Nação Zumbi grava DVD com som ruim e show fraco

dez 10, 2009 by     45 Comentários    Postado em: Cultura

 Foto de Priscilla Buhr
Nação Zumbi no Marco Zero, foto de Priscilla Buhr

A noite ontem era da Nação Zumbi, disparada a melhor banda pernambucana, que fez um show para gravar seu DVD ao vivo com participações de Arnaldo Antunes e Paralamas do Sucesso. E foi uma decepção completa. A Nação Zumbi estava irreconhecível.

Antes do show começar a praça do Marco Zero estava totalmente lotada, o que não é difícil, pois não se trata de uma área tão grande para shows gratuitos. Aliás, não sei quem inventou que ali era um bom lugar para fazer shows. Para carnaval serve, pois a festa se espalha pelo Bairro, mas para um evento único, e gratuito, o espaço se torna muito pequeno.

Apesar do belo palco e iluminação, o som estava péssimo, e só foi melhorar do meio para ao fim do show, e mesmo assim longe de qualquer padrão mínimo de qualidade. Quem não estava na frente do palco só ouvia o que rolava como som ambiente. Os instrumentos todos abafados, com excesso de “graves”, praticamente não se escutando a voz de Jorge Du Peixe.

Depois de três músicas a banda inclusive interrompeu o show por alguns minutos para arrumar o som. Além disso, como é normal em gravações de DVD, voltaram para repetir músicas com problemas na apresentação.

Para piorar, a sequência de músicas estava toda fora de contexto, alternando momentos bons e ruins, fazendo com que o show esfriasse o tempo todo. A impressão que tenho da banda é que só não estoura de verdade no resto do país por causa disso. Apesar de um repertório excelente, deixa o show esfriar desnecessariamente, como por exemplo, na metade da apresentação, com uma abertura interminável de Rios, Pontes e Overdrives.

Especialmente em uma gravação de DVD é preciso ter muito pulso e profissionalismo para fazer um grande show do começo ao fim, principalmente sem falhas técnicas. Já fui antes à gravação de dois shows, do Barão Vermelho e dos Paralamas, onde tudo (especialmente o som) estava impecavelmente organizado e sem falhas, e isso faz a diferença.

De bom apenas o fato de terem retomado algumas das melhores músicas da época do saudoso Chico Science, como Etnia, clássico do segundo disco da banda.

Com aquele som que estava ali, algum produtor vai ter que trabalhar muito para gravar um DVD que fique bom.

De resto, tudo como sempre foi: cerveja quente sendo vendida, bagunça no trânsito no Bairro, com carros trafegando entre as pessoas e policiamento praticamente inexistente.

45 Comentários + Add Comentário

  • Pierre, foi castigo por ter marcado prova exatamente na hora do show!! rsrs

  • finalmente ouvi alguem q concorda comigo. Tipo, foi simplismente bizarro. Não se ouvia absolutamente nada e o som tava ultra alto, só se escutava os graves e a voz do du peixe nem sinal. Muito ruim, o que é uma pena, pq os fãs daqui são muito loucos pela banda.

  • O lugar é lindo para shows… e razoavelmente grande para eventos… Cuidado para não ficar escrevendo sem muito conhecimento do causa, acaba virando um blog de opiniões vazias. errinhos em um show são motivos suficientes para correr para o blog e escrever as lamentações?

  • Verdade Pierre, o que se viu ontem no recife foi de fato algo “histórico”, não consigo nem pensar em quantitativo populacional… O marco zero é uma praças públicas mais amplas do país, “sem árvores” “bancos” ou que quer que seja para atrapalhar a vida dos pulantes. Quanto penso em tornar aquilo um parque de “domingo” me lembro desses eventos e me torno profundamente favorável aquele aspecto “vazio” que toma o tempo todo. Não é pequeno e não há lugar no Brasil inteiro… e poucos no mundo como o marco zero. Acho que vc tá cagando no pau.

    O policiamente foi hostensivo até a meia noite, depois foi reduzido, em virtude da relativa ordem… muito pacata por sinal. mas até do que eu estou acostumado.

    O som estava ruim e a banda também não colaborou, repetiu músicas desnecessárias (por difíceis) mais de uma vez e se esqueceu de outras que são notadamente marcantes e sua carreira “independente” como “meu maracatu” e “quando a maré encher”.

    Mas tenho certeza que com relação a sintonia palco-platéia, palmas, agitação popular, foi um dos eventos mais fascinantes já gravados neste planeta. O som da nação é aquilo mesmo… nunca achei muito diferente pra dizer a verdade. E gosto como é. Enfim, o DVD vai mostrar um recife muito festivo… e o som será bem “remontado” fique certo.

    No mais, só resta elogiar a iniciativa e organização do evento, que está, BOTANDO PRA FUDER.

    Recife capital contemporânea da cultura brasileira. (há quanto tempo?)

    • Não vi o show, pois estou em Maceió. Quer dizer que a banda não tocou “Meu Maracatu pesa uma Tonelada” e “Quando a Maré Encher”?? Ou apenas não as repetiu?

      • Não as tocou Martins. O show foi péssimo, a verdade é essa. Muitos erros e som horrível.
        Basta botar Nação Zumbi no busca do Twitter para ver que quase todo mundo está falando a mesma coisa.

        • Se foi assim, ainda bem que eu não fui! Quase encarava a BR de noite pra ver esse show.

        • Foi um dos piores shows que já vi na vida… Muito ruim mesmo!

        • pierre,vc com certeza é adepto do axé.presta atenção, problemas acontecem em todo o show e a NAÇÃO ZUMBI não estoura aqui no Brasil devido a mídia que é viciada nasmesmas porcarias.NAÇÂO é a melhor banda e a mais original do Brasil.O show foi o dez e a gravação apesar dos pproblemas ficou 1000.

        • Sinhollb
          Odeio axé

    • Recife é Recife o ambiente é maravilhoso dale nação salve chico!!!!

  • Não estoura no país é exagero, hehe. Aqui em SP muita gente ama nação zumbi, tanto que lotaram o show de aniversário do “da lama ao caos”.
    Uma pena o show ter sido ruim, eu só não fui daqui de São Paulo pra ver porque não consegui folgar.
    Abraços

    • gosto de ver assim, quem gosta do som gosta quem não é uma pena!!! curto desde de 1996

  • Pierre, Você viu o que Pezão publicou no post de gasolina?

    Quinta-feira, Dezembro 10, 2009
    O crack acabou com a celebração.
    Violência, bebedeira, brigas.
    Culpa do crack.
    Um assombro.
    Perdeu a graça.
    Chega de eventos desse tamanho.
    Se eu fosse a Nação Zumbi dava uma sumida boa da cidade.
    Se eu fosse pai de qualquer um que foi ontem ao Marco Zero eu estaria muito preocupado.
    O crack vai acabar com muitas famílias ainda hoje.
    ==========
    Conversei com uma das pessoas responsáveis pela segurança do evento.
    E ouvi a confissão:
    “Nem em 3 dias de carnaval aqui no Marco Zero eu tive tanto trabalho quanto na noite de hoje.”
    Cuidem-se, amigos.
    O pior está por vir.
    ==========
    Boa noite, bom dia…

    • descupa mas voce é mesmo fãn do nação? acho que não é uma pena

  • O som do microfone de Dupeixe tava péssimo MESMO. E chama o Paralamas para tocar apenas 2 músicas?

    Fora isso, Lúcio Maia frustrou toda a nação coral ao não tocar o hino do Santa Cruz (no Abril pro Rock foi lindo)… hehehe

    • Lúcio nunca levou tanta dedada quanto naquele dia!

  • Concordo com tudo, menos com o “policiamento inexistente”. Tinha polícia para dedeu.

  • [...] Pierre Lucena, do blog Acerto de Contas. [...]

  • “Hoje vou começar pelo fim. A Nação Zumbi fez ontem, na Feira Música Brasil, aquele que talvez tenha sido o pior show de sua carreira. E a culpa não foi deles. A imponente estrutura de palco, iluminação e som não foi capaz de tirar o gosto de fiasco que o festival acabou passando. Aliás, quanto terá custado tudo? Dois palcos gigantes como o Marco Zero nunca viu igual. Sem contar o restante do aparato que envolve todo o Recife Antigo.”

    http://www.reciferock.com.br/2009/12/10/cobertura-feira-musica-brasil-marco-zero-primeiro-dia/

  • Pra refrescar a memória do autor: a segurança pública estava presente sim e funcionou; o trânsito tb estava sendo monitorado (óbvio q alguns carros precisaram passar pelo público em determinados instantes, afinal era uma quarta no centro da cidade e tb existem veículos com autorização para furar as barreiras); todo equipamento é compatível com os riders dos grupos e os mesmos passam o som e trazem seus técnicos para operarem; tb fiquei triste pq não percebi uma apresentação digna de registro, mas ai não cabe ao evento. Sintam-se a vontade pra conferir e aproveitar a FMB.

    • Thiago
      Só vi dois policiais em todo o tempo que fiquei no evento.
      Mas não considero isso como problema de quem organizou. À exceção do Carnaval, os outros eventos nunca recebem grande atenção por parte da Polícia.
      Quanto ao trânsito, no final procurei por táxi e tive que sair do Bairro para conseguir pegar um. Perguntei ao cara do Detran, que mal sabia o que estava fazendo ali.
      Desejo sorte ao evento. Vi que a estrutura de palco e luz estava ótima. O som realmente não estava bom, mas não saberia avaliar se era um problema relacionado ao operador ou ao equipamento
      Abs

      • Na realidade, como todo ente público, a Corporação da Polícia Militar tem, obviamente a obrigação de prestar o serviço público a comunidade, só que, para realizar um bom trabalho, se faz necessário que a organização dos eventos comunique com antecedência a realização do evento a polícia através de ofício, para que, enfim, a polícia possa desenvolver o projeto e implanta-lo na area desejada, com base no evento que for ser realizado, e no público estimado. Não se pode esperar que a polícia seja onipresente em todas as situações. Se faz necesário também a mobilização dos produtores do evento para uma prestação efetiva.

        • Eu acho meio improvavel que se consiga realizar um show em pleno Marco Zero sem as autoridades estarem cientes. O problema do Recife Antigo é que a policia so aparece mesmo no Carnaval, uma pena para um bairro cheio de cultura e entregue as baratas. Quanto a isso Eduardo Campos lembra bastante o seu avô.

  • Falta competência ma organização dos show que acontecem em Recife/Olinda.
    O som de Buena Vista Social Club também foi uma negação.
    Fora o fatídico Fatboy Slim em 2007 lembram do ocorrido?

  • O som está enorme, o problema foi/são as bandas…

    mas o públcio fez tudo.

  • Incrível como os caras conseguem se peder quando estão diante de estruturas diferentes e maiores que as de costume. Foi sem dúvida uma das piores apresentações da Nação, faltou repertório (pois esqueceram músicas marcantes dos seus 15 anos), qualidade técnica para adequar o som da banda à estrutura do evento.
    Apesar de que para se gravar um bom DVD hoje em dia, infelizmente, é necessário apenas um bom estúdio, pois os caras gravam em estúdio o áudio e lança o DVD ao vivo.
    Em relação a segurança, o policiamento foi estratégico, apenas em alguns pontos, mas não resolveria caso tivesse ocorrido algum problema maior. Agora a quantidade de drogados, bêbados e brigões era coisa para cinema. Maconha, crack e próximo aos armazéns o que tinha de gente cheirando pó, e fumando crack. O pior é que tem um posto policial nas proximidade.
    Já o local, não suporta de jeito algum eventos muito grandes e concentrado. Carnaval já é possível pois as pessoas e os pólos se espalham pelo bairro, mas para shows isolados há estrutura para isso.
    Talvez tivesse sido melhor se tivesse ocorrido na Praia de Boa Viagem, tem muito mais espaço, e prejudica muito menos o trânsito e proporciona menos riscos aos transeuntes. O ponto contra é que a idéia não seria muito aceita pelos moradores do bairro “nobre”.

  • Também fiquei decepcionado com o show. Custei a acreditar que a apresentação tinha acabado sem que os caras tivessem tocado “Da Lama ao Caos”, “Quando a Maré Encher”, “Meu Maracatu Pesa Uma Tonelada”, “Blunt Of Judah”, entre outras “pedradas”. O vocal de Du Peixe esteve tenebroso durante mais da metade do show. E a banda parecia abatida. Pelo jeito vai ser um DVD com os B-Sides da banda! hehehe! Ah, e de onde eu tava (perto dos banquinhos da lateral do Marco Zero), eu vi vários puliça.

    Em compensação, ontem vi um SEPULTURA furioso e fuderoso!! (não vale editar, hein)!!! SHowzaço!!!

    • Ah, e o som estava absurdamente alto. O pessoal da organização confunde som alto com som bom. O do Sepultura também estava alto, mas não estava tão ruim como o da Nação. Aliás, esse é um mal dos eventos aqui de Recife. Só porque é show aberto e gratuito o pessoal acha que pode colocar o áudio de qualquer jeito.

  • decepcionante. uma merda. se bem que teve quem se divertiu do msm jeito.
    teve crack, polícia (não de um número que o povo considera”seguro”, mas teve), fiasco e briga. só não teve Blunt Of Judah!!! >.<
    a galera daí de cima disse tudo. faltou música das antiga, faltou adequação no som, faltou empolgação dos caras. Faltou a essência deles. foi uma pena.

    ainda bem que teve Móveis Coloniais e Sepultura pra compensar. =D

  • Não há de ser nada. A Nação continua e continuará sendo a melhor banda no Brasil surgida dos anos 90 até hoje. Só não faz mais sucesso porque foge dele.

    E pelo jeito não vai deixar de lançar o DVD, não. No site da banda, tá dizendo que esse malfadado show foi “inesquecível”. Pelo jeito foi mesmo, só que no mau sentido….

  • Rapaziada, vamos deixar de ser burro!
    Que tal?
    Como é que a banda vai tocar “Meu Maracatu…”, “Quando a maré encher”, “Da lama ao caos”, Blunt of judah” se todas essas músicas JÁ ESTÃO no primeiro DVD dos cara?!?!
    Quem não entende isso só pode ser idiota.
    Fizeram o certo – como sempre – escolheram um repertório – bom pra caralho – que não se chocasse com o primeiro DVD.
    O som tava ruim, mas isso se conserta.
    O DVD vai ficar bom pra cacete.

    • José Henrique,

      Como fã da banda, garanto que a multidão que estava no Marco Zero queria muito ter ouvido essas músicas. Mesmo que elas não entrassem no DVD.

      Não há NADA comparável à catarse coletiva que os primeiros acordes de “Meu Maracatu Pesa Uma Tonelada” provocam quando tocados no Marco Zero. É demais!

    • concordo plenamente

  • Martins, meu chapa, artistas de verdade fazem o que têm vontade. Não o que se esperam deles.
    É a Nação Zumbi, não é a Ivete Sangalo.
    Manja?
    Gostei muito do show, justamente pela escolha do repertório.
    Desenterraram várias pérolas: Jornal da Morte, Etnia, Antene-se…
    Tocaram música inédita – Cordão de Ouro, ótima – e não por acaso deixaram todo o cd de 2002 de fora, já que o primeiro DVD era baseado nele.
    Enfim, tudo certinho.

    Um abraço

    • um dvd tem que ser diferente e totalmente diferente do outro.Nação Zumbi sempre evoluindo.
      O que vale é que este dvd vai ficar para a história.

      • pode crer bhoder

  • o raciocinio do colega (josé henrique) é realmente de quem entende da coisa e aguardo ancioso o dvd achei uma raridade um audio de um show em 2003 quando chico science e nação zumbi eram praticamente só percussão vou postar pra baixar no meu blog http://www.umteconaideia.blogspot.com

  • certissimo o comentario do colega (josé henrique) e tambem aguardo ancioso o novo dvd achei um raridade um audio d um show de chico science realizado em 1993 ou seja no inicio da carreira da nação logo logo eu vou postalo no meu blog e com link para baixa-lo http://www.umteconaideia.blogspot.com

  • Vai entender de cultura, faz melhor ao invés de criticar… esse show foi um dos melhores da minha vida … os caras mudaram o estilo sim mas Nação sempre será nação … MANGUEBEAT na cabeça!!!

  • O DVD foi lançado, e em meio a todos os problemas que houveram, ele está impecável! O repertório foi pensado para ficar diferente do primeiro DVD e está impecável, com direito a clássicos memoráveis, apresentação de lanceiros de maracatu e música inédita. O áudio está excelente. A imagem não ficou 100%, mas não deixou a desejar. Sugiro que confira e reveja algumas opiniões desse texto.

  • banda de emo , de boiola , muito ruim o nacao zumbi

  • Gente isso acontese por motivo simples, o cara da mesa de som é quem controla todo o espetaculo , pois quem manda no show acredite é o cara da mesa de som, e as vezes os produtores matam os artistas desta forma, dando um bom retorno para os que estão tocando
    E para a galera manda uma som muito ruim, já vi varios espetaculos ali no Recife antido onde cantores de nomes quem vem do Sul tem uma otima apresentação e logo após o som ficar muito ruim, é notavel que algunhs produtores não querem o Nação de volta nos primeiros lugares da musica.
    pois não sei se voces sabem mais todas as musicas que sai nas radios são pagas pelas produtoras para sair em primeiro lugar ate nos ouvintes se acostumar.

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação às punições de corruptos...

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia


  • “O homem de bem é um cadáver mal informado. Não sabe que morreu.”
    Nelson Rodrigues.

ARQUIVO

julho 2014
S T Q Q S S D
« set    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).