Como questionar uma gestão que não existiu?

abr 12, 2012 by     76 Comentários    Postado em: Política

Joao-da-Costa_Andréa-Rêgo-Barros_247

Quem acompanha o Acerto de Contas sabe que não nutrimos a menor simpatia pela gestão de João da Costa. Na verdade difícil é encontrar alguém na cidade que acredite que este faça uma gestão minimamente decente.

Dia desses, em um debate na CBN, o Secretário André Campos nos brinda com a seguinte pérola pergunta para SIlvio Costa: “Vocês questionam o prefeito politicamente, vamos falar da gestão”.

Vamos falar da gestão?

Silvio Costa se enrolou na discussão sobre os problemas da gestão de João da Costa por um motivo razoavelmente explicável: não há muito o que questionar sobre a gestão de João da Costa, porque ela não existiu.

Quando pensamos em JPLS, Jarbas ou Roberto Magalhães, é possível discutir acertos e erros da gestão. Podemos questionar as obras bisonhas de João Paulo, como o Dona Lindú, o Camelódromo de Jarbas, ou ainda a Ponte Joaquim Cardoso, que à época não tinha utilidade.

Mas o que questionar de João da Costa?

Podemos falar das milhões de doidices da Prefeitura, como o Camarote VIP de 1 milhão de reais do Prefeito no Carnaval, o carro blindado para seu uso ou ainda a falta de projeto para o trânsito. Podemos falar tudo, mas não há o que questionar sobre o que não existiu.

Estamos sem Prefeito há mais de 3 anos.

Desde que João da Costa assumiu, a cidade vive uma intensa agenda negativa, seja ela política ou administrativa.

Começou com o lixo espalhado na cidade. Depois veio sua briga com JPLS.

Passado isso, começou sua gestão, ou a falta dela. A exceção à agenda negativa é o Carnaval, mas convenhamos, é muito pouco para um Prefeito.

João da Costa dificilmente deu uma dentro, muitas vezes por azar, quando por exemplo, viajou a Madri e no outro dia o mundo caiu sobre Recife, que ficou toda alagada.

Agora, em meio ao caos dentro de seu partido, onde nem ao menos conseguiu juntar meia dúzia de pessoas, ainda nos brinda com a pérola de que “sabe o que Dilma está passando com os políticos, porque ele também passa pelo mesmo problema aqui”.

Ora, o seu problema é unicamente a falta de uma gestão apresentável à cidade. Querer se comparar a Dilma chega a parecer loucura.

Vamos ver o que sairá desta eleição interna no PT.

Com Maurício Rands é facultada ao partido a oportunidade de recuperar a dignidade perdida. Sai do jogo de baixo nível instalado na Prefeitura e ainda pode elevar o nível do debate. Mas difícil será convencer a população a votar novamente no PT, e de que não tem nada com a gestão de João da Costa.

Sobre isso falaremos mais adiante.

Quanto ao resto, a gestão (ou a falta dela) de João da Costa fala por si.

76 Comentários + Add Comentário

  • Quero ver Mauricio Rands que teve Secretários na prefeitura bater na gestão do PT e depois pedir votos como candidato do PT

    • É tudo farinha do mesmo saco e no final, ganhe quem ganhar, haverão barganhas e favores.

      Só acho tudo isso muito estranho …

      • HaverÃO?
        Não seria HAVERÁ?

  • Seria o momento de tirar o pt do governo do Recife! Eles claramente não respeitam os eleitores e com muita governabilidade e governança, tudo para o munícipio crescer nós tivermos!

  • De tanto falar mentira pros outros e se enganar… o próprio prefeito acaba acreditando nela! Acho que o poder de ser ter um barato semelhante a morfina, cocaína ou alguma coisa intensamente inebriante, pois, o cara é intensamente achincalhado, humilhado, desprezado pelos próprios companheiros, seu sobrenome COSTA é alvo de todo tipo de trocadilho, e ainda assim… o camarada luta com unhas e dentes para ter o direito de concorrer novamente, pra mim é o fim! Acho que os 5.000 comissionados da prefeitura devem puxar o saco dele diariamente, dizer todo tipo de elogio, babar o ovo o dia inteiro.

  • Pierre,

    não sou eleitor de João da Costa, muito menos um esquerdopata petista, mas… francamente, acho sua análise um tantinho exagerada.

    Já ouvi dizer por aí que João da Costa foi o prefeito que mais construiu unidades habitacionais na história do Recife. Isso é importante para a população de baixa renda.

    O trânsito piorou nos últimos anos? Sim, claro. Mas não foi a prefeitura quem fez isso. Na verdade, a quantidade de carros circulando na cidade cresceu muito nesse período. O infeliz do João da Costa só teve o azar, aconteceu no mandato dele. Ademais, a prefeitura investiu em obras viárias importantes; das quais as mais visíveis são a extensão da Rua Arquiteto Luiz Nunes (paralela da Mascarenhas de Moraes) , na Imbiribeira, e a duplicação do Viaduto Capitão Penudo, no caminho de Boa Viagem.

    A conclusão das obras e a inauguração do Parque Dona Lindu, obra iniciada por JPLS, também foi importante, é um novo ponto de lazer e cultura para a cidade.

    Bem, reafirmo que não sou esquerdoide nem petistoide, mas… acho que João da Costa tem sim uma gestão a ser analisada, com pontos altos e baixos. Para mim, ele seria sim um candidato competitivo.

    • Como que nao é culpa da prefeitura pelo transito?

      De quem é a culpa de ter tantos sinais quebrados em qualquer chuva que caia na cidade?
      De quem é a culpa de existirem pouquissimos corredores de onibus na cidade?
      De quem é a culpa dos bueiros entupidos acabarem inundando as principais vias da cidade?
      De quem é a culpa da buraqueira, com quase meio-metro de profundidade, que tem sempre em epoca de chuva?
      De quem é a culpa do prefeito comprar um caminhao pra tapar buraco, que pra quem o viu em ação, é no minimo chamar o cidadao de idiota.
      De quem é a culpa de um canteiro central virar estacionamento de carro, evitando que pedestres circulem, deficientes fisicos ou nao, que só deram jeito depois do acertodecontas publicar aos quatro cantos o absurdo que acontecia?

      Só essas questoes geram problemas ENORMES a sociedade. Recife é a unica capital do país que um caminhao quebrado em uma ponte, PARA a cidade. Lembro-me bem quando em Piedade e na frente do hospital da aeronautica ja estava tudo parado. Isso há quase 15km de distancia.

      E o pior, o Governo do Estado segue o mesmo caminho da falta de investimentos em infra-estrutura e transporte. Não existe melhoria no aumento no numero de onibus ou de linhas criadas. Nao existe sequer concorrência. Como existe melhoria de algum serviço se não há concorrencia? Linhas de metro não tem expansão há tempos, não atende nem ha 20% da cidade, não tem interesse em expandir provavelmente por muitas empresas de onibus estar em nome de politicos da cidade. Governo investe em porcaria de terminal integrado, que é de utilidade, mas nunca vai ser solução. Em Amsterdam, Paris, os rios são usados para transporte publico com sucesso há decadas, por que não em Recife? Por que não existe um transporte que navegue pelos tantos rios que cortam a cidade? Ja pensou em um pessoa que vive na Torre, Ilha do Leite, Boa Viagem, Recife Antigo?

      Pernambuco cresce, APESAR, de Recife. Eu moro em Sao Paulo há 10 meses, vou pra Recife vez ou outra, e cada dia que passa chego a conclusão que o transito de Recife é muito pior que o daqui. Aqui tem pra onde fugir, rua esburacada é rarissimo, existem corredores de onibus/taxi em quase todas as vias, as linhas de metro estão em fase de expansão. O lance é que aqui é uma cidade de 15 milhoes de habitantes que acarreta lotação nos transportes publicos, transito forte em horario de pico e etc.

      Mas o sentimento de que está sendo feito algo pra melhorar, é visivel em São Paulo, independentemente se é PT ou qualquer outro partido. Isso é que falta em Recife, desde o cidadão sem instrução alguma à rico empresário, ninguém percebe, sabe, vê onde que a prefeitura melhorou a vida de uma parcela da população.

      Recifense, não se conforme com pouco, nunca!

      • Hugo, alguns comentários pontuais.

        Pelo que entendi de seu relato, você pegou um mega engarrafamento na frente do hospital da aeronáutica (Jaboatão dos Guararapes) por conta de um problema em Piedade (Jaboatão dos Guararapes). Qual a culpa do prefeito, seja quem for, de Recife nessa situação?

        Com relação ao Recife ser a única capital do país em que um caminhão quebrado numa ponte para a cidade, deixe-me discordar com uma experiência pessoal no Rio de Janeiro. Em 2007 ou 2008 eu estava no Rio, em Copacabana, e ia voltar para Recife. Peguei um táxi e fomos para o aeroporto pela Lagoa. Pois bem, chegando nas proximidades do Cantagalo começou o maior engarrafamento do mundo. Ficamos mais de uma hora praticamente parados na região da Lagoa Rodrigo de Freitas. No meio do Túnel Rebouças eis que descobrimos a razão do engarrafamento: um Fusca quebrado. Tá, não foi um caminhão numa ponte, mas um Fusca num túnel é mais do que equivalente, não?

        Já em São Paulo, minha experiência foi um pouco mais drástica. Eu gastei, em 2009, mais tempo entre o aeroporto e o Credicard Hall do que viajando de Recife para São Paulo. E nada, absolutamente nada demais tinha acontecido. Apenas caía uma chuva fraca.

        No caso dos ônibus, houve, sim, um aumento no número de linhas e de ônibus. E no caso do metrô, também houve uma expansão recente, com a inauguração da linha Sul (ainda que não seja responsabilidade da Prefeitura). O sistema de transporte público é ruim, é, mas não vamos exagerar, né?
        Outra coisa, se por um lado uma faixa exclusiva foi retirada (no Pina), outra foi criada (na Benfica) e o que não faltam agora são projetos de linhas exclusivas de ônibus.

        Isso faz de João da Costa um bom gestor? Acho que não, mas alguns problemas apontados não são de sua (dele) alçada, outros são heranças de longo tempo (o que não exime a sua responsabilidade, mas esta deve ser compartilhada por todos que passaram na PCR nos últimos anos) e outros, apenas, é que devem ser devidamente imputados a João da Costa.

        • Marcio / Hugo,

          Em 2010 demorei mais tempo da Avenida Paulista (Fundação Vanzolini, em frente a Tv Gazeta) até ao Aeroporto de Guarulhos 2 horas e meia. Isso porque saímos de lá às 16:45 H.

          Agora, uma coisa é fato, Recife e todas as vias de acesso a capital são de passar vergonha. Aquela buraqueira na estrada da Batalha já tem 2 anos e essa “m3rda” desta obra não acaba nunca !!!!

          Na BR 101 Norte não há iluminação decente, nem paisagismo nos canteiros da rodovia.

          Em Boa Viagem, basta a maré subir a alaga todas as ruas próximas ao canal.

          A centro da cidade é uma imundice lamentável, de chorar.

          Se João da Costa é uma “m3rda” para alguns, vá saber se o seu sucessor vai virar a página.

          O problema não é só gestão, é cultural também. Nos conformamos em viver no meio da lama e do caos.

        • Perfeito, Márcio!

          Foi exatamente isso que tentei mostrar. Alguns dos problemas apontados pelo Hugo podem ser colocados na conta de João da Costa. Outros, porém, são resultado de uma cidade que não foi planejada e, principalmente, do aumento do número de carros em circulação. Bueiro transbordando água só atrapalha em dia de chuva; muitos carros atrapalham o trânsito todo o tempo, principalmente em horários de pico.

          Além disso, é preciso admitir que João da Costa realizou algumas obras viárias importantes (jã citei duas aqui) e, inclusive, está tirando do papel a famosa Via Mangue, que melhorará o trânsito no sentido zona sul.

          Isso não torna João da Costa o melhor prefeito do mundo, mas…. daí a dizer que ele “não tem gestão” e que “Recife vive sem prefeito” há uma diferença muito grande. Não posse concordar com essa conclusão. É só isso que digo.

        • Prezado Márcio Cabral,

          Antecipadamente, peço desculpas se meu comentário transparecer algum objetivo, que não seja o de esclarecimento.
          Sou carioca da gema!
          De duas, uma: ou você se enganou no seu relato ou o motorista de táxi usou de má-fé para cobrar um valor maior da “corrida”.
          Estando em Copacabana para chegar ao Aeroporto do Galeão – Tom Jobim, bastaria pegar o Túnel Novo, passar pelo aterro do Flamengo, ao ingressar na Praça XV, tomar a Avenida Perimetral conhecida também como elevado da Perimetral (passa por cima da Av. Rodrigues Alves, que é a Avenida ao longo da qual se situa a Zona Portuária), pegar o acesso ao Bairro do Caju e ingressar na Linha Vermelha. Pronto: linha direta para o Aeroporto do Galeão – Tom Jobim!
          Agora, ir de Copacabana, pela Lapa, para chegar ao Aeroporto do Galeão é, simplesmente, um trajeto impensável. Não tem nada a ver. Total contrassenso e quase contra-mão!
          Com isso não quero, nem posso, visto que contra fatos não há argumentos, dizer que no Rio de Janeiro não exitem engarrafamentos homéricos. Precisa “conhecer” aqueles que ocorreram periodicamente na Av. Brasil…

        • Prezado Pedro, eu acabei de pedir ao google maps que “me levasse” da Av. Nossa Senhora de Copacabana para o Galeão.E o caminho que ele indicou foi esse que eu descrevi. Ir até a Lagoa, pegar o túnel Rebouças e seguir para a linha vermelha. Esse caminho que você sugeriu é quase 5 km mais longo do que o que o taxista fez (é a segunda opção dada pelo Google Maps).
          http://maps.google.com/maps?saddr=Avenida+Nossa+Senhora+de+Copacabana,+Rio+de+Janeiro,+Brasil&daddr=Aeroporto+Internacional+do+Rio+de+Janeiro-Gale%C3%A3o,+Rio+de+Janeiro,+Brasil&hl=en&ie=UTF8&ll=-22.915077,-43.184166&spn=0.269743,0.528374&sll=-22.903539,-43.209587&sspn=1.079053,2.113495&geocode=FcV7of4d8ANt_Sl5LwUeT9WbADEaMJiyu7QCKQ%3BFXvto_4d1_xr_SERFcDTmgZ5mg&oq=Aeroporto+internacional+d&t=h&mra=ls&z=12

      • De quem é a culpa?
        A culpa é nossa, ora bolas. Nós é que colocamos esses políticos lá.
        Todos falam dos políticos, mas na hora do aperto vão pedir favorzinhos para acelerar um processo ou para conseguir uma lotação melhor ao passar em um concurso público.E por aí vai.
        A esperança acabou.
        Enquanto existirem “bolsas” e paliativos tudo continuaria como está. Seria bom mesmo que houvesse uma recessão gravíssima e as pessoas ficassem sem saída.
        Precisamos de um fato histórico que possibilite uma revolução verdadeira.
        O mundo está insuportavelmente chato.

    • Yusuke, você se conforma com pouco O_o? Ta na cara a INFECIÊNCIA da “gestão”…altos gasto, poucos
      resultados…não tem mistério!

      Olhe as ruas…as “calçadas”…o IPTU que nos pagamos…as verbas desviadas na cara.

      • V,

        Não sou eleitor de João da Costa. Não considero boa a administração dele. Mas… vejo uma grande diferença entre administração ruim e administração inexistente. O prefeito tem obras para mostrar…. e deficiências para serem criticadas. A administração existe e está aí pra ser julgada.

        Acho que Pierre teve um ataque de fúria e escreveu isso aqui….. exagero…

  • Pierre, desculpe lhe dizer, mas você mudou de opinião.

    Eu me lembro que na metade da gestão dele você chegou a questionar o porquê da implicância da população com João da Costa, afirmando que ele tinha herdado vários esqueletos e promessas de JPLS…

    O que não deixa de ser verdade, mas não inibiu nem um pouco a PÉSSIMA gestão que ele fez na cidade.
    Coisa que você notou agora, somente.

    Ele é medíocre, agora tem o seguinte, o antecessor a ele é MUITO PIOR.

    JPLS foi um criminoso contra o Recife.
    aquele acabou com a cidade.

    O que ele fez (melhor dizendo, o que ele deixou de fazer), foi um crime.

    é VERGONHOSO o Recife arrecadar quase 3 bilhões por ano e não fazer praticamente nenhuma obra que preste.

    O dinheiro da cidade tá virando pó!!!

    Recife tá sendo HUMILHADA por Fortaleza ultimamente… HUMILHADA!!!

  • A desonestidade intelectual está presente nesse texto. O economista tem o direiro de discordar do prefeito João da Costa, mas desconhecer a ação administrativa do mesmo é visão parcial da verdade factual. O processo politico e as condições politicas do prefeito é outra estória; Visito diariamente o blog, porém fico trsite com esse tipo de distorção; Ou o blog é mais um partido poliyico?

    • Bla bla bla bla bla…

  • Um comentário sobre a gestão: João da Costa inaugurou um novo estilo de governar ao dividir com a sua esposa, Marília Bezerra, o nono andar da PCR. Basta qualquer pessoa aqui ir à PCR e dirigir-se à sala que fica em frente à sala de reuniões do prefeito, antes ocupada pela Assessoria Especial, que comprovará. Antes ela ocupava uma sala na Secretaria de Comunicação. Recentemente transferiu a Assessoria Especial, fez uma reforma na sala, e é de lá que ela decide os rumos da cidade. Uma beleza, não?

  • A PCR falta pagar os músicos que tocaram no carnaval.

  • E se…

    Desde quando surgiu a notícia de que Maurício Rands seria alçado a condição de candidato das prévias a prefeito do Recife que a sucessão municipal deu uma embaralhada total.

    Gosto de analisar o governador Eduardo Campos porque o acho a figura política mais enigmática de Pernambuco, quiça do Brasil no momento político atual.

    Uma figura muito difícil de decifrá-la, mas as vezes a gente tenta pra saber onde vai dar.

    Se observarmos a entrada de Maurício Rands nas prévias com mais atenção, recapitularemos que o prefeito João da Costa não fez nenhuma objeção, sequer saiu atirando. O grupo independente de Armando Monteiro deu uma esfriada daquelas e perdeu o timing da sucessão.

    Posteriormente, em vez de ficar fazendo a campanha das prévias aqui no Recife, Maurício Rands decidiu viajar com o governador. Algo bem estranho para quem se coloca como pré-candidato a prefeito da capital.

    Será que tudo isso não passou de jogo de cena do governador? Que a candidatura Rands nunca existiu de verdade, e que aos 45 do segundo tempo ele anunciará a retirada e apoiará o prefeito João da Costa? Ou será que ele será candidato até as últimas consequências para o prefeito vencer e sair fortalecido das prévias?

    O fato é que era muito estranho o PT e a Frente Popular defenestrarem João da Costa da prefeitura do Recife, sabendo-se que ele tinha total legitimidade para disputar a reeleição.

    São perguntas ainda sem respostas…

    Situações momentaneamente indecifráveis, mas uma coisa não dá pra discordar: o governador não é menino, é político profissional, e com ou sem João da Costa, vai querer um prefeito do Recife parceiro e que não seja problemático nem tenha projetos conflitantes com os dele.

    http://edmarlyra.com/e-se/

    • Edmar,

      Ele não é enigmático coisa alguma. Isso é estratégia.

      Na verdade, Dudu está jogando o MESMO JOGO (copiando até) de AECIO NEVES. Outra “incognita” política.

      Minha opinião: Ambos sabem que podem ter o futuro do Brasil nas mãos e estão numa partida de xadrex política.

      Quem fizer a primeira jogada começa o jogo, ou a guerra.

    • Cara, a candidatura de Rands é pra valer. Espere e verá! Se ele vai ganhar é outra coisa. Caso fossem inventar uma coisa era só o prefeito adoecer dos rins e ponto!

  • Vou discordar do blogueiro quando chama de maluquice o fato do prefeito andar em um carro blindado. Meu caro, você já ouviu falar em Celso Daniel e Toninho? Eram dois prefeitos do PT que foram assassinados e que eram tão queridos dentro do PT quanto João da Costa. Ele deve ter seus motivos, seguro morreu de velho.

    • Erivaldo Melo, o detetive.

      Sabe mais do que a Policia de São Paulo. (e da oposição)

    • Não tinha pensado nessa hipótese mas conhecendo os antecedentes da turma talvez ele precise mesmo de um reforço na segurança.

  • Eu vou contar tudo sobre a briga e o rompimento do prefeito João da Costa com o seu criador João Paulo. Já ouvi cerca de 40 pessoas entre lideranças e sindicalistas do PT e posso assegurar que a verdadeira história – nunca contada pelos jornais – vai surpreender muita gente

    Estamos no LEITURACRITICA.COM e conto com a honrosa leitura de todos vocês. Faremos também post para o Acerto de Contas sobre a sucessão municipal.

    Ab a Pierre e a todos

    • Ricardo, estamos aguardando essa história…

      O povo do Recife tem o direito de saber o que realmente aconteceu entre os dois. Tudo muito nebuloso e mal contado.

  • JC X Rands = cortina de fumaça, jogo de cena para iludir eleitores com um falso antagonismo – como de resto, aliás, acontece há anos no Brasil, em toda a política partidária. Coloquemos as siglas todas num liquidificador (pt, psdb. pmdb, psol, pr, pcdob, ptb, pv, pdt etc etc), zuuuuuuuummmmmm: não precisa nem coar – vai sair um partido com propostas e práticas iguais às que estão aí no mercado. Simples assim. Engana-se quem quer e não tem algo mais útil pra fazer.

  • Recife é uma das capitais mais fudidas no Brasil e isso não muda nem tão cedo, independente do prefeito de plantão!!!!!!

    • INFELIZMENTE, concordo!

  • Estou com uma dúvida há quase 2 anos. Dúvida esta que está dando nó na minha cabeça e que infelizmente não consigo achar quem me responda:

    QUEM FOI PIOR PRA RECIFE, JC ou JPLS ???

    Não dá pra separar a criatura do criador. São 12 anos da mesma “gestão”.

    • João Paulo ainda foi muito pior.
      João Paulo é um produto de uma mídia pesada que fizeram em cima dele.

      É o Arraes de Recife… ou seja, um péssimo administrador que acabou sendo endeusado por passar uma imagem de “bonzinho e carismático”.

      Assim como Arraes acabou com Pernambuco nos seus dois mandatos, João Paulo acabou com Recife nos seus dois mandatos.

      João Paulo antes do segundo mandato dele, na campanha pra reeleição, prometeu um monte de obras.
      Não cumpriu nenhuma, e muitas delas ele nem chegou a começar, como a VIA MANGUE, CAPIBARIBE MELHOR e PRÓ-METRÓPOLE.

      Os principais gargalos da cidade, como o saneamento básico precário, a educação fraca e a falta de acesso aos pobres da cidade a empregos de qualidade não foram melhorados com ele.

      Um gestor lixo, que se fez em cima daquela obra de Brasília Teimosa com ajuda de Lula e com o fato de ter tirado as kombis das ruas e dar subsídio pra empresário de transportes do Grande Consórcio Metropolitano do Recife.

      Clientelista, arrogante, mentiroso, cínico, péssimo gestor, etc.

      • Caro Diogo,

        Arraes teve três mandatos (o primeiro deles, interrompido pelos milicos em 1964), e não apenas dois.

      • “É o Arraes de Recife… ou seja, um péssimo administrador que acabou sendo endeusado por passar uma imagem de “bonzinho e carismático”.”
        Essa frase resume perfeitamente o que foi JPLS

        • O povo adorava ver JP fantasiado de Mateus pulando no carnaval recifense.

      • Até que enfim, uma descrição minuciosa, precisa mesmo, sobre esse embuste, parábens!

        • * Daniel

      • Preciso Diogo.

  • João Paulo instaurou em Recife e a política municipal da mediocridade.

    O povo recifense votou nele em dois mandatos em nome de uma parceria com o governo federal que não trouxe praticamente nada de novo e revolucionário pra cidade.

    Depois dos 8 anos dele, hoje em dia, a política do Recife está nivelada por baixo.
    Com qualquer coisa, o povo se contenta.

    JPLS é o pai da mediocridade.

    É idêntico a MIGUEL ARRAES… idêntico.

    Quem votou em Arraes e vota hoje em João Paulo não sabe avaliar administração pública, vota por idealismo e por carisma nos discursos.

    • Diogo, desculpe-me discordar, mas não da pra comparar João Paulo com Miguel Arraes..

      JPLS e JC foram muito incompetentes. Não prepararam a cidade para o crescimento, nem resolveram os problemas crônicos pelo menos. Isso com um crescimento recorde de arrecadação. A prefeitura nunca teve tanto dinheiro,

      MAAAAAS…

      Arraes ASSASSINOU pernambuco.. foi pelo menos 10x pior. É outra liga. Outro “nível”.

      • Rapaz, é verdade.

        Arraes foi foda mesmo…
        E o pior que ficam fazendo várias homenagens ao véio por aí…
        É cheio de coisa com o nome dele…

        Arraes se tivesse mais um mandato, naquela que ele apanhou pra Jarbas com apoio do PFL, ele ía transformar Pernambuco num Maranhão.

      • A turma faz homenagem a Arraes pra babar Dudu, é claro.

        Se Dudu não tivesse o destaque político que tem, ninguém nem sabia mais quem era Arraes.

        Homenagem a político morto nesse país é sempre pra babar algum parente vivo.

        Não pensem que o povo gosta de Arraes. É tudo babação de ovo.

        TUDO em política é aparência.

  • Quero ver alguém discordar de mim:

    JOÃO É JOÃO. Nunca esqueçam.

    JOÃO É JOÃO. Nunca esqueçam.

    JOÃO É JOÃO. Nunca esqueçam.

    JOÃO É JOÃO. Nunca esqueçam.

    JOÃO É JOÃO. Nunca esqueçam.

    JOÃO É JOÃO. Nunca esqueçam.

    JOÃO É JOÃO. Nunca esqueçam.

    JOÃO É JOÃO. Nunca esqueçam.

    • E vice-versa.

  • Sem exagero também, né? A Via Mangue finalmente tá saindo do Papel é obra da gestã João da Costa. E diverso habitacionais foram entregues, como Via Mangue 1 e 2. Também alguma boas policlínicas, como a nova de Água fria. Vamos criticar, mas não é´possível que não consigam ver nada de bom.

    • Martins, eu sei que você é filiado ao PT, mas vamos lá…

      Qual é o exagero em dizer que Recife tem um dos piores trânsitos entre as capitais do Brasil???
      Qual é o exagero em dizer que os postos de saúde municipais estão abandonados e sem remédios???
      Qual é o exagero em dizer que a educação do Recife é pífia, com notas do IDEB similares a nota estadual (sendo Recife uma cidade mais rica que as outras, podendo gastar mais em educação)???
      Qual é o exagero em dizer que de 2000 pra cá, a rede de tratamento de esgoto diminuiu percentualmente???
      Qual é o exagero em dizer que Fortaleza tem o dobro de leitos hoteleiros em relação a Recife???
      Qual é o exagero em dizer que a prefeitura gasta milhões e milhões na secretaria de cultura (pra desviar dinheiro e dar pão e circo ao povo) e gasta míseros 310 mil reais com ciência e tecnologia???
      Qual é o exagero em dizer que a cidade não tem infra-estrutura pra internet e telecomunicações???
      Qual é o exagero em dizer que a favelização está aumentando na cidade, como os barracos perto do viaduto Capitão Temudo e os barracos do túnel por trás do Shopping Recife???
      Qual é o exagero em dizer que as cidade tem a pior drenagem do Brasil???

  • OPS! Tem algum fake se fazendo passar pelo “martins” verdadeiro.

  • Carros e Camarote …! Quanto conteúdo crítico! Belo ensaio político, merecedor do Prêmio Politzer pela sua profunda excelência de análise e jornalismo. Bravo!

    • Por muito menos, em um país sério, o político cairia.

      Já teve até parlamentar na europa que renunciou por usar verba pública para comprar ração para cachorro!!!

      Num país avacalhado como o nosso, ninguém veria problema nisso.

      Mas num país mais organizado, a banda toca noutro ritmo.

      É tudo uma questão de grau de seriedade com o qual a política é tratada. Esse grau no Brasil é próximo de zero.

      Pra mim, é o seguinte: mexeu de forma errada com dinheiro público? Rua!!!!! Pouco importa se foram 10 centavos ou 10 milhões. É rua do mesmo jeito. Lei é lei. Ou a coisa é séria ou não é. O problema é que estamos no Brasil, o país onde tudo é normal e tudo é relativizado. O resultado são os demóstenes, delúbios e cachoeiras da vida.

      • Meu caro, nosso PAÍS é uma grande NAÇÃO que é séria. Este discurso que deita raiz no conceito antropólógico neocolonialista de que somos um país de formação étnica corronpida não tem sustentação.
        A destinação de verba pública para garantia e segurança dos poderes do Estado não se pode confundir com despesas privadas como foi exemplificado: compra de ração para animal de um parlamentar. Veículos blindados, seguranças, informação e tantas coisa que nem sei, é garantia de Estado e dos Poderes. Quanto ao cerimonial, qualquer Estado por mais espartano que seja, sempre faz a corte. Ou não?

        • Tudo bem, francamente, não acho nem um pouco sensato se gastar R$ 2 milhões por ano com carros blindados e R$ 1 milhão com camarote vip para convidados no carnaval (de acordo com os dados fornecidos nos posts do AC), por mais que se alegue que isso é importante mas não consigo ver razão nesses gastos.

          Talvez em outro país (com oposição de verdade, já que oposição praticamente não existe no Brasil) esses gastos seriam totalmente contestados por órgão públicos de fiscalização (que esses aqui no Brasil também são um pouco, digamos, transigentes demais).

          Enfim, acho válidos os questionamentos de Pierre e acho que isso é a essência da chamada accountability (prestação de contas). Se o dinheiro é público e retirado de impostos pagos pela população acho totalmente válidas quaisquer contestações a respeito. Não acredito que o gestor possa aplicar as verbas onde bem entender sem se preocupar com a importância dos gastos efetuados.

          Acho que o tão celebrado princípio da trânsparência não deve se resumir apenas à publicação dos gastos, mas à justificação da utilidade e importância dos mesmos. Ainda mais num país onde os recursos são escassos e onde há a “tradição” de aplicação indevida e inapropriada de verbas públicas.

          Em síntese: temos mais é que ficar de olhos abertos mesmo. E acho que é isso que o blog vem tentando fazer.

  • É porque vocês não analisaram direitinho a administração João Paulo. Este sim, foi o pior de todos.

    • Também acho que João Paulo foi muito pior.

      Bixo, a questão é a seguinte, João Paulo conseguiu ganhar a máquina, não irritava os funcionários da PCR…
      não brigou com ninguém do seu partido (feito João da Costa).

      Andava no meio do povo, acenava pra todo mundo, passava uma imagem de bonzinho, pobrezinho, que ajudava os mais necessitados.

      Se parar pra analisar ADMINISTRAÇÃO, GESTÃO, que é uma coisa que o eleitor recifense não faz, ele foi pior que João da Costa.

      O segundo mandato de João Paulo ele não fez absolutamente NADA e entregou a cidade sem infra-estrutura nenhuma pro seu sucessor.

      João Costa pegou esqueletos de João Paulo (obras prometidas que nem haviam começado)…
      Pegou a chuva, pegou a migração em massa pra cidade por causa de Suape, não estava preparado pra isso e se lascou.

      João Paulo foi pior que ele, sem nenhuma dúvida.

      Agora não se pode esquecer a ruindade de João da Costa… que é MUITO, mas MUITO fraco também.

  • Pra quem tiver estômago de aço:

    Do Globo.com: “Em PE, suspeitos de mortes vendiam salgados de carne humana”.

    http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2012/04/em-pe-suspeitos-de-mortes-vendiam-salgados-de-carne-humana-diz-policia.html

    A coisa é sinistra!!!

  • Se Recife está sem gestão há 3 anos, o que falar de Olinda, que está abandonada à própria sorte desde o século passado ???!!!

  • Lendo o post e seus comentários não admira que Recife seja a cidade que é. As pessoas não conseguem fazer análises mais ponderadas sobre a gestão de uma cidade, ainda que se achem mais “bem informadas” do que a massa.

    Nenhuma gestão não faz nada, pois essa atitude por si só já indica um posicionamento perante a cidade. Ora, se JC foi sucessor de JP, como não perguntar ao Prefeito se ele já não sabia das dificuldades de administrar Recife, se ele já estava fazendo isso há 8 anos com JP? Tem muita coisa a ser questionada na gestão; ignorar JC como alguém que não fez nada é de bobagem, pois ele pode muito bem ser reeleito pela falta desses questionamentos.

    Tem um comentário aqui que diz: “Depois dos 8 anos dele (JP), hoje em dia, a política do Recife está nivelada por baixo.Com qualquer coisa, o povo se contenta.” Quer dizer que antes de JP, a política de Recife era de alto nível? Que o recifense era um povo muito exigente que não se contentava com pouca coisa? Então JP deve ter poderes paranormais para conseguir um feito desses! Isso é risível. Talvez o comentarista estivesse se referindo ao fato de que nos governos petistas a massa também tem vez, e nem sempre o povo sabe o que fazer quando tem o poder nas mãos. Ou então o comentarista também foi atingido com o “nivelamento por baixo” da política e só consegue escrever uma bobagem dessas.

    Sinceramente, já devíamos ter passado da fase de demonizar os políticos ou gestores de plantão. Isso cabia quando grande parcela da sociedade era alijada das esferas de poder. Felizmente isso não acontece mais hoje; mas precisamos avançar e muito nos mecanismos de qualificação desse acesso ao poder. Tá na hora de mudarmos os discursos e pensarmos como viver nas cidades e como governá-las no interesse comum. Aliás, às vezes penso que esse é o nosso grande entrave: ainda não fomos capazes de formular nossos interesses comuns, a briga ainda está entre os interesses de uma elite incompetente e aproveitadora e de um povo deseducado e ignorante. Por isso só conseguimos produzir políticos do quilate de JC, Priscila Krause, Jungmann, etc…

    A democracia é um verdadeiro exercício de paciência.

    • Antes de JPLS, a política no Recife era de nível bem mais alto, com certeza.
      Mil vezes Jarbas Vasconcelos e Joaquim Francisco do que essas desgraças do PT…
      O único que eu achei fraquinho, da oposição, foi Roberto Magalhães.

      Joaquim Francisco com o Brasil em crise fez um monte de obras na cidade, Parque da Jaqueira, Viaduto Capitão Temudo, Teimosinho (projeto habitacional em Brasília Teimosa)…

      Asfaltou o bairro do Pina inteiro.

      Essas BOSTAS desses petistas pegando o Brasil crescendo, arrecadação subindo a cada ano, e não conseguem fazer nada que preste.

      Cara Arthemísia, seu post é prolixo, metido a politicamente correto, imbecil, vergonhoso, idiota, careta e ainda usa de argumentos totalmente ultrapassados.

      Chamando todo mundo que se opõe a essa DESGRAÇA que é o PT de “elite aproveitadora”.

      Faça o seguinte, tente comparar o patrimônio de Maurício Rands com o patrimônio dos “capetas da direita”, como Joaquim Francisco, Gustavo Krause e Roberto Magalhães.

      • Teimosinho foi de Gustavo Krauze (prefeito) e Marco Maciel (governador).

      • Ficou nervoso? Vai dar uma de Roberto Magalhães e sair na bala? Sua argumentação é de altíssimo nível. Parabéns!

    • Antes de JPLS, a política no Recife era de nível bem mais alto, com certeza.
      Mil vezes Jarbas Vasconcelos e Joaquim Francisco do que essas desgraças do PT…
      O único que eu achei fraquinho, da oposição, foi Roberto Magalhães.

      Joaquim Francisco com o Brasil em crise fez um monte de obras na cidade, Parque da Jaqueira, Viaduto Capitão Temudo, Teimosinho (projeto habitacional em Brasília Teimosa)…

      Asfaltou o bairro do Pina inteiro.

      Essas BOSTAS desses petistas pegando o Brasil crescendo, arrecadação subindo a cada ano, e não conseguem fazer nada que preste.

      Cara Arthemísia, seu post é prolixo, metido a politicamente correto, imbecil, vergonhoso, idiota, careta e ainda usa de argumentos totalmente ultrapassados.

      Chamando todo mundo que se opõe a essa DESGRAÇA que é o PT de “elite aproveitadora”.

      Faça o seguinte, tente comparar o patrimônio de Maurício Rands com o patrimônio dos “capetas da direita”, como Joaquim Francisco, Gustavo Krause e Roberto Magalhães.

      Aí você vai ver quem é a “elite aproveitadora”.

      • Arthemisia foi cirúrgica e precisa.

      • Diogo, não entendi essa ligação que você fez entre Joaquim Francisco e o viaduto Capitão Temudo. Com certeza em 1980 esse viaduto já estava concluído, e encontrei algumas referências a ele durante a gestão de Antonio Farias (1975 a 1979). Também me lembro que durante a gestão de Krause (1979 a 1982) funcionava ali no “complexo” Joana Bezerra um estacionamento servido por ônibus para desafogar o trânsito no centro da cidade (tenho que dá o crédito da visão, mas não da boa operacionalização, a Krause por isso).

        Joaquim Francisco só veio a ser prefeito em 1983, quando tudo aquilo ali já estava pronto.

        Lembro que todos esses citados foram prefeitos biônicos, colocados no poder pelos militares de plantão, já que nas capitais e cidades de interesse nacional (como Paulo Afonso-BA) não havia eleições para prefeitos. Realmente, política de altíssimo nível. Tão alto que o povo era alijado dela.

        Ah, e também não dá para se esquecer da patética cena de Joaquim Francisco nadando no mar em Boa Viagem, para “provar” que não havia problema de cólera no mar de Recife.

        Muita gente anti-PT acusa, com uma pingo muito pequeno de razão – mas com alguma razão, de que o PT tenta dizer que antes dele assumir o poder não havia nada e que tudo surgiu depois dele. Por outro lado, tem gente como você que faz o inverso, pinta como se o Brasil da década perdida e da hiperinflação não tivesse existido e fôssemos uma verdadeira Finlândia tropical até a ascenção do PT ao poder. Menos, muito menos, né? O Brasil era um lixo e hoje em dia ainda é muito ruim, mas melhorou bastante, apesar de tudo.

        • Eu acho que Joaquim fez o Tancredo Neves.

        • Isso mesmo…. Viaduto Tancredo Neves, 1985.

  • os motivos da briga? dinheiro e mulher. dinheiro das empreiteiras e do lixo (q joao I achava q era dele) e mulher : a tal da ligia x marilia (ambas se achavam prima-dona da pcr . nao sei por que rs rs ).

  • Desculpem, o viaduto construído por Joaquim era o TANCREDO NEVES!!!Coloquei o Capitão Temudo nas pressas!!!

    Caro Márcio Cabral de Moura, a política do Recife antes do PT não era nenhuma maravilha.
    Na minha opinião, do século XX pra cá, Recife não teve um prefeito a altura da cidade.

    Não acho que Joaquim e Jarbas tenham sido as mil maravilhas não.
    Mas analise a conjuntura política e econômica deles antigamente e analise a de hoje.

    Hoje o Brasil é uma economia madura, 6ª maior PIB do mundo, melhorou a distribuição de renda, melhorou o acesso a eletrodomésticos pra populações de baixa renda…

    Quanto mais a União arrecada, mais a prefeitura do Recife ganha dinheiro com o fundo de participação dos municípios.

    Fora que o crescimento imobiliário assustador da cidade aumenta o recolhimento do IPTU e do ITBI (esse último com a especulação).

    Agora seja sincero, TUDO, eu disse TUDO que a cidade mais precisa, você viu os prefeitos petistas fazendo???

    pra mim, as prioridades do Recife são:

    1 – Saneamento Básico (político que não melhorar isso, não tem moral pra falar de saúde e meio-ambiente).
    2 – Educação de qualidade (a cidade só teve isso nos bons tempos do Ginásio Pernambucano, quando nem minha bisavó era nascida)
    3 – Urbanismo de qualidade
    4 – Desenvolvimento econômico (salários mais altos, população menos desocupada, empregos de melhor qualidade, alto valor agregado e alto percentual de indústria criativa).

    Você vê o PT pelo menos tentando melhorar essas coisas???

    • Diogo,

      Concordo que não vi nenhum prefeito bom em Recife. Para mim, as melhores (ou menos piores) gestões que eu acompanhei foram a primeira de Jarbas e a primeira de João Paulo. Mas é difícil fazer uma comparação direta. Talvez Krause tenha tido algum mérito, mas além de ser criança na época, é preciso ver outros contextos.

      Não concordo quando você diz que o Brasil é hoje uma ecomomia madura. É o 6º maior PIB e já foi 8º, antes de cair para 10º e começar a avançar. Mas ainda é uma economia pouco industrializada, de baixos salários e muitas desigualdades. Nós até temos muitas indústrias, mas pouco desenvolvimento e pouca inovação. A nossa indústria automobilística, por exemplo, é basicamente de montagem, não de desenvolvimento.

      Com relação ao FPM, seria necessária uma análise mais aprofundada, já que a sua distribuição é por população e a do Recife não tem crescido muito. Não descarto que Recife hoje ganhe mais que há 20 anos, por exemplo, mas também não afirmaria de forma tão categórica, não.

      O IPTU não aumentou tanto, porque os valores não foram corrigidos pela valorização imobiliária. A arrecadação de ITBI realmente deve ter aumentado bastante, mas também não sei os números precisos.

      Não quero dizer com isso que Recife não está muito melhor de finanças do que estava há 20 anos, mas, é algo baseado no achismo, por enquanto, o que não chega a ser um argumento realmente qualificado.

      Com relação às suas 4 perguntas, antes eu perguntaria o inverso: alguém fez? O PMDB? O então PFL? Que eu saiba, não. Então, mesmo que se responda negativamente a essas 4 questões com relação ao PT, me parece que só demonstraria que ele é tão ruim quanto os demais que o antecederam.

      No entanto, com relação a pergunta 1 (saneamento), eu vi, sim, o PT tentando melhorar isso e aumentando a rede de esgoto sanitário da cidade, ao contrário de seus antecessores. Procure um pouco mais, que você vai ver que recentemente foi investido dinheiro nisso, mas também é preciso ressaltar que o assunto ficou muito mais em moda (principalmente por pressão do governo federal) e que apesar de a Prefeitura ter feito algo a respeito, a grande responsabilidade é do governo do Estado.

      Com relação à pergunta 2 (educação), você tem razão quando diz que é um lixo há muito tempo. Você não tem razão quando cita o Ginásio Pernambucano de outrora. O Ginásio Pernambucano de outrora era bom, mas era só ele. Não havia universalização da educação. Hoje existem escolas públicas boas, inclusive a melhor de Recife (segundo o ENEN) é pública: a Escola de Aplicação (do governo federal), mas fica como uma espécie de Ginásio Pernambucano de antigamente. Atinge a poucas pessoas.

      Urbanismo de qualidade, acho que a última vez que o Recife teve isso foi por volta de 1638.

      Desenvolvimento econômico. Esta é uma questão mais complicada de se analisar, até porque o Brasil pulou da 10ª para a 6ª economia mundial no governo (federal) do PT. O que significa(ria) que o PT foi ótimo no desenvolvimento econômico. No âmbito local, eu realmente não sei como avaliar a responsabilidade do prefeito nesta questão.

      Enfim, existem várias razões para se votar num ou noutro candidato, mas tentar demonizar um partido é apenas um instrumento (vazio) de retórica. Eu não acho que João da Costa tenha sido um bom prefeito, mas não acompanho de perto todos os aspectos de nossa cidade, pafa afirmar que ele realmente tenha sido um péssimo prefeito. Sem dúvida alguma, ele é mal articulado e arrogante, além de ter contrariado muito interesse interno do partido.

      • Prezado Márcio Cabral,

        Esta sua afirmativa merece reparo “O IPTU não aumentou tanto, porque os valores não foram corrigidos pela valorização imobiliária.”
        A Base de Cálculo do IPTU é o valor venal, não o valor de mercado da unidade imobiliária. O Valor venal é calculado segundo a fórmula matemática estatuída no art. 24 da Lei n.º 15.563/1991 (Código Tributário do Município do Recife).
        Para analisar o crescimento da arrecadação do IPTU é necessário verificar, basicamente, uma variável: o aumento da base tributável do IPTU, decorrente do número de novas edificações que foram erguidas no Recife ao longo dos anos. E não se prender apenas a correção do valor do IPTU.
        Além disso, não se pode perder de vista que os parâmetros que entram no cálculo do valor venal sofrem correção monetária, que muitas vezes suplanta os reajustes da renda local.

        Veja isto: A Unidade Financeira do Recife – UFR, foi extinta pela Lei nº 16.108/95 de 27/10/1995, que adotou a UFIR – Unidade Fiscal de Referência, como unidade de conta do Município do Recife.

        A Lei 16.607 de 7/12/2000 determinou a conversão em reais (R$) de todos os valores expressos em UFIR mediante a multiplicação pelo fator 1,0641, e que, a partir do ano de 2001, a atualização monetária dos valores expressos em moeda na legislação municipal seria feita anualmente com base na variação acumulada do Índice de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA, medido pelo IBGE no período de novembro do ano anterior a outubro do ano em curso, com aplicação a partir de janeiro do ano subseqüente.

        • Caro Pedro Nunes,

          Não vi em que a minha frase merecia um reparo. Você apenas esclareceu como é calculado o valor do IPTU, mostrando o porquê de não ter aumentado na proporcionalidade do aumento do valor de mercado dos imóveis. Como o IPTU não é calculado com base no valor de mercado (ainda que devesse ser), não teve o estouro de arrecadação que Diogo afirmou.

        • Prezado Márcio Cabral,

          Já que não identifica ou não quer identificar o seu engano que merece reparo, vejamos.

          Observe todo o período de sua argumentação: “Com relação ao FPM, seria necessária uma análise mais aprofundada, já que a sua distribuição é por população e a do Recife não tem crescido muito. Não descarto que Recife hoje ganhe mais que há 20 anos, por exemplo, mas também não afirmaria de forma tão categórica, não.
          O IPTU não aumentou tanto, porque os valores não foram corrigidos pela valorização imobiliária. A arrecadação de ITBI realmente deve ter aumentado bastante, mas também não sei os números precisos.”

          Quando você se refere a aumento de IPTU está falando em sua arrecadação, assim como o fez relativamente ao FPM e ao ITBI. Apenas valeu-se de uma expressão algo dúbia:”O IPTU não aumentou tanto.” Podendo tanto argumentar, conforme a conveniência do momento, que estava tratando de aumento do valor cobrado de cada imóvel ou da arrecadação municipal com o crédito tributário do IPTU. Todavia, a análise sistemática do seu texto demonstrar que está a tratar de arrecadação tributária do Município com o IPTU.
          Você associou aumento de arrecadação do IPTU com o aumento de sua base de cálculo (que pode ou não gerar incremento de receita tributária. Imposto maior, inadimplência também maior. Nem se fale em execução fiscal, pois elas simplesmente não andam, ficam para as calendas gregas. Estamos no campo de reflexão do recolhimento espontâneo).
          Apenas demonstro este engano: o fato de o IPTU não subir nem ter por base de cálculo o valor de mercado do imóvel não serve para inferir se sua arrecadação cresceu mais ou menos, visto que o aumento da massa tributável de unidades imobiliárias (construção de novas unidades imobiliárias, aumento de áreas construídas, infraestrutura de serviços públicos existentes no logradouro etc.) pode alavancar a arrecadação muito mais do que simplesmente o aumento da sua base de cálculo, elevação de tributo, de regra, gera inadimplência ou sonegação.
          Se ainda assim sua autocrítica não atuar, embora não tencionasse adentrar nesse aspecto, pois sua influência na base de cálculo do IPTU é mediata, destaque-se que o valor de mercado da unidade imobiliária não é de todo indiferente na determinação do IPTU que lhe grava, vale dizer, é um dos parâmetros que compõem o cálculo do IPTU devido pelo proprietário, titular do domínio útil ou possuidor ad usucapionem (embora não se possa confundir valor de mercado com base de cálculo do IPTU. Contudo, serve para demonstrar que o valor venal capta de certa forma o que está acontecendo no mercado imobiliário. Ainda aqui sua observação merece reparo, pois o aumento dos valores dos imóveis influencia, sim, o respectivo valor venal, apenas com este não se confunde). Além disso o valor do IPTU resulta da cópula entre valor venal e alíquota. Vou sabe como foi a variação de alíquotas no período de sua análise? É preciso conjugá-la com a ampliação da base tributável do IPTU= número de unidades imobiliárias para se ter um ideia, não achismo, da evolução da ARRECADAÇÂO desse imposto).
          Transcreve-se o art. 25 da Lei n.º 15.563/1991 (Código Tributário do Município do Recife):

          Art. 25. Os valores unitários de terreno estabelecidos na Planta Genérica de valores, serão definidos em função dos seguintes elementos, considerados em conjunto ou separadamente:
          I – preços correntes das transações e das ofertas praticadas no mercado imobiliário;
          II – características da região em que se situa o imóvel:
          a) da infra-estrutura dos serviços públicos existentes no logradouro;
          b) dos pólos turísticos, econômicos, e de lazer que exerçam influência no funcionamento do mercado imobiliário;
          c) das características físicas de topografia, pedologia e acessibilidade dos terrenos;
          III – a política de ocupação do espaço urbano definido através da Lei do Plano Diretor e da Lei do Uso e Ocupação do Solo.

        • Pedro Nunes, para um carioca da gema que não sabe se locomover direito no Rio (vide seu comentário das16h43 do dia 16/04, neste mesmo post), você é um verdadeiro especialista em tibutação imobiliária e evolução demográfica do Recife, hein?

          O que eu afirmei é que não dá para dizer que a arrecadação tributária do Recife aumentou demais sem uma análise detalhada e não em chutômetros como o de Diogo, baseado em “Fora que o crescimento imobiliário assustador da cidade aumenta o recolhimento do IPTU e do ITBI (esse último com a especulação)”.

          Se você mora no Rio, pode ser que ache que houve um grande aumento do número de unidades habitacionais em Recife, o que seria perdoável, mas não houve. O que houve em Recife, principalmente nos últimos dois ou três anos foi um aumento quase exponencial nos preços dos imóveis.

          E o que eu afirmei sobre o IPTU, foi, ainda que de forma superficial, o mesmo que você: que o valor arrecadado dele não evoluiu na mesma proporção do valor dos imóveis.

          Se esta difícil de entender, deixa para lá, que isso é irrelevante.

          Aliás, para ser preciso, como você tem querido ser, valor venal e valor de mercado da unidade é a mesma coisa. Pois venal é relativo a venda. Ou seja, sua explicação da diferença entre valor venal e valor de mercado da unidade imobiliária é sem sentido. O fato é que o IPTU não acompanhou o valor venal ou praticado pelo mercado, de forma que não há necessariamente um aumento de arrecadação com o boom imobiliário que está acontecendo em Recife.

          Por outro lado, eu não disse que a arrecadação de Recife não aumentou muito nos últimos anos. Só disse que é preciso averiguar isso, em vez de ficar chutando qualquer coisa.

        • Márcio Moura,

          Sou carioca da gema, sim, mas resido no Recife há muito tempo. Não sei me locomover no RJ? Será que o seu autoegano e a prepotência que suas palavras destilam levam-no a crer que sabe andar no RJ melhor do que alguém que lá nasceu e viveu a maior parte da vida?
          Curioso que, retoricamente, para tentar desqualificar minhas colocações sobre o IPTU, traz essa questão do trajeto mais sensato entre Copacabana e o Aeroporto. Por que não o fez antes, visto que o post respectivo data de 16/04?
          Meu amigo, apesar de algumas deficiências, vá ao Google Maps e digite, apenas para teste, Rua da Lapa (meu local). Selecione a opção Centro, pois há ruas com idêntico nome em Rio das Ostras, Nova Friburgo etc. Em destino, Aeroporto do Galeão e verá que os três itinerários mostrados passarão em parte pelo Aterro do Flamengo, depois Av. Perimentral e Linha Vermelha. Se não ficar satisfeito utilize como chave de busca os dois corredores de Copacabana no campo meu local (Av. Nossa Senhora de Copacabana ou Av. Barata Ribeiro) e concluíra que foi empulhado pelo taxista, que ganhou uma graninha extra de um “grande conhecedor do RJ”. Ele não pediu seu telefone, não, para, da próxima vez, novamente transportá-lo? Afinal, não é todo dia que se consegue um cliente desse!
          Astuto argumentador, para ir de Copacabana pela Lagoa, passou por Ipanema, Leblon, depois pegou a Lagoa e tome-lhe chão até à Lapa…É um bom trajeto para quem deseja conhecer bairros nobres do Rio de Janeiro, não, porém, para alguém que está com hora marcada para embarcar num voo de avião!
          O quanto se expôs serve para bem demonstrar a sua argúcia! Quer rivalizar posições e sequer uma pesquisa no Google faz! Tenciona apenas com palavras mal ajambradas de descortesia vencer o debate (com essse estratagema, fez-me recordar deste livro: SCHOPENHAUER, Arthur. Como Vencer um Debate sem Precisar ter Razão. Rio de Janeiro : Topbooks. 2003.)
          Márcio, quando adolescente, trabalhei em Ipanema e fiz esse percurso um sem-número de vezes! De modo, que não dá para você, não! Procure outra forma de desqualificação, pois somente assim você sabe debater, em vez, de enfocar apenas o campo das ideias.
          Fazer uma relação direita, tipo causa e efeito, entre evolução demográfica com aumento na propriedade, domínio útil ou posse ad usucapionem de imóveis, que são fatos geradores do IPTU, é uma enormidade! Na sua acanhada visão de mundo, não há sem-tetos. Todo o crescimento populacional foi contemplado com uma unidade imobiliária tributável (faço outro alerta para você que deseja falar do que desconhece: ainda que todo o incremento populacional tornasse-se proprietário de imóvel, não daria para correlacionar essa variável de maneira mecanicista com a arrecadação do IPTU, simplesmente por que há imóveis – sobretudo populares – que são isentos de IPTU).
          Você é um repositório infinito de contradições e pensamentos desconexos. Vejamos suas afirmações:
          “E o que eu afirmei sobre o IPTU, foi, ainda que de forma superficial, o mesmo que você: que o valor arrecadado dele não evoluiu na mesma proporção do valor dos imóveis.” Em quais dados empíricos foi baseou-se? No achismo ou no senso-comum? Parece que nos dois, com uma funesta associação, que somente pode redundar em teratologia! Profundidade epidérmica a sua! Ainda aponta os outros com “dedo sujo”, pois diz ter laborado de forma superficial, mas toda sua argumentação gira em torno da forma sem maior meditações como Diogo, em 14/04/2012, desenvolveu o seu texto.
          Você mesmo reconhece que foi superficial e nisso está pleno de razão. Foi superficial e demonstrou, às escâncaras, que desconhece a dinâmica da tributação do IPTU. Nisso, está pleno de razão e, aqui, faz um espécie de contrição por sua defecção!
          Outra “pérola” sua: “Aliás, para ser preciso, como você tem querido ser, valor venal e valor de mercado da unidade é a mesma coisa. Pois venal é relativo a venda.”
          Certamente, recorreu ao léxico para identificar que “venal” é adjetivo de dois gêneros e significa “relativo a venda”. Então, puerilmente, concluiu que valor venal e valor de mercado são conceitos idênticos. Ledo engano! O valor venal é definido no nível do direito positivo e é calculado segundo a fórmula matemática estabelecida no art. 24 da Lei n.º 15.563/1991 (Código Tributário do Município do Recife – CTMR), a qual, numa simples perpassar d’olhos, mostra que nada tem a ver com valor de mercado (embora, em razão da planta genérica de valores tente captar de forma muito distante as variações do mercado imobiliário). O CTMR está disponível no Portal da Prefeitura do Recife. Dê uma estudada, para depois discutir com propriedade. Uma afirmação dessa para quem se pretende um pensador é, no mínimo, constrangedora.
          Se estiver sem tempo ou disposição para ler os dispositivos do CTMR, veja o Documento Imobiliário Municipal -DIM do seu imóvel, é a segunda página após a capa do carnê do IPTU, nele, está explicitado o cálculo do IPTU (observará os vários parâmetros do seu imóvel que entram no cálculo do IPTU), identifique o valor venal do seu imóvel constante do DIM e compare com o respectivo valor de mercado! Qualquer pessoa alfabetizada chegará a uma e somente uma conclusão: os valores são diferentes. O valor venal é inferior ao valor de mercado da unidade imobiliária.

          Márcio, não posso dizer que foi uma satisfação debater com você, pois vejo que não foi fiel a meus argumentos, tentando distorcê-los, ainda assim agradeço a sua atenção e desejo-lhe sinceramente saúde e paz!. Apenas não espere que responda a uma outra eventual contradita sua, visto que sua argumentação, sobre ser desconexa, é descortês e não prima pela humildade de reconhecer um erro ou engano, partindo para caminhos que não desejo percorrer.
          Estou errado? Por que perder seu tempo comigo? Fique com sua opinião e sinta-se o grande vencedor do debate e um fenomenal pensador! Fique com Deus!

        • Pedro Nunes,

          Eu respondi a sua colocação sobre o trajeto tão logo a li. Apenas a rebati por entender que o seu comentário,nada pueril, tinha a intenção de me desqualificar. Com relação aos demais comentários seus, fique com sua opinião, que eu fico com a minha, mas eu continuo achando que não me enganei em momento algum. Se você não tivesse tentado afirmar que eu estava errado, as suas colocações sobre o cálculo do valor do IPTU seriam, no meu entendimento, até um acréscimo, desnecessário, mas não inválido, ao que eu estava falando.

          Com relação à Lapa, não sei que obsessão é essa. Em momento algum eu falei que passei pela Lapa ou que tinha estado na Lapa. Aliás, a primeira vez que eu escrevi a palavra Lapa nesses comentários foi agora.
          Talvez tenhamos uma dificuldade abissal de entendimento entre um e outro, mas o que eu acho é que você é que distorceu o que eu falei e ficou insinuando que eu estava falando abobrinhas – de uma forma, inicialmente, até inteligente, mas depois sem tanto nível.

          No mais, há de se perguntar de onde você retirou do que eu falei que toda habitação é tributável ou que no meu mundo não há sem-tetos e moradores de habitações populares. Desconexo é o seu discurso. Faça uma auto-crítica e leia tudo o que eu escrevi e o que você escreveu.

          Se não pretende mais me retrucar, ótimo, pois a sua linha de raciocínio é uma estada sinuosa de curvas fechadas. Se quiser continuar a disparar absurdos e ilações inexistentes, fique à vontade, pois esse é um espaço aberto Talvez eu continue a alimentar os trolls, talvez eu não responda, talvez eu não venha sequer a saber o que você escreveu.

          De qualquer forma, isso não é uma batalha ou julgamento para haver vencedores.

  • Dilma de louça – Agora, danou-se. O burgomestre deu pra se comparar a uma mulher. Já ouvi ele falar nisso duas vezes: “sou igualzinho à presidente da República”. Isso deve ser sugestão de alguém dado à arte do travestismo. Ou então o rapaz resolveu sair do armário. É a pequenina Dilma.

  • Vou voltar a falar sobre um assunto que me tira do sério:

    De quem é a responsabilidade por investigar O TIPO DA TINTA que a Prefeitura do Recife está usando para fazer a SINALIZAÇÃO HORIZONTAL das ruas da cidade? Alguém está lesando os cofres públicos! A tinta não REFLETE a noite e de dia é rala!

    É um CRIME.

    A ESTRADA DO ARRAIL acabou de ser pintada e a tinta já ESMAECEU! E o que é pior: no trecho que ela é mão dupla, é difícil distinguir FAIXA BRANCA ou AMARELA. Coitado de quem não for acostumado a trafegar por alí…

    Juntem a isto a falta de FISCALIZAÇÃO de qualquer natureza nesta cidade o que resulta em:

    Bicicletas na contramão e sem qualquer luz para trafegar a noite nas pistas pretas de fórmula 1 que são as ruas do Recife;
    Bicicletas andando fora da pista própria (como na Avenida do Forte!);
    Pedestres andando no meio da rua feito sapo;
    Motoqueiros pilotando como moscas (já prestaram atenção como voam as moscas?);
    Animais abandonados à própria sorte pelas ruas;
    Animais de tração magros, feridos, doentes, cheios de carrapatos e carregando carga dez vezes maior que o seu peso em qualquer via;
    Caminhões carregando e descarregando a qualquer hora do dia;
    Caminhões de lixo fazendo coleta na hora do rush;
    Carros fazendo filas duplas na porta das escolas (o Damas é o campeão);
    Motoristas fazendo fila tripla para fazer conversão em sinais de três tempos;
    Ônibus fazendo parada em várias faixas da avenida para passar na frente do outro;
    Barracas, carrocinhas e papa-metralha ‘estacionados’ em baixo de placas ‘proibido estacionar’ ou ‘proibido estacionar e parar’;
    Faixa de pedestre de um lado da rua e botão de acionamento do outro lado;
    Veículos fechando o cruzamento inviabilizando o fluxo em qualquer sentido;
    Ruas sem espaço para calçadas;
    Calçadas inexistentes, porque só buraco;
    Construções descontroladas,
    E MAIS, MUITO MAIS.

    Entendo tudo isto como:
    FALTA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
    FALTA DE VISÃO ADMINISTRATIVA

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação às punições de corruptos...

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia


  • “O homem de bem é um cadáver mal informado. Não sabe que morreu.”
    Nelson Rodrigues.

ARQUIVO

outubro 2014
S T Q Q S S D
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).