobres são bonzinhos e todos os ricos malvados. Como se bondade ou malvadeza tivesse a ver com classe social, assim como os acidentes de trânsito, segundo o LCP. Não passas da inversão dele. Ele acha que os pobres são culpados por todos os males e vc acha que são os ricos. E certamente se ela trocasse o nome “Leblon” por “rocinha” e “Serena” por “Maria” e dissesse que escreveu para o povão, mesmo tendo sequestro na estória vc não estaria chorando, afinal, apologia a pobreza é moda.

        • Alexsandro,

          A atriz Vera Fischer mostrou hoje uma faceta que eu não conhecia: é uma afiadíssima crítica literária (sic), além de volumosa escritora. Numa só frase botou toda a obra de Marcel Proust no chinelo, e ainda revelou que escreve muito: colocou dez livros no papel em apenas um ano – realmente, a mulher escreve muito!…

          Com toda a sua verve crítica, enfiou os flashbacks de Proust (quem???) na caixinha de fósforos e sentenciou sobre seu próprio estilo: “esse negócio de descrever uma folhinha caindo da árvore em quatro páginas, ninguém tem mais saco pra ler isso, não. As coisas são rápidas nos meus livros.”

          Eu leio as obras, e sobre as obras, de Proust há 9 anos (sou fã de carteirinha desse escritor) e ainda continuo lendo e lerei por mais tantos. Por isso brinquei com a pretensa estilística anti-Proust da nova escritora (que, imagino, sequer deve ter lido seus livros).

          Não sei se você conhece a obra do autor, mas pelo seu apego febril à parte secundária do meu post (sobre a pobreza que, como você percebeu [percebeu????????], não é o destaque do meu texto, apesar do título, embora eu pudesse ter destacado apenas isso – o elitismo latente da atriz), suponho que não.

          Neste sentido a citação de Ortega y Gasset (conhece???) caiu como uma luva, porque não passa de vulgaridade essa sua insistência em dizer que:

          Você vive num conto onde todos os pobres são bonzinhos e todos os ricos malvados.”

          Você é mestre nas ilações e demonstra carregar uma dualidade zoroastrista nos seus enunciados.

          Essa sua pressa doentia e travativa em dizer o que eu penso ou deixo de pensar é o esteio por onde você vaza todas as vulgaridades que carrega na cabeça.

          Ele acha que os pobres são culpados por todos os males e vc acha que são os ricos.”

          De onde você tirou isso nos meus textos? São as suas suposições do que eu penso ou deixo de pensar – mas… just ’cause you feel it doesn’t mean it’s there.

          Faça uma busca e me diga, por favor. Se algum dia eu escrevi isso, dou meu braço a torcer. Mas aviso logo, você não encontrará esse tipo de enunciado infantil nos meus textos. Por isso é apenas ilação de travamento vulgar.

          Em vez de apontar o dedo dizendo que eu penso isto ou aquilo, porque você não se dá o mínimo trabalho de perguntar pra saber mais sobre o que eu penso?

          Abs.

  • Isso me lembra uma história. Dizem que quando Benedito Valadares (famoso político mineiro, contemporâneo de Juscelino) escreveu (?) sua biografia, Paulo Mendes Campos e outros três escritores, turbinados pelo uísque, foram à casa de Benedito olhar o livro. Isso porque corria o boato de que o autor verdadeiro do livro seria o escritor Fernando Sabino, genro de Benedito. Lá, eles leram um pouco do livro e chegaram a uma conclusão: O livro é muito bom para ter sido escrito pelo Benedito, mas é muito ruim para ser escrito pelo Fernando. Se foi ela mesma que escreveu, eu imagino a qualidade do livro.

  • economia, política e atualidades

  • Encontrei o motivo de haver tantas piadas sobre ”loira burra”.

    • Agora podemos dar nome as loiras das piadas!

  • Esse é o Acerto de Contas 2011:
    ¨Economia Traduzida
    ¨Política Comentada
    ¨Atualidades
    e …
    ¨Futilidades

    Vai concorrer com os sites “O Fuxico” e “Ti Ti Ti”.

  • Não escreve para pobres, mas eles “podem” ler o livro? Quanta cansideração!! kkkkkkkkkkkkk
    Uma vagab… qualquer, viveu a vida explorando o corpo, por que de atriz esse robô ambulante não tem nada. Metida a besta. Vai ver que as tinturas acabaram com o restinho de neurônios que existia na cabeça-oca dela.

  • Ahahahahahah… Que entrevista literária!… Gostei do post.

  • Eu também não sei escrever para pobres… de espírito.

    Ei, fala aí sobre os ratos do Orçamento 2011!

    Grande novidade, né não?

  • A pessoa sai da pobreza, mas…a pobreza morre na pessoa!!!

    Ela devia virar colunista de Veja, no lugar do Diogo Mainardi. Já tem o primeiro requisito, fala mal do PT.
    Abraços.

    • Será que os ricos comprarão seu livro?
      Será que algum rico conhece essa pobre mulher? Será que a Vera sabe o significado da palavra pobre? Acredito que não.
      A Vera esqueceu que são os pobres que assistem as novelas e a reconhecem como atriz?
      Vera pode ter certeza de uma coisa os ricos jamais perderão seus preciosos tempos lendo coisas de bonecas recauchutadas. Os ricos se preocupam com lucros, viajens, belas paisagens, etc. Seu livro não tem conteúdo nem para você mesma, pois você é tão pobre que até seu pobre espirito murchou…
      Pobre Vera, verás que pobre é você quando escarra sua própria pobre vida…
      Você até que se saiu bem quando tentou escrever algo verdadeiro sobre você mesma. Pense mais além, escreva algo que te dê nome de verdade, te leve ao topo, tipo falar um pouco mais sobre o uso de drogas, das tuas internações, das loucuras, dos teus desprezos para com teus filhos, de querer ter o que tu não podes ter, de querer ser quem tu jamais poderá ser, enfim ser você mesma…
      Pobreza é isso o que você é, totalmente artificial, nem se quer aceitar a velhice e as tuas pelancas caidas tu queres, ficas se enchendo de botox, plásticas até nos pés e nada econtras. Cadê o principal?
      Está faltando não é?
      Pois é pobre Vera, o amor nunca se compra, é algo que se conquista…
      Será que é você mesma quem escreve esses livros?
      Se os ricos esão em alta na sua vida, te pergunto:
      - Em que posição da vida deles você está?
      - Qual dos ilustres ricos do nosso maravilhosos País compareceu no laçamento de algum dos livros?
      Se as suas pobres obras já vendiam pouco imaginem agora depois de falar mal da conterrânea petista…
      Basta, porque se duvidar sou capaz de escrever um livro aqui de tanta indignação do descaso dessa boneca de plástico com as pessoas que deram nome a essa COISA…

  • Que animador ver uma mulher criticando atitudes elitistas de outra, mas agindo de forma MACHISTA-SEXISTAAA!

    p/ combinar com o clima manoel carlos deixa tocar: ” vou te contar…”

    o q ela faz ou fez com o corpo dela é problema dela e tão somente dela, não misture as coisas, por favor.
    loira burra e vagab são um desserviço.
    lamentável o comentário da atriz e da patrulhadora dos bons costumes.

  • O mais impressionante é que ela sabe escrever…. Ou não?

    • Raphael,

      Parece que ela sabe empregar corretamente o por que (escrito separadamente) numa interrogação direta, coisa que você desconhece!
      Soa até curioso você indagar se alguém sabe escrever, visto que seus textos não são nenhuma excelência do ponto de vista gramatical.

      • Pena que pra você, “escrever” se limite a analisar gramática. Demonstra a ignorância que eu critico. Prova viva. Parabéns, você é uma atriz (sic) decadente de pornochancada.

        • João Romão, digo, “Lucas Castro”,

          Você mudou de nome depois que levou uma sova dos próprios comentaristas do blog no post sobre o Twitter HomofobiaSIM –> http://bit.ly/hdbL05 ), mas não perde essa mania, que sempre lhe denuncia, de corrigir a forma como os outros escrevem…

          Você tenta, se esforça, mas essa mania parece ser incontrolável!
          hahahaha

          Tsc. Tsc.

          Mas relaxa, João. Porém, quando for criar um pseudônimo pra me atacar, tenta camuflar melhor essa mania. Aproveita e usa um IP diferente…

          Abs.

  • Falar em morros cariocas… Quanta demagogia do “Revolucionarizinho sem inserção na massa popular”!
    Acho que o “ex-critor” Raboni está é tentando manter um reserva de mercado para si!
    Raboni precisa avisar ao povão que é revolucionário e “ex-critor”, senão vai passar solenemento ignorado!

    • “Lucas Castro”,

      Tão solenemento (sic) ignorado que vc abandonou seu nome estigmatizado de revisor de textos mas não me esquece, né?!
      E dessa vez foi buscar minha definição de Orkut!
      hahahahahha
      É muito amor…
      Em sua homenagem, João Romão, uma “inserção na massa popular”:
      http://www.youtube.com/watch?v=EwzeJZd_CEk

      Abs!

  • Caramba! Vera Fischer é a prova vida de que sempre é possível piorar com a idade.

  • loura burra , atriz porno , isso que voce è ,ate gostava um pouquinho de voce ,, agora magoei completo , os pobres e melhor que voce ,,sua loura falsa,,, tomara que le todos os comentrios que voce merece…

  • Deixa a Vera escrever em paz, rapá!!

    Vão arrumar uma trouxa de roupa suja!

  • Ela escreveu 10 livros em uma ano??? uauhauhuahua. Essa mulher é um gênio. É 1 livro a cada 1,2 mês.

    Incrível.

    O nome dos livros são todos de novelas da Globo, SERENA é a primeira, a índia que se casou com o dono do Roseiral uhauhauhuhauha.

    Quando ela quiser lançar pros que ela chama de “pobres”, basta colocar o nome de “Marilin”, “jennifer”, “Zuleide” etc etc etc ¬¬.

    Acho que muito tempo trabalhando na televisão e no teatro deixa a pessoa louca. Vide Suzana Vieira, Hebe Camargo, Vera Fischer, Carolina Dickman, etc etc etc. IXE. VADE RETRO!

    • Concordando com Amanda e Carlos.

      Aliás, isso me faz pensar que verei possivelmente coisas do gênero pioradas com a Chatolina Dieckman, que já soltou algumas pérolas, ainda “moderadas” pela juventude… ( jamais pensei que concordaria que se pode efetivamente piorar com a idade).
      Abraços,
      Ana

  • Tem algo de muito positivo nisto tudo:
    Como sou pobre,estou livre de ler esta merda de livro!!!
    Valeu Vera “pistoleira” Fischer.

  • Falta de assunto?!

  • Quem compra um livro de Vera Fischer? Ela é alfabetizada?

  • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    N quero implicar com o Raboni, mas quando comecei a ler, pensei “vixe maria, mais um texto exagerado do raboni”

    Mas essa entrevista é hilááária! Precisava escrever mais nada, só reproduzir já tava uma máximo, uhasushasuhasuha

  • HAHAHAHAHAAHAHAH, ai gente, vcs me fazem rir litros com esses comentarios!
    então, o que a galera não falou foi que, infelizmente essa mulher é uma formadora de opinioes(uma pessoa famosa, atriz e da globo ainda) para diversas pessoas, de várias classes socias, e, quem dera, algumas dessas pessoas, digamos, seriam: OS POBRES!
    Espero que esses pobres, leiam essa entrevista, e continuam sendo pobres para não comprarem toda essa balela!

  • Ninguém controla a mente de uma sequelada. Sugiro que antes de publicar a extensa obra, leia Os 12 Passos.

  • Para mim o que torna lixo não é nem a questão rico pobre, mas WTF??

    Todas as respostas dela foram bizarras, ai ai… “O livro tava acanando eu tinha que inventar alguma coisa”?????

    Acho que vou ler só para rir, cara, sério mesmo.

    Será que ela leu os livros que descrevem “folhinha caindo” ou foi só o que ouviu alguém falar?

    sinceramente, viu? – -’

    Em pensar que eu também escrevo, que um dos meus maiores sonhos é ter um livro publicado e que tem tanta gente Brasil a fora com livros excelentes, mas né? Tem gosto para tudo.

  • [...] to Folha newspaper, a few days before launching the latest of ten books she has written in a year (according to blog Acerto de Contas [pt]), Fischer said she does not write for “poor [...]

  • [...] Paulo, alguns dias antes de lançar o primeiro de dez livros que ela alega ter escrito em um ano (de acordo com o blog Acerto de Contas), Fischer disse que ela não escreve para “gente [...]

  • Eu tenho mais nojo dela do que de um carregador de feira que passou o dia trabalhando.

  • Vergonha alheia da celebridade, mas, sobretudo, de alguns comentários por aqui…

  • Sem comentários…. Acho que esta mulher, os seus “livros”, e o seu comentário infeliz não mereçem nosso tempo!!!!! Bota ela no mesmo saco do prates e põe no lixo!!!!!!!
    4 LINHAS SOBRE ESSE ASSUNTO JÁ TA DI BOM TAMANHO…. próximo….

  • Pior seria se fosse narrado por ela…

    • É verdade.

      Que voz feia da porr@ essa mulher tem…

      Ia ser uma narração de terror…

  • É dona Vera, vc já deu o que tinha q dar!

    • Claaaaaaaaaro!
      Ela jé deu o que tnha que dar messssmo!!!!

      • deixa ela a vida dará uma sacudida nela, para ela saber que os ricos também afundam com o tempo, essa boba!

  • Que desperdício de tempo, dinheiro, papel! Os “pobres” (de alma) que vão comprar e ler esses livros devem ser os mesmos que aparecem na telinha da globo, tipo Faustão, Galvão etc
    Acho que o Tiririca na Câmara vai fazer melhor!

  • “Coisa bonita…” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Sinceramente, há quem ache essa mulher bonita, e incrivelmente há quem vai achar o que ela escreve “bonito”.
    Cada gosto viu!

    • Fico me perguntando…
      Quem disse a elaque o que ela escreve é bom,para dize que não gosta de escrever para pobres? Me poupe!!

  • A Vera e escritora ? Que bela bosta, bom ela é tudo biscate, drogada e”boa mãe” e o mais importante de tudo é rica. Será que também é eterna.
    Globo vai ficar sem falar nada? ou seu publico ´´e somente da classe alta.

  • vera infeliz

  • pobre Vera quando vi essa entrevista me horrorizei, mais uma coisa sabemos dessas almas infelizes não devemos esperar nada de bom, mais nada mesmo.Torço pra ela mudar sua visão sobre nós os ” pobres”

  • vera voce so sabe da orabo,e usar drogas.voce dis isso por voce nao tem o que fazer.vai arrumar uma lavagem de roupa,ou fazer uma diaria,porque seu livro,so presta pra gente loira e burra como voce.boneca de plastico.voce paresse um travestris.com tanta plastica

  • Ela deveria ir para a Academia Brasileira de Letras, pois ela possui um grande gênio literário.
    kkkkkkkkk

  • vera vc nao tem nem vergonha eu sou pobre com muito orgulho melho do que ser rica e mal educada e preconceituosa que dizer que pra verder essa p….. vc nao descrimina ninguem jente nao compre esse lixo nao eu acho que lixo e melhor que esse livro

  • É Senhora Vera Fischer vc tem razão, os alienados pela tv globo que assistem a novelas protagonizadas por você agora estao recebendo o merecido reconhecimento.

  • Eu, sinceramente posso ate ler o livro, mas depois que eu ler todas as obras dos geniais: PAULO COELHO, JOSE DE ALENCAR, CASTRO ALVES, CARLOS DRUMOND DE ANDRADE, MACHADO DE ASSIS, VICTO HUGO, WILLIAM SHAKESPEARE, LUIZ VAZ DE CAMOES, GRACILIANO RAMOS, ETC.

  • E ela está errada???

  • Mas que primor literário deve conter as páginas destes livros dela?
    Provavelmente algo referente às brigas de “arrastar a cara no chão” que tinha com Felipe Camargo, ou mesmo sobre as experiências que teve (ou tem) com as drogas, ou ainda sobre os micos que estamparam as páginas das revistas sobre celebridades, sempre que saía para uma noitada…bem, esse tipo de leitura deve interessar a gente pobre sim, gente muiiiito poooobreeee de espírito…

  • Bem, Giulia…como o narciso acha feio o que não é espelho, e por consequência, bonito, o que é, diria que vc e Vera Fischer são iguais … Parabéns pela sua consciência social…

  • É ASSIM MESMO CERTOS SER HUMANOS
    COMEÇAM A FICAREM FAMOSOS NOVAMENTE E NÃO GOSTAM MAIS DE POBRES…
    MAS FICOU RICA É CLARO PRIMEIRAMENTE PELA SUA BELEZA E MUITO TALENTO ,MAS QUEM TE LEVANTOU COMO ATRIZ FORAM OS POBRES ,QUE INCLUSIVE POBRE ADORA VIAJAR TAMBÉM … NA IMAGINAÇÃO É CLARO!
    VC NUA TAMBEM É MUITO LINDA,E QUEM A VIU NUA FOI NADA MAI NADA MENOS 80% FORAM POBRES!
    ENTÃO MINHA QUERIDA, EU NÃO TENHO MUITO MAIS ADOORO LER UM BOM ROMANCE, E SE FOR EM OUTROS LUGARES CLARO QUE VOU USAR MINHA IMAGINAÇÃO,PORQUE POBRE PODE NÃO TER VIAJADO PARA O EXTERIOR MAS JÁ VIU LUGARES LINDOS EM TV,REVISTAS,SKY,FILMES ENTRE OUTROS…
    ENTÃO NÃO DIGA QUE ODEIA ESCREVER PARA POBRES
    DIGA O SEGUINTE:
    MINHA OBRA SERA GRATIFICANTE PARA QUEM GOSTA DE UM BOM ROMANCE,ETEM UMA AMPLA IMAGINAÇÃO!
    BJS.
    TE ACHO LINDA TE ADMIRO MUITO,SOU SUA FÃ.

  • A Vera Fischer é linda!
    Eu gostaria de chupar o cuspe dela.

    • e a minha vc gostari,nao sebe oq esta perdendo

  • e pelo menos eu sou enchuta e nova e vc e pior que um maracuja de gaveta,se vc vor tirar fotos para a playboy so sua ninguem vai comprar nada

  • vai conhece o saco pretoo!!!

  • a vera fisher continua linda e gostosa como sempre.

  • Nunca vi perderem tanto tempo por coisa alguma.
    Quem é Vera Fisher? Talvez sua biografia venha a render uma minissérie, não por seu taleto literário ou bom exemplo de vida, mas por ter sido alguém que nasceu com tudo para ser feliz e fez da própria vida um inferno, um lixo!
    Are Baba!

  • Acho, q ele precisa de Deus , ou ela ja e do capeta………….

    a ai nao tera jeito
    pois o senhor veio para os pobres e perengrino.E mai facil um camelo entrar no fundo da agulha do q um rico entrar no reino do ceu. viu sua velha com passado sujo, e sem obras.

  • sua velha vc é q é pobre de espírito

  • velha sem um pingo de educação

  • Gostei mais dos comentários do André Raboni do que da matéria.

    Parabéns André.

    Abraços.

  • Já sabia que ela era irrelevante enquanto atriz mas não tinha ideia de que ela era tão escrota. Sem apelação e beleza essa mulher nunca conseguiria atenção.

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

setembro 2019
S T Q Q S S D
« mai    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).