Celpe é o retrato da tragédia do monopólio privado

fev 18, 2010 by     75 Comentários    Postado em: Economia

celpe

Bastou alguns minutos de vento forte para algumas áreas da cidade se transformarem no caos, sem energia elétrica a tarde toda.

Na hora do almoço um vento, eu falei um vento, não um furacão, foi suficiente para desestabilizar a infraestrutura elétrica da cidade do Recife. Não dá para não pensar que isso é total falta de investimento em prevenção.

Milhares de moradores estão sem energia, e o máximo que a Celpe informou foi que dobrou o número de atendentes de emergência. Aliás, esta empresa é o exemplo do que não deve ser feito em termos de privatização.

Pior do que o monopólio público só o monopólio privado. Empresário não respeita lei, não respeita orgão de defesa do consumidor, e muito menos Governo.

Empresário só respeita concorrência.

A Celpe é o retrato da desgraça do monopólio privado.

75 Comentários + Add Comentário

  • Pierre,

    Aqui em casa energia acabou na hora do almoço, por volta das 13 horas. Voltou agora há pouco, às 21 horas. Ou seja, oito horas de blecaute. Foi um dia de trabalho perdido.

    Mas a conta de energia que chega todo mês nunca atrasa um dia sequer. Agora, vai atrasar o pagamento…

    • E infelizmente, nunca vai atrasar, André, como tb se atrasar o pagamento, serão cobradas multas e juros.
      Isto faz parte do mundo empresarial e dos negócios de qualquer empresa, ou seja: fornecer serviços ou produtos, e posteriomente enviar as cobranças devidas.
      Fazer o que?
      Grande abraço

    • Aqui no Espinheiro, 03 “bananas” desarmaram num transformador.

      Foram necessárias 11 horas e meia(!!!!!) para a competência da CELPE apenas re-encaixá-las no lugar. A energia retornou às 12:30.

      APOSTO, que a espanhola doada por MaraJarbas, diminuiu a quantidade de equipes de prontidão.

      O vento foi forte, mas nada fora de padrão. Isso, eu afirmo de cátedra.

    • Cabe a todos os PERNAMBUCANOS não deixa acontecer denovo o que aconteceu no passado!!! JARBAS que o Governo denovo… Para tentar vender o resto que ficou é não deu TEMPO para ele VENDER… ACORDEM… ACORDEM!!! JARBAS NUNCA MAIS…

  • Se atrasar 15 dias o pagamento da celpe, o cidadão recebe pelos correios uma cartinha ameaçando SPC……
    Mas p/ se ter um serviço solicitado atendido, é uma espera eterna.

  • Sua matéria é interessante e reconheço que existem fatos que devem ser considerados, porém, sua conotação política deixa margem para interpretarmos que há interesse que foge do interesse público. Se reclamamos da Celpe o que poderíamos dizer da Compesa (que é pública)?
    Pense nisso… para quem é funcionário da UFPE e vive do serviço público merece com certeza uma reflexão. Você não acha?

    • João
      Eu disse que pior do que monopólio público APENAS monopólio privado.
      Eu sou um defensor da livre concorrência, com MUITA concorrência.

    • A Compesa não está em questão aqui, Sr. João. A Celpe é ruim mesmo e ponto final. Se a desculpa da privatização foi para melhorar a prestação de serviço, então não passou de engodo. É muito fácil lucrar com monopólio privado, né? Se o Sr. vai defender a Celpe, argumente com o serviço que ela presta e não comparando com uma empresa pública que presta serviço em outra área. Aproveite e explique porque tanta bagunça por causa de uns ventos mais fortes.

      • A celpe é privada? Mas 70% do seu capital é de propriedade da bb investimentos, um banco federal, que indica seu presidente é o presidente do Brasil!!!!

        • Pode ser. De que fonte você retirou essa informação? Enquanto o acionista que você citou quer apenas o que os outros querem, lucro crescente, quem DEFINE investimentos é o PRESIDENTE DA EMPRESA, indicado por um MINORITÁRIO ESTRANGEIRO.

          O resto é maquinação da sua cabeça, Fred.

    • correto meu colega. voçe quer ver o bixo pegar entregue ela ao governo pra voçe ver o que e uma verdadeira esculhambaçao. sou de uma prestadora da celpe e corto energia de todos.branco ,preto , rico , pobre ,politico e etcc. se fosse do governo e eu cortasse a luz de um politico eu ja estava demetido. estou errado.

  • No bairro da Jaqueira, onde trabalho, a energia caiu por volta das 13h e, depois de algumas idas e vindas (ótimas pros “eletros”), se estabilizou após as 16h. Isso sem falar nas fortes oscilações que ocorreram no fim da manha.

    No Janga, agora a pouco (quase 22h), houve uma rápida queda (alguns minutos). Sem falar nas diárias – sem exagero – oscilações de energia… estas responsáveis pelo “pfuuu” do meu Pc. Até meu estabilizador de 600W reais não aguentou e, após um pouco mais de 1 ano, me disse adeus, junto com o Pc.

    Para resolver esse tipo de problema, a Celpe não move um dedo. Já para tentar engordar ainda mais seus cofres as custas dos consumidores… *** …. até a ANEEL desconversa sobre os erros no cálculo do reajuste da tarifa cobrada, verificados pelo TCU e, anteriormente (e salvo engano) pela própria ANEEL.

    E ainda há (ex?)políticos que se orgulham dessa privatização.

  • Pierre,

    aqui em São José dos Campos – SP também temos falta de energia direto.

    A realidade é que as privatizações do PSDB nos deram a energia mais cara do mundo, mesmo o país sendo rico em energia hidrelétrica, limpa e renovável.

    Isso para não citar telefonia (fixa e celular) com preços absurdos. E a banda “larga”, da qual usufruímos apenas 10% da velocidade nominal contratada.

    Tudo isso por causa de um dogma: o de que o mercado resolve – hegemônico na era FHC.

    Você disse algo que concordo: pior do que um monopólio público é um monopólio privado.

    Mas os liberais crucificam o monopólio público e defendem o monopólio privado como se estivessem defendendo um mercado de concorrência perfeito.

    Veja aonde chegou o liberalismo (e sua versão “neo”, que de neo não tem nada). Hoje ele é o dogma!

    Experimente defender medidas que gerem concorrência em um mercado monopolizado. Os liberais te acusarão de “comunista”.

    Ora, existe coisa mais capitalista do que querer um mercado competitivo?

    A sociologia econômica está aí para nos mostrar que os mercados são uma construção social. O caso dos morangos de Sologne é exemplar.

    Antes, um mercado preguiçoso, de produtos ruins e poucos ganhos aos produtores. Depois da recriação do mercado, feita pela intervenção de pessoas, os morangos passaram a ser padrão de qualidade na França.

    Instalaram telões que davam o preço em tempo real (como numa Bolsa de Valores). Vendedores e produtores não tinham contato entre si. Assim, a informação era praticamente total. Os processos de produção foram padronizados e os produtos também.

    Aí sim. A teoria microeconômica passou a valer: mas não sem antes deixar de lado um de seus pressupostos, o de que não se deve intervir nos mercados.

    http://www.necso.ufrj.br/Trads/A%20Construcao%20Social%20de%20um%20mercado%20perfeito.htm

  • Aqui no Espinheiro, faltou luz ás 11h e volou lá pelas 16, hora em que saí de casa.

    Quando estava voltando, às 20h, minha rua continuava com energia mas ruas próximas estavam novamente no escuro.

    A média que verifico ultimamente é de, no mínimo umas 2 quedas de energia por mês.

    A CELPE vive fazendo escrotices, inclusive vem cobrando 50 reais (consumo mínimo para quem nao é de baixa renda) de uma casa de praia de nossa família que, PASMEM, sequer está ligada á rede elétrica pois a propria CELPE cortou porque atrasamos o pagamento. Como eles podem cobrar um “consumo minimo” de 100watts se nao consumimos absolutamente NADA (na propria conta tem os valores dos contadores, inalterados há meses)?

    Isso fora as ameaças de corte quando se atrasa um mísero dia. Aqui em casa, pagar CELPE era prioridade só por causa do terror que eles fazem. Decidi, por conselho de um amigo, colocar a maldita conta no débito automático. É terrível mas é a única opção segura…

    Isso fora as milhares de casos escabrosos dos quais tive conhecimento enquanto estagiei por 2 anos numa vara cível do TJPE. É bronca demais envolvendo essa CELPE e olhe que nem 10% das pessoas entram na justiça. E na imensa maioria das vezes a CELPE está errada, cometendo irregularidades a torto e a direito.

    Os casos mais comuns que observava no cotidiano forense eram de cobrança de valores estapafurdios através de “estimativa de consumo”. Funciona assim: vc, que paga sua conta sempre na faixa dos 100 a 200 reais, de repente recebe uma conta de 2000 a 3000 reais da CELPE nas quais eles alegam que estão cobrando por um período no qual vc teria supostamente feito ligações clandestinas. Como concessionaria de serviços públicos, nao pode apurar fatos unilateralmente, nem muito menos imputar ao consumidor a prática de furto de energia sem que haja um procedimento administrativo formal e sem contraditório. Eles cobram os 3000, o consumidor logicamente nao paga e eles cortam sua energia. Blz hein?

    • Danilo
      Já que tu foste estagiário do TJPE, chega-se a ler a Resolução 456 da ANEEL na época?
      Antes de falar besteria, dá uma lidinha.

      • Valeu João , que pena que esse Danilo só serviu pra ser estagiário, pois aprendeu bem a ler e a decorar despachos de juizes e administradores de varas cíveis, acho que se o mesmo conseguisse um lugar no mercado e entendesse que as legislações do setor elétrico existem , o mesmo teria um posicionamento diferente.

  • Onde moro a energia só chegou agora, há 10 minutos atrás (01:31)h. Desde da tarde que estamos sem energia e a Celpe não dava previsão de retorno. O prejuízo dos alimentos na geladeira ninguém paga. A Celpe é o pior órgão que herdamos de Jarbas. Uma tristeza! Haja incompetência!

    • Desculpem errei o horário, pois meu PC está com o horário de verão. O correto seria 00:31h.

  • Moro no Cordeiro e fiquei sem energia das 13:30h até 21:00h. Oito horas! e o 0800 da celpe também deu apagão!

  • Vocês estão reclamando de barriga cheia.Pior é em algumas cidades do interior,Sertânia por ex.O serviço de Prontidão Celpe mais próximo fica em Ibimirim(vai entender).Dependendo do horário que falte energia, devido a distância, eles só chegam no outro dia, não para consertar, mas para verificar o que aconteceu.Se a ocorrência for simples é resolvido, caso contrário, chamam reforço de IBIMIRIM.Resumindo: Já passei 36 horas sem energia,devido a um poste derrubado por caminhão.Com privatização, o posto da Celpe em Sertânia foi fechado e não consigo entender o motivo de dependermos de IBIMIRIM, pois Arcoverde fica mais próximo.

  • Não tem explicação para a Celpe. Talvez em Mandarim. Todo mês a conta chega, salgada. Quando não chega, como no mês de dezembro, dobrada. Aí o calvário torna-se insuportável. Como quebrar um monopólio desses? A gente quebra antes, na fila de espera dos Procon da vida. Ninguém merece.

  • O monopólio da Celpe é tão grande, que ela tem a ajuda da Policia Militar para efetuar cortes de energia.

    Já fui vitima da PM, mesmo estado coberto de razão, o que foi constado pela própria Celpe.

    Um simples funcionário tercerizado da empresa, tem poder de chamar a polícia para realizar um corte de energia. E ela prontamente atende, como se tivesse ocorrido uma trangressão por parte do consumidor.

    Sou favorável que a Celpe use a policia, no caso de roubo por meio de “macacos”, mais coagir cidadões para efetuar cortes
    mostra o poder que esta empresa detem perante ao Estado.

    Isto prrecisa ser revisto pelo o Governo.

  • Pierre,
    Como você bem disse, foi um vento.
    O curioso é ver o que foi publicado sobre o “vendaval”, que o JC disse que foi de 51 Km/H e o Diário disse que foi de 86 Km/H.
    Como foi feita essa aferição? (rs)

    • Pasmem!

      “Galho atingiu subestação da Celpe”
      http://acertodecontas.blog.br/clipagem/galho-atingiu-subestacao-da-celpe/

      Acredite se quiser!
      “Consumidor que se sentir lesado pode ir à Justiça”
      http://acertodecontas.blog.br/clipagem/consumidor-que-se-sentir-lesado-pode-ir-a-justica/

    • Fácil de matar essa.

      Basta o anemômetro estar posicionado em um local com vento canalizado que dispara a 86 km/h – Garanto que não chegou a isso. Os estragos seriam grandes.

      A outra alternativa é o anemômetro estar posicionado atrás de um corpo qualquer, para a medição cair muito.

      Me lembra uma vez que íamos de carro para correr a nossa regata a vela regulamentar, em Maria Farinha e perguntamos a um amigo que estava com uma melhor visão dos coqueiros, do mar:

      -Como está o vento???
      E ele, botando a mão para fora do carro a uns 80 Km/h…

      - Tá é forte!!!!!

      • Acerto de Contas é cultura.

        Não lembrava do nome do instrumento que mede a velocidade do vento.

  • A coisa toda não se deve ao monopólio. Na telefonia existe a maravilha da concorrência e os serviços são péssimos.

    A distribuição de energia elétrica residencial obedece, em todos os lugares, a esse modelo de único prestador. Você não escolhe quem vai contratar para lhe vender energia em casa.

    O problema é a falta do regulador. Esses concessionários estão fazendo o mesmo caminho de sempre.

    Não investem e distribuem bônus e lucros. Ou seja, drenam dinheiro daqui e mandam para os acionistas controladores.

    Não falta concorrência, falta o estado deixar de subornar-se por essas corporações.

    • O dinheiro do lucro da celpe vai para os acionistas, o maior é o governo federal, que manipula o bb investimentos!!!

      • O acionista é o banco do brasil ou a previ?

        • Acho que ele queria que fosse o Itaú ou outro banco privado, ou mesmo outro grupo estrangeiro…

    • Andrei,

      Eu nunca entendi como é que funciona exatamente nos EUA, mas lá há mais de uma empresa fornecedora de energia. Eu sei que você pode escolher por qual empresa será servido, mas a rede é única – é isso que eu nunca entendi – e os preços sao diferenciados, de acordo com a empresa que você escolha.

      • Se a rede de distribuição é única, as empresas que a alugam devem vender planos diferentes.

        Pacotes de kw/hora/mês, com diferentes valores para o excesso da franquia e para o excesso de consumo nos horários de pico.

        Mas, no fundo, é como se fosse uma só empresa, por conta da rede. No industrial a concorrência efetiva na ligação é viável.

        Na França, em Portugal e na Espanha, por exemplo, não há mais que uma prestadora por área. Elas vendem vários pacotes diferentes.

        Não me lembro de uma única queda de energia, em um ano, em Portugal. E era muito barata, toda ela vendida pela EDP, em faixas de franquias de potencia disponibilizada.

        Um sistema pré-pago, na verdade.

  • Pierre, é normal aqui nas imediaçoes da JAQUEIRA faltar energia.No penúltimo jogo do esporte faltou lá pela meia noite e só voltou umas 2 horas da manhã.Semana passada faltou dois dias durante a tarde.E ontem faltou aproximadamente lá pela 13:30h e só voltou às 17:00 horas(+-).
    Ninguém consegue falar com o 0800, é quase um milagre que ainda não fui contemplada.
    Quanto a conta de energia, essa continua a subir mÊs a mês embora você desligue tudo.Devemos cobrar da Celpe o desconto das horas que ficamos sem energia na conta.Pois, se ela não está fornecendo nada, nada pode cobrar.

  • “Empresário só respeita concorrência.”
    Nem a concorrência eles respeitam, basta pesquisar sobre casos de funcionários de uma companhia telefônica arrancando os cabos da outra, e coisas iguais ou piores…

  • “Pior que o monopólio público só o privado”?????

    O monopólio público se presta a ser cabide de empregos dos que estão no poder, além de ser uma fábrica de obras superfaturadas. Além disso, presta um serviço pior. A Compesa, semana sim, semana não, deixa centenas de milhares de pessoas sem água (semana passada, foram 250 mil). E a água é bem ainda mais essencial do que a energia.

    • Concordo em parte no que se refere a água. Vá dizer isso a quem está numa UTI respirando por aparelhos… Não tem gerador ou subestação que aguente.

      • Mas, um hospital deveria ter gerador.

        Mesmo que uma distribuidora de energia seja perfeita, podem ocorrer problemas de transmissão (como o blecaute da semana passada no Nordeste) ou de geração (como o de Itaipu, que afetou o Sudeste, ano passado).

  • Pierre ótimo que você seja defensor da livre concorrência. Eu também!! Independente do nível de conhecimento do setor elétrico que cada um tenha, e fácil saber que estamos anos luz da possibilidade de haver ou não concorrência na distribuição de energia. Isso é fato!

    No seu blog foi postado o link para acesso ao relatório da CPI conduzida pelo Deputado Federal Eduardo da Fonte, será que essas pessoas que fazem comentários leram? Se sim, vão entender que esse assunto é tratado como mote político e não de utilidade pública. Sem polemizar, não é essa minha intenção. Será que estamos sendo coerentes quando comparamos a Celpe-pública da Celpe-privada? Os serviços pioraram? Sinceramente como consumidor posso até questionar o valor da tarifa, e por isso faço questão que minha família tenha bom senso no consumo. Mas sem dúvida alguma na minha opinião melhorou.

    Quando mencionei a Compesa (que tem índice de perda de 60%), foi motivado pelo desserviço que essa empresa pública presta, diferentemente da Celpe que atende todos os municípios do estado. Ou existe algum lugar onde não tenha luz elétrica? Nem a capital tem saneamento básico (água e esgoto) o que dirá o interior.

    Concluindo, quais serviços públicos podemos endossar hoje em dia: saúde, segurança, educação… qual?

    Sou a favor sim das privatizações, pago impostos e não tenho os serviços básicos que deveríamos ter acesso.

  • Uma ventania fajuta deixar um monte de localidade sem energia só demonstra a fragilidade do sistema

    E olha que eu já presenciei muita tempestade forte em São Paulo, onde o sisteman tb não é uma maravilha, mas não chegava a derrubar a rede de energia.

    Eu trabalho no Recife Antigo, e a estrutura de energia aqui é totalmente instável, com quedas de tensão e falta de energia vez por outra.

  • Acredito que estes fatos acontecem, seja por:
    1) Falta de interesses ou incompetencias dos técnicos que fazem os reparos nos caibos de trasmissões da rede.
    2) Ser curto os prazos de manuntenções em toda a rede dos sistemas de transmissões, devido alto custo de mão de obra.
    3)Desinteresse dos próprios executivos da Celpe, de não querer aperfeiçoar os serviços prestados aos seus clientes, ficando só mamando nas tetas dos seus altos salários.
    Finalmente, acrescento também o comentário acima do Andrei Barros.

  • Gostaria que toda empresa publica tivesse metade da competencia que a CELPE, TELEMAR etc tem. Veja como esta o fornecimento de agua, a COMPESA so faz falar e fazer propaganda, e nada de acabar com o racionamento. Hoje basta ir ao shoping para ja sair com uma linha telefonica habilitada, sera que a TELPE estatal teria esta competencia. Meio tendencioso seus comentarios sobre a CELPE.

    • Bruno
      Você conseguiu em um comentário tecer elogio aos dois primeiros colocados do Prêmio Nelsinho Piquet: Oi e Celpe

      • Amigo pelo visto, para voce a COMPESA é um exemplo de prestadora de serviço publico. Me pergunto porque voce não defende os consumidores da COMPESA, que alem de pagarem caro, ainda sofrem com o racionamento d agua…….. E os hospitais e seurança publica, são eficientes no seu ponto de vista???? Acompanho seu blog e vejo seu grande interesse pelas empresas que foram privatizadas, e que antes (quando publicas) prestavam um pessimo serviço, e serviam de cabide de emprego à politicos. Lembro da dificuldade para conseguir uma linha telefonica. Sou a favor da privatização. Caso a compesa ja tivesse sido privatizada não sofreriamos com esta falta d agua que tanto prejudica a camada mais pobre da população de nosso estado.

        • Você estaria é tomando banho de cuia, meu amigo, e comprando água em garrafão para beber. Se mora em prédio ou sua casa é servida por poço artesiano, pare de criticar com esta tendenciosidade!

          Na Bolívia, que já teve o sistema de abastecimento de água privatizado, houve praticamente uma GUERRA CIVIL por causa da intransigência das empresas (eu diria FRESCURA, CHILIQUE mesmo) em aumentar os investimentos para abastecer a população pobre. Resultado, o sistema foi novamente posto sob controle público e a coisa normalizou por lá. As empresas? Estas foram expulsas daquele país durante a revolta.

          Em países africanos, há uma coisa interessante acontecendo – vi documentário criticando a posição de uma empresa francesa contra a população mais pobre, que é OBRIGADA a quebrar o encanamento para não morrer de sede – simplesmente por não poder arcar com 1,20 EURO POR DIA para comprar UMA FICHA de liberação de uma cota irrisória de água.

          Esses são exemplos em países mais pobres e desiguais que o nosso.

          Concordo que a Compesa não é lá o melhor exemplo de eficiência no serviço público, mas defendo a estrita reforma pela adesão dela aos princípios defendidos na lei de servidores públicos.

          E você vem falar em privatização? Acorda, cara, não estamos sob o “luminar” THC, não!

  • Andrei,

    Todo o esforço no sentido de regular o monopólio, seja ele público ou privado, reduz a eficiência da sociedade como um todo.

    A diferença é que a regulação de um monopólio público pode ser feita por órgãos de controle, enquanto a regulação de um monopólio privado depende de legislação específica. Como neste último caso atingimos a sociedade como um todo, a perca de eficiência é ainda maior.

  • Bruno,

    Seria possível esclarecer que perda de eficiência é essa a que você se refere? Seria da própria regulação?

    • Eficiência no sentido de a sociedade como um todo ter de dispender mais esforço (energia, dinheiro, etc.) para ter um serviço satisfatório. Quando há concorrência, os próprios provedores do serviço se organizam para maximizar a eficiência. Essa é realmente a situação ideal.

      Quando há oligopólio ou monopólio, não há incentivo, e a eficiência é reduzida. Qualquer esforço para se a aumentar é feito externamente, e esse não é o caso ideal.

      O problema é que, por vários motivos, há setores propensos ao monopólio (produção e distribuição de energia e serviços básicos são exemplos), e, pelos motivos que apresentei acima, é mais eficiente para a sociedade como um todo regular este monopólio quando ele é público.

      Exemplos básico é o custo da saúde. Quando comparamos o modelo americano com o europeu, vemos que os americanos pagam uma percentagem maior do seu PIB per capita por um serviço em média pior que os europeus. A cantilena americana de livre empresa não se aplica pois o resultado da ineficiência não é o monopólio ou oligopólio, mas sim os próprios mecanismos legais de controle (seguros dos médicos contra ações legais, por exemplo).

      • Compreendi e concordo.

      • Só discordo quanto à organização dos provedores para maximizar a eficiência.

        Pelas características atuais inerentes a um mercado de escala, principalmente em provimento de serviços públicos essenciais (água, energia, telefonia, etc.) eficiência maior significa enxugar com mais força custos de pessoal e material, usando ao máximo e muitas vezes extrapolando limites de segurança de equipamentos e condições físico/psicológicas de funcionários, para manter o serviço dentro de padrões considerados “aceitáveis”. Ocorre que, na hora em que o serviço tiver um pico de utilização por qualquer motivo, haverá uma hecatombe na estrutura, e a qualidade vai à lona – exemplos disso foram a Enron na energia americana (à parte o escândalo contábil), o “apagão” da Telefônica em São Paulo e as constantes quedas de serviço na banda larga em geral, Brasil afora, só pra ficar em exemplos de outras áreas.

        Outra coisa é o fato de essas empresas utilizarem em sua estrutura de investimentos muito capital terceirizado via bolsa de valores, e o fato de poderem adquirir concorrentes usando até o expediente da oferta hostil – aqui, a tendência é tornar o mercado mono ou oligopolizado, e a ânsia de agradar a investidores já muito ricos leva a decisões de investimento temerárias para a manutenção e expansão do serviço a longo prazo, para aumentar a qualidade da “vitrine”.

        No mais, concordo que o poder público passa a ter mais uma incumbência e custos adicionais para vigiar e manter o fornecimento de serviços que, de outra forma, já tinham estrutura de controle à disposição.

  • De vez em quando vejo e leio filhotes do Diogo mainardi dizendo que as privatizações (ou doações, como eu entendo) são uma bênção aos consumidores; Ledo engano, Nunca tão poucos lucraram tanto e empregaram tão poucos. Mas se FHC e seus asseclas dizem e alguns bobos da corte acreditam, paciência, cada um se manipula ou deixa ser manipulado por quem quizer.

  • Caríssimos colegas (em especial Socorro),
    Somos vítimas dos altíssimos custos de energia e do desrespeito da CELPE com todo o povo Pernambucano. Não é possível que alguns colegas consumidores não tenham feito a comparação do preço da energia elétrica antes da privatização e o preço pago nos meses seguintes. Estes custos tornam a vida mais cara e mais difícil.
    Devemos lutar juntos para que empresas públicas ou privadas respeitem os clientes e ofereçam um trabalho eficiente e de qualidade por preço justo.
    Criticar e exigir bons resultados são função de todos e este blog esta contribuindo de forma espetacular para este objetivo.
    Parabéns!

    • Eu fiz a comparação.

      Antes da doação de MaraJarbas aos conquistadores espanhóis, meu gasto com energia ficava em torno de R$ 120,00.

      Após a “modernização”, a minha média passou a R$ 270,00. Isso SEM AUMENTAR O CONSUMO!!!!!!

      Fiz uma planilha para acompanhar o consumo diário, tanto da parte da noite, como da parte do dia.

      • poxa , tadinho deste colega Mello, desde o ano 2000 que ele não adquiri nenhum equipamento novo, acho que as lampâdas utilizada por Mello ainda são incandescente, este o motivo de sua conta ter aumentado tanto….
        Vamos acordar e também acompanhar o tempo.

        acho que estes fóruns são altamentes contributivos com nosso questionamentos pessoais, sabe porque? porque sempre falamos da celpe , mas é péssimo pagarmos uma conta de água por duas vezes, pois valor de m3 de água é replicado a taxa de esgoto, e isto para termos água de três em três dias, acho que se privatizassem a compesa , consequentemente, acho que sua caixa d’agua já deveria ter sido vendida a muito tempo, exemplificando com seu exemplo , se fosse no ano 2000, de lá pra cá sua caixa d’água estaria aposentada , ai sim acreditaria em você

        abraços!!

  • Pierre
    Quando não se tem do que falar, vamos falar mal da CELPE, não é mesmo!; é o famoso “joga a pedra na Geni…”.
    Diga-me com sinceridade, quantas horas no ano faltou energia na sua casa ou no seu escritório?, exclua dessa conta o período que porventura houve o corte de energia por falta de pagamento.
    Agora compare com qualquer outro serviço público.
    Os professores da UFPE quando fazem greve com certeza demoram muito mais tempo, não vamos falar da Compesa que aí já é covardia.
    A “brisasinha” que houve na 5ª feira derrubou árvores, postes, telhados, outdoors, entre outros. Se o vento fosse mais forte tinha prédio velho caindo também.
    Como é que se pode falar em falta de manutenção!

    • mandou bem colega .

  • Quanto a questão da concorrência, quem não entende de energia elétrica se mete a falar besteira, como é que ia ser a concorrência para transmitir energia?
    Ia ser um verdadeiro paliteiro, uma rede de cada empresa, imagino que a tarifa ia ser ótima também.

    • Realmente,

      Aqui, escrevemos muitas besteiras.

      Mas “paliteiro” não define bem. Na verdade, isso é coisa muito velha.
      Postes são estruturas inexistentes nas novas modalidades de transmissão elétrica.

      Realmente, os servidores públicos demoram em suas greves… é que o empregador queria acabar com a universidade.

      Mas lembrando… todo mundo fala mal da UFPE, poucos tem capacidade de entrar para buscar o diploma mais valorizado do mercado.

      • …Com greve e tudo mais!!!

      • Diz aí sabidão formado na UFPE, qual é nova modalidade de transmissão de energia elétrica?
        Quer seja em postes ou imbutidos sempre tem de haver duplicidade de fios caso queira transmití-la por duas empresas diferentes de energia.

        • Nós, da UFPE, já temos conhecimento da transmissão por micro-ondas. Mas essa é velha. Coisas que só quem promove P & D sabe.

          Os “E”mbutidos são a alternativa mais barata para o atual momento.

          Assim, se elimina o “paliteiro”.

        • Mello

          Nem aqui nem em lugar nenhum no mundo as redes “e”mbutidas (corrigindo) são mais baratas, conta-se nos dedos no Brasil os lugares onde tem-se esse tipo de rede, e pode ter certeza é bem mais caro.

          A ANEEL faz regularmente leilões de linhas de transmissão, dê uma verificada se há alguma linha
          embutida que você acredita ser a solução mais barata.

          De toda forma a questão é que se criássemos uma nova rede de energia (qualquer que fosse) onde já existe outra, esse arranjo torna-se inviável economicamente.

          Quanto você parar de promover P&D e sair de sua ilha da fantasia vai saber que existem outros conhecimentos (principalmente econômicos) afora estes que tens aprendido na academia.

        • Então explica aí pra gente, sabidão formado em universidade PRIVADA, como é que os americanos e europeus formataram o sistema pra transmissão e tarifação de energia, telefone, água e gás!

          Pelo que sei, alguém inventou os sistemas embutidos para tirar a “feiúra” de cabos e encanamentos aparentes da aparência cotidiana das ruas. Você já viu cabo elétrico pendurado em postes dos EUA ou Europa?

        • Uma das intenções de se embutir as linhas de transmissão de energia, comunicações (nosso caso), é que dessa forma não permite a espionagem via satélite, no caso das comunicações, que monitoram conversas e transmissão de dados. Os cabos expostos também funcionam como uma antena transmitindo.

          Já na área de transmissão, a OTAN cortou a energia elétrica durante a guerra na Bósnia, lançando uma bomba que espalhava filamentos de carbono que promoviam curto-circuitos e blackouts na área, tirando muita capacidade de defesa e sem precisar destruir algo vital como uma hidrelétrica.

          Essas tecnologias e alternativas saem das ilhas de P&D. As empresas privadas é que fazem a adaptação econômico-comercial delas.

        • Jota

          Não só sabidão de universidade privada, nem tampouco me gabo de onde me graduei, mas vamos deixar essa questão de lado.

          Para lhe esclarecer, uma coisa é comercializar energia, gás, àgua, etc, onde você pode comprar de qualquer fornecedor, outra coisa é a transmissão, essa necessariamente é feita por caminhos individuais.

          A comercialização multipla é possível pois há tecnologia de medidores e comunicação que promove isso.

          No Brasil isso já existe no suprimento de energia, a CHESF, por exemplo, tem suas usinas concentradas no Nordeste mas vende energia para todo o Brasil sem ter um km de linha de transmissão fora da região.

          Outra coisa para sua informação, lá na europa e nos EUA também possuem postes no meio da rua, só que nas ruas onde turista não vai…, é que nos postais que a gente recebe só aparece a Torre de Pisa, Torre Eiffel, o Coliseum, etc.

          Na Av. Paulista (SP) e na região de Copacabana (RJ) também não tem postes, concordo é uma “feiúra”.

          As redes anteriormente existentes são substituídas por redes subterrâneas, mas não se deixam as duas estruturas.

          Há um projeto para ser feito no marco zero, com financiamento oficial onde a CHESF, PCR e outras entidades
          vão pagar.

  • Muito cômico alguns comentários… vou rir o resto do dia hahahahahahahahahaha

    Vamos estatizar a CELPE e ouviremos do governo a mesma frase de Hugo Chaves que pediu para população venezuelana não leve mais que três minutos no banho. Isso se tiver água, pois como vai indo a Compesa somente as empresas que vendem caminhão pipa não terão crise nunca.

    • Muito triste é perceber a falta de memória e desconhecimento desse pessoal que repete como papagaio o discurso dos outros.

      A CELPE não produz energia, apenas distribui.

      A produção para nós, aqui no no NE, é de responsabilidade da CHESF.

      O APAGÃO de FHC foi ocasionado por incompetência, ou má-fé dos que queriam privatizar o fornecimento de energia. A população se esforçou e economizou com as campanhas(Talvez você seja novo para lembrar), trocou lâmpadas e diminuiu o consumo e aprendeu a reduzir o consumo, melhorando a própria renda.

      Quem não fizesse a redução do consumo, seria penalizado com multas e outras sanções por ser impatriótico. Cobraram até do templo Mórmon do Parnamirim, que iluminava a noite inteira a estátua no seu pináculo.

      Qual foi o prêmio para todo esse esforço?!?!?!?
      O aumento de tarifas para compensar a perda com a arrecadação.

      Quem é pior?? Um Chávez que briga para reduzir o consumo, ou um FHC que ameaçou e que depois de tudo, aumentou a tarifa????

      • Ah, sim!!!

        O aumento também era para as empresas geradoras amentarem a capacidade de geração…

        Só depois que entrou no Governo Federal, a Secretária de Minas e Energia do RGS para ser a Ministra da pasta, é que se afastou o perigo do apagão, sem precisar construir hidrelétricas, nem aumentar tarifas.

        O nome da Secretária??!?!? Dilma Vana Rouseff.

        Mas vergonhoso mesmo, foi no (des)governo de FHC, o ministro de minas e energia virar boneco de ventríloquo do Secretário Pedro Parente.

        Sabe o nome do ministro?!?!?
        José Jorge, senador por PERNAMBUCO – DA MESMA RAMA POLÍTICA DE MARCO ZERO – CUPINCHA DE MARAJARBAS E NÉSCIO GUERRA na bancada que deu a Fgagácê a reeleição.

        • Grande defensor petista… faz me rir, o dia hoje foi de muita alegria. Já sei, sua cor preferida é o vermelho. Não é?

          Precisa conhecer melhor o sistema elétrico meu caro. A Chesf (empresa pública) que de eficiente não tem nada e caso fosse privatizada seria outro exemplo como a Vale do Rio Doce (você sabia que era empresa pública?), não é responsável pela energia do nordeste, hoje o sistema é integrado e toda energia distribuída deve ser adquirida em leilões. O apagão aconteceu por questões climáticas da época e para não correr esse risco o governo do PT fez vários leilões de geração, aumentou a oferta. Você sabia? Procure-se informar… a democratização (gosta dessa palavra?) da informação permitirá que você conheça mais sobre esse assunto. Daqui a pouco o PT vai criar os “sem luz”!!

        • Lá vem outro papagaio
          macaqueando Mainardi e Tio Rei.

          Para sua imensa decepção, não sou petista. Não pertenço a nenhum partido…

          Questões climáticas… você está muito bem adestrado!!! Repete de cor a estória!!!!

          Nem os criadores dela, tem coragem de repetí-la.

        • Mello quando Pierre escreveu a matéria ele tinha razão… foi apenas um vento ou talvez um sopro:

          As informações abaixo fazem parte da reportagem de Juliana Colares com o título: Ventos também trouxeram prejuízos (Diário de Pernambuco, Vida Urbana, 20 de fevereiro de 2010)

          Velocidade dos ventos na última quinta-feira (entre 13h e 14h)
          Recife 86 Km/h

          Velocidade dos ventos ontem (9h)
          Recife 31 Km/h

          Média da velocidade do vento no Recife
          Janeiro 11,1 Km/h
          Fevereiro 10,4 Km/h
          Março 8,6 Km/h
          Abril 8,2 Km/h
          Maio 8,2 Km/h
          Junho 9,3 Km/h
          Julho 10,4 Km/h
          Agosto 12,2 Km/h
          Setembro 11,8 Km/h
          Outubro 11,5 Km/h
          Novembro 11,8 Km/h
          Dezembro 11,5 Km/h

          Fonte Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet)

          Mello sugiro que faça análise, seu problema é psíquico. Talvez nem Freud explicaria sua rejeição a evolução, seus pensamentos ultrapassados deveriam pelo menos estar em sintonia com os fatos. Procure ler ou solicitar ajuda para entender o nosso setor energético se é esse o seu interesse, ao invés de criticar o que não conhece falando bobagens.

          Não vou perder mais meu tempo tentando ajudá-lo, pois não sou psicólogo e tão pouco funcionário público, tenho muito mais o que fazer. Vá se tratar que seu problema é sério!

          Vamos para outro tópico, esse já era!

        • João Batista, macaco de Mainardi e Tio Rei…

          Eu até responderia seu post… mas você misturou grandezas… velocidade média com velocidades máximas. Seu argumento perdeu força nesse ponto… tsc tsc tsc

          Coisa de quem faltou aulas de estatística. Além do mais, seu conhecimento sobre ventos não deve passar do ventilador…

  • quero fazer a escrisão pelo conputador mas nao consigo como fasò

  • ESSA CELPE MATA A POPULÇÃO COM CONTA ABUSIVAS, EU MESMO PAGAVA 150 REAIS POR MES E AGORA VEM CONTA ATÉ DE 324 REAIS COM CONSUMOS ASTRONOMICOS PORQUE OS BANDIDOS QUE FAZEM AS LEITURAS MUITAS VEZES FAZEM NO CHUTE OU PELA MEDIA . VC RECLAMA E NADA ENTÃO O NEGOCIO É IR A JUSTIÇA MESMO .

    ROUBO DISCARADO MESMO !!!

    VAMOS VER COMO ATUAR CONTRA ESSA MAFIA DA ENERGIA QUE ROUBA A POPULAÇÃO DE FORMA DISCARADA.

  • A celpe como tambem a compesa nao investem em recife porqus um real de cada cliente que eles cobram a mais por mes significa no caixa da empresa de tres a quatro milhoes de reais dependendo do numero de clientes que a empresa tiver desse jeito e muito bom ganhar sem precisar investir, eu estou falando de um realzinho, imaginem a compesa, com ou sem agua ela manda a conta, deveria cobrar se o hidrometro marcasse os metros cubicos consumidos, na guabiraba ate a escola municipal alto da guabiraba na rua tr presidente costa e silva tem que comprar agua, quer dizer a prefeitura paga o que o governo tem obrigacao de mandar porque o prefeito nao cobra do governados? Falei!!

    ,,

  • Estamos tentando emissão das faturas da celpe pelo site, não conseguimos, solicita que vá até a celpe e atualize o cadastro.Estive por duas vezes na celpe e mandaram eu retornar alguns dias depois.Voltando lá após alguns dias os funcionários não sabiam informar se o cadastro estava atualizado, e nem tinham qualquer documento que me provasse isso.Então me disseram de boca que estava tudo ok.Estou tentando a emissão das faturas e continua me informando que o cadastro está desatualizado.

    Posto de serviços Celpe na Av. Engenheiro Domingos Ferreira, 11 – Boa Viagem.

    Por nos ajude!!!

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

outubro 2018
S T Q Q S S D
« mai    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).