Lula e o competente discurso da marolinha

jan 26, 2009 by     22 Comentários    Postado em: Economia
lula-bate-recorde-de-popularidade_-foto_-ernesto-rodrigues_ae

Nada como ter um presidente bom de lábia

Uma pesquisa mundial aferiu a percepção das pessoas em relação à crise financeira. Foram 17 países pesquisados – dentre eles, o Brasil. Os brasileiros foram justamente os que mais se mostraram otimistas frente ao delicado momento econômico. E os nordestinos mais ainda.

Nada menos que 34% dos brasileiros acreditam que a crise será amena pelas bandas de cá e esperam melhoria nas suas finanças pessoais. Entre os nordestinos, o otimismo contamina 44% da população.

Parece que o presidente Lula foi (mais uma vez) competente no convencimento das massas. O discurso de “marolinha” colou no povão. Só faltou convencer os empresários a não demitirem…

22 Comentários + Add Comentário

  • Marco,

    Alguém mandou colocar em um out-door a seguinte frase (recebi a foto por e-mail):

    “Não existe crise !!! Existe sim, uma propaganda negativa e destruidora feita pelas emissoras de televisão em troca de audiência. Desligue a televisão e trabalhe. Você surpreender-se-á com o seu sucesso!”

    Acho que o anúncio conseguiu, em poucas palavras, ser de notável coerência.

  • Talvez a percepção da população esteja em consonância com a pesquisa da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que apontou o Brasil como o país que será menos afetado pela crise econômica.

    A lista inclui 35 nações analisadas, entre elas integrantes do G-7 e emergentes como Índia, Rússia e China.

    Segundo a OCDE, o Brasil é o único que sofrerá uma desaceleração em vez de um forte desaquecimento.

  • “Nada como ter um presidente bom de lábia”

    Falou tudo. Quem quiser ser presidente popular no Brasil que aprenda com o Inácio lá do Palácio!

  • Só os incautos, como o Magno Martins, não entendia a sutileza da mensagem presidencial. Ela por sí só não resolverá a crise, porém ajuda a espantar um pouco o clima de pessimismo que certos setores da mídia e da elite, por razões óbvia, deseja instalado no nosso país.

  • Essa zelite é muito má.

  • A crise, como de resto quase tudo por aqui, está sendo “politizada”. Mais que isso, vem sendo “partidarizada”.
    Não sei se foi o Lula quem começou, mas sua estrategia de negação, atribuindo à oposição o “desejo” da existencia da crise, ajudou a poluir a discussão do tema.
    Há crise sim! Não é “culpa” do Governo e não poderia ser um “trunfo” da oposição.
    Talvez o governo ainda possa reverter o prejuizo que vem aí. Mas desse jeito acho que não vai dar. Lula está se jogando nas labaredas do Inferno, só pra tentar mostrar como é frio por lá….

  • Mesmo com a insistência da mídia em criar um grande crise no país, ainda bem que a população deixou de acreditar no que dizem.
    O governo vem trabalhando com afinco para eviatr o desemprego.

  • Vamos ver, a mídia e as elites brasileiras inventaram uma crise internacional que abalou as maiores economias do mundo, e que no Brasil levou a queda nas vendas e redução nos lucros delas mesmas.

    Hummmmm, sei não, sei não, tem gente viajando na maionese. Quem será?????

    O que é isto caros comentaristas. A crise é fato, e o que Lula fez foi usar sua imensa credibilidade para frear a queda no consumo. Está certo que ele falou umas bobagens aqui e ali, mas ele fez o seu papel e reduziu o impacto das expectativas negativas sobre a atividade econômica. É claro que há também uma conotação política, mas foi uma atitude justificável do ponto de vista de política econômica.

    O mais engraçado é o que principal motivo porque o Brasil foi menos afetado pela crise foi justamente a política monetária, com forte formação de reservas externas. Mas este crédito o BC não vai ganhar de jeito nenhum.

  • Quantos já foram demitidos da cana de açucar, do vale do são francisco, setores que empregam a maioria da população em Pernambuco, ninguem pode viver isolado, nem cuba mais vive!

    800.000 funcionarios publicos federais, não sao a maioria do povo brasileiro, não cabe todos os empregados do Brasil no governo federal!!!

    Para bancar este nível de faixa salarial, tem que se arrecadar da iniciativa privada, se ela quebra como fica o país?

    Hoje as passagens para a maioria da população estão maiores, a feira da semana custa mais de 20% do que seis meses atrás e posso ficar descrevendo aumentos , iptu, gasolina, etc!

    E O GOVERNO FEDERAL NÃO FALA EM REDUZIR DESPESAS DE CUSTEIO, DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL. QUEM JÁ ESTÁ DESEMPREGADO, VAI LEVAR QUANTO TEMPO, PARA VOLTAR AO MERCADO DE TRABALHO?

    O CAPITALISMO É UMA REALIDADE INCLUSIVE NA CHINA, RUSSIA E TODOS OS PAÍSES SOCIALISTAS E COMUNISTAS, FAZER DO BRASIL UM PAIS COMUNISTA OU TRABALHISTA É IR NA CONTRA-MÃO DO MUNDO!!!!

    STALIN FOI UM DOS MAIORES INVESTIDORES NA INDUSTRIA DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA ÉPOCA DELE! SÓ SE PRODUZ EMPREGO E RENDA COM PRODUÇÃO DE LUCRO!!!!

  • Brasileiro gosta de mentira. O presidente vive dizendo que o Brasil está crescendo, que a crise aqui vai ter pouca força, que a refinaria vai sair, que Pernambuco vai se desenvolver. Só falam, os índices de criminalidade, saúde pública, educação, IDH, IDEB etc., desmentem tudo! Dizer que tá tudo bem, e que vai melhorar é fácil, difícil é fazer. O nosso Presidente quando fala, é como o canto da sereia!

  • A REFINARIA JÁ PERDEU O PARCEIRO INFELIZMENTE, HCHAVEZ NAO HONROU O ACORDO, A PETROBRAS GRAÇAS A DEUS, VAI ASSUMIR A PARTE DA PDSVA, SÓ QUE TRANSFERIU TUDO PARA INICIAR EM AGOSTO DE 2011, QUANDO ERA PARA AGOSTO DE 2010!

    DILMA É DIFERENTE DE LULA NÃO GOSTA DO NORDESTE, NA CRISE DE ENERGIA NO INICIO DO GOV LULA, ELA DISSE QUE O NORDESTE NÃO PRECISAVA DE CHUVEIRO ELETRICO COM O SENTIDO DE QUE POBRES QUE MORAM EM LUGAR QUENTE E SEM AGUA NAO PRECISA DE ENERGIA!!!!!

    TENHO MUITO MEDO DELA NO GOVERNO SEM LULA COMO PRESIDENTE!!!

    O NORDESTE CONTINUA PRECISANDO DE MAIS APOIO PRINCIPALMENTE NO SEU INTERIOR!!!

  • De fato, o discurso pode até ser competente, mas a realidade mostra justamente o contrário.
    A frase do Daniel Tabosa é linda e comovente, digna de ser exposta em vistoso out-door de uma esquina bem movimentada.
    Só falta combinar com os trabalhadores demitidos nos últimos dias.
    Um exemplo do fosso que divide o competente discurso de Lula e a realidade dos fatos:
    http://br.reuters.com/article/topNews/idBRSPE50P05W20090126

  • E lembra que FFHH queria vender a Petrobras, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal… Agora, no meio da crise, essas são as 3 empresas que seguram o país.

  • Conclusão da pesquisa: Povo desinformado ou parcialmente informado, sofre menos!

  • Caro Francisco,

    Eu diria que existem dois efeitos dessa crise: o formal, que de fato está ocorrendo, sobretudo nos países desenvolvidos que não são produtivos e sim especulativos (o exemplo clássico da da Islândia, que quebrou); e o efeito informal, que pode vir a ser tão devastador quanto o primeiro e está sendo maximizado aqui no Brasil por causa da “espetacularização” que a mídia provoca.

    Todos sabem que o que vende jornal é notícia ruim.

  • Caros colegas,

    Concordo parcialmente com algumas opiniões, inclusive que o discurso otimista do Presidente é necessário, para que diminua a situação de pessimismo que se alastra na população. Porém temos que estar conscientes que a situação é vertiginosamente delicada, que a CRISE CHEGOU SIM e já pode ser verificada em todos os setores.
    Aqui no Vale do São Francisco já foram mais de 40 mil demissões só na lavoura, a crise mundial afetou diretamente a economia do Vale, já que sua produção é basicamente para exportação. Portanto o governo federal e estadual tem que não só “acalantar os nervos das massas”, mas sim agir antes que seu discurso não convença nem mesmo os mais desinformados.

  • Caro Daniel

    Teorize mais sobre este tal “efeito informal” que está sendo maximizado pela mídia. Ainda não consegui captá-lo. Tente colocar um exemplo. Veja o seguinte caso que poderia ser o que você e outros estão falando.

    A mídia divulgou que em Minas até Rei Momo ficou sem emprego. Lendo a matéria, e juntando com as outras informações da mídia temos que:

    - As cidades do interior mineiro que dependem da atividade de siderurgia e extração de ferro ficaram sem recursos devido a forte redução na atividade destas empresas, com reflexos sobre a arrecadação, emprego e renda nas mesmas.

    - A razão apontada pelas empresas é a redução da demanda por aço do setor automotivo;

    - O setor automotivo alega que reduziu a demanda de aço porque os consumidores internos reduziram as compras, e porque os consumidores externos também reduziram.

    - Os consumidores internos e externos reduziram as compras porque o custo do financiamento junto aos bancos aumentou e eles não tem em geral como comprar a vista, apesar dos preços terem caído. Adicionalmente, alguns perderam o emprego e outros preferem agora manter reserva em caixa.

    - Os bancos alegam que aumentaram os juros por dois motivos principais. Primeiro porque devido ao motivo de origem da crise perceberam que precisavam de mais reservas, o que reduziu o volume de emprestáveis. Em segundo, também nas origens da crise, verificou-se que os níveis de risco antes aceitos eram inadequados, o que levou a maior exigibilidade na tomada de empréstimos. Traduzindo a segunda justificativa, o juro aumentou para um mesmo cliente porque o banco eleva o motivo precaucional na formação do custo do empréstimo.

    - E o Rei Momo, que nada tem a ver com com o americano médio que tinha dez hipotecas na casa quando só podia pagar uma, ficou sem emprego.

    Só não entendo onde está a tal da “espetacularização”. Seria a própria matéria? Seria o fato da matéria sugerir que quem pode perder o emprego deve por as barbas de molho? Seria o fato de ser necessário juntar várias informações da mídia para entender o contexto da crise e o brasileiro, coitadinho, não tem capacidade para tanto?

  • Ótimo, Fernando!

  • marolinha nada eu estou dois meses sem receber meu salário e vc ainda diz que é uma marolinha?por que não afeta vc né

    • GOSTO DO SEU COMENTARIO VC E UMA DEUSA GREGA TE ADORO LINDONA

  • Felizmente para o Brasil, agora podemos ver que Lula estava certo. Em fins de 2010 a economia do país está aí, pulsante, com mais de 15 milhões de novos empregos. Dilma ganhou de Serra Rojas na maior moleza. Gregos e troianos que se uniram à midia golpista contra lula deram com os burros n`água.

  • “Só uma marolinha-”

    Esse post não envelheceu bem. Parabéns, idólatra de político.

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

abril 2020
S T Q Q S S D
« mai    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).