Leitora denuncia que metralhas estão sendo depositadas na mata da Tamarineira

mar 6, 2010 by     46 Comentários    Postado em: Meio Ambiente

 

A leitora Lucia Passos, em comentário aqui no blog, denuncia que a mata da Tamarineira vem sendo alvo de caminhões carregados com metralhas, que estariam sendo depositados na área. Ela bateu várias fotos da agressão.

Eu não conheço bem o terreno para saber exatamente onde está sendo jogada a metralha. Mas as fotos aparentam um absurdo ambiental. Independente da decisão de construção de um shopping, por enquanto o terreno tem uma área ambiental que não pode ser destruída.

Como ela mesma disse, é uma movimentação estranha. Vamos atrás disso.

Lucia Passos disse o seguinte:

Eu e vizinhos temos observado movimentação estranha no terreno do Hospital. Caminhões de metralhas, desde a quinta-feira. estão despejando sua carga abaixo de árvores do terreno, uma agressão à sua sobrevivência. Não entendo a razão, fotografei, filmei, e levei as fotos ao site do flickr.
Observem aqui

As fotos de Lucia seguem abaixo.

tamarineira tereno

DSC02603 red

46 Comentários + Add Comentário

  • André / Pierre,

    Essa vale sim uma “boca no trombone” no programa do rádio. Fatos como este, evidenciados, merecem sim ser destacados e providências exigidas junto as autoridades.

  • Pierre, com certeza a denúncia é procedente. Quem mora nas redondezas da Tamarineira sempre escuta o barulho dos caminhões descarregando as metralhas. Além disso, também é possível escutar barulho de motosserras vindos da mata. Seria uma boa investigar.

  • Que esculhambação é essa minha gente? Temos que denunciar isso ao Ibama ao MP às autoridades competentes. Isso deve ser coisa das construtoras que fazem prédios vizinhos a tamarineira. Eita cidadezinha sem lei da gota serena!!!

  • Cadê os que defendem a construção sem limites e a especulação imobiliária descontrolada? Sinceramente, achar que esse shopping vai ser construído sem agredir o meio ambiente e sem pertubar os que vivem próximo é muita ingenuidade. O problema é que a população é muito estúpida; os caras chegam impondo tudo do jeito que querem e a população acha o máximo. O povo é tão imbecil que se a construtora jogar as metralhas na rua vão achar lindo, ótimo, maravilhoso, vão dizer que o transito melhorou muito. O povo tem os empresários que merecem.

    • Márcia, o bairro em si já uma agressão ao meio ambiente. Coisa de gente que acha que progresso é sinônimo de grandes edifícios. Além disso , Recife é uma cidade onde o respeito ao meio ambiente passa anos luz de distância. E não só pelas grandes construtoras. Ou será que quando o cara usa uma arvore para urinar não está desrespeitando o meio ambiente ? Quando jogam sofá no capibaribe ? Essas metralhas representam um cubo gelo retirado de um iceberg! E por que ? Porque a fiscalização é falha. Porque interesses políticos comandam os órgãos que deveriam ficalizar isso aí!

  • Agradeço a vocês, do “Acerto de Contas”, por ter acolhido minha denúncia. Foi quem nos ouviu, vizinhos do prédio cansaram de telefonar ontem para diversos órgãos públicos, sem sucesso.
    Gerações futuras de habitantes do Recife irão nos julgar pela nossa postura em relação ao destino da Tamarineira. Que ar os netos dos amigos leitores irão respirar numa cidade sem árvores? O modelo que desejam para eles é o da cinzenta São Paulo?
    Conclamo a todos, antes que dêem opiniões apaixonadas a favor ou contra, que estudem o caso da Tamarineira, (venho fazendo minha parte como simples cidadã), que reflitam, pensem grande, não se deixem enganar por mascates de fala macia que estão a oferecer maravilhas. Tenham uma visão crítica sobre tudo o que se diz e escreve. Ativem a curiosidade. Procurem saber a razão da escolha da Tamarineira para ser instalado esse shopping, opção essa que seria de pronto descartada por dois critérios técnicos: o de impacto no trânsito e no do meio-ambiente. Meu Deus, há tantas fábricas abandonadas à beira de melhores vias de acesso! Cliente de shopping usa carro, há que ter espaço para circularem, não é?
    Gostaria tanto que se ouvisse a voz dos especialistas em Tráfego, Urbanismo, Meio Ambiente, História, Arquitetura, Medicina, Direito, quase que esquecia Direito, anda tão mal-servido… Gente que falasse a verdade, que nos orientasse como proceder ao escrevermos essa página da História de nossa cidade.
    Vamos também pensar melhor ao elegermos nossos representantes na Câmara Municipal e Assembléia? Numa hora dessa, que falta nos faz gente íntegra e com massa cinzenta no Poder.
    Vale sonhar.
    Bom domingo a todos

  • Amigos, é domingo, mas nesse exato momento mais um caminhão de metralha deixou sua carga abaixo das mangueiras da Tamarineira!
    Venham ver com seus próprios olhos, jornalistas, vizinhos de bairro!
    Abraços e desculpem por aturarem minha indignação.

  • Muito bom que venha à tona o início da derrubada das árvores.

    Deixa evidente que compromisso com preservação, centro comercial verde e outras bobagens mais são apenas palavrório.

  • Voltei com mais imagens, no momento o cortejo continua para quem quiser ver!

    Minhas fotos no flickr:
    http://www.flickr.com/photos/lucypassos/4413819736/

    Estou editando as imagens de vídeo, devem ir para o youtube. Nas fotos, há nomes das empresas que executam o serviço e o endereço da origem da metralha.

    Quem autorizou?
    Quem deixou de fiscalizar?
    Qual as intenções?

  • Boa, Pierre, por ter trazido à tona a denúncia!

    Bem pertinentes os comentários acima.
    Eu, sinceramente, não levo muita fé nesse novo empreendimento no local, anunciado faz pouco tempo, no tocante à “preservação ambiental”.

    Gilberto Freyre já dizia: “Recife não cresce: incha!”

  • Tô ficando doido com este imbroglio da Tamarineira! O mque me dá nos nervos, em especial, é a cara de pau da direitona local (vide mendocinha, raul e tico e teco) em rastejar contrário, apenas para não desagradar Paes mendonça. Estes caras nunca foram ambientalistas. Na verdade, creio que nem sabem o significado de tanto. Se safadeza política fosse doença mental estariam internados lá dentro e ai, então, seriam contra com sinceridade de propósito.

  • Importante a denuncia, haja vista que os GANACIOSOS DE PLANTÂO estão a pleno vapor naquele Parque.
    Mais importante ainda será a COBRANÇA POR PROVIDÊNCIAS.
    As proprias fotos nos dão subsídios valiosos.
    1-Os dois caminhões-caçamba estão à serviço da mesmo ente, conforme se vê no logotipo da Empresa na porta dos veículos.
    2-A placa de um deles está visivel. Só não vê quem não quer, tem má vontade ou é conivente.
    São muitos órgãos aptos a receber a denuncia, alguns com siglas bonita. Mas por uma questão de “competencia legal” o que estaria mais proximo da questão é a Prefeitura do Recife (Sec. de Desenvolvimeno Urbano-DIRMAM-BRIGADA AMBIENTAL), afora o IBAMA, IPHAN, CIPOMA, CPRH…etc…
    Vamos esperar para ver quem se habilita.

    • Desculpem ter comentado duas vezes.
      Pensei que o primeiro não tinha sido concluido.

  • Séria essa denuncia.
    Parabens a leitora Lucia Passos por não se deixar levar pela omissão.
    Atualmente existem muitos órgãos “responsáveis” por fiscalizar e punir infratores dessa natureza.
    Pela lógica caberia a Prefeitura do Recife, através da sua BRIGADA AMBIENTAL, fazer uma apuração desse ocorrido.
    Só é importante fazer uma ressalva.
    Tanto a placa de um dos veículos quanto a empresa a que os mesmo pertencem estão bem visiveis.
    São dois caminhões “caçamba”, um branco e outro vermelho.
    Mesmo estando disponiveis esses dados, é importante APURAR detidamente, posto que muitas vezes funcionários mau intencionados desviam-se dos locais previamente determinados para a descarga do material, muito embora isso não isente a empresa das responsabilidades decorrentes do ilicito, posto que ela deve fiscalizar as atividades de seus prepostos.
    Vamos esperar que os orgãos ditos competentes tomem as providências que o caso requer.
    Além da Prefeitura do Recife com sua BRIGADA AMBIENTAL
    tem ainda o IBAMA, CIPOMA, IPHAN, CPRH…..e uma infinidade de cabides, digo órgãos públicos.
    Vamos torcer para que um deles reaja.

    • Obrigada, Francisco.
      A união faz a força. Ditado velho, sempre atual.

  • Gente, o vídeo já está no youtube, persigam comigo dois caminhões, um que sai vazio e outro que chega para descarregar a metralha na Tamarineira.
    http://www.youtube.com/watch?v=l3B6gIdT6IQ

    As fotos da mesma operação estão no flickr, apreciem:
    http://www.flickr.com/photos/lucypassos/4413819736/in/set-72157623392464039/

  • Não vi e não posso afirmar, mas pela lógica e pela logística, acredito que estes entulhos sejam da demolição de um prédio de 3 andares que ficava na Rosa e Silva, exatamente à frente do portão principal do Hospital. Do meu AP eu consigo ver a demolição e está sendo bem rápida.

    Será que esta demolição já tem a ver com o Shopping?

  • Para colocar mais metralha no parque (mais lenha na fogueira). O JC noticiou o caso, mas citou apenas os twitteiros. Esqueceu o Acerto de Contas.

    Pernambuco // POLÊMICA
    Denúncia de metralha em área do Hospital da Tamarineira agita o Twitter
    Publicado em 07.03.2010, às 19h56
    Do JC Online

    Internauta fotografou o depósito de metralha na Tamarineira
    Foto: Lucia Passos / Reprodução O projeto do Parque Tamarineira – complexo de compras e lazer previsto para a área onde hoje está o Hospital Ulisses Pernambucano – chegou a agitar as redes sociais na internet neste fim de semana. Fotos de um caminhão entrando com metralha na área postadas no serviço de fotos Flickr gerou polêmica e especulações.

    As imagens foram postadas nesse sábado e neste domingo, o Conselho Gestor de Saúde do Hospital Ulisses Pernambucano explicou ao JC Online: o material será utilizado para uma terraplanagem em uma área próxima ao hospital.

    As fotos foram divulgadas pelo Flickr da internauta Lucia Passos. As fotos mostram caminhões adentrando o terreno trazendo metralhas para a área. É possível ver as pilhas de pedras, concreto e areia que se acumulava na área verde do local. Retiradas de uma construção na Rua Gildo Neto, próxima ao local, a metralha é depositada no fundo do terreno.

    Comentários no Twitter fizeram ligações com a decisão dos proprietários do imóvel, a Santa Casa de Misericórdia, de arrendar a área para a construção de um shopping center. A reportagem do Jornal do Commercio foi ao local na tarde deste domingo (7) para constatar o ocorrido.

    O conselheiro do Conselho Gestor de Saúde do Hospital Ulisses Pernambucano, Tony Melo, afirmou que a metralha está sendo usada para uma terraplanagem na área dos fundos da Tamarineira. “É uma parte desnivelada do terreno. Quando chove, todos os pacientes sofrem com as poças de água que se formam”, informou.

    Tony também disse que as metralhas foram doadas. O comitê é formado por usuários e parentes de pacientes do hospital e realiza reuniões e fiscalizações das ações tomadas pela direção da Santa Casa.

    A Santa Casa informou, através de sua assessoria, que os proprietários do terreno desconhecem a ação e que soube das metralhas através da internet. Disse ainda que apenas é dona do lugar, mas que não é responsável pela administração.

    A administradora do hospital Ulisses Pernambucano, Benvinda Magalhães, não foi encontrada para comentar a decisão. Falta uma posição da diretoria de Meio Ambiente da Prefeitura para saber se a prática está de acordo com a conservação da área verde. O secretário Roberto Arraes também não atendeu as ligações da reportagem neste domingo.

  • Como esse centro comercial está sendo levado adiante com base na teoria do fato consumado, apanhei-me a pensar em algumas obviedades que conseguiram afastar totalmente.

    É absolutamente segura a propriedade da área por parte da Cúria Metropolitana do Recife? Nunca houve alguma declaração de utilidade pública ou coisa parecida?

    Em uma área dessas, pode-se construir sem licenciamento ambiental? A prefeitura já aprovou o projeto?

    • Tenha a palavra a Prefeitura!

  • Como se não bastasse o crime ambiental, nas novas imagens, nos trás novos ilícitos.
    O caminhão está carregando metralha sem a devida proteção.

    CTB (Código de Transito Brasileiro)
    Capítulo XV (Das Infrações)
    Art. 231 – Transitar com o veículo:
    I-……
    II-Derramando, lançando ou arrastando sobre a via:
    a) Carga que esteja transportando
    ………
    c) qualquer objeto que possa causar risco de acidente
    Infração: GRAVISSIMA
    Penalidade: MULTA;
    Medida administrativa: retenção do veículo para regularização.

    Cadê a CTTU?

    • Provavelmente estão tomando cerveja por aí com o dinheiro dos tocos da lei seca.

    • BOA, Francisco!

  • Chega a ser completamente surreal, numa cidade cada vez mais quente como a cidade do Recife, que tantas arvores continuem sendo abatidas! Se a maioria da população não se abala com os argumentos ambientalistas, deveria, pelo menos interessar-se e preocupar-se pelos cortes sistemático de árvores quando estes também atingem o seu conforto!

    Quanto ao caso da Tamarineira em si, não sei que obsessão pelo consumo é esta para construirem tantos shoppnigs nessa cidade. Alguma manifestação ou mobilização pública está prevista para proteger contra este absurdo? (mais um…)

    • Julia, quarta-feira próxima haverá reunião dos “AMIGOS DA TAMARINEIRA” quando serão articulados planos para exprimir nossos desejos: NÂO ao shopping, manutenção da área verde completa, e uso de cerca de 70% do terreno para um parque público.
      Já está marcada uma grande manifestação: sábado proximo pela manhã, 9 horas. em frente ao Hospital.

      • Obrigada Lucia. Acho que a reação começa já por aí, reuniões e manifestações públicas, e deixamos muitas vezes de recorrer as armas que estão ao nosso alcance por considerar que lidamos com gente poderosa, e que qualquer ação popular está fadada ao fracasso! Mas não podemos deixar de mostrar que a opinião pública existe e pode ser mobilizada. Afinal, de fato e sem romantismo, é possivel a vitória de Davi contra Golias. Estarei ai no sábado!

  • onde se lê proteger, entender protestar (perdão!)

  • As últimas notícias: moto-niveladora está no momento espalhando as toneladas de metralhas sob as copas das árvores !!! Ação devidadamente fotografada e filamada!

    As explicações dadas pela administração do Hospital não me satisfazem, e creio que a ninguém. Onde já se viu fazer uma terraplenagem de um terreno coberto por fruteiras com metralha de construção, mesmo que seja dada de graça? Isso se admitíssemos a necessidade de tal aterro, o que moradores do prédio ao lado contestam. Se há algum empoçamento nos meses de chuva intensa, o solo faz a drenagem em pouco tempo.

    Sim, justificam que receberam o lixo de graça. De graça, é? PRESENTE DE GREGO!!! A empresa que faz a demolição está é dando graças aos céus por encontrar um lugar perto onde despejar o lixo. Sei que atualmente elas gastam fortunas para levar para longe, fora do Recife, esse material. As cidades vizinhas já proibiram isso. Que negoção!

    Enquanto isso, o que É MAIS IMPORTANTE, quanto tempo mais viverão as mangueiras atoladas em concreto? Comentei hoje o fato com amiga agrônoma, ela ficou horrorizada, quase não acredita. Nem precisava me dizer que foi uma sentença de morte que se deu às árvores.

    Não vejo, até agora, ligação desse ato ireesponsável ao planos de instalação na área de um shopping. Contudo, agressão à natureza terá, SEMPRE, meu protesto, parta ela de quem quer que seja.

    Sou a favor da criação de um Parque Público nessa área. PARA CLASSE A, B,C, o alfabeto todo! Mas estou certa que ainda não é hora de da transferência dos Hospitais para outros lugares, eles são bastante úteis para a população, sobretudo a de baixa renda. O Helena Moura atende a centenas de crianças diariamente, seria estupidez e egoísmo nosso esquecê-las. O Ullisses oferece o único atendimento psiquiátrico do Estado com internamento, emergência e tratamento ambulatorial.

    A forma mais inteligente para uso da população do Recife dessa imensa riqueza que temos e faz parte de nosso Patrimônio TOMBADO (ainda é), seria manter os Hospitais e abrir a “MAtINHA” como parque público. Tenho certeza que com pouco investimento, pois as árvores estão todas lá à espera, faríamos um lugar único, do que nos orgulhar. SOLUÇÃO CASEIRA! Temos bons especialistas em nossas universidades, estudantes poderiam ser voluntários, precisamos é dar os primeiros passos nessa direção.

    Em Baltimore, USA, estive um dia no Aquário, um dos maiores do mundo. Sabem qual é uma das maiores atrações dele? Um grande espaço envidraçado onde se recriou um ambiente tropical! Nossas plantas, nossa atmosfera húmida! Tal qual temos aqui. Só que a nossa é NATURAL. Nada de vidros como lá. Vamos desfrutar o que temos e não transformar nossa matinha de 200 anos em jardim de shopping.

    Nada contra shoppings, mas vale a pena contruir um em cima de uma mata secular?
    É bom pensar…

    • Excelente postura a sua Lúcia,

      Parabéns pela exemplar iniciativa de se opor à abominável construção deste shopping. Também já visitei o Aquário Nacional de Baltimore e é realmente espetacular. Aliás, voltei há 1 mês de Madrid e, chegando em Recife sem escalas, é de se espantar a diferença das duas cidades no que se refere ao paisagismo urbano. Apesar de serem milenares, as cidades européias conservam o ambiente histórico com muita paixão. Existe um trato com a coisa pública espetacular. Em Recife, as obras são feitas de qualquer jeito, sem o mínimo de estudo de impacto ambiental, econômico, de tráfego, ecológico e urbano. É um desrespeito à memória da cidade e à população. A única maneira de tentar evitar esse desrespeito é procurar unir as pessoas sensatas e impedir a destruição da cidade. O problema do brasileiro, e não só do recifense, é que basta chegar algum empresário ou político com muito dinheiro contar uma centena de histórias bonitas (leia-se mentiras) e fazer o povo de otário. Moro em Recife e gosto da cidade, apesar dos (inúmeros) problemas. A questão é que se deixarmos, esse empresários desmedidamente gananciosos acabarão com a cidade, vide a luta das pessoas que moram na 17 de agosto contra a construção de um supermercado (que, fatalmente, vai avacalhar com o lugar). Há projetos de construção de mais shoppings em outras áreas no Recife, na zona sul p.ex, e se a população deixar, vão começar a destruir as ruas (que já são poucas e estreitas) para construir shoppings.

      • Adelia, veja você e os amigos que frequentam o blog um pouco do que está por trás dos muros da matinha da Tamarineira e que poderá ser o mais belo parque público da cidade:
        http://www.youtube.com/watch?v=0s2F3_WHPXE

        É exatamente sobre tão exuberante área verde que se pretende construir o prédio do tal centro de compras. Em lugar das raízes das árvores, garagem para automóveis!

        Esse paraíso é considerado INÚTIL pelo Presidente da nossa Assembléia. Pobre coitado, não tem olhos para ver!

  • Cara Lúcia,
    ” a vida´só é digna de ser vivida quando se tem um idel a colimar” R.M.Rilke
    Seu ideal é claro, a defesa do meio ambiente, dos interesses difusos e coletivos.
    A justificativa da Mitra constitui uma piada; o jogo do empurra/empurra: Dom José(Dedé) x Dom Saburido; o Prefeito João da Costa silencia ante a posição adotada pelo outro João. Mais um que não viu e nada sabe.
    O jogo de interesses fica clarividente e até agora nada de concreto, aliás das fotos se ‘depreende uma fartura’.
    A posição cívica adotada por voce de fato merece o respeito de todos nós.
    Com a palavra o Ministério Público, guardião constitucional do meio ambiente e dos interesses da sociedade civil, que no momento não esta organizada.
    Marcos Cabral – Procurador do Estado de Pernambuco

    • Caro Marcos,

      o que então se pode fazer? O Ministério Público pode entrar com alguma ação contra este projeto? Confesso que estou por fora das possiveis reações legais a este projeto! Talvez você possa nos aclarar?

  • eu concordo plenamente q as metralas não deveriam estar nesse local.. e q é uma violência ambiental..

    mas digo uma coisa a vcs.. acho engraçado essa leitora Lúcia só se manifestar agora..

    pq eu passo tds os dias nas proximidades do hospital e há muito tempo eu vejo caminhões entrando por trás.. só n sabia o q faziam lá..

    interessante ela só se manifestar agora, q o assunto está na mídia.. parece até q foi o Mendocinha ou alguém do DEM ou do grupo JCPM q a mandou tirar essas fotos, falar sobre esses caminhões..

    resalto q n tiro a razão dela.. mas foi muita coincidência..

    • Pelo menos essa moça está mostrando esse crime agora diferente de vc que tinha conhecimento há muito tempo disse e não fez nada. Cada uma…

      • Patrícia, acompanhei feliz com os vizinhos a retirada das tais metralhas que estavam abaixo das árvores, o serviço foi concluído ontem.
        E obrigada por me catalogar como “moça”, na verdade assim me considero de espírito com os meus 65 anos.

        Agradeço também a Pierre por ter acolhido minha denúncia. Não fosse ele meu parceiro nessa, talvez nada fosse feito; pedi uma mãozinha à pessoa certa.

  • Cara Lúcia Passos,

    Eu me solidarizo com seu trabalho, em prol de toda a sociedade recifense, que tem sido intenso nesses últimos dias (registrado na produção de vídeos, fotos, etc…).

    Temos, realmente que nos mobilizar para preservar a natureza que ainda temos. E num bairro tão congestionado de empreendimentos de CONCRETO!!! Até o trânsito… já está uma loucura!

    Mantenha-nos informados dos movimentos sociais (reuniões, debates, passeatas) porque você está se saindo uma repórter-cidadã maravilhosa!

    Que nossos gestores político-administrativos repensem os impactos de tal empreendimento… Um pouco de bom senso não faz mal a ninguém, não é?

    Até o próximo clique,

    Iara Vilela

    • Iara, precisamos construir uma consciência civil e ecológica partindo para uma nova relação com o meio-ambiente. O imediatismo é irresponsável, nos conduz a armadilhas de que iremos amargamente nos arrepender.
      Nossa cidade nunca esteve tão quente no mês de março. O que nos aguardará se não cuidarmos bem das árvores que ainda restam?

  • Parabéns Lúcia!
    Tive a oportunidade de visitar a matinha da Tamarineira e não podemos deixar que essa riqueza natural vire um estacionamento de shopping!
    Esta aérea pode ser utilizada como parque público arborizado.
    Temos exemplos belíssimos de parques em Curitiba, interligados por ciclovias.
    Vamos à luta!

    • Tiago, não posso deixar de me emocionar quando revejo o vídeo que fiz lá. O som da mata parece que vem do começo do mundo!
      Isso me dá forças para lutar bravamente pelo nosso Parque. Minha bicicleta está à espera!

  • Cara Júlia.

    O MPEPE – Ministério Público estadual, através de 3 Promotorias Especializadas, investiga o assunto, há mais de 4 anos; já postularam em Juízo, questionando a titularidade do terreno, da area, enfim.
    Não existe, no momento, definição concreta da propriedade, se do estado de Pernambuco ou da Mitra(Santa Casa da Misericordia). Tudo indica que a Arquidiocese não detém a titularidade do imóvel; não existe registro da desafetação(ato legal de transferencia de propriedade da parte do estado) do imóvel em questão. No momento, não existe a concreta definição da legalidade da propriedade, hipótese em que a Mitra Arquiocesana não pode operar transação comercial de compra e venda. Mais uma do polémico Arcebispo D.José(Dedé), das complexas operações da administração do patrimonio da Santa Madre Igreja em Pernambuco, veiculadas nos órgãos noticiosos locais. Dom Saburido que se cuide.
    Que comprovem a titularidade: afinal quem é titular de direito da propriedade?
    Que esclareçam que o Governo do Estado de Pernambuco revogou ato perfeito e acabado, que modificou o entendimento da preservação da area fixado na década de 90 no Governo Joaquim Francisco(que nos assegurou, quando Prefeito, o Parque da Jaqueira).
    Por que o silêncio? Por que o assunto não é tornado público?
    Por que a Administração do Complexo Hospitalar da Tamarineira permite a descarga de dejetos de demolição de construção na área? quando desnecessária! Já seria uma ação orquestrada para mascarar a atual situação ambiental? sabidamente preservada e de interesse público!
    Marcos Cabral

    • Caro Marcos,

      Obrigada pela sua resposta e esclarecimentos. Acho que todos aqui ficam felizes em saber que o Ministério Público está de olho no que vem acontecendo.
      Pelo que entendi, já existe uma investigação por parte do MPPE, mas quando se pode esperar alguma ação mais firme do Ministério Público que permita embargar o projeto de construção do shopping e a propria “venda” (que já não se sabe mais se é legal) do terreno? Infelizmente, as motosserras agem mais rápido que as instituições jurídicas…

      • Júlia, para você e mais pessoas interessadas tomarem conhecimento que as

        “11ª, 12ª, 13ª, 20ª, 34ª e 35ª PROMOTORIAS DE JUSTIÇA DE DEFESA DA CIDADANIA DA CAPITAL
        MEIO AMBIENTE E PATRIMÔNIO HISTÓRICO E CULTURAL
        HABITAÇÃO E URBANISMO
        SAÚDE

        EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE AUDIÊNCIA PÚBLICA

        O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE PERNAMBUCO, por seus representantes infra-assinados, com exercício junto à 11ª, 12ª, 13ª, 20ª, 34ª e 35ª Promotorias de Justiça de Defesa da Cidadania da Capital, com atuação na promoção e defesa do meio ambiente e patrimônio histórico e cultural, da habitação e urbanismo e da saúdes, no uso de suas atribuições constitucionais e legais –
        ………………………………………………………………………..

        CONSIDERANDO, por fim, ser a Audiência Pública instrumento oportuno ao Ministério Público para melhor instruir a investigação em curso, com a contribuição de especialistas na matéria, da sociedade civil organizada e dos gestores públicos;
        COMUNICA:

        A todas as pessoas e instituições interessadas que no dia 22 de março de 2010, às 14 horas, no Espaço Cultural Rossini Alves Couto (antigo cinema Ritz), situado na Av. Visconde de Suassuna, nº. 99, Santo Amaro, nesta cidade, será realizada AUDIÊNCIA PÚBLICA, com o seguinte OBJETIVO:
        Obter subsídios e informações adicionais, no que se refere às peculiaridades que envolvem o Sítio da Tamarineira, levando em conta as suas características, os serviços de relevância pública ali prestados, as restrições de natureza histórico-cultural e ambiental, bem como o impacto do empreendimento anunciado na qualidade de vida dos cidadãos recifenses.
        O Regulamento e Agenda da Audiência Pública constam, respectivamente, dos Anexos I e II do presente Edital de Convocação.
        Recife, 11 de março de 2010.”

  • Recife precisa incorporar lutas como essas, legítimas porque nascidas do nosso cotidiano e da indignação de pessoas sérias como Lucia Passos. É muito fácil criticar o crescimento desenfreado e irresponsável da cidade, com a poluição dos rios e a destruição das áreas verdes – assim como criticar a destruição de patrimônios ambientais mais distantes, como, por exemplo, a Amazônia, ou, ainda, se emocionar com a luta de ONGs contra a caça às baleias e outros tantos males contemporâneos – depois simplesmente se fechar no conforto das suas casas, sem tomar nenhuma atitude. Infelizmente, em nossa cidade, como em todo o país, há um verdadeiro abismo entre o “dito e o feito”. Parabéns, minha cara Lúcia.

  • Eu preciso comprar metralha e não estou encontrando, indiquem-me por favor !

    Obrigada !!!

  • Amigos, sou a mesma Lucia Passos de anos atrás… Ontem presenciei algo estranho: nos.fundos do mesmo espaço que conhecemos como “Matinha” da Tamarineira e que salvamos em 2010, houve o começo de incêndio que me intrigou.

    É que foi num local de dificíl visibilidade e acesso. Mas graças ao Corpo de Bombeiros solicitado por minha irmã e vizinha, o fogo foi debelado. Teria sido acidental ou proposital? O fato em si já nos causa apreensão, maior ainda se comprovada a má fé no gesto.

    O acesso dos bombeiros ao foco do incêndio só foi possível por haver uma casa térrea com uma área lateral livre na rua General Abreu e Lima posicionada junto aos fundos da área da Matinha que estava a queimar.

    Tenho vídeos do ocorrido que posso partilhar com vocês.

    Obrigada.

    Lucia Passos

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

julho 2019
S T Q Q S S D
« mai    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).