Super dívida no cartão de crédito e nome no Serasa. O que fazer?

mai 12, 2011 by     73 Comentários    Postado em: Economia

Tenho visto alguns casos de pessoas que ficaram com o superendividamento no cartão de crédito, estão com o nome com restrições no Serasa, e agora não sabem o que fazer.

A resposta é simples: ou uma negociação radical ou a inadimplência.

A taxa de juros do cartão de crédito chega a surpreendentes 11% ao mês, isso sem a cobrança de multas. Só para ter uma idéia do que isso significa, uma dívida de R$ 3.000,00 vira mais de R$ 33.000,00 em um prazo de 24 meses.

Imagine se ver em uma situação como essa, onde a dívida fica praticamente impagável. Lógico que o ideal é nunca deixar a situação ficar deste jeito, mas caso seja inevitável, é preciso tomar algumas precauções.

Logo que a dívida chegar a um valor como este (na verdade antes disso), o cartão irá negativar seu nome junto ao Serasa.

Após esta negativação, irá te pressionar para um acordo de trouxa, onde você irá parcelar em umas 24 vezes “sem juros”.

Não faça isso.

Dívida de R$ 3 mil vira R$ 33 mil em 2 anos
image

Eles continuarão enviando cobranças, mas não as farão judicialmente, pois sabem que não vale a pena, e a cobrança provavelmente irá prescrever. Então a pressão será psicológica.

Após alguns meses, irão reduzir esta dívida à metade, mas é importante que você não faça acordo, por um motivo simples: o nome só poderá ficar inscrito no Serasa por um prazo de 5 anos. Qualquer acordo que fizer, isso irá gerar um novo contrato, e o prazo irá contar novamente daí.

Dentro de mais alguns meses, a sua dívida de R$ 33 mil irá, por um passe de mágica, virar os mesmos R$ 3.000,00 iniciais e ainda terá um parcelamento.

Este será o momento de pensar em pagar, e se for o caso, deixar expirar o prazo de 5 anos. O Banco tem todo interesse em renegociar com você, até para retirar sua conta do saldo para devedores duvidosos.

De acordo com o Novo Código Civil:

“Art. 206. Prescreve:

§ 5o Em cinco anos:
I – a pretensão de cobrança de dívidas líquidas constantes de instrumento público ou particular; “

Portanto, não cobrada a dívida após 5 anos do seu vencimento (data em que deveria ter sido paga), estará prescrito o direito de cobrança da mesma e ela não poderá constar de qualquer registro negativo.
Assim, analisando o que diz a lei, após o prazo de 5 anos, a contar da data de vencimento da dívida (não a data do cadastro), a restrição deverá ser excluída automaticamente.

Então pense no que acredita ser correto.

Caso tenha dúvidas, consulte nosso outro post sobre O Tempo em que o Nome fica no Serasa

73 Comentários + Add Comentário

  • é algo muito complicado sugerir apenas a inadimplência. levando em conta que o nome no serasa impede qq tipo de financiamento e levando em conta a tedência consumista da classe mais baixa, a ideia de ficar 5 anos sem comprar n eletrodomésticos e afins n é atraente.

    • matrícula em algumas faculdades também é dificultada.

    • Simples de resolver isso : Se Lula é considerado o responsável pelas pessoas comprarem em infinitas vezes, bota os inadiplentes na conta do FHC.

  • Elderson, você tem razão. Mas, muita gente sofre pra pagar luz/água/telefone todo mês por conta de dívida no cartão de crédito. Esses juros excessivos são justamente a arma que as operadoras tem para cobrir eventuais inadimplências.

    O que Pierre colocou aqui é verdade mesmo. Tenho acompanhado várias pessoas que não podem pagar a dívida e me procuram para saber o que fazer. Eu digo “tem estômago pra entrar no Serasa/SPC?” Se tem, então é declarar a moratória e esperar um acordo honesto.

    O problema é que, atrelado a um pequeno crescimento econômico, há uma enorme oferta de crédito, e as pessoas acabam transformando o limite dos cartões na extensão de seus salários. No curto prazo a conta não fecha e as dívidas começam a se acumular.

    • Conversa. Isso aí era antes de 2002. Após o advento de Lula, o Sacrossanto, as pessoas compram mais em função dos excelentes salários. Graças a Ele, o Brasil foi o único país do mundo que teve crescimento econômico nesse período.

      • Meu Deus, que fixação doentia!!!!

        • E não foi ele que mandou a manada consumir ? Agora, ele cobra 1 milhão por discurso e parte da manada tá no Serasa!

        • HAHAHAHA! “Consumir” é muito diferente de “estourar o orçamento”!!!!!!

        • Eu acho que ele tá sendo sarcástico amigo! anoethunaeothuo

      • Alexsandro deve ter uma foto de Lula no quarto…

        • De sunga. Com isopor na cabeça…

        • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Ri muito, Leitor. kkkkkkkkkkkkkkk.

          Alexandro, guarda esses argumentos pra um momento que sejam úteis ;) . Lula pra lá, Lula pra cá, num rola não.

        • *alexsandro

    • O problema é que, atrelado a um pequeno crescimento econômico, há uma enorme oferta de crédito, e as pessoas acabam transformando o limite dos cartões na extensão de seus salários. No curto prazo a conta não fecha e as dívidas começam a se acumular.

      Exato. Meu cartão, por exemplo, aumentou em 12 vezes o limite, do nada. Meu poder de compra aumentou, claro, mas meu poder de pagamento continua o mesmo.

      Se eu tivesse um salário que cobrisse o limite do cartão com folga, não haveria problema. Como não é assim, eu continuo consumindo o mesmo que antes do aumento do limite.

  • Se o indivíduo deve, ele tem que pagar! Acho um absurdo as dívidas prescreverem em cinco anos, isso é benefício para caloteiro.

    • Pagar com juros extorsivos?
      Isso é benefício pra banqueiro.

      • Pois e

    • Contanto que seja observado que não pode haver juros sobre juros eu estou de acordo. Deve, paga.

    • a classe baixa e média são os melhores pagadores. A maioria da população quer pagar suas contas.

      Agora as empresas querem lucrar de maneira completamente descabida, então que se danem.

    • Paga vc trouxa, babaca, os bancos praticam usura e lucram bilhões e vc ai pagando pau pra pagar essa laia, seu mané de merda!!!!!

    • voçê deve ser filha de um banqueiro com certeza,puxar o saco dos juros absurdos sem comentarios

    • vc deve ser o tipo santinha, perfeitinha que nunca passou pelas intemperies, da vida financeira por isso vc diz esse absurdo, mas td bem fazer o que, a vida dá voltas e certamente um dia vc mudara de idéia.

  • Pierre

    Como a multa é em geral 2% sobre o saldo devedor, aplicada no início do período, o camarada fica devendo R$ 52 mil, e não os R$ 33 mil aplicando somente juros.

    Mas é um tanto ilusório isto, pois as admininistradoras já estariam refinanciando o débito por fora, concedendo um empréstimo por menos da metade desta taxa.

  • [...] Economia Do Blog Acerto de Contas Super dívida no cartão de crédito e nome no Serasa. O que fazer? [...]

    • Olá, a cerca de um ano atras eu perdi o emprego e desde entao venho pagando sempre o mínimo do cartão de credito e eles sempre aumentando o limite, como eu pagava o mínimo e ficava totalmente sem dinheiro sempre utilizava a função credito, ai cai na besteira de fazer parcelamento de fatura e hoje não consigo pagar nem o mínimo mais. Liguei na central e eles me disseram que não fazem negociação nem parcelamento da dúvida total, somente da fatura atual caso eu queira novamente. Não tenho possibilidade de pagar outro parcelamento juntando com os que ja tenho. Estou perdida pois nunca havia tido esse problema, como eles fazem a negativacao do nome? Eles podem tomar o meu carro que é a única coisa que tenho em meu nome?

  • O danado é que (mesmo não permitido) todas as empresas fazem consulta da situação financeira dos seus futuros empregados para ver se eles possuem dividas ou não (Primus Cadastral, etc).

    Isso torna-se pré-requisito de admissão.

    O cara deve porque não tem emprego e não consegue emprego porque deve.

  • Não sei o que é pior – as taxas de juros abusivas dos bancos ou ter que ler alguém sugerindo calote como solução para problemas financeiros.

    • Isto é dilema de pobre. Rico não paga, chama um Advogado e mande “baixar o cacête”. Daí, no final faz
      um acordo e sai todo mundo “inteiro”. Voce chega lá.

      • Marcio, o pior certamente são os juros abusivos.

    • Texto do PSTU publicado no mesmo blog começa assim:

      “Durante uma passeata pelas ruas do Recife, uma servidora do judiciário denunciava que viveria melhor se estivesse vendendo caqui nos sinais, tal o nível de defasagem salarial em que a categoria se encontra”.

      Aí eu digo:

      Óóóóóóóóóóóóóóóóóóóóóh que drama!

      • uahuhauhah. Foi drama mesmo. Mas foi apenas uma análise sem maiores interesses sociológicos em relação ao valor que se paga hoje, pela hora do trabalho.

        O vendedor de Caqui ganharia, por hora (desde que vendesse determinado números de caquis) mais que o servidor recebe por dia.

        Mas essa é apenas a parte salarial das reinvindicações que são bem maiores que a questão econômica.

        A bronca é muito grande.

        Tanto é que o CNJ voltou a PE e voltou perguntando o Por que da grande ROTATIVIDADE existente no TJPE.

        A resposta era óbvia e mudar essa realidade é o ponto principal da paralisação.

        • dá uma olhada, martins e quem quiser:

          http://www.4shared.com/folder/chFEb6cF/TJPEemGREVE.html

        • martins…

          Essse Oh que draaaaaamaaaaaa vai ficar aqui no Acerto de Contas.

          Bordão do nosso AP, Aspone Petralha.

        • ???????????????

        • A grande rotatividade é menos pelo salario e mais pelas relações feudais do TJPE.

        • Certamente, Tati. Mas o salário, BOM SALÁRIO (eu acho), de um Técnico Judiciário (nível médio) é, atualmente, juntando tudo que recebe (gratificações e auxílios), cerca de 3.000 reais (Líquido)

          MASSSSSSS, quando se aposenta, se aposenta com cerca de 2 mil reais. O cara perde mil reais quando mais precisa, na velhice.

          Sem contar que existe uma escassez de cerca de 1100 servidores e, mesmo com a escassez dos 1100 servidores, o TJPE, a mando do CNJ, aumentou o horário de atendimento para das 9:00 às 18:00 (antes era das 13:00 às 19:00).

          E, em virtude do aumento do horário de atendimento e escassez de funcionários, resolveu aumentar a JORNADA de TRABALHO dos servidores de 30 horas semanais (tendência MUNDIAL) para 40 horas semanais e O PIOR, sem A DEVIDA CONSTRAPRESTAÇÃO SALARIAL.

          Resumindo, querem que trabalhemos 2 horas a mais por dia, recebendo o mesmo valor ¬¬.

          Nós queremos a manutenção das 30 horas semanais, a contratação dos servidores necessários, obras de restauração nos foruns do interior que estão se acabando, o pagamento que a LEI vigente previu desde 2008 do IPCA (mero reajuste dos vencimentos, previsto na constituição em virtude da inflação, ARt. 37, X, CF/88) e reajuste dos auxílios congelados desde 2008.

          Não estamos pedindo AUMENTO salarial, apenas o que já é devido por ordem de lei e que nunca fora cumprido pelo órgão responsável justamente por julgar os que agem à margem contra a lei, Judiciário.

        • Muito bem colocado Carlos, e você tem o meu apoio.

          O pessoal acha que qualquer trabalho no setor público é a garantia de que você é um ricaço. Ledo engano.

          Também, se o cara não recebe nenhuma bolsa, não estuda em escola pública e nem mora em favela, já é taxado de burguês que reclama de barriga cheia. Aí vem o povo falar m***a.

          Você e seus colegas servidores têm todo o direito de reclamar e receber aquilo a que têm direito.

  • Concordo com o artigo de Pierre.

    Acredito que as operadoras de cartão de crédito são extorsivas e as pessoas que querem sair da dívida terminam se endividando ainda mais.

    A moratória é a melhor saída. A não ser que façam propostas viáveis. Caso contrário, concordo plenamente com o calote.

  • Penso que as pessoas que estão nessa situação devem priorizar o básico:

    Aluguel/Prestação de Apartamento ou Casa.
    Luz, Água, Telefone e Condomínio.
    Prestação de Veículo.

    Se sobrar dinheiro, paga-se alguma coisa de algum cartão. Mas dependendo da dívida, porque se tiverem vários cartões, o melhor é não pagar nenhum.

    Cobre um santo e descobre o outro.

  • Escapei numa boa! Semana passada recebi o telefonema gentil de uma senhorita se dizendo gerente de minha conta no banco. Pressenti o baque, de cara. Devendo 3.000 contos no cheque especial, fui logo cantado a fazer um emprestimo em 12 vezes, pra cobrir a dívida, onde no fim eu teria pago cerca de 4.500 contos. Dei um jeito de pagar, sem o tal empréstimo. Minha sorte foi ter um “amigo na praça” que emprestou sem juros e no mesmo prazo.

  • Mas tudo isso me lembra uma máxima do Barão de Itararé: Se tempo é dinheiro, paguemos nossas dívidas com o tempo…”

    • Sábias palavras.

  • A coisa não é tão simples assim. Se, antes de ocorrer a prescrição, o credor ajuizar uma ação, a prescrição não ocorre durante a tramitação do processo.

    Ao contrário das dívidas tributárias, que podem prescrever por inércia da Fazenda Pública, caso inexistam bens para solvê-las, para este tipo de débito não existe prescrição intercorrente.

    Pode-se passar décadas na fase de execução, com o credor tendo o direito de ir atrás do patrimônio do devedor.

    Como muitas vezes o cara não tem nada, as empresas, em uma análise de custo-benefício, não vão para o Judiciário; mas que o risco existe, existe.

    Abraços

    • O problema é a gana, mão grande mesmo (para não dizer dedos leves tentando entrar no bolso de todo mundo, A PULSO).

    • Quem tem bens passíveis de penhora, normalmente não chega ao ponto de poder ser executado por dever crédito na praça.

      Se só tem um imóvel, esse é bem de família e, portanto, impenhorável.

      O risco é muito pequeno, logo, a ideia é pagar logo e, se não der mesmo, deixar pra lá.

      Minha mãe já comprou em loja (esposende), com cheque, mesmo estando com o nome sujo por causa do Carrefour (ela quis parcelar e o carrefour não quis acordo, então ela mandou eles pra PQP e priu :P ).

      Ou seja, mesmo com nome sujo, a pessoa pode dar sorte e conseguir crédito ;) .

  • Assim como algumas tem problemas com excesso de bebida, comida ou drogas, muitas tem problema com o equilibro financeiro.

    É dever da empresa oferecer crédito de maneira criteriosa, com cuidado recíproco.

  • Pierre, enquanto não vem texto, o que você acha dessa DISPENSA DE LICITAÇÃO:

    A SECRETÁRIA DE ADMINISTRAÇÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO, STELA MARIA TORRES DE MELO ROLIM, EXAROU EM DATA DE 04/05/2011 A SEGUINTE DECISÃO:

    PROCESSO ADMINISTRATIVO RP Nº 041121/2011.
    PARECER Nº 041/2011 – CPL/OSE
    INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO Nº 034/2011 – CPL/OSE
    RATIFICAÇÃO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO

    Reconheço e ratifico a Inexigibilidade de Licitação mediante as razões do Parecer nº 041/2011, da Comissão Permanente de Licitação – CPL/ OSE e Parecer nº 041/2011-CJ, da Consultoria Jurídica, para contratar o artista plástico RICARDO CAVANI ROSAS, CPF Nº 053.095.494-04, RG 920.694 SSP/PE, objetivando a confecção de uma série de três desenhos, 51cm x 37cm, em bico de pena, do Palácio da Justiça e de suas dependências, com a respectiva cessão dos direitos autorais para reprodução, e confecção de três retratos, um de cada um dos Desembargadores que compõem a atual Mesa Diretora do Tribunal de Justiça, em bico de pena, bem como uma ilustração, também em bico de pena, para o cartão de Natal institucional, conforme documentos de (fls. 02 e 24), Proposta Comercial (fl. 25), com valor global de R$ 56.965,14 (cinqüenta e seis mil novecentos e sessenta e cinco reais e quatorze centavos) e Dotação Orçamentária (fl. 28-v), argumentos que se fundam no art. 25, inciso III da Lei nº 8666/93 e redações posteriores, Publique-se. Remeta-se à Comissão de Licitação/OSE para cadastro no sistema corporativo E-Fisco. Empenhem-se.

    Stela Maria Torres de Melo Rolim
    Secretária de Administração

    E aí, tá bom de apoiar a greve ou acha que a greve é picuinha de servidor querendo ganhar mais do que ganha??? (essa pergunta é para toda a sociedade)

    Atte.

  • O brasileiro precisa ser responsável por seus compromissos. Tem que honrar seus pagamentos. Essa prerrogativa dos cinco anos para exclusão de restrições incentiva a inadimplência. Principalmente daqueles que têm desvios de caráter e compram, compram, sem poder pagar, e se aproveitam das normas que privilegiam quem não quer pagar. É praticamente um estelionato ao meu ver.

  • Cheque especial e cartão de crédito é coisa para quem pode. Quem não pode, não tem nada que fizar se metendo nisso. É simples assim: você é pobre porque não poupa e não poupa porque é pobre. Quem decifra isso, definitivamente, não mais precisa nem de CC nem de Especial. Ou seja, deixa de fazer coisa de pobre.

  • Os cartões de crédito, vieram pra ajudar e facilitar as compras…porém, os juros cobrados, são realmente abusivos e na minha opinião, se não tiver outro jeito é esperar a negociação mesmo!!

    • concordo…o duro vc emprestar seu nome p um amigo, e o amigo vai suja sem nome e vc fika suja na praça….devo no cartao mas o juro e muito alto e nao consigo pagar..eles mandam um acordo ke nao tem logica. sem condiçoes..entao teremos ke esperar fazer o ke neh!!!

  • Devo R$10.000,00 no cartão de credito e o banco me propos 72x de R$500,00 que daria ao final R$36.000,00!!!!!! Quero pagar, é óbvio, mais vou esperar a divida voltar a ser os mesmos R$10.000,00 inicial. Infelizmente vai ter que ser assim.

    • É noix pápá.
      Minha dívida de R$18000 com o Itaucard ainda é neném (06 meses).
      Quanto tempo deve levar para eles me proporem um acordo exequível?

      • Normalmente dentro de um ano o valor cobrado pelo banco voltará ao valor real devido, mais cuidado! se você posuir algum bem em seu nome o banco tem como ver através de sistemas internos deles (ilegais) e certidões de ofícios distribuidores ai podem entrar com uma ação penhorando seus bens, atenção!

  • Devo não nego, pago quando poder

  • Ola Pierre,

    Por gentileza, podes me auxiliar nesta notificação:

    Notificação extrajudicial: “…a fim de que tal pendência seja solucionada ainda na fase extrajudicial…”

    “…credor…ingressar com a competente AÇÃO JUDICIAL…”

    Citado conforme Art. 652 – CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL BRASILEIRO: “…o oficial de justiça procederá de imediato à penhora de bens e a sua avaliação…”

    §1° e Art. 652-A (art. 20,§4°):”…a juiz fixará, de plano, os honorários de advogado a serem pagos pelo executado.”

  • Olá,gostaria de saber o que realmente acontece quando a pessoa tem uma dívida de cartão de crédito e não consegue pagar,mesmo sem a intenção de “dar o calote” no banco…que tipo de meios o banco pode utilizar para fazer essas cobranças,por exemplo extrajudiciais??????s…o que acontece de verdade???A pessoa é chamada em tribunal para responder por essa dívida???A pessoa pode ser presa por causa disso?Obrigada.

  • Pierre boa tarde,
    estou sendo cobrada e incomodada por um cartao de credito de meu pai q já faleceu….
    Tenho obrigaçao de pagar a dívida, o q eles podem fazer contra mim?
    Nao suporto mais essa pressao, aguardo uma orientaçao!
    Fabiana

  • bom dia
    acho que o cpf deveria não conter dados a respeito de inadimplencia e sim um outro documento exigido só para compras a prazo e financiamentos ou emprestimos para evitar que a pessoa não consiga emprego ,não entre em concurso ou faculdade ,infelizmente ter o nome no serasa ou spc vai além da questão da divida prejudicando a vida do devedor em todos os aspectos da sua vida e muitos não tem a ver com a divida em si ,é uma ditadura fiscal e arbitrária ,pois a maioria das pessoas querem pagar e por muitas razões não podem .é uma penalidade de 5 anos que pode destruir a vida de familias pq empregadores consultam o cpf ,o que a meu ver é crime .

  • Boa tarde, sou servidor publico municipal, atualmente tenho uma divida em meu cartao de R$5000,00. Tenho cartao a 7 anos e nunca tive esse tipo de problema. Não há mais como eu pagar essa divida, não tenho margem para pegar empréstimos consignados e nem mesmo cdc, qualquer prestação a mais que eu venha adquirir vou acabar deixando de comer pois nao sobra mais nada do meu salario. Infelizmente a unica saida que enxergo é deixar essa divida por ao menos uns 3 anos e aguardar um contato da administradora do cartao para fazer um acordo pois talvez exista alguma marem disponivel para eu pegar um emprestimo e quitar a divida. O que pode me acontecer se eu ficar com essa divida rolando durante esses 3 anos? Tenho em meu nome 1 veiculo, 33,33% da parte de um terreno e 33,33% da parte de uma casa, ambos deixados como herança. Corro o risco de perder um desses bens?

    • A administradora fatalmente entrará em contato propondo um acordo com você, no começo como de costume com valores absurdos mais com o passar do tempo vai se tornar um valor justo a pagar. Podem sim entrar com uma ação de cobrança e penhorar seu carro ou seu terreno nesse caso seria o carro por ordem que a lei entende. O mais importante atenda as ligações já que tem o objetivo de pagar porém informe que nas condições atuais que irão lhe propor caos seja algo abusivo você não pode pagar, assim eles verão que você quer pagar, porém não está disposto a pagar absurdos.

  • Meu nome está no serasa/spc desde 2011, porém eu ainda tenho cartão de crédito. Se eu deixar de pagar a fatura será recontada/reiniciada a data do cadastro no serasa/spc?

  • Olá gostaria de uma informação tenho uma divida no cartão de credito Carrefour visa que de tanto pagar o mínimo e todo mês eu ligva e pedia que fizessem acordo mas nunca eles aceitava quando chegou a 14.000,00 eu não tinha mais condições de pagar e parei ai comecei a receber ligações de uma empresa de cobrança e algumas propostas absurdas de acordo que ainda não aceitei agora faz tempo que não ligam e nem mandam propostas eles podem me processar na justiça tenho um carro e uma cardeneta de poupança podem me tirarem isso por favor estou desesperada podem me esclarecererm essas duvidas qiero pagar mas com esses valores eu não consigo obrigada

  • Paguei o cartão de crédito Losango dia 20/03/14 e meu nome ainda consta no serasa,e a losango agora me cobra mais R$85,00 não sei de que. Isso é correto? Como posso solucionar essa questão?

  • oi tenho uma divida no valor de 13000 no cartao hipercard e eu liguei pra eles e me disseram que a divida ja ta em 25000 e querem que eu pague parcelas de 750,00 e eu nao tenho e me ameacaram com uma acao extra judicial o que eu faco agora,me ajudem porfavor desde ja agradeco.

  • Tenho uma dívida de 4.000, faz três anos que não uso mais o cartão, e paguei os acordos sempre. Algumas vezes não conseguia e eles me refaziam acordos. Agora devo mais de 6.000 e faz apenas 30 dias que não pago o cartão. Recebo 10 telefonemas por dia, chamo eles de agiotas, pedi para reverem meus juros. Quero pagar um valor justo, sendo que já paguei pelo menos 10000 em parcelas. Decidi que não pago mais nada. Meu nome já tá no serasa desde que meu salário baixou para menos da metade de uma hora para outra. Vou esperar um acordo justo. E isto vale para a divida bancária, que já está em quitação judicial. O Brasil é o único lugar dito “civilizado” onde o sistema bancário e governamental (com impostos de até 50% do nosso salário) que assalta o povo e ainda tem a polícia contra a gente. Mas tem gente que ainda defende a “honestidade” de ser vítima de estelionato. Não sabemos nos defender, não temos auto-respeito. Por menos os franceses fizeram a Revolução e decapitaram todo mundo.

  • OLA Dr. MINHA MÃE COMPROU UM CARRO EM 2009 NA TERCEIRA PARCELA ELA NÃO CONSEGUIU PAGAR A DIVIDA ENTÃO DEVOLVEU O CARRO
    PARA O BANCO EM 2011 CHEGOU UMA CARTA DO BANCO PROPOSTA DE LIQUIDAÇÃO COBRANDO O VALOR DE R$ 1.104,00 ELA NÃO TINHA CONDIÇÕES DE PAGAR AI TUDO BEM
    E HOJE NO ANO DE 2014 CHEGOU UMA CARTA NOTIFICAÇÃO EXTRAJUDICIAL MAS ERA DE OUTRA EMPRESA POIS TENHA COMPRADO A DIVIDA TOTAL DE DE DIVIDA 13.600,06 pague APENAS 1.300,00
    MAS ELA NÃO TEM CONDIÇÕES DE PAGAR ESTA DIVIDA E NA CARTA TEM UMA OBs. NÃO EFETUADO O PAGAMENTO MUNIDO 2 VIA DE MANDADO ,O OFICIAL DE JUSTIÇA PROCEDERA DE IMEDIATO
    A PENHORA DE BENS E A SUA AVALIAÇÃO ,LAVRANDO-SE O RESPECTIVO…MAS MINHA MÃE NÃO TEM BENS UNICA COISA QUE TEMOS É UMA CASA EM UMA ÁREA VERDE 15 METRO QUADRADOS , QUEM MORA EU MEU
    PAI MEUS IRMÃO UNICA COISA QUE TEMOS CORRE RISCO DE PERDE-LA MAS ESSA DIVIDA JÁ TEM 5 ANOS POR FAVOR ME RESPONDA OBRIGADO Dr.

  • Devo não nego, abandonei dois cartões de créditos um de 8.000,00 e outro parcelado em 24 X 600,00, nao tenho como pagar e preciso sobreviver e criar meu filho, quero nem saber no que vai der o que eu apenas quero é sobreviver em paz, se vai prescrever ou juros desaparecer pouco importa, quando me levantar financeiramente um dia, ai sim vou procurar saber minha situação.

  • De só .vo no Cartão Carrefour , ligo para o no 4404.0062 não consigo, são vários numeros que tenho que apertar. Quero fazer um acordso de acordo com minhas posses.

  • Um cartão mais ver muita coisa errado comigo ,eu comprei uma coisa na Bahia asim parcela de 27.90 por mês coloca mesmo dia

  • ola temos uma divida de 16.000 no cartão de credito,parcelamos em 18 vezes mas não estamos conseguindo conciliar essa divida com nossos gastos do dia dia,agua,luz,alimento,enfim,gostaria de saber se tem algum perigo em ser presa,não temos nenhum bem em nosso nome,oque fazer por favor nos ajude,queremos pagar mas esta dificil.

  • ola, bom dia estou com uma canta no cartã ode credito mas ñ posso pagar por que não tenho como pagar entrei em contato com banco mas eles não quiseram acordo com minha proposta era de pagar ma em parcelas pequenas, não tive resultados q fiz não vou mas pagar e não tenho como sou humilde que pode vir acontecer. obg

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação às punições de corruptos...

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia


  • “O homem de bem é um cadáver mal informado. Não sabe que morreu.”
    Nelson Rodrigues.

ARQUIVO

agosto 2014
S T Q Q S S D
« set    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).