Cartel lucrava R$ 16 milhões com esquema, diz PF

mai 9, 2007 by     13 Comentários    Postado em: Atualidades, Economia

Foto: Correio da Paraíba
PF exibe dinheiro e ouro apreendidos no escritório do Grupo Tavares de Melo

Tenho sido cobrado por alguns leitores assíduos do blog mais notícias sobre a Operação 274, da Polícia Federal, que prendeu o empresário pernambucano Marcelo Tavares de Melo na última sexta feira (quem não acompanhou o tema, basta colocar “operação 274″ no sistema de busca do blog e achará vários posts). Pois bem, conversei com a PF, com o Ministério Público e com repórteres da Paraíba, onde o dono do Grupo Tavares de Melo e outros acusados continuam presos.

A notícia mais quente, segundo a PF me antecipou, é que o grupo que comandaria a cartelização dos preços dos combustíveis na Paraíba lucraria R$ 16 milhões por ano com o esquema. Ainda de acordo com a PF, o alinhamento de preços acontecia em 88 dos 95 postos da Grande João Pessoa.

A Polícia Federal também apresentou o conteúdo das apreensões realizadas durante a Operação 274. Chamaram a atenção os R$ 2 milhões (parte em moeda nacional e outra em euros, dólares e libras) e as 20 barras de ouro encontradas no escritório de Marcelo Tavares de Melo, no bairro do Pina, em Recife.

A assessoria do Grupo Tavares de Melo disse que as moedas e as barras de ouro apreendidas pertencem ao grupo e não à empresa MTM ou à pessoa de Marcelo Tavares de Melo. Tanto o dinheiro quanto o ouro seriam fruto de operações comerciais lícitas, afirmou a assessoria.

Em João Pessoa (curiosamente no Recife também), o preço da gasolina baixou em vários postos. Antes vendido a R$ 2,74, já pode ser encontrado por até R$ 2,19.

Novas notícias assim que surgirem.

13 Comentários + Add Comentário

  • Meu sonho era ver essa foto publicada na capa do JC…

  • Parabéns, Bahé e Pierre, estou muito bem informando lendo o blog de vocês. Em tempo: a gasolina já está sendo alinhada a R$ 267 nos postos de Boa Viagem, os dois do Canal da Jequitinhonha e outros mais da Domingos Ferreira. Pelo jeito, a PF precisa prestar bem a atenção no cartel do Recife. Tem muito peixe grande solto ainda.

  • Sonha, Rodrigo, Sonha… Na Redação, os jornalistas tão com medo até de olhar do lado. Nem se toca no assunto do genro do hômi que foi preso com esse cartel. E estão dizendo que o blog do Jamildo agora é o blog do Jamudo. Ra-ra-ra…

  • É incrível como o brasileiro, especialemente o pernambucano gosta de tripudiar com as pessoas em momentos delicados.

    Sobre o $$ alguém aqui tem dúvida de que esse Marcelo tem declarado em seu IR, seja PF ou PJ?

    O cara tem muito $$$ independente de ser genro de A, B ou C…. vem de familia tradional e empreendedora. O Grupo do qual o tal Marcelo não faz parte diretamente tem muitas décadas no mercado e nunca se teve qualquer publicidade negativa.

    Lamentável a falta de liberdade de imprensa como já mencionado mas acho oportuno ressaltar a qualidade do trabalho e a responsabilidade da imprensa nesse momento.

    atc

    Fabio

  • …E ainda prendem e por pouco não deixaram mofando na cadeia uma triste que furtou um pote de margarina para passar no pão dormido que ia dar ao filho… Que país do c… esse Brasil, né não?

  • Gostaria antes de tecer críticas ao Sr. Marcelo T. de Melo, isentar o nome do Grupo Tavartes de Melo, pois o mesmo tem ilibada identidade adiquirida ao longo de muitos anos de trabalho sério e comprometido com o desenvolvimento do nosso estado. Quanto ao Sr. Marcelo T de Melo, não consigo entender seu comportamento ganancioso e mesquinho, esquecendo a tradição familiar e comprometendo a todos que lhe cerca.
    Lugar de ladrão é na cadeia.

  • Gostaria de sugerir uma enquete:

    Quanto tempo vai demorar para prenderem os responsáveis pelo cartel aqui em Recife?

  • …a impunidade é a mãe de todas as mazelas;após o ocorrido os preços caem e hoje os preços sofrem um reajuste significativo de forma inexplicável. Pode??? Precisamos nos organizar não abastecendo em um dia da semana de forma pré-definida.

  • Qual é a margem de lucro bruto do litro da gasolina, considerando o monopólio da Petrobras? Outra pergunta: Será que o custo operacional e de aquisição do produto não induz à pratica de ilicitudes, pois, em alguns casos, é uma questão de sobrevivência?Ë preciso equilíbrio e ponderação antes de execrar atitudes das pessoas!Ë preciso lembrar também que o ambiente resultante da participação dos Governos em relação ao PIB, sobra pouco espaço para 100% honestos!
    Não faço apologia a prática da ilegalidade, e sim, evocação à reflexão de como é difícil manter uma empresa nos moldes impostos pelas regras vigentes no Pais.Pior ou impossível é fechá-la incólume!

  • Como Brasileiro eh mediocre………………achar que o Sr Marcelo/ Grupo Tavares de Melo iam fazer cartel………………
    Vcs todos deviam voltar para a Escola e aprender / entender como ocorre a verdadeira corrucao neste Pais, desde o descobrimento!
    Da pra entende, reeleger Lula………..quanta ignorancia!
    O Brasil eh o espelho de sua gente: ignorante, mediocres, desinformados,bobos ……..onde os homens de bem sao presos sem direito de defesa!
    Olha a Petrobras……….Infraero,Mensalao……….
    Collor esta rindo de tudo isto!

  • Gabriela, ao desqualificar assim o povo brasileiro, você se exclui dessa categoria ? Ah! entendi! Você deve fazer parte do povo sueco, ou holandês, ou neozelandês, não é ? Faltou você usar ainda alguns adjetivos (preconceituoso, mesquinho etc.).
    Parabéns ao pessoal aqui pelo blog, mas acho que vcs deveriam lembrar bem os nomes dos postos de gasolina comandados pelo ilustre Marcelo T. de Melo, esse menino ganancioso…Se todos evitarem abastecer seus carros lá, é claro que não recuperaremos o dinheiro que nos foi roubado, mas pelo menos conseguiremos arrefecer a sanha do lucro exacerbado desse belo exemplar de capitalista, que muitos chamam de “empreendedor”. Pelo que consta, são os postos da bandeira Ello. Parece que também o Total, se não me engano, não é ? Confirmem aí, para não haver injustiças. E os motoristas, fujam desss estabelecimentos, se tiverem vergonha na cara!

  • Julio
    O problema é que os postos não são aqui, são na Paraíba.

  • Caros amigos,é obvio que a senhora PF não bases reais de corrupção por parte do MTM,tendo por foco tamanha superação historca do grupo…tradicional.exemplar e inabalavel por tal comentario maldozo.

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

setembro 2019
S T Q Q S S D
« mai    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).