José Saramago morre aos 87 anos

jun 18, 2010 by     51 Comentários    Postado em: Cultura

Odiado por uns, adorado por outros, o prêmio nobel de literatura José Saramago faleceu nesta sexta-feira, aos 87 anos, em sua casa. Artífice de uma forma singular de prosear, Saramago deixou como legado ao mundo uma vasta obra.

É curioso como há pessoas que têm verdadeiro pavor aos livros de Saramago. Dizem que identificam no autor um “bastião do ateísmo” no mundo contemporâneo, o que seria um desaforo ante um mundo tão sofrido, repleto de guerras, degenerescência, pestilências, miséria, em suma, um mundo tão “sem Deus”…

As pessoas que carregam esse semipensamento* na alma talvez nunca tenham-se dado por conta que pode ter faltado muita coisa na história da humanidade, menos Deus – que sempre esteve excessivamente presente na civilização. Talvez estejam faltando mais Saramagos do que Deuses à humanidade.

Por (des)ventura, boa parte do que o mundo é como se nos apresenta hoje, não resulta em demasia desses mais de mil anos de fervorosas religiosidades monoteístas (cristã, judaica e islâmica)?

É possível que parte significativa das pessoas que identificam em Saramago um “inimigo” da humanidade (por seu ateísmo) nunca tenham se dado ao trabalho de ler sequer um de seus livros.

Como em outros assuntos da vida, julgam mais pertinente escutar a ordem do condutor moral do cercadinho ao qual seu rebanho se deixa voluntariamente domesticar.

A Saramago, todas as lôas deste blog.

___________

* nota: alguns leitores não entenderam o significado aplicado ao termo “semipensamento”. Explico por aqui: ele se propõe a designar supostos “pensamentos”, que se traduzem em “pensamentos reprodutores e reprodutíveis”, ou seja, aqueles cuja função sociossemântica é produzir um efeito de verdade discursivo acrítico nos enunciados – como, por exemplo, o exposto no parágrafo que antecede o conceito – de forma a torná-lo reproduzido e reproduzível como organismo linguístico de conservação de ordenamentos.)

___________

Do meu ponto de vista há apenas um lugar onde existe deus, ou o diabo, ou o bem e o mal, que é na minha cabeça. Fora da minha cabeça, fora da cabeça do homem não há nada
José Saramago
(fonte, aqui)

51 Comentários + Add Comentário

  • E quando o mundo não foi “um mundo tão sofrido, repleto de guerras, degenerescência, pestilências, miséria, em suma, um mundo tão “sem Deus”?? Se parar para pensar hoje é uma época muito melhor que outrora em todos os aspectos.

    E quanto ao ateísmo, o maior “pecado” que se pode cometer é a ignorância. E este é comum aos fundamentalistas e congêneres religiosos.

    • OUTRO COPIA E COLA DE ZANELLI ALENCAR DE MAIS UM ÓTIMO TEXTO DE REINALDO AZEVEDO.

      A MORTE DE SARAMAGO E O DIREITO DA HUMANIDADE À VIDA
      sexta-feira, 18 de junho de 2010 | 15:50

      Morreu o escritor português José Saramago, aos 87 anos. Lamento a morte de qualquer um, também a de Saramago, motivo de orgulho para os falantes da língua portuguesa. Quem recorrer ao arquivo vai saber que eu estava muito longe de ser fã de sua obra. Nada mudou. As ditas “inovações” que ele introduziu na literatura — que novidades não eram — nunca me interessaram. A sua tão elogiada “técnica”, para mim, depois de algumas páginas, iam se transformando num maneirismo.

      Não li seu último livro, A Viagem do Elefante, elogiado por muita gente que respeito. Já não tinha lido o anterior… De fato, mesmo indo contra o meu gosto e cumprindo uma missão, segui me esforçando até O Evangelho Segundo Jesus Cristo, uma das manifestações anti-religiosas mais boçais que já li — um livro primitivo na forma e simplório no conteúdo.

      Há quem diga que exagero nas restrições de natureza ideológica e deixo de lado “o escritor”. Pois é… Será mesmo verdade? Você pode admirar um quadro em razão da técnica empregada, mesmo não dando bola para a narrativa — e, nas artes plásticas contemporâneas, com freqüência, não há narrativa nenhuma, limitando-se o artista a um diálogo com a própria arte. É uma chatice, um aborrecimento e uma irrelevância, mas é assim.

      Na prosa literária, a especulação formal do artista é importante, como em toda arte. Mas um mero exercício de técnica pode ser feito por especialistas, em oficinas acadêmicas. Tenho cá as minhas ortodoxias. Uma delas é indagar: “O escritor recorreu a tais meios para me dizer exatamente o quê?” E os “quês” de Saramago não me interessavam. Tome-se o exemplo do aplaudido Ensaio Sobre a Cegueira.

      Não se trata apenas de uma abordagem pessimista do homem. Até aí… Com alguma freqüência, há mais inteligência no pessimismo do que no otimismo. Não consigo ler esse livro sem constatar que há nele uma escolha que é também de natureza política, ética, ideológica: deixados à própria sorte, somos uns monstros. “E não somos?”, indagará alguém. É possível que sim. Mas quem há, então, de nos conduzir a um caminho mais justo e mais solidário — justiça e solidariedade que sempre entendi fermentos da pregação de Saramago? Seria injusto dizer que a resposta está no “Ensaio”. Não! A resposta está distribuída ao longo da obra, em entrevistas, na sua atuação que também tinha uma dimensão política.

      E é disso que trata um texto que escrevi em novembro de 2008 — um pequeno vermelho-e-azul feito a partir de uma entrevista que ele concedeu à Folha, de que reproduzo trechos. É o melhor que posso fazer em sua homenagem: lembrar por que não era um admirador de sua obra nem de suas escolhas políticas.

      HUMANIDADE
      A história da humanidade é um desastre contínuo. Nunca houve nada que se parecesse com um momento de paz. Se ainda fosse só a guerra, em que as pessoas se enfrentam ou são obrigadas a se enfrentar… Mas não é só isso. Esta raiva que no fundo há em mim, uma espécie de raiva às vezes incontida, é porque nós não merecemos a vida. Não a merecemos. Não se percebeu ainda que o instinto serve melhor aos animais do que a razão serve ao homem. O animal, para se alimentar, tem que matar o outro animal. Mas nós não, nós matamos por prazer, por gosto. Se fizermos um cálculo de quantos delinqüentes vivem no mundo, deve ser um número fabuloso. Vivemos na violência. Não usamos a razão para defender a vida; usamos a razão para destruí-la de todas as maneiras -no plano privado e no plano público.
      Saramago não é o primeiro comunista a achar que a humanidade não tem direito à vida. Antes dele:
      - Stálin também achava: matou 35 milhões;
      - Mao Tse Tung também achava: matou 70 milhões;
      - Pol Pot também achava: matou 3 milhões;
      - Fidel Castro também achava e acha: matou 97 mil (numa ilhota que hoje tem 11 milhões de habitantes).

      E os comunistas mataram em escala industrial, mundo afora, com o apoio hormonal de Saramago.

      Imagine, leitor, se o escritor português fosse um cara de direita e dissesse o que vai acima. Em vez do tratamento de gala que lhe é dispensado, com salamaleques e rapapés, pediriam que fosse expulso do Brasil. Na prática, está pedindo o extermínio dos seus inimigos em nome da “humanidade” – que é rigorosamente o que fizeram os seus ídolos, acima elencados.
      Ah, claro, claro. Saramago faz a apologia da morte, mas dirão que o truculento sou eu. Truculento e arrogante, é óbvio.

      MARXISMO HORMONAL
      Desde muito novo orientei-me para a consciência de que o mundo está errado. Não importa aqui qual foi o grau da minha militância todos esses anos. O que importa é que o mundo estava errado, e eu queria fazer coisas para modificá-lo. O espaço ideológico e político em que se esperava encontrar alguma coisa que confirmasse essa idéia era, é claro, a esquerda comunista. Para aí fui e aí estou. Sou aquilo que se pode chamar de comunista hormonal. O que isso quer dizer? Assim como tenho no corpo um hormônio que me faz crescer a barba, há outro que me obriga a ser comunista.
      Então é mesmo doença. Poucos se dão conta de que essa visão autoritária, tirana mesmo, de mundo, está presente também na sua literatura. Saramago acredita que um partido tem de ser o olho dos cegos. Lixo político e moral.

      CRISE ATUAL
      Marx nunca teve tanta razão quanto agora. O trabalho constrói, e a privação dele é uma espécie de trauma. Vamos ver o que acontece agora com os milhões de pessoas que vão ficar sem emprego. A chamada classe média acabou. Ou melhor: está em processo de desagregação. Falava-se em dois anos [para a recuperação da economia depois da crise financeira]; agora já se fala em três. Veremos se Marx tem ou não razão.
      Por que ele fala tanta porcaria? Tenho lembrado, sabem os leitores, nos eventos de O País dos Petralhas, país afora, que o tão satanizado “modelo neoliberal” tirou mais pessoas da miséria em 20 anos do que os 200 anos anteriores do capitalismo. Marx não tem uma só linha que sirva para explicar a crise moderna. Por que alguém não lhe perguntou de que livro ele está falando ou a que trecho da obra marxiana ele se refere? É uma pergunta que a Folha de 20 anos atrás faria.

      DEUS E BÍBLIA
      Por que eu teria de mudar [a concepção de Deus após a doença]? Porque supostamente me salvou a vida? Quem me salvou foram os médicos e a minha mulher. E Deus se esqueceu de Santa Catarina? Não quero ofender ninguém, mas Deus não existe. Salvo na cabeça das pessoas, onde está o diabo, o mal e o bem. Inventamos Deus porque tínhamos medo de morrer, acreditávamos que talvez houvesse uma segunda vida. Inventamos o inferno, o paraíso e o purgatório. Quando a igreja inventou o pecado, inventou um instrumento de controle, não tanto das almas, porque à igreja não importam as almas, mas dos corpos. O sonho da igreja sempre foi nos transformar em eunucos. A Bíblia foi escrita ao longo de 2.000 anos e não é um livro que se possa deixar nas mãos de um inocente. Só tem maus conselhos, assassinatos, incestos…
      É possível fazer contraposições inteligentes e civilizadas à Igreja Católica e a Deus. As de Saramago são coisas de um ateu vulgar – a mesma vulgaridade anti-religiosa e boçal de O Evangelho Segundo Jesus Cristo. O que me incomoda acima não é seu ateísmo, mas a sua tolice tagarela. Saramago não precisaria acreditar em Deus para entendê-lo, ao menos, como um dado da realidade cultural e da experiência espiritual. No caso de Santa Catarina, Deus pode estar, por exemplo, na determinação que leva aquelas pessoas a recomeçar do zero. E no cuidado com que oram por seus mortos. A fé que nos tira da desesperança e da morte em vida será sempre libertadora. Reconhecê-lo não é, sr. Saramago, matéria de crença, mas de atenção aos muitos matizes da vida humana.

      • Comentários recheado de besteiras, que só pode sair da mente de um néscio.

  • “semipensamento”?!?!?! Taxar de semipensamento as opiniões alheias é desrespeito.

    Quanto à Saramago, concordo com a opinião expressada no blog. É um dos melhores que já li. Recomendaria “Memorial do Convento”.

    Paz a todos.

    • Essa afirmação só é preconceito quando vem desacompanhada de argumentos. Caso contrário, é lícito, correto, lógico e adequado.

      • Argumento para justificar preconceito?
        KKKKKKKKKKKKKKK
        Esta foi muito boa.

        • Cidadão, sinto muito de você não ter tido acesso aos mecanismos mínimos de uso da lógica e do raciocínio.

          Entretanto, se esforce e tente entender: que uma afirmação só é preconceituosa quando desacompanhada dos argumentos que a sustentam.

          Vou desenhar para você entender. Por exemplo: Posso dizer que pessoas que jogam vídeo-games são mais violentos. Isso é preconceito. Mas se eu apresento dados, uma argumentação, um estudo – vira então uma tese ou no mínimo uma opinião (fundamentada) – e que pode ser combatida, inclusive.

          O termo utilizado está pleno e correto com o contexto e argumentação do artigo. Só com o contra-ponto de idéias que a humanidade evolui. Enquanto a discussão estiver no mundo das idéias só traz benefícios. Perigo é quando apresentam pessoas tentando calar, sob o argumento vazio de “preconceito” ou outro qualquer. Bem como quando grupos tentam impor sua opinião a força aos outros.

          Diga porque o termo é preconceituoso e aí teremos um nível sério de discussão, além de risadas nervosas (hahahahaha) que demonstram mais a demência do que qualquer outra coisa.

      • Será que o Hatuna foi coroinha daqueles padres vocês sabem como? Nunca vi tanto ódio à religião.

        • Esse é um erro comum do “amor cristão”. Eles consideram qualquer um com uma opinião diferente ou com uma compreensão diferente da realidade como doente, alterado, etc. Constroem muros e cercas, assim como os nazistas faziam com os judeus.
          Enfim não tenho ódio à religião, apenas estou trazendo os fatos para quem sabe tenhamos um dia em que as crianças não sejam doutrinadas, tendo a liberdade de escolher no que acreditam, antes de serem tolhidas em sua mente com ameças de castigo infinito por pecados que elas nem compreendem como cometeram.

  • Pobre Saramago…tão genial intelectualmente, mas tão cego e louco espritualmente…Pois a loucura de Deus é mais sábia do que o mais sábio do homens, e a fraqueza de Deus é mais forte do que o mais forte dos homens…” Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir os sábios, Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir o fortes” ICo 1:27.

    • Muito conveniente esse trecho. A bíblia é, de fato, o livro que cerca todas as possibilidade de desmascará-lo e mostrá-lo apenas como um livro histórico.

    • Quem lê a biblia de verdade, jamais será cristão. E é uma vergonha uma mulher defender uma religião tão machista e que queimou inexplicavelmente tantas inocentes na inquisição.

      • Por isso, não. Eu também acho uma tremenda vergonha e limitação intelectual avaliar uma cultura que está distante dois mil anos antes de nossos dias com um conceito que só tem validade (feminismo/machismo) na sociedade depois de 1950/1960. Chamar os hebreus de ‘machistas’ é risível e anacronismo.

      • E já que você acha que entende muito de bíblia, e que seus trechos podem justificar o que se quiser, eu também entendo que o cristianismo cria o primeiro ritual de ingresso público aos novos adeptos que não é exclusivo para os homens: o batismo. Sinal inequívoco de uma ressignificação do papel feminino na cultura cristã. O ritual de circuncisão, por motivos óbvios, só pode ser cumprido pelos homens, o batismo é “universal”, de uma proposta religiosa pela primeira vez, igualmente destinada a todos os povos, línguas e nações. Inclusive aos que se escondem no anonimato para fazer comentários agressivos. rsrs.

        • Amigo, não vou desvirtuar ainda mais esse tópico discutindo esse tipo de coisa com você. Se você está feliz com sua crença no improvável, no imoral e no não fundamentado. Parabéns, seja feliz. Não tenho menor intenção de tirar ninguém da escuridão, da cegueira, ainda mais quem não quer. Entretanto, não fosse os fundamentalistas a humanidade estaria muito mais adiante do que está.
          Risível é seu “argumento” do batismo para fortalecer o “avanço” do cristianismo. Que certamente avançou em muitos aspectos, mas em NADA esse.

          O fato do movimento dito feminista ter surgido nos últimos séculos não afasta a existência de homens e mulheres desde sempre. Nem o fato da biblia considerar moral e correto a opressão feminina, a coisificação da mulher, pra não falar em outras coisas como infantícido, genocídio e escravidão.

          Acredite no Deus que quiser, mas a bíblia em si é um livro falho que não escapa a nenhum juízo, seja lógico, moral, histórico, etc. Ao contrário do que manda a religião, questione-se, pense.

      • Dizer que a Bíblia é um livro falho e quem lê a Biblia de verdade, jamais será cristão, só pode ser conclusão de alguém que tem uma mente completamente poluída, desnutrida e em estado de decomposição.
        Se dispensa mais comentários.

        • ^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^
          Não leu a bíblia.
          ^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^

          Cadê o exemplo de bondade, perdão e compaixão da sua bíblia?

          Falácia do espantalho mode on, né?

          “Mente poluída, desnutrida e em estado de decomposição”. De onde você tirou isso? Porque você não prova com argumentos. E pegando o seu gancho, melhor uma mente desnutrida do que uma que não se usa.

  • Muito simplista a idéia de reduzir Saramago a um impasse religioso. E afinal, o que vem a ser “semipensamento”?

  • Que texto elegante, e, acima de tudo, democrático e respeitoso do pensamento alheio. Quem não concorda com a opinião que Raboni tem de Saramago, além de ter um “semipensamento,” certamente nada leu do autor. Por que não se pode, ao menos uma vez, manifestar uma opinião sem ter de retratar o que dela discorda como um bárbaro ignorante? Não é possível que outra visão de mundo seja igualmente legítima e fruto de reflexão, ou só os que pensam como Raboni tiveram a ventura da revelação e são sábios dignos de serem admitidos ao debate com ele? No texto, quem compartilha das crenças do articulista é um livre pensador dotado de plena autonomia intelectual, mas quem discorda é alguém voluntariamente domesticado que obedece a ordens de terceiros, o que é no mínimo bastante arrogante. Quando a mim, gosto do Saramago da Jangada de Pedra, do Ano da morte de Ricardo Reis e do Evangelho segundo Jesus Cristo, sobretudo. Acho seu ateísmo tão irrelevante quanto sua preferência sexual – ser ateu, muçulmano, agnóstico ou cristão é uma opção pessoal que não consigo ver como possa ser um dado positivo na biografia de alguém, ao contrário do que pensa o amigo Raboni. E não esqueço que esse grande escritor foi o mesmo intelectual que precisou de décadas de reflexão e de mais um de muitos fuzilamentos atentatórios aos direitos humanos para pronunciar, com imperdoável retardo, o “até aqui fui com Fidel.” Uma ou duas lembranças como essa ajudariam a evitar o exercício pouco útil de hagiologia.

  • Dizer que sua orientação ou falta de orientação religiosa é irrelevante é um erro. Sua obra, que vai além de seus livros, é profundamente marcada pela sua visão das religiões. Sou igualmente ateu e digo que não se trata de desrespeitar opiniões diferentes, mas de combater opiniões baseadas em mitos e concepções que passam longe de uma reflexão. Não há como levar em consideração uma opinião baseada em uma premissa inquestionável, isto torna o diálogo completamente desnecessário, já que resume-se a ter ou não ter fé.
    Não posso dizer que era um grande admirador de seu estilo literário, li poucos de seus livros na verdade. Mas o ser humano que morreu hoje fará muita falta. Espero que mais homens com a mesma coragem e disposição se levantem para expor as verdades por trás das religiões.

  • Prezado Hatuna,

    Já li a Bíblia inúmeras vezes e cada vez que a leio me convenço mais de suas verdades. Não devemos confundir os ensinamentos de Cristo com as políticas e práticas da Igreja Católica, no caso da Inquisição. Respeito o legado de Saramago. Mas, tenho a total liberdade de discordar de seus pensamentos a respeito de Deus e do Cristianismo.

    • A Biblia prega o estupro, o genocídio, a violência contra os homossexuais e as mulheres, infanticídio, escravidão… é um livro confuso, contraditório, impreciso e fantasioso. Não escapa a qualquer raciocínio, inclusive o histórico.

      E o pior é que o princípio da religião é esse: acreditar sem questionar, ainda quando todas as evidências sejam contrárias. Ou seja é um sistema com uma proteção perfeita!

      Além disso, mostra um Deus vingativo, rancoroso e cruel. Que atribui responsabilidade suprapessoal aos (supostos) “pecados” cometidos, que passam de pai, para filho, etc. Sem contar os critérios morais duvidosos, falhos e paradoxais.

      O grande problema dos (ditos) religiosos, principalmente os fundamentalistas é o radicalismo, a impossibilidade de conseguir analisar as questões ou escutar um outro lado ou visão.

      Recomendo que faça uma pesquisa real sobre a bíblica, a religião, ateísmo, teísmo, fundamentalismo, etc. No mínimo fortalecerá sua fé. Ah.. e pode começar lendo a Bíblia TODA, de verdade!

      • Fiquei curioso agora,

        em qual parte da Bíblia ela prega “o estupro, o genocídio, a violência contra os homossexuais e as mulheres, infanticídio, escravidão” ?

        • Dirceu, “estória” de Lot, ou Ló, responde a sua pergunta. Acrescento para seu “esclarecimento” a “estória” de Urias, Betsabé e Davi.

          Ló ou Lot:

          1 – E vieram os dois anjos a Sodoma à tarde, e estava Ló assentado à porta de Sodoma; e, vendo-os Ló, levantou-se ao seu encontro e inclinou-se com o rosto à terra.

          2 – E disse: Eis agora, meus senhores, entrai, peço-vos, em casa de vosso servo, e passai nela a noite, e lavai os vossos pés; e de madrugada vos levantareis e ireis vosso caminho. E eles disseram: Não! Antes, na rua passaremos a noite.

          3 – E porfiou com eles muito, e vieram com ele e entraram em sua casa; e fez-lhes banquete e cozeu bolos sem levedura, e comeram.

          4 – E, antes que se deitassem, cercaram a casa os varões daquela cidade, os varões de Sodoma, desde o moço até ao velho; todo o povo de todos os bairros.

          5 – E chamaram Ló e disseram-lhe: Onde estão os varões que a ti vieram nesta noite? Traze-os fora a nós, para que os conheçamos.
          (comentário: Os dois anjos que visitam Ló lavam os pés e comem. Eles são sexualmente irresistíveis aos sodomitas).

          6 – Então, saiu Ló a eles à porta, e fechou a porta atrás de si,

          7 – e disse: Meus irmãos, rogo-vos que não façais mal.

          8 – Eis aqui, duas filhas tenho, que ainda não conheceram varão; fora vo-las trarei, e fareis delas como bom for nos vossos olhos; somente nada façais a estes varões, porque por isso vieram à sombra do meu telhado.
          (comentário: Ló se recusa deixar dois anjos a mercê de um bando de pervertidos, e em vez disso, ele oferece as duas filhas virgens. Ele diz para o grupo de estupradores: “fareis delas como bom for nos vossos olhos.” Este é o mesmo homem que é chamado de “justo” em [II Pe 2:7-8]).”

          Urias, Betsabé e Davi…

          Urias, o hitita ou heteu (Em hebreu: אוריה החתי) foi um soldado do exército do Rei Davi citado no Velho Testamento. Foi marido de Betsabá e morreu depois que o Rei Davi ordenou a seus soldados que recuassem, deixando Urias sozinho na linha de frente de uma batalha contra os amonitas. A esposa de Urias ficara grávida do Rei Davi, num caso de adultério.

          Ao saber da gravidez, Davi ordenou a Urias que retornasse ao lar depois de muito tempo longe e às vésperas de uma grande batalha. Devido a seu código de honra, Urias recusou-se a ir ao encontro de Betsabá pois acreditava que os soldados deveriam se abster de sexo antes da luta. Davi queria esconder o adultério da mulher forçando o reencontro com o marido, mas a recusa de Urias o levou a ordenar morte dele na batalha, logo em seguida.

          Após a morte de Urias, Davi foi confrontado pelo profeta Natã que lhe avisou sobre a ira de Deus. A discórdia entrou para a família de Davi e tribulações acometeram o Reino de Israel. O primeiro filho de Davi e Betsabá morreu e o príncipe Absalão, um dos filhos de Davi com uma de suas outras esposas, se rebelou contra o pai. Todos esses acontecimentos foram explicados como punição divina pela adultério e o assassinato de Urias.”

          Quem cometeu o “crime” foi Davi. Mas quem morreu por ele, foram os filhos.

          Muito justo…

        • Genocídio: Os Amalequitas.

          Não existe notícia na Bíblia de um povo que tenha sido mais aborrecido por Deus do que os Amalequitas. Foi o único povo a respeito do qual Deus falou estas palavras:

          “Hei de riscar totalmente a memória de Amaleque de debaixo dos céus…Porquanto o Senhor jurou, haverá guerra do Senhor contra Amaleque de geração em geração.” (Ex 17.14, 16).

          Muito mais tarde, quando Moisés estava lembrando ao povo os juízos de Deus, em Deuteronômio, não esqueceu Amaleque. Demonstrou, com isto, que Deus estava falando com toda a ênfase a respeito daquela nação iníqua, destinando-a à total destruição. Veja o que Ele disse a Moisés:

          “Lembra-te do que fez Amaleque no caminho, como te derribou na retaguarda todos os fracos que iam após ti, estando tu cansado e afadigado. e não temeu a Deus. Será pois que, quando o Senhor teu Deus te tiver dado repouso de todos os teus inimigos em redor na terra que o senhor te dará por herança para possuí-la então apagarás a memória de Amaleque de debaixo dos céus: NÃO TE ESQUEÇAS! (Deuteronômio 25.17-19).

          Fonte: http://www.webartigos.com/articles/10930/1/O-Aniquilamento-dos-Terriveis-Amalequitas/pagina1.html#ixzz0rJT2UM6f

        • Mais genocídio indiscriminado:
          Ex 12:29-31 ” E aconteceu, à meia noite, que o SENHOR feriu a todos os primogênitos na terra do Egito, desde o primogênito de Faraó, que se sentava em seu trono, até ao primogênito do cativo que estava no cárcere, e ,todos os primogênitos dos animais. E Faraó levantou-se de noite, ele e todos os seus servos, e todos os egípcios; e havia grande clamor no Egito, porque não havia casa em que não houvesse um morto. Então chamou a Moisés e a Arão de noite, e disse: Levantai-vos, saí do meio do meu povo, tanto vós como os filhos de Israel; e ide, servi ao SENHOR, como tendes dito.”

          Mataram todos os primogênitos, até de animais!!!!!

        • Violência contra homossexuais:

          Veja a “estória” de Sodoma, e o que significa “sodomita” e “sodomia”…

          Escravidão:

          Abraão e Agar:
          Agar ou Hagar (do hebraico הָגָר ” a estrangeira” , no árabe هاجر )é o nome da serva egípcia de Sara, esposa de Abraão de acordo com o livro de Gênesis na Torá. Devido ao fato de ser estéril, Sara teria permitido que Abraão coabitasse com Agar no sentido de gerar um herdeiro. Desta união, foi gerado Ismael. De acordo com a tradição judaico-cristã, Agar desprezou Sara já que esta não podia conceber; e quando Sara concebeu milagrosamente a Isaque, Ismael passou a perseguir e humilhar seu meio-irmão. Devido a este fato, Sara incitou Abraão para que expulsasse Agar e Ismael. Estes quase pereceram de fome e sede no deserto, até serem socorridos milagrosamente por Deus. Agar acabou cuidando de Ismael até que este crescesse e se casasse. A Torá não continua a descrever sua vida além deste ponto.

        • Só de alguns, ok? Para ver se você tem interesse verdadeiro e lê a bíblia, ou no mínimo, pesquisa por aí:

          Êxodo 22:18
          Levítico 12:4-5; 20:27; 21:13-14; 15:19-23, 15:30
          Números 31:1-54;: 17-18
          Deuteronômio 20:13-14; 22:13-21; 22:23-24
          I Coríntios 14
          I Timóteo 2

          Genocídio

          Números 25:4; 31:1-54
          Deuteronômio 7:1-6; 7:16; 13:15-16; 20:16-17.
          I Samuel 15

          Infanticídio

          Números 31
          Deuteronômio 20:13-14; 21; 28:53-57
          Isaias 13
          Oseias 13
          I Samuel 15

          Escravidão

          Êxodo 21:20.
          Tito 2:9
          Levítico 25:44-45;

          “Seca-se a erva e murcha a flor; mas a palavra de nosso Deus permanece para sempre”. (Isaias, 40,8) (I Pedro 1:24-25)

          “A Lei do Senhor é perfeita” (Salmo 19,7)

      • Religião é uma questão de fé. Se Hatuna, Gatuna, qualquer coisa que se chame assim, fala com tanta ênfase sobre a bíblia e não se interessa por ela por que não escreve seu próprio livro sagrado para acólitos? Cada um tem o direito de ter a religião que quiser. Ou não ter, como Saramago, cujo o problema era não era ser ateu mas insistir na infâmia contra o ser humano.

        • Mostre onde eu disse que as pessoas não podem ter a religião que quiserem? Por favor. É claro que podem ter, não venha com essas falácias bobas.

          O que eu vejo é a intolerância meu amigo, dos que se acham “salvos” em relação aos demais, sendo que a maioria estão apenas caindo na “Aposta de Pascal”, o que para mim não traduz nenhuma nobreza de caráter (ou espírito).

          E ainda estou para encontrar um fundamentalista que compreenda o significado de “liberdade religiosa”. Liberdade religiosa para estes, é a possibilidade de impor a sua opinião aos outros, ou pelo menos, de ter o instrumentos para mantê-la como preponderante.

        • É impressão minha ou você aprova a violência sexual praticadas por membros da IC? Os ateus agora são coroinhas (acólito) é? Parabéns pela colaboração que você dá a humanidade e por sua mente brilhante!

    • Sim Wedja, para que fique claro não discuto sua possibilidade de discordar de Saramago nem de nada do que eu falo, ok? Entretanto, infelizmente, a biblia não é “a verdade”, “a moral”, ou “a” nada, não tendo inclusive confiabilidade histórica.

      Ademais, um livro “controlado” pela Igreja Católica? Se ela é tão falível, conforme você mesma levantou, como confiar num livro que foi “editado” (quiçá escrito) por ela?

  • Homenageio Saramago com uma das belas passagens com a qual Saramago, e a língua portuguesa, presenteou a literatura.

    “As palavras são assim, disfarçam muito, vão-se juntando umas com as outras, parecem que não sabem aonde querem ir, e de repente saem, simples em si mesmas, um pronome pessoal, um advérbio, um verbo, um adjectivo, e aí temos a comoção a subir irresistível à superfície da pele e dos olhos, a estalar a compostura dos sentimentos, às vezes são os nervos que não podem aguentar mais, suportaram muito, suportaram tudo, era como se levassem uma armadura, diz-se A mulher do médico tem nervos de aço, e afinal a mulher do médico está desfeita em lágrimas por obra de um pronome pessoal, de um advérbio, de um verbo, de um adjectivo, meras categorias gramaticais, meros designativos, como o são igualmente as duas mulheres mais, as outras, pronomes indefinidos, também eles chorosos, que se abraçam à da oração completa, três graças nuas sob a chuva que cai.”

  • [...] Literatura – José Saramago morre aos 87 anos [...]

  • Infelizmente, os comentaristas pretensamente “ateus” e “racionais” sofrem do mesmo vício positivista do século XIX e substituíram Deus pela Razão. Alguns ainda, inclusive, continuam com a substituição da bíblia pelo Capital (rsrsrs) ou pelo Organum, quem sabe por Nietzche e cia.). Se não leram ainda, Marilena Chauí tem um ótimo texto sobre essa substituição. No mais, a ciência, o progresso, o relativismo e o cinismo dos senhores não trouxe nada muito melhor do que mais morte, mais guerras, mais massacres, genocídios, os mesmos que o “pensamento racional”, o “progresso”, o “marxismo”, as “teleologias” de todos os tipos, prometiam acabar.

    • Veja a diferença no tom. Veja as falácias que você utiliza. Que tal a “falácia do espanatalho”, conhece? Procure saber, é o que você fez acima. Quem citou o marxismo, Nietsche, ainda que indiretamente? Ninguém passou nem perto.

      Ninguém substitui a Biblia por nada, uma vez que esta é uma boa obra de ficção como muitas. E não venha atribuir “morte, guerras, massacres, genocídios” ao ateísmo, cientificismo, realismo, materialismo. Isso não é defensável, não há fatos ou argumentos para isso. É apenas mais uma ladainha repetida a exaustão pelos “pastores” para suas ovelhas proibidas de pensar, com o intuito de transformá-la numa verdade. Alias, nesse seu raciocínio causal estão incutidas dezenas de falácias que não cabem neste espaço. Só umas perguntas para você pensar: “Se o Estados Unidos é uma país cristão, posso atribuir todas as mortes causadas pelo exército americano ao cristianismo? Posso atribuir ao Hitler teísta e cristão as mortes do holocausto, ainda mais num contexto histórico anti-semita da Igreja Católica?”

      A religião é apenas uma muleta que os humanos usam pela dificuldade em aceitar o simples ato de viver.

      • Vamos ver os religiosos:

        Obras dos “com deus”:

        Inquisição

        O condenado era muitas vezes responsabilizado por uma “crise da fé”, pestes, terremotos, doenças e miséria social, sendo entregue às autoridades do Estado, para que fosse punido. As penas variavam desde confisco de bens e perda de liberdade, até a pena de morte, muitas vezes na fogueira.

        Dom José e a menina grávida do padrasto.

        Testemunhas de Jeová:
        E outras correntes, preferem deixar a pessoa morrer, a permitir uma prosaica transfusão de sangue.

        Pastor Jim Jones:
        Envenenou toda a comunidade, após matar um congressistas e dissidentes que queria abandonar a seita.

        David Koresh:
        O episódio da cidade de Waco ficou na história.

  • Dizer que a Biblia é um livro falho e quem a lê de verdade nunca será um cristão, só pode partir de uma mente desnutrida e em estado de decomposição.
    Meu caro Hatuna, o tempo de lei já passou, e tudo foi resumido em João cap. 3.16
    A lei foi abolida pela Graça de CRISTO.
    Agora a decisão é minha sua e de todos nós, caso contrário ao se descer a sepultura, aí já será tarde demais.

    DEUS continuará sendo DEUS SOBERANO E CRIADOR, e o homem criatura e pó.

    • Cadê os seus argumentos? Agressões gratuitas? Falácia do espantalho? Eu não agredi você, que tal defender suas convicções com argumentos. Onde está o seu amor ao próximo?

      “O tempo da lei já passou”. Que isso significa? Quantas leis e palavras esse Deus tem? Você seleciona o que lhe interessa na Bíblia e descarta o resto? Qual a lógica disso? Quem escolhe? Antes podiam queimar “bruxas” porque a bíblia previa – e já existia o novo testamento. Agora não?

      Ademais você acha que um único versículo muda tudo? Saiba que as atrocidades e imoralidades da bíblia continuam no novo testamento, ainda que de forma mais comedida.

      E também tente não julgar as pessoas por suas convicções religiosas, mas por suas palavras. Ser cristão, ateu, agnóstico, judeu não diz nada sobre ninguém. Alias diz sim, segundo a lógica cristã, o cristão só é bom porque terá uma recompensa e porque tem medo do castigo. Caso contrário seria um louco degenerado? Melhor confiar em que é bom por convicção moral ou em descontrolados que estão apenas amarrados a grilhões frágeis?

      Também vou tentar não trazer argumentos novos para não complicar muito, ok? Vou deixar só algumas perguntas para reflexão a partir do seu “argumento”.

      1 – A bíblia não é perfeita? Ela mesma não o diz? Como uma palavra perfeita é mutável?
      2 – Os 10 mandamentos também foram abolidos? Eles estão na “lei antiga”.
      3 – Se você tivesse nascido na China, India, Oriente Médio você iria provavelmente para o inferno – uma vez que tais países os cristãos são minorias?
      4 – Considerando a onisciente, onipotência, onibenevolência de Deus, você “acredita” no livre arbítrio? (Digo acredita, porque para você tem que acreditar mesmo = fé, porque esse é um paradoxo lógico)
      5 – Se você “acreditar” no livro arbítrio? É justo a punição eterna para pecados que tem limitação no tempo e espaço?

      Agora, eu concordo em relação a uma coisa que você disse. O homem é pó e sempre será. Pó de estrelas.

      Fato é que esse site não é para esse tipo de dicussão, graças a internet a informação hoje em dia é mais dissolvida e pública. Quem tiver interesse no assunto, Pode começar pesquisando na internet, existem sites bem didáticos como o ceticismo.net e diversos vídeos legendados no youtube como os do “Atheist experience”. Leiam, reflitam o máximo que poderá acontecer é fortalecer sua fé, não é mesmo? Ou será que a religião prega a ignorância sobre o alheio e a intolerância?

      • Hatuna.

        O “livre arbítrio” é outra falácia.

        Se deus é onipotente, onipresente e onisciente, se ele sabe passado, o presente e o futuro, como foi trombeteado a todos os lados do mundo, se principalmente, ele conhece o futuro, não temos nada a perder.
        Se entre todas as possibilidades que vislumbramos, ele já sabe a que no futuro, foi tomada, não existe o livre-arbítrio.

        Mais, se de acordo com os “crentes”, nada acontece que não seja da vontade dele, mais uma determinação da inexistência do “livre-arbítrio”.

        E se tudo ocorre de acordo com a vontade d’ele, nada devemos temer. Nem o mal. Não somos culpados, nem existe pecado. Afinal, não foi a nossa vontade.

        E se deus criou tudo, nada existe sem o seu consentimento e conhecimento, então o mal também é de origem divina!! Nada a temer.

        Mas se como alguns querem dizer, que ,deus não criou o mal, então ele não é tão poderoso assim… Deve existir outro tanto quanto, afinal existe algo que não é criação d’ele…

        Segundo alguns historiadores, Cefas(Pedro) e Saulo(Paulo), se atreveram a tentar discutir com os filósofos gregos, sendo desarmados com esses argumentos simples que mencionei.

        Os filósofos gregos “homenageram-nos” com o costume da época, apedrejar aqueles com argumentos toscos, encaminhado-os para fora da ágora.

      • O que escrevi, escrevi.
        Na sepultura, terás a resposta.

        • Aposta de Pascal?! Conhece? É uma das falácias mais comuns nessa discussão.

        • Aposta de Pascal (ou, no português do século 21, “Deus: se colar, colou”)

          No fragmento 233 da coletânea Pensées, o matemático, físico e filósofo Blaise Pascal (1623-1662) apresentou o que hoje se conhece como a aposta de Pascal. Trata-se de uma proposta de decisão, colocada na forma de uma aposta incontornável, isto é da qual ninguém pode fugir. Esta aposta pode ser resumida da seguinte forma:

          Como alguém que escolhe ser cristão pode perder? Se, ao morrer, constatar que Deus não existe e sua fé foi em vão, não perdeu nada – pelo contrário, viveu uma vida com mais percepção de sentido e esperança do que um descrente. Se, no entanto, há um Deus e um céu e um inferno, então ganhou o céu, ao passo que um descrente perdeu tudo.

          http://www.freewebs.com/kienitz/aposta.htm

  • Primeiro as discussões políticas que vão do nada a lugar nenhum. Agora a velha briguinha dos cristãos versus ateus. Até discussão de futebol já teve aqui. Ô topicozinho inútil…

    Ninguém aqui fala da obra da Saramago mas apenas das suas convicções políticas e religiosas (neste caso, a falta de).

    Talvez seja por este motivo que Saramago não seja um dos grandes da literatura universal: se assim o fosse, seria mais lembrado pelo que escreveu do que pelo “ideais” que defendeu.

    No final das contas, foi apenas um bom escritor (que não inovou), além de um ativo militante comunista/ateísta. Está a muitíssimo longe de se tornar um clássico…

    • Para quê postar num “tópico” inútil? Não pode apenas passar para o próximo?

      Ademais sua afirmativa, tentando reduzir a importância deste debate, mostra apenas que você prefere ficar confortável ao invés de enfrentar a questão. Talvez, porque o conflito religioso lhe pareça uma realidade distante ou simplesmente porque ache engraçado.

  • Impressiona-me como é fácil hoje em dia qualquer um poder demonizar ou glorificar o passado (no caso o povo hebreu e sua religião) usando qualquer argumentação!Se fizessem isso na época iam acabar pendurados numa cruz!Voltando ao assunto, infelizmente o Danilo tem razão, porque uma coisa muito comum em debates na internet é mudar o foco do assunto!Seria interessante fazer pesquisas sobre os “trolls”e”flodders”brasileiros!Só não dou minha opinião sobre o autor porque ainda não li nenhum livro dele!

    • Não vi ninguém demonizando nada. Acho até a discussão que travaram no tópico é até sadia para ver se quem sabe um dia, a humanidade deixa a infância e chega a maioridade. Quanto ao assunto, foi um dos temas tratados no tópico. Ademais acredito que são poucos os que conhecem a obra de Saramago, haja vista a literatura não ser estimulada em nossa escolas/sociedade. Amplexos.

  • O fundamentalismo ateu. Pra mim é novidade.

    • Mais um falacioso, sem argumentos.

  • com a morte de saramago gerou esse confronto todo, entre pessoas que no meu parecer estaõ bem longe de entender a personalidade de Deus, o carater de Jesus Cristo e uma comunhaõ perfeita com o Espirito Santo, quando voces forem verdadeiramente lavados no sangue de Cristo , irão lembrar que foram bastante ignorantes, mas Deus não leva em conta o tempo da ignorancia. Devem.se converter a Cristo pra não irem para o mesmo lugar que Saramago está.

  • Gostaria de fazer algumas afirmações e perguntas para eventual resposta de algum ateu:
    É incoerente um ateísmo que crê no Big Ben. Se a teoria da Grande Explosão mostra que tudo evolui, é lógico pensar que, antes do Big Ben, havia massa com densidade infinita e energia. Então vem a pergunta: de onde veio a massa? E a energia? A lógica nos conduz a um instante em que nada existia. Então, a massa surgiu do nada? A energia surgiu como? Para a teoria ateísta, a salvação é crer no Estado Estacionário, pois tal teoria diz que tudo sempre existiu, então elimina a pergunta: de onde veio? O Big Ben nos leva a pensar num provável Criador, que faria a massa e a energia surgirem do nada.
    Perguntas como: de onde veio? Por que aconteceu? etc deixam atõnitos os partidários do ateísmo. Eles gostam de falar em processos que já tiveram início. Ex: No começo havia somente seres unicelulares. Seres pluricelulares surgiram como? Várias células se uniram? Uma célula se converteu em várias? Sendo criado um ser pluricelular, como a natureza teve sabedoria para fazer outros? Como as células sabiam ter de se unir outras vezes? E a repordução? Por que deixou de ser por simples clonagem?… Estas questões amedrontam os ateus, que preferem se ater somente a processos já iniciados. É claro que tais processos, se iniciados de maneira casual, seguiriam seu caminho, mas: Como se iniciou o processo?
    Ateus não gostam da palavra acaso.Saibam que Carl Sagan, quando falava em Evolução, usava várias vezes esta palavra. Ele usou, em um de seus programas, várias vezes a expressão ” por um acaso totalmente inexplicável”. alguns poderão dizer: desde que ele morreu, a ciência evoluiu. Peço que me digam que evolução foi esta, que tornou obsoleta a palavra “acaso”
    Ateus atacam igrejas, citando a Inquisição, Nazismo, etc. Eu pergunto: Isto prova que o sobrenatural não existe? Tais críticas são apenas uma tentativa de mostrar que, como várias autoridades cristãs fizeram ou fazem o mal, o cirstianismo é uma crença do mal… ainda que assim fosse, os ateus apenas poderiam mostrar que um deus do mal, não do bem, guia os cristãos, mas, ainda assim, um ente sobrenatural. Vocês não fugiriam de terminar dizendo: cremos no sobrenatural.
    Dizer que os ateus não precisam provar nada, pois quem nega não precisa provar, eu digo que é falácia de quem não tem argumentos. O ateu nega, mas ao mesmo tempo, afirma. Nega que o sobrenatural existe, mas afirma que o aparecimento e evolução do universo e da vida foram acontecimentos não planejados, ou casuais, como dizia o saudoso Carl Sagan. por que casuais? Peço indícios fortes.

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

maio 2019
S T Q Q S S D
« mai    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).