Por que os condomínios estão encalhados no Recife?

mai 18, 2010 by     124 Comentários    Postado em: Financiamento Imobiliário

le parc

Nos últimos anos Recife ganhou alguns projetos de condomínio fechado, que já eram comuns em outras grandes cidades, como Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador. No caso do Rio, são dezenas de condomínios na Barra da Tijuca, que são muito valorizados.

Aqui em Recife os dois melhores projetos são o Evolution, ao lado do Shopping Recife, e o Le Parc, que fica na Avenida General Mac Arthur, na Imbiribeira. Ambos são projetos grandes com grande infraestrutura de apoio ao morador, como piscinas, quadras, salão de ginástica, etc.

O Evolution possui apartamentos de 2, 3 e 4 quartos, e o Le Parc apenas de 3 e 4 quartos. Neste caso, o Evolution possui dois públicos distintos: os recém-casados ou solteiros, que compraram os apartamentos menores, e as famílias, que optaram pelos apartamentos maiores. O Le Parc fez um projeto mais direcionado às famílias, com apartamentos maiores. A idéia seria a de não misturar os públicos, o que do ponto de vista mercadológico a princípio está correta.

Logo que o Evolution foi lançado, foi um sucesso de vendas nos apartamentos menores. Rapidamente foram vendidas as unidades, mas os maiores encalharam, e até hoje ainda estão sendo vendidas a conta-gotas.

evolution 

O Evolution possui 5 torres, e o maior apartamento está no Edf. Sea Park, que possui 144 m2 de área. O valor deste apartamento é de R$ 701.168,26 no seu valor mais alto (apartamentos 1801 e 1802). O reajuste das parcelas se dá pelo INCC até a entrega das chaves (previsto para julho de 2011), e depois um financiamento canibalesco de IGPM + 1%.

Com o INCC em torno de 8,9% ao ano (média dos últimos 8 anos) este apartamento ficará em torno de R$ 760 mil na data de entrega. Levando em consideração os adiantamentos que você está fazendo, com a aplicação financeira este apartamento terá custado em torno de R$ 780 mil. Em julho de 2011 este apartamento custará R$ 5.400,00 o metro quadrado. Claro que a área comum deve ser levada em conta na hora da decisão, e não apenas o apartamento em si.

Já o Le Parc tem entrega prevista para junho de 2013, e tem o apartamento mais caro sendo vendido hoje por R$ 748 mil. Este apartamento é de 170 metros quadrados, sendo maior que o Evolution. Mas como a entrega é daqui a 3 anos, com a variação do INCC e a aplicação deste dinheiro (30% do valor da obra deverão ser pagos até as chaves), ficará aproximadamente R$ 1 milhão. O metro quadrado estará custando para o comprador R$ 5.880,00. Um pouco mais que o Evolution.

Por que os apartamentos maiores estão encalhando?


Belos projetos, mas muito caros

Nas duas opções está se pagando um apartamento no valor de outro na Avenida Boa Viagem. É possível encontrar opções semelhantes na beira-mar. Se o apartamento for usado, você pode encontrar apartamentos bem maiores do que estes dois pelo mesmo valor, já tendo a opção de verificar o funcionamento do condomínio para saber se tudo está funcionando bem.

O caso do Le Parc é mais preocupante pois até março apenas 200 apartamentos (de 1056 unidades) teriam sido vendidos, depois de meses de lançamento. Essa mesma quantidade foi vendida na primeira semana de lançamento em Salvador. Para uma cidade como Recife, onde os lançamentos são rapidamente absorvidos pelo mercado, este número assusta.

Isso sem falar no gasto com propaganda, que é de fazer inveja a qualquer outro empreendimento na cidade. Nunca se viu tanta propaganda como no caso do Le Parc. Estão gastando R$ 25 milhões apenas com isso. Esperava-se que quase tudo já estivesse vendido, principalmente em função da novidade no mercado.

Já fizeram de tudo para vender. Já presentearam corretores com carro, já trouxeram Marcelo Anthony para promover, já deram certificado a quem comprou, já fizeram até exposição de automóveis na área, com o intuito de promover o lugar, mas nada parece dar resultado.

Algumas perguntas que provavelmente estão sendo feita por quem vai comprar:

  1. um apartamento na Imbiribeira vale R$ 1 milhão, mesmo com uma boa área de apoio?
  2. Será que é preferível um apartamento no Le Parc do que um na Avenida Boa Viagem?
  3. Quanto será que eu consigo por este apartamento se eu quiser vendê-lo depois, ainda mais com a baixa procura pelo projeto?

Além destes questionamentos, há muita desconfiança em relação ao funcionamento do condomínio. Não temos boas experiências de condomínios grandes em Recife, especialmente em um onde irão morar de 4 a 5 mil pessoas.

Mas essa desconfiança não procede. Condomínios bem organizados em outros estados, como no Rio de Janeiro, funcionam muito bem, e o fato de muita gente morar não implica em bagunça. Espera-se trazer a mesma tecnologia para cá. Ainda não se sabe a que valor.

Avaliando com frieza estes dois projetos, existem dois grandes problemas: um de mercado e outro de rentabilidade.

O de mercado porque Recife não suporta dois empreendimentos deste tamanho ao mesmo tempo. Em outras palavras, não existem 1500 famílias com recursos disponíveis e disposição para ir morar fora da beira-mar. Vejamos que o Evolution conseguiu vender rapidamente suas unidades de 2 quartos, mas não a de 4 quartos. Isso porque há solteiros com disponibilidade financeira e disposição para morar em um bom condomínio.

O de rentabilidade porque um apartamento de R$ 1 milhão de reais irá ser alugado no máximo por R$ 3 mil (otimista). Se for pagar Imposto de Renda sobre essa renda, sobrará por volta de R$ 2,2 mil por mês. Isso é uma rentabilidade de 0,22% ao mês. É muito baixa para qualquer investimento.

É obvio que a compra de imóveis não é um investimento de grande rentabilidade, mas não pode ser motivo de perda financeira acentuada. No momento estamos vivendo uma bolha no preço dos imóveis, mas o mercado vai se ajustar dentro de alguns meses.

124 Comentários + Add Comentário

  • Pierre, a quantas andam as vendas daquele condomínio da praia do Paiva?

    • Juan
      Não tenho a menor idéia. Não conheço o projeto direito de lá.

  • Pierre.

    Boa tarde!

    Você fala que estamos vivendo uma bolha no mercado de imóveis. Na minha busca por um ap, Tenho percebido situações absurdas. Quanto tempo vc acha que essa situação deve durar? Vc acha que é melhor esperar até que os preços baixem?

    Agradecido.

    Arnaldo.

    • Arnaldo
      Está fora da realidade.
      O pior é que o mercado está muito comprador, então não dá para medir o tamanho da bolha. Ela deve ir até o momento que as construtoras se ajustarem. Isso pode demorar de 2 a 4 anos.

      • Engraçado isso tudo! Quando há 3 anos me mudei de Recife pra Porto Alegre, notei que os apartamentos aqui eram muito mais caros. Vendiam dois quartos, 1 garagem, sem nada no condominio, por 250 mil. Em Recife, o mesmo imovel estaria por uns 130 mil no maximo, a depender da localizacao.

        E olha q aqui em POA ha um padrao rigoroso de plano diretor, com mts restricoes à construcao, o q deixa a cidade mt melhor de se viver. Isso é outra historia, mas aqui, para se ter uma ideia, predio de 9 andares é considerado alto.

        Buenos, agora q estava pensando em voltar à capital do frevo, verifico esta alta absurda nos preços dos imoveis, numa cidade que nao melhora sua malha viaria, q nao oferece bom transporte alternativo, cujos bairros q sao a nova coqueluche do mercado (Rosarinho, Madalena, Torre) nao têm boa estrutura. E Boa Viagem esta saturada, nunca moraria num lugar daqueles, me sinto com claustrofobia. Fora q todos nesse padrao moura dubeux horroroso!!!

        Hoje, aquele ap de 130 estaria por 300 mil. Ou seja, melhor juntar dinheiro e adiar a volta por uns 4 anos. Ate la, essa “bolha” deve estourar e os preços se realinharem.

      • Muito grato, Pierre.

      • Pierre,

        de fato pode ser uma bolha, mas quando consideramos que o volume de crédito imobiliário no Brasil sempre foi irrisório(na verdade, ainda o é) e que só agora está começando a se desenvolver, não podemos considerar que os preços de imóveis estão apenas sendo ajustados para uma nova realidade? A análise é difícil, mas a realidade hoje é totalmente distinta da que tínhamos há alguns anos atrás, então não sei se dá pra dizer que é bolha apenas com base no aumento de preços. E mais: mesmo com todo o crescimento na oferta de crédito imobiliário, o percentual de participação do crédito imobiliário na carteira total dos bancos é muito baixo (menos de 5%) quando comparado com outros países, que chegam a mais de 50%. Enfim, se vc tiver mais dados a respeito, acho que seria uma boa discussão aqui no blog.

        abs.

        • Bruno
          Mas é justamente isso que faz a bolha. O crédito é muito mais rápido do que a capacidade do mercado imobiliário e de incorporações.

    • Na minha opinião existe sim uma bolha. Esse fato se justifica devido ao programa de financiamento imobiliário e o bom momento da economia brasileira. Tudo isso faz que os preços dos imóveis vão pras alturas. Estive procurando imóveis pra investir. Chegou-se ao absurdo de pedir por um ap. de 60 m2 na encruzilhada a bagatela de 200 mil reais. Não creio em estouro da bolha, mas em um “soft land” como dizem. Permanecendo o crescimento mundial desacelerado e o quando crescimento do PIB brasileiro baseado no mercado interno der sinais de saturação os preços vão meio que congelar por um bom período e isso os trará à realidade.

  • Pierre,

    Sinceramente, não consigo acreditar que um condomínio desse tamanho funcione direito em Recife. Rio e São Paulo não servem de comparação para o nível de educação dos meus conterrâneos. Essa é uma triste realidade. Eu moro num prédio com 63 outras famílias e já não consegue ser esssas cosas todas. Eu não confiaria gastar meu dinheiro (se eu tivesse, claro) num empreendimento desse porte. Eo motivo seria exatamente este, a convivência.

    • Quem pagaria R$ 1 milhão para ter 2000 vizinhos? Sempre achei esse o grande problema. De uma forma geral, pessoas com dinheiro querem distinção, não massa.

    • Concordo inteiramente! Imagine a reunião do condomínio. O Nivel de educação no sudeste do país ainda parece ser melhor, apesar do nível econômico ser semelhante!

      • Comentário infeliz.

        • concordo!muito infeiz…

      • Puro preconceiro, pois hoje detemos o segundo maior polo médico do país, e temos o Tribunal de Justiça Federal presente aqui. Será que essas pessoas não tem educação? pois esse é o público de ambos projetos

      • LAMENTÁVEL SE PENSAR ISSO, FAÇA UMA RÁPIDA E SUPERFICIAL CONSULTA A LISTA DO ENEM DAS ESCOLAS PARTICULARES…VC VAI PERCEBER A DIFERENÇA NAS MÉDIAS, E PARA SURPRESA DE MUITOSO NORDESTE(TERESINA EM ESPECIAL) TEM GRANDE DESTAQUE, EM RELAÇÃO AO SUL ENTÃO É UMA SUPERIORIDADE EM TERMOS DE EDUCAÇÃO FORMAL…SOU PAULISTA E TINHA UMA VISÃO DIFERENTE DE NORDESTE(FÉRIAS, PRAIAS…) AO VIR MORAR AQUI EM RECIFE FUI TER UMA NOVA IMAGEM DA REGIÃO…EM TODOS OS ESTADOS TEMOS COISAS BOAS E OUTRAS NEM TANTO…MOREI EM CURITIBA, FLORIANÓPOLIS, PORTO ALEGRE E SÃO PAULO….E POSSO GARANTIR CADA UMA TEM SUAS MAZELAS E MARAVILHAS!!

      • Pois eu concordo inteiramente.

        A chamada “elite” recifense é muito mal educada; a herança escravocrata ainda é muito presente.

        • Não Neide, a má educação dos paulistas e cariocas me surpreendeu. Fui duas vezes a ambas e em décadas diferentes e vi gente muito mal educada nos “melhores lugares” de lá e quando sabem que somos nordestinos aí a coisa piora. Boa educação não se usa só com conterrâneos não. O problema é que já se passou a época em que um carioca ou paulista vinha pra cá e o povo babava (nossa! e como babávamos eles”), aí, hoje, quando chegam aqui , se “acham” e se decepcionam quando nossa gente não olha mais eles como se estivesse por baixo. O programa Fantástico da Globo tem mostrado diversos problemas em condomínios caros de São Paulo e a gente mal educada que vive neles.

  • Eu acredito na bolha imobiliária brasileira… Pode visitar qualquer capital que vc vai ver a mesma coisa, centenas de empreendimentos caríssississimos. Cidades como JP e SL-MA estão completamente “diferentes” de 10 anos atrás.

    De certo modo representa-se o já visto, historicamente, surto “urbano” no brasil. Concentra-se nas capitais os valores simbólicos de uso e aproveitamento dos grandes investimentos públicos… Até o aeroporto pode ser considerado um bem simbólico “imaterial” de “vontade de capital”.

    Mais ainda museus, carnavais, shows e grandes eventos que chegam as capitais. Existe uma verdadeira “áurea” de modernidade sobre estes centros urbanos, basta passar um tempo em qualquer interior pra saber disso.

    Contraditoriamente, os “urbanos”, em grande medida funcionários públicos e trabalhadores de grandes empresas privadas (digo, a CLasse que de fato “aproveita a cidade”, já que o resto, ficam em seus subúrbios produzindo suas próprias músicas e habitos de vida, no mais das vezes, completamente dissociados do que chamam de “a realidade do recife”), não tem lá muita coisa pra amar a cidade.

    Transito, preços, condições de vida, de forma geral, também não agradam os mediocratas, pagantes de IR, que lamentam cada litro de etanol (mesmo etanol… custa caro…) parado no trânsito, além de preços “absurdos” de condomínios e aluguéis, contas de água, energia, internet, estacionamento…

    Eu compreendo perfeitamente estes “ré-voltados”, mas de fato, foi uma escolha, uma opção de vida. Ser médio remunerados para “pagar contas”. E olhe que tem muita gente que tá a beira de repassar seu carro e se mudar pra algum IPSEP/IMBIRIBEIRA/IGARAÇU pra diminuir os custos de vida de Boa Viagem.

    No fim de semana que decidem “gastar”, vão aos shoppings olhar vitrines e fazer as contas que nunca “realizam sonhos” e acabam no cinema, pagando 5 reais por uma pepsi média, e mais um pouco por uma pipoca, pra ver a merda de um filme qualquer, que comédia ou romance, sempre acabam-acabam em depressão.

    Lamento tudo muito tudo isso e voz aconselho: SEJEM SIM-PReS!

    • Sábio!

    • vou morar em Marte la nao tem isso de ser carioca norte etc,,
      creio la nao tem TEMER nem LULA

  • Bem… quem viver verá se esse “palpite” está certo. E é palpite porque não foi apresentado nenhum argumento que prove a tese da bolha [há diversos motivos pelos quais os dois empreendimentos podem estar com vendas abaixo do esperado, se bem que acho uma contradição defender que comprar na planta é um mal negócio e querer que todos os lançamentos da cidade alcancem 100% de vendas antes de baterem a primeira laje]

    Quem pode esperar, espere, espere e espere a crise imobiliaria para comprar sua morada, é certeza que essa virá amanhã, daqui a 10 anos, ou 50 anos, quem pude esperar se dará bem.

    • hehehe essa é boa! Parafraseando Keynes, em 50 anos estaremos todos (ou a maioria) mortos. Pra que comprar um imovel?

      Mas, realmente, deve haver outros argumentos alem da bolha. Bom tema para se discutir!

    • Tudo bem, Vilani.

      Só destaco que tenho visto muita gente se endividando a longo prazo sem, ao meu ver, poder.

  • Quando Pierre se mete a falar do que entende(economia) sempre produz excelentes textos.

  • O LE PARC não está vendendo por castigo…

    JCPM pensa que é o todo poderoso… vcs já pararam pra pensar na área de mangue que vai ser destruida com a construção desse condomínio???
    Será que Recife suporta mais esse desastre ambiental??
    Aonde está o Ministério Público??
    Aonde está a imprensa??
    Aonde está os nossos vereadores??

    • onde está DAVID CAMERON??

      • kkkkkkkkkkkkkk

    • “I see you”

    • “What Would Brian Boitano Do?”

  • o danado é venderem um apartamento na general mc arthur (continuação da antonio falcao), como se fosse boa viagem, mas na verdade estao comprando um na imbiribeira.
    le parc boa viagem fica na imbiribeira, perto da estacao antonio falcao, que fica na imbiribeira.

    • Igualzinho à Faculdade Boa Viagem, que fica… no IPSEP. :)

      • é a famosa região da Imbiribagem! =D

  • Pois é… no fim do ano estava em Recife e fui visitar o Le Parc para fazer investimentos junto com meus pais, mas desistimos por causa exatamente do condominio. Como vamos fazer um investimento desse porte se vemos em Recife edificios com 30, 40 apartamentos que é uma loucura a questão condominal? Fiquei com medo daquilo virar uma “favela” e desistimos do negocio.

    • Que o diga o inez andreazza.

    • Mas é uma favela. Um cortiço vertical maquiado com a grife dos Dubeux, Queiroz Galvão, Brennand, pei bufe etc e coisa e tal. Mas é favela! Quem mora sabe.

      • Rapaz, favela é algo BEEEEM diferente.

        • É nada. No fundamental é tudo igual. O “barraco” pode ter saneamento, raia olímpica, quadras, pistas e tudo que você sonhou na vida. Mas na essência é um favelão. Com 120 famílias morando juntos numa área onde moravam no máximo duas ou três. Além de lascar o trânsito da rua, o esgoto sanitário, essas torres desnecessárias poluem o visual da nossa cidade. E muitas, inclusive tem o canal e o rio como vista. Para mim é favela. E o pior , custa muito caro.

    • Acho que deve ser pior ainda.
      O cara com dinheiro pra pagar 1 milhão num apartemento, normalmente vai ter um rei na barriga. Imagina a quantidades de brigas e picuinhas que vão ser originadas nesse edificio?
      Todos vão ser dono de alguma coisa, filho de alguém, o próprio alguem, sempre donos da verdade.

    • Raphael e Pierre,

      e, por trás desta loucura condominal, existe uma “máfia” das empresas prestadoras de serviços condominais com estas grandes construtoras. Todas já tem seus parceiros para administração condominal. Representantes desta, por sua vez, já estão ramificados em diversos outros serviços. Tudo amarradinho. Um ou dois é dono de tudo!

      A empresa RF é um exemplo disso. Domina mais de 60% da administração condominal de Recife. Criou uma filial sem CNPJ (!), chamada “LUX ADMINISTRAÇÃO”. Moro num prédio construído pela Queiroz Galvão e a administração (não) feita pela Lux está uma zona!

      Para vocês terem uma idéia, nenhum balancete mensal, desde novembro, tinha sido avaliado pelo conselho fiscal do prédio! Quando decidimos tomar conhecimento do fato, agora em Maio, diante da ingerência da empresa, vimos o buraco em que estávamos metidos.

      Outro exemplo: nas últimas semanas tivemos problema com água em BV devido a algum serviço que estava sendo feito pela Compesa (não sei ao certo). Tivemos falta d´água simplesmente porque a LUX ADMINISTRADORA não conseguia contratar caminhão pipa, alegando que devido à demanda, os preços cobrados eram absurdos e eles estavam (vejam só que meigo) tentando pagar um preço justo. Pois bem, uma senhora que vive aqui, que precisa de água por questões médicas, tomou a iniciativa de procurar na lista telefônica uma empresa; achou com facilidade e pagou do próprio bolso R$150,00 pelo caminhão! Com uma simples ligação, resolveu o problema!

      Condôminos descobriram, logo depois, que a empresa de água contratada pela LUX tinha ligação com quem??? Com os donos da RF!!!! Os caras não estavam dando conta da demanda, simplesmente porque (e obviamente) uma única empresa não dá conta de centenas de prédios sem água! É UMA MÁFIA ABSURDA!

      AVISO A TODOS OS COMPRADORES DE APARTAMENTOS: CUIDADO NA REUNIÃO DA ENTREGA DAS CHAVES!!!!

      Chegamos lá, todos felizes pela aquisição de um bem de “grife”, e eles já possuem tudo armado, respaldando estas empresas terceirizadas, TODAS PARCEIRAS DAS CONSTRUTORAS!

      A LUX ADMINISTRAÇÃO é uma zona! Não administra nada! NUNCA A ACEITEM PARA ADMINISTRAR SEU CONDOMÍNIO!

      Em relação ao post.. Le Parc..em Boa Viagem!? A quem esses caras pensam que enganam??? É IMBIRIBEIRA! Nada contra este bairro, mas não se compara a quem mora da Francisco da Cunha à Praia. 5.000 vizinhos!??? Certeza de zona.

      Uma coisa eu constatei morando num “Queiroz Galvão”: apartamento de grife, caro não garante educação de ninguém. Tem gente milionária com educação de um animal selvagem! E infelizmente não temos empresas competentes para gerir esse contingente de arruaceiros, que não têm noção do que é convivência em condomínio!

      Espero que esses projetos apodreçam!

      Abraço!

      • Prezado Sr. André,

        Com os devidos cumprimentos, na condição de representante da RF Administração, solicito a especial atenção dos leitores, em especial de V.Sa., no sentido de atentar para os fatos abaixo articulados:

        1. Inicialmente mister salientar que a LUX é um empresa do grupo RF Administração, não se tratando de filial, mas sim de empresa com atividade fim diferente e com CNPJ. Informações adicionais o Senhor pode obter junto à própria Empresa;

        2. Quanto as prestações de contas que são mencionadas, as mesmas foram devidamente entregues a representante legal do Condomínio;

        3. Gostaria de acrescentar que no tocante ao fornecimento de água não possuo qualquer empresa deste segmento. Mantemos parcerias com algumas empresas que nos atendem quando se faz necessário;

        4. A falta de água no Recife e Região Metropolitana afetou vários condomínios, inclusive administrados pela RF, que se tivéssemos a gestão mencionada sobre empresa de água, não teríamos problema algum;

        5. Por fim, sugiro que comentários construtivos continuem a ser efetuados, mas deve ser observada a veracidade dos mesmos, objetivando não gerar fatos desegradáveis e inverídicos;

        6. Ademais, encontro-me à disposição para quaisquer esclarecimentos adicionais que se façam necessários.

        Atenciosamente,

        FRANCISCO CAVALCANTI
        RF ADMINISTRAÇÃO
        81.3466.9759

        • Prezado sr. Francisco Cavalcanti,

          boa noite. Primeiro, gostaria de agradecer alguns de seus esclarecimentos.

          Após ler suas resposta agora, venho por meio deste retificar algumas de minhas observações:

          - As informações que postei foram repassadas por outros condôminos. E diante de nossa situação ruim no condomínio, talvez tenha passado dos limites em minhas palavras;

          - Por não ter como provar que a LUX não tem CNPJ e que a RF possui outras atividades como de distribuição de água para condomínio, EU RETIRO O QUE DISSE.

          - Em relação aos balancetes, vários condôminos tiveram acesso a eles, e nenhum tinha a rubrica do conselho fiscal do condomínio. Responsabilidade do conselho, mas também acredito que a LUX também tenha responsabilidade por esta conduta;

          - Depois de uma mínima auditoria feita nestes mesmos balancetes por um contador, constatou-se uma série de irregularidades no tocante à apresentação da prestação de contas do condomínio.

          Ou seja, o papel da administradora não foi feito devidamente, nem o do conselho fiscal do prédio (considerando o que o sr. argumentou, que todos foram entregues).

          - Além destes fatos concretos evidenciando falhas na prestação de serviços da LUX ao condomînio, outros fatos que postei no meu primeiro comentário (sobre a senhora que pagou do próprio bolso R$150,00 por um carro pipa, depois de achar rapidamente o nome da empresa na lista telefônica) são reais. Vários outros exemplos de ingerência estão sendo percebidos pelos condôminos, que aqui não cabe comentar;

          - Finalizando: já foi enviado tanto ao síndico como ao conselho fiscal uma carta com as devidas informações, e que já está decidido que a LUX não mais administrará nosso condomínio.

          Os esclarecimentos que podem ser conduzidos pela LUX diante dos fatos aqui relatados, poderão ser feitos em nossa próxima assembléia condominal.

        • * sua resposta

        • Prezado Sr. André,

          Com os devidos cumprimentos, agradeço, preliminarmente, a atenção dispensada, ao observar as ponderações efetuadas pelo subscritor deste.

          Ademais, acrescento-lhe que todas as dúvidas oriundas das prestações de contas serão devidamente dirimidas no momento oportuno, consoante proposto por V.Sa., assim como quaisquer outros fatos inerentes à prestação de serviços realizada pela LUX.

          Independentemente da postura que venha a ser adotada pelo Condomínio, não nos furtaremos, sob hipótese alguma, de esclarecer fato a fato, ponto a ponto. Trata-se do nosso dever.

          Reitero que estaremos sempre à disposição, neste e em qualquer outro momento.

          Com respeito,

          FRANCISCO CAVALCANTI
          RF ADMINISTRAÇÃO
          81.3466.9759

      • Acabei de saber que uma pessoa do financeiro da RF deu um “golpe” na praça ( falisificou autenticações ), não sei se é verdade mas é bom dar uma olhadinha como estão os tributos e outras obrigações do condomínio!

  • O Necessário está certíssimo. A classe média cai em terríveis armadilhas de consumo. É carro, é shopping, é taxa pra todo lado, é a educação privada, é o plano de saúde, é a natação dos filhos. As famílias tem que ser simples, como forma de evitar o stress das contas mensais. Dou o exemplo: abdiquei do carro, não tenho cartão de crédito e não uso roupas de grife. O superfluo vai pros livros, que de supérfluos não tem nada. Nada de tv a cabo, e no boteco, só uisque nacional e olhe lá… Não vivo no melhor dos mundos, mas pelo menos a minha corda é menos bamba do que muitos dos que estão pendurados no cheque especial.

  • Um passarinho bem voador, que não é tucano, disse-me a boca miuda, que esses condominios luxuosos, Moura Dubeux, Le Parc etc.., são a febre de consumo de 9 a cada 10 petistas graduados.
    Eu disse petista graduado, viu Juan, Martins, Lyreta et caterva!!
    Isso os coloca de fora dessa seleta escalação. Que pena.
    Voces são “ideologos virtuais”, humildes tarefeiros.
    Enquanto eles defendem com unhas e dentes os “feitos” da era Lula, os mais graduados cuidam das unhas e dentes no “coiffeur de luxo”.
    São aquelas denominadas “divisão das classes sociais”.

    • Não, não, Chiquito. Quem tem apartamento de luxo no MD de São José é Jarbas Vasconcelos.

      • outro dia a imprensa divulgou a declaração de renda a justiça eleitoral de vários políticos , chamou atenção a de maurício rands que parece ser muito mais abonado que jarbas , vcs estão perdendo tempo nesta discussão menor , estão lá todos bem , quer seja oposiçào ou situação , pois se hoje tá mal ontem esteve bem e vice-versa e nos aqui muito mal na fita. joão paulo se orgulhava de morar na periferia , veja hoje como ele vive e como vive , SÃO TODOS IGUAIS

      • e pelo que me contam 9 entre 10 taxistas… João Paulo é dono de uma das lajes das torres gêmeas…é isso ai dizem que para a aprovação do projeto foi LA e LO… Será que a domingueira vai ser animada no pier mauricio de nassau?

    • Concordo.
      Os petistas não querem mais “luta de classes”, eles querem é mudança de classe. Ops, os caras agora têm classe. kkkkkkkkkkkkk

      Tem petista que de sindicalista virou funcionários dos donos das empresas de ônibus. É uma piada.

      Mas os Demos não são diferentes.

  • Chiquito, Chiquito. Sua raiva o impede de ver a realidade com olhos abertos. Quem tem apartamento luxuoso nas torres gêmeas da MD é seu candidato Jarbas Vasconcelos.

    • Sorry, o primeiro texto demorou pra entrar e eu coloquei outro. Mas o espírito é o mesmo!

    • Martins
      Apartamento não, apartamentos, pois são 2, de 2 fez 1. Divulgado em coluna social. Mas pq vcs estao criticando isso ? O Sr Jarbas não pode morar lá?
      A Dilma só de salário como presidente do conselho da petrobras ganha 75 mil reais.

      • Dois? Putz, isso deve dar uns R$ 2 milhões. Um belo patrimônio, sem dúvida compatível com uma vida inteira dedicada ao serviço público.

        E a Petrobras paga aos diretores e conselheiros salários compatíveis com o status de quarta maior empresa petrolífera do mundo, mas ainda muito abaixo do que se paga na iniciativa privada. Tem que pagar bem mesmo.

        • JV tem apts declarados , sabe-se que muitos outros os têm em nome de laranjas , agora me permito fazer esta pergunta já que político é um homem público: de que renda vive JPLS a quase 2 anos sem salário nenhum?? com viagens , hotéis , carro e boa vida , no meu pequeno mundo se eu parar de trabalhar um mês não tenho como sobreviver no mês seguinte . quem poder responda por favor , ah não vale dizer que é com sobras do salário de prefeito!!

        • OBS.. A mesma colocação para JPLS vale para Mendonça Filho.

      • Devemos considerar que a Petrobrás é empresa privada atualmente. Já o Jarbas sempre viveu na vida pública. Como se enrriquece trabalhando somente no setor público??? talvez da mesma forma que José Serra!!!!

        • existem ainda os flex aqueles que ganham tanto do público como do privado , são exemplos josé dirceu , gushiken e palloci entre outros..

    • Caro Martins,

      Só para retificar, Jarbas não possui um apartamento nas torres e sim 02(dois) um ao lado do outro, que foram transformados em apenas uma unidade com quase 500m2.

  • Vocês viram? KKKK!

    Mendoncinha e os DEMOS ficaram felizes da vida com a pesquisa do Ibope encomendada por eles, que mostra Eduardo esmagando Jarbas por “apenas” 55% a 31%, e trataram logo de divulgá-la!!

    KKKK!! Achar bom estar perdendo por 24 pontos é sinal de desespero total!!!!

    E pra pior, parece que a pesquisa foi impugnada a pedido do PSL!!!

  • Pierre, inscrevi-me para uma palestra oferecida pela OAB sobre as novas regras do Direito de Família e, para minha surpresa, por meu nome constar na lista dos inscritos, fui procurado por um corretor que me convidara para conhecer o empreendimento.

    Resolvi mandar um E-mail fazendo algumas perguntas e ele respondeu o seguinte (não colocarei a identidade dele por questões de respeito para com o cidadão).

    Meu Email:

    Para ser sincero, mesmo antes da apresentação eu já possuia ideia de que se tratava de um empreendimento típico do Grupo JCPM, parabenizo-os.

    Entretanto, antes de mais nada, gostaria de saber objetivamente qual o custo atual dos seguintes imóveis:

    Torre Brise e Lis: Planta de 170 metros quadrados (valor total e modos de pagamento).

    Torre Rivière, Jardin e Tulipe: Planta de 107 metros quadrados (valor total e modos de pagamento).

    Obs: Caso queira fornecer os dados dos demais, já nos pouparia um certo tempo.

    Dúvidas:

    1 – Qual o público alvo do empreendimento? Haverá financiamentos pelo programa minha casa minha vida? Tal pergunta se dá pelo fato de, em muito condomínios, algumas pessoas comprarem os imóveis por meio de financiamento, mas depois não conseguem se manter adimplentes com as taxas de manuntenção do mesmo.

    2 – Quantos apartamentos por andar e quantos andares possuirão as torres?

    3 – O registro das vagas de garagem serão feitos separadamente dos apartamentos em si, ou farão todos parte da mesma escritura?

    4 – Já possuem estatuto e empresa que adminsitrará o condomínio?

    5 – Qual o valor do condomínio, mesmo que seja apenas uma projeção?

    6 – Trata-se de terreno de marinha?

    7 – Existe algum ônus ou litígio envolvendo o terreno, seja na área ambiental seja trabalhista ou qualquer outra?

    P.S com relação ao estatuto, fico receoso com relação à impossibilidade de receber visitas, ou que as mesmas tenham número restrito. Isso ocorre em alguns condomínios.

    No aguardo das respostas,

    atte.

    Carlos Augusto Carrilho de Hollanda
    Advogado – OAB/PE 29.133

    REsposta do corretor:

    Bom dia Sr. Carlos Augusto,

    Segue abaixo alguns esclarecimentos acerca das duvidas encaminhadas:

    1) O publico alvo esta na clientela com faixa de renda acima dos R$ 13.000,00 mensais, nao sendo portanto enquadravel no programa “minha casa, minha vida”. O Depto. de credito do empreendimento visa a identificacao do cliente com o perfil compativel com o projeto, objetivando tanto a regularidade do fluxo de recursos no periodo obra, como a adimplencia junto a empresa responsavel pela gestao do empreendimento (Classic Home), a qual detalharei a seguir.

    2) As torres serao todas compostas por um nivel terreo (3,40 m de pe direito), e um vazado (4,80 m de pe direito) onde estarao dispostos alguns dos itens de lazer (de um total de 104). Acima teremos 22 pavimentos tipo com 04 aptos/andar (torres Brise, Lis, Soleil, Rosee, Eden e Lune) e 08 aptos/andar (Riviere, Tulipe e Jardin). Importante destacar que em todas as torres os halls sociais serao independentes e que atendem no maximo a dois aptos, em alguns casos sao halls exclusivos, ou seja, teremos o efeito de aptos 01/andar ou 02/andar.

    3) As vagas de garagem sao previamente definidas, com mapa ja pronto, constando em contrato sua numeracao. Quanto a forma de registro das mesmas no cartorio de imoveis, posso verificar e retornar em seguida.

    4) A Convencao de Condominio ja esta registrada e acompanha os contratos no ato da venda. Quanto a administracao do empreendimento, temos aqui o principal diferencial desse projeto. O Grupo Cyrela criou uma empresa especializada em gestao condominial, a “Classic Home”, a qual sera responsavel pela administracao e gestao de todos os servicos disponibilizados, sendo a proposta nesse caso, a de um “Residential Resort”, com uma gama grande de servicos disponiveis, desde a faxinas semanais, servico de lavanderia, Lavagem de veiculos, Walk dog, Pet Care, Veterinario, sapataria, servicos de costura,organizacao de festas, entre outros, pelo sistema pay-per-use. Objetiva tambem atraves de uma gestao profissional dos recursos, otimizar e minimizar os custos de conservacao patrimonial.

    5) O valor projetado para 2013 esta em R$ 6,40/m2, sendo um valor bastante enxuto em funcao de todo o oferecido.

    6) O terreno tem 75% de Marinha, sendo porem, 100% aforado.

    7) O terreno nao possui onus ou litigios.

    Quanto as visitas, poderam ser recebidas desde que previamente cadastradas no Classic Home. Alguns ambientes, como o complexo aquatico, terao limitacao de visitantes, sempre lembrando que todos os instrumentos foram dimensionados obedecendo as estatisticas de fluxo de uso.

    Encaminharei um exemplo de fluxo de pagto. para uma unidade. Todavia acredito ser importante a visita presencial ao Showroom no sentido de se formar um juizo mais consistente do projeto.

    Ex:

    Torre Tulipe Sud, apto 202 (107,15 m2)

    Entrada 6.666,00

    60 dias 6.666,00

    90 dias 6.666,00

    120 dias 6.666,00

    30 mensais de 1.270,00

    02 anuais de 18.094,00

    chaves 32.378,00

    Saldo para financiamento bancario R$ 247.597,00.
    Valor total do apto. R$ 380.919,00

    No aguardo, para agendarmos sua visita,

    Atenciosamente,

    XXXXXXXX.

    Pena não aceitarem minha casa minha vida :( .

    Se for do seu interesse eu faço outras perguntas que interessem ao blog.

    Abçs.

    P.S

    Achei uma baita coincidência ver esse tema sendo aqui tratado. E percebam a babação para com o todo podereso JCPM no início do e-mail que enviei :P .

    • 8 apartamentos por andar?!
      ahahahah
      favelão da classe média alta!

  • Caro deverá ser o condomínio e as interminaveis taxas extras que existirão!

    custos fixos, sempre serão preocupações para manter a qualidade de vida!

  • Se morar em grandes condomínios fosse bom, os americanos na maioria , teriam grandes condomínios verticais, e eles moram em grandes casas e sem empregadas fixas, já que custam mais de 2000,00 doláres por mes e sem trabalharem oito horas!!!

    • Serão favelas de luxo com ricos passageiros, e grandes dificuldades de administração.
      Exemplos: qualquer edíficio com mais de 20 unidades, imaginem x10!

      • Tem razão, Fred. Rico brasileiro é uma desgraça. Pagam o olho da cara numa GAIOLA. kkkkkkkkk

  • Estratégia para enganar um metido a rico (ou um rico perdulário e burro):

    1) Faça o “rico” ter vergonha de perguntar o preço;
    2) Fale das cifras altas com naturalidade, o “rico” se sentirá diminuído, então comprará para dizer: “eu posso”;
    3) Sempre diga: “nossos apartamentos estão todos vendidos. O senhor quer preencher um cadastro para aguardar uma desistência?”;
    4) Quando tiver a oportunidade, diga a seguinte frase: “Nossos clientes são médicos, engenheiros, advogados, juízes…”;
    5) Olhe para o cliente com ar de superioridade, ele vai querer se impor comprando, ou seja, pagando caro;
    6) Finja atender um telefone de um comprador, diga a seguinte frase: “Não é todo mundo que tem classe para comprar um apartamento xxxxxdb”. Quando voltar ao cliente, ele vai querer provar sua “classe”;

  • Além do quê: quem quer pagar 1 milhão pra morar numa gaiola?

  • Pierre,

    Não vejo grandes problemas na quantidade moradores e na organizaçao do condominio.
    Tive a oportunidade de conhecer o condominio Península, na Barra da Tijuca – RJ ,com previsão de 28.000 habitantes. Conta com parques, lagoas, academias, escritórios e mais de 10 condomínios de prédios.
    e mesmo com uma quantidade enorme de edificios, o local é um exemplo de organizaçao. Lá tem apartamentos que variam de R$ 400.000,00 a mais de R$ 2.000.000,00.
    Talvez o grande problema desses emprendimentos seja o alto preço dos apartamentos num bairro como a Imbiribeira.

    • A questao única é o preço. Ou vale ou não vale…. Agora que é um empreendimento de excelente qualidade não há dúvidas. Não adianta criticar (aparenta inveja).

    • Claudemir
      Os condomínios no Rio realmente funcionam muito bem. Na verdade é quase um hotel. Os condôminos não participam do dia a dia das decisões.

      • CHEGO A CONCLUSÃO PIERRE QUE VOCÊ REALMENTE NÃO DÁ VALOR PARA O POVO PERNAMBUCANO POIS SE DA CERTO NO RIO E SÃO PAULO PQ NÃO DARIA AQUI EM RECIFE SERÁ QUE SOMOS TÃO MAL EDUCADOS ASSIM ACHO QUE VC FALA PQ NÃAO PODE COMPRAR E TA COM INVEJA. VC SE PREOCUPA MUITO EM FALAR MAL ESTIVE EM RECIFE E FUI EO LE PARC E NÃO TIVE COMO COMPRAR OA PARTAMENTO DE 170 M² POIS VOU TE CONTAR UM SEGREDO JA ACABOU SO TEM 4 UNIDADES EM ANDAR BAIXO ISSO É PARA VC VER COMO NÃO ESTÁ ENCALHADO.

  • Cadê o Ministério Público que até agora não fez nada sobre aquela área de 10 hectares do Le Parc que era um manguezal e que provavelmente foi invadido e será destruído.

    • O MP? Acorda, tu estas no Brasil.

  • Muita gente falando e pouco conteudo. misturam politica em tudo !!! Vamos trabalhar…..

  • Seguinte,

    O fenômeno dos grandes condomínios de luxo que inicialmente surgiram em São Paulo e no Rio de Janeiro, vieram com a proposta de oferecer conforto com uma área de lazer privativa a classe alta. Isso foi um reflexo do grande crescimento urbano, da diminuição dos lotes, da redução da área destinada ao lazer que o próprio Estado se viu impossibilitado de atender, da falta de segurança. Seu foco, desde o início, sempre foi a classe média alta.
    Na Barra da Tijuca, cuja característica é tipicamente a ocupação por condomínios fechados de alto padrão, as unidades são localizadas nas adjacências da praia. São Paulo não tem praia, então a proposta foi oferecer tranquilidade distante do centro urbano. Em Recife, foi localizado (me referindo ao Le Parc) longe da praia e ainda no centro urbano. Ou seja, ficou a lacuna. Qual o diferencial, então? A vista do rio, a proximidade do Shopping Recife, um parque verde dentro do próprio condomínio. Mas, e o recifense tem a cultura de morar em condomínios fechados? O referencial que temos são condomínios da década de 60, 70, cuja proposta era oferecer moradia a classe média e média baixa. Ou seja, habitação popular verticalizada. Isso, não só em Recife, mas até mesmo nos Estados Unidos se mostrou ineficaz ( ver Jane Jacobs).
    Em Recife, a pergunta é..será que é melhor morar numa Avenida Beira Mar de Boa Viagem ou num condomínio fechado na Imbiribeira?
    Realmente, o custo que está sendo comercializado inibe o mercado. A proposta é muito boa, apesar do alto impacto ambiental no caso do Le Parc, a localização nem tanto, mas especula-se que um empreendimento desse porte a longo prazo valorizará todo o seu entorno, mas tem que haver mercado.
    Quem disponibiliza dessa quantia quer distinção e STATUS. E a pergunta agora é a seguinte…O que dá mais status, morar numa Avenida Beira Mar ou num condomínio fechado na Imbiribeira?
    Abstraindo um pouco o foco da discussão, meu questionamento maior é acerca do impacto ambiental desse empreendimento, dito Le Parc. Se hoje ele está se configurando insustentavel economicamente falando, por não conseguir atingir o nível de vendas que se espera, ninguém sequer questionou o impacto dessa implantação numa área onde deveria haver restrições ambientais.
    Os problemas dos condomínios existem e não se restringem apenas ao primeiro momento das vendas das unidades. São, de fato, problemas sociais de longo alcance.

    • Pena que os arquitetos que concebem esses monstrengos não pensam como você.

      • Os arquitetos não concebem o monstrengo (empreendimento), somente fazem arquitetura. O monstrengo é feito pela “indústria” imobiliária e pela sociedade (incluindo os arquitetos), que quer os monstrengos assim como eles são e que não participa na hora da discussão das leis e normas que regem o urbanismo, deixando o lobos do mercado imobiliário livres para saciar sua fome às custas do colapso da cidade.

      • Quando se é planejada uma proposta como essa, ela já vem pré-definida em suas premissas pela construtora.
        Existem arquitetos que lutam sim para que esses empreendimentos não causem impactos tão prejudiciais a longo prazo. O problema é que dentro dos orgãos gestores eles representam minoria frente a força de uma Cirella Andrade Mendonça ou uma Moura Dubeux. A exemplo disso posso citar o grande esforço que tem sido feito para preservar a área da Tamarineira. Será que vamos conseguir? Onde fica a ética na hora da gestão? E a qualidade de vida? Provavelmente no bolso de determinados gestores que aprovam os empreendimentos, passando por cima das leis que regulam a ocupação do solo urbano.

    • Que texto excelente!!Leiam

  • Porque acredito que estamos numa bolha imobiliária (e de crédito e consumo) também.
    Se eu puder dar um conselho a alguém é: não compre imóvel em Brasília, não está na hora de comprar, você não vai fazer um bom negócio e nem vai ficar rico investindo em imóveis. Tenho certeza que vários investidores/especuladores amadores e pessoas que não entendem nada de mercado irão me ridicularizar. Tenho até evitado comentar neste assunto em rodas de amigos porque as pessoas estão cegas e acreditam que os imóveis continuarão valorizando ao ritmo de 20 a 30% ao ano, descontada a inflação. Isso é impossível.
    A lógica não permite esse tipo de acontecimento. Qualquer desvio exagerado na curva de preços de mercado de um determinado bem tende a recuar, ou seja, a bolha vai estourar.
    Porque acredito nisto:
    1) A razão aluguel/preço do imóvel, que dá o indicativo de valor de um imóvel, deve ser próxima a 1%. Moro em um apartamento na Asa Sul e pago R$ 1.500,00 de aluguel (contrato novo, com menos de 6 meses, ou seja, valor atualizado). O valor venal do imóvel, segundo os classificados e a imobiliária é de R$ 620.000,00. O imóvel tem 50 anos, 2 quartos e 96m2. Pago menos que 0,25% (mais precisamente 0,24%). Ou seja, 413 meses de aluguel correspondem ao valor do imóvel (pouco mais de 34 anos). Os entendidos do assunto dizem que vale a pena comprar um imóvel quando o valor do aluguel seria suficiente para comprá-lo em 10 a 12 anos. Brasília está fora da realidade. Seria razoável pagar até R$ 250.000,00 no apartamento que estou morando, mais que isso é loucura e jogar dinheiro fora. Este cálculo vale para qualquer imóvel em Brasília. Os valores variam de 0,2% a 0,4%. É muito melhor pagar aluguel em Brasília e esperar a bolha estourar.
    2) Se você acha que pegar um financiamento é vantajoso, com nossas pequenas taxas de juros (de 10 a 15%) ao ano mais T.R., vá fundo. Graças ao excesso de crédito, além de pagar altíssimos juros você estará contribuindo para inflar os preços, só que uma hora este crédito será cobrado ou irá ficar mais restrito e aí você vai descobrir que o apartamento de 500 mil que você comprou não vale mais isso tudo e a sua dívida é muito maior que o valor do apartamento. Mas se você acha que essa é a hora, vá fundo e boa sorte.
    3) Quanto mais crédito maior o preço. O crédito imobiliário está crescendo a taxas anuais altíssimas no Brasil, causando um verdadeiro boom de construções, não só em Brasília, em todos os municípios. Isto faz com que haja uma demanda artificial e que fatalmente será interrompida com a escassez do crédito. Com a economia crescendo tudo é muito bonito e muito fácil. Vocês acham que o Brasil irá crescer para sempre ou que uma hora a nossa dívida pública será cobrada (ela não pára de crescer)?
    4) Quantas pessoas você conhece que estão comprando apenas para especular? Eu conheço várias. Pessoas que estão jogando na loteria, mas se dizem especialistas, porque acreditam que irão eternamente comprar o ágio por 50.000 e vendê-lo por 100.000 ou 60.000 ou muito mais. Pessoas que se não conseguirem vender o ágio pelo valor que pagaram não terão dinheiro para pagar as parcelas e as chaves do imóvel. Ou seja, apostadores (alguém se lembra do avestruz master ou das fazendas boi gordo, ou da Amway ou do Herbalife, semelhança ou coincidência?).
    5) Vocês acham que de repente o Brasil descobriu que nunca foi pobre e virou rico. Terão um belo susto em breve. A dívida pública bruta está em níveis altíssimos e não pára de crescer.
    6) Olhe para Águas Claras e veja quantos edifícios estão sendo construídos. Não temos demanda para tudo isso. Olhem a noite quantos apartamentos estão vazios, com as luzes apagadas, pois seus donos não querem nem alugá-los, apenas querem ver a valorização de 25% ao ano infinitamente (vão levar um belo susto em breve). Estamos tendo um excesso de construções e isso irá cobrar seu preço no futuro, principalmente dos que comprarem imóveis no auge do boom (de 2009 em diante).

    Mas, se você não acredita em mim, acredite então nestas pessoas:

    1) Corretores: se o seu salário dependesse de quantos negócios você fecha você estaria preocupado com a qualidade dos mesmos? Os corretores vivem de comissões sobre compra e venda. Eles não estão interessados se você vai fazer um bom negócio, ele está interessado se você vai fazer um negócio, e apenas isso. O corretor fala ao mesmo tempo para o vendedor que é a melhor hora de vender e para o comprador que é o melhor momento para comprar. Incoerente não. Faça o teste. Converse com um corretor. Ele é uma pessoa que irá buscar o negócio (e não o melhor negócio) a qualquer custo, ele vive disso.
    2) Jornais e revistas: Estes sim irão ser sinceros. Totalmente desinteressados. Vejam as matérias nos jornais: compre imóvel, o melhor negócio. Dinheiro garantido, e outros blá, blá, blá. Todas as matérias pagas. Vejam só quantos anúncios de imóveis há num jornal. É daí, e não das vendas, que vem o sustento destes periódicos. Não se enganem, se eles falarem mal do mercado de imóveis as construtoras deixarão de anunciar neles. Eles nunca farão isso.
    3) O Governo: o Governo, altamente corruptível e financiado pelas construtoras, além de fazer propaganda de imóveis com programas públicos altamente desfavoráveis a população está liberando crédito “a rodo” para o setor imobiliário. Primeiro porque está enriquecendo seus financiadores de campanha. Segundo porque gera empregos (de baixa qualificação e que irão acabar quando a bolha estourar). Terceiro porque o cidadão que financiou 100% ou 90% do imóvel, pagando 3 ou 4 vezes o preço que o mesmo vale, acredita ter virado proprietário e fica feliz da vida(ele acha mesmo que é o dono, e não a Caixa Econômica Federal, mas o povo vive de status e precisa ter um imóvel mesmo).
    4) Os bancos: bom, os gerentes ficam felizes da vida ao te empurrar um empréstimo imobiliário com juros altíssimos para os padrões mundiais. Primeiro porque os mesmos tem metas de vendas de empréstimos, segundo porque te fidelizam ao banco por 20 a 30 anos e terceiro porque banco vive de juros, principalmente os decorrentes de empréstimos seguros, com imóvel em garantia. Não possuem imparcialidade nenhuma.
    5) Proprietários de imóveis ou os filhos deles: estes nunca acreditarão que vivemos numa bolha, pois estão virando “milionários” sem fazer força. Pessoas que compraram imóveis ou ganharam estão achando que são ricas, pois acreditam que a bolha irá durar pra sempre. Nunca irão admitir que os preços são irreais. Ah, uma coisa engraçada, no prédio em que vivo os carros, em sua maioria, não são novos, mas os proprietários dos imóveis acham que são “milionários” só por possuir um apartamento.

    As mentiras que as pessoas contam:

    1) Imóveis nunca caem de preço: vou apenas usar 2 exemplos – Estados Unidos em 2007 (queda no preço em várias cidades) e Japão na década de 90 (até hoje os imóveis não chegaram ao valor daquela época, na qual viviam em uma bolha). Quem tiver interesse pode pesquisar mais a respeito. Há inúmeros casos.
    2) Aluguel é dinheiro jogado fora: depende, como falei no início, se você paga 1% ou mais de aluguel pode estar jogando dinheiro fora mas se você paga menos de 0,8% como eu está no lucro, pois gasta menos com aluguel do que com o juro do financiamento. E se economizar ainda irá comprar com folga no futuro.
    3) O Governo está incentivando a compra da casa própria: não a da minha, pois ao jorrar dinheiro em forma de subsídios do minha casa minha dívida e nos financiamentos imobiliários só está fazendo uma coisa, inflando a bolha de preços.
    4) Há um déficit habitacional enorme em Brasília: primeiro que sempre houve e mesmo assim os preços não estavam irreais como hoje, segundo que para a classe média e para a classe alta não há déficit, há até excesso de oferta. O que segura o preço são os especuladores e o crédito fácil.
    5) Eu preciso de um imóvel: para vencer na vida a pessoa precisa comprar um imóvel. Eu não, você precisa? Eu não vou viver apertado por 30 anos só para dizer que tenho um imóvel, prefiro pagar aluguel e esperar o preço voltar ao normal.

    • Pedro,

      Voce descreveu passo a passo como se formou a bolha imobiliaria na Irlanda. A bolha pipocou no final de 2007. Conheci muita gente que vai passar os proximos 30 anos pagando parcelas enormes dos rendimentos mensais aos bancos, e no final vai ser o feliz proprietario de um imovel que nao vale 40% do que valia quanto foi comprado. Ate motorista de taxi (com todo respeito aos profisionais) dava conselho e especulava no mercado imobiliario.
      O pior de tudo eh que se o cidadao nao puder pagar as parcelas perde a casa, e ainda fica devendo o resto aos bancos.
      Precisamos educar nossos conterraneos para que nao entrem numa fria dessas.
      abraco.

  • Excelente post Pedro.
    Concordo plenamente, conheco pessoalmente o caso da bolha do US e antes de arrebentar cheguei a comentar com um amigo proprietario de 2 casas que os precos deveriam cair uns 10% pelo menos, ele respondeu-me que no maximo cairiam uns 5% e na realidade a queda foi de 30%.

    Isso por ser na America, que e um mercado bem mais maduro que o Brasil, mas tb tem niveis de endividamento bem maiores.

  • O governo Brasileiro deveria comecar a esfriar essa bolha freando o credito lentamente ( nao pode ser brusco) e nao aumentando-o. Ver e aprender com os erros dos outros (caso das bolhas do US, Japao, UK, etc) para nao ter que passar pelo mesmo.

    So nao estourou ainda pq realmente o Brasil tem um grande deficit habitacional, um nivel de endividamento baixo se comparado a outros Paises e uma certa tendencia de procura pelos investidores estrangeiros.

    Por outro lado, os 3 pontos que atras enunciei estao a esvaziar-se:
    O deficit habitacional existe mas e nas classes D e E (essas contrucoes ainda nao estao caras), mas o que se tem mais construido sao para A e B.
    O nivel de endividamento das classes A,B e C estao a atingir patamares comparaveis ao exterior e o que esta fazendo o contrabalanco sao as classes D e E (tem dificuldade de obter credito).
    Os estrangeiros tem aparecido e eu proprio ja encontrei diversos sites na net de outros Paises a incentivar a compra imoveis no Brazzzil principalmente para turismo ou pensionistas, mas o aumento de precos aliado a desvalorizacao do Dolar esta a cada dia a tornar o negocio menos interessante para eles. Veja o caso dos flats de 45 m2 em Porto de Galinhas que hoje sao vendidos por 200 a 300 mil e que possivelmente foram comprados a uns 100 mil ??? a 5/7 anos atras, se fizerem a conta em dolares a 3 reais daria uns 35000 USD contra uns atuais 150000 USD????

  • No Le Parc ocorreu o contrário do Evolution: as vendas dos apartamentos menores é que encalharam (107 e 108 m2). Acredito que o fato de serem quase todos “poente”, fora o preço para o tamanho do apartamento influenciou bastante.

    Quanto aos demais, praticamente todos os de 120m2 da primeira torre foram vendidos. O mesmo acontecendo com os de 140m2 e 170m2 (para estes ultimos já foram lançadas novas torres).

    Comprei um desses aparatamento mesmo ciente que se localiza na Imbiribeira. Concordo com muitos dos argumentos com relação a preço, riscos, etc.. Temo também pelo condomínio, mas quero crer que funcionará como os demais já implantados Brasil afora com relativo sucesso.

    Porém, tenho que concordar com um dos comentários de que muita coisa falada aqui são em tons tão sem cabimento que soam como inveja.

    • gostaria muito de morar em um condomínio desses, mas além de não poder, não sei se compraria (caso pudesse). é muita grana em jogo. 380 mil não é qualquer troco não. Mesmo para um juiz, desembargador, promotor, Delegado federal, procurador, auditor etc etc etc.

    • Rodrigo
      É exatamente isso que você falou. Foi o contrário do Evolution. Mas mesmo nos que vendem melhor o encalhe é grande. Venderam pouco mais de 200 unidades, de mais de 1000 disponíveis.

  • [...] Fonte: acertodecontas.blog.br [...]

  • O Marcele nthony ganhou 200 mil livres.E mole ??????????????????

  • O Marcelo Anthony ganhou 200 mil. É mole ??????????????????????

  • Marcelo Antony vai morar lá? Ah! Tá! Então vale a pena!!!

  • Prezados,
    Apenas algumas observações:
    - São mais de 300 unidades vendidas em menos de 4 meses;
    - São nove torres em uma área de terreno privativa com mais de 60mil metros quadrados;
    - A menor distância lateral entre as torres é de 23 metros, 02 vezes a largura da Antonio Falcão, ou General Mac Arthur;
    - As vendas estão fluindo em ritmo acelerado, pois quem conhece o Melhor e Maior Empreendimento Imobiliário que o Recife já viu, nos seus detalhes e diferenciais em gestão condominal, perde a rejeição com relação a Resort residencial de luxo, que é muito comum no sul e fora do Brasil e está chegando a nossa cidade agora;
    - É um estilo de vida diferenciado, onde a segurança, conforto e conveniência são os pontos mais altos nesse estilo de moradia;
    - O Le Parc não tem bairro, ele mistura Verde da zona norte com o Mar da zona sul. Quem morar aqui, bastará dizer que reside no Le Parc, que todos saberão onde é;
    - Para que exista uma crítica mais apurada, com base, convido vocês a visitarem o projeto, e conhecerem de perto a proposta do Le Parc;
    - O espaço disponível por pessoa no Le Parc é no mínimo 3 vezes maior do que qualquer outro empreendimento do mesmo porte;
    - A privacidade do morador é respeitada, e vizinhos estão mais distantes no Le Parc em suas áreas privativas, do que em qualquer edifício na av. Boa Viagem.
    - Venham conhecer esse projeto magnífico, e opinem depois, com conhecimento de causa.

    Forte Abraço

  • Ao ver a matéria aqui publicada, fiquei surpresa, pois, não entendo como alguém fala tão negativamente de uma coisa que, com certeza, tá muito claro, não conhece.

    Concordo com o Ricardo, quando convida-os a conhecer o Le Parc, pois, com certeza não perderiam tempo elaborando textos baseados apenas no que acham, no que imaginam(a grande maioria).

    Não se pode fazer comparação quanto ao valor do m², na av Boa Viagem, um apto custa caro e não oferece nada de lazer, no Le Parc, não está a venda apenas o apto, e sim, qualidade de vida, conforto, segurança, comodidade. Tudo que o Empreendimento oferece será entregue decorado e equipado, o condomínio será administrado por uma empresa do próprio grupo Cyrela,que visa manter o padrão de qualidade, pude conhecer de perto. Nos empreendimentos comuns, até meso os da av BV, onde tanquinhos são chamados de piscinas, não existem acúmulo de pessoas em dias ensolarados, e com mais de até 100 famílias dividindo o mesmo espaço, onde o valor do condomínio é exorbitante para o pouco que oferece ou nada. Quem compra um Le Parc, compra mais que um apto. Imagine se morar em um lugar com uma vasta área verde (mais de 60.000m preservada), complexo aquátivo de 4.000m² e salva vidas permanente, academia(não é uma sala de ginástica), com instrutor(já incluso no valor do condomínio), loja de conv dentro do mesmo, prédio ao lado entre 27m de distância a 85m, atelier,salões de festas, de jogos, sala de estudos,brinquedoteca,quadra,campo,etc. pagando um valor de condomínio menor ou igual aos outros no mercado. Não haverá síndico! Vc chega nos condomínio de Aldeia, onde h´condomínios que parecem um bairro, com valor de R$800,00, R$ 1000,00, e que, oferece um lazer menor que o Le Parc, e… está funionando, não é favela.

    A localização? Imbiribeira… qual o problema? o Shopping Center Recife, o grande Hiper… estão localizado na Imbiribeira gente, pagamos caro sim o estacionamento do shopping. Olhem o endereço nas notas fiscais das lojas, naqs embalagens, bairro Imbiribeira.

    Como o Ricardo falou acima, o Le Parc não tem bairro, basta dizer: moro no Le Parc e todos saberão onde é, assim como o Shopping Center Recife.

    Venham conhecer antes de criticarem! A Cyrela está presente em 55 cidades, 17 estados, está aqui com um conceito de moradia inovador valorizando nossa cidade, acreditando no potencial de compra do Pernambucano, pois, ao contrário do que descreve a matéria aqui, O Le Parc não está voltado ao Público apenas da Av Boa Viagem, porque o potecial de compra não está apenas no público da Avenida, está, na zona norte, em outras avenidas de Boa Viagem, em outras cidades, em outros estados, em outro país, tem clientes em potencial de todo lugar acreditando no projeto.

    Conheçam de verdade num todo o projeto, a dministradora do condomínio.

    Tudo que vai para mudar causa impacto e resistência, é uma grande verdade.

    • Shirle
      Você deve ser corretora lá, não é?
      Porque quando fui conversar com um, o argumento foi o mesmo.
      Nós não vendemos metro quadrado, vendemos qualidade de vida.
      Boa sorte nas vendas
      Abraço

  • É amigos, o feirão da CEF, que acabou ontem no centro de convenções, ofereceu diversos apartamentos de 2 quartos, com área de 50 m², sendo vendidos por 180 mil reais.

    Teve um saldo de mais de 300 unidades vendidas nos 4 dias, várias famílias felizes com a realização do sonho de comprar a casa própria (esquecidas de que acabaram de se endividar pro resto de suas vidas por algo que, ao final, não custará um quarto do que gastaram) e o governo gozando os Louros do “minha casa, minha vida”.

    Acho importante que a classe D tenha acesso ao crédito e tenha oportunidade de comprar sua casa própria, como todo cidadão deveria ter. Porém, a forma repentina e fácil com que o crédito está sendo concedido àqueles menos desprovidos, além de valorizar os minúsculos imóveis acima do razoável, cria um efeito cascata ao valor daqueles imóveis direcionados à classe média alta e à classe alta, posto que interfere no valor do m².

    Não estou aqui querendo desmerecer o empreendimento Le Parc ou algo que o valha, até pq só os conheço através de flyers, folders e comerciais, contudo, 800 mil por um imóvel de 170 m² na Imbiribeira, que apenas será entregue em 3 anos, é absurdo e irreal, além de que, para mim, é de uma estupidez economica sem tamanho.

    Por mais que os representantes da Cyrella ou os corretores tentem vender que “não está se comprando imóvel, mas qualidade de vida”, o imóvel está sobrevalorixzado e ponto final. Garanto que se compra melhor qualidade de vida por muito menos dinheiro.

    Existe uma bolha imobiliária sim, e ela vai explodir em breve. E digo os prováveis passos do desastre, 1º o êxtase das compras vai diminuir, 2º os valores dos imóveis vão se acomodar voltando aos patamares de um mercado saudável, 3º concomitantemente os felizardos mutuários da CEF de hoje vão se aperceber que estão pagando mil por algo que vale cem, 4º por esse motivo e por pura falta de dinheiro mesmo a inadimplência vai subir mais do que os bancos estão dispostos à suportar, 5º vai haver muita oferta de imóveis, apreendidos ou não, e os valores destes vão cair mais ainda e assim o bola de neve seguirá seu caminho até providências posteriores.

    Deus queira que eu esteja errado, enquanto não sabemos, alguém se interessa por uma oportunidade imperdível, Residencial Iputinga. Apenas 78 mil reais, facilitados pela Caixa. “Não ‘perda’”.

    • Amigo,

      Não existe apartamento no valor de R$800.000,00 no LE PARC e as duas torres com apartamentos de 170m² estão 99% vendidas e digo assim de passagem se houvessem mais duas, estas também estariam vendidas.

      Um abraço

  • Fazendo uso do sagrado e democrático direito de resposta, vimos prestar alguns esclarecimentos sobre as falácias, inverdades e falsas generalizações contidas no post do Sr. Pierre Lucena no qual aborda questões referentes a novos
    empreendimentos imobiliários, mais precisamente os denominados condomínios, em andamento em Recife, em especial no que tange ao Le Parc Boa Viagem.
    Primeiro, as unidades lançadas no Le Parc são de 3 ou 4 quartos, contudo, o cliente tem a opção de receber o apartamento com 2 quartos, possibilidade que o Sr. Pierre Lucena não divulgou, não se sabe por qual motivo ou interesse.
    Segundo, a unidade mais cara hoje (de 170 m²) no Le Parc está em torno de R$ 600.000,00 a vista. Não existe nenhum apartamento sendo vendido por R$1.000.000,00 (hum milhão de reais).
    Terceiro, não é verdade que existam opções semelhantes na Avenida Boa Viagem. O Sr. Pierre faz uma confusão neste ponto, e em todos os outros, de modo que um leitor desatento é levado a acreditar que imóveis “novos” e “usados” são a mesma coisa; que simples edifícios, com guarita e vaga na garagem, se comparem a um
    condomínio com a estrutura e funcionalidade do Le Parc Boa Viagem.
    Sem desmerecer os empreendimentos tocados à beira mar, é
    impossível comparar o Le Parc Boa Viagem, um condomínio com vista permanente para o Parque dos Manguezais, e até para Olinda, Recife e para o mar, que conta com mais 100
    itens de lazer e serviços, entre eles: academias com equipamentos de última geração com apoio e orientação de profissionais qualificados; loja de conveniência; salão de
    beleza; parques infantis com recreadores treinados; piscina mãe/bebê; jardins preservados; spa com vista para cascata; piscina infantil e adulto, com borda infinita, bar, vestiário feminino e masculino limpos; pista para caminhada que entrecorta extensa área verde; com uma logística de acesso que visa sobretudo à segurança e ao conforto do
    morador -, (comparar)com imóveis localizados na Avenida Boa Viagem, uma via estreita, suja, com trânsito sufocante, colisões entre veículos, atropelamentos com vítimas fatais, onde transitam indesejáveis personas tais como drogados, assaltantes, assassinos e prostitutas; sem se esquecer o diuturno e ensurdecedor barulho e dos imprevisíveis
    arrastões que ocorrem dentro e fora dos edifícios. É realmente uma comparação desleal.
    Quarto, como se pode por em dúvida um modelo de administração e segurança condominial que conta com o que existe de mais moderno em tecnologia, sucesso comprovado nos diversos empreendimentos tocados pela Cyrela Andrade
    Mendonça. Lembrando que toda esta estrutura de lazer, conforto, segurança e administração condominial do Le Parc Boa Viagem custará apenas R$ 6,40 o metro quadrado, cobrados a partir da entrega das chaves. Com tudo que é colocado a disposição do morador, se comparada com o custo médio mensal da taxa de condomínio de um apartamento de 3 quartos novo na Avenida Boa Viagem ou em qualquer outro
    lugar do Recife, podemos dizer que é uma pechincha.
    Quinto, não existe nenhum problema relacionado ao mercado a ser atingido pelo Le Parc Boa Viagem, considerando que ele oferece tudo e muito mais do que é oferecido por empreendimentos localizados em diferentes lugares da Cidade do Recife e Região Metropolitana, com uma completa e moderna estrutura de conforto e segurança, que visa sobretudo a melhoria da qualidade de vida de seus moradores, com preços equivalentes. Assim, moradores de Boa Viagem, Jaqueira, Casa Forte, Torre, Caxangá, Janga, Casa Caiada, etc., são potenciais compradores de apartamentos do Le Parc Boa Viagem, o que ultrapassa, e muito, o número de 1.500 famílias sugerido pelo Sr. Pierre.
    Não há nenhum risco de desvalorização e esvaziamento do
    investimento, sendo importante ressaltar que a ocupação de imóveis da Zona Sul da Região Metropolitana nunca atingiu um patamar tão elevado, havendo inclusive a falta de
    imóveis para alugar, como foi divulgado recentemente pelo noticiário do NETV (RedeGlobo).
    Atingimos, em apenas quatro meses, a venda de 300 unidades, com contratos assinados. É um sucesso comprovado!!!!
    Sexto, não existe um grande problema de rentabilidade como afirma o Sr. Pierre Lucena. É algo realmente esdrúxulo. Vejamos:
    – o cliente do Le Parc adquire um apartamento por 600.000,00 a vista na planta, e segundo as palavras do Sr. Pierre, este mesmo imóvel estará valendo R$
    1.000.000,00 na entrega das chaves. Não conseguimos enxergar onde está o prejuízo para o comprador, seja ele morador ou investidor;
    – o índice IGP-M (utilizado no reajuste de aluguéis) deste ano já chega a 4,55 %, maior que o índice da inflação medido pelo IBGE, conforme foi divulgado em matéria publicada hoje no site g1.com.br. Também aqui não conseguimos vislumbrar
    nenhum problema de rentabilidade para o investidor imobiliário.
    Sétimo, não vemos nenhum problema em dar prêmios a profissionais dedicados e competentes, que tem contribuído com seus esforços para a valorização dos imóveis em Pernambuco, que se deseja que alcancem os níveis de outras regiões do país, tais como Sudeste e Sul. Cremos verdadeiramente que haverão ajustes nos preços dos imóveis, para cima, o que significa clientes e investidores felizes com suas aquisições, melhor remuneração da mão de obra, mais impostos, mais desenvolvimento.
    Temos que abandonar de vez nossos complexos de inferioridade e mediocridade.
    Oitavo, consideramos extraordinário que o comprador de um
    apartamento do Le Parc Boa Viagem, seja investidor ou morador, receba de graça uma campanha publicitária milionária do departamento de marketing de uma das 10 maiores empresas imobiliárias do país, com um histórico de 80 anos de competência e confiabilidade, com sucessos recentes a exemplo do Salvador Shopping Business e Le Parc Salvador Residence Resort (com mais de 1.000 unidades vendidas), que levaram a Cyrela Andrade Mendonça a ser agraciada com os títulos de campeã do Prêmio Ademi- BA Lançamento 2009 e Ademi-BA Lançamento 2008, respectivamente; além do Top of
    Mind; bi-campeonato do Prêmio Ademi Empresa do Ano e Prêmio Master Imobiliário, o “Oscar” dos prêmios imobiliários.
    Finalmente, esperamos com estes esclarecimentos ter prestado um importante serviço para a sociedade, em especial aos clientes do Empreendimento Le Parc Boa Viagem, pessoas inteligentes e que não se deixam levar por aleivosias como estas do Sr. Pierre Lucena, ao qual desejamos melhor sorte ao publicar seus comentários, buscando fundamentar melhor seus argumentos, até então frágeis e contraditórios, que demonstram total desconhecimento das condições e nuances do mercado imobiliário, deixando claro que teve a intenção única de desacreditar um empreendimento sério,
    responsável, rentável, e que procura sobretudo, oferecer uma nova e melhor qualidade de vida para as pessoas.

    Att.

    Marcos César

    • Caros amigos,

      É muito triste vivenciar toda esta discursão pois desde que o mundo é mundo cada qual com o quinhão, médico cuida de saúde, carpinteiro cuida de madeira e pelo que sei quem vende imóvel é corretor capacitado com registro no CRECI e COFECI.
      As maiores empresas do ramo tem como consultores e parceiros corretores de imóveis com larga experiência de mercado e um nome a zelar.
      Quem gosta de teoria muito fala, pouco faz e as vezes até atrapalha, vejamos o exemplo de muita gente que deixou de investir em imóveis seguindo a orientação de gerentes de bancos e consultores fnanceiros, assim, veio a bolha de 2008, ai já viu né!
      O momento agora é de trocar a palavra liquidez por solidez e não existe investimento mais sólido que o imóvel.
      É Rocha!

  • As informações sobre o Evolution não estão corretas. Os maiores apartamentos tem 170m² e não 144 como foi escrito. O segundo erro foi dizer que foram vendidos primeiro os menores. Ao contrário do que foi escrito os apartamentos com 170m da torre Grand Park é que foram comercializados primeiro. Com relação a não ter dado certo é outra afirmação incorreta. Não podemos comparar o mercado do eixo Rio-São Paulo com o nosso. A questão dos condôminios em Pernambuco é mais cultural, ainda estamos absorvendo a idéia de morar num mesmo espaço junto com várias famílias.

    Airon Rios – creci 7512
    Carlos Rios Imóveis

  • Caro Airon,

    Concordo plenamente com o seu comentárioe ainda acrescento que esse tipo de comentário nagativo, deve ser de algum babaca, pois tem vontade de morar em um condominio deste porte e não tem condições.

  • Sr. Marcos Bahée e Pierre Lucena,

    Sugiro que ambos conheçam mais a fundo o assunto sobre os quais forem criticar. Se tivessem feito isso não teriam cometido a garfe de dizer que o maior empreendimento do Evollution tem cerca de 140m², e que os de dois quartos foram os primeiros vendidos. Pois não há apartamentos de apenas dois quartos lá. Assim como os maiores não são os de 140, mas de 170m². E olha!!! bem mais caro que os menores e foram totalmente comercializados em tempo récord, ou seja, a construtora conseguiu atingir todos os públicos. Conselho: antes de sequer responder a qualquer outro comentário, façam com conhecimento de causa, aceitem a visita dos profissionais , pois assim pode ser que não cometam mais a garfe de falar sobre o que não conhecem a fundo.

  • Sr. Pierre lamento seus comentários desastrosos com total falta de conhecimento. Sou corretor de imóveis e seguindo seu conselho vou produzir um blog pra falar da área médica que conheço picas…assim é fácil falar!

  • Pessoal, depois de ler todo esses essas postagens, me deu fome.

    Alguém pode me emprestar um “garfe” para comer, porque eu

    sou um pobre coitado que nem isso tem, ha ha.

  • Olá,

    Eu sou o Sr. Henry Morgan eu sou um emprestador do empréstimo legítimos i dar empréstimo a uma baixa taxa de juros de 3%, todos os mutuários interessados devem preencher o formulário abaixo e e-mail abaixo para mais informações. Contato
    E-mail:henrymorganloans@gmail.com

    Nome completo:
    País:.
    Estado:.
    Sexo:
    Idade:
    Profissão:
    Renda mensal:
    Número de telefone:
    Valor do Empréstimo Necessário:
    duração do empréstimo:
    Obrigado e que Deus abençoe,

    Sr. Henry Morgan.

  • No caso do Le Parc – Todas as unidades maiores foram vendidas. O preço do metro quadrado está na média de qualquer lançamento novo na cidade. O que está com vendas mais dificieis são os apartamentos menores. Ok ?

  • Caríssimos,

    Ressalto que, a fim de realizar um investimento em imóvel, visitei ambos os empreendimentos – Le Park, Evolution – e outros ainda.
    No final, cheguei à mesma conclusão dos que se manifestam contrários à compra do imóvel: o valor é alto demais para o região. As tabelas, diferentemente do que os corretos estão falando têm, sim, imóveis em patamares próximos aos R$ 1.000.000,00 (hum milhão de reais), a cultura local também não absorveu bem a ideia de se morar em um condomínio de luxo (em Recife estes condomínios estão sendo vistos como verdadeiros conjuntos, os quais tendem a virar verdadeiros favelões) e, por fim, ressalto que também acredito que a bolha é uma realidade, pois não há mercado por aqui para se pagar alugueis que compesem o valor dos investimentos
    Tenho preferido investir em salas comerciais – o que também já está começando a ficar inviável -, pois ainda encontramos lançamentos em torno de 150.000,00 que na entrega chegam a valor 200.000,00 (Ex The Plaza Busines Center).
    Sei, porém, que a bolha é uma realidade e para quem comprou e ainda está comprando o mandamento é o seguinte: como qualquer outro negócio de risco (bolsa de valores, avestruz master, fazendas boi gordo) o negócio é sair antes da quebra. Pelo que tenho lido acredito que o mercado ainda vá abserver a situação por uns 03 anos. O prazo é lógico e é baseado justamente no tempo necessário para a entrega de todos os imóvei em construção, ocasião em que os investidores e público em geral verá que não consegue um aluguem vantajoso ou uma venda vantajosa. Nesse dia, meu amigo, ocorrerá o seguinte: o último que ficar no negócio que apague a luz!!!!!!

    Aquele abraço.

  • Você já viu rato falar mal do queijo? Formiga falar mal de doce? Então, senhores, acordem. O nome bolha não existe por acaso, leva o nome bolha porque ninguém enxerga. Se tais imóveis valem ou não 1 milhão, é questão de vontade. Se eu quero pagar 500 mil numa ferrari eu pago, se não quero, não pago.

    Mas uma coisa é clara: o sistema econômico, seja de renda das famílias, seja da capacidade de financiamento, não tem suporte para aguentar a dita valorização de 25% ao ano, pois isto simplesmente inviabiliza a compra pelas famílias.

  • Continuando.

    Agora imagine que atualmente – 2010 – as famílias tenham condição de comprar o dito apartamento de 1 milhão. E daqui a 4 anos, mudam de idéia, e decidem vendê-lo, por 2 milhões – em virtude da valorização de 25% ao ano.

    Qual a quantidade de compradores dispostos a comprar tal apartamento por 2 milhões?

    Quem terá renda para isto?

    Quem vai querer pagar 2 milhões para morar neste apartamento? Aqui não se trata de ter dinheiro, mas de querer gastar 2 milhões para morar nele!

    Quais as taxas de juros bancários para financiamento deste apartamento?

    Enfim, o exemplo foi do apartamento citado no post, o qual desconheço por morar em Brasília.

    Mas aqui na cidade onde moro, temos um bairro inteiro, chamado SETOR NOROESTE, com inúmeros lançamentos a este preço.

    Explico a seguir a dinâmica do bairro citado.

  • SETOR NOROESTE, a menina dos olhos.

    Para quem conheçe Brasília, temos aqui o Plano Piloto e as cidades satélites.

    O Plano Piloto, resumidamente, é o avião, o centro da cidade. Muito valorizado por vários fatores: localização, estrutura urbana, limitação de construção (apartamentos com no máximo 6 andares), distanciamento entre os prédios (muitas áreas verdes), alta procura (por ser o centro da cidade, perto do comércio, dos órgãos públicos, e pela qualidade de vida, notadamente superior do que os demais bairros).

    Feita esta apresentação, o segundo passo: aqui não se constrói em qualquer lugar. O Governo, através da Terracap (empresa de urbanização da cidade) é o dono das áreas ainda não construídas, e a conta gotas, revende tais áreas, a preços estratosféricos.

    Este é dito, pelas construtoras, o principal motivo para a alta dos preços dos apartamentos aqui.

  • SETOR NOROESTE (PARTE 02)

    O Setor Noroeste, por ser o último bairro do Plano Piloto, já nasce valorizado, pela alta procura de moradia na região.

    Entretanto, alguns fatores a destacar: o bairro ainda não tem asfalto, lojas, nada. Basta procurar no google e verá.

    Outro motivo, o metro quadrado já nasce mais caro que nos bairros já consolidados, o que se é para desconfiar.

    Com esse boom no mercado, vemos aqui, os preços subirem vertiginosamente: um apartamento de 3 quartos é vendido neste bairro pela bagatela de 1 milhão (100 metros quadrados), de 2 quartos, por volta de 600-800 mil, e kitinetes por 500 mil.

    E ainda tendo este preço exorbitante, falam os corretores que terá valorização de 25% ao ano. Será?

  • Olá Bom Dia!!!

    Essas mesmas perguntas e questionamentos foram feitos a alguns anos aqui em Salvador. Será que isso vai valorizar, será que teremos publico para isto, será que vou ganhar dinheiro se eu investir? E hoje estamos vendo que quem investiu e adquiriu uma unidade tem tido bons resultados. Temos que entender que o Brasil esta em constante crescimento, de forma que a todo tempo teremos publico para estes empreendimentos. O nosso grande problema é que muitos ainda não tem a cultura de comprar apartamento na planta. Pode ter certeza que daqui a 3 anos, quando estes empreendimentos estiverem prontos, muitas pessoas irão procurar e pagar valores bem maiores que os que estão sendo aplicados hoje. Temos aqui em Salvador diversos condominios prontos em que foi vendido a R$ 700.000,00 a 5 anos atras e hoje tem gente a procura de uma unidade, porem não acha, sendo estas mesmas pessoas dispostas a pagar ate 2 milhoes.

    Recife é uma cidade em constante crescimento, com algumas empresas sendo instaladas e outras com intensões de se instalar. E pode ter certeza que estas pessoas que estão apostando, vai ter um bom retorno.

    Não existe a possibilidade de baixar o preço do apartamento. Se hoje ele esta em R$ 700.000,00 daqui a 3 anos quando entregar vai estar em 1.000.000,00 / 1.200.000,00 e quem não quiser comprar, vai ter sempre alguem disposto a pagar, pelo bem de seus filhos e por um conforto e segurança maior.

    Grande Abraços

  • O Programa Minha Casa Minha Vida esta Bombando

  • AGORA DESCOBRI PORQUE NAO FUI CONTRATADO PARA TRABALHA NA CONSTRUÇÃO DESSES EMPREENDIMENTO , QUANDO FIZ EXAMES PARA SER ADMITIDO EM OUTUDBRO DE 2010 ATE HOJE ESPERO POS ESSA VAGA DE EMPREGO COMO MESTRE DE OBRAS, A RESPOSTA É QUE MIM FALARAM QUE TINHAM MUDADO DE GESTOR E A VAGA FICOU PREVISTO PARA ABRIL DE 2011 inicios das obras ASSIM QUE OS INDICADO PARA VAGA FOSSE PREENCHIDA,

    UMA ABRAÇO A TODOS JRB

  • Olá Pierre.
    Estou em negociação com um Ap, também com muitas dúvidas, entre o Evoluction e o Le parc.
    Elaborei alguns pontos entre os dois empreendimentos e gosta que voce me ajudasse, como por exemplo:
    Localização ? Valorização ? o Aptº ? A vista da varanda ? Quant. de pessoas? Acesso e Confiabilidade.
    Se poder me ajudar, agradeço desde já.
    Walter Assis. 9927-28/95

  • Depois de 1 ano e maio depois, as vendas já estão acima de 80% no geral, se considerar as torres mais antigas e que serão entregues em 2013, já estão em quase totalidades vendidas, principalmente as de 170mtros… as coisas mudaram nesse periodo, hj a Dallas, G.Bacellar, Queiroz, etc já vendem apt de 25 metros por 300mil, isso no primeiro andar!! O metro nesses casos já estão em mais de 10mil, o Evolution não tem apt por menos de 600mil, isso andar baixo e da frente pro sol, mesma posição no Leparc, 108m,1andar e posição menos favoravel de todos é 500mil… Na planta!!!

  • Vejo a noticia acima com otimismo… a tendência do mercado atual (hoje) com os novos empreendimentos que estão chegando é justamente essa.

    Saudações,

  • Amigos,
    lendo os seus comentários,fiquei em duvida no que investir.
    tenho hj uma renda de 20.000 reais e eu e minha noiva estamos querendo comprar
    um ap no lepark!o que vc acha?
    abração,
    carlos

  • Sr. Carlos,
    é só ligar (81) 9102.0709 ou mandar e-mail (marcoscesarimoveis1@gmail.com), Marcos

  • Acho que nao estavam prevendo a grande valorizacao imobiliaria que PE teve. Como eu queria ter comprado um ap no Le Parc ha 2 anos…. Que droga!

  • Gostaria de uma ajudinha , estava pensando em comprar uma unidade no le parc , mas ai vi um empreendimento em natal , na beira mar da praia do cotovelo, pelo mesmo preço que tb será entregue em 2014 , chama IN MARE e da cyrella tb , a mesma estrutura …
    gostaria de saber onde vou ter maior valorização??

  • gente,ontem fui ao condominio evolution em boa viagem fiquei sabendo que 2 porteiros com 2 guaritas cada e outros 2 no portãao de pé no horario da noite q absurdo!porteiro é gente tambem,vi a carinha de cansado de um deles,como podeuma coisa dessas?isso aí tá errado viu?alguem ai tome uma providencia

  • Eu fico me perguntando, o troço tá lá, num encalhe sem tamanho e ainda tem corretor que vem aqui, na maior cara de pau, coisa de gente se escrúpulos mesmo, dizer que o preço vai subir mais… Outro dia, uma corretora desesperada ligou pra mim, sendo que nunca lhes dei nada mais do que o meu número e mesmo assim ligaram em oferecendo um apertamento, ops… Digo, apartamento. Ora, se me ligam oferecendo um produto que nem mesmo sabem que posso pagar, quer dizer que tá bombando, né? Que tá vendendo pra caramba, né? Não subestimem a inteligência das pessoas. A conta de você está pronta, montadinha e a caminho.

    p.s: “VAI SUBIR AINDA MAIS!” UHauaUHuhauhAUuhAuhuauhuhA

    Quem quiser saber sobre o “outro lado”, deem uma olhada nisso: http://www bolhaimobiliaria.com

  • Bom dia. Após 5 anos do seu post, como andam as coisas por aí?! Esses imóveis valorizaram, encalharam, como está o preço dele atualmente? Bela matéria! Abraço

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

outubro 2017
S T Q Q S S D
« mai    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).