Faculdade de Direito do Recife é a quinta que mais aprova na OAB no Brasil

mar 7, 2008 by     71 Comentários    Postado em: Economia

fdr

A Andifes divulgou os dados sobre os cursos superiores em Direito que mais aprovam no exame da OAB.

Dentre as 33 que aprovam mais de 60% no Exame da OAB, apenas a Faculdade de Direto do Recife-UFPE representa Pernambuco.

Dos alunos da UFPE que fizeram o Exame, 87,21% foram aprovados. A Universidade Estadual de Feira de Santana ficou em primeiro lugar, com 91,67% de aprovação, seguido da Universidade Federal da Bahia.

O que chama a atanção é qua várias unidades da Bahia estão na lista dos que mais aprovaram.

Mas em Pernambuco a distância entre a UFPE e as demais é gritante. Nenhuma outra aparece na lista. Não é de surpreender a notícia de que muitos escritórios têm em seus quadros moto-advogados (ver aqui).

As 33 faculdades que mais aprovaram são:

Universidade Estadual de Feira de Santana (BA)                     91,67% 
Universidade Federal da Bahia (BA)                                         88,70%
Universidade Federal do Espírito Santo (ES)                            88,64%
Universidade de Brasília (DF)                                                    87,27% 
Universidade Federal de Pernambuco (PE)                           87,21% 
Universidade Federal do Paraná (PR)                                        84,96% 
Universidade Salvador (BA)                                                       82,52%
Faculdades Integradas de Vitória (ES)                                      80,42%
Universidade Federal de Alagoas (AL)                                       79,41%
Universidade Federal da Paraíba (PB)                                       78,72% 
Universidade Federal de Sergipe (SE)                                       75,00%
Universidade Federal de Santa Catarina (SC)                           74,36%
Universidade Federal de Goiás (GO)                                         72,94%
Faculdade Ruy Barbosa de Administração e de Direito (BA)       72,37% 
Universidade Estadual de Londrina (PR)                                   72,00% 
Universidade Federal do Rio de Janeiro (RJ)                              71,05% 
Universidade Federal do Piauí (PI)                                            70,37% 
Universidade Estadual de Maringá (PR)                                     69,85% 
Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (BA)                    69,23% 
Universidade Federal de Mato Grosso (MT)                                68,75% 
Universidade Federal do Rio Grande do Norte (RN)                    68,18% 
Universidade Federal do Ceará (CE)                                          67,44% 
Universidade Regional do Cariri (CE)                                          67,14% 
Universidade Estadual de Ponta Grossa (PR)                             66,67% 
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (MS)                     64,86% 
Fundação Universidade Federal da Grande Dourados (MS)         64,00%
Inst. de Ciências Jurídicas e Sociais Professor Camillo Filho PI)  63,64% 
Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (RJ)               62,50% 
Faculdade Sete de Setembro (CE)                                              62,50% 
Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (RN)                61,36% 
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (RJ)              60,71% 
Universidade Católica de Salvador (BA)                                      60,16% 
Faculdade Estadual de Direito do Norte Pioneiro (PR)                60,00%

71 Comentários + Add Comentário

  • É uma excelente faculdade, meu pai se formou Bacharel por ela. Vale lembrar que a UFPE é a ÚNICA em Pernambuco recomendada pela OAB.

    Sobre o assunto do garoto de 8 anos que foi aprovado no vestibular de Direito em uma faculdade caça-níqueis de Goiás, segue transcrição do caso feita pelo presidente nacional da OAB:

    - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - –

    Brasília, 06/03/2008 – O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Cezar Britto, apoiou hoje (06) a abertura de investigação determinada pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, sobre o vestibular de Direito da Universidade Paulista (Unip) de Goiânia, no qual foi aprovado o menino João Victor Portelinha de Oliveira, de 8 anos, que cursa a quinta série do primeiro grau. Para Britto, esse fato esdrúxulo só comprova a mercantilização do ensino jurídico no País, “onde as faculdades particulares proliferam e se transformam em autênticos caça-níqueis, sendo as grandes responsáveis pela má qualidade do ensino e, conseqüentemente, por elevados índices de reprovação no Exame de Ordem”. Ele observou que pesquisas recentes da OAB Nacional demonstram que tal não tem ocorrido com as universidades públicas, onde os índices de aprovação dos bacharéis no Exame são relativamente elevados.

    O presidente nacional da OAB citou, como exemplos, os índices de aprovação no Exame de Ordem da primeira fase da última etapa de 2007, segundo os quais enquanto a Unip de Goiânia – que aprovou Portelinha no vestibular de Direito – mostrou índices sofríveis de aprovação no Exame da Ordem, a Universidade Federal de Goiás (UFG) ostentou um alto grau de aproveitamento.

    Conforme os dados do Conselho Federal da OAB, a Unip de Goiânia inscreveu para essa etapa 124 bacharéis em direito, dos quais apenas 25 passaram na prova, o que representa uma taxa de apenas 20,16% de aprovação. Por seu turno, a UFG teve inscritos 84 candidatos no Exame de Ordem, dos quais 62 foram aprovados, o que significa um índice de aprovação de 72,94%.

    Para Cezar Britto, esse confronto de índices de aprovação no Exame de Ordem – entre a Unip e a Universidade Federal de Goiás – deixa claro que o problema da qualidade do ensino jurídico está no setor privado. “O ensino jurídico precisa deixar de ser uma fábrica de mercantilização de sonhos, frustrando os sonhos de ascensão social”, sustentou o presidente nacional da OAB, para quem a busca da melhoria da qualidade, no ensino jurídico com na educação em geral, é hoje um lema da cidadania brasileira. Ele destacou, ainda, que a OAB e MEC vêm procurando dar sua contribuição para reverter esse quadro, estabelecendo uma parceria na tentativa de elevar a qualificação do ensino jurídico.

    “É preciso dar um basta à mercantilização do ensino, fator que se tornou extremamente grave no Brasil”, indignou-se Britto. “O que se observa é que hoje existem no Brasil mais de 3 milhões de vagas em cursos de Direito, enquanto o mundo inteiro tem aproximadamente 2,1 milhões de advogados – o que é uma desproporção absurda, fruto da proliferação dos cursos sem compromisso com a qualidade e preocupados sobretudo com seu robusto porta-níqueis”.

    • O Brasil é no mínimo um Pais curioso.
      Após vários anos de elastério permissivo, acorda para a realidade nacional da vergonha dos índices de aprovação da OAB, bem como a própria Formação do graduando em ciências jurídicas, num total descompasso com a realidade.
      Mas, o que imposta é o “capital”, quantos não estão ficando milionários com amercantilização do Curso de Direito!…
      Aqui em Pernambuco, cada Escola Privada, de porte razoável, tem um Curso de Direito sendo ministrado à noite.
      Após tais medidas desarrrazoadas, acorda o País para a realidade da péssima qualidade de ensino, bem como do total descontrole, Universidades que ficaram 05 (cinco) anos funcionando sem o reconhecimento do órgão competente. Mas, o que imposta !!… Depois, com um “lobby” conseguem o que almejam e, vira uma enorme “Pizza” de preferência de marmelada.

      Valmy R. C. de Santana – Bel em Direito UFPE – Pós-graduado em Direito Administrativo pela UFPE.

  • Lista curiosa: onde está a USP e sua faculdade de Direito do Largo de São Francisco? Por que a maioria das instituições está no Nordeste, contrastando com o fato de que os centros de excelência de ensino e pesquisa estão na Região Sudeste?

  • É uma mentira, da OAB, esses dados são vivciados, pois desafio, os concelheiros, presidentes de seccionais e até mesmo o presidente da OAB no Brasil a fazerem o exame de ordem, eles com certeza não vã passar. HIPÓCRITAS, MENTIROSOS. OAB que pena.

    • CONSELHEIROS.

  • Presidente nacional da OAB, és mentiroso, OAB facista, o procurador geral de são Paulo tem razão

  • Vamos pessoal, abolir esse exame de ordem, uma reserva de mercado absurda, canalhas da OAB, uma dia da caça, outro dia da OAB.

  • Caro Amancio,

    como você escreve conCelheiros (sic), suponho que você também não tenha passado!

  • Pessoal, o exame da ordem de São Paulo é diferente do daqui, o estado não participa do exame unificado.. é por isso que estão faltando as estatísticas da USP.

  • Com todos os defeitos da Faculdade de Direito, e nós de dentro sabemos que não são poucos, o aluno da FDR fez jus aos 180 anos da instituição, mostrando que o nome se constrói não só de tradição mas, também, da renovação. Parabéns pros FDRanos.

  • No dia que o Amâncio for aluno da UFPE, com seu vasto vocabulário e gramática impecável, ái sim a faculdade vai estar em maus lençóis.
    E ainda falam em reserva de mercado, pode ?….

  • Vamos ter cuidado com esses dados. É que tem faculdade que dá cursinho preparatório para a OAB aos seus alunos. Vê se pode? é assinar um atestado de incompetência do próprio curso. Só assim pra o percentual de aprovação melhorar….
    Isso ocorre inclusive aqui em PE.

  • A Maurício de Nassau não teve alunos realizando a prova????

  • De fato é preciso ter muito cuidado com os dados apresentados.

    A Universidade Mackenzie, por exemplo, teve índice de aprovação de 73,8% e ficou sem segundo lugar no Exame da OAB em São Paulo, e não foi citada.

    Observe a notícia na íntegra.

    “Com um índice de aprovação de 73,8%, o Mackenzie fica em 2º lugar no Exame de número 133 da Ordem dos Advogados do Brasil, ficando apenas 0,3% atrás da da primeira colocada, a Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, com índice de 74,1%.

    Exame 133

    No Exame 133, com 17.892 candidatos, a taxa de aprovados foi de 17,7%. Na edição anterior, a taxa de aprovação foi a mais alta dos últimos oito Exames: 30,43%

    No primeiro lugar do ranking de taxa de eficiência do Exame 133 está a Faculdade de Direito da USP, que aprovou 74,1% dos seus alunos. Ao todo, 62 alunos prestaram a segunda fase da prova e 46 foram aprovados.

    No segundo lugar ficou o Mackenzie, com 73,8% de aprovação: de 420 bacharéis, 310 foram aprovados.

    A Unesp Franca ficou em terceiro lugar. Aprovou 11 dos 17 participantes (64,7%).

    Em seguida, vem a PUC-SP (54%). Dos 50 alunos que se fizeram a prova, 27 conseguiram a carteira da OAB.

    A PUC-Campinas aparece em quinto lugar, com 41 aprovados e índice de 44,9%.”

    Muito embora percentualmente seja admissível, mas, com todo respeito as universidades mencionadas, uma coisa é uma aprovação de 05 alunos num universo de 10 candidatos, outra bem diferente, é aprovação de 310 como no caso da Universidade MACKENZIE.

    Observe que a USP aprovou 46 alunos, e o MACKENZIE 310.

    Quantos alunos da UFPE, UNICAP,FIR,Universidades da Bahia, efetivamente foram aprovados?

    Repito. Uma coisa são 75% de aprovação de uma Universidade que conta com 04 candidatos e três aprovados, outra são 310 aprovados de 420 candidatos.

    Mesmo assim, a média em São Paulo foi de 17,7%, e a da Universidade MACKENZIE foi de 73,8%.

    De qualquer forma parabéns a UFPE, UNICAP E FIR pelos índices apresentados.

    • loko, loko loko loko lokoooooooo eu sou mackenzistaaaaaaaaaaaaa !!!!!!!!

  • Gente, as IES “privadas” pertencem ao sistema federal de ensino (art. 16,II, da LDB) e, por conseguinte, submetem-se à fiscalização do MEC. Mas, quede a tal da “fiscalização” e o propalado “controle de qualidade” que hão de ser feitos antes, durante (nos cinco anos) e depois do processo ensino-aprendizagem dos cursos jurídicos, vale dizer, sistemática e permanentemente durante todo o curso? Essa função não cabe à OAB, que tem a sua finalidade disposta no art. 44, I e II, da Lei nº 8.906/94. Não se exija da OAB o que constitucionalmente ela não está obrigada (por lei) a fazer. Cobremos do MEC, pois, rigoroso, permanente e transparente “controle” das faculdades particulares e públicas, com a respectiva prestação de contas ao povo. Aí, a coisa decerto pode começar a mudar…!

  • Parabéns Jacksom!

    É isso aí!!

  • Só para esclarecer algumas coisas. Esses dados postados acima dizem respeito ao exame unificado, do qual São Paulo não participa. Por isso não constam os dados da Mackenzie e da USP.

    Em relação ao que pensam os colegas em relação à OAB e ao seu presidente, é preciso lembrar que, embora estejamos num país que se autodenomina democrático, é preciso manter o respeito e a compostura ao criticar as pessoas. Temos por obrigação, no mínimo, demonstrar EDUCAÇÃO DOMÉSTICA. Descordo em alguns pontos do exame de ordem (sou a favor da inclusão de prova oral), mas não se deve admitir ataques à pessoa do dirigente, muito menos repetir essa falácia de reserva de mercado.

    As pessoas gostam de se enganar. Elas preferem entrar em um mercado altamente saturado sem a menor preparação, do que seguir uma profissão mais promissora.

    Eu concordo que tambem haja a questão da habilidade intelectual. Há pessoas que muito se identificam com o curso de Direito (eu sou exemplo) e jamais fariam outro curso.

    Um fato que me espanta é que, poucas pessoas querem ensinar. Da minha turma de faculdade (total de 202 bacharéis) apenas 3 ingressaram no Mestrado. Estamos nos preparando para ensinar. O que me chamou a atenção foi que, muitos colegas que não passaram na OAB, e há 2 anos continuam tentando, estão desistindo de advogar para ensinar. Aí sim, há a seleção natural do mercado. Ensinar não é para amadores. Infelizmente, muitas faculdades particulares demitem mestres e doutores após a fiscalização do MEC e permitem que apenas especialistas ensinem em suas instalações.

    Resumindo: O ensino brasileiro é um dos piores do mundo, e não se constroi uma nação forte sem educação. O Brasil é o país do futuro. Bem distante, diga-se de passagem!

  • Sou ex-aluna da FDR e fico satisfeita com a pontuação alcançada, porém qual as variantes da pesquisa e seu objetivo?

    A pesquisa deveria esclarecer e a imprensa divulgar, sob pena de macular com uma simples notícia, instituições de ensino que preparam e continuam formando grandes profissionais para o mercado.

  • Boa Tarde! Estou enteressada a fazer o curso de direito, como faço para ter as maiores informaçoes ? gostaria q vocês publicacem para o meu imail todo o procedimento! Desde de já agradeço a atenção de vocês !

    • se vc quer se estressar va em frente…rsrsrs brincadeirinha direito é o melhor curso do muundo, presta uma boa faculdade que tudo dará certo, boas oportunidades de estágio…absss

  • Na UFPE, são geralmente 200 candidatos fazendo a prova e desse universo, quase 90% passam no exame da OAB. Na USP o universo e bem menor ( 46 aprovados – 75% de aprovação em média) sem contar que o exame da São Paulo é muito mais fácil do que o exame unificado que Pernambuco, o resto do Nordeste e vários Estados fazem, que é feito pelo CESPE-UNB (MUITO MAIS DIFÍCIL). A EXCELÊNCIA no Direito está no Nordeste!! Veja concursos nacionais como Procurador Federal e Procurador da República. Pernambuco (e o Nordeste, como um todo) aprova MUITO mais do que o resto do Brasil!! Parabéns Pernambuco e o Nordeste!!

    • Pernambuco sempre foi considerado o berço da cultura do País. Quem queria adquirir conhecimento – cultura – vinha estudar em Recife. Temos para exemplo o próprio “Rui Barbosa” que foi aluno da nossa Faculdade de Direito. Isso não nos faz orgulhosos mas, sermos reconhecidos como excelentes…

      • E o Recife é a cidade mais cheirosa e agradável do mundo :)

        • Sim,e o que tem a ver com o tema??

  • Gostaria de parabenizar a Universidade Católica de Salvador pelo excelnte resultado obtido no exame da oab com 60,16% e 231 aprovados e por estar entre as 33 melhores das 241 instituicoes avaliadas no Brasil.

  • A UCSal merece realmente o OAB recomenda aqui na Bahia, e isto ainda nao aconteceu por razões políticas, é válido ressaltar também o excelente resultado obtido pela Universidade Católica de Salvador no ENADE 2006, no qual o curso de Direito ficou avaliado como o segundo melhor do estado da Bahia com conceito 4 numa escala que vai de 1 a 5, ficando atrás somente da Universidade Federal da Bahia, desbancando inclusive o um dos cursos recomendados em 2007 o da Unifacs cujas aprovações tem caido muito.

  • É válido que merecidamente o cursod e direito da UCSal completa este ano 53 anos de existencia e merece ser recomendado pelo aumento do numero e porcentagem de alunos aprovados no exmae da oab.

    • Júlio,
      Deves elogiar a Faculdade que estudaste (ou estudas), entretanto, deves procurar fazê-lo utilizando a tua língua pátria corretamente: utilizando letras maiúsculas para a Instituição O.A.B., utilizar-se de pontuação adequada (para não cansar o leitor) e acentuar determinadas palavras, etc.

      • V. Souza,

        Ao admoestar alguém para o correto uso da língua portuguesa é preciso cautela, para não ser alvo de críticas quanto a pequenos erros cometidos. Ora, aquele que adverte outrem sobre questões de relevância duvidosa – posto que o objetivo da escrita é o de transmissão de uma mensagem que, a meu ver, restou clara quando da exposição do colega Júlio – deve atentar-se aos mínimos detalhes. Nesta linha de raciocínio, advirto-lhe que a utilização de vírgula precedendo etc. é inapropriada. Considere que etc. é a forma abreviada de “et cetera”, expressão do latim que significa “e outras coisas”, “e assim por diante”.
        Saudações.

        • Curti :)

  • A católica tem melhorado e muito seus e isso é bom pq é uma universidade antiga que vem se renovando e inclusive quantitavamente as maiores aprovacoes da Bahia são da Católica de Salvador com 231 aprovados e 60,16% duas vezes mais que a Ufba e quase 3 vezes mais que a Unifacs cursos recomendados em 2007 pela Oab.

  • Nao foi publicado ainda mas o exame da oab 2008.2 a Universidade Católica de Salvador(UCSAL) repetiu novamente o bom resultado com 76,15% e 297 alunos aprovados, desbancando a ufba e a unifacs mais em uma vez em quantidade de alunos aprovados, a unifacs aprovou somente 25 alunos, e sendo assim a católica aprovou quase dez vezes mais. Outra coisa a ser colocada é quantidade de alunos que a unifacs aprova em seu vestuibular 200 e só termina seu curso com 36 alunos isso é estranho não? A católica diferentemente termina seu curso em média com 390 alunos e aprova 297, excelente aprovação que a própria OAB tem que reconhecer.

  • Mesmo a oab não querendo recomendar o curso de direito da UCSal este ainda continua entre os principais e mais concorridfos cursos de direito da bahia pela sua tradicao boas aprovacoes e bom conceito do Mec, o mal da Universidade Católica de Salvador é que ela não faz propaganda dos bons resultados obtidos nas aprovacoes da oab.

  • Eu como aluno da Universidade Católica de Salvador também quero parbenizar pela melhoria que houve tanto nas aprovações da oab quanto no conceito do mec que a deixou em segundo lugar no estado da bahia, perdendo somente para a UFBA( federal).

  • E outras faculdades que aqui na Bahia fazem uma propaganda tão enganosa merecem ser investigadas pq é estranho pois chamam aprovam 200alunos e jogam apenas 36 alunos no exame da oab ai é muito fácil aprovar mais de 70% na oab, a UCSal( Católica de Salvador) DIFERENTEMENTE DESTAS FACULDADES APROVAM EM SEU VESTIBULAR 360 ALUNOS E TERMINA SEU CURSO COM 390 E APROVA NA OAB 297 ALUNOS COM 76,15% ISSO NO EXAME DA OAB 2008.2

  • Salvador tem atualmente 24 cursos de direito e dispõe de 5.930 vagas por ano. Instituições como a Salgado de Oliveira (Universo), que enfrenta novela judicial para continuar funcionando fora do Rio de Janeiro, abre 800 cadeiras anuais para o ensino jurídico. Embora numerosa, a quantidade de cursos de direito na capital não se reflete num acréscimo à qualidade do ensino. Dos resultados divulgados pelo Inep (Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais) referentes ao último Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), que substitui o antigo Provão, só a Universidade Federal da Bahia (Ufba) obteve nota 5, pontuação máxima, em direito.

    Universidade Católica do Salvador (Ucsal) e Universidade Salvador (Unifacs) vêm logo atrás, com 4. Outras quatro instituições conseguiram nota 3 – rendimento considerado regular –, e a maioria, a classificação “sem conceito”. Segundo o Inep, isso se deve ao fato de estes cursos, por serem novos, ainda não terem graduado alunos. As notas do Enade são obtidas a partir da avaliação de calouros e for mandos.
    Matéria publicada no jornal de maior circulação aqui de Salvador provando que a Universidade Católica de Salvador ainda possui o segundo melhor curso de direito.

  • Com certeza O CURSO DE DIREITO DA UCSal( UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SALVADOR) merece ser recomendada no PRÓXIMO OAB RECOMENDA QUE SERÁ DIVULGADO EM JANEIRO DE 2010

  • Concelheiro é com “s”,caro gênio amancio.
    Não existe como contestar a qualidade da Faculdade de Direito do Recife em detrimentos às outras. Lembrando que é a única universidade reconhecida pela OAB em pernambuco. Você pode encontrar em muitas faculdades particulares,professores da universidade federal. Mas,não encontrarás alunos destacados em mesma proporção. Na Ufpe isso é regra,em uma particular,exceção.

  • olá meus amigos escrevo para dizer que a pontuaçao para estuda direto é muito alta.tenhe muita gente carpaz de ser delagado é ñ passa por causa da pontuaço é muito alta demais mesmo de um 100 pessoa só passa 5 é ser passa. de um chance a nós brasileiros para esse brasil muda agradeço a compreensão beijos e pense nu caso beijosmeus irmãos muito sucesso na vida de vc um abraço de jasllane

    • Com certeza é falta de pontuação na própria escrita o que mais reprova. A prezada Josilane escreve o próprio nome com letra minúscula. A palavra Brasil também se escreve com letra maiúscula. É quase impossível compreender o texto que você escreveu, Josilane. Com certeza, quando você melhorar o seu português, será uma excelente “delegada” – assim, não dá para delegar nada…

      • É totalmente possível!
        V. Souza parece aquele tipo de pessoa que nunca entrou em uma favela,nunca foi a uma escola pública,transporte só se for carro ( e carro bom,AUDI,BMW,FERRARI),usa aparelho que libera perfume dentro do carro, para quando passar na Agamenon não sentir o odor do canal, tem muita comida importada,e aparelhos eletrônicos,wi-fi em casa,nunca escutou brega ou funk pois isso é coisa “do povão”,enfim…uma pessoa que não conhece o país onde mora e faz questão de não conhecer.Para entender as causas sociais,e fazer um julgamento digno, é necessário conhecer as camadas da sociedade.Aqueles juízes que negam coisas mesquinhas,que fazem uma pessoa que vive em uma favela(com os filhos,sobrevivendo com menos que um salário mínimo) pague um tributo(injusto e inconstitucional).
        Desculpe-me por julgar você desta forma,devo ter me enganado, você não deve ser assim.

    • Prezada Jasilene:

      Parabéns pela qualidade do texto, que retrata a sua cultura e erudição, não resta dúvida de que virá a ser uma excelente delegada de puliça.

      José Francisco

      • E não restam dúvidas que você é um arrogante.
        A mulher não ofendeu a qualquer que seja,e ainda mandou beijos. Imagino você como juiz,você seria uma merda de juiz,pois é o tipo de pessoa que não entende o universo do outro,e se advogado é aquele que quer apenas os casos polêmicos,pois não está interessado na justiça e no direito em si,mas apenas em aparecer,mas isto é a opinião de uma apedeuta. HAHAHAHHA…

  • Näo adianta a universidade ser boa se o aluna so esta interressado no diploma.Existem muitas faculdades para poucos professores,para se formar professores e pensadores se faz necessario tempo e condicöes fiananceira,onde se acha as duas coisas em congruencia?

  • Apesar de tudo, a prova da OAB é muitíssimo necessária. Imagine vc estudante da UFPE que ralou pra passar num vestibular com uma concorrência estratosférica e que ralou ainda mais para se formar e conseguir o diploma, ser equiparado com um indivíduo que passou numa faculdade particular fundo de quintal, sem referência nenhuma.

    • A qualidade do profissional faria ele destacar-se, e como conta a lenda, os formandos da UFPE são os melhores,logo eles estariam com os melhores empregos e continuariam a ser os melhores(ou não).
      hihihihi :)
      Não é necessário preocupação (ou é?)

  • Bom, fake ou não, a lista mostra dados deveras interessantes:

    A ESMAGADORA MAIORIA das instituições que mais aprovam no exame de ordem é PÚBLICA (destarte a crônica falta de estrutura de muitas faculdades, a exemplo do que vimos aqui em PE não faz muito tempo). A primeira colocada entre as instituições privadas (corrijam-me, se eu estiver errado) é a SÉTIMA do ranking.

    Conclusão: se um setor do serviço público, que é a educação, e anda tão mal-tratado por governos intelectualmente miseráveis (principalmente os da atual oposição), alcança tais níveis de aprovação, imaginem o que mais investimentos públicos na melhoria dessas instituições traria!

  • Errata:

    TRARIAM.

  • Sem sombra de dúvida é uma excelente faculdade, parabéns à FDR, pela continuidade do seu compromisso com o ensino jurídico, sou advogado no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte, formado nesta importante FDR-UFPE.

  • Após ler os comentários, vê-se a necessidade da aplicação do exame da O.A.B. com o objetivo de cobrar mais dos futuros advogados. Qualquer Faculdade ou Universidade que forme os seus alunos e, quando os mesmos se saem bem no exame da O.A.B. como também em um concursos públicos e/ou, tornam-se bons profissionais, exercendo suas funções em firmas ou nos seus próprios escritórios, tais profissionais são capazes de colocar os nomes da Instituição que o formou, num patamar excelente. Seria bom que os comentários fossem mais bem trabalhados, visto que, refletiriam melhor as imagens das próprias Instituições. São os alunos os retratos fiéis dessas Instituições de ensino. Queiram desculpar mas, precisam melhorar, no mínimo, a forma de escrever (claro que não são todos). Há comentários com um bom nível de escrita, outros nem tanto…

  • Parabéns a Bahia…

  • Ouvi dizer que essa Faculdades Integradas de Vitória (ES) 80,42% ,é uma excelente faculdade.Ela fica na capital do ES,embora seja particular dizem que o ensino é muito bom e que se compara com o das Federais.

  • Entendo, caro V. Souza, a sua tentativa de incluir a escrita gramaticalmente correta inclusive em comentários de blogs, principalmente nesses, provenientes de estudantes e graduados em Direito.

    Todavia, também devemos considerar que, se universitários não sabem escrever “da maneira certa”, de quem é a culpa? Apenas deles? Você sabe que não! É claro que a maioria dos que escrevem assim não o fazem propositalmente.

    Todos sabemos que a Educação Básica (consideremos, nos dias de hoje, até o Ensino Médio) nos deixa muuuuuuuuito a desejar – com ênfase no ‘muito’, mesmo!. Cá entre nós – espero que ao menos expressões informais grafadas da maneira certa você considere, caríssimo -, é justo pedir que postem comentários apenas aqueles ditos “cultos” no que diz respeito à gramática, uma vez que o objetivo de se comentar é expressar sua opinião? O que você sugere? Que quem não souber ‘escrever bem’ não deixe comentários?

    Na verdade, o que o Sr. deve fazer é sua parte, grafando segundo as normas da língua culta, uma vez que já as conhece, mas exigindo-as apenas em ocasiões em que elas sejam imprescindíveis, o que não é o caso, no momento.
    Obrigada.

  • Errata: não o faz (segundo parágrafo).

  • onde encontra-se a usp? o mackenzie – sp? puc – sp? cadÊ?

    dados falsos.

  • o exame da ordem de São Paulo é diferente do daqui, o estado não participa do exame unificado , é por isso que estão faltando as estatísticas da USP , Mackenzie etc.

  • Prefiro seguir o ranking do meu professor:::: 1-UnB, 2-UFMG, 3-UFPE….. vi uma reportagem onde o RJ era o estado que mais aprovava, em termos numéricos não percentual, a pesquisa é tendenciosa não há necessidade de dar mais prestigio a UFPE que todos já sabem que é boa….Mas falar de usp, mackenzie – sp, puc – sp, já esta sendo tão tendenciosa quanto a pesquisa sou mais UNB, UFMG, UFPE…………não que sejam boas as do sudeste mais dizer que é melhor que a ufpe do que a unb….é melhor vocês viajar mais um pouco e conhecer a estrutura, fazer mais trabalhos de campo, fazer mais Tcc’s inter-campus, que infelizmente não é moda no Brasil….

  • Gostaria de saber qual a porcentagem de alunos aprovados na OAB da Católica e Marista ambas de Pernambuco.

  • eu quero entrar nela mas nao sei como

  • Bando de idiotas, se realmente soubessem o que uma pessoa de baixa renda hoje luta pra ter um curso superior sequer teriam o tempo de questionar as universidades privadas, que ao contrário das públicas, abrem as portas para seus alunos. Hoje o vestibular nas universidades públicas é feito para eliminar os alunos que estudaram também na rede pública e não para aprova-los, estudamos para sermos eliminados por uma “vírgula” não colocada numa redação, ou numa questão que respondemos 99% mas não 100. Onde o garotinho de 17 aninhos, filhinho de governador, prefeito ou papai empresário que estudou a vida toda nas melhores escolas abraçam nossa vaga com a facilidade de mais um ursinho de pelúcia ganho do papai.não regeneralizem o que voces não tem conhecimento! Não abraçem causas que vão de encontro ao júri popular. Hoje pago caro minha instituição de ensino com a certeza que me formarei tão boa e até melhor que alguns formandos pela rede pública e que venha a OAB pra provar mais um fato!

    • Concordo!

  • gostaria de saber o valor da mensalidade do curso de direito pois quero me inscrever no FIES

  • Gostaría de saber o valor da mensalidade do curso de direito.
    No aguardo,

  • Mas que besteira esses comentários de disputa que é melhor do que o outro,as instituições ensinam quem deve absorver o conteúdo é o aluno então na minha opinião são comentários infundados e infantis precisamos nos preocupar mais e saber cobrar nossos governantes de um pais melhor para todos não para uma minoria que detém o poder financeiro afinal quando morremos as larvas que irá nos destruir será do mesmo tipo e não uma mais inteligente que a outra, nem de uma universidade melhor que a outra,tanto faz,pobre ,milionário,doente,saudável, novo,idoso,etc,os bichos comem mesmo pensem bem em um pais melhor para todos até para quem vive do lixo se melhorar para a classe médis, rica,pobre,etc, melhora para todos e para o BRASIL até mais ver…………………………………………………………………………

  • Não tenho fé na OAB, acho que não passa de uma “ordem”(ou não) que quer lucrar :0 …
    Ordem dos Assaltantes do Brasil ?? (que merda,assumo.)
    Quer saber?(mesmo se não quiser eu irei falar) WHATEVER!

  • Logico que isso ai ta furado.
    Nordeste no topo ? lamentavel.
    Universidade de São Paulo, a unica decente na america latina toda.

  • Fico feliz pelo destaque de nossa legendaria Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pernambuco. Fui aluno desta faculdade de 1966 a 1968, quando cursava o Quarto ano, tendo em vista minhas atividades politicas contraria ao regime militar, fui expulso pelo Decreto Lei 477, filho do Ato Institucional, que punia estudantes com a pena de expulsao pelo periodo de tres anos, proibido de estudar durante esse periodo em qualquer universidade do País. Na Faculdade de Direito foram cassadod o direito de estudar Eneida Melo Correia de Araujo, Valdemiro Pereira Barros, Marlene Diniz Vilanova, José Aureo Rodrigues Bradley e minha pessoa. Portanto, a Faculdade de Direito nao somente ensinava o conhecimento jurídico, mas também a forma comprometida com a cidadania, a luta pelas liberdades democraticas.

  • Em vez de se questionar o exame da OAB, talvez fosse melhor fazer com que outros ramos do conhecimento humano também adotassem alguma forma de aferiçao do conhecimento. Talvez fosse melhor do que um exame, uma prova, fosse criado obrigatoriedade de uma espécie de estágio obrigatorio de 2 Anos após a conclusao do curso de direito, uma espécie do que ocorre com a medicina, uma espécie de RESIDÊNCIA.Realmente o exame da OAB, existe porque nao há uma outra forma de aferir o ensino juridico administrado pelas faculdades de direito criadas em cada esquina por este Brasil afora, já que o Ministério da Educaçao nao fiscaliza o ensino que é ministrado nestas faculdades e também nao estabelece critério para que cfuncionem essas faculdades.Apesar de todos os questionamento com o exame da OAB, nao tira o mérito do destaque obtido pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pernambuco, carinhosamente chamada A CASA DE TOBIAS BARRETO

  • Qualquer ato de amor, por menor que seja, é um trabalho pela paz. Quem não ler, mal fala, mal ouve, mal ver.

  • Muita asneira dita em tão poucas linhas!
    Gente, o exame tem seu mérito de qualificar o estudante que sai da Faculdade. É uma referência. O mercado seria outra, mas quem sabe o resultado da vida pós-faculdade dos alunos?
    Os concursos públicos dão uma linha de avaliação, mas por exemplo, os concursos de Auditor, com mais da metade do programa das provas formado por disciplinas do curso de Direito, e que aceitam qualquer formação superior, aprovam mais engenheiros que advogados. Por que? Porque os Engenheiros são treinados para pensar rápido.
    Quando se fala que as federais aprovam melhor na OAB, há que se levar em conta que a peneira ocorre antes da entrada na faculdade. Os alunos que não conseguem aprovação na FDR é que vão no desespero para outras faculdades. E com o governo bancando os cursos através do FIES, o que ocorre é a falta de qualidade mesmo.
    Ora, e não defendam o pobrezinho do cidadão da periferia que não teve acesso à educação de qualidade! Se ele se formar numa dessas faculdades meia-bocas, vai continuar sem educação por mais 4 ou 5 anos!
    Solução: Estude! Entre na faculdade que puder e exija qualidade dela! Não ache que passar sem estudar vai lhe tornar um bom profissional.
    Ninguém vê as pessoas dizendo: “Olha, eu estudei em tal faculdade, e é um caça-níqueis”.
    Todo mundo quer o mais fácil e depois reclamam de um simples teste da OAB.
    Já participei de turmas que foram à direção reclamar de determinados professores que não queriam dar aula, tanto na UFPE quanto no IFPE (na época ETFPE). Não conseguimos muito, dado que os caras tinham estabilidade, mas mudaram um pouquinho só seu comportamento.
    Mas numa faculdade particular, o aluno é o patrão. Mas parece que ele não sabe disso. Comecem a cobrar de seus professores, de seus coordenadores, dos donos das faculdades, queiram qualidade e aí sim as coisas melhoram.
    Não adianta só ficar esperando pelo Governo. Claro que ele tem seus deveres, mas lembrem, vocês estão pagando com dinheiro e tempo de suas vidas para esses cursos que aparecem em cada esquina.
    No mais, boa sorte a todos, os futuros e os atuais bacharéis do curso de Direito.
    Lembrem de, se possível, se esforçar para melhorar a realidade deste país. Vocês podem.
    Abraços.

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação às punições de corruptos...

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia


  • “O homem de bem é um cadáver mal informado. Não sabe que morreu.”
    Nelson Rodrigues.

ARQUIVO

dezembro 2014
S T Q Q S S D
« set    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).