WikiLeaks confirma: o golpe em Honduras sempre foi apenas isso: um golpe ilegal

nov 29, 2010 by     91 Comentários    Postado em: Economia

Charge: Carlos Latuff

No dia 28 de junho de 2009, um fatídico domingo que marcou o início de um golpe de Estado nas Honduras, escrevi aqui no blog o post “Militares tomaram o poder nas Honduras“. Desde então me debrucei sobre o assunto, e depois disso escrevi pelo menos uma dúzia de posts aqui no blog (colocarei a relação deles ao final deste post). As postagens desembocaram, enfim, num texto sobre o título de Deputado vitalício ganho por Roberto Micheletti, o deputado que assumiu o cargo de presidente (golpista) após a derrubada do presidente democraticamente eleito, Manuel Zelaya.

Ontem, o site Wikileaks revelou um documento confidencial (entre vários que tem trazido à luz nos últimos meses) no qual o embaixador norte-americano no país, Hugo Llorens, diz que “os militares, a Corte suprema e o Congresso Nacional [das Honduras] conspiraram no dia 28 de junho no que constituiu um golpe ilegal e inconstitucional contra” [o ex-presidente Manuel Zelaya]. Desde o primeiro texto, o blog lidou com o golpe como ele foi: uma manobra institucional ilegal executada pela elite hondurenha que manda na Suprema Corte, nas Forças Armadas e no Parlamento.

Entretanto, houve quem falasse que se tratou de uma deposição “legal”, constitucional, e acusaram Zelaya de pretender a perpetuação no poder, supostamente dando um golpe para alterar e rasgar a Constituição hondurenha; disse-se outras bulhufas mais – dessas publicadas pela sempre “altruísta” grande mídia brasileira (que se referia,”desinteressadamente” ao presidente golpista, Roberto Goriletti, como “presidente interino”).

Mas e quem lembra de quando o “presidente interino” Goriletti manobrou, em 1985, para alterar ilegalmente a Constituição de Honduras? E quem lembra que o Chefe do Estado Maior das Forças Armadas golpistas de Honduras, Romeo Vásquez, foi chefe de uma quadrilha especializada em roubar carrões para seus clientes de hábitos caríssimos…?

Muito provavelmente pouco ou nada será veiculado sobre esse documento do WikiLeaks, menos ainda sobre a ilegalidade da deposição de Zelaya, nem sobre a nobreza que comandou o golpe. Mas não precisamos nos preocupar com isso tudo. Falarão menos ainda sobre as Honduras e sua trajetória histórica, e a grande fatia do mundo continuará na mesma ignorância de sempre quando o assunto for aquele pequeno país da América Central- a vidinha por aqui segue seu rumo sem percalços, até porque, no Brasil, agora temos uma “guerra” pra acompanhar na tevê.

Como publicamos várias postagens sobre o assunto aqui no blog (o editor Pierre Lucena chegou até a participar de um debate sobre isso numa faculdade aqui do Recife), creio que seja válido trazer a leitura do texto abaixo, publicado no Opera Mundi (agradeço ao leitor Martins, pela dica), e uma releitura daquilo que se publicou aqui no Acerto de Contas.

“Em documento do Wikileaks, embaixador dos EUA diz que golpe em Honduras ‘foi ilegal’”

do Opera Mundi

Em meio à série de documentos confidenciais de embaixadas norte-americanas ao redor do mundo, revelada pelo site WikiLeaks neste domingo (28/11), um diz respeito diretamente a Honduras. O embaixador no país em 2008, Hugo Llorens, comenta em um dos arquivos um mês após o início da crise institucional no país centro-americano que, sem dúvidas, “os militares, a Corte suprema e o Congresso Nacional conspiraram no dia 28 de junho no que constituiu um golpe ilegal e inconstitucional contra”, o ex-presidente Manuel Zelaya. Washington não admitiu imediatamente que houve um golpe em Honduras, ao contrário da maioria dos países da região.

Llorens acrescenta no documento que “não importando as acusações que pesavam sobre Zelaya, sua saída forçada de Honduras foi claramente ilegal e a entrada de [Roberto] Micheletti como ‘presidente interino’, foi totalmente ilegítima”. A embaixada afirma nas mensagens que os argumentos dos “defensores do golpe do dia 28 de junho” são “muitas vezes ambíguos”, e Llorens diz ter consultado “especialistas em legislação em Honduras”, mas afirma entre parênteses que “(não pode encontrar uma visão profissional não tendenciosa em uma Honduras com um clima politicamente pesado)”.

No texto revelado pelo WikiLeaks, a embaixada em Honduras reconhece que nunca foi demonstrado que o presidente Zelaya havia burlado a lei e afirma que o argumento de que tentava se prolongar no poder era uma suposição. O documento, revelado pelo jornal The New York Times, mostra que os argumentos apresentados por Micheletti e pelos militares e políticos golpistas “não tinham qualquer validade substancial” e que “alguns são abertamente falsas”.

Entre os destinatários estão o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, e o assistente especial de Barack Obama e diretor para Assuntos do Hemisfério Ocidental do Conselho de Segurança Nacional, Dan Restrepo.

Poucos meses após o golpe, a secretária de Estado, Hillary Clinton, restabeleceu as relações com Tegucigalpa e reativou novamente a ajuda financeira para o presidente Porfírio Lobo.

___________________________

Leia também, aqui no blog:


___________________________

Para acompanhar outras informações recomendo o blog HondurasEnLucha e o Twitter @hondurasenlucha.

___________________________

Alguns posts sobre o assunto postados aqui no blog Acerto de Contas:

1 – Militares tomaram o poder nas Honduras

http://acertodecontas.blog.br/internacional/militares-tomaram-o-poder-nas-honduras/

2 – Honduras corta luz, água e telefone da embaixada brasileira


http://acertodecontas.blog.br/internacional/honduras-corta-luz-e-agua-da-embaixada-brasileira/

3 – Zelaya foi deposto porque desagradou a elite hondurenha

http://acertodecontas.blog.br/internacional/zelaya-foi-deposto-porque-desagradou-a-elite-hondurenha/

4 – Golpistas fecham a rádio Globo e tv ’36′, e pressionam o Brasil

http://acertodecontas.blog.br/internacional/golpistas-tiram-radio-e-tv-oposicionista-do-ar/

5 – CIDH condena estado de sítio imposto pelos golpistas. Blogueiros relatam caso de tortura

http://acertodecontas.blog.br/internacional/cidh-condena-estado-de-sitio-imposto-pelos-golpistas-blogueiros-relatam-caso-de-tortura/

6 – Para os juristas de botequim

http://acertodecontas.blog.br/internacional/para-os-juristas-de-botequim/

7 – Micheletti diz que segue à risca os Direitos Humanos, mas jornalista denuncia tortura

http://acertodecontas.blog.br/internacional/micheletti-diz-que-segue-a-risca-os-direitos-humanos-mas-ontem-golpistas-torturaram-jornalista/

8 – O menino revolucionário de Honduras (post de Marco Bahé)

http://acertodecontas.blog.br/atualidades/o-menino-revolucionario-de-honduras/

9 – À homogênea mídia

http://acertodecontas.blog.br/internacional/a-admiravel-homogeneidade/

10 – Romeu Velásquez: de integrante da “Quadrilha dos 13″ à Chefe das Forças Armadas de Honduras

http://acertodecontas.blog.br/internacional/romeu-velasquez-de-integrante-da-quadrilha-dos-13-a-chefe-das-forcas-armadas-de-honduras/

11 – Sobre Honduras e os comentários

http://acertodecontas.blog.br/internacional/sobre-honduras-e-os-comentarios/

12- Anistia Internacional denuncia execuções, torturas e estupros durante governo golpista de Micheletti

Anistia Internacional denuncia execuções, torturas e estupros durante governo golpista de Micheletti

13 -Micheletti, “deputado vitalício”… Palmas para o legislativo hondurenho!

http://acertodecontas.blog.br/internacional/palmas-para-o-legislativo-hondurenho/

Charge: Carlos Latuff

[* post atualizado às 21h15].

91 Comentários + Add Comentário

  • Durmam com uma bronca dessas!

  • Corrige aí, André: foi em 2009 o golpe, não em 2008.

  • Depois que até o embaixador dos EUA afirmou que houve um “golpe ilegal e inconstitucional” em Honduras, ficou ainda mais hilário ler os comentários que os direitosos colocaram, na época, sobre o caso Zelaya e a postura (EXEMPLAR) do governo brasileiro.

    Dei altas risadas com Francisco Filho, Alexsandro, Ivan, Zanelli Gomes Alencar e diversos outros codinomes! Pobres coitados, não sabem o que dizem!!! Nunca souberam!!

  • O signatário do post diz “Desde meu primeiro texto, o golpe sempre foi relatado dessa forma, um golpe ilegal.” Agora, minha ingênua, pedante e inconveniente dúvida: há golpe “legal”?

    • Gisonaldo,

      Para Raboni, um “golpe legal” seria aquele feito pela esquerda. Legal e maravilhosa segundo a visão de mundo dele.

      • Ele nunca disse isso.

      • Gisonaldo,

        Parece que vc ignora o sem-número de argumentos que diziam se tratar de um “golpe legal” (alguns apelidando-o de “contra golpe”), uma vez que a deposição supostamente estaria balizada pela Constituição hondurenha.

        Mas vc é um cara inteligente… Não deveria precisar desse esclarecimento óbvio e primário. Procura no google.

        • Rsrsrs, confesso, senhor Raboni, que, dependendo do escriba (Magno Martins, o senhor, Jamildo Melo, Pier…, digo, o pré-candidato a reitor, etc) meu interesse é procurar uma brexinha (golpe legal) para colocar um pouquinho de pólvora. Não é porque uma leva de gente tentou convencer que esse Micheleti estava sob o amparo da lei que vai me fazer uma “maria-vai-com-as-outras”. Muitos acreditam naquela lorota de “mensalão”, inclisive o senhor, mas eu não. Outra: se encontrar uma constituição que abrigue algum dispositivo que autorize um “golpe legal”, eu prometo escutar a Universitária FM quando um sofredor da “santinha” der um “golpe legal” no campus da UFC. O que houve foi um golpe imundo, da direita nojenta, que sempre golpeou a democracia nesse continente americano. E não é preciso vazar um documento diplomático para atestar isso. Os americanos não são piores do que os chamados terroristas árabes, isso é o óbvio. É louvável destacar que tenha escrevido sobre tal acontecimento, mas não se pode dar ares de genialidade ou pioneirismo jornalístico a uma coisa tão óbvia.

        • Gisonaldo,
          O sinhô está no céu!, meu caro…
          Quanto aos americanos: vai dizer isso a eles.

        • Golpe designa uma ruptura institucional, ato mais ou menos violento realizado em desacordo com ordem jurídica. Portanto, é da sua essência mesma a ilegalidade, isto é, a contrariedade ao ordenamento jurídico.
          Errado também se falar em “golpe legal”.
          O jurista Dalmo de Abreu Dallari, por exemplo, sustentou que o ato de afastamento do cargo de Zelaya foi feito com base no artigo 239 da Constituição Hondurenha, sem recorrer à expressão “golpe legal”.
          De toda sorte, Raboni não precisava prestar o desserviço de reproduzir a teratológica denominação “golpe ilegal” nem recorrer à incorreção daqueles que diziam tratar-se de “golpe legal”.

  • Chegar à conclusão de que em Honduras houve um “golpe ilegal” contra o presidente Zelaia, é o mesmo que olhar para a cara de Raul Jungman, olhar os pelos que lhe cobrem o cinismo e dizer: “é barba”.

    • Pois é, Jungmann colocou uma melancia na cabeça e foi até Honduras. O que dirá ele agora?

  • O Azar de Zelaia foi que a rádio Olinda não deu destaque ao “golpe ilegal”.

  • Me pergunto onde estará o “douto”(?) Ives Gandra Martins, o jurista de plantão da mídia para a defesa das causas mais conseradoras, ele que defendeu, entusiasticamente, a tese de deposição constitucional de Zelaya, como fica a fama de grande jurista, já que agora vê-se que não sabe identificar um golpe de estado que viola grosseiramente as regras democráticas?

  • GESONALDO GRANJEIRO:

    Como você pode criricar e chacotar da genialidade dos outros, uns até podem ser tornar REITOR mesmo, e consegue produzir uma pérola dessas:

    “É louvável destacar que tenha E S C R E V I D O sobre tal acontecimento, mas não se pode dar ares de genialidade ou pioneirismo jornalístico a uma coisa tão óbvia.”

    • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Recibo pasado, obrigado.

  • Para o Raboni, a questão não é se foi golpe. É quem deu o golpe! Se fosse o outro a dar o golpe, tudo estaria bem no mundo de Pollyanna.

    • Alexsandro,

      Lembrei de você (entre outros, claro) quando li este texto:

      “As carpideiras do regime militar”

      por Cynara Menezes

      Há uma revelação, entre as tantas que estão vindo à tona com a divulgação dos telegramas confidenciais das embaixadas dos Estados Unidos no mundo pelo site WikiLeaks, que me deixou particularmente satisfeita. Trata-se da admissão oficial pela diplomacia americana de que o que viveu Honduras em junho do ano passado foi um golpe de Estado. G-O-L-P-E, em português claro, como escrevemos em CartaCapital. Em inglês usa-se a palavra francesa “coup”. Ninguém utilizou o eufemismo “deposição constitucional” a não ser os pseudodemocratas locupletados em setores da mídia no Brasil.

      É a mesma gente que, quando o governo Lula fala da intenção de regular a mídia, vem com o papo furado de que está se querendo cercear a liberdade de expressão. É o mesmo pessoal que ataca cotidianamente um líder democraticamente eleito e reeleito com palavras vis, mas que, ao menor sinal de revide verbal, protesta com denúncias ao suposto “autoritarismo”do presidente. Jornalistas, vejam só, capazes de ir lamber as botas dos militares em seus clubes sob a escusa de que a democracia se encontra “ameaçada” em nosso país.

      Pois estes baluartes da liberdade de imprensa e de expressão no Brasil foram capazes de apoiar um regime conquistado pela força a pouca distância de nós, na América Central. Quando Honduras sofreu o golpe, estes falsos democratas saíram em campo para saudar o auto-empossado novo presidente Roberto Micheletti, que mandou expulsar o eleito Manuel Zelaya do país, de pijamas. Dizem-se democratas, mas espinafraram Lula e seu ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, por se recusarem a reconhecer um governo golpista. Quem é e quem não é democrata nessa história toda?

      Não se engane, leitor. Disfarçados de defensores da democracia, estes “formadores de opinião” são na verdade carpideiras do regime militar. Choram às escondidas de saudades dos generais. Quando se colocam nas trincheiras da “liberdade de expressão” contra o governo, na verdade estão a tentar salvaguardar o monopólio midiático de seus patrões, não por acaso beneficiados pela ditadura. Dizem-se paladinos da imprensa livre, desde que seja aquela cevada pelas graças do regime militar. Não à toa, elogiam quem morreu do lado dos generais e difamam quem foi torturado e desapareceu lutando contra a ditadura.

      As carpideiras do golpe se disfarçam sob a máscara dos bons moços, cheios de senso de humor “mordaz” (alguns humoristas de profissão, inclusive) e pretensamente bem formados intelectualmente. Mas não é difícil identificá-las: fique de olho em gente que diz que “todo político é igual”, que despreza o brasileiro com declarações do tipo “somos todos Tiriricas” e que prega o voto nulo nas eleições [Aew, Alexsandro, aqui me veio você na lembrança... \o/]. Repare bem: prescindir do voto é abrir mão de ser cidadão. Na ditadura, não se votava, lembra? As carpideiras do regime militar tentam se conter, mas volta e meia se traem.

      É mais fácil reconhecer uma carpideira dos milicos em tempos de guerra do que de paz. Durante as eleições, foi só surgir a polêmica sobre a descriminalização do aborto que elas mostraram a verdadeira face, erguendo a bandeira da ala mais obscurantista da igreja católica. Com a invasão policial dos morros cariocas no fim de semana, a mais “tchutchuca” entre todas as carpideiras da ditadura teve a desfaçatez de postar no twitter: “E se o BOPE, a Polícia e as Forças Armadas, depois da operação no Rio, fossem limpar o Congresso Nacional?” Nenhum respeito às instituições: é dessa matéria que se fazem os golpistas.

      Se foram capazes de colocar o presidente Lula, do alto de sua popularidade, em capa de revista com a marca de um pé no traseiro, é de se presumir que as carpideiras do regime militar não darão trégua a Dilma Rousseff. Já começaram por escarafunchar seu passado de guerrilheira. Que ninguém se engane, as carpideiras estão à espreita. Esperam um deslize qualquer de Dilma para tentar defenestrá-la. Estão louquinhas por uma “deposição constitucional” como a que houve em Honduras, porque jamais admitirão ser o que são: groupies de ditadores. Os papéis do Wikileaks deixam claro, porém, que nem os Estados Unidos se enganam mais com golpistas.

      http://verd.in/l6n

      • Meu caro, não ache que por sumariamente vc me classificar como carpideira da regime militar vc está cumprindo seu papel. Não. Quero ver vc debater sobre o que escrevo e não sobre mim. Agora, seus textos deixam claro que para vc o problema não foi o golpe (sim,sei que foi golpe) mas QUEM deu o golpe.
        Se o desfecho do caso Hondurenho fosse o oposto, mesmo sendo o outro a dar o golpe, vc estaria feliz pois estás pouco se lixando para democracia. O importante é que sejam “democracias” populistas de esquerda. Porém a partir do momento que vc se iguala aos Srs ALF e Martins, que, ao invés de discutir sobre o assunto, prefere atacar o autor do comentário e o pior, prostrando-se mentalmente a um texto tabacudo desses feito para alimentar os que são facilmente enrolados com o assunto proletario x burgues , mostra que estamos , na verdade, superestimando sua inteligência.

        • Alexsandro, eu não te “classifiquei” como “carpideira da (sic) regime militar”. Portanto, não precisa vestir essa carapuça. Disse apenas que me lembrei de você quando estava lendo o texto e vi o trecho: “que prega o voto nulo nas eleições“. Por isso fiz o grifo no texto, entendeu?

          Afinal, você repete isso ad nauseam aqui no blog.

          Quando você diz: “Quero ver você debater sobre o que escrevo e não sobre mim.

          É exatamente isso que eu estou fazendo – se você não percebeu. Quem está falando sobre “a felicidade” dos outros aqui é você, não eu.

          Agora, se você só enxerga a dicotomia “proletário x burgês” nesse texto, acho que eu não tenho graxa pra passar nessa engrenagem travada da sua idiossincrasia.

          _____________

          Engraçado é você dizer:

          Se o desfecho do caso Hondurenho fosse o oposto, mesmo sendo o outro a dar o golpe, vc estaria feliz pois estás pouco se lixando para democracia.

          Em vez de despirocar na carapuça, Alexsandro, por que você não aponta em que momento eu teria demonstrado que estou “pouco me lixando pra democracia“?

          Com que fundamento você diz isso?

        • Dá uma olhada em teu texto de 29 de novembro! Se não classificou, menos mal, já basta um ALF. Quanto ao voto nulo, já expliquei os motivos e quanto ao “argumento” : “todos os políticos são ladrões”. Sei que nem todos são mas do jeito que o “esquema” funciona, o cara, mesmo com boas intenções, sempre fica refém de alguém.

      • Grande texto da Cynara menezes. valeu,Raboni.
        O twittere que ela citou é do marcelo tas. E o texto parece particularmente endereçado ao tas,ao marcelo Madureira,ao merval e ao reinaldo azevedo,prováveis ídolos desse leitor chato que atormenta esse blog.

  • “Desde o primeiro texto, o blog lidou com o golpe como ele foi: uma manobra institucional ilegal executada pela elite hondurenha que manda na Suprema Corte, nas Forças Armadas e no Parlamento.”

    Olha a elite aí geeente!!!!!

    Mas são danadinhos esses elitistas, não?
    Ondes estão arrumam confusão….

    Tiraram a força o “pobre” Manuel Zelaya, legitimo representante do proletariado hondurenho ( O fato de ser um dos mais ricos latinfundiarios do pais não quer dizer nada….hehehe).

    PS- Nunca tive duvida que houve um golpe contra o presidente eleito, que, por sua vez, parecia pretender fazer algumas mudanças por vias “heterodoxas”…..
    Golpistas são golpistas. De “direita”, ou de “esquerda”.
    Não gosto de nenhum deles….
    (Por isso, para mim, o Chaves será sempre e sempre – por mais eleições que vença – um sargentão golpista.)

    Mas há quem goste, eu sei…
    Fazer o Quê? Paciencia….

    • Claro, até porque o Chavez não faz parte de nenhuma elite. É um coitadinho abnegado em nome do povo. Assim como Stalin, Lênin, Mao e etc. Todos seres bonzinhos que em nome do povo estirparam as elites. Como se eles não fossem elite.kkkkkkkkkk Sim, eu sei que Pinochet também foi ditador…. Não precisam usá-lo para justificar os primeiros.

      • HAHAHAHAHAHAHAHAHA! Vota “nulo”, mas SEMPRE SEMPRE SEMPRE defende a direita!

        • Não meu caro, sou contra ditaduras, já vc e seu amigo ALF são a favor de ditaduras desde que esquerda. Basta vestir vemelho e vir com esse papo de Burgueses x Proletários e a lábia já está passada.

        • Não sou a favor de nenhuma ditadura.

          Nem finjo votar nulo!

      • Chavez é o primeiro e único ditador eleito e reeleito.
        Pode até ser um fasfarão, mas mudou a vida dos venezuelanos. Hoje os mais humildes tem vez, assitência médica, local para compra de alimentos com preços a baixo do mercado e acabou com o analbafetismos.
        Fez tudo que não interessa a eleite que vivia do petróleo a ponto da PDVSA ser um Estado dentro de outros e os lucros do petróleo ficava com poucos.

        Por falar em golpe, seria bom lembrar que foi tentando pela Globovison juntamente com a oposição para depor um governo constitucional. Depois crticaram por Chavezx haver cassado a emissora por ato de traição a Constituição. Foi taxado de censurar a imprensa, mas para eles a emissora tinha direito de derrubar o governo.

        Sobre o golpe em Honduras, li aqui muitos dos direitistas atacando o nosso governo e defendendo o golpe.

        È a mesma direita, que apoiou a ditadura e a tortura. Dilma passou por isto.

        • Pois é Lyra…

          Concordo com vc que o Chavez não é um Ditador.
          É apenas mais um dentre tantos “salvadores da patria” que de tempos em tempos o céu nos envia para nos conduzir ao paraiso.
          O simples fato de tentar permanecer no Poder, como se fosse ele o unico capaz de levar a Venezuela a um futuro promissor, já diz quase tudo sobre a triste figura….

          Mas há quem goste, sei…
          E há quem precise… Tristemente constato!

      • Alexsandro, a Venezuela é tão boa, acho que vou morar lá…

        • Emanuel, qual é a causa de se preocupar tanto com a Venezuela.
          A Constituição de lá dá o direito dele ser candidato. Qual é o problema?

          É porque o Estados Unidos não gostam dele por haver aumentado o preço do petróleo?
          Hoje a Venezuela é muito melhor do que na época em que era dominada pelas as elites, que a cada dia ficavam mais rica e o povo mais pobre.
          Estive na Venezuela antes de Chaves e pude constatar isto.

          Eu não iria morar lá, pois no Brasil hoje a vida é muito melhor.
          Alias, poucos paises no momento oferecem uma vida melhor do que no Brasil. Isto é assunto para ótimistas, e não para pessimistas.

        • Lyra,

          Nada contra a Constituição Venezuelana.
          Não é esse o problema…

          A questão é mais profunda, transborda os textos escritos.

          O que me incomoda é essa nossa necessidade (muito “latinoamerica”…) de estarmos sempre sob a “proteção” de um “grande pai” ( ou grande Mãe….hehehe) que nos guia, nos conforta, nos ilumina. ( e que, por certo, nos salvará dos “mouros”….)
          Noto que nas democracias mais antigas ( pra não dizer mais avançadas…), especialmente na Europa, não há mais espaço para esse tipo de salvacionismo, que por aqui ainda se apresenta com muita força, descambando volta e meia para o mais descarado caudilhismo.

          Não gosto disso. Não acho que isso nos ajuda a caminhar pra frente.

          Mas sei que esse meu ponto de vista encontra muita resistencia.
          Não é fácil…
          Estamos historicamente apegados a essa forma de se colocar perante o paizão – digo, o Estado!
          Precisamos MUITO de alguem poderoso, que nos ampare, que nos proteja, que nos livre de nossos fantamas.

          Por aqui estamos sempre esperando a volta de Dom Sebastião.
          E apesar de sabermos que ele não volta, continuamos esperando-o….

          É ou não é triste….?

          Mas, apesar de tudo, sou otimista sim.
          Acho (de verdade) que estamos melhorando.
          Já se nota bem menos “chavez” hoje em nossa latino america comparativamente a cinquenta anos atras.
          Estamos avançando.
          E avançar, caro amigo, implica em precisar cada vez menos dos “chavez”. Implica em se contrapor cada vez mais ao personalismo e autoritarismo que inapelavelmente acompanham tais figuras.

          Mas repito, por fim: sei que ainda é dificil. Sei que aindam precisam muitos de tipos assim.
          Mas estamos melhorando. Vamos melhorar cada vez mais.
          Um dia esses tipos serão lembrados apenas com um misto de desprezo e ridicularia.
          O que hoje é trágico será então cômico!

        • O Brasil é praticamente uma Finlândia no hemisfério sul…

          pqp

  • O que é “fasfarão”???

  • Raboni

    Com base em quê você considerou de logo o ocorrido em Honduras um golpe?

    Todas as informações passadas e não negadas até por quem apoiava Zelaya eram de que, apesar da negativa do Judiciário, ele tentava impor a reeleição, o que seria motivo de deposição, conforme texto expresso da Constituição.

    Nunca ninguém se enganou, penso eu, que gorilas saiam para gorilas entrarem, pois é claro que a própria Constituição deles não mandava deportar de pijamas o presidente que, tentando fraudar a Constituição, tivesse de ser deposto.

    Acho que devemos contextualizar essa informação, me parece incompleta. CERTAMENTE todos já sabiam o tipo de gente que estava tirando Zelaya do poder, mas havia defesa para o que Zelaya fez?

    Se você soube disso tudo antes (e não apenas por mero amor à causa ou sentimento adivinhatório), deveria ter informado. Até hoje – e não vi nada contra – está expresso na Constituição hondurenha a repugnância fortíssima a qualquer tentativa, qualquer tentativa!, de impor a reeleição por lá, o que Zelaya indiscutivelmente fez.

    AGORA, que é provável que alguém com mais força política evitaria algo similar, não há dúvidas.

    Compare com o Brasil. Será que Collor fez pior ou mais do que FHC ou Lula para merecer o impeachment?

    Por fim, não se esqueça que Porfírio foi ELEITO DEMOCRATICAMENTE – e se alguém duvida acerca disso, basta perguntar ao próprio Lula e lembrá-lo do caso Venezuela.

    p.s.: HITLER foi eleito democraticamente.

    • Só para contrariar, você até agora não entendeu?

      É o EMBAIXADOR AMERICANO EM HONDURAS quem afirma que “os militares, a Corte suprema e o Congresso Nacional conspiraram no dia 28 de junho no que constituiu um golpe ilegal e inconstitucional”.

      Talvez você deva perguntar ao embaixador Hugo Llorens “com base em quê você considerou de logo o ocorrido em Honduras um golpe?”.

    • Na verdade, Hitler nunca foi eleito, e os nazistas nunca obtiveram maioria no parlamento por vias democráticas. No regime parlamentarista que vigorava na Alemanha, ele foi NOMEADO chanceler pelo então presidente Hindenburg, e logo em seguida deu uma série de golpes para se tornar um ditador.

  • Corrigindo:

    A Constituição impõe a perda do cargo e não a deportação! Tirar Zelaya do poder foi a chance que se deu de chamar de golpe.

    Até hoje não consigo vislumbrar a legalidade do ato de Zelaya.

    • Caso alguém ainda esteja em dúvida, vamos ver o que mais o EMBAIXADOR AMERICANO EM HONDURAS escreveu (os parênteses também são dele):

      3. (SBU) Os defensores do golpe de 28/6 apresentam argumentos em que se combinam alguns dos seguintes argumentos, sempre ambíguos, para comprovar a legalidade do golpe:

      – Zelaya desrespeitou a lei (alegado, mas não provado);

      – Zelaya renunciou (completa invenção);

      – Zelaya planejava estender o próprio mandato (suposição);

      – Se lhe fosse permitido continuar com o projeto de plebiscito do dia 28/6 para reformar a constituição, Zelaya teria dissolvido o Congresso no dia seguinte e convocado uma assembleia constituinte (suposição);

      – Foi necessário remover Zelaya do país, para evitar um banho de sangue;

      – O Congresso depôs Zelaya “por unanimidade” (umas versões falam de 123-5 votos); (depois da deposição ter sido feita clandestinamente); e

      – Zelaya teria cessado “automaticamente” de ser presidente, no momento em que sugeriu modificações na proibição constitucional de reeleição do presidente.

      4. (C) Do nosso ponto de vista, nenhum dos argumentos acima tem qualquer validade substantiva nos termos da Constituição de Honduras. Alguns são absolutamente mentirosos. Outros são meras suposições ou racionalização ex-post de ato patentemente ilegal. Essencialmente:

      – os militares não tinham qualquer autoridade para tirar Zelaya do país;

      – o Congresso não tinha autoridade constitucional para destituir presidente hondurenho;

      – O Congresso e o Judiciário depuseram Zelaya em processo que durou 48 horas, por ato de agressão, ad-hoc, extralegal e secreto;

      – a carta “de renúncia” é falsa e sequer foi apresentada como documento que justificasse a ação do Congresso dia 28/6; e

      – A prisão e sequestro de Zelaya, levado para fora do país, viola múltiplas garantias constitucionais, inclusive a proibição de expatriação, a presunção de inocência e o direito a devido processo legal perfeito.

      • Martins,

        O renomado jurista e professor da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (notório esquerdista) Dalmo de Abreu Dallari pensa muito diferente do que vai acima escrito.
        Veja aqui: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=557IMQ011

        Portanto, não há como refutá-lo com recurso ao argumento de que se trata de elemento da direita nem de que é alguém que desconhece o Direito.

        • Sinceramente,
          A análise do embaixador americano é definitiva. Até porque, como se sabe, ela se une ao que afirmaram instituições como a ONU e a OEA, que (assim como TODOS os países do mundo) se recusaram a reconhecer o governo Micheletti como legítimo.

      • Martins

        Você confirma o que escrevi.

        É claro que houve excesso, até porque tiraram Zelaya de pijama (literalmente) do país imediatamente.

        Incontestável, entretanto, que ele tentou SIM enfiar goela abaixo a reeleição e que a Carta Magna de lá previa a PERDA DO CARGO de quem o fizesse.

        O que podemos chegar a um acordo é que aplicaram muita lei a um ATO ILEGAL, sim, porque a Constituição proíbe qualquer reforma nesse sentido (é uma cláusula pétrea). Por muito menos, veja que o candidato daqui, EDMAR não-sei-o-quê, que queria pena de morte, foi ameaçado de ser processado por ferir a nossa Constituição, que proíbe isso – existe exceção em caso de guerra, não se esqueça. Lembro até que ONGS e movimentos de dir. humanos pediram isso contra o tal do Edmar.

        Portanto, foi “excesso de lei”, que as forças ocultas de lá aplicaram em Zelaya. É DIFERENTE DE GOLPE, quando militares tomam o poder sem qualquer base legal – lá havia sim uma norma a embasar a deposiçaõ de Zelaya.

        Foi o mesmo caso de COLLOR, não havia previsão explícita de como se proceder o impeachment e tudo foi feito meio atabalhoado, meio pela analogia e pronto. Ninguém disse que Itamar Franco deu um golpe ou o Congresso o fez.

        É isso.

        • Você continua se recusando a entender o que o embaixador dos EUA disse com todas as letras.

          “Do nosso ponto de vista, nenhum dos argumentos acima tem qualquer validade substantiva nos termos da Constituição de Honduras. Alguns são absolutamente mentirosos. Outros são meras suposições ou racionalização ex-post de ato patentemente ilegal”.

          “Os argumentos acima” citados no memorando interno dos EUA, caro Só pra Contrariar, são exatamente os seus.

        • “Você continua se recusando a entender o que o embaixador dos EUA disse com todas as letras.”

          Não sei quanto a ele, mas eu continuo me recusando a 1) aceitar o embaixador americano como autoridade última para julgar a constitucionalidade da deposição de Zelaya e 2) aceitar o Wikileaks como fonte confiável. Qualquer um pode plantar qualquer coisa lá anonimamente e dizer que é de qualquer outra pessoa.

  • E aí, AC?
    Nenhuma linha sobre a trairagem do Ministro Nelson Jobim?
    Deu no Wikileaks também…

    • Voce tâ maluco, leitor?

    • Leitor,

      Achei interessante a tensão no Twitter (@DefesaGovBR) da Defesa hoje.

  • Ah, sim, e a primeira vez que vejo o ACERTO DE CONTAS dando total credibilidade e irrefutável certeza a uma declaração de uma autoridade norte-americana (ou estaduniense, como queiram).

    Ah, ah, ah.

    • É um documento INTERNO, amigo. Que nunca seria divulgado. Uma análise puramente técnica, portanto não contaminada por interesses políticos.

      • Martins

        São poucas linhas em que o embaixador pode ter relatado a visão de que seria excesso de lei para uma tentativa de ilegalidade. O embaixador sabia quem estava assumindo e deu sua visão para o Presidente do seu país.

        Não se esqueça de que os EUA começaram apoiando Zelaya e, depois, pularam fora. Viram que se tratava de mais uma questão de uma republiqueta e, claro, como não haveria o “perigo vermelho”, deixaram otários sulamericanos brincando por lá.

        Eu li o trecho da Constituição hondurenha que falava em perda de cargo.

        Veja o endereço abaixo (de alguém que transcreve os trechos e era favorável a Zelaya):

        http://abundacanalha.blogspot.com/2009/07/sobre-constituicao-hondurenha.html

        Pergunte a um advogado se Zelaya não cairia pela tentativa de fazer o que fez! Claro, não da forma estapafúrdia que fizeram, mas o “Mel” de doce não tinha nem tem é nada.

        É mais ou menos assim: como tiraram Collor por impeachment (primeiro caso no mundo!).

        Ou, se quiser, como Lula poderia ter caído no Mensalão (e somente o santanás ou trouxas pensam “que ele não sabia de nada”). Só que Lula tinha força política.

        • O que Raboni parece entender como legalidade, na verdade é classificado pela COnstituição Hondurenha de “delito de traición a la Patria”.

          É pouco ou quer molho?

        • Não é Raboni que entende como ilegalidade. É o embaixador dos EUA, a ONU, a OEA e TODOS os países do mundo. Afinal, NINGUÉM e NENHUM deles reconheceu o governo Micheletti.

          Mas parece que Só para contrariar entende mais de Honduras do que todos os acima citados.

        • Martins,

          e os EUA são os donos da verdade?!

        • Ninguém é, Laccosta.

          Mas se recusar a admitir que o documento do embaixador põe por terra os argumentos pró-Micheletti é tapar o sol com a peneira.

          E tem também a ONU, a OEA, todos os outros países do mundo…..

          Alguém me explique, por favor, o motivo pelo qual o governo “legalista” de Micheletti não foi reconhecido por NENHUM país ou organismo internacional.

        • “e explique, por favor, o motivo pelo qual o governo “legalista” de Micheletti não foi reconhecido por NENHUM país ou organismo internacional.”

          Explique por que apenas 1% das pessoas do mundo consegue acertar questões de QI suficientes para atingir o score de 130? Será que as respostas delas estão erradas, já que diferem das dos restantes 99% da humanidade?

  • Off topic:

    Parece que um repórter fez uma pergunta que não “ocorreu” a nenhum dos blogueiros “sujos” que participaram da entrevista com Lulla:

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva se irritou nesta terça-feira ao ser questionado se agradeceria à “oligarquia Sarney” pelo apoio dado durante seu governo. Na cerimônia que marcou o fechamento simbólico da primeira de 14 comportas da Usina Hidrelétrica Estreito, no Maranhão, erguida ao custo de R$ 4 bilhões na divisa do Maranhão com o Tocantins, estava presente a governadora Roseana Sarney (PMDB), e o aliado e ex-ministro de Minas e Energia, senador Edison Lobão (PMDB-MA).
    “Eu agradeço [aos Sarney] e a pergunta preconceituosa sua é grave para quem está há oito anos comigo em Brasília. Significa que você não evoluiu nada do ponto de vista do preconceito, que é uma doença. O presidente Sarney é o presidente do Senado. E o Sarney colaborou muito para que a institucionalidade fosse cumprida. Você devia se tratar, quem sabe fazer psicanálise, para diminuir um pouco esse preconceito”, disse o presidente. (Por Breno Costa, na Folha Online)

    • Lucas
      Eu não achei a pergunta nada demais. Achei uma reação exagerada de Lula

      • Preparem os guardas-chuva! Amanhã vai chover!!!

        Concordo com Pierre…

      • Pierre,

        E onde consta que eu a supervalorizei?
        Pois é, uma pergunta tão simples, mas que não “ocorreu” a nenhum blogueiro “sujo”. Agora, convenhamos, qualquer um saberia de antemão que uma pergunta simples dessa (“na qual não se vê nada de mais”) não seria bem aceita pelo nosso projeto de tiranete!

        • Eu nao disse que vc supervalorizou, disse que Lula supervalorizou

        • Ok, Pierre, agora entendi o seu comentário.

        • “projeto de tiranete”????
          HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

        • E não é que choveu?!

    • Lula é a prova de que poder e grana é melhor tratamento para o preconceito. O seguinte vídeo mostra, se pegarmos o que ele falou ao repórter e compararmos ao que ele achava dos Sarneys antes do poder, que ele era extremamente preconceituoso. Mas vemos que ele evoluiu, se tratou, com poder e grana, e venceu seu antigo preconceito.
      http://www.youtube.com/watch?v=KxUgP3caz2Y

      • Até porque, uma coisa é tolerar o Sarney como presidente do Senado. Agora, fazer campanha para eles foi a prova de fogo do tratamento psicanalítico do Lula !

  • Este rapaz precisa de um tratamento psiquiátrico.

    Ele votou nulo, mas ataca Lula todos os dias. Será que é lulerite?

    Sarney é Presidente do Senado por voto e votade dos Senadores. Foi eleito dentro do regimento da casa. Se você não “tolera” ele como presidente do Senado, faça uma campanha junto aos politicos para o destituir. como fez a mídia e não conseguio.

    Lula agradecer a sua ajuda na campanha eleitoral, é uma atitude mais do que normal e politicamente correta. É desta forma que se faz política.

    Uma pessoa diariamente usar um espaço público, para destilar a sua revolta e pessimismo , só pode ser comsiderada anormal.

    • ALF agora tá defendendo até Sarney!!!!

      Meu Deus! Deve dormir abraçado com a foto de Collor e se cobrir com um lençol com a cara de Sarney.

      O chinelinho tem a foto de Zé Dirceu…

      O pijama tem a estampa de Erenice…

      • democracia é isso. se foi eleito no voto ,é legítimo. senão é do seu agrado,tente convencer a spessoas a não votar mais nele. Qualquer passo além,é golpe de estado.

    • ALF,

      Com a miopia ideológica que lhe é peculiar, você enxovalha a lógica e finge desconhecer os fatos.
      O PT e Lulla passaram a vida toda atacando Sarney como protótipo da corrupção. O Clã Sarney é exemplo perfeito e acabado de oligarquia do atraso.
      Na sua “ânsia inocente” de defender sua acanhada visão de mundo, você esquece que a relação Sarney – Lulla vai muito além de um mero agradecimento por ajuda eleitoral. Sarney dá, por exemplo, as cartas num Ministério estratégico como o de Minas e Energia (não se pode esquecer que Edison Lobão é, desde sempre, seu capataz). As escutas telefônicas autorizadas judicialmente mostraram a “desenvoltura” de Fernando Sarney para interferir na Administração Pública Federal.
      E o que dizer da defesa que Lulla fez de Sarney no episódio do escândalo do Senado? Ah, é mera gratidão por ajuda na campanha eleitoral.
      No mais, ALF você é useiro e vezeiro na artimanha de duplipensar!
      Nas palavras de George Orwell no livro 1984:
      “Saber e não saber, ter consciência de completa veracidade ao exprimir mentiras cuidadosamente arquitetadas, defender simultaneamente duas opiniões opostas, sabendo-as contraditórias e ainda assim acreditando em ambas; usar a lógica contra a lógica, repudiar a moralidade em nome da moralidade, crer na impossibilidade da Democracia e que o Partido era o guardião da Democracia; esquecer tudo quanto fosse necessário esquecer, trazê-lo à memória prontamente no momento preciso, e depois torná-lo a esquecer; e acima de tudo, aplicar o próprio processo ao processo. Essa era a sutileza derradeira: induzir conscientemente a inconsciência, e então, tornar-se inconsciente do ato de hipnose que se acabava de realizar. Até para compreender a palavra “duplipensar” era necessário usar o duplipensar”.

      • O duplipensar é recíproco, Lucas. Sarney passou 50 anos no DEM e os DEMOS o adoravam a ponto de lançarem a filha dele para presidente em 2002.

        • Sábio Martins,

          Por que a referência ao DEM? Todo mundo que discorda do “jeitinho” petista de governar é DEM, PSDB etc?
          Você está vendo fantasmas! Verdadeira tara sua, que em tudo vê a direita!
          O seu sofisma é evidente: o DEM (PFL) nunca atacou Sarney nem o elegeu como inimigo público número um. Aliás, ele era um filiado dessa agremiação partidária. Estou tão longe do DEM/PSDB quanto do PT.
          Num aspecto você tem razão: o DEM não pode criticar Sarney, pois ele hoje está onde sempre esteve, quem “mudou” foi o PT e Lulla.
          Aí vai um comentário de Plínio de Arruda Sampaio, um esquerdista histórico: “Essa maioria é uma maioria absolutamente fisiológica, vai exigir cargos, vai exigir vantagens. Já, já nós temos um outro mensalão por aí” [...] “a bancada dela é proposta pelos conhecidos partidos, onde estão os maracuteios. De modo que de maracuteio só pode sair maracutaia”.
          Está vendo, sagaz martins, que não é apenas a direita que critica a “astúcia” petista?
          Em tempso de Google, ocioso dizer que encontrará diversas críticas de partidos e personalidades de esquerda ao reizete.

        • Dei apenas um exemplo, amigo.

          Mas você se equivoca ao dizer que o DEM está onde sempre esteve. Não, não está. Mudou totalmente, pois hoje, se diz contrário a Sarney.

          EU estou onde sempre estive: continuo considerando Sarney uma desgraça.

        • Deixaram de adorar Sarney quando Serra juntamente com o seu capanga Marcelo Itagiba destruiram a candidatura de Roseana que estava na frente de Serra nas pesquisas.

          Recentemente, fizeram de tudo para Sarney não ser aliado de Lula e voltar para eles. Montaram um esquema de desqualificação afim do PMDB não se juntar ao Pt nesta eleição.

          O PMDB era o partido da virtude, em 2006 quando apoiou Alckmin, deixou de ser quando indicou o vice na chapa de Dilma.

          Não defendo Sarney, mas não se pode esconder a sua liderança política. Quem não lembra de Antonio Carlos Magalhaes. Um grande mal caráter, mais um lider na política.
          Apoio Serra e Alckmin.

        • Martins,

          Você entendeu errado: eu disse que Sarney está onde se esteve, não o DEM (que, aliás, nem me interessa onde está).
          Leia o texto novamente, lá está escrito: “o DEM não pode criticar Sarney, pois ele hoje está onde sempre esteve, quem “mudou” foi o PT e Lulla”.

        • Bom, está ambíguo. No seu texto, “ele” pode ser tanto Sarney quanto o DEM.

          Seja como, parece que temos um novo Alexsandro, que tenta criar um manto de neutralidade para legitimar suas críticas unilaterais.

          Ninguém que é neutro de verdade escreve “Lulla”.

        • Martins,

          Não está ambíguo, não. Repare que digo que o DEM não pode criticar Sarney. Depois, afirmo que Sarney está onde sempre esteve e foi Lulla e o PT que mudaram. Onde a ambiguidade?
          Lulla e PT”mudaram” para ficar ao lado do DEM? Logo, somente poderia estar me referindo a Sarney (até mesmo por que antes no texto sustento que Lulla e PT passaram a vida atacando Sarney. Portanto, o fato de hoje serem aliados atesta que Lulla e o PT “mudaram” em relação a Sarney, não ao DEM, o qual não é aliado dos petistas).
          Mas isso é perfeitamanente compreensível, é você que, na ausência de argumentos para contraditar e sedento para me tachar, vem com essa de ambiguidade.
          De onde você retirou a ideia de que sou neutro? Meu texto é muito claro: sou anti-PT e contrário a Lulla. Inclusive, a grafia do nome dele com “ll” é uma crítica à aliança com Collor.
          Quanta estreiteza! Se não se é partidário do DEM, PSDB ou PT, tem-se necessariamente que ser neutro?

  • A reação de Lula foi equivocada.

    Assim como é muito muito muito equivocada essa história de comprar OUTRO novo avião presidencial.

  • Quem não não sabia que isso ia acontecer??!!

    Parabéns para os desiludidos nordestinos que achavam que o Nordeste seria contemplado com a continuidade do governo Lula…

    PARTILHA DE CARGOS
    Pernambucano Fernando Bezerra Coelho deve assumir o Ministério da Integração Nacional
    POSTADO ÀS 08:05 EM 01 DE Dezembro DE 2010
    Da Agência O Globo

    BRASÍLIA – Para conter um inicio de rebelião dos seus aliados nordestinos com a ausência, até agora, de um nome da região para o primeiro escalão do governo, a presidente eleita Dilma Rousseff definiu ontem as cotas de indicações das regiões Norte e Nordeste. Depois de muita disputa entre os partidos aliados, Dilma avisou que o Ministério da Integração Nacional irá mesmo para o PSB. E o nome mais forte é o do ex-prefeito de Petrolina Fernando Bezerra Coelho, apadrinhado do governador Eduardo Campos, presidente nacional do PSB. O governador da Bahia, o petista Jaques Wagner, também desejava essa vaga. O PSB pode ganhar também a pasta de Turismo.

    Apesar de Dilma ter tido 10 milhões de votos a mais do que o tucano José Serra no Nordeste, não tinha um só ministro do Norte ou Nordeste confirmado até então. No PT, as reclamações foram explicitadas pelos governadores Jaques Wagner (BA) e Marcelo Deda (SE), que reclamam do grande número de paulistas já confirmados ou anunciados: Antonio Palocci, Guido Mantega, Gilberto Carvalho, Miriam Belchior, o carioca Sergio Cortes e o gaúcho Nelson Jobim.

    Em reunião ontem cedo com a presidente Dilma, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), sacramentou o retorno do senador eleito Edison Lobão para o Ministério das Minas e Energia. Já para o Ministério dos Transportes, a presidente eleita deixou claro que gostaria de ter de volta na pasta o senador Alfredo Nascimento (PR-AM), apesar da resistência de outros aliados. Mesmo assim, ainda há pressão para outras indicações nordestinas para o primeiro escalão de Dilma.

    Um dirigente petista resumiu, segunda-feira à noite, o clima de estranheza com a ausência de nomes de outras regiões fora do eixo Rio/São Paulo. “Isso era crise anunciada! Nenhum nordestino de nenhum partido? Eu tenho alertado, tenho transmitido as reclamações que estão sendo passadas a mim. A Dilma teve 10 milhões de votos a mais só no Nordeste meu deus do céu!”.

    Senador eleito pelo Ceará, o deputado federal Eunício Oliveira (PMDB), nome também lembrado para a Esplanada, considera que até o final da montagem do governo, Dilma Rousseff irá contemplar mais o Nordeste. “Não fechou ainda. Mas Dilma terá que fazer uma equação Brasil”, declarou.

    Já o deputado eleito Danilo Forte (PMDB-CE) alerta que o Nordeste não pode perder o espaço que conquistou no governo Lula. “A Federação requer que todos os Estados que a constituem sejam representados. Ter ministros nordestinos é uma referência muito importante até pela discriminação econômica e social que o Nordeste tem buscado superar e teve grande avanço no governo Lula”, afirmou.

    O senador sergipano José Carlos Valadares (PSB) também pode ser alçado ao ministério de Dilma – no ministério do Turismo – para que o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, seu suplente, reforce o time dilmista no Senado, a partir de fevereiro.

    • O que interessa são as AÇÕES, não os ministros.

      • É uma tentativa de desqulificar Dilma perante os nordestinos.

        O que importa são verbas e não ministros.

        Os derrotados não se aquetam.

        • Ora, o que vai dar credibilidade à futura presidente não serão tentativas de quem quer que seja. Será a capacidade dela de cumprir o que prometeu. Se é que alguém lembra: trem bala, estabilidade, acabar com a pobreza, Vant, estaleiros, estradas melhores, educação melhor, implantar sistema de segurança pública baseado nas UPPs, casas, creches. Dentre outras. E garantir a liberdade de imprensa.

  • Martins

    Não me prendo às minhas opiniões.

    Veja os dois textos abaixo (um achando que foi golpe, outro, não):

    http://www.conjur.com.br/2009-set-22/apoio-zelaya-despreza-processo-constitucional-hondurenho-deposicao

    http://www.conjur.com.br/2009-set-28/constituicao-honduras-foi-usada-legitimar-golpe-estado/c/1

    Mais importante, para mim, foi saber por que o Brasil meteu-se com tanta valentia por lá. Até agora não me veio nada além de projeto pessoal do ocupante do cargo de Presidente do Brasil, pouco importando o que ocorresse.

    Ah, sim, Porfírio foi eleito democraticamente e até hoje não sei se o Brasil o reconheceu como legítimo representante do povo hondurenho…

  • Sinhô Raboni, classificar e vangloriar-se que foi um golpe só porque os americanos assim o fizeram é ou não é a mesma coisa de uma Maria Vai com as Outras….?

    Esse blog está cada vez mais perdendo a credibilidade, parece que Bahé é o único lúcido e vai acabar se queimando ao lado de vocês.

  • GALERA!!!SALVEM TODOS OS VÍDEOS QUE COMPROVAM O GOLPE MILITAR DE 2009, POIS A IMPRESA AMERICANA GOOGLE PODE ESTAR SENDO PRESSIONADA PELO GOVERNO AMERICANO A RETIRARE TODOS OS VÍDEOS QUE AJUDAM A COMPROVAR AS SUSPEITAS DE VAZAMENTO DO SITE WIKILEAKS.

  • O GOVERNO AMERICANO ANDA PROMOVENDO UMA INTENSA CAMPANHA DE DIFAMAÇÃO CONTRA A HONRA DE ASSANGE EM TODOS OS CANTOS DO MUNDO SO PORQUE DIVULGOU TODOS OS ARQUIVOS SOBRE O IRAQUE O AFEGANISTÃO.

  • CRIADORES DO BLOG ACERTO DE CONTAS XEROQUEM SEUS BLOGS A QUALQUER MOMENTO SEUS BLOGS CENSURADOS A QUALQUER MOMENTO.

  • RÁPIDO GENTE NÃO PERCAM TEMPO.

  • CRIADORES DO BLOG ACERTO DE CONTAS XEROQUEM SEUS BLOGS A QUALQUER MOMENTO VCS SERÃO CENSURADOS.

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

dezembro 2019
S T Q Q S S D
« mai    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).