Sergio Guerra: a trajetória de um parasita facultativo

ago 3, 2010 by     102 Comentários    Postado em: Política

Muito tem se falado nas traições de Sergio Guerra, que os mais amigos (do Senador, é claro) gostam de conceituar como “pragmatismo”, mas que tem deixado os jarbistas enlouquecidos. Estes não escondem o mal-estar causado com a ida de prefeitos do PSDB para o palanque de Eduardo.

Antes de tudo, é bom deixar claro que o título do post parece pior do que realmente é. Parasitas são apenas seres vivos que retiram de outros organismos os recursos necessários para a sua sobrevivência (via site Toda Biologia). Ainda segundo a mesma fonte, “o parasita pode viver muitos anos em seu hospedeiro sem lhe causar grandes malefícios, ou seja, sem prejudicar suas funções vitais.”

Para completar, a mesma fonte diz: “Entretanto, alguns deles podem até levar o organismo à morte, neste caso, porém, o parasita sucumbirá junto com seu hospedeiro, uma vez que, era através dele, que ele se beneficiava unilateralmente.”

E mais: “dentre as diferentes espécies de parasitas, existem os parasitas facultativos, que são assim chamados por não necessitarem unicamente de um hospedeiro para sobreviver. Esta espécie é capaz de sobreviver tanto dentro (na forma parasita) quanto fora (vida livre) de outro organismo vivo.”

Quer melhor definição para Sergio Guerra do que esta: parasita facultativo?

Sergio Guerra era um apagado deputado-estadual até 1990. Foi Arraes quem o fez Secretário de Indústria e Comercio, e depois o alçou à categoria de deputado-federal, naquela chapinha que elegeu deputados com menos de 3 mil votos. Sergio Guerra foi o mais votado depois de Arraes, mas mesmo assim com 20 mil votos. Dali nunca mais parou de crescer.

Em 1992, Sergio Guerra estava no centro do rompimento de Jarbas com Arraes. Jarbas queria o deputado como seu vice, mas Arraes queria colocar Eduardo Campos, e os dois se desentenderam.

Logo no primeiro mandato enfrentou a acusação que até hoje o perturba: a da CPI do Orçamento, onde acabou inocentado depois de enorme desgaste.

Reeleito em 1994, assumiu novamente a Secretaria de Indústria e Comercio de Arraes, e se reelegeu novamente em 1998.

Em 1999, pouco depois da grande derrota de Arraes, Guerra tratou de utilizar seu “pragmatismo”, e auxiliado pelo próprio Jarbas, jogou pesado, tomou o PSDB e virou seu neo-aliado. Vale salientar que Guerra nunca destratou Arraes, inclusive chegando a defendê-lo quando os jarbistas chutavam o pobre velho sem pena.

Em 2002, Sergio Guerra deu o maior salto de sua carreira. Com a enorme popularidade de Jarbas, foi eleito Senador na chapa que ainda tinha Marco Maciel como aliado.

Preterido por Mendonça Filho para a disputa de 2006 ao Governo, Guerra optou por colocar um candidato a vice que não tinha um voto sequer, como forma de zombar com a cara do “aliado”. Logo após a derrota de Mendonça, tratou de estreitar laços com Eduardo Campos, até porque tinha uma certa aproximação pessoal, desde a época do Governo Arraes.

Voltando ao Senado, Guerra se articulou nacionalmente com as lideranças do PSDB, até virar, por méritos próprios, diga-se de passagem, o presidente nacional do partido. 

Neste ano, tal qual o parasita, percebendo que iria sucumbir junto a seu hospedeiro, no caso Jarbas, Sergio Guerra preferiu sair candidato a deputado-federal, juntando sua tropa e deixando o antigo aliado ao Deus Dará.

Vale salientar que um parasita só se hospeda por negligência do hospedeiro, que não se higieniza corretamente. Sergio Guerra não pode ser o bode expiatório da provável derrota de Jarbas, porque não seria capaz de reverter o resultado com pouco mais de uma dúzia de prefeitos. Até porque foi o próprio Jarbas quem o alimentou politicamente, pois Guerra estava no Arraesismo arrasado de 1998, e ali mesmo poderia ter sucumbido.

Além do mais, quando Jarbas resolveu trazer Sergio Guerra para o seu campo, todos em seu entorno falavam mal, mas não tinham coragem de chegar para dizer ao chefe. Todos, sem exceção, eram desconfiados com Sergio Guerra e o detonavam na primeira oportunidade, mas ninguém era capaz de chegar para Jarbas para mostrar o incômodo dos aliados.

Na verdade não tinham coragem, e o resultado está aí.

Com a quase certa vitória de Eduardo Campos, Sergio Guerra lá estará, de braços dados, mas com uma única certeza: este Governador é muito mais esperto que seus dois antecessores.

102 Comentários + Add Comentário

  • Espero que ele saia de vez da politica nesta eleição!

    • Sérgio Guerra tem méritos, criou muitos “empregos” no seu gabinete. Além disso, está para o orçamento federal assim como o cupim está para a madeira. Por que deveria sair?

      • “(Sérgio Guerra) está para o orçamento federal assim como o cupim está para a madeira”

        Perfeito!!

        Os Anões do Orçamento estão soltos…

  • “[...] Há duas maneiras de fazer política. Ou se vive ‘para’ a política ou se vive ‘da’ política. Nessa oposição não há nada de exclusivo. Muito ao contrário, em geral se fazem uma e outra coisa ao mesmo tempo, tanto idealmente quanto na prática.” Frase do Max Weber, em “Ciência e Política: Duas Vocações”. Hoje, na minha opinião, Sérgio Guerra não tem mais vocação pra nada.

    • A vocação de Sérgio Guerra, é para traidor! Ele aprendeu com o profº Jarbas Vasconcelos.

  • [...] por Pierre Lucena, no Acerto de Contas [...]

  • Durante todos estes anos na política, o Sergio nunca fez nada (ou quase nada) em trazer benefícios sociais e economicos para Pernambuco, por isto ele nunca teve o meu voto.

    No mais, fora de texto:
    A UFPE está de parabéns pela ingressão no seu quadro de professores, de Flávio Brayner, que foi ex-adjunto da Secretaría de Educação da PCR , ele será o mais novo professor titular de Fundamentos da Educação da UFPE.
    Sucessos ao Flávio.

  • Pierre. A traição na política é sempre o prato do dia. Me impressiona o seu espanto com a traição entre tais figuras. Sou leitor assíduo do seu blog há muito tempo e não me lembro de ter lido texto tão agressivo de sua lavra. Nada tenho a favor do “parasita”. Muito pelo contrário. Mas me questiono sobre suas motivações. Como você afirmou recentemente que não tinha ligações com o grupo de Jarbas, sou obrigado a acreditar.

  • O termo de “pobre velho”, foi totamente descabido e infeliz. Um pouco mais de respeito.

    • É Pierre, velho sim, mas pobre ele não era meeeeesmo. hahahahahah

      • Muito engraçado, nasceu o novo Woody Allen!

    • Que bobagem Paulo. Não foi agressivo

  • Obrigado pela aula de Biologia, muito bom este Post!

    • Ele é muito do ESPERTALHÃO!

      A diferença deles pros outros é que ele deu certo!

  • Mesmo Sérgio Guerra sendo “tudo isso” ainda é o líder do único partido da “oposição” que vai continuar com expressão após as eleições de outubro, o “parasita” tem um bom número de prefeitos e deputados aliados, que mesmo do lado de Eduardo não deixou Guerra na mão. Tirando Terezinha Nunes e Edson Vieira (esse último eu tenho minhas duvidas), todos os outros estão loucos por uma aliança aberta com a Frente popular, os ex-socialistas na sua maioria, já estão em uma aliança branca, até pq se não for assim ano que vem voltam a vida de um simples mortal eleitor pernambucano. Eduardo não é Jarbas, muito mais “articulador” que o senador ele não vai colocar Guerra no lugar que realmente ele merece, pelo menos isso é o que eu espero.

  • É parasita mesmo e sem eufemismo!
    Um tipo de político imprestável que só atende aos seus próprios interesses menores. Mas SG é cria dos caciques que insistiram em colocá-lo em pedestal e desfilar com ele em cortejo glorioso. Suas previsíveis traições são merecidas. Que os padrinhos de SG recebam rasteiras, afinal, sabem a qualidade de aliado que ele é!
    Espero que os fiadores políticos de SG parem de empurrá-lo através das urnas, facilitando a carreira deste indivíduo.

    • E pensar, meu caro Paulo, que um dia eu votei nesse parasita, a pedido de Jarbas, que até então, eu não sabia ser um traidor.

  • Pierre sempre dando uma aula, não importa se política ou biologia… Boa rapaz.

  • Infelizmente, a política brasileira é cheia desses parasitas e parece que não com exterminá-los.

    • Emilia, para extermina-los é somente os bobos se tornarem lúcidos e não votarem mais nestes candidatos.
      É difícil, mas…….é o jeito.
      abs

  • Não entendo o rancor do articulista. Jarbas colocou Sérgio Guerra na chapa para senador porque precisava do dinheiro (pessoal e de “doações”) que o mesmo traria para sua campanha. Quem conhece o senhor Biu Estelita Guerra sabe que as prioridades dele são: primeiro eu, segundo eu, terceiro eu e por aí vai…Não espere ideologia ou ética do mesmo.

  • Rapeize, o negocio ta feio mesmo. Olha o que Magno Martins, o blogueiro que fofreu censura num batizado de boneca, escreveu sobre Pedro eurico -

    “Serviçal de Arraes, cão de guarda de Eduardo
    O ataque de Pedro Eurico a Jarbas não surpreendeu a oposição. Basta dar uma olhadinha na postura do parlamentar nas votações do governo. Ele é eduardista desce criancinha, frequentador assíduo do Palácio dos Princesas e estava a procura apenas de um pretexto para se abraçar oficialmente com a reeleição do governador.

    Quantas vezes Eurico votou contra o Governo na Assembleia? A rigor, uma, duas no máximo, para posar de independente. Mas, na verdade, age nos bastidores como aliadíssimo do governador, um cão de guarda. Aliás, de vez em quando estufa o peito e diz que é quase família de Arraes, pelos laços históricos com o ex-governador, de quem foi serviçal.”

    E agora vem Pierre com o seu:
    ” Sergio Guerra: a trajetória de um parasita facultativo”.

    Sei nao, parece que vai rolar uma Noite de Sao Bartolomeu na politica pernambucana.
    E eu quero ver o circo pegar fogo e o palhaco morrer queimado, a mulher barbada ser degolada fazendo a barba, o domador ser esmagado pelo elefante, o engolidar de facas cortar a traqueia, etc….
    Aplausos, o show nao pode parar.

  • Acho incrível como uma pessoa sem expressão consegue chegar tão longe. Somente pulando de galho em galho e de aliança em aliança. Sérgio Guerra, pelo seu perfil, tem mais jeito pra presidente do PMDB do que PSDB, haja vista este primeiro partido ter a incrível capacidade de se aliar a qualquer coligação que esteja no poder, característica muito peculiar ao nosso conterrâneo.
    Ademais, SG no senado é como uma mosca branca: ninguém o vê ou o escuta. Não se conhece uma proposta de lei ou qualquer coisa que seja do nobre senador. Muito menos é visto discursar na tribuna do Senado (ao menos por mim e pelo meu pai que é aposentado e adora assistir a TV senado) ou aparecer na imprensa para emitir opinião a respeito de assunto de grande relevância para nação. Infelizmente não difere muito dos demais Senadores do Estado que formam um trio de inexpressão.
    Guerra só abre a boca pra falar de alianças e arranjos políticos. Ele nunca fala como Senador e a função que lhe compete, mas sempre como presidente do PSDB. Pra isso é dispensável o seu cargo eletivo. No final das contas, Pernambuco, há 8 anos, sempre teve um senador a menos. Pensando bem, há 8 anos não temos Senador algum.

    • Não tenho motivo algum para defender Sérgio Guerra, e se tivesse, pensaria duas vezes antes de fazê-lo por motivos óbvios. E nem tampouco sou seu eleitor.
      Mas inexpressivo ele não é. Além da política ter sido herança familiar, ele demonstra força no DF. Antes mesmo de se cogitar qualquer Copa do Mundo no Brasil, o mesmo garantiu a duplicação da BR-408 de recife até Limoeiro. Dizem por aquelas bandas que a duplicação termina na porteira de suas terras.

  • Há formas e formas de se ganhar e perder uma eleição. Perde-se o respeito e a compostura e ganha-se uma eleição pisando sobre tudo e todos… e há aqueles que optam pela coerência, pela honradez e pela retidão de caráter.

  • Me diga lá: “quem não é parasita em nosso quadro político?”
    Ta adivinhando chuva, é?
    Eu acho é pouco, é bom demais, assistir os gladiadores-predadores na tela da política.
    Que tal fazermos uma cotinha para dar um prêmio ao primeiro que matar o outro parasita?

    • Raul Jungaman não é parasita não, ouviu? Ele foi para Honduras e para o Haiti, portanto, não generalize, por favor.

      • Desculpa aê, viu!
        Raul Jungman, além de tudo, é pobre, né! Patrimônio de apenas 17 mil reais, coitadinho da costa oca. Donde se infere que pobre não é parasita, pois está parasita como estratégia de sobrevivência. Contudo, neste estágio ta sugando tudo que vê pela frente.
        PS: ele foi ao Haiti e Honduras com dinheiro público, diárias e o escambau, apenas como estratégia de sair da pobreza, foi não?

  • Resumo da ópera:
    Severino Sergio Guerra vai se eleger deputado, vai virar amiguinho de infancia de Eduardo, vai dar uma banana para Jarbas e esperar lépido e fagueiro, a “proxima vitima”, que obviamente será o proprio Eduardo, quando seu ciclo de poder terminar.
    Assim se fecha o ciclo do parasita.
    De uma coisa eu tenho certeza absoluta, o parasita jamais tornará realidade seu sonho de consumo: Ser governador de Pernambuco.
    Isso que estamos assistindo é puro retraço das mágoas por ter sido preterido, por Mendonça Filho, na escolha de 2006.

    • É isso aí, Chiquito. Vai ser engraçadíssimo ver o teleguiado Edmar-147 entrando aqui para defender Eduardo Campos!!

    • Numa eventual vitória de José Serra, Sérgio Guerra será o seu candidato a Governador em 2014 e vencerá, inclusive, com o apoio de Eduardo Campos, alguém duvida?

      • Delírios, delírios de um chicleteiro.

      • EU!!!!

        KKKKKKKKKKKKKKKKKK X 100000000

        • Eu!!!! (2)

      • Duvideodó!

      • Eu!!! (3)

  • pierre, em 2006, qual seria o melhor candidato, sergio/inocencio oliveira ou mendoncinha?

    jarbas não esta pagando esta fatura agora?

    • Não tenham dúvidas que Sérgio Guerra teria maior lastro para ser eleito Governador em 2006.

      Dificilmente Eduardo Campos venceria.

      • Palhaço! vivia babando Mendonça quando ele dava oportunidade, era o melhor candidato disparado, agora vejo que já se adaptou rápido ao seu novo tutor.
        É um mini parasita facultativo.

    • Rapaz, eu acho que o próprio Mendonça. A campnha é que foi mal conduzida, e ainda tinha Lula.
      Eu votei em Humberto

  • Sérgio Guerra, definitivamente, não é parasita, vide sua atuação na Comissão de Orçamento, daí que o “candidato” a reitor fez uma infeliz comparação com esse anilmalzinho. Porém, é imperativo questionar, independente de juízo de valor: Pedro Eurico falou pela boca de Sérgio Estelita? E, atribuir parasitismo ao senador tucano, estaria Jarbas reverberando o seu ódio por outra “boca”, e nesse caso, tão parasita quanto o sujeito objeto dessa acusação? De todos, reconheçamos, quem tem razão é o Pedro Eurico. Eduardo faz agora, com muita facilidade, o que Jarbas fez, o que Mendoncinha fez. O mel do poder é muito sedutor. “Leproso” politicamente, qme quer ficar ao lado de Jarbas?

  • a fauna política é cheia de “pragmatismos”na política local como a virada de casaca de inocêncio oliveira , severino cavalcante , josé múcio , joaquim francisco e ao do próprio jarbas aliando-se ao pefelê em meados dos anos 90. sempre aconteceu e sempre acontecerá , a ânsia pelo poder remove montanhas.

    • Pois é, Maria! Alguém já pensou o sr. Joaquim Francisco suplente de Humberto? Na política tudo é possível…. por isso que voto no indivíduo e não no partido.

      • Por uma frase que disse em 1990, Joaquim está absolvido e merece a suplência de Humberto. Disse o então candidato a governador, no guia eleitoral de 1990: “eu vou desmistificar você, Jarbas Vasconcelos”. De pois dessa frase profética e genial, que pecado político poderia Joaquim carregar?

    • Depois de lula e collor amigos eu acredito até em bicho papão!

  • Belo post, Pierre.

    Agora, digam-me, caros colegas, existe alguém mais parasita do que um indivíduo chamado Inocêncio Oliveira? Onde estiver o poder, está lá aquela figura que envergonha qualquer Estado.

    Este coronéis precisam ser extirpados da política nordestina. Infelizmente nas cidades interioranas, as raízes coronelistas, do voto de cabresto estão mais profundas do que imaginamos. É uma pena.

    Abraço!

    • *Estes

    • Só lembrando: Inocêncio faz Pilates.

  • E pensar que o parasita profissional é presidente nacional do PSDB e deixou o candidato de seu partido sem articulação em PE. Faltou integridade até na hora de honrar o seu partido de ocasião! Por essas e outras, a tropa de choque do Campo das Princesas vai trucidar tucanos, demos e jarbistas de maneira vergonhosa.

    E coloquem as barbas de molho também os atuais deputados federais e estaduais ligados ao grupo demo-tucano-jarbista, pois a reeleição será complicada!

    Mesmo decidido a anular meu voto por absoluta falta de opção, assistirei com uma ponta de satisfação o massacre da coligação dos parasitas!

    Eduardo Campos que se cuide, pois o adesismo dos parasitas derrotados será praticamente inevitável depois da lapada que se anuncia! Contar com esta cambada será uma armadilha! Mas, enfim, todos eles se merecem!

  • EU SEI O QUE JARBAS FEZ NO GOVERNO( PASSADO).
    JARBAS NUNCA MAIS(+)

  • A política traz uma grande semelhança com a natureza, existem os predadores naturais que sobrevivem alimentando-se de outros seres, mas um dia, também, é chegada a sua hora! A política nacional está repleta de parasitas, predadores, roedores, vampiros e etc. Mas poderiam ser chamados de Dinâmicos, pragmáticos, articuladores, agregadores e haja sinônimos para a falta de caráter!

  • É, Sergio Guerra aprendeu o significado do termo “pragmatismo político”. Mas não foi o primeiro, o exemplo vem de cima!

  • Deixa ver se entendi: a turma da ARENA/PFL/DEMO atrai Judas para o lado deles. Era formado então um grande exercíto (PFL, PMDB, PSDB, parte do PT, Judiciário e Imprensa). Todos contra Arraes. Pense numa ofensiva!!!

    Após logos oito 12 anos, ou seja, depois do fim da festa, todos o abondonaram. Ele fica sozinho no comando de um exercícito decadente… Mas ele não está só!!! Ao seu lado o “brilhante”, “expressivo” e “competente” Político Trainee: Raul Henry. Será que a dupla Vasconcelos-Henry vai dar a volta por cima???

    Em tempo: Pierre, teu texto tá bomamdo na web. Coloca o título do google para ver… Vários Blogs reproduziram. Acredito que alguém não vai gostar.

    Em tempo 2: será que nessa eleição vai ter muito avião indo para o Sertão negociar votos? Que negociar que nada. COMPRAR mesmo!!! Essa eleição vai chover dinheiro.

    • Excelente post! Excelente comentário!

      • Pois é, Reflexão. Pelo visto, você entendeu 100% o comentário….

  • Danou-se, Pierre!!!

    Impagável!!!

  • E ainda tem o refrão: “Pelo bem da nossa terra”.

  • Pelo bem da nossa terra, Federal é Sérgio Guerra.

    Decidi votar em Sérgio Guerra por acreditar na sua capacidade política e capacidade de articulação.

    Acho que o autor do post utilizou de um posicionamento que não vimos sobre o que fizeram com João Paulo, por exemplo, que foi o responsável pelo processo de ocupação das forças e esquerda quando impôs uma derrota ao PFL em 2000 quando ninguém esperava.

    João Paulo foi traído em 2006 quando tinha condições melhores de ser candidato que Humberto Costa. Bem como agora em 2010, foi traído sumariamente, mesmo tendo mais uma vez melhores condições.

    Antes, após fazer o sucessor, foi traído pelo Palácio e pelo PT, bem como pelo próprio sucessor.

    O que dizer de Inocêncio Oliveira, que tinha espaços consideráveis no Governo Jarbas?

    O que dizer de Cadoca, que tinha na sua mão todos os cargos de SUAPE no Governo Jarbas?

    Ambos estão com Eduardo Campos.

    Armando Monteiro rompeu com Jarbas por causa de Cadoca, alguém lembra disso?

    Sérgio Guerra reunia melhores condições para disputar o Governo de Pernambuco do que Mendonça Filho. Na pior das hipóteses, ambos concorrerem.

    Jarbas solicitou que Sérgio Guerra retirasse sua candidatura ao Governo de Pernambuco para que Mendonça Filho fosse o candidato único.

    Mendonça não chegou nem a 40%, em ambos os turnos.

    Sérgio Guerra tinha um exército de Prefeitos muito maior que o grupo do então Governador.

    Quando forem falar mal de Sérgio Guerra, perguntem a Elias Gomes, Ricardo Teobaldo, Ozano Britto, dentre outros Prefeitos se ele realmente é ruim.

    Perguntem aos Prefeitos de maneira geral qual foi o Senador que mais liberou recursos para Pernambuco? Sem dúvidas foi Sérgio Guerra.

    O que adianta ser um Senador espalhafatoso se não consegue o essencial para os municípios?

    Fazer discurso bonito, todos têm capacidade, basta ter uma boa oratória. O que importa para o povo é uma adutora, uma estrada, uma barragem, etc… Que discurso na tribuna do Senado não resolve e sim uma articulação efetiva.

    Jarbas sente dificuldades nesta eleição. Praticamente a mesma que Eduardo Campos enfrentou em 2006, bem como a que João Paulo enfrentou em 2000. Alguém duvida?

    Como já disse. Ninguém pode colocar a culpa de um eventual insucesso da oposição em Sérgio Guerra e no PSDB.

    A diferença entre o PSDB e os demais partidos da oposição é que o mesmo não desidratou. Isso se deu porque Sérgio Guerra é um político que dá atenção as bases, dialoga com o partido como um todo.

    Já coloquei isso no outro post, se tem alguém responsável por um eventual fracasso da oposição em outubro, esse alguém é Mendonça Filho que perdeu a eleição com todas as condições possíveis de vencer.

    Nem culpo tanto Mendonça Filho, acho até que ele é vítima dos que o cercam no DEM. Porém, se é pra culpar um político pela derrocada da oposição, este alguém não pode ser Sérgio Guerra.

    Não foi Sérgio Guerra que era o Governador de Pernambuco em 2006.

    • “Pelo bem da nossa terra, Federal é Sérgio Guerra.”

      Delírios!!!!

      • martins, juro a você como gostaria de te ver pessoalmente, saber quem és tu.

        Não posso postar nada aqui que você sempre se coloca contrário.

        E o pior, não tenho nem ideia de quem seja.

        Porém, não tenho nada contra esse teu sarcasmo. Até me divirto com ele.

        Mas, que queria saber quem é você, queria!

        • Eu me divirto contigo também, Edmar-147, especialmente com tua completa falta de opinião própria sobre qualquer assunto. Tuas colocações refletem sempre teus interesses político-partidários do momento. É uma gréia!

        • Ué, é somente vcs. marcarem um encontro, sem armas claro, mas com o objetivo de trocar idéias sobre políticas.
          abs

      • “Pelo bem da nossa terra”?!?!?!?!?!?

        De quem, cara-pálida????

        A minha(Pernambuco) é que não é!!!!

        Tá fumando muita maconha mofada!!!!

    • Edmar que deixou o PFL, hoje se aliou ao PSDB.

      Ao sentir o fracasso do seu partido, tenta agora espaço no PSDB.
      Ao escrever, ele passar uma ídeia de ser uma pessoa de convivência intima com os caciques da oposição. Deseja mostrar ser ligado aos que decidem no partido.
      Ganhar espaço em partido derrotado, para ele será mais fácil.

    • HAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHA
      Alguém dê o remedinho de Edmar, please!

  • Caro Pierre,

    Fazer proveito do meu tempo para defender uma pessoa que admiro é uma escolha minha!
    Você perdeu o seu tempo na intenção de atingir a um político que tem competência, inteligência e muita força para assumir os cargos que assumiu até hoje. Você reconheceu a capacidade do Senador quando ressaltou todas as vitórias dele.

    Termos utilizados por você para tentar denegrir o Senador foram extremamente ridículos, pois isso não é jornalismo, tampouco um possível “Acerto de Contas” com a população.

    Sinto que na realidade, a sociedade perde muito com pessoas do seu caráter, que utilizam meios de comunicação para fins pessoais.

    Espero que um dia você possa olhar para trás e pedir desculpas, é o mínimo que você pode fazer, pelo menos à noite, sozinho em sua casa, desculpas que serão vistas e ouvidas pelo Senhor!

    Em política não há pacto eterno. As alianças firmadas em uma época, noutra poderão não mais existir, e por diversos interesses sim, de ambas as partes.

    Tenha uma boa noite.

    Assinado: Cristiane

    • Maria da Paz ou Cristiane?

      • maria da paz falando de guerra?
        :-|
        so falta a distinta senhora sugerir que da mesma forma que a br 232 é conhecida como rodovia luiz gonzaga, a br 408 seja batizada de rodovia sergio guerra, apos a duplicacao.

    • Também não entendi o que ela falou…

    • O texto foi psicografado.

      • Acho que a Maria “Cristiane” da Paz está tentando garantir o leitinho da paz fraterna…
        Vai uma teta aí?

    • KKK.. Manda ela ler o Reinaldo Azevedo… Ela vai “RECEITAR” uns mil pai-nossos e ave-marias!!!

  • Como é a história? Edmar morria de amores por Mendoncinha, se pintou de Mendoncinha, disse que ele era o cara, era a vez dele. Hoje em dia, critica a escolha dele.

    Arquiteto de obra pronta?

    Agora, morre de amores por Sérgio Guerra. Amanhã será apaixonado por Dudu dos Oinho Azul.

    Biruta de vento não tá aí. Mas agora José Serra engrena de vez e vence no primeiro turno: Edmar prometeu seus 147 (!!!) votos para ele!

    Como é? Num sei, só sei que foi assim…

    • O erro não foi a candidatura de Mendoncinha.

      E sim apenas ela. Sérgio Guerra tinha condições políticas de agregar como candidato, caso Mendoncinha fosse ao segundo turno, haveria um pacto de apoio mútuo para o que fosse.

      Optaram pela candidatura única e a oposição teve 39% dos votos no primeiro turno e no segundo apenas 35%.

      • Edmar,

        Me mostra um post, um só post teu, defendendo esta frente ampla em 2006. Um post num blog, um comentário, um texto, uma redação, um sinal de fumaça.

        Tanto não defendia, que dava como FAVAS CONTADAS as eleições até 2-3 meses antes da mesma. Principalmente após a destruição que fizeram em cima de Humberto…

        Daí a analisar o que passou (e a eleição foi perdida), é muito fácil não é meu caro? É o famoso arquiteto de obra pronta…

        • Nunca dei como favas contadas.

          Me dediquei a Mendonça Filho, viajei o estado ajudando-o, mas quando fomos pro segundo turno com Eduardo, nem comemorei, pq sabia que PT não votaria no PFL.

          Achava que nossa chance era vencer no primeiro turno, ou talvez com Humberto Costa no segundo.

          Com Eduardo, sempre soube que ele garimparia votos de Mendonça e de Humberto se estivesse no segundo turno contra um dos dois.

  • O parasitismo incomoda tanto que em todas as esferas não governamentais e populares emergem vozes que se insurgem contra a malversação de verbas públicas, a fraude em processos licitatórios, a corrupção, o desvio de finalidade de atos administrativos, a perseguição política, o favoritismo ilegal aos aliados, o nepotismo, o cangurismo, o coronelismo, o clientelismo”

    E se imaginarmos uma figura geométrica com diversas faces poderíamos incluir aí além das já citadas coronelismo e clientelismo as faces do parasitismo e a síntese ou junção de todas que é o SEBOSISMO. (gestores públicos que não cumprem o LIMPE: Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência).

    Apenas como efeito de ilustração poderíamos contar alguns capítulos soltos de uma historinha de pura ficção (?):

    Dizem que em Sucupira do Oeste (pequena republiqueta parece que na América Central), continua a escalada de atos e fatos sebosos. Eis um resumo sem maiores detalhes (por enquanto?).

    a) Um Seboaspone tem feito constantes achaques em cima de construtores. Motivo: quer sair de seu minúsculo apartamento localizado no bairro Peça de Xadrez para um AP maior. E tem pressa. Diz que quer se arrumar antes do presidente da dita republiqueta terminar seu mandato. Este Seboaspone também é um voraz participante de uma nova modalidade para aumentar vencimentos sem fazer esforços: ser membro de grupo de trabalho. Não pode perder nada sob risco de ficar sem fazer sua feirinha semanal.

    b) Anúncio Imobilário: Terreno que valia seiscentos mil sebus (nova moeda da republiqueta) foi arrematado por dois milhões de sebus. Detalhe: nem os seiscentos mil iniciais valia. Afinal o vendedor espertalhão empurrou um antigo aterro sanitário. Mas será que era espertalhão mesmo? Ou alguém? Eu disse alguém intermediou e fez muito esforço para adquirir tal pérola. Outro detalhe escuso: sabe quem era o dono original? Não sabe? Nem vai ficar sabendo. Foram feitas transações para despistar. Mas a origem é a mesma do terreno onde foi construída a embaixada de Sucupira. Mas as despesas que estão sendo feitas para repararem a caca já anda na ordem de…..(paciência é uma virtude). Um certo suspense.

    Um certo suspense também está sendo feito em relação a revelação dos nomes completos e grau de parentesco dos parentes que estão comendo na folha de pagamento da empresa terceirizada. Já foi dado o recado para serem afastados. Mas parece que não foi entendido.

    Será que o Sebosão vai segurar as pontas dos amiguinhos do Clube do Uísque? Falando em Clube do Uísque suas reuniões são marcadas sempre pelo indefectível uso de carros da República de Sucupira na porta das diversas sedes ou pontos de reuniões. ( Zona Oeste da República)

    Sebosinho Jr. é uma figura sui-generis. Sebosão-pai não o pode empregar na República de Sucupira. E se assim o fizesse seria um ato de nepotismo. Mas deu carta branca que o filhote empregasse nos mais diversos depart ops ministérios da república: a namorada, coleguinhas de escola e de copo. Mas como Sebosinho Jr. que é um menino já taludinho ganha o seu leitinho? Ora aí é que entra a troca de favores cruzados. O irmão do Seboso-Geral é Presidente de outra republiqueta no mesmo continente. Então olha coloca Jr. lá que abro as portas de Sucupira para os seus também. Tá na cota. Fechado?
    Detalhe: ninguém o vê trabalhando por lá.

    E aí para os cidadãos e barnabés de Sucupira não esquentarem muito a cabeça com tanta esperteza só resta descontraírem assistindo um filme na sessão promoção: “EU SEI O QUE VOCES FIZERAM NA GEST… QUERO DIZER VERÃO PASSADO”. Só para alertar aos fracos de estômago e de nervos: é de terror, viu? Tanto na ficção quanto na vida real.

    • Carol,
      Você deve ser jornalista ou tem um dom vindo desde o berço de deixar certas “pessoas” com dor de estômago e orelhas em pé. Gostaria muito de decodificar suas MARAVILHOSAS charadas, mas o triste mesmo é que mesmo desvendados os nomes, nada vai mudar. A regra destes sebosos incluindo outra com três letras aqui citados como orgão “não faz nada” é o silencio. Este País é podre e temos que conviver com esta sujeira.
      Parabéns.

    • Carol se eu lhe conhecesse lhe dava um BEIJONABOC.A!

  • Parasita por parasita. Pelo visto Jarbas perdeu SG, mas dizem, no meio político, que ele ganhou outro. Talvez muito pior. Um super-parasita, um parasita petista dos meios sindicais.

    Um parasita tão nocivo que destruiu o trânsito e transporte público da nossa cidade… Esse parasita é autor, dentre outros, do DonalinduGATE e da Conde da Boa Vista Assassina.

    O PT, que é uma seita, já rifou esse INcompetente. Falta agora o povo faze-lo, assim depois de duas rifadas, ele volte vá de vez para os braços de Jarbas Vasconcelos.

    • O estado está muito bem financeiramente, agora foi elevada a renda per capita da população?

      Não é só compra de bens duráveis, mas saúde publica e escola está elevada?

      • Concordo, Fred.

        • concordo,Carlos e Fred

        • Renda per capita do Brasil em 2002: US$ 2.800

          Renda per capita do Brasil em 2010: US$ 10 mil.

  • Estou achando engracado porque Pierre vive reclamando de quem e’ politicamente correto. Hhahahahahaha

  • pierre, em politica o feio é perder.

    não existe partido no brasil com com bandeiras;

    o psol foi criado por não comungar com o pt
    esta dividido em candidaturas diferentes.

  • ““Pelo bem da nossa terra, Federal é Sérgio Guerra.”
    Desculpem amigos a baixeza das palavras, mas essa frase (infeliz) de Edmar Lyra é de lascar qualquer ser vivente e inteligente.
    ESSA FOI PHODA!!!!

    • Francisco,

      Esse é o slogan de Sérgio Guerra.

      Não lembra do slogan da campanha de Jarbas em 2002?

      É Jarbas, Marco Maciel e Sérgio Guerra, juntos pelo bem da nossa terra.

      Sérgio Guerra utilizou o slogan de 2002 para sua campanha de Federal em 2010.

      Ele tem culpa de o sobrenome dele rimar com terra?

  • Dos três Senadores, foi o melhor de todos.

    É o responsável pela maior parte dos recursos vindos para Pernambuco.

    Será um Deputado Federal atuante, e se eventualmente José Serra for eleito, será Ministro de Estado.

    Se Sérgio Guerra fosse irrelevante não seria disputado a tapas pelos dois lados de Pernambuco.

    • Os recursos viriam com ou sem o parlamentar. Isso é papo furado de lobista.

      Congressista tem que legislar. Isso sim. E não ficar com essa conversa fiada de trazer dinheiro.

      E tem mais, quando o parlamentar se empenha em “trazer dinheiro”. O dinheiro tá marcado e será objeto de corrupção.

      As emendas dos parlamentares ao Orçamento são coisas desse tipo. E por falar em Orçamento, lembrei dos corruptíveis anões.

    • martins, pelo amor de Deus!
      cade voce para replicar edmar 147?
      esse bicho é sem nocao ou se faz, so pode ser.

      • É sem noção mesmo. Vai lá no tuíter dele que vc vê como o garoto é problemático.
        Aguardo o dia em que Edmar 147 vai cair de joelhos no colinho de Dudu…
        Se o mundo não acabar em 2012, minha aposta é que isso acontece em 2013.
        Quer apostar quanto?

      • Deixa ele, sandro. Tô só esperando o dia em que Edmar-Chicleteiro se derramará, a mando de Sérgio Guerra, em elogios a Eduardo Campos. Aí eu vou tirar MUITA onda!!!

    • Pediria ao autor do texto que esclarecesse uma dúvida que me ficou desta aula de biologia: puxa-saco de parasita facultativo tem alguma designação própria ou é tão insignificante quanto a mosca do cocô do cavalo do bandido?

  • O pior de tudo vai ser ele chegar no comitê de jarbas no dia da eleição, já sabendo da lapada que o mesmo levou, e dizer: “TEM CUUULPA EU?

    • Culpa zero.

      Sérgio Guerra não tem responsabilidade alguma nem numa eventual vitória, nem numa eventual derrota.

      • Edmar
        Em relação a isso estou de acordo. Não faria muita diferença. A chance de Jarbas, tenho dito isso aqui, é ZERO.
        Inclusive o artigo teve mais repercussão do que eu esperava.
        Acho que o título está muito forte para o post. Na verdade quando fala-se em parasita se faz mais analogia a alguém encostado do que ao ser vivo propriamente dito.
        Quis apenas fazer uma analogia ao fato de se hospedar em um grupo e depois em outro.
        Enfim….deu para entender
        Abraço

        • Eu entendi o que você quis dizer.

          A bem da verdade é que Sérgio Guerra é um cara sortudo, coisa que alguns não são.

          Sérgio Guerra foi alçado a condição de Senador da República numa situação atípica.

          Foi eleito Presidente nacional do PSDB, partido essencialmente sulista em termos de comando e também de criação, por méritos próprios, mas também precisou de um pouco de sorte.

          Inocêncio Oliveira foi um dos primeiros políticos a ver a possibilidade de vitória de Eduardo Campos.

          Inocêncio era filiado ao PFL, sabia que não teria respaldo pra disputar o Governo. Se filiou ao PMDB de Jarbas, e também não conseguiria ser o candidato, depois migrou pro PL, se tornando liderança do partido, e optou por apoiar Eduardo Campos.

          A questão se dá por pragmatismo, e acho isso uma virtude.

          Quem já leu O Príncipe, sabe que a principal virtude é a capacidade de se adaptar as circunstâncias.

          Creio que tanto Inocêncio Oliveira como Sérgio Guerra seguem à risca este mandamento de Maquiavel.

          São dois políticos que conhecem como poucos a essência da política, e isso não é uma coisa que todo mundo tem, ou todo mundo percebe.

          A questão política se dá pela negociação e pelo diálogo.

          A arte da política, da negociação e do diálogo que sobra em Inocêncio, Eduardo e Sérgio Guerra falta em políticos como João Paulo, Mendonça Filho, o próprio João da Costa e muitos outros.

          Existem derrotas mais interessantes que vitórias.

          João Paulo por exemplo, se tivesse abdicado do projeto de lançar o sucessor e jogasse Humberto na candidatura a PCR e o próprio Humberto perdesse, João Paulo seria o nome natural para o Senado da República.

          Numa outra hipótese, tendo eleito o próprio João da Costa. João Paulo poderia ter costurado uma articulação de diálogo nestes dois anos que precediam o pleito de 2010, viajando pelo estado inteiro apresentando projetos da PCR, dialogando com os segmentos sociais e do próprio PT, etc…

          Dificilmente João Paulo não seria o candidato a Senador na chapa de Eduardo Campos.

          Mas, o que João Paulo fez? Mendigou um Ministério, ficou de fora. Mendigou uma Secretaria, conseguiu, mas era inexpressiva para a magnitude política e eleitoral que ele tinha naquele momento.

          João Paulo foi eleito, reeleito e fez o sucessor, é o responsável pela trajetória vitoriosa da Frente Popular.

          A partir de sua vitória em 2000, a finada União por Pernambuco perdeu sua hegemonia e sua condição política de ter um projeto de poder duradouro.

          São essas coisas que a gente tem que prestar atenção.

          Mendonça Filho foi outro. Desde quando foi alçado a condição de Vice-Governador, sabia que ele seria a bola da vez para o Governo de Pernambuco em 2006.

          Porém, Mendonça optou por ficar à sombra de Jarbas, imaginando que as pessoas que votavam em Jarbas iriam votar nele simplesmente por Jarbas apresentar.

          Se Mendonça tivesse assumido a articulação desde 2002 quando a chapa foi reeleita para ser o candidato, dificilmente ele perderia.

          Ele poderia ter dialogado com Inocêncio Oliveira, Armando Monteiro e muitos outros.

          Inocêncio pediu 2 secretarias, se ele tivesse negociado apenas uma com ele, dificilmente Inocêncio teria saído do palanque dele, que era governista, para aventurar no de Eduardo.

          Se tivesse negociado com Sérgio Guerra o posto de Vice-Governador, buscando um nome interessante tanto pra ele próprio quanto pra Mendonça, sob a articulação de que ele só poderia ser Governador por 4 anos e que Sérgio seria o candidato natural nesta eleição, talvez o resultado tivesse sido outro.

          Creio que, se Inocêncio não tivesse ido pro palanque de Eduardo, dificilmente este seria hoje Governador.

          São atitudes que diferenciam políticos profissionais dos amadores.

  • Traduzindo do Edmarzês para o português deve-se ler assim o seu comentário: onde se ler…
    Sortudo… leia-se esperteza
    situação atipíca… leia-se oportunismo
    pragmatismo … leia-se fazermos qualquer negócio
    essência da política… leia-se falta de pudor
    derrotas mais interessantes que vitórias … leia-se dou um dedo, mas depois recolho os aneis de todos oceis.
    articulação de diálogo… leia-se…. eita, danou-se, primeiro os meus.
    mendigar ministério ou secretária… leia-se tomelá e me dê cá
    projeto de poder duradouro … leia-se vou mamar, mamar e mamar mais ainda.
    bola da vez… leia-se sai-te que a boquinha é minha.
    assumir a articulação … leia-se perai, coequié? assumir tudinho? e o véio armário?
    candidato natural … leia-se é dando que se recebe
    políticos profissionais e amadores leia-se se gritar pega ladrão, num fica mermão.

  • Eita q o post sobre Biu Estelita War bombou….hehehehehehe

  • Eu tinha esquecido de perguntar: SG teve uma briga com ACM dentro do congresso, foi?

    Eu lembro de ter visto isso. Não sei ao certo se foi SG, mas ACM teve um momento de briga, literalmente falando, com um parlamentar. Tudo filmado: os dois trocando tapas dentro do CN.

    Alguém lembra desse clássico? E se foi realmente SG?

Tem algo a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

XHTML: Você pdoe usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Enquetes

Em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, qual sua posição?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Frase do dia

  • A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”, Adam Smith.

ARQUIVO

dezembro 2019
S T Q Q S S D
« mai    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Informação com Humor

MARCO BAHÉJornalista
É formado em Jornalismo e pós-graduado em História Contemporânea e História do Nordeste do Brasil. Foi repórter da Gazeta Mercantil para os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Também atuou como repórter do Jornal do Commercio, editor da Folha de Pernambuco e repórter especial do Diario de Pernambuco. É correspondente da revista Época no Nordeste desde 2003. Tamb´m atua com publicidade e marketing eleitoral desde 2004.
PIERRE LUCENADoutor em Finanças
É doutor em Finanças pela PUC-Rio e mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto de Finanças da UFPE e foi secretário-adjunto de Educação de Pernambuco. É autor de vários trabalhos publicados no Brasil e no exterior sobre o mercado financeiro, e participa como revisor de várias revistas acadêmicas na área. É sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Finanças. Foi comentarista de Economia do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (TV Jornal e Rádio CBN). Atualmente é coordenador do curso de administração da UFPE, e Coordenador do Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos do Programa de Pós-graduação em Administração da UFPE (NEFI).