Professores das Ifes ganham menos do que no Governo FHC

mai 2, 2012 by     126 Comentários    Postado em: Economia

professor-calma-calma

No ano passado, em meio à discussão sobre aumento salarial, fiz um estudo para apresentar a real situação do salário dos professores da Universidades Federais, e comparei ao que ganhava em 1998, durante o Governo FHC. O ano de 1998 foi escolhido porque é onde o caderno sobre salário dos servidores federais começou a ser divulgado.

Comparei também com outras carreiras semelhantes, como a de pesquisador do IPEA e do Ministério de Ciência e Tecnologia.

A conclusão é que hoje ganhamos menos que durante o Governo FHC.

Veja que o salário que falamos aqui é o de um professor que já possui doutorado, que é o máximo que se consegue em titulação acadêmica. Nem comparei aqui com os bacharéis que são da área de auditoria e fiscalização, porque aí seria até covardia.

Sei que muitos estudantes são leitores do Acerto de Contas, e a inevitável pergunta sobre greve irá aparecer. Por enquanto não tem nada decidido, muito menos resolvido. O sindicato nacional fez apenas um indicativo para o dia 17 de maio, mas pela experiência anterior, a chance de uma greve acontecer de uma hora para outra é zero. Ainda seria discutido em cada universidade, e na UFPE (onde leciono), as decisões são ainda mais demoradas em função da desmobilização da universidade.

Então por enquanto não adianta pânico, pois não há definição alguma.

Atualizei o trabalho para o ano de 2012, já colocando a inflação do período, corrigindo todos os dados. O trabalho segue abaixo.

Salários dos Professores das Universidades Federais já estão piores do que no Governo FHC (atualizado)

Por Pierre Lucena

1 – Introdução

Durante o ano de 2011, as representações docentes se reuniram com o Governo Dilma com o objetivo de reorganizar a carreira, conforme foi pactuado no segundo Governo Lula. A ideia geral era de equilibrar a carreira docente com outras semelhantes no Governo Federal, a exemplo da carreira de pesquisador do Ministério da Ciência e Tecnologia e da carreira de pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Dentro do acordo, ficou estabelecido que até março de 2012 a nova carreira seria decidida e emergencialmente ficou acordado um aumento de 4%, a ser pago em março. Nos dois pontos o Governo não honrou o compromisso. Nem a carreira foi discutida e decidida, muito menos o aumento emergencial de 4% foi implantado.

Este texto se propõe a comparar os salários destas carreiras, desde o ano de 1998 até 2012, dentro de sua principal referência, que é o salário inicial de um pesquisador/professor com doutorado.

2 – Metodologia

Para este texto foram utilizados dados obtidos junto ao Relatório intitulado “Tabela de Remuneração dos Servidores Públicos Federais”, disponibilizado pelo Governo Federal em sua página do servidor[2].

Foram comparados dados de três carreiras distintas:

· Professor Adjunto 1 com Doutorado em Dedicação Exclusiva, das Universidades Federais, estando este na ativa e recebendo a Gratificação de Estímulo a Docência (GED);

· Pesquisador do IPEA;

· Pesquisador do Ministério de Ciência e Tecnologia, com doutorado.

Todas as carreiras tiveram como base o salário inicial com as gratificações a que os servidores possuem direito, como a GED, durante o Governo Fernando Henrique. Esta gratificação foi incorporada posteriormente.

Para o cálculo da inflação foi utilizado o Índice de Preços ao Consumidor Ampliado (IPCA), do IBGE, obtido junto ao banco de dados do IPEA[3].

O ano de 1998 foi escolhido como base pelo fato de ser o primeiro ano com o lançamento do caderno com os salários do Governo Federal.

3 – Resultados

O que se vê no gráfico 1, com o salário nominal das três carreiras, é certa equivalência, estando inicialmente o pesquisador da carreira de Ciência e Tecnologia com salário abaixo das demais. O professor adjunto era o que percebia a maior remuneração em 1998 (R$ 3.388,31), quando calculado com a GED cheia (140 pontos).

Gráfico 1 – Salário nominal das carreiras, desde 1998.clip_image002
Fonte: organizado pelo autor, com dados do Governo Federal

Quando observada a evolução salarial das carreiras, verifica-se que os docentes das universidades federais tiveram seus salários reajustados bem abaixo das demais. O pesquisador do IPEA recebe em 2012, de salário inicial, aproximadamente R$ 13 mil, enquanto os docentes com doutorado pouco mais de R$ 7,3 mil. Os pesquisadores do MCT recebem pouco mais de R$ 10,3 mil. Quando calculado o percentual de distorção, verifica-se que para equiparar-se aos salários do MCT, seria preciso um reajuste no salário dos docentes por volta de 41,1%, e para equiparar-se aos do IPEA, seria necessário um reajuste de 76,7%.

Esta distorção se mostra ainda mais evidente quando descontada a inflação pelo IPCA, com base em 1998.

Gráfico 2 – Salário real das carreiras, descontada a inflação, desde 1998.
clip_image004
Fonte: organizado pelo autor, com dados do Governo Federal e do IPEA.

Verifica-se que houve perda salarial dos professores quando descontada a inflação do período. O salário real do professor em 2012 é 8,7% inferior ao primeiro ano da série (1998). As outras duas carreiras tiveram ganhos reais dentro deste período.

Quando colocado em Base 100, descontada a inflação do período, a distorção fica ainda mais evidente, como pode ser verificado no Gráfico 3.

Gráfico 3 – Salário real das carreiras com Base 100, descontada a inflação desde 1998. clip_image006
Fonte: organizado pelo autor, com dados do Governo Federal e do IPEA.

Dada a proposta do Governo de reajuste de 4% em 2012, a perda em relação à 1998 é significativa. O Professor Adjunto 1 recebe hoje aproximadamente 91% do que recebia em 1998, já descontada a inflação pelo IPCA, conforme pode ser visto no Gráfico 4.

É possível verificar certa estabilidade nos vencimentos dos professores, desde o ano de 1998. Não há ganho significativo do salário em nenhum momento, apenas a reposição da inflação, seja no Governo FHC, seja no Governo Lula.

Gráfico 4 –Salário real do Professor Adjunto 1, com Base 100, descontada a inflação desde 1998. clip_image008
Fonte: organizado pelo autor, com dados do Governo Federal e do IPEA.

4 – Conclusão

Os resultados mostraram que a realidade hoje é ainda pior do que em 1998, quando foi concedida a GED, para aqueles que a recebiam em sua totalidade, quando alcançado os 140 pontos.

Com um salário 8,7% inferior ao recebido em 1998, durante o Governo FHC, apenas a inclusão da classe de Professor Associado representa algum ganho.

O certo é que o salário inicial de um Professor Doutor hoje é menor do que em 1998.

5 – Referências

IPEADATA – www.ipeadata.gov.br

Dados do Servidor – www.servidor.gov.br

 


Pierre Lucena é Doutor em Administração/Finanças pela PUC-Rio e Professor Adjunto de Finanças do Departamento de Ciências Administrativas da Universidade Federal de Pernambuco.

126 Comentários + Add Comentário

  • Bem feito!

    Enalteceram Lula por todos estes anos, esta’ ai’ o resultado.

    • É tudo uma questão de interesse. Os servidores públicos não votaram em Lula/Dilma por ideologia, mas po PURO vislumbre de ascenção financeira e de classe social.

      Os servidores elegeram Lula/Dilma achando que iriam ficar milionários e que o país iria girar em torno do funcionalismo. No começo, até que Lula tentou fazer isso mesmo, mas depois, alertado dos perigos de se inchar demais a máquina e muito criticado pelos setores mais desenvolvimentistas do país, Lula mudou de estratégia.

      Já Dilma, que parece ser mais racional e pé no chão está pautando seu governo por menos inchaço da máquina e mais investimentos no setor produtivo do país e vem sendo apaudida por isso.

      • E o mandato de Dilma atravessa a pior crise da economia mundial desde 1929, é bom lembrar.

        • Peraê, martins, vamos com calma.

          Nem o governo Dilma tá essa coisa toda nem a crise atual é pior que a de 29.

          Em 29, além da grave crise dos bancos, o mundo estava se recuperando de uma guerra mundial. O cenário social e econômico internacional era mil vezes pior. Simplesmente não havia perspectiva de futuro. Muitas famílias ex-classe média nos EUA vendiam os filhos a preço de galinha para ter dinheiro pra comer. A coisa era muito mais séria.

          E quanto ao governo Dilma, ele está deixando muito a desejar. Pode-se até dizer que está um pouco melhor do que a lama de corrupção que foi o de Lula, mas está longe, muito longe de ser considerado um governo bom. E não adianta dar uma de ALF e dizer que 99% acham o governo de Dilma maravilhoso. Eu definitivamente não acredito nessas mentiras, ops, pesquisas. Não tem quem me convença que isso não é manipulado, muito bem manipulado. Sabemos que o governo atual é chegado numa publicidade enganosa também. Tem muita coisa errada nesse governo que continua desde o governo Lula, Dilma faz vista grossa e todo mundo sabe disso, quem alega que não sabe ou é doido ou faz de conta que é (grande maioria).

          Estão a todo custo querendo empurrar goela abaixo no brasileiro a idéia que este governo é melhor, mais ético, mais honesto, mais correto, mais íntegro do que o de Lula. Eu peço licença para discordar, pois não vejo, na prática, nada que corrobore essa propaganda. Quem quiser que leve essa idéia pra casa. Eu tô fora. Eu acho que se Dilma quisesse (e claro que não deixariam) ela poderia fazer um governo muito melhor e mais decente.

        • A crise iniciada em 2008, que continua até hoje, foi sim a pior desde 1929.

          E Dilma vem fazendo um excelente governo.

          Assim como Lula o fez.

        • Martins, tenha santa paciência: você chama de ótimo um governo que não tem a
          hombridade de cumprir promessas de campanha, como valorizar a educação?
          Cade os parcos 4 % de reposição salarial acordados com os docentes das IFES para
          março?

        • E as 500 UPAs (política nacional de saúde do PT) ?

          Se ela não faz nem o que ela acredita ser a solução pra saúde nacional, nem o que prometeu na campanha, como acreditar que ela faria o que o Brasil realmente precisa, em termos de saúde ?

        • Rafael: já disse, e repito, que Dilma precisa dar logo reajuste para os professores.

        • A CRISE DE 1929 FOI COMPLETAMENTE INVERSA DE HOJE

          A CRISE ATUAL É SISTÊMICA, ALÉM DE EXCESSO DE CRÉDITO

          O EUA JOGOU NO MERCADO ATUAL 6O TRILHÕES DE DOLLARES

          E BCS EMITIU VALES NO VALOR DE 900 TRILHÕES DE DOLLARES

          OU SEJA, OS ÚNICOS FAVORECIDO NISSO FORAM OS EMERGENTES

          E O BRASIL,COM O CRÉDITO ABERTO DE 30 ANOS POR FHC.

          QUE PEGAM EMPRÉSTMO LÁ FORA A JUROS DE 2% E REPASSAM

          PARA OS BRASILEIROS 8 VEZES MAIS, BANCO DO BRASIL CAIXA E TDS

          OS BANCOS, E ASSIM TIVERAM NOS ULTIMOS 6 ANOS LUCROS DE 500%

          A MAIS QUE O GOVERNO DO FHC.COMO COMPARAR COM A CRISE DE 1929

          VEJA HISTÓRIA GOOGLE .

          HOJE TEM QUEM CONSUMA, NAQUELA ÉPOCA TEFVE QUE QUEIMAR,O CAFE
          ETC ETC, AGORA FALTA ALIMENTO, ESSA MIDIA ESTA MALUCA DE COMPARAR
          UMA CRISE DESSA COM AQUELA, ONDE SE VIVIA 1/4 DA POPULAÇÃO DE HOJE.

    • Ciro Neres, confira o gráfico 4 antes de falar tanta bobagem.

      Lula pegou o salário real em 88,25 e entregou em 102,89.

      Já com FHC, o salário real estava em 100 (1998) e caiu para 88,25.

      O problema está sendo o governo Dilma.

      • Tão com saudade de Paulo Renato é?

      • Tu entende que, nos momentos que o salário do professor subiu MESMO durante o governo Lula, segundo o gráfico 4, foram justo nos anos de eleição, né?

        Dos três picos do gráfico, apenas UM não foi no ano de eleição, foi no ano seguinte. Provavelmente porque, naquele ano, a inflação não subiu tanto, aliado ao fato de que o Lula talvez quisesse ter “agradecido” os companheiros.

        Claro que esse “agrado” tinha que acabar quando ele percebesse que o Estado não produz riqueza e que pra ele é inútil investir em profissionais que a sociedade não valoriza quando ele poderia jogar mais dinheiro em medidas populistas e marketing pessoal.

    • concordo caro comentarista muitos diziam que o PT do Lulafaria a diferença e estar fazendo mesmo para menos.kkkkk

  • Um monte de safado vai vim aqui apedrejando o tópico, com piadinhas e escárnio.

    Isso é a mais pura e simples REALIDADE.
    O Brasil é um país que marginaliza a ciência, tecnologia e inovação.

    É um país feito pra mamadores de tetas, juristas, socialistas de boutique e neo-ativistas verdinhos do PV.

    V E R G O N H O S O

  • Pierre, teu post é muito esclarecedor e ncessário. Divulgarei o quanto poder.

    Data vênia, qual a diferença entre DECIDIDO e RESOLVIDO?

    Obs: Só mania de professor… Se puderes substituir o ONDE por EM QUE no trecho “O ano de 1998 foi escolhido porque é onde o caderno sobre salário dos servidores federais começou a ser divulgado”, teu texto fica sem nenhum erro gramatical. ONDE se refere a LUGARES, e não a TEMPO

    • Com o Governo, decidido é o que se acertou. É diferente de resolvido, já que este não cumpre.

  • O gráfico 4 mostra que salário real das Ifes ainda está um pouco acima do nível de 2003, primeiro ano do governo Lula. Mas precisa sim ser reposto. A queda desde 2010 é acelerada.

    Mas antes que venham culpar Lula, olhem o gráfico 4. Houve um acentuado crescimento no governo dele. Até 2010, o salário real era bem superior aos anos FHC. De lá pra cá, aconteceu a queda.

    Salário real em 2003: 88,25.
    Salário real em 2010: 102,89.
    Salário real hoje: 91,22.

    • Martins, seu pau-mandado puxa-saco PTista, olhe os gráficos direito e verá que foi sim durante o Lulismo que ocorreu a inversão e descolamento de valores entre a carreira de Magistério Superior e Pesquisador IPEA, época esta em que a ciência brasileira deu enorme salto produtivo … ou seja, exploração total do trabalho intelectual, cada vez mais desvalorizado neste pais.

      • O pesquisadores tiveram aumento de salário sim.

        A bronca de Pierre que é os pesquisadores tiveram mais aumento do que os professores.

        Repetindo, para provar que hoje os salários estão maiores do que no último ano de FHC:

        Salário real dos professores em 2003: 88,25.
        Salário real em 2010: 102,89.
        Salário real hoje: 91,22.

        • Martins, que os pesquisadores do IPEA tiveram aumento é auto-evidente!
          O problema é que nós, professores, estamos trabalhando muito mais (com o REUNI a média aluno/professor subiu de 12:1 para 18:1). Estamos também produzindo muito mais ciência de qualidade, a custo zero para o governo. Isso não reflete melhoria de eficiência do professorado, reflete exploração de mão-de-obra qualificada! E porque não então valorizar o professorado como se valoriza pesquisador IPEA? Simplesmente porque não damos “lucro” ao governo: essa história de investimento em C&T do Dilmismo é balela, acredita só quem é cego ou quer crer!

        • Prosseguindo: se continuarmos pagando mal assim nossos doutores, o tão divulgado programa federal “Ciência sem Fronteiras” tornar-se-á orfão, ou melhor será chamá-lo em breve: “Evasão (cerebral) de Fronteiras”.

        • Sem chance disso acontecer.

          Para a maioria dos professores doutores, a alternativa ao “baixo salário” das federais é assustadora: o ultra-baixíssimo-e-ridículo salário das particulares.

          Resultado: quase todos sonham dia e noite em entrar nas federais.

  • Cargo comissionado babão do PT ganha mais que um programador do Porto Digital = FATO

    Me digam, seus porcos públicos, petistas e afins, COMO É que um país, um estado ou uma cidade vai crescer organicamente desse jeito???

    • “Me digam, seus porcos públicos, petistas e afins, COMO É que um país, um estado ou uma cidade vai crescer organicamente desse jeito???”

      E tua acha que os servidores, os petistas e comissionados estão preocupados com o crescimento do pa´si?

      O único crescimento que os interessa é o do próprio contracheque e do respectivo patrimônio. Se o país cresce ou deixa de crescer, pra eles tanto faz, desde que os polpudos salários, indenizações, gratificações e demais regalias estejam garantidos.

      Esse papo de preocupação com o crescimento é só pra justificar a mordomia em que vivem e os altos impostos que o povo é obrigado a pagar pra manter essas férias eternas do setor público. Na verdade, a verdadeira e única preocupação deles é com o próprio status.

      Não se engane, essa turma só olha para o próprio umbigo. Tudo que parecer uma preocupação alheia e com o país é puro fingimento.

      E pelo jeito, eles estão dispostos a fazer qualquer negócio pra manter essa $$$$$$ituação.

      • “Me digam os seus porcos públicos, petistas e afins”

        Como não teve inteligência em analisar o gráfico colocado pelo blog e fazer um comentário
        educado e realista, passou a agredir. Esta gente carrega dentro deles um ódio, que deverá ser
        contido com uma provável mudança do comportamento da mídia no Brasil após a CPI que está
        sendo instalada. Isto, caso venhamos ter uma imprensa honesta.

        Tudo normal, para esta gente que pensava ser donos do Brasil.

    • Vem cá…
      Programador do Porto Digital também não é remunerado por bolsa CNPq?
      (Nego cospe pra cima e depois acha que está garoando…)

  • Ah,tá certo…não tinha pegado o espírito da coisa.

  • Pierre, você diz que a “realidade hoje é ainda pior do que em 1998, quando foi concedida a GED, para aqueles que a recebiam em sua totalidade, quando alcançado os 140 pontos”.

    Já que a comparação é essa, eu queria saber quantos % dos professores em 1998 recebiam a GED em sua totalidade e alcançavam os tais 140 pontos.

    • Todo mundo que fazia o mínimo. Só quem não recebia eram os que estavam a disposição de outro órgão.

  • E a educação dos jovens, continuam caindo de qualidade… Professores mal remunerados, ensino de péssima qualidade. Pobre e enganado povo brasileiro : trocaram a bolsa educação , pela bolsa família. As crianças ficaram com uma péssima educação e os país encheram a cara de cachaça. Obrigado, Lula.

    • Comentário surreal!!! KKK!

      • Comentário bem real Martins, infelizmente isso acontece muito, só nã enxerga quem não quer.
        Ou quem é do PT.

        • Comentário bem preconceituoso, isso sim. Ignora que uma das condições pra alguém receber o Bolsa Família é justamente manter os filhos na escola.

          Quanto a afirmar que “os pais encheram a cara de cachaça”, isso é simplesmente absurdo e não emrece nem resposta. Uma generalização torta.

  • DEIXEM DE OLHAR PARA O UMBIGO, CAMARADAS. SOU LULISTA E NÃO ME ARREPENDO! NUNCA VI OS BRASILEIROS TENDO TANTA CONSIDERAÇÃO, Q ACHO MUITO JUSTA E OBRIGAÇÃO DO ESTADO. MAS ME LEMBRO BEM Q PARA ESTUDAR TINHA Q COM 7 ANOS DE IDADE, ANDAR NA ZONA RURAL POR MAIS DE UM KI

    • Nem precisava falar que é Lulista. Vê-se logo.

    • Não esqueça que quem reabriu o crédito do Brasil foi FHC
      quando pagou calote do sarney de U$50 bilhões desde os miliatres
      REFINACIOU ESTADOS E MUNICIPIOS,BANCOS,SISTEMA
      DE HABITAÇÃO, etc etc.
      Sem isso olula não poderia como hoje recorrer a cada hora aos bancos
      BIRD E BID,POIS FOI FEITO UM SEGURO A LONGO PRAZO.
      Renegociação da Dívida Externa, a partir da securitização (abril/1994), alongando o perfil de pagamentos em função da estabilidade da economia trazida pelo Plano Real.

  • Pierre, me diz outra coisa:

    De tudo o que vc escreve aqui sobre os professores da UFPE, a única conclusão possível é que esse pessoal, com raras exceções, não merece aumento de salário.

    Você vive chamando o professor da UFPE de improdutivo, faltoso, patrimonialista. Diz que a maioria das pesquisas realizadas discute o sexo dos anjos. Já citou barbaridades como um professor do CFCH que cedia sua sala pra uma figura morar. Daí pra pior.

    Desse jeito, pra quê aumentar o salário desse pessoal tão ruim de serviço, hein?

    • Martins, não dê uma de doido, que de doido você não tem nada, só se faz quando lhe convém.

      É claro que tem muito avacalhador dentro da UFPE, professor que não quer por… nenhuma da vida e vive se arrastando por ali e levando tudo na brincadeira. Tem também a turma do turismo, aqueles professores que adoram fazer tour pelo mundo com dinheiro público. Tem também aqueles que tem um milhão de atividades fora da universidade e, se duvidar, até se esqueceram onde fica a UFPE. Tem também os estrelas que estão mais preocupados em aparecer em coluna social e dar entrevista na televisão.

      Mas tem muita gente ali dentro séria, competente e produtiva. E esses não podem pagar a conta dos vadios, negligentes e irresponsáveis.

      Aliás, TODO órgão é assim. Sempre tem a turma que não quer nada com nada, mas tem os que levam nas costas. Não podemos dizer que em todo lugar SÓ tem malandrão, mesmo que os malandrões sejam a maioria. Seria o mesmo que dizer que todo aluno da universidade é maconheiro, o que, de fato, não é verdade, por mais que tenha muita gente ali que adora dar uma tapinha na pantera, ou melhor, tapinha não, um fuzilamento na pantera hahahahaha!!!!!!

      • Cara, já provei lá em cima, com base nos dados de Pierre, que o pior período para o salários dos professores das Ifes foi o governo FHC.

    • Martins
      Nem vou levar seu comentário em consideração.
      Você costuma ser melhor que isso.

      • Falei alguma mentira?

        • Ao criticar sistematicamente sua categoria, você acaba, mesmo sem querer, enfraquecendo a justa luta por melhores salários.

        • E tu queria o que martins? Que Pierre se omitisse em relação aos absurdos que acontecem dentro da universidade só pra passar a idéia que lá dentro é tudo maravilhoso?

          Eu leio esse blog com frequencia e estudei na UFPE e NUNCA vi um comentário sequer feito por Pierre nesse blog que fosse leviano em relação à situação da universidade. Todos os comentários trazem informações verossímeis e fidedignas a respeito do dia a dia da universidade. Se tem gente que se dói com isso aí são outros quinhentos (e cá entre nós, deve ter muito cidadão na universidade que adoraria mandar Pierre pra Sibéria com passagem só de ida).

        • OK, mas…..que empregador privado daria aumento de salário pra funcionários tão complicados?

        • Martins esclareceu o comportamento cínico desses militantes partidários: “Ao criticar sistematicamente sua categoria, você acaba, mesmo sem querer, enfraquecendo a justa luta por melhores salários.”

          Façam a transposição para “Ao criticar sistematicamente o governo, você acaba, mesmo sem querer, enfraquecendo a justa luta por melhores salários dos comissionados.”

          É daí que surge a cegueira voluntária.

        • Eita, que nada a ver da peste!!!

          Desde quando criticar o comportamento dos professores da UFPE é criticar o governo????

          Essa foi GENIAL!!!

      • O PIerre correu…

    • O interessante é que usam esse mesmo argumento para não dá aumento aos professores da rede estadual. Dizem que não dão aula, etc…. fraco argumento. Existem professores e professores…..toda categoria tem mal profissional….cabe ao gestor, eliminá-los de alguma forma.

  • VAMOS FAZER UMA COMPARAÇÃO PARA VERMOS QUANDO O BRASILEIRO FOI TRATADO MELHOR?

    HOJE NA ZONA RURAL:

    ACESSO A ESCOLA – CARRO PARA TRANSPORTAR ALUNOS DA ZONA RURAL PARA CIDADE..

    SAÚDE – SE VC PASSAR MAL NA ZONA RURAL, TEM UMA AMBULÂNCIA PARA PEGÁ-LO EM CASA .E LEVÁ-LO PARA CIDADE MAIS PRÓXIMA OU CAPITAL.

    ESTRADAS MUITO BOAS.

    NA PERIFERIA, ANTES CONSIDERADA FAVELAS – MELHOR CONDIÇÃO DE VIDA.

    OS BURGUESES, TÊM Q TER MAIS PACIÊNCIA, TEMOS Q RESGATAR O Q A CLASSE MENOS FAVORECIDA, DEIXOU DE GANHAR AO LONGO DO TEMPO.

    VAMOS CUIDAR DO POVO, POR ORDEM DE PRIORIDADE, QUEM ESTAVA PRECISANDO MAIS PRIMEIRO, ACREDITO Q CHEGARÁ A VEZ DE TODOS.

    VAMOS SIM, FAZER ALGUMA COISA PARA COMBATER OS LADROES, OS DESONESTOS, MAS VAMOS DEIXAR DE RECLAMAR E AGIR, VAMOS UNIR, DEBATER E ENCONTRAR CAMINHOS. VIVEMOS NUMA DEMOCRACIA, PODEMOS GRITAR E AGIR, POR Q NÃO FAZEMOS? ESTAMOS ESPERANDO ALGUÉM Q FAÇA PRA GENTE? QUEM NÃO AGE, NÃO DEVE RECLAMAR.

    • Não use maiúsculas na internet, por favor.

    • Hã?

    • Sonia, quanto tempo vc nao ve TV ?
      Acesso a escola por onibus ? Ambulancia para levar para hospital ?

      Onibus são de uns 20 anos atras, muitos sem cadeira ou tão enferrujados que as crianças podem pegar tetano só de entrar.

      Quanto tem-se alguma ambulancia, nao se encontra vaga no hospital, quando tem vaga, nao tem ambulancia.

    • Essa aí está assistindo muito Sítio do Pica-pau Amarelo ! kkkkkk
      Como bem diz o tagarela do Martins, escrever em letra maiúscula é grosseria.
      Assim como é grossa a vista de quem não quer ver a realidade.
      O blog está de parabéns, a excelência na educação é apartidária, e quaisquer desvios devem ser combatidos. Com educação, teremos melhores políticos e eleitores mais exigentes.
      Não como essa Poliana da estrela solitária…

  • Antunes: promessa é dívida.
    Cadê a explicação da briga João vs João
    que você prometeu aqui no blog.

    Se for verdade o que dizem,
    não vai sobrar pedra sobre pedra.

  • Todos são farinha do mesmo saco Lula e Fhc!!! Agora tem o seguinte, o PT tá no poder e com o Brasil fazendo parte do Brics, sexta economia e blá blá blá, e não dá uma atenção especial a educação remunerando bem seus professores??? Acho que o PT e seus petralhas estão na contra-mão do desenvolvimento sustentável. PETISTAS alienados de plantão, não sou contra partido nenhum, sou a favor do Brasil.

    • Claro, não é “contra partido nenhum”.. mas usa a linguagem de quem é radical e visceralmente contra o PT!!!!!

      • Já fui como você Martins, Petista radicalmente cego, hoje sou a favor do Brasil e “VICERALMENTE” contra
        todos esses bandidos do governo e da oposição e seus seguidores. Nada nem ninguém se salva nessa lama toda quando digo isso falo que 95% dos politicos são ladrões.

  • martins 02/05/2012 às 13:32
    E o mandato de Dilma atravessa a pior crise da economia mundial desde 1929, é bom lembrar.

    E o Brasil não está passando pelo melhor momento de sua história ? que desculpinha nojenta !!!!

    nunca antes nestepaiz…

    • O Brasil está num dos melhores momentos de sua história.

      O mundo não.

  • Martins é aquele que vive postando mensagens com fakes direto nos blogs. Já foi pego e até pediu desculpas. Deve ser uma alma santa …

    • Aconteceu uma vez sim. Uma única vez.

  • martins 02/05/2012 às 13:32
    E o mandato de Dilma atravessa a pior crise da economia mundial desde 1929, é bom lembrar.

    E o Brasil não está passando pelo melhor momento econômico de sua história ? que desculpinha nojenta !!!! Agora se continuar com muitos gastos (mal gasto) sociais, veremos a Europa olhar para o Brasil e dizer: eu sou você amanhã !!! Não distorçam o que eu disse !!!! (Martins e ALF) não sou contra gastos sociais !! ENSINE A PESCAR E PARE DE DAR O PEIXE !!!

    ALF

    Por que Lulinha/ Dilminha demoraram 9 anos e 4 meses de governo petralha para derrubar os juros bancário ? Porque tanto tempo ? No governo Lula os bancos tiveram os maiores lucros da história deste país !!!!

    E não esqueçam de acessar o http://www.blogdogarotinho.com.br/ e ver as esstripulias de Cabral aliado de Lula e Dilma e amigo de Cavendish que era amigo Cachoeira…

    • Oxe, porque ninguém derrubou antes de Lula e Dilma?

  • Não sabia que professores da UFPE ganhava tão pouco. Pensava que um professor da UFPE em início de carreira ganhava acima de R$ 6.000,00.

    • O salário inicial é R$ 7300.

      Aumenta um pouco a cada dois anos, e pula pra quase R$ 11 mil quando o professor vira Associado (oito anos depois do concurso, normalmente).

  • Ganha, mar, é só olhar o gráfico 1. O valor baixo é o do salário corrigido pela inflação de 1998.

    Eu desisti da vida acadêmica em 2002, porque a situação era muito ruim. Não acho que esteja (no geral) tão ruim quanto nos anos FHC, mas, é preciso, sim, aumentar um pouco os salários iniciais dos professores universitários, mas também é preciso lembrar que nos últimos anos foram contratados muitos professores, o que praticamente não aconteceu entre os governos Collor e FHC.

    Também é preciso lembrar, e isso faz uma diferença danada, que até o governo Lula, a carreira de professor universitário limitava-se a ridículos aumentos entre adjunto 1 e 4 (salvo engano, a cada faixa ganhava-se uns R$ 200,00 a mais, ou seja, do início ao fim da carreira havia uma diferença de uns R$ 600,00) e agora há a figura do professor associado, que ganha bem mais que um adjunto. Não falo dos titulares porque representa uma carreira a parte.

  • Ainda bem que você tem a inflação reposta no salário. Nós, servidores de PE, nem isso temos!

  • Pierre,

    pois eu acho que seria excelente que vc fizesse exatamente um curto levantamento, levando em conta a evolução salarial de pelo menos outras duas carreiras do executivo desde os anos FHC até hoje, o que ajudaria na comparação com os salários de professores e pesquisadores. Digamos, por exemplo, as de advogado público e a de auditor da receita. Suspeito que isso iria mostrar como o executivo tem investido uma fortuna no controle, deixando atividades-fim, que têm menos poder de pressão interno e capacidade de lobby, relegadas a segundo plano.
    Seria ótimo pra mostrar que o desenvolvimentismo soviético que orienta parte do governo não é fiel nem mesmo a seus próprios pressupostos.

    • Vou tentar ver isso Pablo.
      O problema é que as carreiras mudaram muito

    • “Seria ótimo pra mostrar que o desenvolvimentismo soviético que orienta parte do governo não é fiel nem mesmo a seus próprios pressupostos.”

      Não se engane, Pablo.

      Quando o governo investe uma fortuna nas carreiras de advogado público e a de auditor da receita, ele sabe muito bem o que está fazendo e está sendo bem fiel a seus VERDADEIROS pressupostos.

      Ele não precisa e não quer ser fiel aos pressupostos aparentes (aqueles que ele vende para o povo), até por que todo mundo sabe que esse papo de socialismo que o governo adora tagarelar para os quatro cantos não passa de conto do vigário pra enganar trouxa.

      O “desenvolvimentismo soviético” o governo deixa pro povo.

      Eles, do governo, preferem desfrutar o doce sabor que o liberalismo capitalista pode proporcionar.

      É aquela coisa: o cara vende garapa com fubá, mas bebe Dom Pérignon com beluga.

    • Pablo e Pierre, cordialmente, trago alguns dados.

      Aviso que tudo que transcrevo é referente à remuneração inicial, porém, ao analisarmos a remuneração final, a valorização dos “fiscais” foi maior que a dos professores, mas, ainda assim, os fiscais perderam pros pesquisadores.

      Em 2002, segundo a Assessoria do Ministério do Planejamento, o salário inicial bruto de um procurador era de R$ 3.564,03, sendo em 2010, R$ 14.549,53. O acréscimo foi de 308%. Neste meio tempo foi instituída a remuneração por subsídio, sem penduricalhos. O inicial de Auditor da RFB saiu de 4.544,53 e foi pra R$ 14.753,69 (225%). Estão sem aumento ou reparação desde julho de 2010.

      Em 2002, segundo a mesma fonte, um Professor Doutor de uma IFES com D.E. recebia R$ 2.167,56 e em 2010 esse salário foi para R$ 10.446,81. A evolução foi de 382%, a maior da tabela em que tive acesso. Não é subsídio. Também não tenho notícia de aumento.

      Os pesquisadores doutores do INPE/IBGE/INMETRO/FIOCRUZ, por sua vez, recebem salários equivalentes aos dos Procuradores e, em matéria de remuneração final, foram os que mais evoluíram (os com mestrado).

      Minha conclusão, Lula promoveu uma valorização do estado com forte aumento salarial para as carreiras de nível superior. A valorização das carreiras jurídicas do Executivo caminhou em conjunto com diversas outras não jurídicas, v.g., Analista do Ministério do Planejamento, Analista do BC, Diplomata, Auditor do TCU, Analista da CVM etc. O pessoal das Exatas dos maiores concursos estão faturando o equivalente nas Petrobras, Transpetro, Eletrobras, BNDES, etc.

      Vamos em frente.

      Fontes:

      http://www.concursospublicos.pro.br/novidades-de-concursos/evolucao-salarial-no-servico-publico

      http://www.servidor.gov.br/publicacao/tabela_remuneracao/tab_remuneracao/tab_rem_11/tab_57_2011.pdf

  • As reações do martins a este post são hilariantes!

    • Quais?

      Mostrar que “Lula pegou o salário real em 88,25 e entregou em 102,89″ te faz rir?

      • Quer que eu explique mesmo? Ok.

        Pierre prova por A + B que a “valorização do professor” dos governos do PT, que você tanto propagandeia, é uma falácia. Daí você vem com essa!

        “De tudo o que vc escreve aqui sobre os professores da UFPE, a única conclusão possível é que esse pessoal, com raras exceções, não merece aumento de salário.”

        É mais fácil para você insinuar que todos os professores são uns bostas, em vez de admitir que talvez o PT não fez o que tem dito por aí! Você está a um passo do duplipensar, sinceramente.

        • Prova nada.

          Ele prova que o salário despencou no governo FHC, subiu no governo Lula e está caindo com Dilma (mas ainda está acima do que FHC deixou).

          E foi exatamente isso o que eu disse.

        • Ah, sim, o governo do PT criou a categoria de Professor Associado, que representa um aumento de 50% no salário após oito anos de carreira.

          Como disse Márcio Cabral de Moura, isso faz uma grande diferença.

          Mas repito: Dilma precisa rever sua política e retomar os reajustes. A perda desde 2010 é grande.

        • Fora as 14 universidades criadas (contra zero de FHC)…e as mais de 200 escolas técnicas (contra zero de FHC…).

          Não tem comparação, galera!

          São fatos.

        • Difícil ver algum importância em um professor adjunto que dedicou pelo menos mais 8 anos, entre graduação e doutorado, de estudo e dedicação de forma presencial em instituições de ensino superior de qualidade, não é MARTINS? Ainda mais neste sistema no qual qualquer um com cargo comissionado e graduados de ensino a distância ou de faculdades particulares ganham muito mais.
          Sou nordestina, tenho origem humilde e fui MUITO BEM CRIADA por uma pessoa que mal sabia assinar o próprio nome, mas que soube me ensinar o valor da educação, do trabalho e da honestidade. Algumas das características que o Lula, seu modelo de presidente fanfarrão, usou durante seus dois mandatos como desculpa pra sua desonestidade, picaretagem e oportunismo. Fiz campanha e votei no Lula, mas não sou cega a ponto de achar que está tudo as mil maravilhas. Esta politica pseudo-populista do “pão e circo” (agora sendo re-aproveitada pela Dilma) é um desastre, resta saber se ela vai nos levar… E viva a Copa de 2014, não é mesmo?

  • Olha aí o governo da terrorista.

    O funcionalismo tá comendo arrolhado e isso é só o começo…

    • Terrorista?

      Lá vêm chegando os fanáticos saudosos da Ditadura….

  • Ô Martins, o cara falou a verdade, Dilma é ex terrorista e é responsável pela morte do Soldado Klotzel, se hoje ela é Presidente da República eu vou respeita-la pelo posto e pela vontade do povo, mas jamais vou esquecer de onde ela veio.

    Não esqueça, os seus atos são para sempre, pois geram consequencias que não podem ser revertidas, pois mesmo que ela se arrependa, o soldado morto não vai ressucitar.

    • Não, ela não foi responsável pela morte de soldado algum, amigo. Nunca participou de ações armadas.

      • Dilma fez parte da COLINA, VAR-Palmares e VPR. A função de Dilma era dar aulas de piano e crochê aos amigos revolucionários.

        • Nunca participou de ações armadas.

        • Não Martins, terrorismo é isso aqui:

          AS VÍTIMAS DAS ESQUERDAS ANTES DO AI-5

          1 – 12/11/64 – Paulo Macena, Vigia – RJ
          Explosão de bomba deixada por uma organização comunista nunca identificada, em protesto contra a aprovação da Lei Suplicy, que extinguiu a UNE e a UBES. No Cine Bruni, Flamengo, com seis feridos graves e 1 morto

          2 – 27/03/65- Carlos Argemiro Camargo, Sargento do Exército – Paraná
          Emboscada de um grupo de militantes da Força Armada de Libertação Nacional (FALN), chefiado pelo ex-coronel Jeffersom Cardim de Alencar Osorio. Camargo foi morto a tiros. Sua mulher estava grávida de sete meses.

          3 – 25/07/66 – Edson Régis de Carvalho, Jornalista – PE
          Explosão de bomba no Aeroporto Internacional de Guararapes, com 17 feridos e 2 mortos. Ver próximo nome.

          4 – 25/07/66 – Nelson Gomes Fernandes, almirante – PE
          Morto no mesmo atentado citado no item 3. Além das duas vítimas fatais, ficaram feridas 17 pessoas, entre elas o então coronel do Exército Sylvio Ferreira da Silva. Além de fraturas expostas, teve amputados quatro dedos da mão esquerda. Sebastião Tomaz de Aquino, guarda civil, teve a perna direita amputada.

          5 – 28/09/66 – Raimundo de Carvalho Andrade – Cabo da PM, GO
          Morto durante uma tentativa de desocupação do Colégio Estadual Campinas, em Goiânia, que havia sido ocupado por estudantes de esquerda. O grupo de soldados convocado para a tarefa era formado por burocratas, cozinheiros etc. Estavam armados com balas de festim. Andrade, que era alfaiate da Polícia Militar, foi morto por uma bala de verdade disparada de dentro da escola.

          6 – 24/11/67 – José Gonçalves Conceição (Zé Dico) – fazendeiro – SP
          Morto por Edmur Péricles de Camargo, integrante da Ala Marighella, durante a invasão da fazenda Bandeirante, em Presidente Epitácio. Zé Dico foi trancado num quarto, torturado e, finalmente, morto com vários tiros. O filho do fazendeiro que tentara socorrer o pai foi baleado por Edmur com dois tiros nas costas.

          7 – 15/12/67 – Osíris Motta Marcondes, bancário – SP
          Morto quando tentava impedir um assalto terrorista ao Banco Mercantil, do qual era o gerente.

          8 – 10/01/68 – Agostinho Ferreira Lima – Marinha Mercante – Rio Negro/AM
          No dia 06/12/67, a lancha da Marinha Mercante “Antônio Alberto” foi atacada por um grupo de nove terroristas, liderados por Ricardo Alberto Aguado Gomes, “Dr. Ramon”, que, posteriormente, ingressou na Ação Libertadora Nacional (ALN). Neste ataque, Agostinho Ferreira Lima foi ferido gravemente, vindo a morrer no dia 10/01/68.

          9 – 31/05/68 – Ailton de Oliveira, guarda Penitenciário – RJ
          O Movimento Armado Revolucionário (MAR) montou uma ação para libertar nove de seus membros que cumpriam pena na Penitenciária Lemos de Brito (RJ) e que, uma vez libertados, deveriam seguir para a região de Conceição de Jacareí, onde o MAR pretendia estabelecer o “embrião do foco guerrilheiro”. No dia 26/05/68, o estagiário Júlio César entregou à funcionária da penitenciária Natersa Passos, num pacote, três revólveres calibre 38. Às 17h30, teve início a fuga. Os terroristas foram surpreendidos pelos guardas penitenciários Ailton de Oliveira e Jorge Félix Barbosa. Foram feridos, e Ailton morreu no dia 31/05/68. Ainda ficou gravemente ferido o funcionário da Light João Dias Pereira, que se encontrava na calçada da penitenciária. O autor dos disparos que atingiram o guarda Ailton foi o terrorista Avelino Brioni Capitani

          10 – 26/06/68- Mário Kozel Filho – Soldado do Exército – SP
          No dia 26/06/68, Kozel atua como sentinela do Quartel General do II Exército. Às 4h30, um tiro é disparado por um outro soldado contra uma camioneta que, desgovernada, tenta penetrar no quartel. Seu motorista saltara dela em movimento, após acelerá-la e direcioná-la para o portão do QG. O soldado Rufino, também sentinela, dispara 6 tiros contra o mesmo veículo, que, finalmente, bate na parede externa do quartel. Kozel sai do seu posto e corre em direção ao carro para ver se havia alguém no seu interior. Havia uma carga com 50 quilos de dinamite, que, segundos depois, explode. O corpo de Kozel é dilacerado. Os soldados João Fernandes, Luiz Roberto Julião e Edson Roberto Rufino ficam muito feridos. É mais um ato terrorista da organização chefiada por Lamarca, a VPR. Participaram do crime os terroristas Diógenes José de Carvalho Oliveira, Waldir Carlos Sarapu, Wilson Egídio Fava, Onofre Pinto, Edmundo Coleen Leite, José Araújo Nóbrega, Oswaldo Antônio dos Santos, Dulce de Souza Maia, Renata Ferraz Guerra Andrade e José Ronaldo Tavares de Lima e Silva. Ah, sim: a família de Lamarca recebeu indenização. De Kozel, quase ninguém mais se lembra.

          11 – 27/06/68 – Noel de Oliveira Ramos – civil – RJ
          Morto com um tiro no coração em conflito na rua. Estudantes distribuíam, no Largo de São Francisco, panfletos a favor do governo e contra as agitações estudantis conduzidas por militantes comunistas. Gessé Barbosa de Souza, eletricista e militante da VPR, conhecido como “Juliano” ou “Julião”, infiltrado no movimento, tentou impedir a manifestação com uma arma. Os estudantes, em grande maioria, não se intimidaram e tentaram segurar Gessé que fugiu atirando, atingindo mortalmente Noel de Oliveira Ramos e ferindo o engraxate Olavo Siqueira.

          12- 27/06/68 – Nelson de Barros – Sargento PM – RJ
          No dia 21/06/68, conhecida como a “Sexta-Feira Sangrenta”, realizou-se no Rio uma passeata contra o regime militar. Cerca de 10.000 pessoas ergueram barricadas, incendiaram carros, agrediram motoristas, saquearam lojas, atacaram a tiros a embaixada americana e as tropas da Polícia Militar. No fim da noite, pelo menos 10 mortos e centenas de feridos. Entre estes, estava o sargento da PM Nelson de Barros, que morreu no dia 27.

          13 – 01/07/68 – Edward Ernest Tito Otto Maximilian Von Westernhagen – major do Exército Alemão – RJ
          Morto no Rio, onde fazia o Curso da Escola de Comando e Estado Maior do Exército. Assassinado na rua Engenheiro Duarte, Gávea, por ter sido confundido com o major boliviano Gary Prado, suposto matador de Che Guevara, que também cursava a mesma escola. Autores: Severino Viana Callou, João Lucas Alves e um terceiro não-identificado. Todos pertenciam à organização terrorista COLINA- Comando de Libertação Nacional.

          14 – 07/09/68 – Eduardo Custódio de Souza – Soldado PM – SP
          Morto com sete tiros por terroristas de uma organização não identificada quando de sentinela no DEOPS, em São Paulo.

          15 – 20/09/68 – Antônio Carlos Jeffery – Soldado PM – SP
          Morto a tiros quando de sentinela no quartel da então Força Pública de São Paulo (atual PM) no Barro Branco. Organização terrorista que praticou o assassinato: Vanguarda Popular Revolucionária. Assassinos: Pedro Lobo de Oliveira, Onofre Pinto, Diógenes José Carvalho de Oliveira, atualmente conhecido como “Diógenes do PT”, ex-auxiliar de Olívio Dutra no Governo do RS.

          16- 12/10/68 – Charles Rodney Chandler – Cap. do Exército dos Estados Unidos – SP
          Herói na guerra com o Vietnã, veio ao Brasil para fazer o Curso de Sociologia e Política, na Fundação Álvares Penteado, em São Paulo/SP. No início de outubro de 68, um “Tribunal Revolucionário”, composto pelos dirigentes da VPR (Vanguarda Popular Revolucionária), Onofre Pinto (Augusto, Ribeiro, Ari), João Carlos Kfouri Quartin de Morais (Maneco) e Ladislas Dowbor (Jamil), condenou o capitão Chandler à morte, porque ele “seria um agente da CIA”. Os levantamentos da rotina de vida do capitão foram realizados por Dulce de Souza Maia (Judite). Quando retirava seu carro das garagem para seguir para a Faculdade, Chandler foi assassinado com 14 tiros de metralhadora e vários tiros de revólver, na frente da sua mulher, Joan, e de seus 3 filhos. O grupo de execução era constituído pelos terroristas Pedro Lobo de Oliveira (Getúlio), Diógenes José de Carvalho Oliveira (Luis, Leonardo, Pedro) e Marco Antônio Bráz de Carvalho (Marquito).

          17 – 24/10/68 – Luiz Carlos Augusto – civil – RJ
          Morto, com 1 tiro, durante uma passeata estudantil.

          18 – 25/10/68 – Wenceslau Ramalho Leite – civil – RJ
          Morto, com quatro tiros de pistola Luger 9mm durante o roubo de seu carro, na avenida 28 de Setembro, Vila Isabel, RJ. Autores: Murilo Pinto da Silva (Cesar ou Miranda) e Fausto Machado Freire (Ruivo ou Wilson), ambos integrantes da organização terrorista COLINA (Comando de Libertação Nacional).

          19 – 07/11/68 – Estanislau Ignácio Correia – Civil – SP
          Morto pelos terroristas Ioshitame Fugimore, Oswaldo Antônio dos Santos e Pedro Lobo Oliveira, todos integrantes da Vanguarda Popular Revolucionária(VPR), quando roubavam seu automóvel na esquina das ruas Carlos Norberto Souza Aranha e Jaime Fonseca Rodrigues, em São Paulo.

          20 – 07/01/69 – Alzira Baltazar de Almeida – dona de casa – Rio de Janeiro/RJ
          Uma bomba jogada por terroristas embaixo de uma viatura policia, estacionada em frente à 9ª Delegacia de Polícia, ao explodir, matou Alzira, que passava pela rua

          21 – 11/01/69 – Edmundo Janot – Lavrador – Rio de Janeiro / RJ
          Morto a tiros, foiçadas e facadas por um grupo de terroristas que haviam montado uma base de guerrilha nas proximidades da sua fazenda.

          22 – 29/01/69 – Cecildes Moreira de Faria – Subinspetor de Polícia – BH/ MG

          23 – 29/01/69 – José Antunes Ferreira – guarda civil-BH/MG
          Policiais chegaram a um “aparelho” do Comando de Libertação Nacional (Colina), na rua Itacarambu nº 120, bairro São Geraldo. Foram recebidos por rajadas de metralhadora, disparadas por Murilo Pinto Pezzuti da Silva , “Cesar’ ou “Miranda”, que mataram o subinspetor Cecildes Moreira da Silva (ver acima), que deixou viúva e oito filhos menores. Ferreira também morreu. Além do assassino, foram presos os seguintes terroristas: Afonso Celso L.Leite (Ciro), Mauricio Vieira de Castro (Carlos), Nilo Sérgio Menezes Macedo, Júlio Antonio Bittencourt de Almeida (Pedro), Jorge Raimundo Nahas (Clovis ou Ismael) e Maria José de Carvalho Nahas (Celia ou Marta). No interior do “aparelho”, foram apreendidos 1 fuzil FAL, 5 pistolas, 3 revólveres, 2 metralhadoras, 2 carabinas, 2 granadas de mão, 702 bananas de dinamite, fardas da PM e dinheiro de assaltos.

          24 – 14/04/69 – Francisco Bento da Silva – motorista – SP
          Morto durante um assalto, praticado pela Ala Vermelha do PC do B ao carro pagador (uma Kombi) do Banco Francês-Italiano para a América do Sul, na Alameda Barão de Campinas, quando foram roubados vinte milhões de cruzeiros. Participaram desta ação os seguintes terroristas: Élio Cabral de Souza, Derly José de Carvalho, Daniel José de Carvalho, Devanir José de Carvalho, James Allen Luz, Aderval Alves Coqueiro, Lúcio da Costa Fonseca, Gilberto Giovanetti, Ney Jansen Ferreira Júnior, Genésio Borges de Melo e Antônio Medeiros Neto

          25 – 14/04/69 – Luiz Francisco da Silva – guarda bancário -SP
          Também Morto durante o assalto acima relatado.

          26 – 08/05/69 – José de Carvalho – Investigador de Polícia – SP
          Atingido com um tiro na boca durante um assalto ao União de Bancos Brasileiros, em Suzano, no dia 07 de maio, vindo a falecer no dia seguinte. Nessa ação, os terroristas feriram, também, Antonio Maria Comenda Belchior e Ferdinando Eiamini. Participaram os seguintes terroristas da Ação Libertadora Nacional (ALN): Virgílio Gomes da Silva, Aton Fon Filho, Takao Amano, Ney da Costa Falcão, Manoel Cyrilo de Oliveira Neto e João Batista Zeferino Sales Vani. Takao Amano foi baleado na coxa e operado, em um “aparelho médico” por Boanerges de Souza Massa, médico da ALN.

          27 – 09/05/69 – Orlando Pinto da Silva – Guarda Civil – SP
          Morto com dois tiros, um na nuca e outro na testa, disparados por Carlos Lamarca, durante assalto ao Banco Itaú, na rua Piratininga, Bairro da Mooca. Na ocasião também foi esfaqueado o gerente do Banco, Norberto Draconetti. Organização responsável por esse assalto: Vanguarda Popular Revolucionária (VPR).

          28 – 27/05/69 – Naul José Montovani – Soldado PM – SP
          Em 27/05/69 foi realizada uma ação contra o 15º Batalhão da Força Pública de São Paulo, atual PMESP, na Avenida Cruzeiro do Sul, SP/SP. Os terroristas Virgílio Gomes da Silva, Aton Fon Filho, Carlos Eduardo Pires Fleury, Maria Aparecida Costa, Celso Antunes Horta e Ana Maria de Cerqueira César Corbusier metralharam o soldado Naul José Montovani, que estava de sentinela e que morreu instantaneamente. O soldado Nicário Conceição Pulpo, que correu ao local ao ouvir os disparos, foi gravemente ferido na cabeça, tendo ficado paralítico.

          29 – 04/06/69 – Boaventura Rodrigues da Silva – Soldado PM – SP
          Morto por terroristas durante assalto ao Banco Tozan.

          30 – 22/06/69 – Guido Boné – soldado PM – SP
          Morto por militantes da ALN que atacaram e incendiaram a rádio-patrulha RP 416, da então Força Pública de São Paulo, hoje Polícia Militar, matando os seus dois ocupantes, os soldados Guido Bone e Natalino Amaro Teixeira, roubando suas armas.

          31 – 22/06/69 – Natalino Amaro Teixeira – Soldado PM – SP
          Morto por militantes da ALN na ação acima relatada.

          32 – 11/07/69 – Cidelino Palmeiras do Nascimento – Motorista de táxi – RJ
          Morto a tiros quando conduzia, em seu carro, policiais que perseguiam terroristas que haviam assaltado o Banco Aliança, agência Muda. Participaram deste assassinato os terroristas Chael Charles Schreier, Adilson Ferreira da Silva, Fernando Borges de Paula Ferreira, Flávio Roberto de Souza, Reinaldo José de Melo, Sônia Eliane Lafóz e o autor dos disparos Darci Rodrigues, todos pertencentes a organização terrorista VAR-Palmares.

          33 – 24/07/69 – Aparecido dos Santos Oliveira – Soldado PM – SP
          O Banco Bradesco, na rua Turiassu, no Bairro de Perdizes, foi assaltado por uma frente de grupos de esquerda. Foram roubados sete milhões de cruzeiros. Participaram da ação:
          - Pelo Grupo de Expropriação e Operação: Devanir José de Carvalho, James Allen Luz, Raimundo Gonçalves de Figueiredo, Ney Jansen Ferreira Júnior, José Couto Leal;
          - Pelo Grupo do Gaúcho: Plínio Petersen Pereira, Domingos Quintino dos Santos, Chaouky Abara;
          - Pela VAR-Palmares: Chael Charles Schreier, Roberto Chagas e Silva, Carmem Monteiro dos Santos Jacomini e Eduardo Leite.
          Raimundo Gonçalves Figueiredo baleou o soldado Oliveira. Já caído, ele recebeu mais quatro tiros disparados por Domingos Quintino dos Santos.

          34 – 20/08/69 – José Santa Maria – Gerente de Banco – RJ
          Morto por terroristas que assaltaram o Banco de Crédito Real de Minas Gerais, do qual era gerente

          35 – 25/08/69 – Sulamita Campos Leite – dona de casa, PA
          Parente do terrorista Flávio Augusto Neves Leão Salles. Morta na casa dos Salles, em Belém, ao detonar, por inadvertência ,uma carga de explosivos escondida pelo terrorista

          36 – 31/08/69 – Mauro Celso Rodrigues – Soldado PM – MA
          Morto quando procurava impedir a luta entre proprietários e posseiros, incitada por movimentos subversivos.

          37 – 03/09/69 – José Getúlio Borba – Comerciário – SP
          Os terroristas da Ação Libertadora Nacional (ALN) Antenor Meyer, José Wilson Lessa Sabag, Francisco José de Oliveira e Maria Augusta Tomaz resolveram comprar um gravador na loja Lutz Ferrando, na esquina da Avenida Ipiranga com a Rua São Luis. O pagamento seria feito com um cheque roubado num assalto. Descobertos, receberam voz de prisão e reagiram. Na troca de tiros, o guarda civil João Szelacsak Neto ficou ferido com um tiro na coxa, e o funcionário da loja, José Getúlio Borba, foi mortalmente ferido. Perseguidos pela polícia, o terrorista José Wilson Lessa Sabag matou a tiros o soldado da Força Pública (atual PM) João Guilherme de Brito.

          38 – 03/09/69 – João Guilherme de Brito – Soldado da Força Pública/SP
          Morto na ação acima narrada.

          39 – 20/09/69 – Samuel Pires – Cobrador de ônibus – SP
          Morto por terroristas quando assaltavam uma empresa de ônibus.

          40 – 22/09/69 – Kurt Kriegel – Comerciante – Porto Alegre/RS
          Comerciante Kurt Kriegel, morto pela Var-Palmates em Porto Alegre.

          41 – 30/09/69 – Cláudio Ernesto Canton – Agente da Polícia Federal – SP
          Após ter efetuado a prisão de um terrorista, foi atingido na coluna vertebral, vindo a falecer em conseqüência desse ferimento.

          42 – 04/10/69 – Euclídes de Paiva Cerqueira – Guarda particular – RJ
          Morto por terroristas durante assalto ao carro transportador de valores do Banco Irmãos Guimarães

          43 – 06/10/69 – Abelardo Rosa Lima – Soldado PM – SP
          Metralhado por terroristas numa tentativa de assalto ao Mercado Peg-Pag. Autores: Devanir José de Carvalho (Henrique) , Walter Olivieri, Eduardo Leite (Bacuri), Mocide Bucherone e Ismael Andrade dos Santos. Organizações Terroristas: REDE (Resistência Democrática) e MRT (Movimento Revolucionário Tiradentes).

          44 – 07/10/69 – Romildo Ottenio – Soldado PM – SP
          Morto quando tentava prender um terrorista.

          45 – 31/10/69 – Nilson José de Azevedo Lins- civil – PE
          Gerente da firma Cornélio de Souza e Silva, distribuidora da Souza Cruz, em Olinda. Foi assaltado e morto quando ia depositar, no Banco, o dinheiro da firma. Organização: PCBR (Partido Comunista Brasileiro Revolucionário). Autores: Alberto Vinícius Melo do Nascimento, Rholine Sonde Cavalcante Silva, Carlos Alberto Soares e João Maurício de Andrade Baltar

          46 – 04/11/69 – Estela Borges Morato – Investigadora do DOPS – SP
          Morta a tiros quando participava da operação em que morreu o terrorista Carlos Marighela.

          47 – 04/11/69 – Friederich Adolf Rohmann – Protético – SP
          Morto durante a operação que resultou na morte do terrorista Carlos Marighela.

          48 – 14/11/69 – Orlando Girolo – Bancário – SP
          Morto por terroristas durante assalto ao Bradesco.

          49 – 17/11/69 – Joel Nunes – Subtenente PM – RJ
          Neste dia, o PCBR assaltou o Banco Sotto Maior, na Praça do Carmo, no subúrbio carioca de Brás de Pina, de onde foram roubados cerca de 80 milhões de cruzeiros. Na fuga, obstados por uma viatura policial, surgiu um violento tiroteio no qual Avelino Bioni Capitani matou o sargento da PM Joel Nunes. Na ocasião, foi preso o terrorista Paulo Sérgio Granado Paranhos.

          50 – 18/12/69 – Elias dos Santos – Soldado do Exército – RJ
          Havia um aparelho do PCBR na rua Baronesa de Uruguaiana nº 70, no bairro de Lins de Vasconcelos. Ali, Prestes de Paula, ao fugir pelos fundos da casa, disparou um tiro de pistola 45 contra Elias dos Santos.

          51 – 17/01/70 – José Geraldo Alves Cursino – Sargento PM – São Paulo / SP
          Morto a tiros por terroristas.

          52 – 20/02/70 – Antônio Aparecido Posso Nogueró – Sargento PM – São Paulo
          Morto pelo terrorista Antônio Raimundo de Lucena quando tentava impedir um ato terrorista no Jardim Cerejeiras, Atibaia/SP.

          53 – 11/03/70 – Newton de Oliveira Nascimento – Soldado PM – Rio de Janeiro
          No dia 11/03/70, os militantes do grupo tático armado da ALN Mário de Souza Prata, Rômulo Noronha de Albuquerque e Jorge Raimundo Júnior deslocavam-se num carro Corcel azul, roubado, dirigido pelo último, quando foram interceptados no bairro de Laranjeiras- RJ por uma patrulha da PM. Suspeitando do motorista, pela pouca idade que aparentava, e verificando que Jorge Raimundo não portava habilitação, os policiais ordenaram-lhe que entrasse no veículo policial, junto com Rômulo Noronha Albuquerque, enquanto Mauro de Souza Prata, acompanhado de um dos soldados, iria dirigindo o Corcel até a delegacia mais próxima. Aproveitando-se do descuido dos policiais, que não revistaram os detidos, Mário, ao manobrar o veículo para colocá-lo à frente da viatura policial, sacou de uma arma e atirou, matando com um tiro na testa o soldado da PM Newton Oliveira Nascimento, que o escoltava no carro roubado. O soldado Newton deixou a viúva dona Luci e duas filhas menores, de quatro e dois anos.

          54 – 31/03/70 – Joaquim Melo – Investigador de Polícia – Pernambuco
          Morto por terroristas durante ação contra um “aparelho”

          55 – 02/05/70 – João Batista de Souza – Guarda de Segurança – SP
          Um comando terrorista, integrado por Devanir José de Carvalho, Antonio André Camargo Guerra, Plínio Petersen Pereira, Waldemar Abreu e José Rodrigues Ângelo, pelo Movimento Revolucionário Tiradentes (MRT), e mais Eduardo Leite (Bacuri), pela Resistência Democrática (REDE), assaltaram a Companhia de Cigarros Souza Cruz, no Cambuci/SP. Na ocasião Bacuri assassinou o guarda de segurança João Batista de Souza.

          56 – 10/05/70 – Alberto Mendes Junior- 1º Tenente PM – SP
          Esta é uma das maiores expressões da covardia e da violência de que era capaz o terrorista Carlos Lamarca. No dia 08/05/70, 7 terroristas, chefiados por ele, estavam numa pick-up e pararam num posto de gasolina em Eldorado Paulista. Foram abordados por policiais e reagiram a bala, conseguindo fugir. Ciente do ocorrido, o Tenente Mendes organizou uma patrulha. Em duas viaturas, dirigiu-se de Sete Barras para Eldorado Paulista. Por volta das 21h, houve o encontro com os terroristas, que estavam armados com fuzis FAL, enquanto os PMs portavam o velho fuzil Mauser modelo 1908. Em nítida desvantagem bélica, vários PMs foram feridos, e o Tenente Mendes verificou que diversos de seus comandados estavam necessitando de urgentes socorros médicos. Julgando-se cercado, Mendes aceitou render-se desde que seus homens pudessem receber o socorro necessário. Tendo os demais componentes da patrulha permanecido como reféns, o Tenente levou os feridos para Sete Barras.

          De madrugada, a pé e sozinho, Mendes buscou contato com os terroristas, preocupado que estava com o restante de seus homens. Encontrou Lamarca, que decidiu seguir com seus companheiros e com os prisioneiros para Sete Barras. Ao se aproximarem dessa localidade, foram surpreendidos por um tiroteio, ocasião em que dois terroristas – Edmauro Gopfert e José Araújo Nóbrega – desgarraram-se do grupo, e os cinco terroristas restantes embrenharam-se no mato, levando junto o Tenente Mendes. Depois de caminharem um dia e meio na mata, os terroristas e o tenente pararam para descansar. Carlos Lamarca, Yoshitame Fujimore e Diógenes Sobrosa de Souza afastaram-se e formaram um “tribunal revolucionário”, que resolveu assassinar o Tenente Mendes. Os outros dois, Ariston Oliveira Lucena e Gilberto Faria Lima, ficaram vigiando o prisioneiro.

          Poucos minutos depois, os três terroristas retornaram. Yoshitame Fujimore desfechou-lhe violentos golpes na cabeça, com a coronha de um fuzil. Caído e com a base do crânio partida, o Tenente Mendes gemia e se contorcia em dores. Diógenes Sobrosa de Souza desferiu-lhe outros golpes na cabeça, esfacelando-a. Ali mesmo, numa pequena vala e com seus coturnos ao lado da cabeça ensangüentada, o Tenente Mendes foi enterrado. Em 08/09/70, Ariston Lucena foi preso pelo DOI-CODI e apontou o local onde o tenente estava enterrado.

          57 – 11/06/70 – Irlando de Moura Régis – Agente da Polícia Federal – RJ
          Foi assassinado durante o seqüestro do embaixador da Alemanha, Ehrendfried Anton Theodor Ludwig Von Holleben. A operação foi executada pelo Comando Juarez Guimarães de Brito. Participaram Jesus Paredes Soto, José Maurício Gradel, Sônia Eliane Lafóz, José Milton Barbosa, Eduardo Coleen Leite (Bacuri), que matou Irlando, Herbert Eustáquio de Carvalho, José Roberto Gonçalves de Rezende, Alex Polari de Alverga e Roberto Chagas da Silva.

          58 – 15/07/70 – Isidoro Zamboldi – segurança – SP
          Morto pela terrorista Ana Bursztyn durante assalto à loja Mappin.

          59 – 12/08/70 – Benedito Gomes – Capitão do Exército – SP
          Morto por terroristas, no interior do seu carro, na Estrada Velha de Campinas.

          60 – 19/08/70 – Vagner Lúcio Vitorino da Silva – Guarda de segurança – RJ
          Morto durante assalto do Grupo Tático Armado da organização terrorista MR-8 ao Banco Nacional de Minas Gerais, no bairro de Ramos. Sônia Maria Ferreira Lima foi quem fez os disparos que o mataram. Participaram, também, dessa ação os terroristas Reinaldo Guarany Simões, Viriato Xavier de Melo Filho e Benjamim de Oliveira Torres Neto, os dois últimos recém-chegados do curso em Cuba.

          61 – 29/08/70 – José Armando Rodrigues – Comerciante – CE
          Proprietário da firma Ibiapaba Comércio Ltda. Após ter sido assaltado em sua loja, foi seqüestrado, barbaramente torturado e morto a tiros por terroristas da ALN. Após seu assassinato, seu carro foi lançado num precipício na serra de Ibiapaba, em São Benedito, CE. Autores: Ex-seminaristas Antônio Espiridião Neto e Waldemar Rodrigues Menezes (autor dos disparos), José Sales de Oliveira, Carlos de Montenegro Medeiros, Gilberto Telmo Sidney Marques, Timochenko Soares de Sales e Francisco William.

          62 – 14/09/70 – Bertolino Ferreira da Silva – Guarda de segurança – SP
          Morto durante assalto praticado pelas organizações terroristas ALN e MRT ao carro pagador da empresa Brinks, no Bairro do Paraíso em são Paulo.

          63 – 21/09/70 – Célio Tonelly – soldado da PM – SP
          Morto em Santo André. Quando de serviço em uma rádio-patrulha, tentou deter terroristas que ocupavam um automóvel.

          64 – 22/09/70 – Autair Macedo – Guarda de segurança – RJ
          Morto por terroristas, durante assalto a empresa de ônibus Amigos Unidos

          65 – 27/10/70 – Walder Xavier de Lima – Sargento da Aeronáutica – BA
          Morto quando, ao volante de uma viatura, conduzia terroristas presos, em Salvador. O assassino, Theodomiro Romeiro dos Santos (Marcos) o atingiu com um tiro na nuca. Organização: PCBR (Partido Comunista Brasileiro Revolucionário).

          66 – 10/11/70 – José Marques do Nascimento – civil – SP
          Morto por terroristas que trocavam tiros com a polícia.

          67 – 10/11/70 – Garibaldo de Queiroz – Soldado PM – SP
          Morto em confronto com terroristas da VPR (Vanguarda Popular Revolucionária) que faziam uma panfletagem armada na Vila Prudente, São Paulo.

          68 – 10/11/70 – José Aleixo Nunes – soldado PM – SP
          Também morto na ocorrência relatada acima.

          69 – 10/12/70 – Hélio de Carvalho Araújo – Agente da Polícia Federal – RJ
          No dia 07/12, o embaixador da Suíça no Brasil, Giovanni Enrico Bucher, foi seqüestrado pela VPR. Participaram da operação os terroristas Adair Gonçalves Reis, Gerson Theodoro de Oliveira, Maurício Guilherme da Silveira, Alex Polari de Alverga, Inês Etienne Romeu, Alfredo Sirkis, Herbert Eustáquio de Carvalho e Carlos Lamarca. Após interceptar o carro que conduzia o Embaixador, Carlos Lamarca bateu com um revólver Smith-Wesson, cano longo, calibre 38, no vidro do carro. Abriu a porta traseira e, a uma distância de dois metros, atirou, duas vezes contra o agente Hélio. Os terroristas levaram o embaixador e deixaram o agente agonizando. Transferido para o hospital Miguel Couto, morreu no dia 10/12/70.

          70 – 07/01/71 – Marcelo Costa Tavares – Estudante – MG
          Morto por terroristas durante um assalto ao Banco Nacional de Minas Gerais.
          Autor dos disparos: Newton Moraes.

          71 – 12/02/71 – Américo Cassiolato – Soldado PM – São Paulo
          Morto por terroristas em Pirapora do Bom Jesus.

          72 – 20/02/71 – Fernando Pereira – Comerciário – Rio de Janeiro
          Morto por terroristas quando tentava impedir um assalto ao estabelecimento “Casa do Arroz”, do qual era gerente.

          73 – 08/03/71 – Djalma Peluci Batista – Soldado PM – Rio de Janeiro
          Morto por terroristas, durante assalto ao Banco do Estado do Rio de Janeiro.

          74 – 24/03/71 – Mateus Levino dos Santos – Tenente da FAB – Pernambuco
          O PCBR necessitava roubar um carro para participar do seqüestro do cônsul norte-americano, em Recife. No dia 26/06/70, o grupo decidiu roubar um Fusca, estacionado em Jaboatão dos Guararapes, na Grande Recife, nas proximidades do Hospital da Aeronáutica. Ao tentarem render o motorista, descobriram tratar-se de um tenente da Aeronáutica. Carlos Alberto disparou dois tiros contra o militar: um na cabeça e outro no pescoço. Depois de nove meses de intenso sofrimento, morreu no dia 24 de março de 1971, deixando viúva e duas filhas menores. O imprevisto levou o PCBR a desistir do seqüestro.

          75 – 04/04/71 – José Julio Toja Martinez – Major do Exército – Rio de Janeiro
          No início de abril, a Brigada Pára-Quedista recebeu uma denúncia de que um casal de terroristas ocupara uma casa localizada na rua Niquelândia, 23, em Campo Grande/RJ. Não desejando passar esse informe à 2ª Seção do então I Exército, sem aprofundá-lo, a 2ª Seção da Brigada, chefiada pelo major Martinez, montou um esquema de vigilância da casa. Por volta das 23h, chega um casal de táxi. A mulher ostentava uma volumosa barriga, sugerindo gravidez.

          O major Martinez acabara de concluir o curso da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, onde, por três anos, exatamente o período em que a guerra revolucionária se desenvolvera, estivera afastado desses problemas em função da própria vida escolar bastante intensa. Estagiário na Brigada de Pára-Quedista, a quem também não estava afeta a missão de combate à subversão, não se havia habituado à virulência da ação terrorista.

          Julgando que o casal nada tinha a ver com a subversão, Martinez iniciou a travessia da rua, a fim de solicitar-lhe que se afastasse daquela área. Ato contínuo, da barriga, formada por uma cesta para pão com uma abertura para saque da arma ali escondida, a “grávida” retirou um revólver, matando-o antes que pudesse esboçar qualquer reação. O capitão Parreira, de sua equipe, ao sair em sua defesa, foi gravemente ferido por um tiro desferido pelo terrorista. Nesse momento, os demais agentes desencadearam cerrado tiroteio, que causou a morte do casal de terroristas. Eram os militantes do MR-8 Mário de Souza Prata e Marilena Villas-Bôas Pinto, responsáveis por uma extensa lista de atos terroristas. No “aparelho” do casal, foram encontrados explosivos, munição e armas, além de dezenas de levantamentos de bancos, de supermercados, de diplomatas estrangeiros e de generais do Exército. Martinez deixou viúva e quatro filhos, três meninas e um menino, a mais velha, à época, com 11 anos.

          76 – 07/04/71 – Maria Alice Matos – Empregada doméstica – Rio de Janeiro
          Morta por terroristas quando do assalto a um depósito de material de construção.

          77 – 15/04/71 – Henning Albert Boilesen – (Industrial – São Paulo)
          Quando da criação da Operação Bandeirante, o então comandante do II Exército, general Canavarro, reuniu-se com o governador do Estado de São Paulo, com várias autoridades federais, estaduais, municipais e com industriais paulistas para solicitar o apoio para um órgão que necessitava ser criado com rapidez, a fim de fazer frente ao crescente terrorismo que estava em curso no estado de São Paulo. Assim, vários industriais, entre eles Boilesen, se cotizaram para atender ao pedido daquela autoridade militar. Por de3cisão de Lamarca, Boilesen, um dinamarquês naturalizado brasileiro, foi assassinado. Participaram da ação os terroristas Yuri Xavier Pereira, Joaquim Alencar Seixas, José Milton Barbosa, Dimas Antonio Casimiro e Antonio Sérgio de Matos. No relatório escrito por Yuri, e apreendido pela polícia, aparecem as frases “durante a fuga trocávamos olhares de contentamento e satisfação. Mais uma vitória da Revolução Brasileira”. Vários carros e casas foram atingidos por projéteis. Duas mulheres foram feridas. Sobre o corpo de Boilesen, atingido por 19 tiros, panfletos da ALN e do MRT, dirigidos “Ao Povo Brasileiro”, traziam a ameaça: “Como ele, existem muitos outros e sabemos quem são. Todos terão o mesmo fim, não importa quanto tempo demore; o que importa é que eles sentirão o peso da JUSTIÇA REVOLUCIONÁRIA. Olho por olho, dente por dente”.

          78 – 10/05/71 – Manoel da Silva Neto – Soldado PM – SP
          Morto por terroristas durante assalto à Empresa de Transporte Tusa.

          79 – 14/05/71 – Adilson Sampaio – Artesão – RJ
          Morto por terroristas durante assalto às lojas Gaio Marti.

          80 – 09/06/71 – Antônio Lisboa Ceres de Oliveira – Civil – RJ
          Morto por terroristas durante assalto à boate Comodoro

          81 – 01/07/71 – Jaime Pereira da Silva – Civil – RJ
          Morto por terroristas na varanda de sua casa durante tiroteio entre terroristas e policiais.

          82 – 02/09/71 – Gentil Procópio de Melo -Motorista de praça – PE
          A organização terrorista denominada Partido Comunista Revolucionário determinou que um carro fosse roubado para realizar um assalto. Cumprindo a ordem recebida, o terrorista José Mariano de Barros tomou um táxi em Madalena, Recife. Ao chegar ao Hospital das Clínicas, quando fingia que ia pagar a corrida, apareceram seus comparsas, Manoel Lisboa de Moura e José Emilson Ribeiro da Silva, que se aproximaram do veículo. Emilson matou Procópio com dois tiros.

          83 – 02/09/71 – Jayme Cardenio Dolce – Guarda de segurança – RJ
          Assassinado pelos terroristas Flávio Augusto Neves Leão Salles, Hélio Pereira Fortes, Antônio Carlos Nogueira Cabral, Aurora Maria do Nascimento Furtado, Sônia Hipólito e Isis Dias de Oliveira, durante assalto à Casa de Saúde Dr. Eiras.

          84 – 02/09/71 – Silvâno Amâncio dos Santos – Guarda de segurança – RJ
          Assassinado na operação relatada acima.

          85 – 02/09/71 – Demerval Ferreira dos Santos – Guarda de segurança – RJ
          Assassinado na operação relatada no item 83

          86 -xx–/10/71 – Alberto da Silva Machado – Civil – RJ
          Morto por terroristas durante assalto à Fábrica de Móveis Vogal Ltda, da qual era um dos proprietários.

          87 – 22/10/71 – José do Amaral – Sub-oficial da reserva da Marinha – RJ
          Morto por terroristas da VAR-PALMARES e do MR-8 durante assalto a um carro transportador de valores da Transfort S/A. Foram feridos o motorista Sérgio da Silva Taranto e os guardas Emílio Pereira e Adilson Caetano da Silva.
          Autores: James Allen Luz (Ciro), Carlos Alberto Salles (soldado), Paulo Cesar Botelho Massa, João Carlos da Costa.

          88 – 01/11/71 – Nelson Martinez Ponce – Cabo PM – SP
          Metralhado por Aylton Adalberto Mortati durante um atentado praticado por cinco terroristas do MOLIPO (Movimento de Libertação Popular) contra um ônibus da Empresa de Transportes Urbano S/A, em Vila Brasilândia, São Paulo

          89 – 10/11/71 – João Campos – Cabo PM – SP
          Morto na estrada de Pindamonhangaba, ao interceptar um carro que conduzia terroristas armados.

          90 – 22/11/71 – José Amaral Vilela – Guarda de segurança – RJ
          Neste dia os terroristas Sérgio Landulfo Furtado, Norma Sá Ferreira, Nelson Rodrigues Filho, Paulo Roberto Jabour, Thimothy William Watkin Ross e Paulo Costa Ribeiro Bastos assaltaram um carro-forte da firma Transfort, na Estrada do Portela, em Madureira.

          91 – 27/11/71 – Eduardo Timóteo Filho – Soldado PM – RJ
          Morto por terroristas, durante assalto contra as Lojas Caio Marti.

          92 – 13/12/71 – Hélio Ferreira de Moura – Guarda de Segurança – RJ
          Morto, por terroristas, durante assalto contra um carro transportador de valores da Brink’s, na Via Dutra.

          93 – 18/01/72 – Tomaz Paulino de Almeida – Sargento PM – São Paulo / SP
          Morto a tiros de metralhadora no bairro Cambuci quando um grupo terrorista roubava o seu carro. Autores do assassinato: João Carlos Cavalcante Reis, Lauriberto José Reyes e Márcio Beck Machado, todos integrantes do Molipo.

          94 – 20/01/72 – Sylas Bispo Feche – Cabo PM São Paulo / SP
          O cabo Sylas Bispo Feche integrava uma Equipe de Busca e Apreensão do DOI/CODI/II Exército. Sua equipe executava uma ronda quando um carro VW, ocupado por duas pessoas, cruzou um sinal fechado quase atropelando uma senhora que atravessava a rua com uma criança no colo. A sua equipe saiu em perseguição ao carro suspeito, que foi interceptado. Ao tentar aproximar-se para pedir os documentos dos dois ocupantes do veículo, o cabo Feche foi metralhado. Dois terroristas, membros da ALN, morreram.

          95 – 25/01/72 – Elzo Ito – Estudante – São Paulo / SP
          Aluno do Centro de Formação de Pilotos Militares, foi morto por terroristas que roubaram seu carro.

          96 – 01/02/72 – Iris do Amaral – Civil – Rio de Janeiro
          Morto durante um tiroteio entre terroristas da ALN e policiais. Ficaram feridos nesta ação os civis Marinho Floriano Sanches, Romeu Silva e Altamiro Sinzo. Autores: Flávio Augusto Neves Leão Salles (”Rogério”, “Bibico”) e Antônio Carlos Cabral Nogueira (”Chico”, “Alfredo”.)

          97 – 05/02/72 – David A. Cuthberg – Marinheiro inglês – Rio de Janeiro
          A respeito desse assassinato, sob o título “REPULSA”, o jornal “O Globo” publicou:
          “Tinha dezenove anos o marinheiro inglês David A. Cuthberg que, na madrugada de sábado, tomou um táxi com um companheiro para conhecer o Rio, nos seus aspectos mais alegres. Ele aqui chegara como amigo, a bordo da flotilha que nos visita para comemorar os 150 anos de Independência do Brasil. Uma rajada de metralhadora tirou-lhe a vida, no táxi que se encontrava. Não teve tempo para perceber o que ocorria e, se percebesse, com certeza não poderia compreender. Um terrorista, de dentro de outro carro, apontara friamente a metralhadora antes de desenhar nas suas costas o fatal risco de balas, para, logo em seguida, completar a infâmia, despejando sobre o corpo, ainda palpitante, panfletos em que se mencionava a palavra liberdade. Com esse crime repulsivo, o terror quis apenas alcançar repercussão fora de nossas fronteiras para suas atividades, procurando dar-lhe significação de atentado político contra jovem inocente, em troca da publicação da notícia num jornal inglês. O terrorismo cumpre, no Brasil, com crimes como esse, o destino inevitável dos movimentos a que faltam motivação real e consentimento de qualquer parcela da opinião pública: o de não ultrapassar os limites do simples banditismo, com que se exprime o alto grau de degeneração dessas reduzidas maltas de assassinos gratuitos”.

          A ação criminosa foi praticada pelos seguintes terroristas, integrantes de uma frente formada por três organizações comunistas:
          - ALN – Flávio Augusto Neves Leão Salles (”Rogério”, “Bibico”), que fez os disparos com a metralhadora, Antônio Carlos Nogueira Cabral (”Chico”, “Alfredo”), Aurora Maria Nascimento Furtado (”Márcia”, “Rita”), Adair Gonçalves Reis(”Elber”, “Leônidas”, “Sorriso”);
          - VAR-PALMARES – Lígia Maria Salgado da Nóbrega (”Ana”, “Célia”, “Cecília”), que jogou dentro do táxi os panfletos que falavam em vingança contra os “Imperialistas Ingleses”; Hélio Silva (”Anastácio”, “Nadinho”), Carlos Alberto Salles(”Soldado”);
          - PCBR – Getúlio de Oliveira Cabral(”Gogó”, “Soares”, “Gustavo”)

          98 – 15/02/72 – Luzimar Machado de Oliveira – Soldado PM – Goiás
          O terrorista Arno Preiss encontrava-se na cidade de Paraiso do Norte, que estava incluída no esquema de trabalho de campo do MOLIPO. Usava o nome falso de Patrick McBundy Comick. Arno tentou entrar com sua documentação falsa no baile carnavalesco do clube social da cidade. Sua documentação levantou suspeita nos policiais, que o convidaram a comparecer à delegacia local. Ao deixar o clube, julgando-se desmascarado, Arno sacou seu revólver e disparou à queima roupa contra os policiais, matando o PM Luzimar Machado de Oliveira e ferindo gravemente o outro PM que o conduzia, Gentil Ferreira Mano. Acabou morto.

          99 – 18/02/72 – Benedito Monteiro da Silva – Cabo PM – São Paulo
          Morto quando tentava evitar um assalto terrorista a uma agencia bancária em Santa Cruz do Rio Pardo.

          100 – 27/02/72 – Napoleão Felipe Bertolane Biscaldi – Civil – São Paulo
          Morto durante um tiroteio entre os terroristas Lauriberto José Reyes e José Ibsem Veroes com policiais, na rua Serra de Botucatu, no bairro Tatuapé. Nesta ação, um policial foi ferido a tiros de metralhadoras por Lauriberto. Os dois terroristas morreram no local.

          101 – 06/03/72 – Walter César Galleti – Comerciante – São Paulo
          Terroristas da ALN assaltaram a firma F. Monteiro S/A. Após o assalto, fecharam a loja, fizeram um discurso subversivo e assassinaram o gerente Walter César Galetti e feriram o subgerente Maurílio Ramalho e o despachante Rosalindo Fernandes.

          102 – 12/03/72 – Manoel dos Santos – Guarda de Segurança – São Paulo
          Morto durante assalto terrorista à fábrica de bebidas Charel Ltda.

          103 – 12/03/72 – Aníbal Figueiredo de Albuquerque – Coronel R1 do Exército – São Paulo
          Morto durante assalto à fábrica de bebidas Charel Ltda., da qual era um dos proprietários

          104 – 08/05/72 – Odilo Cruz Rosa – Cabo do Exército – PA
          Morto na região do Araguaia quando uma equipe comandada por um tenente e composta ainda, por dois sargentos e pelo Cabo Rosa foram emboscados por terroristas comandados por Oswaldo Araújo Costa, o “Oswaldão”, na região de Grota Seca, no Vale da Gameleira. Neste tiroteio foi morto o Cabo Rosa e feridos o Tenente e um Sargento.

          105 – 02/06/72 – Rosendo – Sargento PM – SP
          Morto ao interceptar 04 terroristas que assaltaram um bar e um carro da Distribuidora de Cigarros Oeste LTDA.

          106 – 29/06/72 – João Pereira – Mateiro-região do Araguaia – PA
          “Justiçado exemplarmente” pelo PC do B por ter servido de guia para as forças legais que combatiam os guerrilheiros. A respeito, Ângelo Arroyo declarou em seu relatório: “A morte desse bate-pau causou pânico entre os demais da zona”.

          107 – 09/09/72 – Mário Domingos Panzarielo – Detetive Polícia Civil – RJ
          Morto ao tentar prender um terrorista da ALN.

          108 – 23/09/72 – Mário Abraim da Silva – Segundo Sargento do Exército – PA
          Pertencia ao 2º Batalhão de Infantaria de Selva, com sede em Belém. Sua Companhia foi deslocada para combater a guerrilha na região do Araguaia. Morto em combate, durante um ataque guerrilheiro no lugarejo de Pavão, base do 2º Batalhão de Selva.

          109 – 27/09/72 – Sílvio Nunes Alves – Bancário – RJ
          Assassinado em assalto ao Banco Novo Mundo, na Penha, pelas organizações terroristas PCBR – ALN – VPR – Var Palmares e MR8. Autor do assassinato: José Selton Ribeiro.

          110 – –/09/72 – Osmar… – Posseiro – PA
          “Justiçado” na região do Araguaia pelos guerrilheiros por ter permitido que uma tropa de pára-quedistas acampasse em suas terras.

          111 – 01/10/72 – Luiz Honório Correia – Civil – RJ
          Morto por terroristas no assalto à empresa de Ônibus Barão de Mauá

          112 – 06/10/72 – Severino Fernandes da Silva – Civil – PE
          Morto por terroristas durante agitação no meio rural.

          113 – 06/10/72 – José Inocêncio Barreto – Civil – PE
          Morto por terroristas durante agitação no meio rural.

          114 – 21/02/73 – Manoel Henrique de Oliveira – Comerciante – São Paulo
          No dia 14 de junho de 1972, as equipes do DOI de São Paulo, como já faziam há vários dias, estavam seguindo quatro terroristas da ALN que resolveram almoçar no restaurante Varela, no bairro da Mooca. Quando eles saíram do restaurante, receberam voz de prisão. Reagindo, desencadearam tiroteio com os policiais. Ao final, três terroristas estavam mortos, e um conseguiu fugir. Erroneamente, a ALN atribuiu a morte de seus três companheiros à delação de um dos proprietários do restaurante e decidiu justiçá-lo. O comando “Aurora Maria do Nascimento Furtado”, constituído por Arnaldo Cardoso Rocha, Francisco Emanuel Penteado, Francisco Seiko Okama e Ronaldo Mouth Queiroz, foi encarregado da missão e assassinou, no dia 21 de fevereiro, o comerciante Manoel Henrique de Oliveira, que foi metralhado sem que pudesse esboçar um gesto de defesa. Seu corpo foi coberto por panfletos da ALN, impressos no Centro de Orientação Estudantil da USP por interveniência do militante Paulo Frateschi.

          115 – 22/02/73 – Pedro Américo Mota Garcia – Civil – Rio de Janeiro
          Por vingança, foi “justiçado” por terroristas por haver impedido um assalto contra uma agência da Caixa Econômica Federal.

          116 – 25/02/73 – Octávio Gonçalves Moreira Júnior – Delegado de polícia – São Paulo
          Com a tentativa de intimidar os integrantes dos órgãos de repressão, um “Tribunal Popular Revolucionário” decidiu “justiçar” um membro do DOI/CODI/II Exército. O escolhido foi o delegado de polícia Octávio Gonçalves Moreira Júnior.

          117 – 12/03/73 – Pedro Mineiro – Capataz da Fazenda Capingo
          “Justiçado” por terroristas na Guerrilha do Araguaia.

          118 – Francisco Valdir de Paula – Soldado do Exército-região do Araguaia – PA
          Instalado numa posse de terra, no município de Xambioá, fazendo parte de uma rede de informações montada na área de guerrilha, foi identificado pelos terroristas e assassinado. Seu corpo nunca foi encontrado.

          119 – 10/04/74 -Geraldo José Nogueira – Soldado PM – São Paulo
          Morto numa operação de captura de terroristas.

        • Aposto que a fonte do nosso general de pijama é o site de Bolsonaro….

        • Que riqueza de argumentação Martins. Parabéns.

          Essa estratégia de ridicularizar a fonte (que por sinal não é Bolsonaro) e nunca refutar os fatos concretos faz parte da mais reles estratégia de “debate” esquerdopata.

          Não quero absolver militar torturador nenhum. Quero que quem matou ou torturou vá para cadeia. Mas quero também saber algumas coisas:

          1. O que Dona Dilma fazia, além de corte e costura, em 3 organizações terroristas que participou?

          2. Nome, sobrenome e CPF de todos os que colocaram bombas em locais públicos, assaltaram (você deve preferir “desapropriaram”) bancos e estabelecimentos comerciais, formaram Tribunais Revolucionário e praticaram os justiçamentos (sabe o que é isso? Já ouviu falar?), sequestraram, etc. Se estavam lutando por causas tão nobres como a “democracia” e a justiça social, não tem por que não sabermos tudo. O povo quer conhecer seus verdadeiros heróis e seus atos de heroísmo.

          Topa assim Martins? Se você concorda então não temos motivo para estar discutindo.

          PS – O argumento de que Dona Dilma participava das organizações terroristas mas não da luta armada como meio de absolvê-la é cretino (não podia esperar outra coisa). Vejamos então. Tem uma quadrilha de assaltantes de banco aqui perto da minha casa. Estou pensando em me candidatar a trabalhar na parte logística e financeira (esconder o dinheiro, comprar armas e explosivos, pagar os “camarada”, distribuir propina para a polícia, etc). Não vou pegar em armas (pelo menos em ação) em nenhum momento. Assim, segundo Martins, não posso ser culpado por nenhum ato desses marginais, estando livre de culpa.

          Ainda querem eu que trate essa gente com decência.

        • Caro Bolsonaro, “listas” como as que vc copia e cola costumam ser FRAUDULENTAS e encontradas em sites fascistas de milicos aposentados e raivosos.

          Bota a fonte da tua “lista” aí, vai.

          E me diz quantos militares torturadores foram punidos por seus crimes.

          E quantos supostos “terroristas” deixaram de ser punidos pelo que fizeram, seja com prisão, seja com morte e tortura.

          Dilma, por exemplo, foi presa. Julgada e condenada pelo regime golpista de exceção. O que em nada a diminui, muito pelo contrário.

        • Não acuse a lista de fraudulenta e sim prove que é uma fraude. Me humilhe, mostre que os mortos estão vivinhos da silva e os amputados são radicais direitistas que se auto-amputaram para acusar a esquerda.

          Sabe quanto a família do soldado Mario Kosel recebe de indenização mensal (procure o nome dele na lista)? R$1.400,00 (isso agora, pois em 2003, quando começou a ser paga, era de R$300,00). Sei que com esse valor não se compra nem uma taça do vinho que os comunistas hoje gostam de beber. Ele era um jovem de 18 anos que como muitos outros estava prestando o serviço militar obrigatório e estava de sentinela quando um carro bomba explodiu, em 1968, na frente do Quartel general do II Exército. Outros 6 jovens como ele saíram gravemente feridos. Nunca torturou ninguém, nunca estuprou ninguém, nunca fez mal a ninguém. Sabe quem fez o ato terrorista? A VAR-Palmares de “Dilma Corte e Costura”. O que imaginavam os terroristas? Que na frente do quartel estava reunida a alta cúpula militar? Que o Estado Maior das Forças Armadas estava de sentinela, de madrugada, na frente do quartel? Não, Martins. Seus amiguinhos sabiam que ali estavam jovens inocentes. Fizeram por perversidade.

          PS – “E me diz quantos militares torturadores foram punidos por seus crimes.” Deixe de cinismo. Leia a lista (coisa que você não fez) e veja quantos militares, delegados, policiais, vigilantes de banco, recrutas do exército, soldados da PM, mateiros, fazendeiros, trabalhadores rurais, suspeitos de traição, donas de casa, transeuntes foram punidos. Esses mortos e amputados não receberam nem as honras que receberam os terroristas e muito menos as milionários indenizações e pensões.

        • O Bolsonaro se recusa a colocar a fonte da sua suposta “lista”.

          Claro.

          Com certeza ela vem de algum site fascista de milicos saudosos da Ditadura.

        • “Com certeza ela vem de algum site fascista de milicos saudosos da Ditadura.”

          Não se aguentou e colocou a resposta pronta para qualquer fonte que eu colocasse aqui.

        • “Qualquer fonte” não.

          Mas, como vc se recusa a dizer qual é a fonte, isso só confirma o que eu disse.

  • Uma coisa é certa: a Odebrecht manda no país.
    Até a Festa da Lavadeira conseguiram tirar do Paiva, mesmo tendo tradição de 25 anos e uma lei protegendo ela. Ou não.

    Tem alguma relação com o post? Creio que tem. Ou não.

  • Amigos, pega até mal ver pessoas tão inteligentes defendendo fanaticamente o governo atual. Esse governo tem os seus méritos; porém, também tem os seus deméritos, os quais são de todos conhecidos. Portanto, faço convite aos partidários da situação e da oposição para defenderem as sua posições de forma racional, sem apelos típicos de quem pratica a idolatria. Não há nada de mal em reconhecer erros e acertos de parte a parte. Isso é demonstração de inteligência. O contrário somente demonstra quão danosos são os efeitos provocados pela prática da “manipulação das massas.”

    • Exatamente. Por isso, eu comparei os dados de Pierre e disse aqui que Lula aumentou os salários dos professores, enquanto Dilma os mantém congelados e perdendo poder de compra.

    • Inteligentes?

      kkkkkkkkkkkkkkkkk

      • Inteligente é Robson e seus textos abilolados…

  • Caro Daniel Montarroyos, gostaria de saber as fontes das informações que trouxe, pois tenho interese científico no assunto.

    Só gostaria de esclarecer algo: não sabemos de tudo exatamente por que até hoje os arquivos do período de exceção estão no rol dos ultrassecretos, escondidos por pressão política de expressivos setores das Forças Armadas brasileiras.

    Nisso sou contundente: independentemente de quem esteja envolvido em que tipo de ação que seja, o povo brasileiro tem o direito de saber a verdade e conhecê-la integralmente e, a partir daí, fazer seus julgamentos morais sobre a participação dos ditos “esquerdopatas/terroristas”, bem como dos “milicos fascistas”, embora pessoalmente eu rechace as terminologias utilizadas por serem feitas a partir de pré-julgamentos.

    Muitos dos casos em que você denominou os perpetradores dos atos de “terroristas” não tem nada a ver com qualquer conceito de terrorismo construído pelas diversas teorias a respeito, embora eu pessoalmente não descarte algum autor isolado e não renomado que tenha um conceito muito específico. Se quiser conferir tal debate, sugiro a leitura da coletânea de artigos reunidas na publicação “Terrorismo e Direito”, da Ed. Forense, coordenada por Leonardo Caldeira Brant.

    Saudações.

    • Infelizmente não tenho a fonte, pois tinha ela gravada no pc a muito tempo. No entanto a lista é fácil de se encontrar na rede. Você pode selecionar e copiar qualquer parte dela e lançar no google que aparecerá em diversos sites.

      Consultei a obra que você indicou mas infelizmente está esgotada na cultura. É também um tema que me interessa, apesar de não ter esse caráter científico.

      “Nisso sou contundente: independentemente de quem esteja envolvido em que tipo de ação que seja, o povo brasileiro tem o direito de saber a verdade e conhecê-la integralmente e, a partir daí, fazer seus julgamentos morais sobre a participação dos ditos “esquerdopatas/terroristas”, bem como dos “milicos fascistas”,

      Nisso concordo plenamente, não tirando uma vírgula. Veja que foi o que propus no meu texto e que Martins, com sua desonestidade intelectual típica, tentou distorcer. Não devo nada a milico, nem a Veja, nem a Cachoeira, nem a Demóstenes, nem a nada. Tenho uma opinião e pronto. Você acha que essa questão que a esquerda está querendo levantar sobre os anos de ditadura está sendo tratado com equanimidade? As partes estão tendo as mesmas oportunidades? Pela composição da Comissão da Verdade eu acredito que não.

      • Daniel, falar em equanimidade quando, depois de quase 30 anos de retorno à democracia, sequer sabemos a verdade dos arquivos ultrassecretos, é, no mínimo, desarrazoado. Tais questões sempre foram tratadas com gigantesca desproporção favorável aos torturadores e criminosos do próprio regime, a começar pela interpretação “heterodoxa” dada à Lei da Anistia até mesmo pelo STF, com exceção dos Mins. Carlos Ayres Britto e Ricardo Lewandowski, que contraria os mais elementares conceitos de direito penal (algo admitido pela própria Min. Carmem Lúcia que votou a favor da dita interpretação), bem como os procedimentos da maior parte das experiências de justiça transicional mundo afora.

        A forma com que as questões do período de exceção são tratadas no Brasil contraria jurisprudência pacífica da Corte Interamericana de Direitos Humanos que, aliás, condenou o Estado brasileiro em 2010 em razão disso. Sinceramente, como cidadão brasileiro, me envergonho de ver como no Brasil essas questões foram varridas para debaixo do tapete, diferentemente do que ocorreu e ocorre em países como Argentina, Chile, África do Sul (pós-apartheid) e Alemanha (pós-nazismo e pós-comunismo). Escrevi recentemente sobre isso e publiquei em meu blog: http://www.direitoecultura.blogspot.com.

        Embora respeitável, sua opinião é bem diferente da minha, como poderá ver se ler o artigo (que, diferentemente dessas contendas por aqui, demonstra o caráter criminoso tanto de regimes autoritários de “direita” – ditaduras argentina e chilena, bem como a brasileira, como de regimes de “esquerda” como a ditadura comunista alemã oriental).

        Acredito não haver como colocar no mesmo plano casos de mortes em combate (talvez a maioria dos que relatou), até por que as vítimas eram militares e policiais em serviço, e casos de tortura e morte de pessoas completamente indefesas. Há pelo menos dez mil relatos de presos políticos torturados durante o regime (cf. o famoso Relatório Brasil Nunca Mais), a esmagadora maioria sem qualquer ligação com guerrilha ou luta armada, alguns dos quais foram brutalmente torturados e assassinados, como o Padre Henrique, assessor de Dom Hélder Câmara, e o jornalista Vladimir Herzog, cujo “suicídio” caiu no ridículo diante da gigantesca evidência de tortura e assassinato perpetrados pelos agentes do regime, tudo isso fora os casos dos “desaparecidos”. O próprio “terrorismo” da guerrilha de esquerda é numérica e proporcionalmente ínfimo diante daquele “terrorismo de Estado” que utilizou todo o aparato oficial estatal para manutenção de seu poder e aniquilação de seus inimigos, como ocorre com frequência em regimes autoritários, independentemente da coloração ideológica (direita ou esquerda). A tortura no Brasil do regime militar era política de Estado e é no mínimo desproporcional e desarrazoada a comparação com atos de igual natureza cometidos por guerrilheiros, mesmo considerando verdadeiros todos os dados que trouxe (e, em princípio, assim considero, pois eu presumo que em um debate como este, a boa-fé e a verdade é o mínimo a se exigir – do contrário, é melhor nem debater).

        É preciso serenidade para tratar de temas tão controversos. Se ficarmos em clima de Fla-Flu, não se avança muito. Se ficarmos igualmente com “indignação seletiva” do tipo “se é de direita, tá tudo bem” ou o inverso, fica a história de dois pesos e duas medidas.

        Uma correção: fala de vítimas da esquerda antes do AI 5 (o documento normativo mais autoritário da história brasileira), mas 100 dos 119 casos citados são posteriores ao referido Ato do governo militar.

        Saudações

        • Perfeito, Bruno Galindo.

          Parabéns. Excelentes colocações.

        • Sua correção final está perfeita. Eu que errei ao formatar a lista no site, não separando os períodos. O que o autor quis mostrar é que atos de violência por parte da guerrilha aconteceram antes do AI-5 e não por causa dele, como parte da esquerda defende.

        • Antes do AI-5 teve o golpe, o AI-1, o AI-2, o AI-3, o AI-4…..o AI-5 foi “apenas” a cereja do bolo!!

  • Pierre, tá bom de vcs, professores, aprenderem a rebolar, jogar futebol, participar do BBB e etc.
    O governo presente, como os antecessores, está pouco se lixando para QUALIDADE da educação nesse país. No máximo querem números falsificados para enrolarem no exterior. Dessa forma, a educação básica vai continuar uma merda,continuarão aprovando, mesmo que não aprendam nada, vão continuar com as gambiarras para jogarem analfabetos funcionais nas universidades e os professores vão continuar recebendo menos que comissionados fanfarrões do governo.

    Acho é pouco para esse professorezinhos de merda que não passam de mera propaganda esquerdopata em plena universidade. O choro é livre e a professorada esquerdopata que se lasque. Para os que realmente são professores universitário, meus pêsames.

    • Esse aí é um verdadeiro gentleman!

      • Martins Prefeito- ALF vice ( caixa 2 neles!!!)

  • E a guerra judicial que rola entre os professores da Pós Graduação em Psicologia? Ninguém fala?

  • O petistas vivem com os olhos no retrovisor,não percebem que agora seria a hora de todos
    os emergentes aproveitarem o crédito farto e o crescimento do mundo, de 32 trilhões de dol
    laresoara u$ 60 tri, o mundo na era FHCcresceu apenas 24% e o BRASIL 19,73% hoje o Brasil do
    Lula com a estabiliade da moeda, com as redes sociais implementadas, crédito reaberto,
    economia estável, o mundo cresceu mais de 70% e o GOVERNO LULA 32%, ou seja, não
    investiu na educação como fez CHINA INDIA E DEMAIS. A China no final de 2002 era a
    sexta economia em menos de 4 anos se tornou a segunda, sem dar bolsa,educação apenas
    o básico é financiado pelo estado, o governo investiu metade o PIB em infraestrutura, corrigiu
    os seus gargalos, como juros,impostos, e abriu a sua economia de forma assustadora,e
    assim conseguiiu atrair investidores de todo o mundo para as cidades palperrimas e dessa forma conseguiu tirar 800 milhões da linha da pobreza, enviaram milhões para EUA ALEMANHA, CANADÁ,
    formam anualmente 400 mil engenheiros, investiram maciço em CIENCIAS E TECNOLOGIA,
    E ERRADICARAM o analfabetismo para menos de 1%, já o Lula prometeu fazer o mesmo como
    os demais emergentes e nao o fez, ao contrário aumentou a evasão escolar, transformou a BOLSA ESCOLA EM ESMOLA, pois de um salário mínimo foi reduzido a 22 a 220 reais, sendo apenas 1%
    tem direito a esse maior valor!!
    Infelizmente o governo Lula serviu e muito para atrazar o Brasil,o governo dele é mais PROPAGANDA QUE REALIDADE, e comparar o salário do FHC AO DELE É OUTRA IGNORÂNCIA, pois naquela
    época o dollar ara entre 3 a 4 reais, portanto e imcomparável ao dollar de hj que não passa de 2 reais.

  • Os professores universitários da área de ciências humanas são, na sua maioria, esquerdistas com discurso radical. Gente que achava que era só haver “vontade política” e compromisso com os trabalhadores para as coisas melhorarem. Mas os governos do PT mantiveram a política macroeconômica tucana, deram continuidade à política fundiária de FHC, privatizaram estradas e aeroportos e acabaram de implementar uma reforma da previdência que também foi herdada daquele governo. E, não bastasse isso, o PT arrocha o salário dos professores! Então, das duas uma: ou o PT é um partido neoliberal ou esses professores são esquizofrênicos, pois acham que a teoria está certa mesmo quando a prática a contradiz… Se esses professores tivessem um pingo de coerência, fariam uma greve monstro e iriam para a rua gritar “Fora, Dilma”!!!

  • E o aumento para os Técnicos das IFES?

  • Num país que exagerando impera o salário mínimo e vocês já ganham mais de 10x que o cidadão comum ainda querem mais?! Por favor.. menos ganância pessoal ainda que respeite o estudo de vocês.

  • [...] Matéria Original window.fbAsyncInit = function() { FB.init({appId: "", xfbml: true}); FB.Event.subscribe('comment.create', function(response) { }); }; (function() { var e = document.createElement('script'); e.async = true; e.src = document.location.protocol + '//connect.facebook.net/en_US/all.js'; document.getElementById('fb-root').appendChild(e); }()); Notícias [...]

  • Caros participantes,
    Fico olhando o nível das discussões (digo, tentativas de defender o erro de outros e de desqualificarem mutuamente) e penso na perda de tempo e de energia que isto representa.
    Não seria melhor buscarem saídas mais racionais, ao invés de ficarem defendendo governos que todos sabemos serem NEOLIBERAIS (assumidos ou disfarçados)?
    A grande implicação de termos perdas históricas para as carreiras da educação é o sucessivo abandono ou desprezo pelas profissões/profissionais. Isto leva a perdas de recursos humanos e de tempo em lutas que não precisariam existir. Para que gastar-se tanto com propaganda de defesa dos erros do governo, quando simplesmente se poderia garantir o direito mínimo dos trabalhadores (reposição salarial anual – que já é uma perda!), com eventuais ganhos reais periódicos?
    Todos os governos citados representados por FHC, Lula e Dilma têm sido neoliberais. Sucateiam o serviço público para arranjar argumentos para as privatizações (diga-se, doações do patrimônio público aos seus financiadores de campanha) e terceirizações (paga-se o serviço, mas é o atravessador que leva). Modificam a legislação para entregar o ambiente legal já fértil ao lucro dos patrões e sem futuro aos trabalhadores.
    Quem acha justo um trabalhador que fez da vida a profissão e que vive (dia e noite, praticamente) em função disto ganhar um pouco melhor? Somente os invejosos e incompetentes não o fazem. E repetem o que os governos querem, funcionando como caixa de ressonância!

  • Isto sim é um exemplo de engodo com gráficos bonitinhos. O governo FHC começou em 1994. Qual é o motivo da análise partindo de 1998? Talvêz esconder o congelamento dos salários dos professores de universidades federais durante todo este tempo? O píco da curva do salário no governo FHC deve ter sido 1998. Se observarmos o salto em 2003 e a média no decorrer dos anos seguintes veremos que os professores federais ganharam salários maiores que os pagos nos 4 útlimos anos do FHC. Ainda assim esta análise … que vou revisar posteriormente … quando tiver saco … não lava em conta última proposta do governo federal. Me lembro muito bem de um amigo meu (professor doutor com pós-doc em Cambridge) reclamando em 1996 que não tinha dinheiro nem pra comprar um carro usado.

  • Pierre, o que achou da proposta do governo que desconsidera a inflação anual e reflete até mesmo em perda salarial para algumas classes?
    Agradeço a resposta.

  • Se tá ruim porque ninguém pede para sair???

    • Comentário em forma de pergunta, curto e objetivo. Muito bom.

  • Petista é assim mesmo, apesar de todas as evidencias ficam defendendo o governo que de forma truculenta e quase ditatorial se recusa a negociar com os professores e ainda acha que quem tem que sair são os professores, seria bom mesmo que todos pedissem demissão, ai o PT faria o que faz melhor financiaria as faculdades particulares, contrataria o pessoal do partido e claro um belo caixa 2, mas pensando bem o Brasil precisa mais de professores do que de Petistas no governo.

  • Prezado Prof.,

    De forma que Vossa análise se torne mais verossímil, O Sr. poderia projetar para 2015 a mesma, considerando o Termo de Acordo celebrado entre o Governo e até o momento o PROIFES?

    Sds. cordiais,

    José Mário Araújo

  • passeata dia 01/03/2013 as 8 hs ,em frente ao IFES. Tema verbas . o governo federal recolhe as verbas ,e ainda nâo repassou para o ifes,dai os alunos estâo sendo prejudicados em pesquisas e outros. vamos fazermos grande passeata emfavor das verbas federais,pra chegarewm em dia e assim nao atrapalhar os alunos do IFES.

  • Isso que eu chamo de malandragem estatística. Pegar um recorte numerico e generalizar.os fatos. O cara pegou apenas o ‘Professor Adjunto 1 com Doutorado em Dedicação Exclusiva, das Universidades Federais”. E os mestres e os especialistas? Por que não comparou a média das remunerações? Por que não considerou o plano de cargos e salários? O nome dessa falácia é generalização do particular. Deveria refazer o trabalho considerando não apenas uma parte da piramide de progressão, mas a pirâmide inteira.

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

agosto 2017
S T Q Q S S D
« mai    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).